You are on page 1of 396

Manual de Serviços MAXXFORCE 4.8H / 7.

2H

Assistência Técnica
www.agrale.com.br
MANUAL DE OFICINA

MaxxForce 4.8H / 7.2H


Euro V
Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H
Euro V

MWM INTERNATIONAL Motores


Assistência ao Cliente
Av. das Nações Unidas, 22.002
Cep - 04795-915 - São Paulo - SP - Brasil

Internet: www.mwm-international.com.br
e-mail: assistencia@navistar.com.br
Fone: +55(11) 3882-3200
Fax: +55(11) 3882-3574
(DDG): 0800 0110229

9.72H.0.060.100.1 - 01/2012

Impresso no Brasil
Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÍNDICE

1
1
APRESENTAÇÃO

2
2
DADOS TÉCNICOS

3
3
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

BLOCO DO MOTOR 4 4

ÁRVORE DE MANIVELAS 5 5

ÁRVORE DE COMANDO 6 6

PISTÕES E BIELAS 7 7

CABEÇOTES 8 8

CARCAÇA DAS ENGRENAGENS 9 9

VOLANTE DO MOTOR E CARCAÇA DO VOLANTE DO MOTOR 10 10

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO 11 11

SISTEMA ELÉTRICO DO MOTOR 12 12

SISTEMA DE ARREFECIMENTO 13 13

SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL 14 14

SIST. DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR 15 15

TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) 16 16

SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE 17 17

DIAGNÓSTICO DE FALHAS 18 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APRESENTAÇÃO

1-1
Apresentação

Introdução.................................................................................................................................................. 1-2 2
Como Usar este Manual............................................................................................................................ 1-2

Índice do Manual.................................................................................................................................. 1-2 3

Índice da Seção.................................................................................................................................... 1-2

Informações sobre o Sistema Métrico.................................................................................................. 1-2 4

Informações de Segurança....................................................................................................................... 1-3

Terminologia de Segurança.................................................................................................................. 1-3 5

Instruções de Segurança..................................................................................................................... 1-3

Área de Trabalho............................................................................................................................. 1-3 6

Equipamento de Segurança............................................................................................................ 1-3

Medidas de Proteção...................................................................................................................... 1-3 7

Veículo............................................................................................................................................. 1-3
8
Motor............................................................................................................................................... 1-4

Prevenção de Incêndios.................................................................................................................. 1-4


9
Baterias........................................................................................................................................... 1-4

Ar comprimido................................................................................................................................. 1-4
10
Ferramentas.................................................................................................................................... 1-5

Fluidos Sob Pressão....................................................................................................................... 1-5


11
Combustível.................................................................................................................................... 1-5

Remoção de Ferramentas, Peças e Equipamentos........................................................................ 1-5


12
Instruções Gerais...................................................................................................................................... 1-6

Instruções Gerais de Limpeza................................................................................................................... 1-6


13
Limpeza com Ácidos e Solventes......................................................................................................... 1-6

Identificação e Localização do Número de Série do Motor....................................................................... 1-7


14
Numeração de Cilindros............................................................................................................................ 1-8

Acessórios do Motor.................................................................................................................................. 1-9 15


Compressor de Ar................................................................................................................................ 1-9

Alternador........................................................................................................................................... 1-10 16
Bomba de Alta Pressão...................................................................................................................... 1-10

Turboalimentador................................................................................................................................ 1-11 17

ECM – Módulo de Controle Eletrônico............................................................................................... 1-12

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1-2
Introdução

Este manual fornece informações e especificações completas para a desmontagem e montagem dos motores
MaxxForce 4.8H / 7.2H - Conama P7 - Euro V, assim como todos os componentes fabricados por MWM
INTERNATIONAL Motores.
Leia e siga todas as Instruções de Segurança. Consulte o item CUIDADO nas Instruções Gerais. Os procedimentos
de reparo descritos neste manual se baseiam na premissa de que o motor esteja apoiado corretamente.
Alguns dos procedimentos de montagem e desmontagem requerem ferramentas especiais.
Assegure-se que somente as ferramentas corretas sejam utilizadas de acordo com os procedimentos.
Os procedimentos de montagem e desmontagem apresentados neste manual são corretos no momento da
impressão.
MWM INTERNATIONAL Indústria Automotiva da América do Sul Ltda. se reserva o direito de fazer mudanças a
qualquer momento sem incorrem em qualquer obrigação de qualquer tipo.
Havendo qualquer diferença entre este manual e a aparência do motor, entre em contato com uma concessionária
autorizada MWM INTERNATIONAL ou o próprio fabricante.
Os componentes utilizados na fabricação de Motores MWM são da mais elevada e recente geração de tecnologia
e de alto nível de qualidade. Quando forem necessárias peças de reposição, use somente peças de reposição
MWM genuínas.

Como Usar este Manual

O desenvolvimento deste Manual se baseou em um motor MaxxForce 4.8H / 7.2H genérico, o qual possui
os mesmos procedimentos de operação e manutenção em todos os modelos desta série. Não obstante, as
ilustrações podem diferir de aplicação para aplicação.
Neste manual, todas as referências relativas a componentes do motor são divididas em 17 seções específicas e
2 apêndices. Para sua conveniência, a organização do Manual é compatível com os Boletins de Serviço MWM.

Índice do Manual
O Manual contém um índice que pode ser utilizado como uma referência rápida para o acesso a cada seção.

Índice da Seção
Cada seção compreende as seguintes informações:

• Página de Índice no início de cada seção para ajudar a localizar a informação desejada;
• Informações gerais a respeito do funcionamento de um componente e uma explicação de suas principais
alterações;
• Instruções de desmontagem, limpeza, inspeção e dimensões do componente.

Informações sobre o Sistema Métrico


Todas as dimensões estão de acordo com o Sistema Métrico Internacional (S.I.).

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APRESENTAÇÃO

1-3
Informações de Segurança

Este manual fornece procedimentos de manutenção gerais e específico essenciais para a operação confiável 2
do motor e sua segurança. Como muitas variações em procedimentos, ferramentas e peças de serviço estão
envolvidas, é impossível mencionar recomendações para todas as condições de segurança e perigos possíveis.
Leia as instruções de segurança antes de realizar quaisquer procedimentos de serviço e teste no motor ou 3
veículo. Veja os manuais de aplicação relacionados para mais informações.
Desconsiderar as Instruções de Segurança, Cuidados, Precauções e Notas neste manual pode levar a ferimentos,
morte ou dano ao motor ou veículo. 4

Terminologia de Segurança 5
Quatro termos são utilizados para expressar sua segurança e a operação segura do motor: Cuidado, Precaução,
Atenção e Nota.
6

! Cuidado: Um cuidado descreve ações necessárias para prevenir ou eliminar condições, perigos e
práticas inseguras que podem causar ferimentos pessoais ou morte.
7

! Precaução: Uma precaução descreve ações necessárias para prevenir ou eliminar condições que po-
dem causar dano ao motor ou veículo. 8

! Atenção: Uma atenção descreve ações que requerem um procedimento cuidadoso necessário para 9
a operação correta e eficiente do motor.

Nota: Uma nota contém informação útil para determinados procedimentos ou especificações.
10

Instruções de Segurança
11
Área de Trabalho
• Mantenha a área de trabalho limpa, seca e organizada.
12
• Mantenha o piso livre de ferramentas e peças.
• Assegure-se que a área de trabalho seja ventilada e bem iluminada.
• Assegure-se que um Kit de Primeiros Socorros esteja disponível. 13

Equipamento de Segurança 14
• Use dispositivos de içamento corretos.
• Use calços e cavaletes de segurança.
15

Medidas de Proteção
• Use óculos de segurança e sapatos de proteção. 16

• Use proteção auditiva correta.


• Use roupas de trabalho de algodão. 17
• Use luvas protetoras térmicas com mangas.
• Não use anéis, relógios de pulso ou outras bijuterias.
18
• Prenda os cabelos longos.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1-4 Veículo
• Assegure-se que o veículo esteja em ponto morto, o freio de estacionamento esteja aplicado e a rodas este-
jam calçadas antes de realizar serviços no motor.
• Verifique se a área está livre antes de dar partida no motor.

Motor
• O motor deverá ser operado ou receber serviços somente por pessoas qualificadas.
• Providencie a ventilação necessária quando operar o motor em uma área fechada.
• Mantenha materiais combustíveis longe do sistema de escapamento do motor e coletores de escapamento.
• Instale todas as blindagens, proteções e tampas de acesso antes de operar o motor.
• Não coloque o motor em funcionamento com as aberturas de entrada de ar ou escapamento desprotegidas.
Se isso for inevitável por motivos de serviço, coloque telas protetoras sobre todas as aberturas antes de
realizar serviços no motor.
• Desligue o motor e alivie toda a pressão no sistema antes de remover painéis, tampas de carcaças e tampas.
• Se um motor não for seguro para operar, instale avisos no motor e chave de ignição.

Prevenção de Incêndios
• Assegure-se que extintores de incêndio carregados estejam na área de trabalho.

Nota: Verifique a classificação de cada extintor de incêndio para assegurar-se de que os seguintes tipos de
incêndio possam ser combatidos.

1. Tipo A – Madeira, papel, tecidos e lixo.


2. Tipo B – Líquidos inflamáveis.
3. Tipo C – Equipamento elétrico.

Baterias
• Sempre desconecte o cabo negativo principal da bateria primeiro.
• Sempre conecte o cabo negativo principal da bateria primeiro.
• Evite se inclinar sobre baterias.
• Proteja seus olhos.
• Não exponha baterias a chamas expostas ou faíscas.
• Não fume no local de trabalho.

Ar Comprimido
• Use uma pistola de ar comprimido aprovada pela OSHA com pressão nominal de 207 kPa (30 psi).
• Limite a pressão de ar da rede da oficina a 207 kPa (30 psi).
• Use óculos de segurança ou óculos de proteção.
• Use proteção auditiva.
• Use proteções móveis para proteger outras pessoas na área de trabalho.
• Não aplique ar comprimido em seu corpo ou roupas.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APRESENTAÇÃO

Ferramentas 1-5

• Assegure-se que todas as ferramentas estejam em boas condições.


• Assegure-se que todas as ferramentas elétricas padrão estejam aterradas. 2
• Verifique quanto cabos elétricos desfiados antes de usar ferramentas motorizadas.

Fluidos Sob Pressão 3

• Use precaução extrema quando trabalhar em sistemas sob pressão.


• Siga somente os procedimentos aprovados. 4

Combustível
5
• Não abasteça excessivamente o tanque de combustível. O abastecimento excessivo cria um risco de incên-
dio.
• Não fume na área de trabalho. 6

• Não reabasteça o tanque de combustível quando o motor estiver em funcionamento.


