You are on page 1of 12

REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

FACULDADE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO


ATIVIDADES E ORIENTAÇÕES PARA O DOSSIÊ
Curso de Sociologia

Acadêmico: Fernando José Alencar


Módulo: Realidade brasileira e tendências sociais – 80h

Unidade 1: A SOCIEDADE ATUAL E AS TENDÊNCIAS SOCIAIS I

1. Quais são os pontos positivos da globalização?


A globalização garante maior troca de informações com o mundo todo, permitindo
assim o acesso rápido a informações, o que pode fazer também com que as culturas
evoluam. A globalização também facilita a quebra das fronteiras e a assimilação de novas
culturas facilitando assim a convivência com as diferenças.
A globalização também permite que os consumidores usufruam de produto mais
barato e o aumento do fluxo comercial que, naturalmente, gera mais riqueza.

2. O que as pessoas precisam fazer para ter emprego e vida digna nesse mundo
globalizado?
As empresas atualmente necessitam de profissionais com alta escolaridade, por
isso para garantir um emprego melhor os indivíduos precisam se escolarizar cada vez
mais para que assim possam garantir melhores salários. Esses profissionais também
precisam ter competência técnica qualificada, perfil multicompetente e proativo, ou seja, é
necessário dominar línguas, informática e ter boa comunicação verbal, boa redação,
iniciativa, ética, responsabilidade, capacidade de analise, de planejamento e de tomada
de decisões. Além disso, o profissional precisa ser empreendedor e saber trabalhar em
equipe.
Para que o individuo possa ter uma vida digna nessa sociedade globalizada é
preciso que ele estude e garanta assim uma boa oportunidade de trabalho pois a garantia
de um trabalho e de um bom salário podem permitir que o individuo usufrua de bens de
consumo que trazem conforto e estabilidade financeira e emocional para o mesmo.

3. O que falta para o Brasil ser um país globalizado e desenvolvido?

1
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

Para que o Brasil possa ser um país globalizado e desenvolvido precisamos


resolver primeiro o problema da educação que, em nosso país, está longe de ser um bem
de consumo para a maioria da população. Também as empresas têm dificuldades em
conseguir profissionais qualificados em quantidade e qualidade suficientes para satisfazer
suas necessidades, em função da expansão e da atualização tecnológica. Assim, não se
têm nem uma sociedade educada, nem um país em condições de competir e dar emprego
para os próprios brasileiros, o que é muito grave. Um país sem conhecimento, por sua
vez, tem dificuldade em produzir ciência e tecnologia para assim melhorar e aumentar a
produção na lavoura, na indústria; aumentar as vendas, os negócios; melhorar a saúde e
a educação e, enfim, melhorar a vida em sociedade.

4. Quais são os tipos de violência existentes em nossa sociedade e o que os


sociólogos podem fazer para diminuí-la?
Em nossa sociedade podemos perceber que, além da violência física, psicológica,
sexual e contra a criança, existem também a violência que se faz contra a mulher, contra
o idoso, o homossexual, o negro, a violência urbana, o bullying, entre outros tipos de
violência.
Quanto ao papel da Sociologia frente ao enfrentamento da violência é possível
dizer que ela pode criar condições para uma maior discussão sobre as causas desse
problema social, assim como pode fazer questionamentos acerca do enfrentamento da
violência por toda a sociedade. Os sociólogos podem fazer discussões sobre as ações
políticas e sociais que devem ser pensadas e planejadas em longo prazo.
As ideias sociológicas podem também fazer com que, a partir da conscientização
dos indivíduos, haja a organização e uma maior cobrança ao Poder Público, para que
esse possa tomar atitudes mais efetivas na busca pelo desenvolvimento social e
segurança pública.
Sendo assim estudiosos da violência urbana indicam, como uma das ações
recomendadas, uma polícia melhor equipada e um Poder Judiciário mais ágil e, se
necessário, mais rigoroso e que o Poder Público se conscientize de que diferentes formas
de violência necessitam de diferentes políticas públicas, considerando-se a especificidade
de cada uma, de forma que o combate seja mais efetivo.

