Start Reading

Insônia da Matéria: Poemas e desesperanças

Ratings:
95 pages24 minutes

Summary


Insônia da Matéria é uma coleção de poemas escritos entre 2002 e 2007, correspondendo ao intervalo entre a redação de Ateísmo & Liberdade e O Vazio da Máquina. A atmosfera de perplexidade e de mal-estar que perpassa quase todos os poemas pode ser vista como um reflexo da angústia que se sente quando tentamos lidar com um problema que ainda nos escapa — como um fantasma que nos persegue, até que consigamos colocá-lo no papel.



* * *
:: POEMAS

PASSAGEM
SENTIDO
ALMA
MIOPIA
EREMITA
ESCOLHAS
FELICIDADE
LOUCURA
LUTA
MÁSCARA
SENTIMENTO
CRIANÇA
SAUDADE
SILÊNCIO
SOLIDÃO
TRANSIÇÃO
AUSÊNCIA
ESPERANÇA
DESRAZÃO
VAZIO
SONHOS
TÉDIO
SENTENÇA
DISTÂNCIA
SOMBRA
COVARDE
NADA
ETERNAMENTE
GRÃOS
ILUSÕES
ACASO
 


 * * *


 
“Os poemas também são melancólicos. Fazem parte do livro e mostram misantropia, tédio, angústia e uma não-vontade latente de viver como em “Então abro os olhos / Profundamente lúcido / Arrependido de ter acordado.” Ou em “Isso me vem como um nojo de respirar” e ainda “Neste mais um-dia-qualquer / Tudo estava paralisado / Menos a angústia”. Percebe-se muita coisa dentro do autor e é uma pena as pessoas não se interessarem muito por poesias hoje em dia. Eu adorei!”


— Rosângela Dias


 


“Afora os ensaios, a história de Joe e os poemas são a forma que Cancian achou de se explicar através de desenhos: um complemento sofisticado e estilístico para balancear a crueza das palavras objetivas e diretas.”


— Jairo Moura


 


 


Read on the Scribd mobile app

Download the free Scribd mobile app to read anytime, anywhere.