7
Remoção de Ferramentas, Peças e Equipamentos
• Reinstale todas as proteções de segurança, blindagens e tampas após realizar serviços no motor.
8
• Assegure-se que todas as ferramentas, peças e equipamentos de serviço sejam removidos do motor e veí-
culo após a finalização de todo o trabalho.
9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1-6
Instruções Gerais

Este motor foi fabricado com a tecnologia mais recente e foi projetado para ser reparado usando técnicas padrão
junto com normas de qualidade.

• Use combustível de boa qualidade, isento de água e sujeira.


• Use somente o óleo recomendado.
• No evento de uma falha, procure somente a MWM ou o fabricante do veículo / equipamento. Evite que pes-
soas não autorizadas realizem serviços no motor, pois isso irá anular a garantia.
• Para uma partida do motor com bateria auxiliar, a capacidade de corrente e a voltagem de ambas as baterias
deve ser a mesma para evitar a sobrecarga de uma delas. O procedimento padrão é conectar o cabo nega-
tivo primeiro e, em seguida, o cabo positivo. Tome cuidado para não inverter a polaridade.
• Uma remoção incorreta dos cabos da bateria pode causar a perda de dados no ECM, apagando os códigos
de diagnóstico salvos na última partida do motor. Isso também pode causar surtos de voltagem e falhas do
ECM.

Instruções Gerais de Limpeza

Remova todas as juntas e anéis de vedação. Remova todos os depósitos de borra, carvão, etc. com uma escova
de arame ou uma espátula antes de colocar as peças em um tanque de limpeza. Tome cuidado para não danificar
as superfícies de assentamento dos dispositivos de vedação.
Após a limpeza, lave internamente todas as peças com água morna. Seque-as completamente com ar comprimido.
Remova a água dos orifícios e galerias de lubrificação.
Caso as peças não devam ser utilizadas logo após a limpeza, mergulhe-as em um composto antioxidante
adequado. Esse composto deverá ser removido das peças antes da instalação no motor.
As peças seguintes não podem ser limpas com vapor:

1. Componentes elétricos e eletrônicos;


2. Chicote elétrico;
3. Injetores de combustível;
4. Bomba de alta pressão;
5. Correias, tubos e mangueiras;
6. Retentores.

Limpeza com Ácidos e Solventes


A MWM INTERNATIONAL Motores não recomenda qualquer agente de limpeza específico para os componentes
do motor.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APRESENTAÇÃO

1-7
Identificação e Localização do Número de Série do Motor

O número de série do motor está gravado em dois locais: 2


1. Localizado no bloco do motor (lado direito de bloco do motor, visto pelo lado do volante do motor) abaixo do
cabeçote do motor;
2. Na plaqueta de identificação do motor (lado esquerdo do bloco do motor, visto pelo lado do volante do motor) 3
no coletor de admissão.

10

11

12

13

O número de série do motor pode ser encontrado na plaqueta de dados. A informação contida na plaqueta de 14
dados é:
- Modelo do motor;
- Padrão de emissões; 15
- Relação de materiais;
- Potência do motor (kW), na rotação do motor (rpm) e folga de válvulas (mm);
16
- Capacidade volumétrica do motor (litros);
- Número de peça do cliente;
- Rotação de marcha lenta (rpm); 17
- Número de série;
- Rotação máxima livre;
- Data de fabricação. 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1-8
Numeração dos Cilindros

A sequência dos cilindros se inicia a partir do volante do motor, conforme a ilustração abaixo.

Durante a montagem, verifique os números no bloco (A) e nos mancais (B), estes números devem corresponder
ao bloco.
A numeração dos mancais deve se iniciar a partir do volante do motor para o lado dianteiro.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APRESENTAÇÃO

1-9
Acessórios do Motor

Os seguintes acessórios do motor possuem etiquetas ou plaquetas de identificação do fabricante: 2


• Compressor de ar;
• Alternador;
3
• Bomba de combustível de alta pressão;
• Turboalimentador;
4
• Motor de partida;
• Módulo de controle do motor (ECM).
5
Observações:
Todas as informações relacionadas aos acessórios do motor podem ser encontradas no Manual de Diagnóstico.
6
As etiquetas ou plaquetas de identificação incluem informações e especificações úteis para os operadores do
veículo e técnicos.
7

Compressor de Ar
8

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1-10 Alternador

Capacidade

Número de Série

Modelo

Local de Fabricação

Bomba de Alta Pressão

Data Diária de Fabricação Código da Linha de Montagem

Código da Fábrica Código da Matriz de Dados ECC200

Nº de Peça Bosch
Nº de Contagem da Bomba

País de Origem Nº de Peça de Desenvolvimento Bosch

Tipo-Fórmula

Número de Peça Externo (Nº de Pedido


do Cliente)

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APRESENTAÇÃO

Turboalimentador 1-11

PLACA DE IDENTIFICAÇÃO
3

P/N 9.0529.20.1.0146-00
MOD KI4 4
S/N 53149700003
O Nº DE SÉRIE CONSISTE DE:
0 1 M 00000 000 5
ANO MÊS OEM ORDEM DE RODUÇÃO Nº SEQUENCIAL

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1-12 ECM – Módulo de Controle Eletrônico

ÍNDICE DA FÁBRICA PAÍS DE ORIGEM

NÚMERO DO EQUIPAMENTO DE TESTE

NÚMERO DE PEDIDO
NÚMERO DE SÉRIE

NÚMERO DE PEÇA (CONTEÚDO DO


CÓDIGO DE BARRAS)
ÍNDICE DE MODIFICAÇÃO
ÁREA DO CLIENTE
CÓDIGO DA MATRIZ DE DADOS

DATA DE FABRICAÇÃO (AA – MM – DD)

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Dados Técnicos

Especificação Técnica............................................................................................................................... 2-4 2-1


Sistema de Combustível............................................................................................................................ 2-4

Sistema de Lubrificação............................................................................................................................ 2-5 3


Sistema de Arrefecimento......................................................................................................................... 2-5

Válvula Termostática................................................................................................................................. 2-5 4


Descrição do Motor................................................................................................................................... 2-6

Lado Frio (Lado Esquerdo do Motor) .................................................................................................. 2-6 5

Lado Quente (Lado Direito do Motor) . ................................................................................................ 2-6

Freio de Escapamento de Descompressão (como opcional)............................................................. 2-10 6

Grade Estrutural (Ladder Frame)....................................................................................................... 2-10

Recursos de Acessórios.......................................................................................................................... 2-11 7

Localização de Componentes do Motor.................................................................................................. 2-12

Vista Superior..................................................................................................................................... 2-12 8

Vista Frontal....................................................................................................................................... 2-13

Vista Esquerda (Lado Frio) ............................................................................................................... 2-14 9

Componentes Mecânicos.............................................................................................................. 2-14

Vista Esquerda (Lado Frio) ............................................................................................................... 2-15 10

Componentes Elétricos................................................................................................................. 2-15

Vista Direita (Lado Quente) . ............................................................................................................. 2-16 11

Vista Traseira...................................................................................................................................... 2-17

Sistemas do Motor................................................................................................................................... 2-18 12

Cabeçote de Quatro válvulas............................................................................................................. 2-18

Junta do Cabeçote............................................................................................................................. 2-18 13

Lábios de Vedação De Elastômero.................................................................................................... 2-18

Camada Portadora............................................................................................................................. 2-18 14

Camada de Base da Câmara de Combustão..................................................................................... 2-18

Guarnição Completa.......................................................................................................................... 2-18 15

Diafragma........................................................................................................................................... 2-18
16
Geometria Complexa......................................................................................................................... 2-18

Diagrama do Sistema do Motor............................................................................................................... 2-19


17
Sistema de Gerenciamento de Ar........................................................................................................... 2-20

Fluxo de ar......................................................................................................................................... 2-21


18
Intercooler.......................................................................................................................................... 2-21

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sistema Turboalimentador....................................................................................................................... 2-22

Componentes Internos....................................................................................................................... 2-22


2-2 Componentes Externos...................................................................................................................... 2-24

Vista do Turbo................................................................................................................................ 2-24

Válvula Wastegate do Turbo............................................................................................................... 2-24

Sistema de Escapamento........................................................................................................................ 2-25

Sistema de Gerenciamento de Combustível........................................................................................... 2-26

Componentes do Gerenciamento de Combustível............................................................................. 2-26

Esquema do Fluxo de Combustível.................................................................................................... 2-27

Fluxo de Combustível......................................................................................................................... 2-28

Sistema de Controle Eletrônico............................................................................................................... 2-29

Componentes do Sistema de Controle Eletrônico............................................................................. 2-29

Operação e Função....................................................................................................................... 2-29

Voltagem de Referência................................................................................................................ 2-29

Condicionador de Sinal................................................................................................................. 2-29

Microprocessador.......................................................................................................................... 2-29

Memória do Microprocessador...................................................................................................... 2-30

ROM.............................................................................................................................................. 2-30

RAM.............................................................................................................................................. 2-30

Controle do Atuador...................................................................................................................... 2-30

Controle do ECM da Operação do Motor...................................................................................... 2-30

Sensores do Motor e Veículo................................................................................................................... 2-31

Resistor e Termistor............................................................................................................................ 2-32

Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor (ECT)............................................................... 2-32

Pressão e Temperatura do Ar do Coletor (TMAP)......................................................................... 2-32

Pressão Barométrica Absoluta (BAP)........................................................................................... 2-32

Pressão de Combustível do Motor (EFP)...................................................................................... 2-32

Sensor Capacitivo.............................................................................................................................. 2-33

Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP)................................................................................ 2-33

Sensores Magnéticos......................................................................................................................... 2-33

Sensor de Posição da Árvore de Manivelas (CKP)....................................................................... 2-33

Sensor de Posição da Árvore de Comando (CMP)....................................................................... 2-33

Sensor de Velocidade do Veículo (VSS)............................................................................................. 2-34

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Potenciômetro.................................................................................................................................... 2-35 1

Sensor de Posição do Acelerador (APS)........................................................................................... 2-35

Interruptores....................................................................................................................................... 2-36 2-3

Interruptor da Embreagem................................................................................................................. 2-36

Nível de Líquido de Arrefecimento do Motor (ECL)............................................................................ 2-36 3

Água no Combustível (WIF)............................................................................................................... 2-36


4
Interruptor de Marcha-lenta Baixa (LIS) ............................................................................................ 2-36

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Especificação Técnica

2-4 (Consulte as Seções específicas para os procedimentos de manutenção)