Unidade 2: A SOCIEDADE ATUAL E AS TENDÊNCIAS SOCIAIS II

1. Quais são as implicações sociais da falta de ética no Brasil?

2
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

As implicações sociais da falta de ética no Brasil tem causado uma total falta de
valores morais e sociais. Hoje em dia, as pessoas não têm mais pudor em ser desonestas
porque em nosso país, há um número tão grande de pessoas com esses comportamentos
que não há mais estranhamento quando encontramos alguém que age dessa forma.
As pessoas também não tem mais tolerância umas com as outras e acabam sendo
preconceituosas e violentas.
A ética é importante em todos os setores e por isso deveria estar presente na vida
de todo cidadão, em todos os momentos e situações.
Vemos hoje poucos exemplos de ética pessoal na sociedade visto que muitas
pessoas hoje em dia querem obter vantagem a qualquer custo e acabam prejudicando o
próximo.
Na ética pública ou social as pessoas também não visam mais o bem comum e no
Brasil isso tem sido muito aparente, já que nossa classe politica, eleita com o objetivo de
melhorar a vida coletiva não tem mais trabalhado em benefício da comunidade na qual
está inserido. A classe política está mais interessada em enriquecer e ter cada vez mais
poder de controle sobre as classes menos favorecidas.
Outro problema de falta de ética no Brasil está na mídia e, sobretudo na televisão,
porque esse meios de comunicação têm oferecido cada vez mais programas de
entretenimento, filmes e séries que apresentam maus comportamentos, frequentemente
veiculados como: falta de caráter, ambição pelo poder, uso de violência, mentiras,
armações, comportamento amoral e que fazem acreditar que os fins justificam os meios,
quando se tem um objetivo a ser alcançado.
Nossos jovens precisam ter claro que estão vivendo em um mundo com bons e
maus comportamentos, bons e maus exemplos. Cabe a cada um de nós fazer as próprias
escolhas e arcar com as consequências que advêm de cada uma delas.
Sabemos que está difícil conscientizar os jovens que é preciso ter ética visto que
ultimamente no Brasil já é modismo ter mau comportamento, ser desonesto e fazer
qualquer coisa para conseguir bens materiais.

2. O Brasil ocupa o 4° lugar do mundo em exploração sexual. Quais são as causas


disso? E como acabar com essa vergonha?
Estudiosos apontam como as principais causas da prostituição, a pobreza, fatores
psicológicos (problemas afetivos e traumas), abuso sexual infantil, o crime organizado, o
comércio de drogas e o turismo sexual, principalmente nas capitais do Nordeste brasileiro.
Nota-se que os maiores índices de prostituição infantil e de adolescentes no Brasil estão

3
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

em regiões nas quais se encontram as maiores taxas de desemprego e de subemprego.


Para acabar com a exploração sexual seria necessário a conscientização das
pessoas sobre o problema e também que o poder público pudesse dar melhores
condições de vida, sobretudo as mulheres e as crianças em situação de pobreza para que
as mesmas não tivessem que se submeter a isso.
Penso que a solução seria o investimento em politicas publicas que dessem as
crianças possibilidades para que as mesmas pudessem estudar e ter maiores
possibilidades de ter uma vida mais digna no futuro. Outra forma de contribuir para a
extinção do problema seria a formulação de leis que fossem mais efetivas e que
realmente punam os infratores.

3. No mundo, morrem, a cada dia, mais de 17.000 crianças de fome. Liste todas as
medidas que você julga possíveis para se acabar com essa situação, ou mesmo,
barbárie.
Uma das medidas a serem tomadas para acabar com a fome no mundo seria uma
melhor distribuição de renda e consequentemente de alimentos entre todas as pessoas.
Outra medida seria a redução drástica de gastos com a fabricação e comercialização de
armas, drogas, cigarros, bebidas alcoólicas, etc.
Outra alternativa seria proibir a produção de alimentos visando o lucro e assim
eliminar os atravessadores que lucram alto na comercialização da comida e os
especuladores que fazem fortunas nos mercados de alimentos, assim como também
eliminar ou reduzir ao máximo o desperdício na produção, transporte, armazenamento,
comercialização e consumo de alimentos. Somente esta alternativa já seria suficiente
para acabar com a fome no mundo.
Mas, evidentemente, não é fácil acabar com os desperdícios, pois os alimentos
são, em geral, bens perecíveis e de difícil conservação.
Também ajudaria muito promover uma educação para ensinar as pessoas a não
deixarem comida no prato, não deixar passar o prazo de validade dos produtos, evitar as
perdas nos restaurantes, etc.

