You are on page 1of 113
Livro inicial Sistema avançado de Áudio e Pós-Produção 1
Livro inicial
Sistema avançado de Áudio e Pós-Produção
1

Tutorial preparado por Steve Kostrey Trabalho de edição de vídeo e áudio para produção de filme de Ashley Shepherd Revisão e controle de qualidade:

Cristina Bachmann, Heiko Bischoff, Marion Bröer, Sabine Pfeifer Agradecimentos a: Georg Bruns

As informações deste documento estão sujeitas a alterações sem aviso prévio, e não representam um compromisso por parte da Steinberg Media Technologies GmbH. O programa descrito neste documento está sujeito ao acordo de licença e não pode ser copiado para outras mídias, exceto como especificamente autorizado no acordo de licença. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, transmitida ou gravada para qualquer propósito, sem autorização prévia por escrito pela Steinberg Media Technologies GmbH.

Todos os nomes de produtos e empresas citados neste documento são de propriedade de seus respectivos proprietários. Windows XP e Windows Vista são marcas da Microsoft Corporation. O logotipo Mac é usado sob licença. Macintosh e Power Macintosh são marcas da Apple.

Data deste material: 2 de abril de 2008 © Steinberg Media Technologies GmbH, 2008. Todos os direitos reservados.

2

Tabela de Conteúdos

3

Tabela de Conteúdos

  • 6 Introdução

  • 52 Tutorial 4: Trabalhando com Loops

  • 7 Sobre os Manuais e o “Help”

  • 53 Navegador de arquivos em Loop

  • 7 Sobre as versões do programa

(Loop Browser)

  • 7 Convenção de comandos do teclado

  • 53 Acrescentando loops

  • 8 Como entrar em contato conosco

  • 54 Fazendo cópias

  • 9 Requisitos mínimos para instalação

  • 54 Incluindo no Projeto

  • 10 Sobre este capítulo

  • 55 Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos

  • 10 Requisitos mínimos

  • 56 Introdução

  • 12 Instalação do Hardware

  • 56 Configuração de equipamentos MIDI

  • 12 Instalando o Nuendo

  • 56 Ajuste das conexões VST para instrumentos

  • 13 Desfragmentando o hard disk

externos

  • 13 Registre seu programa

  • 57 Monitoração de instrumentos MIDI externos

  • 14 Ajuste seu Sistema

  • 58 Gravação MIDI e instrumentos externos

  • 15 Ajuste do áudio

  • 59 Tutorial 6: Mixagem e efeitos

  • 19 ajuste do MIDI

  • 60 Introdução

  • 21 Conectando um Sincronizador

  • 60 Ajuste de volume

  • 21 Ajuste do vídeo

  • 61 Regulagem de “pan”

  • 22 Otimização da perfomance de áudio

  • 61 Mute e solo

  • 24 Tutorial 1: Gravando de áudio

  • 62 Uso da equalização EQ

  • 64 Efeitos de áudio

  • 25 Para criar um novo projeto

  • 26 Ajuste das conexões VST

  • 27 Ajuste do volume para a gravação

  • 65 Sobre a automação

  • 66 Exportação de arquivos de áudio

  • 30 Reprodução

  • 69 Tutorial 7: Produção Surround

  • 31 Modo de gravação com “Cycle” desligado

  • 70 Busses Surround

  • 31 Gravação “Cycle”

  • 72 Ajuste do uma mixagem surround

  • 32 Gravação em camadas

  • 74 Gravação surround

  • 34 Tutorial 2: Edição de áudio

  • 74 Exportação do arquivo surround

  • 35 Operações de eventos

  • 77 Tutorial 8: Edição de áudio II - “Tempo

  • 41 Envoltória de eventos (envelopes)

and Groove”

  • 41 Processamento de áudio

  • 78 Retrospecto

  • 43 Tutorial 3: Gravação e edição MIDI

  • 78 Exemplo. 1: Loop de bateria com andamento

  • 79 Exemplo 2: Loop de bateria com ajuste auto-

  • 80 Exemplo 3: Loop de bateria, com ajuste ma-

  • 82 Exemplo 4: Uso de seleções de áudio

  • 44 Introdução

  • 44 Criação do track de instrumento

conhecido

  • 45 Explorando os sons

  • 46 Gravação MIDI

mático

  • 47 Reprodução da gravação MIDI

  • 47 Modo de gravação com “Cycle” desligado

nual

  • 48 Gravação Cíclica

  • 83 Tutorial 9: Gerenciamento das Medias

  • 49 O editor de notas (Key Editor)

  • 84 Retrospecto

  • 51 As linhas de controle (Controller Line)

  • 84 “Media Bay”, “Loop Browser”, e “Sound Bro- wser”

4

Tabela de Conteúdos

86

Escaneando com o “Loop Browser”

  • 88 Procura de mídias

  • 89 Verifique a mídia usando o “Scope”

  • 90 Etiquetando/Marcando

  • 91 Trabalhando com vídeo

  • 92 Introdução

  • 92 Reprodução de vídeo virtual

  • 92 Programas de reprodução de vídeo

  • 92 Compatibilidade de arquivo de vídeo

  • 93 Acrescentando um arquivo de vídeo ao Pro- jeto

  • 94 Equipamento para saída de vídeo

  • 94 Velocidade de reprodução de vídeo

  • 94 Edição de vídeo

  • 95 Incorporando áudio em arquivos de vídeo

  • 95 Gravadores de vídeo

  • 95 Sincronismo e controle (Machine Control)

  • 96 Processo de Layback

  • 98 Dicas

  • 99 Edição de áudio sobre imagens

    • 100 Introdução

    • 100 Linha de tempo e grade de tempo

    • 101 Inserção de áudio no projeto

    • 102 Manipuladores (controle) de eventos

    • 102 Envelopes de eventos

    • 103 Seleção de intervalos (Range)

    • 104 Edição de um intervalo (Range)

    • 105 Modo de edição

    • 105 Edição por texto

    • 106 Operações de som e imagem

5

Tabela de Conteúdos

1

Introdução

6 Introdução
6
Introdução

Sobre os Manuais e o “Help”

A documentação do Nuendo se divide em várias seções, como listadas abaixo. Alguns documentos estão no for- mato Adobe Acrobat (extensão “.pdf“) - e podem ser lidos:

Abrindo os documentos pdf do sub-menu “Documentation” no menu “Help” do programa.

No Windows, você pode abrir estes documentos da sub- pasta “Nuendo Documentation” no menu de aplicações do Windows (“Start“).

No Mac OS X os documentos pdf estão localizados na pasta “/Library/Documentation/Steiberg/Nuendo 4”.

Para ler os documentos pdf, use um programa que abra arquivos pdf. O instalador do Adobe Reader pode ser encontrado no DVD de programas.

O Livro Inicial

Este é o livro que você está lendo agora. O Livro inicial cobre as seguintes áreas:

Requisitos do Computador.

Itens de Instalação.

Ajuste seu sistema para trabalhos de áudio, MIDI e/ou vídeo.

Tutoriais descrevendo os procedimentos mais comuns de gravação, reprodução, mixagem e edição no Nuendo.

Ou seja: este livro não tem detalhes sobre nenhuma das janelas, funções ou procedimentos do Nuendo, apenas faz uma apresentação inicial do programa.

O Manual de Operações

O Manual de Operações é a principal documentação de referência, com descrições detalhadas de operações, parâ- metros, funções e técnicas do Nuendo. Você deve se fami- liarizar com os conceitos e métodos descritos no Livro inicial, antes de se aventurar no Manual de Operações.

Dispositivos MIDI

Este arquivo pdf tem a descrição de como gerenciar os Dis- positivos MIDI e o painel de dispositivos.

Referência de Plug-In

Este manual descreve as características e os parâmetros dos plug-ins VST fornecidos, os efeitos de áudio em tempo real e os efeitos MIDI.

Networking -Usando a Rede

Este arquivo pdf descreve como usar o compartilhamento de projetos e os recursos de rede do Nuendo para traba- lhar em conjunto com outros usuários do Nuendo (versão 2.0 ou posterior) em uma rede TCP/IP com base em peer- to-peer.

Dispositivos de Controle Remoto

Este arquivo pdf lista os dispositivos de controle remoto MIDI existentes, descreve como configurá-los e como uti- lizá-los no Nuendo.

Mackie Control

Este arquivo pdf descreve os recursos existentes para o dis- positivo remoto “Mackie Control”.

Sobre os Menus

Este arquivo pdf fornece uma lista de todos os menus e suas opções, com uma breve descrição, como um guia de referência.

A ajuda de diálogo Help

Para obter informações sobre o diálogo ativo, clique sobre o botão “Help”,

Sobre as versões do programa

Esta documentação abrange dois diferentes sistemas ope- racionais, ou “plataformas“; Windows e Mac OS X.

Algumas características ou configurações são específicas para uma das plataformas; Windows ou Mac OS X. Isto estará indicado quando for o caso. Em outras palavras:

Se nada estiver indicado, as descrições e procedimentos

deste material serão válidas para ambas as plataformas; Windows e Mac OS X.

As imagens foram tiradas da versão para Windows.

Convenções de comandos do teclado

Muitos dos comandos de teclado padrão do Nuendo utili- zam-se das teclas de atalho e teclas de modificação de função, que variam de acordo com o sistema operacional. Por exemplo, o comando de teclado padrão para desfazer um procedimento é [Ctrl] + [Z] para o Windows, e [Com- mand] + [Z] para o Mac OS X.

Quando comandos de teclado com teclas de modificação forem descritas neste manual, elas serão mostradas pri- meiro o comando acontece no Windows e em seguida, como é feito no Mac, da seguinte forma:

7

Introdução

[Tecla modificadora do Windows] / [Tecla modificadora do Mac OS X] + [Tecla]

Por exemplo: [Ctrl]/[Command]+[Z] significa: “pressione [Ctrl] para o Windows ou [Command] para o Mac OS X, e então pressione [Z]“. Da mesma forma, [Alt]/[Option]+[X] significa “pressione [Alt] para o Windows ou [Option] para o Mac OS X, e então pressione [X].

Note que este manual frequentemente se refere a “clique

no lado direito“, por exemplo para se abrir menus de contexto, etc. Se você estiver utilizando um Macintosh com um único botão no mouse, pressione a tecla [Ctrl] segurando-a, e então clique no mouse.

Como entrar em contato conosco

No menu de “Help” do Nuendo, você irá encontrar itens para localizar informações adicionais ou fazer consultas:

No sub-menu “Steinberg on the Web“, você irá encontrar links para vários web sites relacionados a “Steinberg“. Clicando sobre qualquer um deles, automaticamente seu navegador será acionado, abrindo a página selecionada.

Você vai encontrar suporte e informações de compatibilidade, assim como respostas a questões frequentes (FAQ), links para downloads de novos dri- ves, etc. Para isto é necessário que você tenha um navegador de Internet instalado em seu computador, além de uma conexão com a Internet.

8

Introdução

2

Requisitos do Sistema e Instalação

9

Requisitos do Sistema e Instalação

Sobre este capítulo

Este capítulo descreve os requisitos e procedimentos de ins- talação para as versões de Windows e Mac do Nuendo.

Requisitos mínimos

Para usar o Nuendo, seu computador deve obedecer aos seguintes requisitos mínimos:

Windows

Windows XP (Home/Professional com SP2), ou Windows Vista

Macintosh

(32-bits ou 64-bits - veja abaixo) Intel Pentium ou Athlon AMD com processador de 2 GHz

1 GB de RAM

Um hardware de áudio compatível com o DirectX do

Windows: hardware de áudio compatível com o ASIO, recomendado para performance de baixa latência. Resolução de tela de 1024x768 pixels.

Uma chave “Steinberg Key” e um conector USB.

Um leitor de DVD ROM é necessário para a instalação.

Uma conexão com a Internet será necessária para ativar a

licença.

Mac OS X 10.4

Power Mac G4 1 GHz ou Core Solo 1.5 GHz.

1 GB de RAM

Resolução de tela de 1024x768 pixels.

Um hardware de áudio compatível com o CoreAudio.

Uma chave “Steinberg Key” e um conector USB.

Um leitor de DVD ROM é necessário para a instalação.

Uma conexão com a Internet será necessária para ativar a licença.

Se você quiser instalar a versão 64-bits do Nuendo,

certifique-se de que você leu o documento ReadMe deste tópico antes de fazer a instalação.

Você encontrará este documento, chamado “Windows_Vista_64bit_[lan- guage].rtf“, no DVD de instalação, na pasta de “ReadMe Files”.

Notas gerais de como configurar o seu sistema

No web site do Steinberg, em “Support-DAW

Components“, você encontra informações detalhadas do que considerar quando estiver ajustando um sistema de computador para trabalho com áudio.

RAM - existe uma relação direta entre a quantidade de RAM disponível e o número de canais de áudio que se podem funcionar simultaneamente.

A quantidade de RAM especificada acima é a mínima exigida, mas como regra geral entende-se que “quanto mais, melhor“.

Tamanho do hard disk - O tamanho do hard disk determina quantos minutos de áudio se pode gravar.

Gravar um minuto de um áudio com qualidade de CD estéreo requer 10 MB de espaço em disco. Isto é, oito tracks estéreo do Nuendo utilizam pelo menos 80 MB de espaço em disco por minuto gravado.

Velocidade do hard disk - A velocidade de um hard disk também determina o número de tracks de áudio que você pode rodar simultaneamente.

Este item diz respeito à velocidade sustentada de leitura de informação do disco, conhecida como “taxa de transferên- cia“. Novamente se aplica a regra “quanto mais, melhor“.

Mouse com scroll (rolagem) - Apesar de um Mouse comum funcionar bem como Nuendo, recomendamos utilizar um mouse com “scroll” para navegação nas páginas.

Isto acelera consideravelmente a velocidade de edição.

Necessidades MIDI

Se você pretende usar os recursos MIDI do Nuendo, os seguintes equipamentos são necessários:

Uma interface MIDI, para conectar equipamentos MIDI externo ao seu computador.

Um Instrumento MIDI.

Todo equipamento de áudio necessário para escutar o som de seu aparelho MIDI.

Hardware de áudio

O Nuendo funciona com placas de áudios que tenham as seguintes características:

Estéreo

16 bits

Pelo menos 44,1 KHz de taxa de amostragem (sample rate)

Windows - a placa de áudio deve ter um driver ASIO, ou com um driver compatível com o DirectX, veja abaixo.

Mac - a placa de áudio deve ter drivers compatíveis com Mac OS X (CoreAudio ou ASIO)

10

Requisitos do Sistema e Instalação

Usando o equipamento de áudio interno do Macintosh

Apesar do Nuendo ser projetado com entrada e saída múlti-canal, é possível usar o programa com entradas e saídas (input/output) estéreo básicas do sistema. Até o momento da preparação deste manual, todos os modelo de Macintosh possuem hardware interno de áudio de 16 bits estéreo. Para informação detalhada, veja o manual do seu computador.

Dependendo de sua preferência e necessidade, a placa de áudio interna será suficiente para usar o Nuendo. Esta opção já vem disponível no Nuendo - não sendo necessá- rio instalar um drive adicional.

Alguns modelos de Macintosh possuem saídas (Output)

de áudio, porém não tem entrada (Input) de áudio. Neste caso só é possível escutar o áudio - não será possível gravar sem uma placa de áudio ou outro hardware conectado ao computador.

Sobre os Drivers

Um driver é um programa que permite que a comunicação entre partes do hardware. Neste caso, o driver permite ao Nuendo usar a placa de áudio. Para a placa de áudio, existe duas situações, com diferentes configurações de driver:

Se a placa de áudio tiver um drive ASIO específico

Placas de áudio profissionais geralmente vem com um dri- ver ASIO específico. Isto permite a comunicação direta entre o Nuendo e a placa de áudio. Por isso, placas de áudio com drivers ASIO específicos tem baixa latência (atraso entrada (Input) e saída (Output)), o que é crucial quando se está monitorando o áudio através do Nuendo, ou quando se usa instrumentos VST. O drive ASIO também fornece uma suporte especial para múltiplas entradas e saídas, roteamento, do sincronismo, etc.

Drivers ASIO específicos são fornecida pelos fabricantes das placas. Verifique web site do fabricante sobre a última versão do driver.

Se sua placa de áudio vier com um driver ASIO específico, use este driver.

Se a placa de áudio se comunica via DirectX (apenas para Windows)

DirectX é um “pacote” da Microsoft que administra vários tipos mídias no Windows. O Nuendo suporta o DirectX, mais precisamente o DirectSound, que faz parte do DirectX. Este driver é utilizado para reproduzir e gravar áudio Isto exige 2 tipos de drivers:

Um driver DirectX para placa de áudio, que permite a comunicação com o DirectX. Se a placa de áudio suporta DirectX, este driver deve ser fornecido pelo fabricante da placa. Se ele não for instalado com a placa de áudio, veja o web site do fabricante para informações sobre drivers.

O driver ASIO DirectX Full Duplex permite que o Nuendo se comunique com o DirectX. Este driver acompanha o Nuendo, e não requer qualquer instalação especial.

Instalação do Hardware

A Chave “Steinberg Key”

É importante que se leia a próxima sessão antes de instalar o Software do Nuendo.

Fornecido com o pacote do Nuendo, a chave “Steinberg Key” (também chamada de “dongle” ou “eLicencer“) é um dispositivo de segurança, que faz parte do sistema de pro- teção contra cópias do Nuendo. O Nuendo não funcionará sem esta chave.

Usando o equipamento de áudio interno do Macintosh Apesar do Nuendo ser projetado com entrada e

A Chave Steinberg

A Chave Steinberg é de fato, um pequeno computador onde estão gravadas as licenças do software Steinberg. Todos os produtos Steinberg são protegidos desta mesma forma, utilizando-se a chave “Steinberg Key”. Também as licenças (dentro de certos limites), podem ser transferidas de uma chave para outra, o que ajuda, por exemplo se você quiser vender parte dos seus programas.

11

Requisitos do Sistema e Instalação

O programa “Syncrosoft Licence Control Center”, (que pode ser encontrado no menu “Start/Program” do Windows, ou na pasta “Aplications” do Mac) é o lugar em que você pode verificar as licenças instaladas na sua chave Steinberg.

Se você estiver utilizando um outro produto Steinberg protegido contra cópias, você pode transferir as licenças de seus programas para apenas uma chave “Steinberg Key”, e usar apenas uma porta USB de seu computador. Para transferir licenças entre as chaves, abra o “Licence Download Wizard” do “Syncrosoft Licence Control Center Syncrosoft”, e siga as instruções.

Os programas Steinberg sempre vêm com um código de ativação de licença, mas nem sempre com a chave “Steinberg Key” - se você deseja ativar uma licença para algum aplicativo Steinberg (por exemplo, um VSTi) na chave “Steinberg Key” recebida com o Nuendo, acione o “Licence Download Wizard” do “Syncrosoft Licence Control Center” e siga as instruções.

Mais informações sobre transferência ou ativação de licen- ças podem ser encontradas no “Help” do “Syncrosoft Licence Control Center”.

Instalando a placa de áudio e o driver

  • 1. Instale a placa de áudio e demais equipamentos no computador, como descrito no manual da placa.

  • 2. Instale o driver da placa.

Dependendo do sistema operacional do computador, exis- tem diferentes tipos de drivers que podem ser aplicados:

drivers ASIO específicos da placa, drivers DirectX (Windows) ou drivers Mac OS X (Mac).

Driver ASIO específico

Se sua placa de áudio possui um driver ASIO específico, este driver deve ser fornecido com a placa de áudio, mas você também deve procurar, no web site do fabricante, se existe um driver mais recente. Para mais detalhes de como insta- lar o driver, veja as instruções do fabricante.

Driver DirectX (apenas para Windows)

Se sua placa de áudio for compatível com o DirectX, os dri- vers DirectX em geral são instalados quando a placa é ins- talada. Se você fez o Download do drive DirectX da placa de áudio, siga as instruções de Instalação do fabricante.

Driver Mac OS X (apenas para o Mac)

Se estiver usando um computador Macintosh, use o driver mais recente do Mac OS X para sua placa de áudio. Siga as instruções do fabricante para instalar o driver.

Testando a placa

Para saber se sua placa de áudio funciona da forma espe- rada, faça os seguintes testes:

Utilize qualquer aplicativo fornecido com a placa de áudio para verificar a possibilidade de gravar e reproduzir o áudio sem problemas.

Se a placa é acessada através de um driver padrão do sistema operacional, reproduza um arquivo de áudio usando um programa de áudio padrão do computador (no Windows use o Media Player, e no Apple use o iTunes).

Instalando uma placa de interface MIDI/sintetizador MIDI

As instruções de instalação da interface MIDI acompanham o produto. Aqui vai um resumo dos passos necessários:

  • 1. Instale a interface MIDI (ou a placa sintetizadora MIDI) em seu computador, ou conecte-a a uma “porta” (conector) do computador.