Dados do Motor 7.2 H


Tipo do Motor Cilindros verticais em linha, 4 tempos
Tipo de injeção Direta com gerenciamento eletrônico – Common Rail
Cavidade do cilindro 105 mm
Curso do cilindro 137 mm

Capacidade volumétrica do cilindro 1,2 litros (cm3)

Capacidade volumétrica total 7,200 litros


Quantidade de cilindros 6
Taxa de compressão 16.9:1
Sequência de ignição 1-5-3-6-2-4
Direção de rotação Anti-horária (vista pelo lado do volante do motor)
Peso do motor (a seco) 551Kg
Potência @ 2200 rpm 330CV 274CV 213CV - 165 KW
Torque @ 1200 ~ 1600 rpm 213CV – 760Nm
Torque @ 1200 ~ 1600 rpm 274CV – 950Nm
Torque @ 1200 ~ 1600 rpm 274CV ET – 1100Nm
Torque @ 1200 ~ 1600 rpm 330CV -1300Nm
Folga de válvulas (a frio) 0.20 to 0.40 mm
Emissões EURO V / PROCONVE P7
Sistema de admissão Resfriado por Intercooler e Válvula Waste Gate
Cabeçote Cabeçote individual com 4 válvulas por cilindro e “fluxo cruzado”

Sistema de Combustível

(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)

Descrição 7.2H
Restrição máxima da entrada de com-
0,6 a 1,2 bar
bustível (para bomba de engrenagens)
Pressão no rail 350 a 1800 bar
Faixa de pressão do com-bustível na
saída do filtro de combustível (em 9,7 a 12,8 bar
velocidade de partida)
Faixa de pressão do combustível
na entrada de combustível do filtro
10,5 a 13 bar
de combustível (em velocidade de
operação)
Perda de carga máxima da pressão no
≤0,8 bar
filtro de combustível

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Sistema de Lubrificação

(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção) 2-5

Descrição 7.2 H
Pressão do óleo 3

• Rotação nominal 5,3 bar (motor quente)


• Rotação de marcha-lenta 3,5 bar (motor quente) 4
Temperatura do óleo
• Nominal 90 - 110 °C
5
• Máxima 120 °C
Capacidade de óleo
• Módulo resfriador 1,75 litros 6
• Mínima (sem filtro) 14,8 litros
• Máxima (sem filtro) 17,3 litros
• Mínima (com filtro) 18,6 litros 7

• Máxima (com filtro) 20,3 litros


Variação de pressão do filtro de óleo 8
0,12 a 0,28 bar
para abrir derivação

Sistema de Arrefecimento
10
(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)

Descrição 7.2H 11
Capacidade de líquido de arrefeci-
9 litros
mento do motor, sem radiador (*)
Temperatura do líquido de arrefeci- 12
mento
80 ~ 90°C
• Nominal
100°C 13
• Máxima

* Para o volume total (Motor + Radiador), consulte o manual do veículo. 14

Válvula Termostática 15

(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)


16
Curso da Abertura
Válvula Termostática Início da Abertura Abertura Total
Máxima
17
9.229.0757.0046 75 ± 2°C 90°C 10.0 mm

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Descrição do Motor

2-6 As aplicações em caminhões MWM CONAMA Proconve P7 ”Euro 5” são designadas como MaxxForce 7.2L.
Esses motores também serão instalados em ônibus.
As instalações podem diferir de um modelo de veículo para outro com respeito ao sistema de arrefecimento,
sistema de escapamento, etc.
Estes motores apresentam a capacidade volumétrica de 7.2 litros (seis cilindros), e um sistema de combustível
tipo common-rail.
Esta família de motores compreende unidades diesel do tipo seis cilindros em linha que apresentam
turboalimentador, intercooler e uma injeção de combustível controlada eletronicamente. Em ambos os casos as
engrenagens de sincronização estão localizadas na frente do motor.
Eles apresentam um projeto de 4 válvulas por cilindro com injetores localizados centralmente na câmara de
combustão, fornecendo combustível diretamente sobre a cabeça do pistão para um desempenho melhorado e
níveis reduzidos de emissões. Eles também apresentam resfriador de óleo aumentado, filtro amigável ao meio
ambiente e uma bomba de água com fluxo de água melhorado.
Como opção, o motor pode ser equipado com o sistema MWM DEB (Freio de Escapamento por Descompressão).
O freio de compressão é descrito posteriormente neste manual.
O sistema de combustível compreende os injetores, que não possuem contato com a árvore de comando, mas
em vez disso são controlados pela unidade de controle do motor. A alta pressão do combustível para todos os
injetores é armazenada no common rail.
Para melhorar a durabilidade dos componentes e o desempenho do motor, os motores foram projetados seguindo
um conceito de “lado quente” / “lado frio” para a distribuição dos componentes:

Lado frio (lado esquerdo do motor):


• Sistema de alimentação de combustível;
• Coletor de ar de admissão.

Lado quente (lado direito do motor):


• Sistema turboalimentador;
• Compressor de ar;
• Coletor de escapamento.

A família de motores MaxxForce 6 cilindros pode desenvolver diferentes faixas de saída de potência e torque
dentro das seguintes faixas, conforme descrito abaixo:

6 cilindros:
• 213 CV até 330 CV;
• 760 Nm até 1300 Nm;
• 1200 a 1600 rpm.

Os motores pesam 548 kg (6 cilindros) respectivamente.


Para cada aplicação veicular dos motores, há um diferente diagrama de saída de torque x potência.
A sequência de ignição de os cilindros é 1-3-4-2 para os motores de quatro cilindros e 1–5–3–6–2–4 para os
motores de seis cilindros.
O cabeçote possui quatro válvulas por cilindro com fluxo cruzado para obter um fluxo de ar melhorado. A junta
do cabeçote é feita de metal-borracha e é individual para cada cabeçote. O injetor de combustível é localizado
centralmente entre as quatro válvulas e direciona o combustível sobre a cuba do pistão para o desempenho
melhorado e emissões reduzidas. O comando no trem de válvulas no cabeçote inclui acionadores mecânicos de
roletes, hastes de acionamento, balancins e válvulas duplas que se abrem usando uma ponte de válvulas.
O cárter monobloco suporta cargas de alta pressão durante o funcionamento a Diesel. Fabricado em liga de
alumínio fundida, o cárter possui um tamanho compacto e é de construção leve.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Sete mancais principais suportam a árvore de manivelas para o motor MaxxForce 7.2H. Uma bucha de bronzina 1
suporta a árvore de comando, o outro suporte é montado no bloco do motor. O suporte do retentor de óleo traseiro
faz parte da carcaça do volante do motor. O conjunto de respiro do cárter aberto usa um tubo de aspiração aberto
para o exterior para liberar a pressão do cárter para a atmosfera e um separador de óleo que retorna o óleo para
o cárter. 2-7

O sensor de posição da árvore de manivelas - CKP e o sensor de posição da árvore de comando - CMP são
utilizados pelo ECM para calcular a rpm, a sincronização de injeção de combustível, e a quantidade e tempo de
injeção. Fabricado com aço forjado, seu novo formato melhora a resistência mecânica, os pistões são feitos com 3
bielas de capa fraturada. Camisas de cilindro úmidas substituíveis de raio arredondado são utilizadas com os
pistões.
O novo modelo de volante do motor com amortecedor viscoso para os motores MaxxForce 4.8H / 7.2H possui 4
aletas para auxiliar a refrigeração.
A bomba de óleo é instalada na dianteira do bloco do motor e é acionada diretamente pela árvore de manivelas.
Todos os motores usam um resfriador de óleo aumentado e filtro ecológico.
5
A bomba de alimentação de combustível de baixa pressão aspira o combustível do tanque de combustível através
do conjunto do filtro de combustível que inclui o filtro de tela, elemento filtrante, bomba de escorva, válvulas de
drenagem e sensor de água no combustível (WIF). Após a filtragem, o combustível é bombeado para a bomba de
combustível de alta pressão, em seguida para o rail de combustível e, finalmente, para os injetores. 6
O sistema de injeção de alta pressão no common rail da MWM INTERNATIONAL inclui um coletor de óleo de
ferro fundido, injetores de combustível e a bomba de alta pressão.
A nova bomba de água foi projetada com sete palhetas para aumentar o fluxo de água. 7
O ECM é responsável por monitorar e controlar os sistemas eletrônicos do motor.
A separação da água no combustível (WIF) ocorre quando o elemento filtrante repele as moléculas de água. A
água se acumula na parte inferior da cavidade do elemento na carcaça do filtro de combustível. O sensor de 8
água no combustível (WIF) na cavidade do elemento da carcaça do filtro de combustível detecta a presença de
água. Quando água suficiente se acumula na cavidade do elemento, o sensor WIF envia um sinal para o painel
de instrumentos. A manopla da válvula de drenagem de combustível na carcaça pode ser aberta para drenar a
9
água da carcaça do filtro de combustível.

Motores MaxxForce Euro V 10


Os motores MaxxForce possuem um freio de escapamento como equipamento opcional. O freio de escapamento
consiste de um obturador e um cilindro de operação localizados próximos ao turboalimentador. O cilindro de
operação é operado eletricamente, sob o controle do módulo de controle eletrônico do motor. 11

12

13

14

15

16
A finalidade do freio de escapamento é:
• Atuar como um freio de escapamento ao descer ladeiras. 17
Ativação do freio de escapamento:
O freio de escapamento é controlado via uma haste de comando localizada à esquerda do volante de direção ou
pelo botão na posição do motorista. 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Há duas posições:
1. Sem freio de escapamento ativo;

2-8 2. Freio de escapamento ativo.


Para ativar o freio de escapamento, a haste de comando deve estar na posição 1 e os pedais do acelerador e
embreagem não pressionados.
O controle/válvula solenoide se abre e libera ar comprimido para o pistão na carcaça do obturador. O obturador
se fecha e gera contrapressão de escapamento.