4. Quais são as principais causas da desnutrição no Brasil?


A origem da fome e da desnutrição no Brasil está, principalmente, na má
distribuição da renda e das riquezas, que se concentram nas mãos de poucos, deixando
na pobreza, em situação de miséria, grande parcela da população, que se acumula nas
periferias urbanas, expondo o grande contraste social do país. Mesmo com programas

4
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

sociais, federais e estaduais, o problema da fome não é solucionado. O pior é que ela se
faz presente em pequenas, médias e grandes cidades e também no campo,
independentemente da região ou estado brasileiro.

Unidade 3: TENDÊNCIAS NA EDUCAÇÃO


1.Em função das tendências sociais e dos problemas no mundo, que tipo de
educação precisamos ter? Justifique sua resposta.
A sociedade atual tem exigido um tipo de educação diferente que desenvolva
competências, habilidades e valores; uma educação que forme um homem integral,
social, humano, intelectual, profissional e que goste e saiba aprender, que saiba fazer,
que saiba ser; uma educação básica de qualidade para todos. A escola deve, assim, ter
um currículo diferente do atual, que se preocupe e tenha objetivos, que vise a
aprendizagens duráveis, pela construção feita pelos próprios interessados. Ela precisa
formar o aprendiz empreendedor, que amanhã seja o profissional e o cidadão
empreendedor.
De acordo com Morin (2003) “é preciso ensinar a pensar, o que também significa
que é necessário desenvolver uma consciência mais crítica”. Sendo assim precisamos
ensinar aos jovens a repensar o pensamento, então isso pode significar que a educação
atual não tenha alcançado o seu papel fundamental de forma plena ou mesmo em
aspectos aceitáveis no que tange a formação de uma consciência critica. Além disso a
sociedade precisa de pessoas com iniciativa, com responsabilidade, éticas e
empreendedoras.

2. Que competências deve ter o professor do futuro?


Nos dias de hoje, o professor deve ser um conhecedor de seus direitos, ser
corajoso, autônomo, solidário e competente. Este profissional deve estar sempre pronto
para denunciar coisas erradas, enfrentar os obstáculos e buscar sempre a educação
continuada. Assim, o professor precisa desenvolver autonomia, iniciativa, abertura mental
e cultura geral e ser proativo.
Além isso, há também a necessidade de aprender a trabalhar em equipe, para que
sejam somados os conhecimentos de várias pessoas para solução de problemas e
tomada de decisões no dia-a-dia.
O profissional também precisará ser profundo conhecedor de sua área mas
também de psicologia da aprendizagem e de didática, pois na escola do futuro somente

5
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

os professores de mente mais aberta, que melhor escrevem e se comunicam estarão


presentes. Esses professores deverão sempre estar atualizados e dominar bem a
tecnologia educacional e tecnologia aplicada à educação. Conforme Ryon Braga (2002) o
professor será estrategista da aprendizagem.
Os professores do futuro vão produzir livros didáticos que estimulem o aluno a ler,
a pensar, a criar, a trabalhar em equipe e a tomar decisões. Vão orientar o processo de
busca e de autoaprendizagem. Vão produzir material para educação a distância: material.
Os professores do futuro vão ensinar informática junto com a alfabetização, para que a
criança não seja analfabeta tecnológica.

3. Como os avanços tecnológicos podem colaborar com a educação?


A evolução recente das tecnologias digitais tem modificado as relações sociais.
Nesse sentido, a escola deve levar professores e alunos a refletir de forma crítica sobre
as implicações do avanço da tecnologia digital sobre a vida das pessoas no mundo
contemporâneo. De acordo com Kenski (2003) a opção pelo ensino com o computador
exige alterações significativas em toda a lógica que orienta o ensino e a ação docente em
qualquer nível de escolaridade.
O ponto fundamental para o ensino a partir dos avanços tecnológicos é a
redefinição do papel do professor. Dessa forma ao ter acesso à tecnologia, os professores
podem pensar em como elas aprimoram práticas cotidianas, tais como no uso de vídeos e
apresentações para expor conteúdos. A tecnologia pode ainda ser usada para ampliar as
possibilidades educativas, ao permitir que os alunos explorem fenômenos de forma
simulada, pesquisem conteúdo na internet, façam suas próprias produções, etc.
A tecnologia, se bem utilizada dentro de um projeto educacional, pode dar
condições aos alunos de trabalhar a partir de temas, projetos ou atividades, que surgem
naturalmente no contexto da sala de aula.
O uso da tecnologia possibilita uma melhora na qualidade da educação brasileira,
com a criação de ambientes de aprendizagem, auxiliando na resolução de problemas, na
produção de textos, na manipulação de banco de dados e no controle de processos em
tempo real.