  • 2. Se a interface estiver sendo alimentada pela rede elétrica e/ ou possuir uma chave de força, ligue a chave de força, ou conecte na tomada.

  • 3. Instale o driver da interface, como descrito na documentação da interface.

Veja o web site do fabricante para obter a última versão do driver.

Instalando o Nuendo

O procedimento de instalação coloca todos os arquivos nos lugares em que são necessários automaticamente.

Windows

  • 1. Dê um duplo-clique no arquivo “Nuendo4.msi“

  • 2. Siga as instruções que aparecem na tela de seu computador.

Macintosh

  • 1. Dê um duplo-clique no arquivo “Nuendo4.mpkg“

  • 2. Siga as instruções que aparecem na tela de seu computador.

12

Requisitos do Sistema e Instalação

Sobre os tutoriais

O DVD do programa contem vários arquivos para projetos tutoriais, inclusive em vídeos. Estes arquivos não são insta- lados durante a instalação, mas podem ser copiados manualmente do DVD.

Os capítulos de tutoriais deste manual usam estes arqui- vos. Para seguir as instruções deste manual, você deverá copiar os arquivos no seu computador.

Você encontrará os projetos de tutorial na pasta “Additio- nal Content“.

Sobre o Kit de Expansão do Nuendo

O Kit de Expansão do Nuendo acrescenta algumas funções de composição musical do Cubase do Steinberg (o “Cubase Music Tools“) ao aplicativo Nuendo padrão. O Kit de Expansão do Nuendo (NEK - Nuendo Expansion Kit) é um produto separado, e pode ser adquirido através de uma revendedora Steinberg.

Sempre que os procedimentos neste manual utilizarem funções disponíveis apenas quando o NEK estiver insta- lado, haverá o seguinte texto indicativo: “Apenas para Kit de Expansão do Nuendo“.

Desfragmentando o hard disk

(apenas para o Windows)

Se você planeja gravar áudio no hard disk, onde guarda outros arquivos, este é o momento de desfragmentá-lo. A “degragmentação” reorganiza o endereçamento físico do disco melhorando o funcionamento. Isto deve ser feito com um programa especial de “defragmentação”.

É essencial para uma boa performance de gravação de áudio, que seu hard disk esteja otimizado (desfragmentado). Você deve desfragmentá-lo regularmente.

Registre seu programa

Recomendamos que você registre seu programa. Fazendo isto você pode usar o suporte técnico e será informado sobre atualizações e outras novidades do Nuendo.

Existem dois caminhos para se registrar:

No Nuendo, abra o menu “Help” e selecione a opção “Registration“.

Esta opção é um link da internet, e irá abrir a página de registro do web site do Steinberg. Para registrar basta seguir as instruções descritas na tela. Ao acionar o Nuendo pela primeira vez, aparecerá uma mensagem para iniciar o processo de registro.

Dentro do DVD de instalação do Nuendo, você encontra um formulário de registro no formato pdf. Para registrar, imprima este formulário, informe todos os dados solicitados, e envie para a Steinberg.

13

Requisitos do Sistema e Instalação

3

Ajuste seu sistema

14 Ajuste seu sistema
14
Ajuste seu sistema

Ajuste o áudio

Certifique-se de que todos os equipamentos estejam desligados antes de fazer qualquer conexão!

Conexão de áudio

A configuração do sistema depende de diversos fatores, como por exemplo o tipo de projeto que se pretende criar, do equipamento externo que será utilizado, de particulari- dades da placa de áudio de seu computador, etc. Entre- tanto, as seções a seguir apresentam exemplos de configurações possíveis.

A forma com que você conecta o equipamento, se você vai usa conexões digitais ou analógicas, também depen- dem da configuração.

Conexão de Input/Output estéreo (entrada e saída estéreo) - a conexão mais simples

Se você for usar apenas os inputs e outputs estéreo (entrada e saída estére)o do Nuendo, você pode conectar o equipamento gerador de som a ser gravado nas entradas (Input) de sua placa de áudio/interface de áudio, e as saí- das (Output) da sua placa de áudio na entradas (Input) de um amplificador, ou caixas de som amplificada.

Origem do sinal a ser gravado Interface de áudio multicanal Amplificador e alto-falantes
Origem do sinal a ser gravado
Interface de áudio multicanal
Amplificador e alto-falantes

Uma configuração de áudio estéreo simples.

Esta é a configuração mais simples de todas - depois de configurar os “busses” internos de entrada e saída, você pode conectar a fonte de áudio, por exemplo um micro- fone, no Input da interface de áudio, e começar a gravar.

Input e Output (entrada e saída) múlti-canal

Se você possui outros equipamentos de áudio, você pode conectar estes equipamentos ao Nuendo utilizando vários canais de entrada e saída. Dependendo do equipamento, existem dois caminhos a seguir: usar uma mesa de mixa- gem externa, ou usar o mixer interno do Nuendo.

O mixagem externa é quando você tem um hardware de mixagem com sistemas de grupos, ou “bus” que podem ser usados para alimentar os inputs da sua placa de áudio.

No exemplo abaixo quatro busses estão sendo utilizados para alimentar as entradas (Inputs) de uma mesa de som. As quatro saídas (Outputs) estão conectadas na mesa para monitoramento e reprodução. As entradas restantes da mesa podem ser conectadas a outros equipamentos, como microfones, instrumentos, etc.

Saída da placa de áudio (output) Entrada da placa de áudio (input) Entradas 1a4 (inputs) Amplificador
Saída da placa de áudio
(output)
Entrada da placa de áudio
(input)
Entradas
1a4
(inputs)
Amplificador e alto-falantes

Configuração de áudio multí-canal usando uma mesa de som externa,

Ao conectar sinais de entradas (como por exemplo uma mesa de som) ao sistema de áudio, utilize “Busses” de saída ou similar em vez da saída geral, para evitar que se grave o que se está reproduzindo. Pode-se usar conexão FireWire.

Para usar o Mixer interno do Nuendo, use as entradas da placa de áudio, conectando microfones e/ou outros aparelhos externos. Utilize as saídas para conectar a equipamentos de monitoração. Apenas para o Nuendo: Você pode criar configurações diversas utilizando instrumentos ou efeitos externos, integrando facilmente o Nuendo a todos eles com o recurso “Control Room” (para mais detalhes veja o Manual de Operação nos capítulos “Conexões VST: ajuste de “busses” de entrada e saída” e “Control Room”).

Efeito externo Bus de retorno (return) do output do aparelho externo Bus de envio (send) para
Efeito externo
Bus de retorno
(return) do output
do aparelho externo
Bus de envio
(send) para o input do
aparelho externo
Mixer do Nuendo
Interface de áudio
multicanal
Teclado

Mixando pelo Nuendo

15

Ajuste seu sistema

Conexão de Surround

Para uma conexão Surround, conecte a saída de áudio a um amplificador múlti-canal. Fonte do sinal
Para uma conexão Surround, conecte a saída de áudio a um
amplificador múlti-canal.
Fonte do sinal a ser gravado
Interface de áudio multicanal
Alto-falantes amplificados

Configuração para Surround.

O Nuendo aceita vários formatos de surround. O exemplo abaixo é o de uma conexão de mixagem LRCS (como por exemplo o ProLogic) e o 5.1, onde as duas caixas de som surround tocarão a mesma coisa (de um único canal sur- round). A diferença entre os dois formatos é que o LRCS não utiliza o canal LFE.

Gravando de um CD player

A maioria dos computadores vêm com um reprodutor de CDs (drive CD-ROM). Em alguns casos o “CD player” está internamente conectado a placa de áudio, e nestes casos pode-se configurar sua saída diretamente no Nuendo (em caso de dúvida consulte a documentação da placa de áudio).

Toda configuração de nível e roteamento de gravação de CD (se disponível) é feita através da configuração da placa de áudio (veja “ajuste da placa de áudio” na pág. 16).

Pode-se copiar faixas de áudio diretamente do CD usando o Nuendo (veja o capítulo “Manipulação de arquivos” do manual de operações).

Conexão do tipo Word Clock

Numa conexão de áudio digital, é necessário usar a cone- xão Word Clock entre a placa de áudio e o dispositivo externo. Para detalhes veja a documentação da placa de áudio.

O ajuste do sincronismo word clock é importante para que não haja ruídos estranhos na gravação.

Sobre níveis de gravação e entradas

Ao conectar um aparelho, verifique a impedância e os níveis de sinal da fontes de áudio, de forma que as entradas estejam reguladas. Algumas entradas são específicas para microfones - linha comum (-10dBV) ou específicas para sinal de equipamento profissional (+4dBV). É possível ajus- tar os níveis de entrada no equipamento de áudio, ou no painel de controle. Para detalhes, verifique a documenta- ção da placa de áudio.

A correta utilização dos diversos tipos de entradas evitam distorções e ruídos na gravação.

Não há como ajustar pelo Nuendo os níveis de entrada

dos sinais que chegam na placa de áudio. Estes ajustes devem ser feitos através dos aplicativos que vêm com a sua placa de áudio, ou através de seu painel de controle (veja abaixo).

ajuste da placa de áudio

Muitas placas de áudio já vêm com programas que permi- tem configurar as entradas da placa de diferentes formas. Ou seja, pode ser possível ajustar:

A escolha sobre entrada e saídas que são ativas.

Configurar o sincronismo word clock (se disponível).

Ligar/desligar o monitorar pela placa (ver “Sobre

monitoração” pág. 19). Configurar nível de cada entrada (muito importante)

Configurar nível de saída, de acordo com o equipamento de monitoração.

Escolha do formato da entrada e saída digital.

Configurar buffers de áudio.

16

Ajuste seu sistema

Em muitos casos, toda configuração da placa de áudio está concentrada em um painel de controle, que pode ser aberto pelo Nuendo, como descrito abaixo, mas pode ser que o painel tenha que ser aberto separadamente. Em alguns casos pode haver programas e painéis específicos. Para detalhes verifique a documentação da placa de áudio.

Escolha o driver, e configure o áudio pelo Nuendo

Indique o driver correto para que o programa se comuni- que corretamente com a placa de áudio.

fornecido pela Steinberg, e está descrito nas informações do “Help”, que abre clicando sobre o botão “Help”. Veja as notas abaixo.

No Mac OS X, o painel de controle pode ser encontrado nas “System Preference” (seção “Others”), no menu da maçã ou no “Dock”. No Macintosh se você estiver utilizando a placa interna, utilize o item “Sound” do painel de controle, nas “System Preference” para configurar os níveis e balanços. Caso esteja utilizando a placa de áudio ASIO, para ver o Control Panel, use o botão “Control Panel”.

  • 5. No uso de vários programas de áudio simultaneamente, ative a opção “Release Driver when Application is in

1.

Acione o Nuendo, selecione “Devices Setup” no menu “Devices”, e clique em “VST Audio Sistem” na lista de periférico (Devices) que aparece à esquerda da tela.

Background”, na página do sistema de Audio VST, Isto permite que o programa reproduza seu áudio através da placa, mesmo quando o Nuendo estiver rodando. O

  • 6. É possível ativar (opção de checkbox da página do driver) a

programa que estiver rodando (a janela ativa de sua tela) utilizará a placa. Certifique-se de que

programa que estiver rodando (a janela ativa de sua tela) utilizará a placa. Certifique-se de que todos os aplicativos que acessem a placa de áudio estejam configurados para liberar o driver ASIO (ou o Mac OS X) para que o Nuendo possa utilizá-lo quando estiver ativo.

Monitoração via Direct Monitor, desde que sua placa de áudio tenha este recurso. Leia mais sobre monitoração neste capítulo, e no capítulo “Gravando” deste Manual.

  • 7. Clique em “Apply”, depois em “OK” para fechar a Janela.

2.

Indique o driver de sua placa de áudio no menu “Driver ASIO”.

É possível que existam várias opções referindo-se à mesma placa de áudio. Ao selecionar o driver, ele é adicionado à lista de periféricos do Nuendo.

 

No Windows, é importante que se utilize um driver ASIO específico da placa, quando disponível. Se não houver nenhum driver ASIO instalado, verifique com o fabricante da placa sobre a existência deste driver, ou procure o driver para download no site do fabricante.

3.

Indique o driver na lista de periféricos (Devices) a para abrir as configurações do driver da placa de áudio.

4.

Abra o painel de controle da placa de áudio e ajuste as configurações conforme recomendado pelo fabricante.

No Windows, aperte o botão “Control Panel” para abrí-lo. Ao clicar este botão, é aberto o painel de controle que vem com a placa de áudio, e não o do Nuendo (a menos que você esteja utilizando o DirectX - veja abaixo), e portanto a tela será diferente para cada modelo e marca da placa, com exceção do painel de controle do driver ASIO DirectX, que é

17

Ajuste seu sistema

No uso de placa de áudio com o driver DirectX (apenas Windows)

O DirectX é a segunda melhor opção caso sua placa de áudio não tenha um driver ASIO específico.

O Nuendo vem com um driver chamado ASIO DirectX Full Duplex, disponível no menu ASIO Driver (página VST Áudio System).

Para a máxima vantagem ao usar o DirectX Full Duplex, a placa de áudio deve suportar o WDM (Windows Driver Model) junto com a versão 8.1 (ou superior) do DirectX.

Em qualquer outro caso as entradas de áudio serão emuladas pelo DirectX (mais detalhes são encontrados ver a página Help do ASIO DirectX Full Duplex Setup).

Na instalação do Nuendo, a última versão do DirectX será instalada.

Quando o driver ASIO DirectX Full Duplex é selecionado na tela de configuração de dispositivos (devices), é possível abrir o painel de controle do ASIO para fazer a configura- ção (para maiores detalhes, clique no botão “Help” de “Control Panel”):

• “Direct Sound Output e Input Ports”

Na lista à esquerda da tela, estão todas as portas de entrada (Input) e saídas (Output) disponíveis. Em alguns casos haverá apenas uma porta para cada lista. Para ativar cada porta, clique no checkbox à esquerda do nome da porta.

Altere o tamanho do Buffer e as configurações de Offset dando um duplo-clique no valor e digitando um novo valor. Na maioria dos casos a configuração padrão funciona bem. Os Buffers de Audio devem ser utilizados quando há transferência de dados de áudio entre o Nuendo e a placa de áudio. Com Buffers grandes, assegura-se uma reprodução de áudio sem interrupções. Porém a latência (o tempo entre o momento em que o Nuendo envia o dado, e este chega ao destino de saída) é maior.

Offset: Se um deslocamento do som é audível durante a reprodução se uma gravação de áudio ou MIDI, ajuste a latência de entrada neste parâmetro.

ajuste das portas de entrada e saída (I/O)

Após as configurações realizadas de driver, é necessário especificar as entradas e saídas:

  • 1. Na tela de “Device Setup”, à esquerda selecione seu driver na lista de “Devices”, de forma que apareçam os itens para configuração da placa de áudio.

No uso de placa de áudio com o driver DirectX (apenas Windows) O DirectX é a

Todas as portas de entrada e saída são listadas.

  • 2. Para esconder a porta, clique na coluna “Visible” da linha da porta (desmarcando a caixa).

As portas que não estiverem ajustadas como visíveis não poderão ser sele- cionadas na janela de Conexões VST, onde são configurados os busses de entrada e saída (veja “ajuste de Conexões VST” na página 26, e o capítulo “Conexões VST: ajustando busses de entrada e saída” do Manual de Opera- ções).

Para portas já utilizadas por busses, o sistema perguntará

se você realmente deseja escondê-la. Isto irá desativar a porta.

  • 3. Para renomear uma porta, clique no nome da porta, na coluna “Show As”, e digite o novo nome.

É bom dar nomes às portas de acordo com a

configuração do canal (ao invés do nome do modelo da placa).

Por exemplo, se estiver utilizando a configuração de áudio surround 5.1, pode-se nomear as seis portas como Esquerda, Direita, Central, LFE, Sur- round Esquerda, e Surround Direita. Isto facilita a transferência do projeto para outro computador, de diferentes estúdios - quando o mesmo nome de porta é utilizado em ambos os computadores, O Nuendo gerará automati- camente as conexões de bus apropriadas, ao abrir o projeto no outro com- putador.

  • 4. Clique em OK para fechar a tela de “Device Setup”, e efetivar as mudanças realizadas.

18

Ajuste seu sistema

Sobre a monitoração

ajuste do MIDI

Para o Nuendo, monitorar significa ouvir o sinal de entrada enquanto se prepara a gravação, ou durante a gravação. Existem três formas de monitoração:

Monitoração Externa

Para uso da Monitoração Externa (capturar o sinal de entrada antes deste chegar ao Nuendo) é necessário um mixer externo. Pode ser uma mesa de mixagem, ou um programa de mixagem da placa de áudio se existir uma forma de re-enviar o sinal de entrada na programa de mixagem (conhecido como “Thru”, “Direct Thru” ou simi- lar).

Monitoração pelo Nuendo

Neste caso, o sinal de áudio passa pela entrada do Nuendo (possibilitando efeitos e equalizações), antes de retornar à saída. Este controle pode ser regulado no Nuendo. Isto permite que se controle níveis pelo Nuendo, e acrescentar efeitos ao sinal monitorado.

Monitoração via ASIO Direct

Se sua placa de áudio for compatível com a ASIO 2.0, é possível monitorar usando o ASIO Direct (este recurso pode estar disponível nos itens de áudio de placas de dri- vers Mac OS X). Neste modo, a monitoração é feita na placa de áudio, re-enviando o sinal de entrada. Entretanto a monitoração é controlada pelo Nuendo. Isto significa que o recurso de monitoração direta da placa de áudio pode ser ligado ou desligado automaticamente pelo Nuendo.

Veja os detalhes no capítulo “Gravação” do manual de Operações.

Veja se todo equipamento estão desligado antes de fazer qualquer conexão.

Esta seção descreve como conectar e configurar equipa- mentos MIDI.

Conectando equipamentos MIDI

Usando um teclado MIDI e um módulo MIDI externo, você pode:

Com o teclado é possível fornecer ao computador as men- sagens MIDI para gravação, e reproduzir dados MIDI. O Módulo é usado apenas para reprodução. Usando o recurso MIDI Thru do Nuendo (descrito mais adiante) é possível ouvir o som do módulo de som correto, enquanto se toca ou grava pelo teclado.

Interface MIDI Módulo de som MIDI Teclado MIDI
Interface MIDI
Módulo de som MIDI
Teclado MIDI

Para se usar a monitoração externa via placa de áudio, verifique as funções ativadas no programa da placa de mixagem.

Configuração MIDI típica.

Se estiver utilizando a placa de áudio RME Audio Hammerfall DSP, certifique-se de que o parâmetro “pan law” esteja ajustado em -3dB nas preferências da placa.

19

Ajuste seu sistema

Pode-se usar mais de um instrumento para gravação. Para isto, conecte o MIDI Thru do módulo de som ao MIDI In do instrumento. Faça o mesmo com os outros instrumentos. Desta forma, numa gravação você deve tocar sempre o pri- meiro teclado. E mesmo assim, pode-se usar todos os dispo- sitivos para gerar os sons.

Para se usar mais de três geradores de som, é melhor usar uma interface com mais de uma saída, ou algum aparelho MIDI Thru, em vez de usar as conexões Thru dos aparelhos.

Regulando o “MIDI Thru” e o “Local On/Off”

Na seção “MIDI” na tela “Preferences” (no Windows, menu File - no Mac OS X, menu Nuendo), existe um item de ajuste chamado “MIDI Thru Active”, relacionado ao ajuste “Local On/Off” ou “Local Control On/Off” de seu instru- mento.

Para um teclado MIDI, o “MIDI Thru” deve estar ativo, e o instrumento regulado para Local Off (às vezes chamado de “Local Control Off” - para mais detalhes, verifique o manual do seu instrumento). O sinal MIDI do teclado será gravado no Nuendo, e ao mesmo tempo re-direcionado de volta ao instrumento para que se possa ouvir o que se está tocando, sem que o teclado toque diretamente seus próprios sons.

Pode-se usar mais de um instrumento para gravação. Para isto, conecte o MIDI Thru do módulo

Quando o “MIDI Thru” está ativo no Nuendo, o dado MIDI recebido é imediatamente “ecoado” de volta.

Ao pressionar uma tecla, o dado é enviado via MIDI ao Nuendo.

Quando o “Local Control” está ligado (On) no instrumento, as teclas pressionadas serão tocadas pelo gerador de som interno ao Instrumento. Quando esta opção está desligada (Off), a conexão com o gerador de som interno é cortada.

Caso o teclado MIDI não produza sons, e seja apenas um teclado controlador, o MIDI Thru do Nuendo deve estar ativo, não sendo necessário verificar o ajuste de modo Local On/Off no instrumento.