Freio-motor por Descompressão (DEB) (como opcional)

Interruptor

Sistema de Servofreio MWM

1. Cotovelo + Flap de Escapamento 5. Interruptor + Luz indicadora (variações de acor-


do com o projeto elétrico do veículo
2. Flap de escapamento primário
6. APS – Pedal do acelerador
3. DEB
7. Sensor VSS
4. ECM

Para melhorar o desempenho do servofreio padrão, a família de motores MaxxForce pode ser equipada
opcionalmente com o sistema que trabalha junto com um flap de freio convencional no sistema de escapamento.
Esse sistema adicional é chamado DEB (freio-motor por descompressão) e se localiza nas válvulas de
escapamento no cabeçote. O sistema DEB aumenta a ação de frenagem quando comparado ao sistema de
freio-motor convencional.
Para ativar o sistema de freio-motor por descompressão, o interruptor no painel de instrumentos deve ser ativado
pelo operador do veículo sob as seguintes condições: veículo sob carga, acelerador e pedal de embreagem não
pressionados e pedal de freio pressionado.
Com o sistema DEB no modo de freio (veja a figura), o módulo de controle eletrônico abaixa abruptamente (corta)
a quantidade de injeção de combustível. O flap de escapamento fecha o escapamento de gases, criando uma
contrapressão no coletor de escapamento, elevando a contrapressão cerca de 7 bar, causando a abertura da
válvula de escapamento (ricochete) e a válvula de escapamento é mantida aberta durante a fase de compressão,
portanto o motor atua como um “compressor de ar”.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Descompressão
do Cilindro
2-9

Admissão Compressão Expansão Escapamento


7

1. Para ativar o freio-motor, o flap de escapamento é fechado e a contrapressão é elevada a um valor muito alto
8
(cerca de 7 bar), causando a abertura da válvula de escapamento (ricochete).

10

11

12

Fase de Compressão Compressão e Expansão Fase de Escapamento


13

2. Uma mola interna pressiona o êmbolo do freio-motor para mover e eliminar a folga existente agora entre o 14
balancim e válvula.
3. O mecanismo hidráulico do freio-motor preenchido com óleo não permite que válvula ricocheteada se feche,
15
mantendo-a ligeiramente aberta (cerca de 1,5 mm), assim permitindo a descompressão.
4. Conforme o ressalto de escapamento da árvore de comando começa a abertura da válvula de escapamen-
to movendo o balancim, uma passagem de óleo é aberta, assim causando o vazamento no mecanismo 16
hidráulico, gradualmente coincidindo a elevação da abertura da válvula com a elevação regular da válvula
determinada pela ação do ressalto da árvore de comando.
5. O mesmo ciclo é repetido enquanto o flap estiver fechado – a contrapressão de escapamento é alta. Um 17
pequeno pistão hidráulico se localiza na saída ponte de válvula, o qual é acionado pela pressão de óleo do
motor e pelo orifício de alívio, através do qual a pressão do óleo pode ser reduzida novamente.
18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Freio de Escapamento de Descompressão (como opcional)


Como ele funciona

2-10 1. Ative o interruptor do freio-motor no painel de instrumentos do veículo;


2. O flap de escapamento fecha o escapamento de gases e o ECM corta a injeção de combustível;
3. Por contrapressão de escapamento, o cabeçote abre a válvula de escapamento do cilindro.

Motor trabalha como um compressor do freio.

Descompressão
do Cilindro

Admissão Compressão Expansão Escapamento

Grade Estrutural (Ladder Frame)


Fabricado em chapa de aço, a grade estrutural é um reforço do bloco do motor para evitar possíveis torções que
possam causar danos ao motor.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Recursos de Acessórios

Observações: 2-11
Todas as informações relacionadas aos acessórios do motor podem ser encontradas, como caixas pretas, no
Manual de Diagnóstico.
3
O compressor de ar é utilizado geralmente para freios a ar, controles das portas ou suspensões a ar. A bomba
da direção hidráulica é montada com o compressor de ar. Em um motor MaxxForce 4.8H / 7.2H, ambos os
componentes estão localizados no lado quente do motor, próximos ao trem de força.
4
O alternador é acionado pelo sistema de polias e acessórios da correia, utilizado para carregar a bateria e
energizar o sistema elétrico do veículo quando o motor estiver em funcionamento. Ele está localizado no lado frio
do motor, lado das polias do bloco (posição superior).
5
O motor de partida é um motor elétrico que inicia o movimento rotativo do motor de combustão interna para iniciar
a combustão. No motor MaxxForce 4.8H / 7.2H ele está localizada no lado frio do motor, próximo ao volante do
motor.
6
A bomba de alta pressão de 3ª geração alimenta os injetores de combustível com combustível sob alta pressão.
A pressão máxima nominal é de 1800 bar. Ela está localizada no lado frio do motor, próxima ao trem de força
O turboalimentador com válvula wastegate é um compressor de ar utilizado para indução forçada de um motor 7
de combustão interna. A finalidade do turboalimentador é aumentar a massa de ar que entra no motor para criar
mais potência. No motor MaxxForce 4.8H / 7.2H ele está localizado no lado quente do motor, próximo ao tubo de
água, na posição superior. 8

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Localização de Componentes do Motor

2-12 Vista Superior

1. Tubo da curva de admissão


2. Sensor de temperatura do arrefecimento
3. Carcaça da válvula termostática
4. Compressor de ar
5. Curva de escapamento integrada (com freio de escapamento)
6. Defletor do coletor de escapamento
7. Tubo de água
8. Válvula wastegate do turbocompressor
9. Tampa de válvulas
10. Sensor de rotação do motor
11. Tubo de alta pressão (Rail)
12. Chicote de fiação do motor

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Vista Frontal 1

2-13

10

1. Tubo do cotovelo de entrada


2. Suporte dianteiro do motor 11

3. Amortecedor de vibração
4. Cárter 12
5. Tampa das engrenagens de sincronização
6. Sensor de fase
13
7. Sensor de temperatura do arrefecimento
8. Chicote dos injetores de combustível
14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Vista Esquerda (Lado Frio)

2-14

Componentes Mecânicos
1. Coletor de admissão
2. Resfriador do filtro de óleo lubrificante e cabeçote do radiador
3. Tubo de combustível de alta pressão (Rail)
4. Tubo de entrada do tanque de combustível
5. Tubo de retorno para o tanque de combustível
6. Suporte traseiro do motor
7. Tubo de respiro
8. Filtro de óleo lubrificante
9. Filtro de combustível
10. Cárter
11. Entrada de abastecimento de água
12. Bomba de combustível de alta pressão

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Vista Esquerda (Lado Frio) 1

2-15

10

Componentes Elétricos
11
1. Sensor de pressão e temperatura do ar de admissão (TMAP)
2. Sensor de pressão (EFP) - Rail
3. Módulo de controle eletrônico (ECM) 12

4. Sensor de rotação
5. Motor de partida 13
6. Sensor de temperatura do combustível
7. Chicote de fiação
14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Vista Direita (Lado Quente)

2-16

1. Tubo de líquido de arrefecimento


2. Defletor do coletor de escapamento
3. Compressor de ar
4. Alojamento da vareta medidora do nível de óleo
5. Cotovelo de escapamento integrado (com freio de escapamento)
6. Tubo de retorno do turbocompressor
7. Turbocompressor
8. Suporte traseiro do motor
9. Válvula wastegate do turbocompressor
10. Coletor de escapamento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Vista Traseira 1

2-17

10

1. Tampa de válvulas
2. Cabeçote 11

3. Turbocompressor
4. Carcaça do volante do motor 12
5. Volante do motor
6. Sensor de rotação do motor
13
7. Chicote de fiação do motor
8. Olhal de içamento do motor
14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sistemas do Motor

2-18 Cabeçote de Quatro Válvulas Lábios de Vedação de Elastômero


(Consulte a seção 8 para os procedimentos de Os lábios de vedação de elastômero providenciam
manutenção). uma vedação para o líquido de arrefecimento e
óleo. Seu material e geometria são especialmente
Este motor possui 6 cabeçotes. Um cabeçote para
adaptados para este motor.
cada cilindro, tipo comando no cabeçote, 4 válvulas
por cilindro e fluxo cruzado, cujos recursos constam
de orifícios de admissão e escapamento em lados Camada Portadora
opostos, aumentando o desempenho, já que os
gases podem fluir para dentro e para fora do cilindro Junto com a guarnição da câmara de combustão,
através do cabeçote com mais eficiência. esta camada determina a espessura comprimida e a
vedação de gases.
As 4 válvulas são responsáveis por controlar a entrada
e saída de ar/gases. Neste sistema de 4 válvulas,
a válvula de admissão é maior do que a válvula de Camada de Base da Câmara de Combus-
escapamento, para permitir a entrada de gás para os
tão
cilindros. Em tal configuração, há 2 válvulas para a
admissão e 2 válvulas para o escapamento. Um elemento de projeto, que serve para aumentar
a resistência mecânica à compressão na câmara
de combustão. Assim, as forças dos parafusos são
Juntas dos Cabeçotes transferidas para a área da câmara de combustão de
maneira controlada.
A junta do cabeçote é feita de aço e é montada
individualmente, uma junta para cada cabeçote.
As juntas metalelastoméricas dos cilindros - cabeçotes Guarnição Completa
possuem um sistema de vedação resistente e Este recurso gera uma resistência mecânica à
durável, que consiste de suportes metálicos com compressão equilibrada ao longo da borda da câmara
perfis de elastômero vulcanizados.
de combustão.
O fundamental para o desempenho extraordinário das
juntas metalelastoméricas dos cilindros - cabeçotes é
a distribuição de resistência mecânica à compressão Diafragma
na região do bloco do motor/cabeçote, resistência
mecânica à compressão específica na área da O fluxo de líquido de arrefecimento pode ser
câmara de combustão e uma baixa resistência controlado orientando as seções transversais do
mecânica à compressão na área de líquidos. fluxo sobre o diafragma vulcanizado.

La
do Geometria Complexa
a-

do
to cap

vo A junta apresenta geometria complexa e raio ao


en s

l
m ee

an longo de sua circunferência para esta aplicação.


te
d

do
do
La

m
ot
or
o
ssã

La
do
mi

da
ad

s
po
de

lia
s
do
La

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Diagrama do Sistema do Motor

2-19

Sistema de Sistema de 3
Sistema de Con- Gerenciamento
Gerenciamento
trole Eletrônico de Combustível
de Ar
4

5
Sistema de Sistema de
Arrefecimento Alimentação de
Combustível
6

7
Os sistemas primários do motor são os de Gerenciamento de Ar e Gerenciamento de Combustível, os quais
compartilham alguns subsistemas ou possuem um subsistema que contribui para sua operação.
8
• O sistema de Controle Eletrônico controla o Sistema de Gerenciamento de Ar e o Sistema de Gerenciamento
de Combustível.
• O Sistema de Alimentação de Combustível pressuriza o combustível. Em seguida, ele flui através do res- 9
friador do ECM, passa para a bomba de transferência, filtro de combustível, é pressurizado pela bomba de
combustível de alta pressão, enviado para o rail de combustível e, em seguida, para os injetores.