Unidade 4: TENDÊNCIAS NA EDUCAÇÃO II

1. A educação sofre efeitos com as tendências sociais e das novas tecnologias


(internet, TV e outros). Mas o que pode causar o maior impacto na educação são as

6
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

mais recentes descobertas de como funciona o cérebro, através da neurociência.


Faça uma síntese de como a neurociência pode fazer uma mudança radical na
eficácia da educação.

2. Por que o cérebro deve ser submetido ao maior número possível de desafios?
Porque o cérebro é o único órgão que quanto mais utilizado, melhor será seu
desempenho com o passar do tempo, ao contrário dos demais órgãos. Um cérebro que
está sendo constantemente exigido, treinado, utilizado e desafiado, terá um desempenho
cada vez melhor, independente da idade da pessoa.
Se o cérebro é um sistema biológico aberto, flexível, que cresce e transforma a si
próprio em resposta a desafios, podemos concluir que quanto mais desafios forem
submetidos a um determinado indivíduo, melhor será o desenvolvimento de seu cérebro.
Isto é, quanto mais uma pessoa aprende, mais diferenciado será seu cérebro.

3. Em que a neurociência pode ajudar o professor a ter boa saúde e a evitar o


estresse?
Com relação ao caráter institucional a neurociência pode ajudar criando projetos de
valorização do magistério. Cada estabelecimento de ensino deveria desenvolver um
programa para identificar as queixas/sintomas mais comuns e os fatores de risco,
presentes nas atividades docentes, assim como no estabelecimento de ensino
democrático que fortaleça as relações interpessoais e de aplicar políticas públicas de
formação permanente e plano de capacitação, para preparar os professores para as
mudanças de também salários dignos, com um piso salarial que permita suprir as
necessidades básicas, excluindo a necessidade de trabalhar em 2 ou 3 escolas.
Já na ordem pessoal, conforme a Neurociência é preciso alimentar-se bem, tomar
bastante água e pouco café, realizar atividades físicas, realizar atividades de lazer,
realizar uma observação, registro e análise de posturas e movimentos do professor,
durante as atividades em sala de aula e a avaliação postural, fazer exercícios para
correção de posturas corporais e ensino de técnicas mais adequadas para o manuseio de
pesos e desenvolvimento de trabalhos em grupo (relaxamento, exercícios e auto-
massagens).

4. Quais são as causas da violência no mundo?


Em todo o mundo as principais causas da violência são a desigualdade social, a
desestruturação familiar, o preconceito, o racismo, a intolerância religiosa e as diferenças
culturais.

7
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

Unidade 5: OUTRAS TENDÊNCIAS

1.O que o professor precisa saber para poder educar para a preservação do meio
ambiente?
É importante que o professor trabalhe com a conscientização sobre a preservação
do meio ambiente visto que somente por meio da sustentabilidade e da preservação é
que se pode manter a qualidade de vida. O professor deve educar, desde a mais tenra
infância para que as crianças aprendam a cuidar da água e evitar sua poluição, a separar
o lixo, e a evitar desastres ecológicos, como queimadas, desmatamentos, e preservar os
animais. Também a reciclagem é um processo relevante para a preservação do meio
ambiente. Através da reciclagem, é possível diminuir a poluição do ar, água e solo.
O grande desafio na área da reciclagem é conseguir educar os cidadãos para que
compreendam que cada esforço, por menor que seja, tem um impacto positivo no meio
ambiente. É por isso que a escola e o professor devem ter a preocupação de trabalhar
questões relacionadas ao meio em que está inserido de forma participativa, sendo capaz
de estabelecer relações, interagir, transformar, reelaborar e agir no meio em que vive.
Portanto, como educador é preciso questionar sobre a importância de fazer um
trabalho de conscientização e leitura do mundo como pressuposto para uma educação de
qualidade que ajudará na formação de cidadãos conscientes e protagonistas na
sociedade que estão inseridos.
Sendo assim o professor precisa estimular a mudança de atitudes e a formação de
novos hábitos com relação à utilização dos recursos naturais favorecendo a reflexão
sobre a nossa responsabilidade sobre nosso próprio planeta como um todo, auxiliando
para que a sociedade possua um ambiente sustentável, garantindo a vida no planeta. E
isso só pode se realizar se houver a orientação das crianças incentivando-as a plantar,
limpar e preservar, visando formar cidadãos que interagem e participem de forma ativa na
recuperação do meio ambiente.