O único momento em que o MIDI Thru deve ficar desativado é quando se está utilizando um único instrumento de teclado e este não pode ser ajustado para o modo Local Off.

Note que o MIDI Thru estará ativo apenas para as pistas MIDI habilitadas para gravação e/ou com o botão Monitor ativado. Para mais informações veja o capítulo “Gravação” do Manual de Operações.

20

Ajuste seu sistema

ajuste de portas MIDI no Nuendo

Na tela de “Device Setup” é possível configurar o Sistema MIDI das seguintes formas:

Quando se muda as configurações de portas MIDI nesta tela, as alterações são automaticamente aplicadas ao programa.

Mostrando ou escondendo portas MIDI

As portas MIDI são listadas na tela de “Device Setup” na página de “MIDI Port Setup”. Clicando na coluna “Visible” de uma entrada ou saída MIDI, você especifica se esta porta será listada no menu MIDI do programa.

Caso se tente esconder uma porta MIDI que já esteja sele- cionada em uma pista ou um dispositivo MIDI, uma men- sagem de alerta aparecerá, permitindo que se esconda - e desconecte - a porta, ou permite que se cancele a opera- ção deixando a porta MIDI visível.

ajuste da opção “All MIDI Inputs”

Quando se grava MIDI no Nuendo, pode-se especificar qual entrada MIDI cada pista de gravação MIDI deve usar. No entanto, pode-se selecionar a opção “In All Inputs” para uma porta de entrada, garantindo que, qualquer dado MIDI de qualquer entrada MIDI seja gravado.

A opção “In All Inputs” da página “MIDI Port Setup” per- mite que se especifique as entradas usadas quando se sele- ciona “All MIDI Inputs” para uma pista MIDI, o que pode ser ainda útil se o sistema tem várias instâncias de uma mesma entrada física MIDI - para que se tenha certeza de qual dado MIDI será gravado, basta desativar as duplica- ções.

o Se você tem uma unidade de controle remoto MIDI, você deve se certificar de desativar a opção “In All Inputs” para a entrada MIDI. Isto evitará que se grave acidentalmente dados do controle remoto já que a opção “All MIDI Inputs” está selecionada como entrada para uma pista MIDI.

Conectando um sincronizador

Certifique-se de que todos os equipamentos estejam desligados antes de fazer qualquer conexão!

Use um sincronizador quando o Nuendo estiver conectado a um aparelho de fita. As conexões e procedimentos estão descritas no capítulo “Sincronização” do Manual de Ope- rações.

Ajuste de vídeo

Certifique-se de que todos os equipamentos estejam desligados antes de fazer qualquer conexão!

O Nuendo reproduz filmes de vídeos em formato AVI, Qui- ckTime ou MPEG. No Windows, os vídeos podem ser repro- duzidos utilizando-se DirectX, DirectShow ou QuickTime. No Mac OS X, é utilizado o QuickTime.

Há várias formas de se reproduzir um vídeo:

• Sem um hardware específico.

Boa opção em muitas situações, mas pode impor limites no tamanho da janela interna do vídeo, e na qualidade da imagem.

• Uso de FireWire (Mac OS X).

Usando uma porta FireWire, você pode reproduzir o vídeo em um monitor externo utilizando um conversor Digital/ Analógico ou uma câmera Digital (veja o capítulo “Vídeo” do Manual de Operações). Isto é válido quando um Vídeo Digital, ou QuickTime é reproduzido.

• Usando placas Gráficas (Windows).

Placas gráficas “Multi-head” que suportam a funcionali- dade overlay pode ser utilizada para reproduzir um vídeo em um monitor externo. Os seguintes fabricantes tem esta opção disponível: nVIDIA e Matrox.

• Usando placa de vídeo.

Placas de vídeo pode ser utilizado para reproduzir vídeo em monitor externo, por exemplo, Decklink (Blackmagic).

Caso utilize uma placa de vídeo especial, verifique a confi- guração recomendada pelo fabricante. Antes de utilizá-lo com o Nuendo, verifique o funcionamento e teste a placa com aplicativos que vêm com a placa, ou com Mídia Player (Windows) ou com o QuickTime Player (Mac OS X).

21

Ajuste seu sistema

Otimização da performance de áudio

Esta seção tem algumas dicas e conselhos para melhorar o funcionamento do Nuendo. Alguns textos se referem a pro- priedades da placa, e podem ser úteis na atualização do sis- tema. Este texto é breve, e você pode procurar mais informações no site do Nuendo (veja na página 8 “Como entrar em contato conosco”)!

Dois itens relacionados ao funcionamento

Existem dois aspectos diferentes do funcionamento no Nuendo:

Pistas e efeitos

Quanto mais rápido for o computador, mais pistas, efeitos e equalização você poderá usar (há dicas mais abaixo sobre a velocidade do computador)

Tempo curto de resposta (latência ou “Latency”)

O termo “latência” se refere à capacidade do “buffer”, ou seja, da gravação temporária de pequenos pacotes de dados de áudio durante os vários passos do processo de gravação e reprodução. Quanto maior o pacote, maior a latência.

A presença de uma latência maior atrapalha mais quando se toca um instrumento VST, ou quando se monitora o som pelo computador, ou seja: quando se ouve uma fonte de áudio ao vivo utilizando-se o mixer e efeitos do Nuendo. No entanto, latências grandes (que durem centenas de milisegundos) podem afetar outros processos como a mixa- gem (por exemplo, um movimento de fader será ouvido com atraso).

Mas com a monitoração direta e outras técnicas você reduz os problemas associados ao tempo de latência. Um sistema de resposta rápida é mais conveniente para se trabalhar.

Dependendo da placa de áudio, é possível reduzir o tempo de latência, reduzindo-se o número e o tamanho de buffers. Para detalhes, veja a documentação da placa de áudio, ou a tela de “Help” se estiver utilizando o driver DirectX do Windows

Fatores de Sistema que afetam o funcionamento:

CPU e o cache do processador

Quanto mais rápido o computador, melhor. No entanto há diversos fatores que afetam a velocidade do seu processa- dor: a velocidade e o tipo do bus (recomendável o bus PCI), o tamanho do cache do processador, o tipo e marca. O Nuendo faz muitos cálculos de ponto flutuante, e por isto, ao adquirir um processador, verifique a performance arit- mética em cálculo com ponto flutuante.

Os recursos do Nuendo suportam sistemas de múlti-proces- sador, distribuindo cargas de processamento pelos proces- sadores disponíveis. Veja “As opções avançadas” na página

23.

Hard disk e controle do hard disk

O número de pistas do hard disk que você pode usar ao mesmo tempo na gravação e reprodução dependem da velocidade do hard disk, e do controlador do hard disk. Se você usa discos e controladores E-IDE, certifique-se de que o modo de transferência seja DMA Busmaster. No Windows, veja o modo ajustado abrindo o “Windows Device Mana- ger” e procure a propriedade dos canais primários e secun- dários dos controladores IDE ATA/ATAPI. O modo de transferência DMA é o modo padrão e já vem habilitado, mas pode ser desligado pelo sistema quando ocorrem pro- blemas na placa.

Placa de áudio e o driver

A placa e o driver de áudio, podem ter efeito sobre o funci- onamento. Um driver mal projetado pode reduzir a perfor- mance do computador. O projeto do driver para o hardware faz grande diferença quanto à latência.

Por isto recomenda-se a utilização de um driver ASIO específico!

Especialmente quando se está utilizando o Nuendo para Windows:

No Windows, os drivers ASIO projetados especialmente para a placa são mais eficientes que o driver DirectX, e produzem latência menor.

No Mac OS X, placas de áudio com drivers Mac OS X (Core Audio) projetados apropriadamente são mais eficientes e produzem latência menor. Entretanto, existem recursos adicionais disponíveis apenas com os drivers ASIO, por exemplo, o protocolo de posicionamento ASIO.

22

Ajuste seu sistema

Ajustes que afetam o funcionamento:

Escolha do driver para a placa de áudio

Como descrito na seção “Escolha o driver e ajuste o áudio pelo Nuendo” na página 17 é recomendável instalar e usar o driver padrão ASIO, para a sua placa. Verifique, no site do fabricante, versões atualizadas dos drivers.

Configuração do buffer de áudio

Os buffers de áudio afetam como o áudio é transmitido do computador para a placa de áudio e vice versa. O tamanho do buffer de áudio afeta tanto a latência quanto a perfor- mance de áudio. Geralmente, quanto menor o tamanho do buffer, menor a latência. Mas se o buffer de áudio for muito pequeno, pode-se ter problemas de ruídos de clique na reprodução do áudio.

No Mac OS X, você pode ajustar o tamanho do buffer na página “VST Audio System”, na tela de “Device Setup”. A configuração de buffer fica no painel de controle da placa de áudio.

No Windows, você pode ajustar o tamanho do buffer no painel de controle da placa de áudio (clicando-se sobre o botão “Control Panel” na página do driver, na tela “Device Setup”).

Opções avançadas

A página “VST Audio System” tem uma seção “Advanced Options (opções avançadas). Aqui são descritas regulagens avançadas para “VST Engine”, incluindo a opção de múlti- processamento. Quando ativa (já selecionada se você uti- liza um sistema “hyper-threading” ou “multiple-CPU”) e houver mais de um CPU em seu sistema, o processamento é distribuído para todas as CPUs disponíveis, permitindo ao Nuendo potencializar o recurso de múlti-processamento. Verifique a tela “Help” para maiores detalhes.

Ativando a opção “Lower Latency” você desliga a proteção de sobrecarga da CPU, mas produzir latência menor. Veja a tela “Help” para maiores detalhes.

Otimização de temporização do processador (apenas para o Windows)

Para se ter a menor latência possível com o ASIO no Win- dows XP (sistema com uma única CPU), o funcionamento do sistema deve ser otimizada para tarefas em background:

  • 1. Abra o “Control Panel” do Windows, pelo menu Start, e selecione “System”.

  • 2. Selecione a etiqueta “Advanced” e clique no botão “Settings” da seção “Performance”. Aparece a tela “Performance Options”.

  • 3. Selecione a etiqueta “Advanced”.

  • 4. Na seção “Processor Scheduling”, selecione “Adjust for best performance: Background Services”.

  • 5. Clique em “OK” para fechar a tela.

23

Ajuste seu sistema

4

Tutorial 1: Gravando áudio

24

Tutorial 1: Gravando áudio

Criando um novo projeto

Nesta seção vamos explicar como criar um novo projeto, “salvar” um projeto, e abrir o projeto que foi “salvo”.

Ao abrir o Nuendo na primeira vez, uma tela em branco aparece, e você deve criar um novo projeto, ou abrir um projeto existente.

Criando um novo projeto Nesta seção vamos explicar como criar um novo projeto, “salvar” um projeto,

Para Criar um Novo Projeto:

  • 1. Para criar um novo projeto, selecione o menu “File - New Project”.

  • 2. Isto abrirá a janela de “Templates” (modelos). Os modelos estão descritos na seção “Manipulando arquivos” do Manual de Operações.

  • 3. Selecione “Empty” (vazio). Isto irá criar um novo projeto vazio.

  • 4. Clique em “OK”.

  • 5. Uma tela para criação de pastas se abrirá para que se indique a pasta onde ficarão guardados os arquivos relacionados ao novo projeto.

É importante que todo projeto seja guardado em uma pasta específica. Com diferentes projetos guardados na mesma pasta, você pode ter muita confusão.

  • 6. Navegue até aonde você deseja que o projeto seja criado.

NOTA: Você não está salvando o projeto neste momento. Você está apenas criando uma pasta no hard disk onde seu projeto será salvo mais tarde.

  • 7. Clique em “Create” no PC, ou “New Folder” no Mac para criar nova pastas para seu projeto.

  • 8. Dê um nome a sua nova pasta.

Sendo seu primeiro projeto, você poderá nomear a pasta como “Meu Pri- meiro Projeto”. O que importa é que você está criando uma pasta onde

serão guardados todos os arquivos de seu novo projeto. Esta pasta deve ter um nome diferente de qualquer projeto já existente no Nuendo.

Criando um novo projeto Nesta seção vamos explicar como criar um novo projeto, “salvar” um projeto,
  • 9. Clique em “OK” no PC, ou “Create” no Mac. Sua pasta do projeto está agora criada no hard disk!

    • 10. Clique agora em “OK” no PC, ou “Choose” no Mac.

    • 11. Parabéns! Você está diante de seu primeiro projeto no Nuendo.

No topo da janela do Nuendo (chamada janela do Projeto) você verá que o nome do projeto é “Untitled1”. Mais adiante você verá como mudar o

nome do projeto.

O nome do projeto Ainda não terminou! Criamos um projeto em branco.
O
nome do
projeto
Ainda não terminou! Criamos um projeto em branco.

Temos apenas uma pasta no hard disk onde será gravado o projeto atual do Nuendo, mas o projeto ainda não foi salvo.

25

Tutorial 1: Gravando áudio

Para salvar o projeto

  • 1. Selecione “Save as…” no menu “File”. A diferença entre “Save” e “Save As” será discutido no capítulo “Manipulando arquivos” do Manual de Operações.

  • 2. Você pode notar que o Nuendo abrirá a pasta “Meu Primeiro Projeto” criada anteriormente para que você salve o projeto. Digite o nome do projeto - você pode dar o nome “Meu Primeiro Projeto Nuendo”, por exemplo.

  • 3. Clique em “Salvar” - e está salvo!

Para fechar um projeto

  • 1. Certifique-se de que a janela do Projeto esteja selecionada. A janela do Projeto é a principal janela de trabalho. Veja o capítulo “A janela do Projeto” do Manual de Operações.

  • 2. Selecione “Close” no menu “File”. Se você alterou algo no projeto desde a última vez que você o salvou, uma mensagem aparecerá com os botões “Save”, “Don’t Save” e “Cancel” para que você salve as mudanças realizadas.

Para abrir um projeto existente

Agora que o projeto está salvo e fechado, será mostrado como você pode abrí-lo.

Abra um projeto utilizando o comando “Open”

  • 1. Selecione “Open” no menu “File”. Você poderá navegar por entre as pastas até o projeto que deseja abrir.

  • 2. Uma vez encontrado o projeto, clique sobre “Open” e o projeto será carregado.

Abra um projeto utilizando o sub-menu “Recent Projects”

O Nuendo contém uma lista dos projetos abertos recente- mente no sub-menu “Recent Projects” no menu “File”.

  • 1. Selecione “Recent Projects” no menu “File”.

  • 2. Selecione o projeto que você deseja clicando sobre o nome do projeto neste menu.

Ajuste das conexões VST

A janela de Conexões VST permite que você configure os sinais de entrada e saída do Nuendo para sua placa de áudio. No Nuendo o nome destas conexões é “bus”. Esta

seção mostrará como configurar os busses utilizados nos trabalhos de reprodução e gravação de áudios.

Leia primeiro os capítulos “Requisitos do sistema e Instala- ção” na página 9, e “Ajuste seu Sistema” na página 14, para

uma configuração apropriada de sua placa de áudio.

Carregue o projeto chamado “VST Connections” que está na pasta “Tutorial 1”.

o Nota: Os Projetos de tutoriais não são instalados ao se instalar o Nuendo. Você poderá encontrá-los na pasta “Additional Content” do DVD do programa.

Ajustando as saídas (Outputs)

  • 1. Abra o menu “Devices” e selecione “VST Connections”. O atalho do teclado é [F4].

Você verá várias etiquetas no topo da janela. Neste momento veremos apenas as etiquetas “Input” e “Output”. Para mais detalhes, veja o capítulo “Conexões VST” do Manual de Operações.

  • 2. Primeiro escolha a etiqueta “Output”. Vamos começar por marcar e remover o tiver na lista, como se estivesse configurado incorretamente. Se você visualizar algo na coluna “Bus Name”, dê um clique direito do mouse, e selecione “Remove Bus”.

Para salvar o projeto 1. Selecione “Save as…” no menu “File”. A diferença entre “Save” e
  • 3. Agora clique no botão “Add Bus”. Selecione “Stereo” como “Configuration” e “1” em “Count”, e clique em “OK”. Isto cria um novo Bus Stereo (Esquerdo e Direito) para que o áudio no Nuendo comunique-se com a placa de áudio.

  • 4. Como em geral ouvimos as músicas em estéreo, precisamos de uma saída estéreo. Ouviremos a música em mais de 2 canais, se tivermos, por exemplo, uma configuração em surround. Veremos isto adiante.

  • 5. Dependendo de sua placa de áudio, as saídas devem ser configuradas agora. Você poderá selecionar as saídas escolhidas no menu “Device Port”. Normalmente seleciona-

26

Tutorial 1: Gravando áudio

se “Output 1” e “Output 2” ou “Left 1” e “Right 2” se estas forem as principais saídas de sua placa de áudio. Configurações mais sofisticadas exigem a escolha de outras saídas, e a adição de outros busses.

se “Output 1” e “Output 2” ou “Left 1” e “Right 2” se estas forem as

Acrescentando Entradas (inputs)

Agora vamos abrir a etiqueta “Inputs” e configurar as entradas que utilizaremos em gravações pelo Nuendo.

  • 1. Repita os passos acima para da criação de saídas. Dê um clique direito no mouse e indique “Remove Bus”.

  • 2. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Stereo” como “Configuration” e “1” como “Count”, e clique em “OK”. Isto acrescenta um bus estéreo (Esquerdo e Direito) permitindo que o sinal de áudio que entrar na placa seja direcionado ao Nuendo para gravação.

Ter uma entrada estéreo permite gravar áudio em dois canais. Um exemplo disto é gravar um teclado com canais de áudio esquerdo e direito. Se quisermos gravar em mono, ou com apenas um canal, podemos fazer busses separados. Faremos isto agora.

  • 1. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration” e “2” em “Count”, e clique “OK”. Isto acrescenta dois busses mono, permitindo que o sinal de áudio que entrar na placa, seja direcionado ao Nuendo durante a gravação.

  • 2. Em seguida, clique na coluna “Device Port” para selecionar as entradas de áudio de sua placa de áudio, para entradas mono e estéreo. No nosso caso, temos a interface MI4, de modo que estamos selecionando “MI4 Channel A” e “MI4 Channel B” como entradas.

se “Output 1” e “Output 2” ou “Left 1” e “Right 2” se estas forem as

Agora você está pronto para gravar áudio no Nuendo, que depois poderá ser reproduzido.

Ajuste do volume para gravação (Level)

Nesta seção gravaremos um contrabaixo em mono da entrada “Mono In”. Certifique-se de configurar a placa de áudio depois de ler a seção “Ajuste de Conexões VST” na página 26.

Abra o projeto chamado “Recording”, que está na pasta “Tutorial 1”.

Acrescentando um track mono

  • 1. Vamos acrescentar um track de áudio para gravação. Abra o menu “Project” e escolha “Audio” no sub-menu “Add Track”.

  • 2. Selecione “Mono” em “Configuration” e “1” em “Count”. Clique em “OK”. Isto acrescenta um track de áudio mono à janela do Projeto.

se “Output 1” e “Output 2” ou “Left 1” e “Right 2” se estas forem as

27

Tutorial 1: Gravando áudio

  • 3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector permite que você veja e manipule as informações do track selecionado.

Clique para abrir o “Inspector”

3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector
3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector

O “Inspector”

  • 4. Certifique-se de que “Mono In” esteja selecionado para a entrada dos tracks, e que “Stereo Out” esteja selecionado para as saídas dos tracks. Deve haver diferentes entradas e saídas na placa de áudio.

Para informações mais detalhadas, veja o capítulo “Cone- xões VST” do Manual de Operações. Com a regulagem “Mono In”, é possível gravar o áudio da entrada da esquerda da placa de áudio, em um track do Nuendo. Com o ajuste de saída (output) na opção “Stereo Out” é possível ouvir o que se está gravando.

3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector

Ligando o clique do metrônomo

Vamos acionar um click, para tocar o metrônomo, enquanto se grava o contrabaixo, para alinhar a gravação aos compassos e ao andamento do Nuendo.

  • 1. Ative o botão de “Metronome/Click” no painel “Transport”.

3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector
  • 2. Se desejar que haja uma contagem de dois compassos antes da gravação, ative o botão “Precount/Click”.

3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector
  • 3. Vamos regular o andamento para o nosso projeto. Isto altera o andamento dos cliques. Você pode ajustar o andamento logo abaixo do clique.

3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector

Ajuste de volumes (Level)

Vamos gravar um contrabaixo tocando através de um amplificador, colocando um microfone na frente das caixas do amplificador. O microfone é plugado diretamente na entrada do microfone do Steinberg MI|4. Ajustamos o volume (botão Level) na entrada do MI|4 para que um volume suficiente, e que não ultrapasse o volume de “clip”.

