Start Reading

Uma questão de confiança

Ratings:
290 pages4 hours

Summary

Gordon fechou a porta e caminhou cambaleando para a cama.

Ele queria perdoar Taylor. Desesperadamente! Mas não podia confiar nela. Se se permitisse confiar, saberia que ela ficaria com o poder de o magoar novamente. Independentemente de tudo, ele não poderia mais dar-lhe esse poder.

O chão rangeu logo após a porta de Gordon, e ele prendeu a respiração quando a maçaneta da porta se virou. O chão rangeu bem por trás da porta do quarto de Gordon e ele susteve a sua respiração à medida em que a maçaneta da porta ia rodando. O seu coração acelerou de tal forma e ele queria desesperadamente chamar por ela.

A porta abriu devagarinho e Taylor apareceu como um vulto iluminado pela luz da lareira.

"Meu Deus!" pensou ele. O seu olhar percorreu todo o seu corpo, saboreando cada centímetro de cada perna nua…O seu corpo brotou para a vida mesmo que a sua boca tenha começado a dizer as palavras: "Taylor, não..."

"Tenho estado deitado e acordado e não consigo parar de me lembrar." Ela foi até à sua cama descalça. "Olha para mim, Gordon." disse Taylor.

Ele abriu as pestanas e deparou-se com o seu olhar. Algo brilhante, caloroso e perigoso queimava dentro dos olhos dela. "Sabes..." disse.

Ela colocou o seu joelho na cama e acarinhou-o, colocando a mão gentilmente na sua cara, depois colocou o outro joelho na sua cama e agarrou a cara dele com as suas mãos. "Apenas sei de uma coisa..." sussurrou, encostando cada vez mais a sua boca à dele.Gordon fechou a porta e caminhou cambaleando para a cama.

Ele queria perdoar Taylor. Desesperadamente! Mas não podia confiar nela. Se se permitisse confiar, saberia que ela ficaria com o poder de o magoar novamente. Independentemente de tudo, ele não poderia mais dar-lhe esse poder.

O chão rangeu logo após a porta de Gordon, e ele prendeu a respiração quando a maçaneta da porta se virou. O chão rangeu bem por trás da porta do quarto de Gordon e ele susteve a sua respiração à medida em que a maçaneta da porta ia rodando. O seu coração acelerou de tal forma e ele queria desesperadamente chamar por ela.

A porta abriu devagarinho e Taylor apareceu como um vulto iluminado pela luz da lareira.

"Meu Deus!" pensou ele. O seu olhar percorreu todo o seu corpo, saboreando cada centímetro de cada perna nua…O seu corpo brotou para a vida mesmo que a sua boca tenha começado a dizer as palavras: "Taylor, não..."

"Tenho estado deitado e acordado e não consigo parar de me lembrar." Ela foi até à sua cama descalça. "Olha para mim, Gordon." disse Taylor.

Ele abriu as pestanas e deparou-se com o seu olhar. Algo brilhante, caloroso e perigoso queimava dentro dos olhos dela. "Sabes..." disse.

Ela colocou o seu joelho na cama e acarinhou-o, colocando a mão gentilmente na sua cara, depois colocou o outro joelho na sua cama e agarrou a cara dele com as suas mãos. "Apenas sei de uma coisa..." sussurrou, encostando cada vez mais a sua boca à dele.

Read on the Scribd mobile app

Download the free Scribd mobile app to read anytime, anywhere.