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sistema de Gerenciamento de Ar

2-20

1. Ar de admissão
2. Gases de escapamento
3. Intercooler
4. Duto de ar da admissão
5. Coletor de admissão
6. Válvula wastegate
7. TMAP – Sensor de pressão e temperatura do ar
8. Cabeçote (4 válvulas por cilindro)
9. Coletor de escapamento
10. Turboalimentador
11. Filtro de ar
12. Freio de escapamento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

O sistema de gerenciamento de ar inclui: 1

• Conjunto do filtro de ar;


• Intercooler instalado no chassi; 2-21
• Coletor de admissão;
• Sistema de escapamento.
3

Fluxo de Ar
O ar flui através do conjunto do filtro de ar e entra no turboalimentador. O compressor aumenta a pressão, 4
temperatura e densidade do ar de admissão antes de ele entrar no resfriador da carga de ar (CAC). O ar resfriado
comprimido flui do CAC para o coletor de admissão. Após a combustão, os gases de escapamento são forçados
através do coletor de escapamento para o turboalimentador. 5

• Quando os gases de escapamento se misturam com o ar filtrado, as emissões de óxido de nitrogênio (Nox)
e ruído são reduzidas.
6
• Os gases de escapamento remanescentes fluem para girar o turboalimentador e se expandem através da
roda da turbina, variando a pressão de sobrealimentação.
• A roda do compressor do turboalimentador comprime o ar filtrado. 7

Intercooler
8
O ar proveniente do turboalimentador passa através dos tubos de trocador de calor da extremidade da rede de
aquecimento antes de entrar no coletor de admissão.
O fluxo de ar externo sobre os tubos e aletas resfria a carga de ar. A carga de ar é mais fria e mais densa. Ar mais 9
frio e mais denso melhora a proporção da mistura ar/combustível durante a combustão, resultando em controle
melhorado das emissões e saída de potência.
10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sistema Turboalimentador

2-22 (Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)

Componentes Internos

1. Eixo e roda da turbina


2. Carcaça da turbina
3. Entrada de óleo da turbina
4. Carcaça do compressor
5. Roda do compressor

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

2-23

1. Eixo e roda da turbina 10


2. Carcaça da turbina
3. Válvula wastegate 11
4. Roda do compressor
5. Carcaça do compressor
12
6. Alojamento do rolamento

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Componentes Externos

2-24

Entrada da Saída do
Turbina Compressor

Vista do Turbo
1. Entrada de óleo
2. Etiqueta de identificação
3. Saída de óleo
4. Atuador pneumático da válvula wastegate
5. Válvula wastegate
6. Conexão de ar de controle do turbo

Válvula Wastegate do Turbo


(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)
Os motores MaxxForce 4.8H / 7.2H são equipados com um turboalimentador Borg Warner Série K. A série K
possui uma carcaça com fluxo único e um fluxo nominal máximo de 0,16 kg/s. A série K também é equipada com
uma válvula wastegate externa.
A válvula wastegate direciona os gases de escapamento para longe da roda da turbina, quando a válvula
é ativada os gases de escapamento são liberados para o coletor de escapamento. Isso faz a turbina perder
velocidade, o que por sua vez reduz a velocidade de rotação do compressor. A função primária da válvula
wastegate é estabilizar a pressão de sobrealimentação no sistema de turboalimentadores para proteger o motor
e o turboalimentador.
A válvula wastegate é um mecanismo independente autônomo utilizado tipicamente com turboalimentadores.
Esta válvula requer um coletor de turbo especialmente construído com uma passagem dedicada indo para a
válvula wastegate. Elas são utilizadas geralmente para regular os níveis de sobrealimentação em aplicações de
alta potência, onde podem ser obtidos altos níveis de sobrealimentação.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Sistema de Escapamento

(Consulte a Seção 16 para os procedimentos de manutenção) 2-25


O sistema de escapamento inclui o seguinte:

• Válvulas de escapamento; 3

• Coletor de escapamento;
4
• Turboalimentador;

• Dutos de escapamento;
5
• Silencioso.

O sistema de escapamento remove os gases de escapamento do motor. Os gases de escapamento saem das
6
válvulas de escapamento, através dos orifícios de escapamento, e fluem para o coletor de escapamento. Os
gases de escapamento em expansão são direcionados através do coletor de escapamento.
Os gases de escapamento fluindo no turboalimentador acionam a roda da turbina. Os gases de escapamento 7
saem do turboalimentador e fluem nos dutos de escapamento, através do silencioso, e para fora do cano de
escapamento para a atmosfera.
8

Ar de Admissão 9

10

11
Escapamento

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sistema de Gerenciamento de Combustível

2-26 Componentes do Gerenciamento de Combustível


(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)

O sistema de gerenciamento de combustível inclui o seguinte:


• Sistema de alimentação de combustível;
• Injetores de combustível;
• Sistema de controle eletrônico.

Módulo de
Controle Ele-
trônico (ECM)

Sistema de
Alimentação
de Combustível

Combustível
Circuito Eletrônico

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Esquema do Fluxo de Combustível 1

2-27
Pressão: 340 até 400 bar (marcha lenta)
Carga parcial: 800 bar
Carga total:1100 até 1800 bar 3

Bomba de pressão do rail Sensor de pressão Válvula limitadora


Pressão: 0,5 até 3,5 bar do rail de pressão 4

Retorna o combus-
5
tível para o tanque
Filtro sempre que a pres-
são excede 1800 bar.
Sensores Atuadores Se fecha quando 6
a pressão abaixa
(menos de 1800 bar)
Injetor 7

Tanque com
8
pré-filtro Unidade de controle
eletrônico
Pressão de
retorno: 0,5 bar 9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Fluxo de Combustível
A carcaça do filtro de combustível inclui os seguintes componentes:

2-28 Filtro de tela de combustível; Elemento filtrante de combustível; Separador de água; Sensor de água no combustível
(WIF); Válvula de drenagem de água.

Combustível proveniente do tanque


Combustível proveniente da bomba de engrenages
Combustível filtrado
Combustível sob alta pressão
Retorno de combustível

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Sistema de Controle Eletrônico

Componentes do Sistema de Controle Eletrônico 2-29


(Consulte a Seção Específica para os procedimentos de manutenção)

3
Operação e Função
O Módulo de Controle Eletrônico (ECM) monitora e controla o desempenho do motor para assegurar o máximo
desempenho e a conformidade com as normas de emissões. 4
O ECM possui quatro funções primárias:

• Fornece a Voltagem de Referência (VREF); 5


• Condiciona os sinais de entrada;
• Processa e armazena estratégias de controle;
6
• Controla os atuadores (sinais de saída).

Voltagem de Referência (VREF) 7

O ECM alimenta um sinal VREF de 5 volts para os sensores de entrada no sistema de controle eletrônico.
Comparando o sinal VREF de 5 volts enviado para os sensores com seus respectivos sinais retornados, o ECM
determina as pressões, posições e outras variáveis importantes para as funções do motor e veículo. 8

O ECM alimenta dois circuitos independentes para VRE:

• VREF A alimenta 5 volts para os sensores do motor; 9

• VREF B alimenta 5 volts para os sensores do veículo.


10
Condicionador de Sinal
O condicionador de sinal no microprocessador interno converte os sinais analógicos em sinais digitais,
transformando os sinais senoidais em ondas quadradas, ou amplifica os sinais de baixa intensidade para um 11
nível que o microprocessador do ECM possa processar.

12
Microprocessor
O microprocessador do ECM armazena as instruções de operação (estratégias de controle) e tabelas de valores
(parâmetros de calibração). O ECM compara as instruções e valores armazenados com os valores da entrada 13
condicionada para determinar a estratégia correta de operação para todas as operações do motor.
Cálculos contínuos no ECM ocorrem em dois diferentes níveis ou velocidades: Primeiro Plano e Plano de Fundo.
14
• Os cálculos em primeiro plano são muito mais rápidos do que os cálculos em plano de fundo e são normal-
mente mais críticos para a operação do motor. O controle da rotação do motor é um exemplo.
• Os cálculos em plano de fundo são normalmente variáveis que mudam em taxas mais baixas. A temperatura 15
do motor é um exemplo.

Códigos do Diagnóstico de Falhas (DTCs) são gerados pelo microprocessador quando as entradas ou condições
não estão de acordo com os valores esperados. 16

Estratégias de diagnóstico também estão programadas no ECM. Algumas estratégias monitoram as entradas
continuamente e comandam as saídas necessárias para obter um desempenho correto do motor.
17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Memória do Microprocessador
O microprocessador do ECM inclui a Memória Somente Leitura (ROM) e a Memória de Acesso Randômico
(RAM).
2-30

ROM
A memória ROM armazena as informações permanentes para as tabelas de calibração e operação das estratégias.
As informações armazenadas permanentemente não podem ser alteradas ou perdidas desligando-se a chave de
ignição ou quando a alimentação do ECM é interrompida. A ROM inclui o seguinte:

• Configuração do veículo, modos de operação e opções;


• Código de classificação da família de motores (EFRC);
• Modos de cuidado e proteção do motor.

RAM
A memória RAM armazena informação temporária para as condições atuais do motor. a informação temporária
da RAM é perdida quando a chave de ignição é desligada ou quando a alimentação do ECM é interrompida. As
informações da RAM incluem o seguinte:

• Temperatura do motor;
• RPM do motor;
• Posição do pedal do acelerador.

Controle do Atuador
O ECM controla os atuadores aplicando um sinal de baixo nível (driver do lado baixo) ou um sinal de alto nível
(driver do lado alto). Quando ativados, ambos os drivers completam o circuito de aterramento ou alimentação
para o atuador.
Os atuadores são controlados de três maneiras, determinadas pelo tipo do atuador.

• Um ciclo de regime de trabalho (porcentagem de tempo ligado/desligado).


• Uma largura de pulso controlada.
• Ativação ou desativação.

Controle do ECM da Operação do Motor


O ECM controla a operação do motor através dos seguintes atuadores:

• Módulo de controle da válvula wastegate do turboalimentador;


• Módulo de controle e válvula de controle EGR;
• Válvula de pressão do combustível;
• Injetores.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

1
Sensores do Motor e Veículo

2-31

10

11

12
1. Módulo de Controle Eletrônico (ECM)
2. Pressão de óleo do motor (EOP)
13
3. Temperatura do líquido de arrefecimento do motor (ECT)
4. Pressão e temperatura do ar do coletor (TMAP)
14
5. Pressão de combustível do motor (EFP)
6. Sensor de água no combustível (WIF)
7. Sensor de posição da árvore de manivelas (CKP) 15

8. Sensor de posição da árvore de comando (CMP)


9. Sensor de velocidade do veículo (VSS) 16
10. Pressão barométrica absoluta (BAP)
11. Sensor de posição do acelerador (APS)
17
12. Nível de líquido de arrefecimento do motor (ECL)
13. Interruptor de posição da embreagem (CPS)
18
14. Sensor do pedal de freio (BPS)

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Resistor e Termistor
• ECT
2-32 • T-MAP (UNIDADE COMBINADA DE RESISTOR E TERMISTOR)
• EFP
• BAP

O sensor do tipo termistor altera sua resistência elétrica com mudanças na temperatura. A resistência no termistor
diminui conforme a temperatura aumenta, e aumenta conforme a temperatura diminui. Os termistores trabalham
com um resistor que limita a corrente no ECM para formar um sinal de voltagem correspondente ao valor da
temperatura.
A metade superior do divisor de voltagem é um resistor que limita a corrente no interior do ECM. O sensor
termistor possui dois conectores elétricos: retorno de sinal e aterramento. A saída do sensor termistor é um sinal
analógico não linear.

Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor (ECT)


O ECM monitora o sinal ECT e usa essa informação para o medidor de temperatura do painel de instrumentos,
compensação do líquido de arrefecimento, sistema de proteção e advertência do motor (EWPS) e operação do
aquecedor de admissão. O sensor ECT está instalado no tubo de água.

Pressão e Temperatura do Ar do Coletor (TMAP)


O ECM monitora o sinal TMAP e determina a pressão do coletor de admissão (sobrealimentação). Essa informação
é utilizada para controlar o combustível nominal e a sincronização da injeção. O sensor TMAP se encontra no lado
superior do coletor de admissão.

Pressão Barométrica Absoluta (BAP)


O ECM monitora o sinal BAP para determinar a altitude, ajustar a sincronização e a quantidade de combustível.
O sensor BAP está instalado na placa PCB do ECM.

Pressão de Combustível do Motor (EFP)


O ECM monitora o sinal EFP para determinar a pressão correta do combustível para uma operação eficiente do
motor. O sensor EFP está instalado no rail de combustível.

1. Sensor de pressão 4. Microprocessador


2. Módulo de Controle Eletrônico (ECM) 5. Voltagem de referência (VREF)
3. Aterramento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Sensor Capacitivo 1

EOP
O sensor EOP consiste de um elemento sensível capacitivo cerâmico (CSE), um módulo de circuitos e um 2-33
encapsulamento. O encapsulamento inclui vedações internas contra o meio de pressão, vedações externas
contra o ambiente, um conector elétrico e um orifício de conexão.
3
O módulo de circuitos consiste de um circuito flexível com componentes instalados na superfície. O circuito
flexível consiste de circuitos de cobre ensanduichados entre dois pedaços de película Kapton.
Quando dobrado no encapsulamento, o CI de condicionamento do sinal e diversos componentes discretos 4
residem nos dois planos dentro da cavidade do circuito. O módulo de circuitos é soldado ao CSE em uma
extremidade e à base na outra, antes do fechamento do encapsulamento. Um rabicho que sai da extremidade do
circuito flexível faz o contato de aterramento em um bujão sextavado metálico.
5

Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP)


O ECM monitora o sinal de pressão EOP. Se uma falha é detectada, o ECM é capaz de restringir a potência e 6
torque para evitar ou reduzir danos ao motor. O sensor EOP está instalado no lado superior direito da carcaça
das engrenagens de sincronização.
7

Sensores Magnéticos
• CKP 8

• CMP
• VSS 9

Um sensor magnético gera uma frequência alternada que indica a velocidade. Os sensores magnéticos possuem
uma conexão de dois fios (sinal e aterramento). Este sensor possui um núcleo magnético permanente circundado
10
por uma bobina. A frequência do sinal é gerada pela rotação de dentes de engrenagem que perturbam o campo
magnético.

11
Sensor de Posição da Árvore de Manivelas (CKP)
O sensor CKP alimenta o ECM com um sinal que indica a velocidade e a posição da árvore de manivelas.
Conforme o volante do motor gira, o sensor CKP detecta diversos orifícios feitos no exterior do volante do motor. 12
Todos os orifícios são simétricos e espaçados de 58 e 60. Comparando o sinal CKP com o sinal CMP, o ECM
calcula a rpm do motor e os requisitos de sincronização. O CKP está instalado no lado superior esquerdo da
carcaça do volante do motor. 13

Sensor de Posição da Árvore de Comando (CMP)


14
O sensor CMP alimenta o ECM com um sinal que indica a posição da árvore de comando. Conforme o ressalto de
comando gira, o sensor identifica a posição do ressalto de comando localizando um pino no ressalto de comando.
O CMP está instalado na carcaça das engrenagens de sincronização, próximo à bomba de combustível de alta
15
pressão.

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sensor de Velocidade do Veículo (VSS)


O VSS é um sensor Hall instalado no eixo de saída da transmissão e fornece um sinal de velocidade para o ECM
sentindo a rotação de uma engrenagem de 8 dentes. O sinal de onda senoidal detectado (CA), recebido pelo
2-34 ECM, é combinado com o tamanho do pneu e a relação do eixo para calcular a velocidade correta do veículo.
Veja o manual de serviços do veículo para a localização do VSS e informações adicionais.

1. Sinal de posição da árvore de manivelas


2. Disco de sincronização do sensor de posição da árvore de manivelas
3. Sensor de posição da árvore de manivelas (CKP)
4. Sinal de posição da árvore de comando
5. Disco de sincronização da árvore de comando
6. Sensor de posição da árvore de comando (CMP)
7. Sinal de velocidade do veículo
8. Módulo de controle eletrônico (ECM)
9. Sensor de velocidade do veículo (VSS)

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DADOS TÉCNICOS

Potenciômetro 1

APS
A potentiometer is a variable voltage divider that senses the position of a mechanical component. 2-35

A voltagem de referência é aplicada em uma extremidade do potenciômetro. O movimento mecânico rotativo ou


linear move um contato deslizante ao longo do material da resistência, alterando a voltagem em cada ponto ao
3
longo do material resistivo. A voltagem é proporcional à quantidade de movimento mecânico.

Sensor de Posição do Acelerador (APS) 4

O APS alimenta o ECM com um sinal de retorno de informações (voltagem analógica linear) que indica a demanda
do operador por potência. O APS está instalado no pedal do acelerador.
5

10

11

12

1. Aterramento 13
2. Módulo de controle eletrônico (ECM)
3. Microprocessador
14
4. Voltagem de referência (VREF)
5. Sensor de posição do acelerador (APS)
15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Interruptores
• CPS (Interruptor do Pedal de Embreagem)
2-36 • ECL (Interruptor de Nível Baixo de Líquido de Arrefecimento)
• LIS (Interruptor de Marcha-lenta Baixa)
• WIF
• BPS (Interruptor do Pedal de Freio)
• Interruptor do Freio de Estacionamento.
Os sensores do tipo interruptor indicam sua posição. Eles operam abertos ou fechados, permitindo ou impedindo
o fluxo de corrente. O sensor do tipo interruptor pode ser um interruptor de entrada de voltagem ou um interruptor
de aterramento. Um interruptor de entrada de voltagem alimenta o ECM com voltagem quando ele é fechado.
Um interruptor de aterramento aterra o circuito quando é fechado, causando um sinal de voltagem zero. Os
interruptores de aterramento são instalados geralmente em série com um resistor de limitação de corrente.

Interruptor da Embreagem
O CPS determina se o veículo está engrenado nas transmissões manuais. Nas transmissões automáticas, o
interruptor do indicador de neutro faz a função do CPS.

Nível de Líquido de Arrefecimento do Motor (ECL)


O ECL é parte do sistema de proteção e advertência do motor. O interruptor ECL se localiza no reservatório de
expansão. Quando o interruptor magnético se abre, o reservatório está cheio. Se o nível de líquido de arrefecimento
do motor estiver baixo, a luz de advertência no painel de instrumentos será ativada.

Água no Combustível (WIF)


O sensor de água no combustível (WIF) detecta a presença de água no combustível. Quando água suficiente
se acumula na parte inferior da carcaça, o sensor WIF envia um sinal para o módulo de controle eletrônico
(ECM); o ECM registra um código de diagnóstico de falhas (DTC) e acende a luz de advertência amarela ÁGUA
NO COMBUSTÍVEL no painel de instrumentos. O sensor WIF está instalado na base da carcaça do filtro de
combustível.

Interruptor de Marcha Lenta Baixa (LIS)


O LIS é um interruptor redundante que alimenta o ECM com um sinal que verifica quando o APS está na posição
de marcha-lenta.

1. Pedal do acelerador 4. Microprocessador


2. Interruptor de marcha lenta baixa (LIS) 5. ECM
3. Fonte de voltagem com resistor de limitação de 6. Aterramento
corrente

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

1
Operação e Manutenção

Operação do Motor.................................................................................................................................... 3-3 2

Partida / Parada.................................................................................................................................... 3-3

Partida a Frio........................................................................................................................................ 3-3 3-1

Cuidados com o Turboalimentador....................................................................................................... 3-3

Amaciamento....................................................................................................................................... 3-4 4

Especificação do Combustível.................................................................................................................. 3-5

Misturas de Combustível Aceitáveis . .................................................................................................. 3-5 5

Práticas de Risco................................................................................................................................. 3-5


6
Óleo Lubrificante....................................................................................................................................... 3-6

Verificação do Nível de Óleo................................................................................................................ 3-6


7
Troca de Óleo....................................................................................................................................... 3-6

Troca do Filtro de Óleo......................................................................................................................... 3-6


8
Especificações do Óleo Lubrificante.................................................................................................... 3-6

Verificação da Condição do Óleo Lubrificante..................................................................................... 3-6


9
Fluido de Arrefecimento e Líquido de Arrefecimento................................................................................ 3-7

Verificação da Bomba de Água............................................................................................................ 3-7


10
Procedimento do Fluido de Arrefecimento................................................................................................ 3-8

Abastecimento do Sistema................................................................................................................... 3-8


11
Capacidade Total do Sistema............................................................................................................... 3-8

Aditivos MWM INTERNATIONAL......................................................................................................... 3-8


12
Tabela de Manutenção.............................................................................................................................. 3-9

Conservação de Motores Inativos por Longos Períodos......................................................................... 3-10 13


Preparação do Motor para Retorno ao Serviço....................................................................................... 3-10

Preparação para a Partida do Motor.................................................................................................. 3-11 14

Limpar o Motor.............................................................................................................................. 3-11

Drenar os Fluidos do Motor..................................................................................................................... 3-12 15

Drenar o Óleo..................................................................................................................................... 3-12

Escorva do Sistema de Lubrificação....................................................................................................... 3-14 16

Método Preferencial........................................................................................................................... 3-14