  • 1. Clicando no botão “Monitor” podemos escutar o contrabaixo. Você verá o sinal de o áudio na caixa do lado direito do track.

3. Clique sobre o novo track, e certifique-se de que o “Inspector” esteja aberto. O Inspector

Entrada de áudio no track.

28

Tutorial 1: Gravando áudio

  • 2. Agora clique o botão de gravação, “Record Enable”, no track. Ativando o botão “Record Enable” (Habilitar Gravaçã)o, o Nuendo é informado que você quer gravar neste track, e não em outra. Você pode ter vários tracks ativadas para gravação ao mesmo tempo.

2. Agora clique o botão de gravação, “Record Enable”, no track. Ativando o botão “Record Enable”
  • 3. No “Inspector”, abra a etiqueta “Channel”. Você vai ver o fader do canal do track selecionado.

2. Agora clique o botão de gravação, “Record Enable”, no track. Ativando o botão “Record Enable”

Clique aqui para ver o fader do canal.

Nas entradas de áudio, ajuste o volume no valor máximo que não produza distorção. Algumas placas de áudio tem indicação de nível ou volume. Se não houver, vamos regular o volume de outra forma:

  • 4. Mova o fader de cima a baixo de modo que o volume aumente o suficiente sem chegar à marca vermelha do medidor do canal. Se chegar ao vermelho, pode haver perda de qualidade, ou uma distorção. Você verá uma linha

próximo ao topo do medidor do canal - certifique-se de que o nível não ultrapasse esta linha!

  • Não permita que o sinal de áudio
    Esta é a área segura para grava- ção

ultrapasse este valor.

Com o sinal regulado, você está pronto para gravar!

Gravando um contrabaixo

  • 1. Posicione o cursor no início do projeto. Iniciando a gravação do compasso 1.

  • 2. Clique sobre o botão “Record” para gravar o contrabaixo. Se o botão “Precount/Click” estiver ativado, você ouvirá dois compassos de cliques antes do início da gravação.

  • 3. Clique em “Stop” ao finalizar.

  • 4. Desative, no track, os botões “Monitor” e “Record Enable”, para interromper o recebimento do sinal na entrada, e desligar a gravação no track.

Parabéns! Esta foi sua primeira gravação de áudio no

Nuendo. Na próxima seção iremos ver como reproduzir áudio.

2. Agora clique o botão de gravação, “Record Enable”, no track. Ativando o botão “Record Enable”

29

Tutorial 1: Gravando áudio

Reprodução

Aprenderemos como reproduzir áudio no Nuendo. Você pode pensar que é simples - basta apertar “Play”. Real- mente é simples, porém há alguns truques que permitirão reproduzir com precisão o que você quiser escutar.

Carregue o projeto chamado “Playback”, que está na pasta “Tutorial 1”.

Iniciando uma reprodução

Existem várias formas de ativar a reprodução no Nuendo.

Clique no botão “Start”, do painel “Transport”.

Reprodução Aprenderemos como reproduzir áudio no Nuendo. Você pode pensar que é simples - basta apertar
• Pressione a barra de espaço do teclado do computador. Isto serve tanto para iniciar quanto
Pressione a barra de espaço do teclado do computador. Isto
serve tanto para iniciar quanto para parar a reprodução.
Pressionando a tecla [Enter] do teclado numérico do
computador.
Dê um duplo clique na metade inferior da régua.
Duplo-clique na
metade inferior
da régua ...
Iniciando a reprodução. • Selecione o evento de áudio chamado “Audio 01_01”, assim como o “Cycle”
Iniciando a
reprodução.
Selecione o evento de áudio chamado “Audio 01_01”, assim
como o “Cycle” do painel “Transport”.
O atalho de teclado para este comando é [Shift]+[G]. Este

é o modo mais rápido de ativar o loop no evento de áudio, e iniciar a reprodução!

Para parar a reprodução

Clique no botão “Stop” do painel “Transport”.

Clique duas vezes no botão “Stop”, o cursor se moverá para a posição no projeto em que se iniciou a reprodução.

Pressione a barra de espaço do teclado do computador. Isto serve tanto para iniciar quanto para parar a reprodução.

Pressione a tecla “0” (zero) do teclado numérico do computador.

Reprodução cíclica (Loop)

O Nuendo permite que se crie um loop, ou um “Cycle”, na seção de seu projeto. Para se determinar a localização do “Cycle”, você usa os localizadores esquerdo e direito.

  • 1. No painel “Transport”, regule o “Locator” esquerdo (L) para “1”, e o direito (R) para “5”. Isto informa o Nuendo que queremos um loop, ou um “Cycle”, entre os compassos 1 e 5. O que significa que teremos um loop de 4 compassos, já que o fim do compasso 4 é o início do compasso 5.

Locator direito em 5 “Cycle” ligado
Locator direito em 5
“Cycle” ligado
  • 2. Verifique se o “Cycle” está ativado.

  • 3. Clique o botão “Start” do painel de transporte, e o Nuendo toca o trecho repetidamente até que você dê o comando “Stop”.

Não esqueça - você pode regular os localizadores para enquadrar os eventos selecionados, ligar o “Cycle” e

iniciar a reprodução, pelo atalho do teclado [Shift]+[G].

30

Tutorial 1: Gravando áudio

Modos de gravação com o “Cycle” desligado

Existem três modos diferentes para se gravar com o “Cycle” desligado, na chamada “gravação linear”. Os três modos são:

• Normal

Merge (sobreposição)

• Replace (Substituição)

Ao se gravar áudio pela primeira vez, os modos “Normal” e “Merge” são equivalentes. Estes dois modos permitem gra- var sobre um outro evento de áudio, com sobreposição. E você poderá escolher, dentre os eventos superpostos, qual será reproduzido. Isto está descrito na seção “Gravação “cycle” na página 31.

Modos de gravação com o “Cycle” desligado Existem três modos diferentes para se gravar com o

Usando o modo “Replace” (Substituição) não ocorre sobre- posição. A gravação interrompe o áudio no ponto em que a gravação começar, substituindo o que havia anterior- mente (Atenção! O áudio não é eliminado, e pode ser recu- perado mais tarde).

Gravação “Cycle”

Você pode gravar áudio enquanto com o “loop” ativo.

Carregue o projeto chamado “Cycle Recording”, que está na pasta “Tutorial 1”.

Até agora, mostramos como acrescentar tracks, como gra- var, e como reproduzir. Agora vamos acrescentar uma gui- tarra ao nosso contrabaixo, utilizando gravação cíclica. Gravando desta forma podemos fazer múltiplas gravações e escolher a melhor.

Daqui por diante nossos passos serão mais rápidos, e por isso, solicitamos que sejam revistas as seções anteriores.

Gravando a guitarra

  • 1. Vamos acrescentar outro track de áudio “Mono”.

Modos de gravação com o “Cycle” desligado Existem três modos diferentes para se gravar com o
  • 2. Você verá agora um track chamada “Audio 01” e outra “Audio 02”. Agora iremos dar um nome aos tracks.

Modos de gravação com o “Cycle” desligado Existem três modos diferentes para se gravar com o
  • 3. Dê um duplo-clique sobre “Audio 01”, e digite “Bass”.

  • 4. Dê um duplo-clique sobre “Audio 02”, e digite “Elec Guitar”.

É sempre bom nomear os tracks antes de iniciar a gravação. Desta forma o evento de áudio é criado com o nome do track. “Audio 01” é o nome de nosso primeiro track e o evento de áudio se chama “Audio 01_01”. O sufixo “_01” mostra que se trata do primeiro evento gravado no track “Audio 01”. No capítulo “Tutorial 2: Edição de áudio”, na página 34, mostraremos como renomear seu arquivo de áudio.

  • 5. Ative o “Cycle”, e regule o “Locator” esquerdo para 2, e o direito para 18.

Isto criará um loop, ou um “Cycle”, entre os compassos 2 e 18 *final do 17).

Modos de gravação com o “Cycle” desligado Existem três modos diferentes para se gravar com o

31

Tutorial 1: Gravando áudio

  • 6. No painel “Transport”, certifique-se de que esteja selecionado “Mix (MIDI)” para o modo “Cycle Record Mode”.

Isto permite se gravar a guitarra, e a cada repetição, um novo take é cri- ado. Depois, você poderá escolher o melhor dos takes gravados na linha da guitarra.

  • 7. Ative os botões “Record Enable” e “Monitor” do track “Elec Guitar”.

  • 8. Clique uma vez no botão “L” do painel “Transport”. Isto fará com que a gravação se inicie no “Locator” esquerdo.

6. No painel “Transport”, certifique-se de que esteja selecionado “Mix (MIDI)” para o modo “Cycle Record
  • 9. Clique no botão “Record” do painel Transporte. Durante a gravação da guitarra, grave três ciclos, para que tenhamos diferentes takes da guitarra.

10. Clique em “Stop” quando terminar. Gravamos apenas três takes diferentes de guitarra. Agora vamos mostrar como escolher o melhor.

Abra o tutorial chamado “Cycle Recording 2” que está na pasta “Tutorial 1”.

Escolha de takes

  • 1. Dê um duplo-clique no evento de áudio da guitarra que acabou de gravar, e escolha um take do sub-menu “Set to Region”. O Nuendo gravou todas as passagens com a gravação em loop. Estas passagens são chamadas de “Takes”. Neste exemplo, você terá três takes diferentes da guitarra. Escolha qual ficou melhor.

  • 2. Ouça os diferentes takes, depois, escolha, por exemplo, o “Take 1”.

Gravação em camadas (stacked)

A gravação em camadas é muito parecida com a gravação cíclica, mas com uma diferença - você pode ver os “Takes” gravados todo o tempo, ao invés deles ficarem escondidos um por baixo do outro.

  • 1. Crie um novo track “Mono”.

  • 2. Renomeie este track para “Guitar 2”.

  • 3. No painel “Transport”, selecione o modo de gravação em loop, “Cycle Record Mode”: “Stacked”.

6. No painel “Transport”, certifique-se de que esteja selecionado “Mix (MIDI)” para o modo “Cycle Record

Menu “pop-up” de “Cycle Record Mode” (Stacked).

  • 4. Ative os botões “Record Enable” e “Monitor” no track “Guitar 2”.

  • 5. Clique no botão “Record” do painel “Transport”.

32

Tutorial 1: Gravando áudio

  • 6. Após a gravação, clique em “Stop”.

Você verá os eventos de áudio gravados separados.

  • 7. Clique na borda inferior do track “Guitar 2” e arraste-a para que se torne mais larga.

Você vai ver melhor os takes de áudio.

6. Após a gravação, clique em “Stop”. Você verá os eventos de áudio gravados separados. 7.
  • 8. Desative os botões “Record Enable” e “Monitor”.

Abra o tutorial chamado “Stacked Recording” que está na pasta “Tutorial 1”.

  • 9. Abra a janela “Preferences” (página Editing-Audio) e certifique-se de que a opção “Treat Muted Audio Events Like Deleted” (Trate Eventos de Audio Mudos como Apagados) esteja ativada.

10. Na barra de ferramentas, selecione a ferramenta “Mute”.

Isto permitirá que você alterne os takes gravados no modo “Stacked”.

6. Após a gravação, clique em “Stop”. Você verá os eventos de áudio gravados separados. 7.
  • 11. Você verá três takes. Os dois “mudos” e o que toca, (Take 3), colorido de verde.

6. Após a gravação, clique em “Stop”. Você verá os eventos de áudio gravados separados. 7.
  • 12. Deixe mudo o “Take 1” e desative o mudo do “Take 2”.

Desta forma o “Take 2” será ouvido. Note que agora é o “Take 2” que está colorido de verde.

6. Após a gravação, clique em “Stop”. Você verá os eventos de áudio gravados separados. 7.
  • 13. Você pode fazer o mesmo para o “Take 1”.

No próximo capítulo, iremos mostrar a você como editar o que você gra- vou utilizando algumas das ferramentas disponíveis.

33

Tutorial 1: Gravando áudio

5

Tutorial 2: Edição de áudio

34

Tutorial 2: Edição de áudio

Operações de Eventos

Nesta seção você aprenderá como editar eventos ou par- tes. Isto inclui renomear, altera o tamanho, recortar, colar, mover, copiar, repetir, deixar mudo, apagar, e acrescentar um fade.

Abra o projeto chamado “Event Operations” que está na pasta “Tutorial 2”.

Renomeando — Rename

Se olharmos os eventos de áudio que gravamos, vamos ver que a pista do contrabaixo tem um evento chamado “Audio 01_01”. Isto por que o nome original do track era “Audio 01”, e o sufixo “_01” significa que este é o primeiro arquivo de áudio gravado no track. O segundo arquivo de áudio seria chamado de “Audio 01_02”.

Nomear corretamente os arquivos de áudio deixa o projeto mais limpo e fácil de entender. Vamos renomear o “Audio 01_01” para “Bass”:

  • 1. Selecione a ferramenta “Object Selection”.

Operações de Eventos Nesta seção você aprenderá como editar eventos ou par- tes. Isto inclui renomear,
  • 2. Clique sobre o evento “Audio 01_01”.

  • 3. Certifique-se de que “Show Event Infoline” esteja ativo na barra de ferramentas.

Operações de Eventos Nesta seção você aprenderá como editar eventos ou par- tes. Isto inclui renomear,

A “Event Infoline” nos informa detalhadamente sobre o objeto, ou objetos selecionadas na tela de eventos.

  • 4. Mude “Audio 01_01” para “Bass” abaixo da palavra “File”.

Isto muda o nome dos arquivos de áudio, diretamente no HD.

Operações de Eventos Nesta seção você aprenderá como editar eventos ou par- tes. Isto inclui renomear,
  • 5. Note que o evento de áudio de nosso projeto agora se chama “Bass”.

Operações de Eventos Nesta seção você aprenderá como editar eventos ou par- tes. Isto inclui renomear,

Neste caso, o nome mudou de “Audio 01_01” para “Bass”.

Alterando o tamanho — Resize

Você pode alterar o tamanho de um evento ajustando o início e/ou o fim do evento. Usando esta função e a ferra- menta de “recortar”, você tem o essencial para fazer uma edição.

  • 1. Escolha a ferramenta “Object Selection”.

  • 2. Clique no evento que deseja alterar o tamanho.

Em nosso caso, vamos mudar o tamanho do evento “Bass”. Para tirar este espaço extra, inde-
Em nosso caso, vamos mudar o tamanho do evento “Bass”.
Para tirar este
espaço extra, inde-
sejado do track
“Bass”,
Movimente os qua-
drados vermelhos
que aparecem nas
bordas.
  • 3. Posicione o cursor sobre um dos quadros vermelhos, abaixo e à direita ou esquerda do evento. Clique e ajuste o evento “Bass” ou “Bass” para que fique alinhado com o “Elec Guitar_01”.

35

Tutorial 2: Edição de áudio

Recortar (Split)

A ferramenta “Split” é utilizada para cortar eventos. Você pode recortar ou dividir um evento onde quiser, igua- lando-os ao compasso, e ao andamento.

Recortar com o alinhamento “Snap” desligado.

Ao recortar com o “Snap” desligado, você corta em qual- quer lugar sem que haja alinhamento obrigatório em rela- ção a alguma referência (como um compasso, ou o pulso).

  • 1. Selecione a ferramenta “Split (recortar).

Recortar (Split) A ferramenta “Split” é utilizada para cortar eventos. Você pode recortar ou dividir um
  • 2. Certifique-se de que “Snap” estejam desligado (não selecionado).

O “Snap” permite que você edite em vários moldes de tempo. O mais comum deles é o compasso e o pulso. Isto significa que você pode cortar exatamente no compasso com “Snap” acionado. Desligando o “snap”, você corta onde quiser. Veja mais sobre “Snap” no capítulo “A Janela do Projeto” do Manual de Operações.

Recortar (Split) A ferramenta “Split” é utilizada para cortar eventos. Você pode recortar ou dividir um
  • 3. Agora você pode cortar o áudio em qualquer lugar, clicando no evento.

Divisões do evento “Bass”
Divisões do evento “Bass”
  • 4. Desfaça os cortes indicando “Undo Split” no menu “Edit” i mesmo número de vezes que você se utilizou da ferramenta “Split”. Certifique-se de que não restam mais nenhum corte do evento “Bass” (contrabaixo).

Recortar com a “Snap” acionado

O “Snap” permite que você faça corte em alinhado a uma referência de tempo.Você pode, por exemplo, cortar o track “Elec Guitar” alinhada com o compasso, ou com um tempo do compasso.

  • 1. Selecione a ferramenta “Split” (Recortar).

  • 2. Certifique-se de que as “Snap” esteja ativo.

O “Snap” permite que você faça edições alinhadas com a grade de ritmo. O mais comum deles é o compasso e o tempo do compasso. Isto significa que

você pode cortar exatamente no compasso usando a opção “Snap”. Inative para cortar onde quiser. Veja mais sobre “Snap” no capítulo “A Janela do Projeto” do Manual de Operações.

Recortar (Split) A ferramenta “Split” é utilizada para cortar eventos. Você pode recortar ou dividir um
  • 3. Se você tiver algum problema com os botões de ferramentas, dê um clique no botão direito do mouse sobre a barra de ferramentas (a barra de cima, onde estão os botões de ferramentas). Isto permite que você altere o que você vê no topo da janela de Projeto. Personalização é característica do Nuendo.

Clique direito na barra de ferramentas

Existe mais para ver, dependendo da resolução da sua tela.

Recortar (Split) A ferramenta “Split” é utilizada para cortar eventos. Você pode recortar ou dividir um
  • 4. Selecione “Default” de modo que a barra de ferramentas volte para a regulagem padrão.

36

Tutorial 2: Edição de áudio

  • 5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo que a ferramenta de automação fique escondida. Assim podemos ver o suficiente para usar a ferramenta “Split”.

  • 6. Com a maioria dos recursos de “Snap” visíveis, selecione “Grid” no menu pop-up de “Snap”, à direita do botão “Snap”.

5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo

Iremos fazer os cortes usando uma grade de referência.

  • 7. Em seguida, selecione “Bar” (compasso) nas opções de “Grid”.

5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo

Isto significa que os cortes serão nas divisões de compas- sos.

  • 8. Agora você pode fazer cortes do evento “Guitar Elec_01” precisamente alinhado com as divisões de compasso. Corte no início dos compassos 6, 10 e 14.

5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo

Divisão (Split) com [Alt]/[Option]

  • 1. Selecione a ferramenta “Split”.

  • 2. Pressione [Alt]/[Option] e clique no evento “Bass” no compasso 3, e o tamanho do corte será repetido até o final do evento.

Você pode tentar isto com “Snap” ligado ou desligado.

5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo
  • 3. Selecione “Undo Split” no menu Edit e retorne o contrabaixo (Bass) para a forma que estava.

Colando ou reunindo eventos

Usando a ferramenta de cola (Glue) você pode reunir novamente os eventos que foram cortados com a ferra-

menta “Split”.

  • 1. Selecione a ferramenta “Glue” (cola).

5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo
  • 2. Cole os eventos recortados no track “Elec Guitar” clicando logo antes de cada pedaço. Certifique-se de ter colado todos os pedaços.

5. Em seguida, clique novamente no botão direito do mouse, e selecione “Automation Mode”, de modo

37

Tutorial 2: Edição de áudio

Deslocamento de eventos — Move

  • 1. Selecione a ferramenta de seta, “Object Selection” (seleção de objetos).

Deslocamento de eventos — Move 1. Selecione a ferramenta de seta, “Object Selection” (seleção de objetos).
  • 2. Mova todos os eventos na janela do Projeto do compasso 2 ao compasso 1. Clique e segure o mouse em uma área vazia da janela do Projeto. Arraste até que se selecione todos os eventos. Ao soltar o botão do mouse, todos os eventos estarão selecionados.

Deslocamento de eventos — Move 1. Selecione a ferramenta de seta, “Object Selection” (seleção de objetos).
  • 3. Com todos os eventos selecionados, clique sobre os eventos, e arraste-os para o compasso 1.

Deslocamento de eventos — Move 1. Selecione a ferramenta de seta, “Object Selection” (seleção de objetos).
  • 4. Clique em uma área vazia da janela do Projeto, de modo que nenhum evento permaneça selecionado.

Cópia de eventos — Copy

Para copiar um evento para uma outra área da janela do Projeto ou para gerar diversas cópias, veja “Repetição” na página 39.

Uso das funções Copiar e Colar —Copy/Paste

  • 1. Para copiar um evento de áudio, clique sobre o evento e selecione “Copy” no menu “Edit”. Para o nosso exemplo, selecione o evento “Elec Guitar_01”.

