You are on page 1of 14

TIPOS DE CONCENTRAÇÃO

Concentração é o termo que utilizamos para fazer a relação entre a


quantidade de soluto e a quantidade de solvente em uma solução.

As quantidades podem ser dadas em massa, volume, mol, etc.


Observe:
m1= 2g
n2 = 0,5mol
V = 14L

Cada grandeza tem um índice. Utilizamos índice:


1 = para quantidades relativas ao soluto
2 = para quantidades relativas ao solvente
nenhum índice = para quantidades relativas à solução

Exemplos:
massa de 2g do soluto NaCl: m1= 2g
número de mols de 0,5mol do solvente água: n2 = 0,5mol
volume da solução de 14L: V = 14L

As concentrações podem ser:


1. Concentração Comum
2. Molaridade
3. Título
4. Fração Molar
5. Normalidade
CONCENTRAÇÃO COMUM (C)

É a relação entre a massa do soluto em gramas e o volume da solução em


litros.

Onde:
C = concentração comum (g/L)
m1= massa do soluto(g)
V = volume da solução (L)

Exemplo:
Qual a concentração comum em g/L de uma solução de 3L com 60g de NaCl?

Concentração comum é diferente de densidade, apesar da fórmula ser


parecida. Veja a diferença:

A densidade é sempre da solução, então:

Na concentração comum, calcula-se apenas a msoluto, ou seja, m1


MOLARIDADE (M)
A molaridade de uma solução é a concentração em número de mols de soluto
e o volume de 1L de solução.

Onde:
M = molaridade (mol/L)
n1= número de mols do soluto (mol)
V = volume da solução (L)
O cálculo da molaridade é feito através da fórmula acima ou por regra de três.
Outra fórmula que utilizamos é para achar o número de mols de um soluto:

Onde:
n = número de mols (mol)
m1 = massa do soluto (g)
MM = massa molar (g/mol)

Exemplo:
Qual a molaridade de uma solução de 3L com 87,75g de NaCl?

Podemos utilizar uma única fórmula unindo a molaridade e o número de mols:

Onde:
M = molaridade (mol/L)
m1 = massa do soluto (g)
MM1= massa molar do soluto (g/mol)
V = volume da solução (L)
TÍTULO ( ) E PERCENTUAL (%)
É a relação entre soluto e solvente de uma solução dada em percentual (%).
Os percentuais podem ser:
- Percentual massa/massa ou peso/peso:
%m/m ; %p/p

- Percentual massa/volume:
%m/V ; %p/V

- Percentual volume/volume:
%v/v

Exemplos:
NaCl 20,3% = 20,3g em 100g de solução
50% de NaOH = 50g de NaOH em 100mL de solução (m/v)
46% de etanol = 46mL de etanol em 100mL de solução (v/v)

O título não possui unidade. É adimensional. Ele varia entre 0 e 1.


O percentual varia de 0 a 100.

ou
Para encontrar o valor percentual através do título:

Relação entre concentração comum, densidade e título:


Relação entre outras grandezas:

Ou simplesmente:

Exemplo:
1) Uma solução contém 8g de NaCl e 42g de água. Qual o título em massa da
solução? E seu título percentual?

%=?

FRAÇÃO MOLAR (x)


A fração molar é uma unidade de concentração muito utilizada em físico-química.
Pode ser encontrado o valor da fração molar do soluto e também do solvente. É uma
unidade adimensional.

ou
ou
Então:

Onde:
x = fração molar da solução
x1= fração molar do soluto
x2 = fração molar do solvente
n1= n°de mol do soluto
n2 = n° de mol do solvente
n = n° de mol da solução
Observação:

Exemplo:
Adicionando-se 52,0g de sacarose, C12H22O11 a 48,0g de água para formar uma
solução, calcule para a fração molar da sacarose nesta solução:

Para achar a fração molar do soluto (sacarose):


NORMALIDADE (N ou η)
É a relação entre o equivalente-grama do soluto pelo volume da solução. A unidade
é representada pela letra N (normal). Está em desuso, mas ainda pode ser
encontrada em alguns rótulos nos laboratórios.

