You are on page 1of 1

A morada do poeta um lugar muito triste Seu corao s se aquieta com o que de mais belo existe O poeta uma

ma criatura que Deus fez e no gostou Despejou nele toda a amargura dos que sofrem por amor Entre feras ele vive, rodeado de torpor Toma uns goles de usque para aliviar a imensa dor Coitado do poeta que precisa evoluir Ao chegar a hora certa a plenitude ir fluir. Autor: Helder Gonalves Amorim Fortaleza - CE Abril de 2013.