Método Alternativo............................................................................................................................. 3-14 17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Elemento do Filtro de Óleo...................................................................................................................... 3-15

Remoção............................................................................................................................................ 3-15

Limpeza e Inspeção................................................................................................................................ 3-16

Limpeza do Elemento do Filtro de Óleo do Módulo de Óleo.............................................................. 3-16


3-2 Instalação...................................................................................................................................... 3-16

Fixação da Placa Adaptadora e Içamento do Motor............................................................................... 3-18

Placa Adaptadora............................................................................................................................... 3-18

Guincho do Motor............................................................................................................................... 3-18

Cavalete para Motores....................................................................................................................... 3-18

Instalação do Motor no Cavalete........................................................................................................ 3-18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

1
Operação do Motor

Partida / Parada 2

Antes de operar o motor MaxxForce 7.2H, verificar:

• Nível do líquido de arrefecimento; 3-3

• Nível de combustível;

• Nível de óleo; 4

• Após a partida do motor, mantenha-o em velocidade média, sem carga, para aquecê-lo. Monitore a pressão
do óleo e temperatura do líquido de arrefecimento;
5
• É recomendável dar partida no motor sem acelerar, mantendo-o em marcha lenta por 30 segundos para
pré-lubrificar o turboalimentador;
6
• Antes de desligar o motor, mantenha-o em funcionamento por cerca de 30 segundos em marcha lenta para
permitir que o turbo diminua a velocidade.
7
Partida a Frio
Dar partida em temperaturas muito baixas pode ser difícil devido à formação de parafina (cera) no tanque de
8
combustível. As seguintes ações melhoram a partida em clima frio:

• O uso de combustível apropriado para o inverno, ou;


9
• O uso de aquecedores de combustível apropriados.

Cuidados com o Turboalimentador 10

A maioria das falhas de turboalimentadores é causada pela falta de óleo (lubrificação) resultante de retardo na
lubrificação, restrição ou impurezas no óleo, etc., ou impurezas aspiradas através da abertura da admissão. A fim
de maximizar a vida do turboalimentador, seguir as seguintes recomendações: 11

• Não acelerar o motor imediatamente após dar partida;


• Manter o motor em marcha lenta por 30 segundos antes de desligá-lo; 12

• Pré-lubrificar o turboalimentador após a troca de óleo ou outro serviço que envolva a drenagem do óleo.
Acionar o motor algumas vezes, sem ligar, antes de dar partida. Manter o motor em funcionamento e permita
que ele funcione em marcha lenta por algum tempo para estabelecer a completa circulação e pressão do 13
óleo antes do funcionamento com altas rotações e carga;
• Em baixas temperaturas ou quando o motor estiver sendo colocado em serviço após um longo período
14
sem operação, dar partida no motor e deixe-o funcionar em marcha lenta antes do funcionamento em altas
rotações;
• Evitar operar o motor em rotação de marcha lenta por longos períodos de tempo. 15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Amaciamento
Todos os Motores MWM são montados e testados na fábrica.
No entanto, os motores necessitam ser amaciados corretamente; o desempenho e a durabilidade do motor
dependem do cuidado tomado durante a fase de operação inicial (amaciamento).
Os primeiros 2.000 km para motores veiculares ou as primeiras 50 horas de serviço para motores estacionários,
3-4 industriais e de uso agrícola, são considerados ou período de amaciamento.
Durante este período é muito importante seguir as recomendações abaixo:

• Verificar cuidadosamente o nível de óleo do motor;


• Verificar cuidadosamente o nível do sistema de arrefecimento;
• Evitar operar o motor em altas rotações;
• Evitar esforçar o motor em baixas rotações;
• Evitar esforçar o motor enquanto ele não atingir a temperatura normal de operação;
• Evitar operar acima de 3/4 (75%) da carga máxima do veículo ou equipamento;
• Evitar operar o motor em velocidades constantes por longos períodos de tempo;
• Evitar deixar o motor funcionando em marcha lenta por um longo período de tempo;
• Seguir as instruções de manutenção cuidadosamente.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

1
Especificações do Combustível

Misturas de Combustível Aceitáveis 2


• Querosene com nível muito baixo de enxofre (Combustível Diesel Nº 1-DS15) misturado com combustível Nº
2-DS15 para melhorar o desempenho em clima frio. A mistura nominal irá depender das baixas temperaturas
regionais. 3-5

• Mistura com nível de biodiesel máximo até B5 (A mistura de 5% de biodiesel puro com 95% de combustível
Diesel). 4

Tal mistura terá características indistinguíveis do combustível Diesel, se os dois componentes estiverem de
acordo com requisitos de suas respectivas normas: ASTM D6751 revisão corrente para biodiesel puro e ASTM
D975 revisão corrente para combustível Diesel com nível muito baixo de enxofre. 5

Conforme a legislação vigente em 1º de outubro de 2008, misturas com até 50% de biodiesel são incluídas em
sua norma de combustível Diesel ASTM D975-08a (D975-08a designa a revisão 2008 da norma).
6
A MWM INTERNATIONAL aprova misturas até B5, desde que os dois componentes estejam de acordo com a
especificação corrente. Misturas de biodiesel até a qualidade B5 não deverão causar problemas para o motor ou
sistema de combustível. 7

Práticas de Risco
8

! Precaução: A fim de evitar o risco de ferimentos pessoais ou morte, não misturar gasolina, etanol
ou álcool ao combustível diesel. Uma fonte de calor exposta, faísca, telefone celular ou 9
dispositivo eletrônico podem causar a ignição destas misturas de combustível. Isso pode
gerar um alto risco de incêndio e possível explosão.
10
! Precaução: A fim de evitar danificar o motor, não misturar propano com combustível diesel. O uso de
propano como combustível pode anular a garantia do motor.
11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Óleo Lubrificante

Verificação do Nível de Óleo


• Desligar o motor e aguarde 30 minutos para que o óleo retornar ao cárter.
• Assegurar-se que o veículo esteja sobre uma superfície nivelada.
3-6
• Antes de remover a vareta medidora do nível de óleo, limpar os arredores.

Se necessário, completar o nível até atingir a marca superior (MÁXIMA), sem excedê-la. Usar a mesma marca e
tipo de óleo para completar o nível.
• Não operar o motor com o nível abaixo da marca inferior (MÍNIMA).
• Usar somente o óleo recomendado.
• Não misturar marcas de óleo diferente.
• Sempre usar o mesmo tipo e marca de óleo.

Troca de Óleo
• Assegurar-se que o óleo esteja na temperatura de operação e o motor desligado.
• Drenar o óleo.
• Instalar o bujão com a nova arruela e apertar conforme a especificação.
• Abastecer com o óleo recomendado até atingir a marca de nível superior (MÁXIMA) da vareta medidora.

Troca do Filtro de Óleo


• Limpar a área de vedação do filtro com um pano limpo e isento de fiapos.
• Lubrificar a junta do filtro e instalar o filtro.
• Após o primeiro contato da junta com o cabeçote do filtro, aperte-o com a mão por uma (1) volta.
• Completar o nível com óleo novo. No veículo nivelado, o nível de óleo deve atingir a marca superior da vareta
medidora.
• Manter o motor em funcionamento enquanto verifica a vedação do filtro e do bujão de drenagem.
• Desligar o motor e, após 30 minutos, verificar o nível de óleo novamente e completar se necessário.

! Atenção: Sempre usar um filtro MWM genuíno.


O óleo é muito importante para proteção dos componentes internos do motor. Óleo
contaminado com areia, terra, poeira, água ou combustível causa danos ao motor.
Verificar a aparência do óleo lubrificante do motor. Uma coloração escura e baixa viscosidade
significam a presença de combustível no óleo lubrificante. A presença de bolhas ou uma
coloração leitosa indica a presença de água no óleo.

Especificações do Óleo Lubrificante


Usar somente a viscosidade de óleo recomendada que atenda as especificações SAE 15W40 API CI-4 (ou
superior).

! Atenção: Não misturar marcas de óleo diferentes. Escolha um tipo de óleo e use-o sempre quando
abastecer ou completar o nível.

Verificação da Condição do Óleo Lubrificante


A condição do óleo é muito importante para a proteção dos componentes internos do motor.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

1
Fluido de Arrefecimento e Líquido de Arrefecimento

2
! Precaução: • Não abrir a tampa do radiador ou reservatório de expansão enquanto o motor estiver
quente.
• Verificar o nível quando o motor estiver frio. 3-7
• Verificar o nível do sistema de arrefecimento diariamente. Se o nível não estiver correto,
completar o nível com o líquido de arrefecimento MWM.
• Abrir cuidadosamente o primeiro estágio da tampa, aliviando qualquer pressão de 4
vapor.
• Verificar quanto a vazamentos.
• Verificar a pressão nominal da tampa. 5

Verificação da Bomba de Água


6
Verificar quanto a vazamentos através do orifício de drenagem da bomba.

10

11

12

13

14
Nota: Imagem mostrada com bomba de alta pressão removida.

Caso haja líquido de arrefecimento saindo desse orifício, há um vazamento da bomba de água.
15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Procedimento de Abastecimento do Fluido de Arrefecimento

Abastecimento do Sistema
Abastecer o sistema de arrefecimento com a quantidade de aditivo até a marca MÁXIMO.

3-8
Capacidade Total do Sistema
Para a capacidade total sistema de arrefecimento (Motor + Radiador), ver o manual do veículo.
Dar partida no motor e aguarde até ele atingir a temperatura normal de operação. Abastecer somente com aditivo
MWM INTERNATIONAL. Após abastecer o sistema, manter o motor em funcionamento e inspecione quanto a
vazamentos.