  • 2. Posicione o cursor no ponto do projeto em que você deseja que a cópia seja feita. Vamos colocar o cursor no compasso
    17.

  • 3. Certifique-se de que seja o track certa, em que o evento deve ser copiado. Selecione “Paste” (colar) no menu “Edit”. O comando “Paste” colocará a cópia do evento no track que estiver selecionada. Por isso sempre verifique o track antes de dar o comando “Paste”.

Deslocamento de eventos — Move 1. Selecione a ferramenta de seta, “Object Selection” (seleção de objetos).
  • 4. Agora temos dois eventos de guitarra (“Guitar”). Também foram copiado os takes que existiam nos tracks da guitarra. Isto será usado mais para a frente.

Uso do atalho de teclado [Alt]/[Option]

  • 1. Selecione a ferramenta “Object Selection” e mantenha pressionadas as teclas [Alt]/ [Option].

  • 2. Vamos copiar os eventos “Guitar 2”. Lembre-se que existem três eventos, pois utilizamos a gravação em camadas. Selecione todos os eventos “Guitar 2” clicando e arrastando como descrito acima.

38

Tutorial 2: Edição de áudio

  • 3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a cópia seja feita. Solte o botão do mouse.

Não se preocupe com o ícone da “Scissor” (tesoura) que aparece. Assim que clicar e segurar sobre o evento a ser copiado, ele mudará para um sinal de “+”, indicando a cópia.

3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a

Repetição (Repeat)

Este comando permite a repetição da reprodução do evento, um após o outro.

  • 1. Clique no evento “Bass” com a ferramenta “Object Selection”.

  • 2. Selecione “Repeat” no menu “Edit”.

3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a
  • 3. Na tela que se abre, escolha quantas cópias você deseja fazer, preenchendo o campo “Count” (contagem).

3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a

Indicando a opção “Shared Copies” pode-se gerar “aliases” do evento original. Com isso, se você fizer alterações no evento original (processamentos ou edições), as cópias irão também mudar.

  • 4. Clique em “OK” e a repetição será colocada depois do evento “Bass”.

3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a

Deixando o objeto de áudio sem som (Mute)

Com este comando você desativa o som do evento. Isto permite reproduzir o track, deixando um evento sem som, o que é diferente de deixar o track toda sem som.

  • 1. Selecione a ferramenta “Mute”.

3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a
  • 2. Clique sobre o evento que você quer deixar “mute”.

3. Clique e segure os eventos selecionados e arraste-os para a posição que deseja que a
  • 3. Para desfazer este comando, clique novamente sobre o evento mudo com a ferramenta “Mute” acionada, e tudo volta ao normal.

39

Tutorial 2: Edição de áudio

Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez (ou desligar o “Mute”).

Apagando (Erase)

  • 1. Selecione a ferramenta “Erase”.

• Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez
  • 2. Clique sobre o evento que você deseja apagar.

Acrescentando um “fade”

Você pode acrescentar um fade a um evento criando o efei- tos de “fade in” (aumento gradual de volume) ou “fade out” (redução gradual do volume).

  • 1. Selecione a ferramenta “Object Selection”.

• Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez
  • 2. Clique no evento em que deseja acrescentar um fade.

• Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez

Observe os triângulos azuis que aparecem na parte superior esquerda e direita do evento.

  • 3. Clique em um dos triângulos azuis e mova-o para que o fade apareça.

• Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez
  • 4. Para fades mais avançados, dê um duplo-clique na área do fade para abrir a tela de fade. Para mais informações veja o capítulo “Fades e Fades cruzados” do Manual de Operações.

• Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez

Dê um duplo clique aqui para abrir o diálogo “Fade”

• Se você arrastar com a ferramenta “Mute” você pode silenciar diversos eventos de uma vez

40

Tutorial 2: Edição de áudio

Envoltória de Eventos (Envelope)

Um envelope é o desenho da variação do volume ao longo do tempo para um evento de áudio. Você pode desenhar a variação do volume do evento ao longo do tempo.

  • 1. Selecione a ferramenta “Pencil” (lápis).

Quando você move a ferramenta sobre o evento de áudio, um pequeno símbolo de curva de volume aparece próximo à ferramenta.

  • 2. Clique no evento “Elec Guitar_01” e note que os pontos de envelope aparecem.

Clicando-se em cima ou embaixo dentro da caixa do evento, o volume do evento muda, ficando mais alto ou mais baixo respectivamente.

  • 3. Clicando na linha, porém afastado dos pontos, você cria mais pontos.

Pode-se criar mais e mais pontos de envelope, alterando- se o volume ao longo do tempo. Assim, a forma da onda se altera de acordo com o formato do envelope.

Envoltória de Eventos (Envelope) Um envelope é o desenho da variação do volume ao longo do

Carregue o projeto chamado “Event Operations 2” que

está na pasta “Tutorial 2”. Este projeto possui todas as funções de alterações de eventos vistos até agora.

Processamento de áudio

O Nuendo pode alterar o áudio de outras formas além das que já vimos. Você pode normalizar, reverter, mudar a afi- nação e/ou a duração de um evento de áudio. Para uma

explicação detalhada do processamento de áudio, veja o capítulo “Funções de processamento de áudio” do Manual de Operações.

Abra o projeto “Processing Audio” que está na pasta “Tutorial 2”.

Você pode processar todo o evento de áudio, ou usar a fer- ramenta de seleção de trecho (Range Selection), e selecio- nar apenas a seção de áudio que deseja processar.

Envoltória de Eventos (Envelope) Um envelope é o desenho da variação do volume ao longo do

Vamos mostrar como Normalizar e Reverter um evento de áudio.

Normalização (Normalize)

A Normalização aumenta o volume do áudio até o valor indicado. Normalmente ajusta-se o volume até o máximo

de “0” dB ou até “-1” dB

para ter o máximo de volume

sem “clips” no áudio. Um uso comum da Normalização é aumentar o nível do áudio que foi gravado com nível de entrada baixo.

Em algumas situações, esta função pode gerar

distorções. Por isso, utilize esta função com cuidado, e ouça o material de áudio após o processamento, para verificar o resultado.

  • 1. Com a ferramenta “Object Selection”, clique no evento de áudio que deseja alterar. Você pode usar a ferramenta de seleção de trecho, e selecionar a seção desejada.

Envoltória de Eventos (Envelope) Um envelope é o desenho da variação do volume ao longo do

41

Tutorial 2: Edição de áudio

2.

No sub-menu “Process” do menu “Audio”, selecione “Normalize”

seja gerada uma nova versão de forma que apenas o evento selecionado seja afetado (New Version).

2. No sub-menu “Process” do menu “Audio”, selecione “Normalize” seja gerada uma nova versão de forma
  • 3. Ajuste o controlador para o valor desejado. O ajuste mais comum é “0” dB ou “1” dB.

2. No sub-menu “Process” do menu “Audio”, selecione “Normalize” seja gerada uma nova versão de forma
  • 4. Clique no botão “Process” para normalizar seu áudio.

Para uma descrição dos botões “More” e “Preview”, veja o capítulo “Funções de processamento de áudio” do Manual de Operações.

Reversão — Reverse

O comando “Reverse” inverte a direção do áudio, como se você estivesse reproduzindo o áudio de trás para frente.

  • 1. Com a ferramenta “Object Selection”, clique sobre o evento de áudio que deseja alterar. No nosso caso, vamos pegar o evento “Bass”. Você pode usar também a ferramenta de seleção de trecho e selecionar a seção de áudio desejada.

  • 2. No sub-menu “Process” do menu Audio, selecione “Reverse”.

  • 3. Se você fez cópia dos eventos na janela “Project”, uma tela irá abrir, perguntando se você deseja que todos os eventos copiados sejam alterados (Continue) ou se você deseja que

2. No sub-menu “Process” do menu “Audio”, selecione “Normalize” seja gerada uma nova versão de forma
  • 4. Clicando tanto em “Continue” ou em “New Version”, o áudio será invertido.

O processamento de áudio do Nuendo é “não-destrutivo”,

de forma que você poderá desfazer as alterações e voltar à versão original. Veja o capítulo “Funções de processamento de áudio” do Manual de Operações.

42

Tutorial 2: Edição de áudio

6

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

43

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

Introdução

Neste capítulo, vamos acrescentar mais instrumentos na música. No tutorial anterior, gravamos em áudio. Agora vamos gravar com MIDI.

Existem duas maneiras do MIDI produzir som no Nuendo:

usando instrumentos virtuais, que são sintetizadores do computador, ou através de um teclado ou módulo de som externo.

Este tutorial focará instrumentos virtuais, e o capítulo “Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos” da página 55, mostrará como gravar usando um sintetizador externo.

Criação do track de instrumento

Abra o projeto “Recording MIDI 1” localizado no arquivo “Tutorial 3”.

  • 1. Vamos colocar cordas na nossa canção. Selecione o menu “Project - Add Track - Instrument”. Na versão anterior do Nuendo, era necessário um track roteada para um instrumento virtual da janela “VST Instruments”. Ainda pode-se usar este método, mas o uso de tracks de instrumentos são convenientes.

Introdução Neste capítulo, vamos acrescentar mais instrumentos na música. No tutorial anterior, gravamos em áudio. Agora
  • 2. No menu pop-up “Instrument”, selecione “HALion-One” (apenas quem tem o kit de expansão do Nuendo), e então clique em “OK”.

Introdução Neste capítulo, vamos acrescentar mais instrumentos na música. No tutorial anterior, gravamos em áudio. Agora

Um track do instrumento é criada abaixo do track selecio- nado na janela do projeto.

  • 3. Certifique-se de que o “Inspector” esteja aparecendo.

Introdução Neste capítulo, vamos acrescentar mais instrumentos na música. No tutorial anterior, gravamos em áudio. Agora
  • 4. Clique no campo do nome do track do instrumento. Este deve ser o único track de instrumento criada, e deve ter o nome “HALionOne 01”. Dê um duplo clique neste nome, e altere o nome para “String”.

Introdução Neste capítulo, vamos acrescentar mais instrumentos na música. No tutorial anterior, gravamos em áudio. Agora

44

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

  • 5. Clique no botão “Edit Instrument” para abrir o painel de controle para “HALionOne”.

5. Clique no botão “Edit Instrument” para abrir o painel de controle para “HALionOne”. 6. Se
  • 6. Se você desejar que a janela “HALionOne” fique sempre por cima das outras, dê um clique com o botão direito do mouse na barra próxima ao topo do instrumento, e selecione “Always on Top”.

Dê um clique direito aqui, para a janela ficar sempre por cima.

5. Clique no botão “Edit Instrument” para abrir o painel de controle para “HALionOne”. 6. Se

Explorando os sons

Vamos agora carregar sons do instrumento virtual “HALio- nOne”.

Abra o projeto “Recording MIDI 2” que está na pasta “Tutorial 3”.

  • 1. Clique no botão “Preset” em “HALionOne” e selecione “Load Preset” no menu pop-up.

5. Clique no botão “Edit Instrument” para abrir o painel de controle para “HALionOne”. 6. Se
  • 2. Na seção “Category”, certifique-se de que apenas “Strings” (Cordas) esteja selecionada, desmarque qualquer outra opção. Em “Sub Category” clique em “Synth”. Você filtrou a lista para que apareça apenas cordas sintetizadas. Selecione um som de cordas da lista da direita. Depois, clique em “OK”.

Lista filtrada Categoria Sub-categoria
Lista filtrada
Categoria
Sub-categoria

45

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

Gravação MIDI

Agora que temos nosso som, vamos gravar. A gravação MIDI é muito parecida à gravação de áudio. Veja o capítulo “Tutorial 1: Gravando áudio”, na página 24.

Configuração da entrada MIDI (MIDI IN)

  • 1. Conecte ao computador um teclado MIDI usando a entrada USB ou de uma interface MIDI. Veja o capítulo “Ajuste seu sistema” na página 14, para informações a respeito de configuração MIDI do computador.

  • 2. Vamos direcionar o teclado MIDI para este track e tocar o “HALionOne”. Certifique-se de ter o “Inspector” à mostra para que se possa ver o direcionamento da entrada e saída MIDI.

Gravação MIDI Agora que temos nosso som, vamos gravar. A gravação MIDI é muito parecida à
  • 3. Depois, no menu pop-up de roteamento da entrada, selecione a entrada MIDI desejada. Usando a opção “All MIDI Inputs” você não terá que se preocupar em identificar as entradas. A opção “All MIDI Inputs” faz com que o sinal MIDI de todas as entradas sejam recebidos por este track. Isto funciona bem na maioria dos casos.

Gravação MIDI Agora que temos nosso som, vamos gravar. A gravação MIDI é muito parecida à

Menu “pop-up” de roteamento MIDI para entrada.

  • 5. Ative os botões “Record Enable” e “Monitor”, do track, e toque notas em seu teclado MIDI. Você verá os sinais MIDI chegando observando o quadro que fica no lado direito do track.

“Record Enable” Monitor
“Record Enable”
Monitor

Ativando o botão “Record Enable” o Nuendo fica pronto para gravar este track. Você pode ter muitos tracks com o Record Enable ativo (armadas para gravação).

  • 6. Deixe o “Locator” esquerdo no compasso “1”, e o “Locator” direito no compasso “57”.

  • 7. Certifique-se de que “Cycle” esteja desligado. Vamos gravar sem loop. Falaremos sobre gravação MIDI em Loop (Cycle) na seção “Gravação Cíclica”, na página 48.

  • 8. Pressione [1] no teclado numérico. Isto moverá o cursor para o “Locator” esquerdo.

  • 9. Clique no botão “Record” e grave alguns compassos.

    • 10. Clique no botão “Stop” no final.

    • 11. Desligue os botões Monitor e Record Enable do track, para que não ouvir a entrada, nem gravar novamente neste track.

Gravação MIDI Agora que temos nosso som, vamos gravar. A gravação MIDI é muito parecida à

Você acaba de criar sua primeira gravação MIDI no Nuendo. Na próxima seção veja como reproduzir esta gravação.

  • 4. Abaixo do menu pop-up de roteamento da entrada MIDI, pode-se configurar as saídas MIDI. Elas estão relacionadas ao nosso instrumento virtual “HALionOne”. Use este caminho quando quiser escolher o outro instrumento.

46

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

Reprodução da gravação MIDI

Vamos ver como reproduzir a gravação MIDI pelo Nuendo. Para reproduzir é muito simples, basta pressionar “Play”. Mesmo assim, alguns truques podem ser usados para reproduzir de formas variadas.

Para esta seção abra o projeto “MIDI Playback” que está na pasta “Tutorial 3”.

Para iniciar a reprodução

Clique no botão “Start” do painel “Transport”.

Reprodução da gravação MIDI Vamos ver como reproduzir a gravação MIDI pelo Nuendo. Para reproduzir é

Pressione a barra de espaço de seu teclado. Isto alterna entre iniciar e parar (Stop/Stop) a reprodução.

Pressione a tecla [Enter] do teclado numérico.

Dê um duplo-clique na metade de baixo da régua.

Selecione o evento MIDI “Strings” e indique “Loop Selection” no menu “Transport”.

O atalho de teclado para isto é [Shift]+[G]. Esta é a forma mais rápida para ativar o loop do evento MIDI selecionado, e iniciar a reprodução!

Para parar a reprodução

Clique no botão “Stop” do painel “Transport”.

Clicando no botão “Stop” duas vezes, você move o cursor do projeto para a posição em que a reprodução começou.

Pressione a barra de espaço de seu teclado. Isto alterna entre iniciar e parar a reprodução.

Pressione a tecla “0” (zero) do teclado numérico.

Reprodução Cíclica (Cycle)

O Nuendo possibilita tocar em loop, uma seção do pro- jeto. Para configurar o trecho que toca em loop utilize os localizadores esquerdo e direito.

  • 1. No painel Transporte, deixe o “Locator” esquerdo em “1”, e o direito em “5”. Isto informa ao Nuendo que queremos que o loop seja entre os compassos 1 e 5.

Teremos um

loop de 4 compassos, já que o final do compasso 4 é o início do compasso 5.

Localizado esquerdo

Reprodução da gravação MIDI Vamos ver como reproduzir a gravação MIDI pelo Nuendo. Para reproduzir é

Localizado direito “Cycle” ativado

  • 2. Certifique-se de que o botão “Cycle” esteja ativado.

  • 3. Clique no botão “Start” do painel de transporte e o Nuendo irá reproduzir este loop diversas vezes, até que você clique no botão “Stop”.

Modos de gravação com “Cycle” desligado

Existem três modos diferentes de gravação quando o “Cycle” está desligado. Esta forma de gravação é chamada de gravação linear.

• Normal

O modo “Normal” permite que se grave sobre a gravação MIDI anterior. É possível ver ambas as partes MIDI na tela, uma sobre a outra, que ficam independentes.

• Merge

O modo “Merge” (União) junta e une os dados MIDI da gravação atual com a gravação anterior. Um exemplo é uma gravação de percussão - grave o “kick drum” (bumbo) em uma passagem, e grave “snare drum” (caixa) na pró- xima passagem. A gravação MIDI no modo Merge faz a soma das gravações de cada passagem.

Replace

O modo “Replace” substituirá a gravação MIDI anterior do track pela nova gravação.

Reprodução da gravação MIDI Vamos ver como reproduzir a gravação MIDI pelo Nuendo. Para reproduzir é

47

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

Gravação Cíclica

Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado.

Abra o projeto “Cycle Recording MIDI” que está na pasta “Tutorial 3”.

Gravando bateria MIDI

  • 1. Vamos acrescentar outro track “Instrument” e selecionar “HALionOne” (apenas se tiver o Kit de Expansão Nuendo) como nosso instrumento.

Gravação Cíclica Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado. Abra o projeto “Cycle Recording MIDI”
  • 2. Clique no campo que tem o nome do timbre no “Inspector”, e carregue um som de bateria usando itens localizados na sub-categoria “Drumset”, que está na categoria “Drums&Perc”.

  • 3. Renomeie o novo track para “Drums”.

  • 4. Certifique-se de que o botão “Cycle” esteja ativado e deixe

o “Locator” esquerdo em “9” e o direito em “13”. Com isso, o “Cycle” será entre os compassos 9 e final do 12.

Gravação Cíclica Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado. Abra o projeto “Cycle Recording MIDI”
  • 5. No painel de transporte, certifique-se de que “Mix (MIDI)” esteja na opção “Cycle Recording”.

Isto permitirá gravar a bateria, e como “Cycle”, o MIDI irá reunir tudo em uma única parte. Isto facilita a criação de ritmos de baterias.

Gravação Cíclica Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado. Abra o projeto “Cycle Recording MIDI”
  • 6. Ative o botão “AUTO Q”. Esta é uma função de quantização automática que irá encaixar o MIDI nas subdivisões do ritmo à medida que gravamos. Isto é prático quando se toca fora do ritmo, produzindo uma gravação exata.

Gravação Cíclica Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado. Abra o projeto “Cycle Recording MIDI”
  • 7. Em seguida, indique o valor de “Quantize”. Desta forma, o Nuendo saberá como encaixar as notas MIDI. Selecione “1/ 8” no menu pop-up “Quantization Type”.

Gravação Cíclica Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado. Abra o projeto “Cycle Recording MIDI”
  • 8. Ative os botões “Record Enable” e “Monitor” no track “Drums”.

  • 9. Clique no botão “L” (Left) do painel “Transport”. Isto assegurará que comecemos a gravação no “Locator” esquerdo.

    • 10. Ative o botão “Record” do painel Transporte, grave “hi-hat” (chimbau) na primeira passagem, “kick” (bumbo) na segunda passagem, e “snare” (caixa) na terceira passagem.

    • 11. Aperte “Stop” ao terminar.

Gravação Cíclica Você pode gravar MIDI com o “Cycle” ativado. Abra o projeto “Cycle Recording MIDI”

48

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

12. Agora, mova e copie esta parte da bateria, para que o resto da música também fique com este som de bateria. Mover e copiar podem ser vistos no capítulo “Tutorial 2: Edição de áudio” na página 34.

Reuna (cole) todas as partes em uma única parte. A ferra- menta “Colar” pode ser vista no capítulo “Tutorial 2: Edi- ção de áudio” na página 34.

12. Agora, mova e copie esta parte da bateria, para que o resto da música também

O Editor de notas (Key)

O Editor de notas (Key) é onde podemos fazer alterações nas notas gravadas por MIDI. Você pode alterar a nota grada em MIDI, seja a afinação, intensidade (velocity) ou duração. Abra o projeto “Key Editor” que está na pasta “Tutorial 3”.

Apagando notas MIDI

  • 1. Dê um “Duplo-clique” sobre a parte de “Drums” para abrir o “Key Editor”.

