You are on page 1of 2

Soluções-tampão

Conceito
Tampão é qualquer substância que pode reversivelmente, se ligar aos íons hidrogênio.
Uma solução-tampão (ou mistura-tampão ou sistema-tampão) é aquela que resiste a uma variação do pH
quando se adiciona ácido ou álcali. Geralmente, uma solução-tampão consiste de uma mistura de ácido fraco de
Bronsted e sua base conjugada; por exemplo, misturas de ácido acético e acetato de sódio ou de hidróxido de
amônio e cloreto de amônio são soluções-tampão.
+ +
Tampão
+
+ H ↔ H Tampão
TampãoH + OH ↔ H2O + Tampão

Composição
Um tampão resiste ás variações de pH porque ele+ contém tanto espécies ácidas para neutralizar os íons OH
quanto espécies básicas para neutralizar os íons H .
As espécies ácidas e básicas que constituem o tampão não devem consumir umas às outras pela reação de
neutralização.
Os tampões resistem mais eficazmente à variação de pH em qualquer sentido quando as concentrações de ácido
fraco e base conjugada são aproximadamente as mesmas.
A partir da equação:

Quando as concentrações de ácido fraco e base conjugada são iguais, [H+] = Ka, geralmente tentamos selecionar
um tampão cuja forma ácida tem pKa próximo do pH desejado.

Exemplos
São exemplos de tampões: Acetato CH3COOH + CH3COONa, Bicarbonato H2CO3 + NaHCO3 ,
Fosfato H2PO4 + NaHPO4 , Amônia NH4OH + NH4Cl.

Existem muitos exemplos da importância das soluções-tampão em organismos biológicos, como a capacidade
de impedir mudanças bruscas de pH. Os líquidos citoplasmáticos contêm proteínas dissolvidas, substratos
orgânicos e sais inorgânicos e resistem ás mudanças excessivas do pH. O plasma sanguíneo é uma solução-
tampão muito efetiva, feita quase idealmente para conservar os valores do pH do sangue em 7,2-7,3, com
variação de 0,2 unidades de pH; os valores situados fora desses limites são incompatíveis com a vida. Pode-se
ter uma apreciação, mais completa do poder tamponante das células vivas, se recordarmos que muitos dos
metabólitos, que constantemente estão sendo produzidos e utilizados pelas células, são ácidos fracos de
Bronsted. Além disso, todas as enzimas que catalisam as reações das quais participam esses eletrólitos
apresentam sua máxima ação catalítica dentro de limites definidos de pH.

No laboratório, deseja-se examinar reações in vitro sob condições em que a variação de pH é mínima. Obtêm-se
essas condições pelo uso de tampões eficientes, preferencialmente aqueles inertes ás reações que se investigam.
Os tampões podem incluir ácidos fracos, tais como ácido fosfórico, acético, glutárico e tartárico ou bases fracas,
tais como, amônia, piridina e tris-(hidroximetil) aminometano.
Consideremos o mecanismo mediante o qual uma solução-tampão exerce controle sobre as mudanças bruscas
de pH. Quando se adiciona álcali (por exemplo, NaOH) a uma mistura de ácido acético (CH3OOH) e acetato de
potássio (CH3COOK) ocorre a seguinte reação:

OH + CH3COOH → CH3COO + H2O

Essa reação estabelece que o OH reage com os prótons produzidos pela dissociação do ácido fraco e formam
H2O,
+ OH 
CH3COOH ↔ CH3COO + H → H2O

Ao acrescentar álcali há uma +dissociação adicional do CH3COOH para fornecer mais prótons e dessa forma
conservar a concentração de H ou o pH sem variar.
Quando se adiciona ácido a uma solução de tampão de acetato, se efetua a seguinte reação:
+
H + CH3COO
→ CH3COOH

Os prótons adicionados (em forma de HCl, por exemplo), combinam-se instantaneamente com o ânion
CH3COO presente na mistura-tampão (como acetato de potássio) para formar o ácido fraco não dissociado
CH3COOH. Em conseqüência, a mudança de pH resultante é muito menor do que ocorreria se a base conjugada
estivesse ausente.

Dois fatores determinam a eficiência ou capacidade tamponante da solução. Um deles, é a concentração molar
dos componentes do tampão. A capacidade tamponante é diretamente proporcional á concentração dos
componentes dos sistemas.
O segundo fator é a relação entre a concentração de base conjugada e do ácido fraco. Quantitativamente, a
solução-tampão mais eficiente será aquela que tiver a mesma concentração de ácido e de base, uma vez que
essa mistura pode proporcionar igual quantidade de componentes ácidos e básicos para reagir com base e ácido,
respectivamente.

Principais aplicações
 Como os microorganismos se desenvolvem melhor em determinadas faixas de pH, os meios de cultura
são, geralmente, tamponados.
 Os fluidos biológicos são tamponados, utilizando para isso várias substâncias (ácidos, bases e sais) que
existem no organismo. O sangue humano apresenta, normalmente, pH em torno de 7,4. Um aumento ou
diminuição de 4 décimos neste valor, causa morte do indivíduo. Os sucos digestórios também são
tamponados, pois as enzimas que catalisam as reações orgânicas atuam em determinadas faixas de pH.
 Determinados medicamentos são tamponados com o objetivo de melhorar a sua atuação o atenuar os
efeitos colaterais. Um exemplo de medicamento tamponado é o Buferin, que atua como analgésico e
antiinflamatório. Este medicamento é constituído por ácido acetil salicílico (AAS ou aspirina) tamponado
com carbonato de magnésio e aminoacetato de alumínio.

Finalidade
Por sua propriedade de manter o pH constante mesmo com a adição de ácidos e bases à solução, as soluções
tampão são ideais para ajudar na conservação de substâncias e amostras, evitando sua degradação ou
modificação pelo pH, na condução de experimentos (controlando o fator pH) etc.

Fonte: Introdução à bioquímica, Conn & Stumpf


Portal de estudos em química, Professor Paulo César
http://www.profpc.com.br/Solu%C3%A7%C3%A3o_tamp%C3%A3o.htm