You are on page 1of 8

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. CAMPUS SOBRAL

MECATRÔNICA INDUSTRIAL

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. CAMPUS SOBRAL MECATRÔNICA INDUSTRIAL Alunos: Antônio Mayke
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. CAMPUS SOBRAL MECATRÔNICA INDUSTRIAL Alunos: Antônio Mayke
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. CAMPUS SOBRAL MECATRÔNICA INDUSTRIAL Alunos: Antônio Mayke

Alunos: Antônio Mayke Lopes e Camila Martins Vieira Disciplina: Gestão da Manutenção Professor: José Carlos.

Sobral, 23 de Maio de 2013.

Introdução

A análise de vibrações é um método de manutenção preditiva, a qual indica as condições reais de uma máquina ou equipamento com base em dados que informa o seu desgaste ou processo de degradação, predizendo o seu tempo de vida útil, e as condições para que esse tempo de vida seja bem aproveitado. Portanto, a análise de vibrações nada mais é do que uma inspeção sistemática para o acompanhamento das condições do equipamento avaliado. Esta análise consiste em identificar características do sinal vibratório, que possam ser utilizadas para reconhecimento do sistema. Para esta informação ser útil a manutenção, ela deve ser processada adequadamente para que suas características sejam identificadas. Com estas características, deve-se fazer uma comparação com materiais já coletados anteriormente e encontrar possíveis erros no funcionamento do elemento examinado.

A Vibração Mecânica

A vibração mecânica é um tipo de movimento, no qual se considera uma massa ao um ponto ou partícula submetida a uma força. Esta força exerce sobre um ponto uma ação, obrigando-o a um movimento vibratório. O movimento vibratório é definido pela grandeza de deslocamento, de velocidade, de aceleração, amplitude e freqüência.

Registro da Análise de Vibração

O registro é realizado através de sensores ou captadores, colocados em pontos estratégicos das máquinas. A energia mecânica captada pelos sensores é transformada em sinais elétricos, sendo então encaminhados para aparelhos registradores de vibrações ou para analisadores de vibrações. Estes dados são analisados e interpretados por especialista da área, obtendo assim uma verdadeira radiografia dos componentes. Por meio da comparação com dados obtidos anteriormente, permite identificar o aparecimento de esforços mecânicos novos, conseqüência de uma degradação em desenvolvimento. A representação dos níveis de vibrações geralmente é demonstrada como na Fig. 1, onde a amplitude de vibração é dada pela freqüência. Onde A0 é uma

vibração, e A1 é outra. Os níveis vibratórios são representados em forma de picos, permitindo visualizar a variação de amplitude e descriminar os defeitos.

vibração, e A1 é outra. Os níveis vibratórios são representados em forma de picos, permitindo visualizar

Fig. 1 Amplitude de níveis de vibração de acordo com a frequência.

Análise de Vibrações Aplicada

Utilizando desta forma de manutenção preditiva, a análise de vibrações possibilita detectar antecipadamente a presença de falhas que podem comprometer o funcionamento da máquina ou equipamento. As possíveis falhas detectadas são:

o

Rolamentos deteriorados;

o

Engrenagens defeituosas;

o

Acoplamentos desalinhados;

o

Rotores desbalanceados;

o

Vínculos desajustados;

o

Eixos deformados;

o

Lubrificação deficiente;

o

Folgas excessivas em buchas;

o

Falta rigidez;

o

Problemas aerodinâmicos ou hidráulicos;

o

Cavitação;

o

Desbalanceamento de rotores em motores elétricos.

Principais Anomalias

Picos que aparecem nas freqüências múltiplas ou como múltiplos da velocidade desenvolvida pelo rotor:

o

Desbalanceamento: É caracterizada por uma forte vibração radial que apresenta

o

a mesma freqüência de rotação do rotor. É a mais comum das vibrações. Mau estado de uma correia: Um mau estado da correia provoca uma variação de

o

largura ou de sua deformação, fazendo surgir variações de tensão criando vibrações de freqüência iguais a da rotação da correia. Estas polias não estando bem alinhadas, existirá uma grande componente axial nessa vibração. Mau ajuste mecânico: Um mau ajuste mecânico na possibilidade de um

o

movimento parcial faz surgir no plano radial uma vibração em uma freqüência duas vezes maior que a velocidade de rotação do eixo. Por causa do efeito do desbalanceamento inicial faz essa vibração aparecer, adquirindo uma grande amplitude em função do desgaste do mancal. Avarias nas engrenagens: No engrenamento entre a coroa e o pinhão, ocorrerá

o

sempre um choque entre os dentes das engrenagens, gerando uma vibração no conjunto, sendo a freqüência igual a velocidade de rotação do pinhão multiplicado pelo seu número de dentes. Desalinhamento: O desalinhamento provoca vibrações na mesma freqüência de rotação do rotor, ou em freqüências múltiplas, notadamente no caso de dentes acoplados.