Pode-se ver as notas de bateria alinhadas a um desenho de teclado, que é mostrado à esquerda. Na parte de baixo da tela. Temos o valor de “Velo- city” de cada uma das notas MIDI, e na parte de cima da tela podemos ver a régua de tempos e compassos.

Teclado, indica as notas. Régua de tempo Velocity (intensidade) Notas da bateria
Teclado, indica as notas.
Régua de tempo
Velocity (intensidade)
Notas da bateria
  • 2. Vamos iniciar a música com “hi-hat” (chimbau) e “kick drum” (bumbo). Apague as notas de “snare” (caixa) clique e segure o botão do mouse, e arraste sobre as notas, para selecionar a área do som “snare drum” (caixa). Selecione do compasso 1 ao 8. O termo usado para este tipo de seleção de notas é “laçar” as notas.

12. Agora, mova e copie esta parte da bateria, para que o resto da música também
  • 3. Pressione a tecla “[Delete]” para excluir as notas selecionadas.

  • 4. Dê um zoom in (amplie a imagem) no compasso 1 a apague todas as notas “hit-hat” (chimbau) com a ferramenta “Erase” do “Key Editor”, de forma a ouvir apenas notas 1/4.

49

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

  • 5. Agora apague todas as outras notas “hi-hat” (chimbau) do compasso 2 ao 8 utilizando qualquer um dos métodos apresentados.

5. Agora apague todas as outras notas “hi-hat” (chimbau) do compasso 2 ao 8 utilizando qualquer

Copiando notas MIDI

Vamos copiar as notas do compasso 1 sobre os compassos 2 ao 8.

  • 1. Enlace as notas “hi-hat” (chimbau) do compasso 1. Pressione as teclas [Alt]/[Option] e arraste as notas do compasso 1 para o compasso 2. Isto faz com que as notas sejam copiadas, e colocadas no lugar para onde são arrastadas.

5. Agora apague todas as outras notas “hi-hat” (chimbau) do compasso 2 ao 8 utilizando qualquer
  • 2. Continue copiando as notas, até chegar ao compasso 9.

Criando ou desenhando notas MIDI

Agora vamos desenhar pratos de virada (“Crash Cymball) no compasso 25.

  • 1. Role a tela até o compasso 25 e clique sobre a faixa de piano do lado esquerdo do Key Editor. Clique sobre as teclas do desenho da tela, até ouvir um pratos de virada (acione a tecla dó sustenido 2 (C#2).

5. Agora apague todas as outras notas “hi-hat” (chimbau) do compasso 2 ao 8 utilizando qualquer
  • 2. Selecione a ferramenta “Pencil” (lápis) do Key Editor, e desenhe a nota de “prato” sobre o compasso 25 clicando e arrastando por todo o compasso.

Clique e arraste com o lápis.

5. Agora apague todas as outras notas “hi-hat” (chimbau) do compasso 2 ao 8 utilizando qualquer

50

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

As linhas de controle — Controller Lane

A as “linhas de controle” permitem acrescentar ou alterar dados MIDI de “Velocity” informações de controle (control Change). O mais comum é editar “Velocity”, “Pitch Bend” (alavanca que muda a afinação) e números de controle (control change) alterando a programação de parâme- tros do som, como filtro, etc.

Se você achar que a intensidade (velocidade) está alta ou baixa em alguma nota, você poderá alterar a intensidade da nota na parte de baixo do Key Editor, nas linhas que inidicam a intensidade de cada nota.

  • 1. Para visualizar as linhas de controle clique sobre o botão “Controller Lane Preset”. abaixo à esquerda do Key Editor.

  • 4. Selecione “Setup” para visualizar mais controles.

As linhas de controle — Controller Lane A as “linhas de controle” permitem acrescentar ou alterar
As linhas de controle — Controller Lane A as “linhas de controle” permitem acrescentar ou alterar
  • 2. Selecione “Velocity Only” para visualizar apenas a intensidade das notas, ou seja apenas a informação “Velocity”.

  • 3. Você pode indicar outras informações MIDI quando desejar alterar outros itens, usando este menu pop-up.

  • 5. Utilize a ferramenta “Pencil” (Lápis) do Key Editor para desenhar sobre as linhas de velocity das notas. Você pode traçar curvas ou retas inclinadas.

As linhas de controle — Controller Lane A as “linhas de controle” permitem acrescentar ou alterar

51

Tutorial 3: Gravação e edição de MIDI

7

Tutorial 4: Trabalhando com loops

52

Tutorial 4: Trabalhando com loops

O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser

O Loop Browser” permite que se tenha acesso a todos os loops em uma única janela. Você pode procurar arquivos de áudio, usar etiquetas (tags) para organizar, ouvir o áudio no andamento do projeto aberto e muito mais.

Abra o projeto “Loops” que está na pasta “Tutorial 4”.

Acrescentando loops

  • 1. Selecione “Open Loop Browser” no menu “Media”.

Procure os sons aqui.

O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser O Loop Browser” permite que se tenha acesso

Seus loops.

O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser O Loop Browser” permite que se tenha acesso

Escute os loops.

  • 2. O Navegador de Loops escaneia seus discos rígidos procurando arquivos de loop, e os mostra na seção “Viewer”.

  • 3. Indique o arquivo na seção “Viewer” para ver a forma de onda na seção “Scope”.

O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser O Loop Browser” permite que se tenha acesso
  • 4. Clique no botão “Start” para ouvir o loop. A opção “Play in Project Context” permite que se ouça o loop no andamento do projeto, o que é útil quando o loop que se está ouvindo

tem um andamento diferente do que se está utilizando no projeto.

Controles de

reprodução.

Auto play- Selecione o loop, e o loop é tocado

O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser O Loop Browser” permite que se tenha acesso
O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser O Loop Browser” permite que se tenha acesso

Reprodução no contexto do projeto

  • 5. Se tiver vários loops, pode-se procurá-los utilizando a opção de filtro que fica no topo da seção Viewer.

O Navegador para arquivos em “Loop”— Loop Browser O Loop Browser” permite que se tenha acesso
  • 6. Uma vez encontrado o loop desejado, arraste-o para dentro do projeto. Se você não criou um track de áudio para o loop, o track será criado automaticamente.

Arraste do “Loop Browser” para o pro- jeto.
Arraste
do “Loop
Browser”
para o pro-
jeto.
  • 7. Renomeie o novo track para “Loop 1”.

53

Tutorial 4: Trabalhando com loops

Fazendo cópias

Depois de colocar o loop no projeto, faça cópias do mesmo, com a função “Repeat”.

  • 1. Clique no evento loop da janela do projeto para selecioná-lo.

  • 2. Selecione “Repeat” no menu Edit.

  • 3. Na tela aberta, altere o campo “Count” para “13”.

  • 4. Clique em “OK”. O loop será copiado 13 vezes, e as repetições serão colocadas uma após a outra.

Fazendo cópias Depois de colocar o loop no projeto, faça cópias do mesmo, com a função

Incluindo no Projeto

Agora vamos acrescentar mais loops. Desta vez vamos usar o comando “Insert into Project”.

  • 1. Crie um novo track estéreo.

  • 2. Renomeie o track para “Loop 2” e selecione-a. O comando “Insert into Project” trabalha utilizando o track selecionado.

  • 3. Posicione o cursor aonde você gostaria de inserí-lo. Em nosso caso, selecione o compasso 9.

  • 4. No “Loop Browser” clique com o botão direito do mouse no loop e selecione “Insert into Project at Cursor”. Isto irá posicionar o loop na janela do Projeto no compasso 9, no track “Loop 2”.

Fazendo cópias Depois de colocar o loop no projeto, faça cópias do mesmo, com a função
  • 5. Utilize o comando “Repeat” para repetir o loop até o final do projeto.

Leia o capítulo “Loop Browser” no capítulo “MediaBay” do Manual de Operações.

54

Tutorial 4: Trabalhando com loops

8

Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos

55

Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos

Introdução

Neste tutorial vamos mostrar como configurar equipamen- tos MIDI externos, e como gravar usando estes equipamen- tos dentro do Nuendo. Quando um teclado toca os dados MIDI que estão do Nuendo, você precisa gravar o som (áudio) produzido pelo teclado em um track de áudio do Nuendo para que este som possa ser processado e esteja na mixagem final. Usando as ferramentas corretas, este pro- cesso fica mais fácil.

Para usar um instrumento MIDI externo conectado ao Nuendo, você deve conectar a saída de áudio do teclado MIDI na entrada de áudio da placa de som do computador, de forma que o Nuendo possa monitorar e gravar o sinal do teclado.

Configuração de equipamentos MIDI

Em primeiro lugar, vamos configurar os equipamentos MIDI que serão conectados ao computador. Observe que cada configuração tem suas particularidades, e você deve con- sultar o Manual de Operações de cada equipamento para ter toda informação necessária. Este tutorial mostra a con- figuração básica com a interface “Steinberg MI4” usando o teclado MIDI “Kurzweil K2000”.

Abra o projeto “External MIDI 1” que está na pasta “Tutorial 5”.

  • 1. Abra a janela “MIDI Device Manager” a partir do menu “Devices”.

  • 2. Clique sobre o botão “Install Device”, e acrescente o “K2000”. Selecione-o na lista e clique em “OK”. Se você estiver com outro teclado que não o “Kurzweil K2000” indique o seu teclado nesta lista.

Introdução Neste tutorial vamos mostrar como configurar equipamen- tos MIDI externos, e como gravar usando estes
  • 3. Você pode adicionar a saída MIDI para o “K2000”. Indique o “K2000 na menu pop-up “Output”. Isto será útil mais tarde!

Introdução Neste tutorial vamos mostrar como configurar equipamen- tos MIDI externos, e como gravar usando estes
  • 4. Feche a janela “MIDI Device Manager” ao terminar.

Em “MIDI Devices” você tem toda informação necessária para selecionar os “patches” do equipamento MIDI em uso. Se seu equipamentos estiver na lista, use esta indicação. Se não estiver, você pode selecionar “Define New…” para criá-lo. Leia o arquivo pdf “MIDI Devices” para informações detalhadas.

ajuste de conexões VST para instrumentos externos — VST Connections

Depois de configurar os equipamentos MIDI, vamos confi- gurar as entradas, de forma a conectarmos a saída de áudio de nosso teclado, na entrada de áudio do Steinberg MI4. O uso de instrumento externa significa que o instrumento

MIDI é usado para tocar o som, que é reproduzido através do Nuendo.

Abra o projeto “External MIDI 2” que está na pasta “Tutorial 5”.

  • 1. No menu “Devices”, selecione “VST Connections”. O atalho de teclado padrão para isto é [F4].

  • 2. Abra a etiqueta “External Instruments”.

  • 3. Clique no botão “Add External Instrument” e digite “K2000” no campo “Name”. Se você possui uma configuração diferente da utilizada neste tutorial, selecione o nome do seu equipamento.

  • 4. Queremos que o áudio do K2000 seja estéreo. Por isso, vamos plugar cabos de áudio na saída do K2000 levando o sinal até a entrada do MI4. Já que o MI4 possui 4 entradas vamos usar as entradas “Line In” 3 e 4. Indique “1” para “Stereo Return (s)” já que o K2000 possui saídas direita e esquerda.

56

Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos

  • 5. Criamos um dispositivo MIDI antes, então clique em “Associate MIDI Device” e selecione “K2000”.

5. Criamos um dispositivo MIDI antes, então clique em “Associate MIDI Device” e selecione “K2000”. 6.
  • 6. Clique em “OK” para fechar a tela.

  • 7. Certifique-se de ter regulado corretamente as entradas e saídas para o novo bus do instrumento externo na coluna “Device Port”.

Para criar um novo equipamento MIDI (se o seu não esti- ver na lista), selecione “Create Device”.

Nosso bus de instrumento externo deve ficar assim:

5. Criamos um dispositivo MIDI antes, então clique em “Associate MIDI Device” e selecione “K2000”. 6.
  • 8. Feche a janela de “VST Connections” e selecione o track “Loop 2”. Vamos criar um novo track. Selecionando o track “Loop 2”, para que o track seja criado abaixo de “Loop 2”.

5. Criamos um dispositivo MIDI antes, então clique em “Associate MIDI Device” e selecione “K2000”. 6.
  • 9. Abra o menu “Project” e, no sub-menu “Add Track”, selecione “Instrument”.

    • 10. Na janela “Add Instrument Track”, indique o instrumento externo que criamos, o “K2000”. No campo “Count” indique “1”.

5. Criamos um dispositivo MIDI antes, então clique em “Associate MIDI Device” e selecione “K2000”. 6.
  • 11. Clique em “OK” para fechar a tela.

Na próxima seção vamos monitorar o instrumento

externo. E vamos escolher o som, e gravar o sinal MIDI.

Monitorando instrumentos MIDI externos

Abra o projeto “External MIDI 3” que está na pasta “Tutorial 5”.

  • 1. Ative os botões “Record Enable” e “Monitor” no track “K2000”.

  • 2. Toque algumas notas no teclado do K2000. Você verá os indicadores MIDI do painel “Transport” acenderem e vai ouvir som do K2000 reproduzindo através do Nuendo. Se estiver usando outro teclado você deve ter indicado o teclado na janela “MIDI Device Manager”. Toque o teclado que estiver usando.

Áudio do K2000 tocando pelo Nuendo

Indicação de MIDI IN e MIDI OUT
Indicação de MIDI IN e MIDI OUT
  • 3. Vamos renomear o track “K2000” para “Piano” porque vamos gravar um piano neste track. Isto não altera o nome do instrumento externo na janela “VST Connections”, apenas o nome apresentado na janela do projeto.

  • 4. Lembre-se que foi criado um nome para o aparelho MIDI na janela “MIDI Device Manager.” Os equipamentos MIDI desta janela tem as informações sobre nomes dos “patchs” de cada equipamento, A escolha de bancos de timbres e outras informações. Isto permite que tenhamos a nossa disposição todos os nomes de programas para o K2000. Clique no botão “Programs” do Inspector, e selecione o som do piano “Stereo Grand”. Se seu equipamento MIDI

57

Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos

for diferente do mostrado neste tutorial, indique um som de piano do seu equipamento.

for diferente do mostrado neste tutorial, indique um som de piano do seu equipamento. Agora podemos

Agora podemos monitorar e reproduzir usando o instru- mento externo. Você pode acrescentar efeitos e EQ (equali- zações) no som do instrumento externo, como se fosse um instrumento virtual, ou um track de áudio. Faremos isto no próximo tutorial. Por enquanto vamos gravar o sinal MIDI.

Gravação MIDI e instrumentos externos

Abra o projeto “External MIDI 4” que está na pasta “Tutorial 5”.

Vamos gravar o sinal MIDI em nosso track do instrumento.

  • 1. Ligue os botões “Record Enable” e “Monitor” no track “Piano” (se ainda não estiverem ligados).

for diferente do mostrado neste tutorial, indique um som de piano do seu equipamento. Agora podemos
  • 2. Se os níveis de sinal estiverem baixos, clique no botão “Edit Instrument” e mova o slider “Return Gain” para que aumentar o som do instrumento externo.

for diferente do mostrado neste tutorial, indique um som de piano do seu equipamento. Agora podemos
  • 3. Clique no botão “Record” do painel de transporte, e grave a linha do piano.

  • 4. Clique em “Stop” quando terminar.

for diferente do mostrado neste tutorial, indique um som de piano do seu equipamento. Agora podemos
  • 5. Desligue os botões “Record Enable” e “Monitor” do track Piano para não escutar a entrada de sinal e para não gravar.

No próximo tutorial, vamos estudar mixagem, EQs, efeitos, automação e exportação.

Carregue o projeto “External MIDI 5” que está na pasta “Tutorial 5” para escutar as alterações que fizemos até aqui.

58

Tutorial 5: Instrumentos MIDI externos

9

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

59

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

Introdução

Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim teremos uma mixagem com ajuste de volumes, equalizações e efeitos. Acrescentaremos automação e depois vamos exportar o áudio.

Abra o projeto “Mixing 1” que está na pasta “Tutorial 6”.

Ajuste de volumes

Vamos ajustar os volumes sonoros nos tracks do nosso pro- jeto. Vamos ajustar o equilíbrio (balanço) preliminar da mixagem, para depois fazer a equalização e aplicar efeitos.

  • 1. Selecione “Mixer” no menu “Devices”. O atalho é [F3].

  • 2. Esconda os canais de entrada (não vamos mais utilizá-los), clicando sobre o botão “Hide Input Channels” no painel à esquerda do Mixer.

Introdução Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim
  • 3. Clique no botão “Start” do painel de transporte, e ouça a mixagem.

  • 4. Mova os faders de cada track, de forma a ouvir toda a mixagem para equilibrar o volume entre os tracks.

Introdução Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim
  • 5. Se quiser voltar os faders novamente em 0dB (configuração padrão), você pode clicar em [Ctrl]/[Command] diretamente na área do fader.

Fader do canal

Introdução Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim
Introdução Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim

Medidor do canal

Introdução Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim

Medidor de pico de sinal

Volume no canal

  • 6. Você pode alterar o ajuste dando um duplo clique sobre a área “Channel Level”, e digitando o valor.

  • 7. Cuidado ao fazer o ajuste de volume com os faders. Certifique-se de que estejam em no maior volume que não ultrapasse o limite de segurança. Para saber se o limite foi ultrapassado (clip), verifique se o indicador luminoso de “CLIP” dos canais de saída acendem. Se os indicadores “CLIP” acenderem, diminua os volumes e clique sobre o indicador “CLIP” para que apague.

Introdução Nesta seção vamos usar o que foi visto nos últimos tutori- ais, e no fim

60

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

Ajuste de “pan”

Abra o projeto “Mixing 2” que está na pasta “Tutorial 6”.

1.

Ao ajustar o “pan” (panorâmica) de cada track, você desloca a posição do som da no estéreo. Com isto se distribui o som dos tracks entre os auto-falantes esquerdo e da direito, O som pode ficar no meio, ser deslocado para a esquerda ou para a direita, ou ficar completamente de um ou outro lado.

Ao ajustar o “pan” (panorâmica) de cada track, você desloca a posição do som da no
Ao ajustar o “pan” (panorâmica) de cada track, você desloca a posição do som da no

Botão de ajuste, e indicação do valor

ajustado na pano- râmica, ou “Pan”

2.

Clicando com o botão direito sobre o ajuste “Pan” de uma track, e serão apresentadas três opções de pan. A diferença entre as opções de pan estão detalhadas no capítulo “O Mixer” do Manual de Operações.

Clique com o botão direito na área do pan para abrir o menu pop-up.

Abra o projeto “Mixing 2” que está na pasta “Tutorial 6”. 1. Ao ajustar o “pan”

Para voltar o Pan para o meio (posição inicial padrão), faça um clique usando [Ctrl]/[Command] estando em qualquer posição dentro da área do pan, no display.

3.

Ajuste o pan das guitarras, uma um levemente para a direita, e outro levemente para a esquerda para aumentar a amplitude do som.

Ajuste de “pan” Abra o projeto “Mixing 2” que está na pasta “Tutorial 6”. 1. Ao
  • 4. Deixe o track de “Drums” no meio, e mova o “Loop 1” um pouco à esquerda e “Loop 2” um pouco à direita, para que a seção de ritmo tenha um som mais amplo, com mais espaço.

Ajuste de “pan” Abra o projeto “Mixing 2” que está na pasta “Tutorial 6”. 1. Ao

Mute e solo

Abra o projeto “Mixing 3” que está na pasta “Tutorial 6”.

Para cada track há um botão “M” para desligar o som (mute) e um botão “S” para solar o som (solo). O “Mute” fará com que não se ouça o track, e solo faz com que reproduzir apenas os tracks com o “S” selecionado toquem na reprodução.

Mudo
Mudo

Mudo

Solo

Você pode ter diversos tracks em “Mute” ou em “Solo” ao mesmo tempo.

Ao colocar um track como solo, as que não estiverem marcadas com solo ficarão “mudas.”

Para desativar todos os “Mute” ou “Solo:, clique nos botões de ativar/desativar todos os “Mute” ou “Desativar todos os “Solo” no painel a esquerda do Mixer.

Ativar/desativar todos os Mute Ativa/desativar todos os Solo
Ativar/desativar
todos os Mute
Ativa/desativar
todos os Solo

Se quiser que um track toque todo o tempo, mesmo quando se usa “Solo” em outro track. Pressione [Alt] / [Option], e clique o botão “S”, isto coloca o track no modo

61

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

“Solo Defeat”. Com isto, o track todo o tempo, mesmo que outro track esteja com “Solo” ativo.

Para tirar um track do modo “Solo Defeat”, pressione [Alt] / [Option], e clique sobre “S” novamente.

Uso da equalização EQ

Carregue o projeto “Mixing 4” que está na pasta “Tutorial

6”.