Onde:
N = normalidade (N)
n Eqg1 = número de equivalente-grama do soluto
V = volume da solução
Como calcular o equivalente-grama?
Para ácido:

Onde:
1E ácido = 1 equivavelnte-grama do ácido
MM = massa molar

Exemplo:
Quantas gramas tem 1E (um equivalente-grama) de HCl?

Para base:

Onde:
1E base = 1 equivavelnte-grama da base
MM = massa molar
DILUIÇÃO
Consiste em adicionar mais solvente puro a uma determinada solução.
A massa de uma solução após ser diluída permance a mesma, não é alterada,
porém a sua concentração e o volume se alteram. Enquanto o volume aumenta, a
concentração diminui. Veja a fórmula:

Onde:
M1 = molaridade da solução 1
M2 = molaridade da solução 2
V1 = volume da solução 1
V2 = volume da solução 2
Para esta fórmula, sempre M1 e V1 são mais concentrados e M2 e V2 são mais
diluídos.

Exemplo:
Um químico deseja preparar 1500mL de uma solução 1,4mol/L de ácido clorídrico
(HCl), diluindo uma solução 2,8mol/L do mesmo ácido. Qual o volum de solução que
havia na primeira solução a ser diluída?
Dados:

Observe que as unidades de volume foram mantidas em mL. Se uma das unidades
for diferente, deve-se transformar para litros.
MISTURA DE SOLUÇÕES
- De mesmo soluto: na mistura de soluções de mesmo soluto não há reação química
entre estas soluções. Neste caso, o valor do volume final é a soma das soluções.

Onde:
C = concentração comum (g/L)
M = molaridade (mol/L)
V = volume (L)

Exemplo:
Qual a molaridade de uma solução de NaOH formada pela mistura de 60mL de
solução a 5mol/L com 300mL de solução a 2mol/L?

- De diferente soluto que reagem entre si: ocorre reação entre as substâncias que
compõe a mistura. Para que a reção seja completa entre os solutos, os volumes
misturados devem obedecer a proporção estequiométrica que corresponde à reação
química.
Veja as fórmulas utilizadas:
Reação de Neutralização:
Pode-se usar a seguinte fórmula:

Onde:
xa = número de H+
xb= número de OH-
Estes cálculos também podem ser feitos por regra de três e utilizando as outras
fórmulas.

Exemplo:
Juntando-se 300mL de HCl 0,4mol/L com 200mL de NaOH 0,6mol/L, pergunta-se
quais serão as molaridades da solução final com respeito:
a) ao ácido:
b) à base:
c) ao sal formado:
Montar a reação química:

Calcular n (número de mol) do ácido e da base:


Se forma 0,12mol de ácido e também de base e a proporção estequiométrica
é 1:1, então a molaridade final de ácido e de base é zero porque reagiu todo o
soluto.
Calcular a molaridade do sal:
Antes achar o volume final:

Titulação
Método de análise volumétrica que consiste em determinar a concentração de
ácido ou de base atravpes de um volume gasto de uma das soluções com
molaridade conhecida.
Este método é muito utilizado em laboratórios químicos e é utilizado as
seguintes vidrarias e reagentes:
- erlenmeyer (vidro usado para guardar e preparar soluções);
- bureta (tubo de vidro graduado em milímetros com torneira;
- indicador ácido-base (fenolftaleína, alaranjado de metila, etc).

Na bureta, coloca-se a solução de concentração conhecida, a qual é


adicionada a uma alíquota (porção) da solução com concentração a ser
determinada.
O momento em que o indicador muda de cor chamamos de ponto de final ou
ponto de equivalência. Anota-se o volume gasto na bureta. Atraves deste volume
podemos estabelecer as quantidades, em mol, que reagiram entre si.
Bibliografia
http://www.soq.com.br/conteudos/em/solucoes/p9.php