Picos que aparecem em velocidade independentes da velocidade desenvolvida pelo rotor:

o

Vibrações em máquina vizinhas: O solo ou o apoio de alvenaria que fixa a

o

máquina, pode transmitir vibrações de uma máquina para outra. Ressonância da estrutura ou eixos: A ressonância esta presente na freqüência de

o

cada componente de uma máquina, se existir uma freqüência similar a de um dado componente, um pico aparecerá no espectro. Vibrações de origem elétricas: Quando um campo magnético excita uma vibração das partes metálicas do estator e do rotor, produz picos com freqüências iguais ao do rotor. O aumento dos picos pode ser um indicio de degradação do motor.

Densidade espectral proveniente de componentes aleatórios de vibrações:

o Cavitação: Cavitação é um fenômeno hidrodinâmico, que induz vibrações aleatórias sendo necessário reconhecê-las, para assim eliminá-las, modificando as características de aspiração da bomba. o Escamação de rolamentos: A escamação de uma pista de rolamento provoca choques e uma ressonância do mancal, sendo fácil de identificar com um aparelho de medido de choques de ondas. o Atrito: O atrito gera vibrações de freqüência quase sempre elevada, por causa disso o estado das superfícies e da natureza dos materiais em contato tem influencia sobra a intensidade e a freqüência das vibrações assim criadas. Estes parâmetros são difíceis de analisar e vigiar. A tabela I representa as principais anomalias relacionadas a vibrações:

TABELA I

Causa

Freqüência

Direção

Observações

 

Turbilhão de óleo

De 0,42 a 0,48 x FR (freqüência de rotação)

Radial

Unicamente sobre mancais lisos hidrodinâmicos com

grande velocidade.

 

Desbalanceamento

1 x FR radial

Radial

Intensidade proporcional a

 

velocidade de rotação.

 

Defeito de fixação

1, 2, 3, 4 x FR

Radial

Defeito de

2 x FR

Axial e

Vibração axial em geral mais

alinhamento

Radial

importante,

se

o

defeito

de

alinhamento contém um

desvio angular.

 

Excitação elétrica

1, 2, 3, 4 x 60 Hz

Axial e

Desaparece ao interromper a

 

Radial

energia elétrica.

 

Velocidade crítica

Freqüência critica do

Radial

Aparece em regime transitório

de rotação

motor

e desaparece em seguida.

 

Correi em mau estado

1, 2, 3, 4 x FR

Radial

Engrenagens

Freqüência de

Radial +

Banda lateral em torno da

defeituosas

engrenamento= F

Axial

freqüência de engrenamento.

F = n° dentes x FR árvore

Pinhão (falsa volta)

FR ± FR pinhão

Radial +

Bandas laterias em torno da

devido as “falsas voltas”.

Axial

freqüência de engrenamento

Excitação

Freqüência de passagem

Radial e

hidrodinâmica

das pás

Axial

Deterioração do

Altas frequencias

Radial e

Ondas

de

choque

causadas

rolamento

Axial

por escamações.

 

Sensores ou Captadores

Para a realização da análise de vibrações, como já mencionado, utiliza-se de sensores para a captação dos sinais transmitidos das máquinas. Estes sensores estão classificados em:

o Sensores eletrodinâmicos: Detectam vibrações absolutas de freqüências superiores a 3 Hz ( 180 com). Este tipo de sensor é representado na Fig. 2.

Para a realização da análise de vibrações, como já mencionado, utiliza-se de sensores para a captação

Fig. 2 Sensor eletrodinâmico.

o

Sensores piezoelétricos: Detectam vibrações absolutas de freqüências superiores a 1 Hz (60 cpm). A Fig. 3 representa esse instrumento.

o Sensores piezoelétricos: Detectam vibrações absolutas de freqüências superiores a 1 Hz (60 cpm). A Fig.

Fig. 3 Sensor piezoelétrico.

o

Sensores indutivos: Estes sensores são sem contado ou de aproximidade, detectam vibrações relativas desde 0 Hz, podendo ser utilizados tanto para medir deslocamentos estáticos quanto dinâmicos. A Fig. 4 mostra este tipo de sensor.

Registradores Fig. 4 Sensor Indutivo. Os registradores medem a amplitude das vibrações, sendo permitido avaliar a

Registradores

Fig. 4 Sensor Indutivo.

Os registradores medem a amplitude das vibrações, sendo permitido avaliar a sua magnitude, medem a freqüência possibilitando identificar a fonte causadora de vibrações. Estes registradores podem ser analógicos ou digitais. Na Fig. 5 mostra um registrador digital.

Registradores Fig. 4 Sensor Indutivo. Os registradores medem a amplitude das vibrações, sendo permitido avaliar a

Fig. 5 Registrador Digital.

Analisadores

Os analisadores se apresentam de vários tipos, como analisadores de medição global, analisadores com filtros conciliadores e os analisadores do espectro em tempo real. Este último analisador permite efetuar em conjunto a softwares com a presença de um computador, zoom, diferenciação e integração de dados, comparação de espectros e comparação de espectro com correção de velocidade de rotação. Fig. 6 mostra um exemplo.

Fig. 6 Analisador de vibrações.

Fig. 6 Analisador de vibrações.