Com o uso da EQ ou “equalização” você amplifica ou ate- nua as freqüências de forma a destacar os diversos instru- mento na mixagem. O ajuste de equalização (EQ) é subjetivo e varia com o estilo da música que se está mixando.

Vamos conhecer os recursos de EQ do Nuendo para que você possa testar e experimentar todos os recursos.

  • 1. Deixe o track “Drum” em Solo e clique no botão “Edit Instruments Channel Settings”.

“Solo Defeat”. Com isto, o track todo o tempo, mesmo que outro track esteja com “Solo”
  • 2. Isto vai abrir a janela de configuração de canais, onde você pode ajustar a equalização (EQ). Deixe um trecho da música em loop, para poder escutar as alterações de EQ que estiver fazendo.

Você tem quatro faixas de EQ em cada track.

  • 3. Clique no botão “EQ Band Active” para cada um dos EQs que quiser usar. Você pode também clicar em qualquer parte da curva de EQ para ativar a equalização.

“Solo Defeat”. Com isto, o track todo o tempo, mesmo que outro track esteja com “Solo”

Quatro bandas de equalização (segunda ligada)

  • 4. Clique e mova o ponto de EQ para cima, para baixo, para a direita, ou para a esquerda. Movendo o ponto de EQ para cima ou para baixo, você amplia ou reduz o ganho de cada faixa de EQ. O ganho faz com que aquela faixa de EQ em particular fique mais alta ou mais baixa. O “EQ Band Gain” abaixo da janela de EQ indica numericamente o valor do ganho. Ao pressionar [Ctrl]/[Command], você pode restringir o movimento do EQ apenas para cima ou para baixo, para que não se mova lateralmente.

O ajuste é indicado visualmente e nume- ricamente.
O ajuste é indicado
visualmente e nume-
ricamente.

62

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

  • 5. Movendo o ponto para a direita ou para a esquerda o ajuste da equalização muda de freqüência. Veja a indicação “EQ Band Freq”, na parte de baixo da janela de EQ, que indica freqüência que está sendo ajustada. Ao manter pressionadas as teclas [Alt]/[Option], você pode restringir o movimento de EQ apenas para direita/ esquerda para não mudar o ajuste de altura.

5. Movendo o ponto para a direita ou para a esquerda o ajuste da equalização muda
  • 6. Mantendo pressionada a tecla [Shift] enquanto move-se o ponto de EQ para cima ou para baixo, muda-se largura da banda de EQ. Muitos referem-se a isto como o “largura de EQ”. O valor do ajuste “EQ Band Q” é indicada na parte de baixo da janela EQ.

5. Movendo o ponto para a direita ou para a esquerda o ajuste da equalização muda

Movimente o ponto para cima e para baixo enquanto segura o “Shift”.

O valor do ajuste é indicado numericamente na parte inferior do qua- dro.

  • 7. O botão “Preset Management” permite que se chame ou guarde as regulagens. Selecione na lista algum ajuste de som próximo do que você deseja, e faça um ajuste mais preciso depois. Você pode gravar seus ajustes depois de fazer uma nova regulagem.

5. Movendo o ponto para a direita ou para a esquerda o ajuste da equalização muda
  • 8. Você pode desativar o EQ clicando no botão “Bypass Equalizers”. Ao clicar em [Alt]/[Option], você liga o EQ. Uma janela de confirmação se abrirá para que você confirme a ativação de EQ. Para confirmar clique em “Eis.

5. Movendo o ponto para a direita ou para a esquerda o ajuste da equalização muda

Experimente com as EQs de todos os tracks deste tutorial. Uma boa dica: ao se usar EQ, é sempre melhor tirar EQ (diminuindo o ganho) do que aumentar.

Fizemos diversas alterações em EQs neste tutorial. Ouça e veja estas alterações carregando o projeto “Mixing 5" que está na pasta “Tutorial 6".

63

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

Efeitos de Áudio

Abra o projeto “Mixing 6” que está na pasta “Tutorial 6”.

Agora vamos usar os efeitos. Podemos inserir o efeito dire- tamente no track, ou podemos criar um canal FX e usar canais auxiliares (Aux) para envio das diversas track para um canal de efeitos (FX).

Efeitos de inserção — Insert

  • 1. Certifique-se de que o Mixer esteja aberto. Você pode abrir o Mixer usando o menu “Devices”, ou pressionando [F3].

  • 2. Comece a tocar a música, e faça um loop (um “Cycle”) em uma seção da música para ouvir todos os tracks. O projeto tutorial já possui os localizadores e ciclos ajustados para isto. Mas você pode alterar estes ajustes.

  • 3. Clique no botão “Edit Audio Channels Settings” no track do contrabaixo *Bass) para abrir a janela de configuração dos canais de Audio VST.

Efeitos de Áudio Abra o projeto “Mixing 6” que está na pasta “Tutorial 6”. Agora vamos
  • 4. Vamos usar o efeito de compressão no track do contrabaixo (“Bass”) para que o som fique mais suave. Clique na caixa “Select Insert Type 1" - e no sub menu “Dynamics” indique “Compressor”.

Efeitos de Áudio Abra o projeto “Mixing 6” que está na pasta “Tutorial 6”. Agora vamos

Canais FX

Vamos mostrar como criar e usar canais de efeito, FX.

  • 1. Feche o Mixer e selecione “Channel FX” no sub-menu “Add Track” do menu Project.

Efeitos de Áudio Abra o projeto “Mixing 6” que está na pasta “Tutorial 6”. Agora vamos
  • 2. Selecione “Stereo” em “Configuration”, depois selecione o efeito “StereoDelay” e clique em OK.

  • 3. Vamos colocar um delay (eco) no track “Elec Guitar”. Vamos configurar o delay de forma que o som do lado direito tenha um atraso diferente em relação ao lado esquerdo. Certifique-se de que o “Mix” este regulado para “100.0”. Com esta diferença você percebe o delay estéreo nos dois lados do estéreo, criando um efeito dinâmicos.

Efeitos de Áudio Abra o projeto “Mixing 6” que está na pasta “Tutorial 6”. Agora vamos
  • 4. Com o delay ajustado, clique no botão “Edit Channel Settings” no track “Elec Guitar”.

Efeitos de Áudio Abra o projeto “Mixing 6” que está na pasta “Tutorial 6”. Agora vamos
  • 5. Ajuste a compressão. Ao final desta seção, carregue o próximo tutorial, para ver as alterações que fizemos.

64

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

  • 5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”.

5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”. 6. Clique no botão “Activate Send
  • 6. Clique no botão “Activate Send 1" para iniciar o envio do sinal de áudio para o canal de efeito. Isto permitirá que você mande o sinal da guitarra para o efeito “StereoDelay”.

5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”. 6. Clique no botão “Activate Send
  • 7. Mova o cursor para a direita para aumentar o volume do sinal mandado ao efeito “StereoDelay”. Você irá começar a ouvir a guitarra com o eco. Clicando no botão “S” (solo) do track, para ouvir claramente.

5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”. 6. Clique no botão “Activate Send
  • 8. O Canal FX parece muito com o canal de áudio regular. Ao ajustar o EQ do canal FX, apenas o som do efeito é afetado pelo EQ. Em nosso caso, alterando o EQ no canal FX “FX 1 - StereoDelay” você muda a equalização do som do efeito delay, mas não altera o som original da guitarra.

5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”. 6. Clique no botão “Activate Send

Sobre a automação

A Automação permite mover faders e botões automatica- mente. Isto é útil, já que o Nuendo pode ser ajustado com as alterações ao longo do tempo, e estas alterações são lembradas, e repetidas novamente a cada reprodução sem que precisemos intervir.

Abra o projeto “Mixing 7" que está na pasta “Tutorial 6".

  • 1. Nós já criamos um “fade in” no track “Elec Guitar”. Vamos remover o “fade” deste evento de áudio e criar o mesmo efeito usando a automação. Dê um zoom para que você veja o primeiro evento de áudio claramente.

5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”. 6. Clique no botão “Activate Send
  • 2. Selecione o evento e indique “Remove Fades” no menu “Audio”.

  • 3. Clique no botão “Show/Hide Automation” no ponto mais para a esquerda do track.

Você deve manter o mouse sobre a área do botão mais a esquerda até que o botão apareça, o botão só é mostrado quando você precisa dele.

5. Indique “FX 1-StereoDelay” no menu pop-up “Select Send Destination”. 6. Clique no botão “Activate Send
  • 4. Selecione a ferramenta “Pencil” (lápis).

65

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

  • 5. No espaço do “sub-track” que aparece abaixo do evento de áudio, utilize a ferramenta “Draw” para desenhar a automação, para que fique como um “fade in”.

5. No espaço do “sub-track” que aparece abaixo do evento de áudio, utilize a ferramenta “Draw”
  • 6. Você pode usar a ferramenta “Line” para desenhar na automação em linha reta. Isto é perfeito para uma automação “fade in”.

5. No espaço do “sub-track” que aparece abaixo do evento de áudio, utilize a ferramenta “Draw”
  • 7. Ouça a automação “fade in” resultante.

Você deve ter notado que ao usar a ferramenta Lápis na automação, o botão “R” (Real - habilitar leitura) do track fica em destaque. Isto significa que a automação deste track está sendo lida e reproduzida. Você pode desligar este botão, e a automação não será lida. No nosso caso, fizemos automação relacionada ao volume, de forma que desligando a automação do volume, o “fade in” não é realizado e o volume permanece no mesmo nível.

5. No espaço do “sub-track” que aparece abaixo do evento de áudio, utilize a ferramenta “Draw”

Há muitos exemplos de automação. Poderíamos ter auto- matizado nossos efeitos, ou a mandada para efeitos (Send). Podermos fazer a automação enquanto o Nuendo estivesse reproduzindo a música. A automação pode ser colocada no

modo de escrita, de forma que movendo os controles, você cria automações que podem ser editadas depois.

Leia o capítulo “Automação” do Manual de Operações, e veja o quanto se pode fazer com a automação.

Exportação de arquivo de áudio

Agora que temos nosso projeto mixado, vamos exportá-lo para depois importá-lo em outro programa, como por exemplo, um programa de gravação de CDs, como o “Wave- Lab”.

Carregue o projeto “Mixing 8” que está na pasta “Tutorial

6”.

Antes de exportar uma mixagem, vamos dizer ao Nuendo quantos compassos devem ser exportados. Isto pode ser feito posicionando os localizadores (Locators).

  • 1. Regule o “Locator” esquerdo no compasso 1, e o direito no compasso 65 na barra de transporte. Isto garante a exportação de toda a música.

5. No espaço do “sub-track” que aparece abaixo do evento de áudio, utilize a ferramenta “Draw”
  • 2. No sub-menu “File - Export”, indique a opção “Audio Mix- down…”.

  • 3. O diálogo “Export Audio Mixdown” abre. Esta tela está descrita em detalhes no capítulo “Exportação da mixagem de áudio” do “Manual de Operações”.

5. No espaço do “sub-track” que aparece abaixo do evento de áudio, utilize a ferramenta “Draw”

66

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

  • 4. O campo “File Name” permite que você escreva o nome do arquivo a ser criado na exportação. Vamos dar o nome “Mixing Mixdown”.

  • 5. O campo “Patch” permite escolher onde o arquivo a ser exportado será gravado no computador. Use o botão “Choose” para navegar até a pasta desejada. Por conveniência existe a opção “Use Project Audio Folder”, para gravar o arquivo exportado na pasta de áudio do projeto. Este é um dos melhores lugares a se guardar este arquivo, para ter menos risco deste arquivo ser apagado ou perdido. Nesta exportação, marque a opção “Use Project Audio Folder”.

  • 6. Você pode salvar o arquivo exportado em vários formatos e você pode escolher, por exemplo, o formato “Wave File” (“File Format”). Esta escolha vai depender do formato de arquivo usado em outras aplicações (por exemplo, o programa que grava CDs de áudio).

  • 7. Você pode escolher se deseja exportar as saídas estéreo (“Stereo Out”). Com isto, o arquivo exportado será gerado sobre a saída estéreo principal, usada no Mixer. Você pode também indicar saídas (outputs) individuais de cada canal de áudio. Neste caso, vamos indicar a opção “Stereo Out (Stereo)”.

4. O campo “File Name” permite que você escreva o nome do arquivo a ser criado
  • 8. Indique as opções desejadas em “Sample Rate” e “Bit Depth” obrigatórios para nossa exportação. Use as opções 44.100 kHz e 16 bit se quiser gerar um CD de áudio.

  • 9. Ative as três opções na parte de baixo da tela, para que o arquivo de áudio criado seja importado de volta para o Nuendo depois da exportação. O Nuendo automaticamente criará um track do áudio para este arquivo.

A janela “Export Audio Mixdown” se fechará após a exportação.

Recurso importante - “exportação em tempo real”!

10. Antes de terminar, há um recurso importante que devemos selecionar. É a exportação em tempo real, “Real-Time Export”. Quando termos um instrumento MIDI externo sendo usado o áudio deste teclado entra nos canais do Nuendo, e precisamos que a mixagem, ou “mixdown” aconteça em tempo real. Com o isso o som gerado a partir dos dados MIDI são enviado para o instrumento MIDI externo, o som é produzido e este som é então gravado. Não esqueça deste passo se estiver usando geradores de som MIDI externos.

4. O campo “File Name” permite que você escreva o nome do arquivo a ser criado

67

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

11.

Depois de fazer os ajustes, clique no botão “Export”.

11. Depois de fazer os ajustes, clique no botão “Export”. 12. Você verá a mixagem estéreo
  • 12. Você verá a mixagem estéreo exportada aparecer em um novo track estéreo.

11. Depois de fazer os ajustes, clique no botão “Export”. 12. Você verá a mixagem estéreo
  • 13. Você pode ouvir a a mixagem e avaliar o som da mesma, deixando este track no modo “solo”.

Abra o projeto “Mixing 9” que está na pasta “Tutorial 6” para ver os resultados desta exportação.

68

Tutorial 6: Mixagem e efeitos

10

Tutorial 7: Produção surround

69

Tutorial 7: Produção surround

Busses surround

É fácil usar som surround no Nuendo. O Surround é uma extensão do que já aprendemos - basta acrescenta mais alguns canais. Vamos configurar nossas entradas e saídas para o surround.

Para o uso completo do som surround de seu computador, você precisa de uma placa de áudio que tenha 6 ou mais entradas e saídas (Inputs e Outputs). Se sua placa de áudio tiver apenas de 2 a 5 entradas ou saídas, algumas seções deste tutorial não poderão ser aplicados à sua configura- ção.

Para aprender mais sobre surround, consulte o capítulo “Som Surround” do Manual de Operações.

Abra o projeto “Surround 1” que está na pasta “Tutorial

7".

Configuração das saídas surround

  • 1. Vá ao menu “Devices” e selecione “VST Connections”. O atalho para isto é [F4].

  • 2. Selecione primeiro a etiqueta “Output”. Vamos iniciar do zero, e remover tudo que já esteja nesta lista, como se estivesse configurada de forma incorreta. Se houver algo na coluna “BusName”, dê um clique com o botão direito do mouse, e indique a opção “Remove Bus”.

Busses surround É fácil usar som surround no Nuendo. O Surround é uma extensão do que
  • 3. Clique no botão “Add Bus”. Indique “5.1” em “Configuration”, e “1” em “Count”, e clique em “OK”.

Isto cria um bus de som surround 5.1 (Esquerdo, Direito, Central, LFE, Sur- round Esquerdo e Surround Direito) para que o Nuendo possa fazer o rote- amento dos canais de áudio para a placa de áudio.

  • 4. Clique na coluna “Device Port” para os canais do bus e indique as saídas desejadas (Outputs que estão conectados nas caixas de som) a partir da listagem apresentada.

O surround 5.1 requer 6 caixas de som (6 saídas individuais). Certifique-se de selecionar 6 saídas diferentes na coluna Device Port.

Busses surround É fácil usar som surround no Nuendo. O Surround é uma extensão do que

Configuração das entradas surround

Agora vamos abrir a etiqueta “Input”, e configurar as entradas que vamos usar para gravar o som surround no Nuendo.

  • 1. Siga os passos do procedimento de configuração de saídas (outputs). Clique com o botão do lado direito e selecione “Remove Bus”.

  • 2. Depois clique no botão “Add Bus”. Indique a opção “5.1” em “Configuration”, e “1” em “Count”, e clique em “OK”. Isto cria um novo bus de som surround 5.1 (Esquerdo, Direito, Central, LFE, Surround Esquerdo e Surround Direito), para que se grave a áudio no Nuendo para o formato surround
    5.1.

  • 3. Clique na coluna “Device Port” nos canais do bus, e indique as entradas desejadas da placa de áudio a partir da listagem apresentada. Como o surround 5.1 requer 6 entradas individuais, certifique-se de selecionar 6 entradas independentes na coluna “Device Port”.

Busses surround É fácil usar som surround no Nuendo. O Surround é uma extensão do que

70

Tutorial 7: Produção surround

2.

Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration”, e “6” em “Count”. e clique em “OK”.

Gravando no bus de entrada 5.1

Um bus 5.1 permite que você grave o surround em um arquivo de áudio múlti-canal em um track de áudio. Isto é conveniente e mantém os arquivos alinhados e não saem

de fase. Abaixo, temos um exemplo de gravação com bus

5.1. Gravando com 6 busses de entrada mono Você pode criar busses mono separados para as
5.1.
Gravando com 6 busses de entrada mono
Você pode criar busses mono separados para as entradas
5.1.
Isto dá flexibilidade em termos de roteamento, EQ,

efeitos, etc. Abaixo, um exemplo de uma gravação com 6 busses monos independentes.

2. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration”, e “6” em “Count”. e clique

Vamos mostrar como gravar em som surround utilizando busses monos independentes.

  • 1. Clique no botão direito em seu bus “5.1 in”, e selecione “Remove Bus”.

2. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration”, e “6” em “Count”. e clique

Isto irá acrescentar 6 busses mono independentes, que iremos configurar como nossa entrada (Input) surround.

2. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration”, e “6” em “Count”. e clique
  • 3. Clique na coluna “Device Port” de busses, e selecione as estradas desejadas de sua placa de áudio, na listagem que é apresentada.

O surround 5.1 precisa de 6 entradas individuais. Indique 6 entradas (inputs) independentes na coluna “Device Port”.

2. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration”, e “6” em “Count”. e clique
  • 4. Renomeie as entradas como “Left” (esquerda), “Right” (direita), “Center” (centro), “LFE” (subwoofer), “Left Surround” (surround esquerdo) e “Right Surround” (surround direito).

2. Clique no botão “Add Bus”. Selecione “Mono” em “Configuration”, e “6” em “Count”. e clique

Isto completa o ajuste da janela “VST Connections”. Agora você está pode configurar os tracks.

71

Tutorial 7: Produção surround

Ajuste da mixagem surround

Depois de indicar as entradas e saídas (Inputs e Outputs) na janela “VST Connections”, precisamos indicar os tracks do Nuendo escrevendo os nomes para entradas e as indicando as saídas de áudio correspondentes na placa de áudio.

Abra o projeto “Surround 2” que está na pasta “Tutorial

7”.

Ajuste de entradas dos tracks (Inputs)

  • 1. Feche a janela “VST Connections” e crie 6 tracks de áudio mono.

Ajuste da mixagem surround Depois de indicar as entradas e saídas (Inputs e Outputs) na janela
  • 2. Renomeie os tracks com os nomes “Left” (esquerda), “Right” (direita), “Center” (centro), “LFE” (subwoofer), “Left Surround” (surround esquerdo) e “Right Surround” (surround direito).

Lembre-se de nomear seus tracks antes de gravar. Isto fará com que seus arquivos de áudio tenham os nomes apropriados como “Left Surround_01” e “LFE_01” ao invés de “Audio 07_09” o que é muito confuso.

Ajuste da mixagem surround Depois de indicar as entradas e saídas (Inputs e Outputs) na janela
  • 3. Vamos ligar cada track a entrada correta. Ligue o track de nome “Left” à entrada “Left”, através do menu pop-up “Input Routing”, em todos os tracks.

Ajuste da mixagem surround Depois de indicar as entradas e saídas (Inputs e Outputs) na janela

Passo2: Abra o menu pop-up “Input Routing” escolha o input de cada track.

Até aqui, já fizemos diversas alterações no nosso track.

Abra o projeto “Surround 3” que está na pasta “Tutorial 7” para ver como deve estar seu projeto.

72

Tutorial 7: Produção surround

Indicando as saídas de cada track (Output)

Abra o projeto “Surround 3” que está na pasta “Tutorial

7”.

  • 1. Abra o menu pop-up “Output Routing” (roteamento de saída) para cada uma dos tracks e indique as saídas correspondentes. Track “Left” com a saída “Left”, Track “Right” com a saída “Right”, e assim por diante, em todos os tracks.