2. Leia na hemeroteca da FAINSEP, disponível no Moodle, o máximo de artigos


sobre meio ambiente e aponte, em tópicos, o que mais o(a) chocou.
Artigo: Mudança climática fará com que países inteiros desapareçam
• A mudança climática já está provocando efeitos em todos os continentes e em todos os
oceanos.

8
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

• O problema tende a piorar, a menos que as emissões de gases de efeito estufa sejam
controladas.
• As calotas polares estão derretendo e o gelo marinho no Ártico está em colapso, o
abastecimento de água está sobrecarregado, ondas de calor e chuvas fortes estão se
intensificando, os recifes de corais estão morrendo e os peixes e muitas outras criaturas
estão migrando para os polos ou sendo extintos.
• Há a previsão de que o nível global do mar pode subir até um metro neste século.
Nações insulares, como Maldivas, Kiribati e Fiji, podem perder grande parte do seu
território.
• Há muitos lugares no mundo sob risco de elevação do nível do mar, mas Bangladesh
está no topo da lista. Enquanto o nível do mar está subindo, as cidades bengalesas estão
afundando.
• Políticos e cientistas climáticos de Bangladesh concordam que, até 2050, o aumento do
nível do mar inundará cerca de 17% do território e obrigará o deslocamento de cerca de
18 milhões de pessoas.
• Alguns cientistas acreditam que o aumento das temperaturas levará a condições
climáticas mais extremas em todo o mundo, incluindo ciclones mais fortes e mais
frequentes na baía de Bengala.
• Um crescente volume de pesquisas mostra que a mudança climática está derretendo
rapidamente a camada de gelo da Groenlândia.
• A elevação do nível do mar e as ressacas mais fortes estão inundando as aldeias do
Panamá.
• Fiji também está vendo os efeitos do avanço marítimo, e o governo já começou a
realocar moradores das ilhas exteriores do arquipélago e das áreas costeiras de baixa
altitude para o interior da ilha principal. Moradores foram retirados da aldeia costeira de
Vunidogoloa depois que a água salgada arruinou o solo para cultivo.
• Um estudo de 2012 do Departamento de Pesquisas Geológicas dos EUA concluiu que o
nível do mar na Costa Leste aumentará três ou quatro vezes mais rapidamente do que na
média global no próximo século. Enquanto na média global a estimativa seja de que o
nível do mar suba um metro até 2100, na costa atlântica dos EUA a elevação pode chegar
a dois metros. O estudo cita Boston, Nova York e Norfolk (Virgínia) como as áreas
metropolitanas mais vulneráveis.
• As ilhas baixas de Kiribati estão na linha de frente das mudanças climáticas.
Globalmente, o nível do mar subiu até 25 centímetros desde 1880, mas estudos mostram
que essa tendência está se acelerando. Se as emissões de carbono continuarem

9
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

desenfreadas, concluíram especialistas numa pesquisa recente, que o mar pode subir
cerca de um metro até 2100.
• Isso poderia inundar a maior parte de Kiribati até o final do século. As ilhas, onde vivem
cerca de 100 mil pessoas, já estão sentindo o impacto. O governo de Kiribati diz que a
infiltração de água salgada devido ao aumento do nível do mar contaminou os
suprimentos de água doce e o solo cultivável, e o presidente Anote Tong já previu que seu
país se tornará inabitável dentro de 30 a 60 anos.

3.O que se entende por diversidade cultural? Cite alguns exemplos.


A diversidade cultural diz respeito à existência de uma grande variedade de
culturas. Há vários tipos de manifestações culturais que nos revelam essa variedade, tais
como: a linguagem, danças, vestuário, religião e outras tradições como a organização da
sociedade.

4.O que o estudante da educação básica precisa saber e fazer sobre diversidade
cultural?
Primeiramente os estudantes precisam saber mais sobre o que é diversidade
cultural, e o professor deve problematizar em sala de aula problemas como o preconceito,
os rótulos, e a discriminação aos diferentes.
Para que eles saibam lidar com a diferença com sensibilidade e equilíbrio, é
preciso que tenham familiaridade com a diversidade - e não apenas em projetos com
duração definida ou em datas comemorativas, como ainda é habitual em várias escolas.
Outra possibilidade é que a questão não seja tratada como um conteúdo
específico, mas esteja presente toda vez que um problema de intolerância surgir é que
seja necessário questionar sobre as diferenças. Somente assim as crianças terão mais
tranquilidade para lidar com o assunto e aprender a respeitar aqueles que são diferentes.