Passo 1: Escolha o track.

Indicando as saídas de cada track (Output) Abra o projeto “Surround 3” que está na pasta

Passo 2: Abra o menu pop-up e indique o output do track

Como alternativa, você pode selecionar a saída (Output) “5.1” para cada um dos tracks.

Indicando as saídas de cada track (Output) Abra o projeto “Surround 3” que está na pasta

Neste caso você terá um “pan surround” para cada track.

Indicando as saídas de cada track (Output) Abra o projeto “Surround 3” que está na pasta

Para detalhes e informações sobre o “pan surround”, veja o capítulo “Som Surround” do Manual de Operações.

Agora temos todas as entradas e saídas indicadas. Na pró- xima seção, faremos a gravação usando o surround.

73

Tutorial 7: Produção surround

Gravação surround

Estamos prontos para gravarmos em surround. Vamos gra- var 6 canais ao mesmo tempo. Estes canais estão endereça- dos para a saída 5.1. Isto foi ajustado na janela “VST Configuration”. Temos 6 entradas mono (Inputs). Também poderíamos usar um track 5.1 (discutida anteriormente) para as seis entradas de áudio, mas o uso de 6 tracks mono nos dá mais flexibilidade para alterações e edições futuras.

Abra o projeto “Surround 4” que está na pasta “Tutorial

7”.

Os procedimentos básicos de gravação estão descritos no capítulo “Tutorial 1: Gravação de áudio” na página 24. Para informações detalhadas, veja o capítulo “Gravação” do Manual de Operações.

Temos 6 canais de áudio escondidos (uma mixagem de som surround) entrando pelas entradas (Inputs) mono. Você poderá ouví-los quando abrir o próximo projeto.

  • 1. Ative os botões “Record Enable” e “Monitor” em todos os tracks.

Gravação surround Estamos prontos para gravarmos em surround. Vamos gra- var 6 canais ao mesmo tempo.
  • 2. Veja se “Cycle” está desativado (não destacado), e que foi feito o ajuste para a gravação iniciar no compasso 1.

Gravação surround Estamos prontos para gravarmos em surround. Vamos gra- var 6 canais ao mesmo tempo.
  • 3. Clique no botão “Record”.

4. Clique no botão “Stop” após terminar a gravação. 5. Desligue os botões “Record Enable” e
4.
Clique no botão “Stop” após terminar a gravação.
5.
Desligue os botões “Record Enable” e “Monitor” de todos os
tracks para interromper a gravação nos tracks.
Parabéns! Você acaba de gravar uma mixagem 5.1 pelo
Nuendo. Na próxima seção veremos como exportar o
arquivo surround.
Exportação do arquivo surround
Com a mixagem surround gravada, vamos exportá-la para
que possa ser importada outros programas como por exem-
plo um programa de autoração de DVD.
Abra o projeto “Surround 5” que está na pasta “Tutorial
7”.
Antes de exportar a mixagem surround, precisamos informar
ao Nuendo quantos compassos serão exportado. Para isto,
vamos regular os localizadores.
1.
Coloque o “Locator” esquerdo no compasso 1, e o direito no
compasso 26 no painel de transporte, para que toda a
música seja exportada.

“Locator” Esquerdo (left)

Gravação surround Estamos prontos para gravarmos em surround. Vamos gra- var 6 canais ao mesmo tempo.

“Locator” Direito (right)

74

Tutorial 7: Produção surround

  • 2. Depois abra o menu “File”, e o sub-menu “Export”, e selecione o comando “Audio Mixdown ”.

...

2. Depois abra o menu “File”, e o sub-menu “Export”, e selecione o comando “Audio Mixdown
  • 3. A tela “Export Audio Mixdown” abrirá. Isto é visto no capítulo “Exportando mixagem de áudio” do “Manual de Operação”.

2. Depois abra o menu “File”, e o sub-menu “Export”, e selecione o comando “Audio Mixdown
  • 4. No campo “File Name” coloca-se o nome do arquivo. Vamos nomear como “Surround Tutorial Export”.

  • 5. O campo “Path” permite que você escolha onde será criado o arquivo da exportação, dentro do computador. Utilize o botão “Choose” para navegar pelas pastas do computador. A opção “Use Project Audio Folder” fará com que o arquivo exportado seja guardado na pasta de áudio do projeto. Este é um bom lugar para se salvar o arquivo, evitando que o arquivo seja apagado ou perdido acidentalmente. Ative esta opção.

  • 6. Pode-se salvar o arquivo exportado com diversos formatos, como por exemplo “Wave File” (menu pop-up “File Format”). Isto vai depender do formato de arquivo a ser usado no próximo programa que irá usar esta mixagem (por exemplo, o programa que grava CDs de áudio).

2. Depois abra o menu “File”, e o sub-menu “Export”, e selecione o comando “Audio Mixdown
  • 7. Você deve indicar que deseja a mixagem 5.1 completa na exportação, indicando “5.1 Out (5.1)”. Isto faz com que o arquivo exportado seja gerado com o sinal das saídas 5.1 do Mixer. Você também pode indicar saídas individuais de cada canal de áudio na exportação, flexibilizando sua exportação. Agora, iremos indicar a opção “5.1 Out (5.1)”. Opção entre 5.1 ou canais individuais.

2. Depois abra o menu “File”, e o sub-menu “Export”, e selecione o comando “Audio Mixdown
  • 8. Faça os ajustes de “Sample Rate” e “Bit Depth” a serem usados para a exportação.

  • 9. Selecione as três opções na parte inferior esquerda da tela (Pool, Audio Track e Close dialog after export), fazendo com que se importe o áudio de volta ao Nuendo após a exportação, criando um novo track de áudio, e fazendo

75

Tutorial 7: Produção surround

com que a janela “Export Audio Mixdown” feche após a

exportação.

com que a janela “Export Audio Mixdown” feche após a exportação. 10. Ao terminar, clique no
  • 10. Ao terminar, clique no botão “Export”

  • 11. Você verá a mixagem Surround exportada em um novo track de áudio. Este track terá o arquivo de áudio 5.1.

com que a janela “Export Audio Mixdown” feche após a exportação. 10. Ao terminar, clique no

Abra o projeto “Surround 6” que está na pasta “Tutorial 7”

para ver os resultados desta exportação.

76

Tutorial 7: Produção surround

11

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

77

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

Retrospecto

Nesta seção veremos exemplos de arquivos de áudio com ou sem informação de andamento (tempo), e mostraremos como fazer com que estes arquivos usem o ajuste de anda- mento do projeto do Nuendo.

Abra o projeto “Tempo and Groove 1” que está na pasta

“Tutorial 8”.

Exemplo 1: Loop de bateria (Drum Loop), com andamento conhecido

Neste exemplo, importamos um loop de bateria com anda- mento conhecido. Este é o modo mais rápidos de ajustar o andamento do loop de bateria com o andamento do pro- jeto.

Aqui temos um loop de bateria com andamento conhecido:

100 batidas por minuto (BPM).

Retrospecto Nesta seção veremos exemplos de arquivos de áudio com ou sem informação de andamento (tempo),

O andamento do projeto do Nuendo é de 120bpm, dife- rente do loop de bateria.

Retrospecto Nesta seção veremos exemplos de arquivos de áudio com ou sem informação de andamento (tempo),

Vamos ajustar o andamento do loop de bateria para que fique igual ao andamento do projeto.

  • 1. Ative o botão “Start” no transporte.

Você ouvirá o loop de bateria, e perceberá que este loop está fora do anda- mento do projeto, escutando o clique.

  • 2. Ative “Stop” no “Transport” e desative o “Click”.

  • 3. Dê um duplo-clique sobre o loop de bateria (Drum Loop), e a janela “Sample Editor” abrirá.

Retrospecto Nesta seção veremos exemplos de arquivos de áudio com ou sem informação de andamento (tempo),
  • 4. Clique na etiqueta “Definition”, e no campo “tempo”, digite
    100.

Desta forma o Nuendo saberá que o andamento do arquivo de áudio é 100bpm. Com esta informação o Nuendo pode alterar a duração do áudio para que fique andamento do projeto. Além de digitar o andamento, você pode digitar o numero de compassos - se souber esta informação. Em ambos os casos, o áudio será ajustado ao andamento.

Definition Número de compassos Informe o andamento do loop
Definition
Número de
compassos
Informe o
andamento do
loop

78

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

  • 5. Ative “Preview”.

O loop de bateria é tocado no andamento do projeto.

5. Ative “Preview”. O loop de bateria é tocado no andamento do projeto. Preview 6. Feche

Preview

  • 6. Feche a janela “Sample Editor”.

  • 7. Escolha o loop de bateria na janela do projeto e indique “Loop Selection” no Menu “Transport”. Você pode usar o atalho [Shift]+[G].

5. Ative “Preview”. O loop de bateria é tocado no andamento do projeto. Preview 6. Feche

Ouça agora o loop de bateria no andamento do projeto. Você pode alterar o andamento no painel de transporte desativando o track de controle de andamento (Tempo Track). O andamento do loop de bateria varia de acordo com as mudanças de andamento que você fizer.

Exemplo 2: Loop de bateria (Drum Loop), Ajuste Automático

Abra o projeto “Tempo and Groove 2” que está na pasta

“Tutorial 8”.

Neste exemplo, teremos um o loop de bateria com anda- mento desconhecido. Veja como ajustar o andamento do loop de bateria com o andamento do projeto.

  • 1. Ative o botão Start, no painel “Transport”.

Você ouvirá o loop de bateria fora do andamento, em relação ao clique.

  • 2. Ative “Stop” e desative o “Click”.

  • 3. Dê um duplo-clique sobre o loop de bateria, e a tela “Sample Editor” abrirá.

  • 4. Clique na etiqueta “Definition”, e ative “Preview”. Ativando o Preview você ouve as alterações do andamento assim que forem realizadas.

5. Ative “Preview”. O loop de bateria é tocado no andamento do projeto. Preview 6. Feche
  • 5. Dê um zoom no primeiro compasso do loop. Você pode usar o controle deslizante de zoom que fica na parte inferior direita da janela. Faça o zoom para ver aproximadamente

18 picos de formas de ondas. 1 2 3 4 5 6 7 8 ... Controle
18 picos de formas de ondas.
1
2
3
4 5 6
7
8 ...
Controle do zoom

79

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

  • 6. Selecione o primeiro compasso do loop (os 16 primeiros picos, até o 17º). Ative o botão “Auditon Loop”, e clique no botão Audition.

Botões “Audition” e “Audition Loop”.

Exemplo 3: Loop de bateria (Drum Loop), Ajuste Manual

Abra o projeto “Tempo and Groove 3” que está na pasta

“Tutorial 8”. Neste exemplo usaremos o que já aprendemos nos exem- plos anteriores. Neste exemplo, teremos
“Tutorial 8”.
Neste exemplo usaremos o que já aprendemos nos exem-
plos anteriores. Neste exemplo, teremos um loop de bateria
com andamento desconhecido, e com necessidade de cor-
reção do ritmo. Veremos como ajustar a grade de tempo
(Time Grid) do “Sample Editor”.
1.
Ative o comando “Start” no “Transporte”.
Você notará que o loop da bateria está fora do andamento do clique.
2.
Ative “Stop”.
3.
Dê um duplo-clique no loop de bateria. A janela “Sample
Editor” irá abrir.
7.
Enquanto ouve o som, altere a posição para o término do

loop para a passagem entre o fim e o começo do loop ocorra

sem saltos. A forma de onda precisa estar alinhada, entre o

fim e o começo do loop.

6. Selecione o primeiro compasso do loop (os 16 primeiros picos, até o 17º). Ative o
  • 8. Retire o zoom e clique em “Auto Adjust” na etiqueta “Definition”.

6. Selecione o primeiro compasso do loop (os 16 primeiros picos, até o 17º). Ative o
  • 9. Feche o “Sample Editor” e ouça o loop tocar no andamento do projeto.

  • 4. Clique na etiqueta “Definition”, e ative “Preview”. Ativando Preview você ouvirá as alterações do andamento sempre que alterar algum ajuste.

6. Selecione o primeiro compasso do loop (os 16 primeiros picos, até o 17º). Ative o
  • 5. Entre com o número de compassos do loop de bateria. Neste caso, você deve indicar o número “4”. O loop de bateria vai ficar no andamento do projeto.

  • 6. Ative a reprodução (Play) no painel de “Transport”. Você notará que o loop de bateria não toca exatamente com o Clique. Está próximo, mas não exato. Isto ocorre porque o loop tem variações no andamento. Vamos corrigir, alterando o momento em que cada som é produzido dentro do loop.

80

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

  • 7. Ative “Manual Adjust”. Isto permite que ajustemos manualmente a grade de tempo, e permite corrigir as variação de andamento.

7. Ative “Manual Adjust”. Isto permite que ajustemos manualmente a grade de tempo, e permite corrigir
  • 8. Dê um zoom no compasso do loop de bateria. Em nosso caso, faça o zoom nos compassos 2, 3 e 4.

7. Ative “Manual Adjust”. Isto permite que ajustemos manualmente a grade de tempo, e permite corrigir
  • 9. Pressione [Alt]/[Option] e mova as linhas de grade do compasso próximo ao início do ataque das formas de onda. Certifique-se de estar movendo apenas as linhas de grade que estão sobre os compassos 2, 3, e 4. Você verá aparecer a bandeira “Strech Previous - Move Next”.

Pressionando [Alt]/[Option] e movendo as linhas de grade e alterando a posição do compasso, você muda o andamento do compasso anterior, e o compasso que estiver adiante será deslocado.

7. Ative “Manual Adjust”. Isto permite que ajustemos manualmente a grade de tempo, e permite corrigir

Abra o projeto “Tempo and Groove 4” que está na pasta

“Tutorial 8” para ver como ficaram os ajustes na linha da

grade de tempo. Clique na etiqueta “Definition”, da

janela “Sample Editor”, e ative “Manual Adjust”.

  • 10. Agora, pressione [Ctrl]/[Command] para mover as linhas da grade de tempo próxima ao começo do ataque das formas de onda. Dê um zoom para alinhar exatamente as linhas da grade de tempo. Faça isto para todo loop de bateria nos lugares em que o som estiver fora do pulso.

7. Ative “Manual Adjust”. Isto permite que ajustemos manualmente a grade de tempo, e permite corrigir

Abra o projeto “Tempo and Groove 5” que está na pasta

“Tutorial 8” para ver como ficaram os ajustes na linha da

grade de tempo.

Clique na etiqueta “Definition”, no “Sample Editor”, e ative o “Manual Adjust”.

  • 11. Feche o “Sample Editor”.

  • 12. Clique no loop de bateria e selecione “Loop Selection” no menu “Transport”.

Agora você perceberá que o loop de bateria tem o anda- mento igual ao andamento do projeto. Você pode alterar o andamento no “Transport”. Para isso desative o “Track Tempo: observe como o andamento do loop de bateria segue o ajuste de andamento do projeto.

81

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

Exemplo 4: Uso de seções de áudio

Abra o projeto “Tempo and Groove 6” que está na pasta

“Tutorial 8”.

Neste exemplo temos um arquivo de áudio com andamento desconhecido. Vamos apenas usar um pequeno trecho do arquivo de áudio para criar um loop de bateria.

  • 1. Ative Start no painel de transporte e observe como o loop da bateria está fora do andamento, escutando o clique.

  • 2. Ative “Stop”, e desative o” Click”.

  • 3. Dê um duplo-clique no loop de bateria. A janela “Sample Editor” irá abrir.

  • 4. Vamos criar um loop de dois compassos a partir deste arquivo de áudio. Indique a ferramenta “Range Selection”. Depois, clique e arraste sobre a forma de onda do áudio indicando o trecho do arquivo de áudio que será usado como loop de bateria, Indique o trecho que começa logo após o compasso 5, e termina logo após o compasso 7. Ferramenta “Range Selection”

Exemplo 4: Uso de seções de áudio Abra o projeto “Tempo and Groove 6” que está

Para indicação exata do trecho desejado para o nosso exemplo, clique na etiqueta “Range”, e digite os valores 411427 no campo “Start” e 616843 no campo “End”.

Exemplo 4: Uso de seções de áudio Abra o projeto “Tempo and Groove 6” que está
  • 5. Clique na etiqueta “Hitpoints” e selecione “Slice & Close”. Você terá agora um loop criado a partir do trecho indicado, que pode ser usado como um loop que toque no andamento do projeto. O “Sample Editor” irá se fechar e você volta para a janela “Project”.

Exemplo 4: Uso de seções de áudio Abra o projeto “Tempo and Groove 6” que está
  • 6. Clique no loop de bateria e selecione “Loop Select” no menu “Transport”.

Perceba que o loop de bateria está com o andamento igual ao andamento do projeto. E você pode alterar o andamento do projeto na barra de transporte. Para isso desative o track de andamento (Tempo Track), depois, veja como ao mudar o andamento projeto, o andamento do loop de bateria o acompanha a mudança de andamento do projeto.

82

Tutorial 8: Edição de áudio II — “Tempo and groove”

12

Tutorial 9: Gerenciamento de mídias

83

Tutorial 9: Gerenciamento de mídias

Retrospecto

O “MediaBay” é uma área do Nuendo que ajuda você quando você quiser encontrar, identificar, definir e organi- zar seus sons (Presets de VST 3, e presets de track), loops de áudio/MIDI, vídeos e arquivos do projetos.

Você ouvirá e lerá sobre dois termos diferentes associados ao MediaBay: VST Sound e MediaBay.

“VST Sound” é onde procuramos gerenciar o número cres- cente de plug-ins, instrumentos, presets, etc. A ferramenta que une todos estes plug-ins, instrumentos e presets é o MediaBay.

Por que o MediaBay é importante para mim?

Com o MediaBay você:

Tem várias formas de busca, permitindo que você encontre nomes de arquivos de mídia por etiquetas e importe estes arquivos de mídia no projeto. Os arquivos de mídia incluem:

arquivos de áudio, arquivos MIDI, loops MIDI e vídeos.

Permite que você encontre os sons para iniciar rapidamente a criação musical sem precisar se perder em buscas pelo instrumento “correto”.

Permite que você localize e use arquivos de áudio, MIDI e preset de instrumentos para uso em seus tracks.

Mostra todos os arquivos de projetos do Nuendo existentes no computador para que você possa abrí-los rapidamente.

O MediaBay evita que você fique pensando na estrutura de pastas, ou tenha que pensar em cada instrumento. Pense no som que deseja encontrar, e encontre-o vendo toda a biblioteca.

“MediaBay,” “Loop Browser” e “Sound Browser”

Existem três opções de menu no menu Media, que possibi- lita que você abra as várias apresentações do MediaBay.

Retrospecto O “MediaBay” é uma área do Nuendo que ajuda você quando você quiser encontrar, identificar,

Não importa a apresentação que você escolhe, já que todos já que todas tem os mesmos recursos. A razão para escolher uma ou outra, são os vários botões e recursos ligados ou desligados, para que você encontre o que procura de forma mais rápida.

Por exemplo, se você procura por loops, você use o “Loop Browser”, o “Loop Browser é configurado para procurar loops. Se estiver procurando tracks preset e Plug-in VST preset, o “Sound Browser” é a opção de escolha.

Abra o projeto “Media Management” localizado na pasta

“Tutorial 9”.

Para abrir o MediaBay

Vamos usar a apresentação do MediaBay que está pré- configurada para mostrar todos os controles. Tudo o que aprendemos com o MediaBay pode ser aplicado nas apre- sentações “Loop Browser”, e “Sound Browser”.

84

Tutorial 9: Gerenciamento de mídias

  • 1. No menu Media, selecione “Open MediaBay” e clique no botão “Category” da janela.

O MediaBay abre com a etiqueta “Details” ativada. Para este tutorial, a etiqueta Category deverá estar ativa.

1. No menu Media, selecione “Open MediaBay” e clique no botão “Category” da janela. O MediaBay

Tornando visíveis as diferentes seções do MediaBay

Abaixo e a esquerda da janela existem 3 botões que permi- tem mostrar/esconder as diferentes seções do MediaBay. São elas:

• Browser • Scope • Tags Editor
Browser
Scope
Tags Editor
  • 1. Esconda as seções Browser, Scope e Tag Editor.

Abre-se a tela de Viewer, e a seção de Filter. Estas duas seções permitem visualizar e
Abre-se a tela de Viewer, e a seção de Filter. Estas duas
seções permitem visualizar e encontrar arquivos.
Seção Viewer
Seção Filtro
  • 2. Mostre a seção “Browser”.

Nela você especifica os locais de seu computador onde o MediaBay deve encontrar os arquivos de mídia.

Seção Browser Clique aqui para Mostrar/Esconder
Seção Browser
Clique aqui para
Mostrar/Esconder

85