5.Por que a legislação brasileira se preocupa com história e cultura afro-brasileira e


indígena? (Escreva bastante)
Porque o Brasil possivelmente é o país com a maior diversidade cultural em todo o
mundo. O Brasil é um país de maioria negra, mas nem por isso conhece suas raízes afro-
brasileiras.
Com relação a cultura indígenas, sabemos que desde muita antes da colonização
portuguesa, eles já habitavam aqui, mas gradativamente foram perdendo suas terras,
suas raízes e sua cultura, subjugados pela cultura de origem europeia, branca e elitista.

10
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

Por esses e outros inúmeros motivos é que se faz necessária uma legislação que
contemple o direito dos negros e dos indígenas e que preserve as heranças culturais
desses povos que tiveram e ainda tem tanta influência na formação cultural do nosso
país.
mesmo e isso ainda é Pelas diretrizes, o ensino deve ter três princípios:
consciência política e histórica da diversidade; fortalecimento de identidades e de direitos;
ações educativas de combate ao racismo e às discriminações. Os princípios se
desdobram em diversas ações e posturas a serem tomadas pelos estabelecimentos de
ensino.
Essa legislação contempla os temas relativos à história e cultura afro-brasileiras,
africanas e indígenas. Sendo que "os conteúdos referentes à história e cultura afro-
brasileira e dos povos indígenas brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o
currículo escolar, em especial nas áreas de educação artística e de literatura e história
brasileiras", diz o parágrafo 2º da lei 11.645.
Com relação aos temas afro-brasileiros e africanos a legislação especifica que: "O
ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, a educação das relações étnico-
raciais se desenvolverão no cotidiano das escolas, nos diferentes níveis e modalidades de
ensino, como conteúdo de disciplinas, particularmente, Educação Artística, Literatura e
História do Brasil, sem prejuízo das demais, em atividades curriculares ou não, trabalhos
em salas de aula, nos laboratórios de ciências e de informática, na utilização de sala de
leitura, biblioteca, brinquedoteca, áreas de recreação, quadra de esportes e outros
ambientes escolares".
Isso porque o principal benefício da inclusão dos temas no currículo é o encontro
das crianças com a sua própria história e identidade. É importante para as crianças
relacionarem e identificarem a influência desses povos na história brasileira. Se esses
conteúdos fossem problematizados na escola a própria relação dos estudantes com a
escola poderia mudar.
A inclusão desses temas no currículo é muito positiva, sobretudo quando se pensa
no público que frequenta as escolas públicas, formado por muitas crianças negras.
Trazer para as crianças uma discussão sobre a história e cultura afro-brasileiras é
fundamental para que elas percebam que não é só o vencedor que faz a história, que
todo o povo tem sua história e que é preciso conhecê-la para entender o presente e
pensar o futuro.

11
REALIDADE BRASILEIRA E TENDÊNCIAS SOCIAIS

6.A educação indígena tem que ser diferente da que é praticada em nossas
escolas? Justifique.
Com certeza porque a educação indígena tem sido trabalhada de maneira muito
estereotipada. Um exemplo disso é a comemoração do dia do índio na qual as escolas
pintam as crianças, fazem cocares, entre outras atividades, mas não problematizam o
problema da condição indígena no Brasil. A mudança da cultura indígena e de como esse
indivíduos sofrem preconceito simplesmente porque tem uma cultura diferente.
A temática da História e Cultura Indígena na escola deve ser tratada de modo
a não reforçar alguns estereótipos presentes na sociedade, os quais veiculam
uma representação genérica dos indígenas, contribuindo para um
padrão no imaginário coletivo: índio com cocar na cabeça. Mas hoje em dia os índios já
não tem apenas essa caracterização. Isso apenas cria a noção de que os indígenas são
todos iguais, que tem uma cultura atrasada e primitiva e que os índios não são brasileiros
ou que os brasileiros não são os índios.
Nesse sentido, é importante a inserção dessa temática na escola porque contribui
para enriquecer esse ambiente, fazendo com que se contemplem outras matrizes que não
só a europeia, mas também a indígena e a afro-brasileira.

12