Aditivos MWM INTERNATIONAL

Embalagem

Número MWMI 9.0193.05.6.0802 9.0193.05.6.0801 9.0193.05.6.0802 9.0193.05.6.0801


Nome Cooling System Protector – Ecological
Propriedades Anti-corrosão / Anti-ebulição / Anti-congelamento
Aplicação Motores Diesel / Gasolina / Álcool / GNV
Cor Vermelho Fluorescente
Proporção PRONTO PARA USO
Intervalo de troca Consulte a tabela de manutenção
Composição Anticorrosivo à base de etilenoglicol, boratos, silicatos e colorante
Validade Consulte a tabela de manutenção
Volume 1 litro 5 litros

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

1
Tabela de Manutenção

Inicial A B 2

Diariamente
PLANO DE MANUTENÇÃO

120.000 Km
10.000 Km

20.000 Km

40.000 Km

80.000 Km

15.000 Km

30.000 Km

60.000 Km
2.500 Km

5.000 Km
A) Condições até 50.000 km/ano
3-9
B) Condições acima de 50.000 km/ano

4
Drenar o Filtro de Combustível •
Verificar o Nível de Óleo •
5
Verificar o Nível de Líquido de Arrefecimento •
Verificar Quanto a Vazamentos no Motor •
6
Verificar as Conexões • •
Troque o Óleo (SAE 15W40 - API CI-4) • •
7
Troque o Filtro de Óleo • •
Troque o Filtro de Combustível • •
8
Troque o Filtro de Ar • •

Ajuste a Folga de Válvulas • •


9
Verificar o Amortecedor • •
Verificar a(s) Correia(s) • • •
10
Substituir a(s) Correia(s) • •
Troque o Líquido de Arrefecimento • •
11
Verificar as Conexões Elétricas (Motor de Partida e
Alternador) • •

12
Observação:

1) Esta tabela é somente para orientação. A Tabela de Manutenção do veículo prevalece sobre esta tabela.
13
2) Para aplicações de serviço pesado e fora de estrada, os intervalos de manutenção deverão ser a metade
daqueles indicados na tabela acima.
3) Se o motor estiver fora de serviço por um longo tempo, ele deverá ser colocado para funcionar semanalmente 14
na temperatura de operação.
4) A troca de óleo do motor deverá seguir os intervalos indicados acima ou a cada 6 meses, o que ocorrer
primeiro. 15
5) Os componentes eletrônicos (sensores de posição, velocidade, pressão do ar, temperatura, pressão do óleo
e temperatura da água) são livres de manutenção e verificados pela ferramenta de serviço de diagnóstico.
16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Conservação de Motores Inativos por Longos Períodos

Os motores MWM INTERNATIONAL são protegidos de fábrica, em sua maioria, por 6 meses de inatividade
sob abrigo. Quando o motor for colocado fora de serviço por um longo período, será necessário seguir estas
recomendações:
3-10 1. Limpar as partes externas do motor.
2. Operar o motor na temperatura normal de operação.
3. Drenar o sistema de arrefecimento e o óleo.
4. Abastecer o radiador com líquido de arrefecimento MWM.
5. Completar o nível do cárter com óleo protetor SAE 20 W 20.
6. Drenar o sistema de combustível (reservatório do sistema de baixa pressão).
7. Operar o motor por 15 minutos a 2/3 da rotação nominal, sem carga, usando uma mistura de combustível
com 15% de óleo protetor SAE 20 W 20.
8. Drenar o fluido do sistema de arrefecimento e o óleo do cárter. A mistura de combustível pode permanecer
no sistema.
9. Remover as tampas de válvulas dos cabeçotes e pulverize óleo protetor nas molas e balancins. Reinstalar
as tampas.
10. Aplique graxa protetora nas articulações.
11. Aplique óleo protetor nas superfícies usinadas.
12. Remover a(s) correia(s).
13. Vede todos os orifícios do motor, para evitar a entrada de poeira e água.

Observações:
• Renove o procedimento de preservação do motor após cada 8 meses de inatividade.

• Os itens 1, 2 e 3 não se aplicam a motores novos.

Preparação do Motor para Retorno ao Serviço


1. Antes de operar um motor o qual esteve fora de serviço por um longo período, seguir estes procedimentos:
2. Limpar as partes externas do motor.
3. Abastecer o sistema de arrefecimento com líquido de arrefecimento MWM.
4. Troque o filtro de óleo do motor.
5. Abastecer o cárter com óleo lubrificante novo de acordo com a recomendação.
6. Instalar a(s) correia(s) e ajuste a tensão.
7. Remover as tampas de válvulas e lubrificar os balancins com óleo para motor. Reinstalar as tampas.
8. Drenar a mistura de combustível do tanque e abastecer com combustível novo.
9. Troque o filtro de combustível.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

Preparação para a Partida do Motor 1

Limpar o Motor
2

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo, leia
todas as instruções de segurança na seção “Informações de Segurança” deste manual. 3-11

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo,
4
assegurar-se que a transmissão esteja em ponto morto, o freio de estacionamento esteja
aplicado e as rodas estejam calçadas antes de realizar os procedimentos de diagnóstico ou
serviço no motor ou veículo.
5
1. Tampe todas as aberturas do turboalimentador e coletores para prevenir a entrada de água e agentes
desengraxantes em qualquer componente do motor.
2. Tampe todos os conectores elétricos expostos e o módulo ECM usando fita adesiva plástica e para dutos. 6

3. Usar um detergente apropriado, misturado na proporção correta de água e aplique no motor usando água
morna e uma lavadora com pressão moderada ou equipamento de limpeza similar.
7

! Atenção: Não usar água sob alta pressão ou temperatura excessivamente quente, pois isso pode
danificar os componentes do motor. 8

! Atenção: Não usar solvente, tíner ou qualquer produto derivada de petróleo, pois estes produtos 9
podem danificar o chicote de fiação e outros componentes plásticos.

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Drenar os Fluidos do Motor

Drenagem do Óleo
Colocar um recipiente para coleta do óleo embaixo do bujão de drenagem do óleo para coletar o óleo.
Remover o bujão de drenagem do cárter (R ½”) e a arruela. Drenar o óleo do motor e descartar o óleo usado do
3-12
motor conforme determinado pela legislação aplicável.
Descartar a arruela, inspecione o bujão de drenagem e substituir se necessário. Colocar a nova arruela no bujão
de drenagem e instalar no cárter. Apertar com torque de 55 a 75 N.m.

Imagem do Cárter no Motor sem a Grade Estrutural

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

3-13

10

11
Imagem do Cárter no Motor com a Grade Estrutural

12
Nota: O torque e o cárter para os motores com ou sem grade estrutural são iguais.

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Escorva do Sistema de Lubrificação

Método Preferencial
Quando montar o motor, lubrificar o motor com óleo antes de dar partida. Isso irá proporcionar os requisitos de
lubrificação adequados aos componentes internos durante a crítica fase de partida inicial. O seguinte procedimento
3-14 é o método preferencial a ser usado quando realizar a escorva do sistema de lubrificação.
Se o motor tiver sido completamente desmontado e recondicionado, remover o conjunto do bujão e pressurize o
sistema de lubrificação com óleo suficiente para abastecer o filtro de óleo e carregar todo o sistema de lubrificação.
Verificar o nível de óleo antes de dar partida no motor.

Método Alternativo

! Atenção: Para evitar danificar o motor, assegurar-se que todos os componentes móveis internos do
motor tenham sido bem oleados durante a montagem, caso usar este procedimento.

1. Desconectar os conectores dos sensores CKP e CMP e acionar o motor - mas não dar partida no motor
(assegurar-se que os sensores CKP e CMP estejam desconectados) – até o medidor de pressão do óleo
indicar uma pressão de óleo suficiente.
2. Após a pressão do óleo ficar evidente no sistema de lubrificação, reconectar os conectores dos sensores
CMP e CKP e dar partida no motor.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

1
Elemento do Filtro de Óleo

Remoção 2
Remover o bujão de drenagem (R ½”) e descartar a arruela. Drenar o óleo do motor e descartar o óleo usado do
motor conforme determinado pela legislação aplicável.
3-15

Note: Para os motores com ou sem grade estrutural, o bujão de drenagem, torque e o procedimento são
iguais.
10
Usando as mãos, soltar o filtro.

11

12

13

14

15

16

Remover o filtro. É normal uma resistência durante a remoção do elemento devido à pressão do O-ring no seu 17
alojamento no cabeçote.

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Limpeza e Inspeção

Limpeza do Elemento do Filtro de Óleo e Carcaça do Módulo de Óleo

! Atenção: Para evitar danificar o motor, o resfriador de óleo deverá ser substituído em caso de falha de
3-16
mancal. Detritos de falha de mancal não podem ser removidos do resfriador de óleo.
Ver o procedimento de remoção do resfriador de óleo nesta seção para informações
adicionais.

Secar o alojamento do elemento filtrante de óleo com ar comprimido filtrado e remover todos os resíduos.
Remover todos os detritos que possam bloquear a válvula de desvio do filtro.

Instalação
Substituir o elemento filtrante. Assegurar-se que o O-Ring esteja instalado corretamente.
Instalar o elemento filtrante de óleo aplicando pressão até que o O-Ring se encaixe no alojamento do cabeçote.
Lubrificar a tampa com óleo novo para motor e colocar um novo O-Ring na tampa do filtro.
Colocar a tampa no cabeçote do filtro.
Usando apenas as mãos, apertar a tampa firmemente.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

Instalar uma nova arruela no bujão de drenagem (R ½”). Apertar o bujão de drenagem e abastecer até atingir a 1
marca MAX da vareta medidora com óleo novo para motor.

3-17

Estratégia de Torque 8
1º Aplique 18 Nm em todos os parafusos
2º Retornar por 90°
9
3º Aplique 15 Nm
4º Aplique aperto de 45°
10
Controle da janela: 25 Nm a 50 Nm

Nota: as etapas 2, 3 e 4 devem ser aplicadas parafuso a parafuso, mantendo os outros parafusos apertados 11
com o torque correto.

12

Sequência de Aperto 13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Fixação da Placa Adaptadora e Içamento do Motor

Placa Adaptadora Cavalete para Motores


Um bom cavalete para motores é uma das chaves
! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais para um reparo de motor livre de riscos, eliminando
3-18
graves, possível morte ou da-no a necessidade de manobrar com dificuldade motores
ao motor ou veículo, usar um em recondicionamento sobre uma bancada ou no
guincho de corrente de capa- solo. O cavalete para motores diesel recomendado
cidade mínima 3 ton, equipado deve ser de construção sólida, estável, e oferecer
com ganchos de segurança bacia coletora de óleo para manter os lubrificantes
para içar o motor por meio dos da montagem e óleo do motor fora do piso. Para a
olhais de içamento designados. segurança, também é recomendável a possibilidade
de rotação do motor em 360° e trava de piso para
impedir que o cavalete se mova durante os reparos.
! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais
graves, possível morte, dano ao Nota: A bacia coletora de óleo é um acessório
motor ou veículo, usar somente importante do cavalete para motores, já
parafusos métricos de categoria que ela recolhe o óleo que SEMPRE goteja
10.9 ou SAE categoria 8 quando do motor durante os trabalhos, mantendo o
instalar a placa adaptadora no piso seco.
motor, assim como no cavalete
para motores.
Instalação do Motor no Cavalete
Guincho do Motor Levante o motor com o guincho e usando a ferramenta
especial Nº 9.610.0.690.011.6 (kit de placa adapta-
Tenha em mente que a segurança é a primeira dora), o cavalete para motores e parafusos M12X45,
preocupação quando escolher um guincho do motor alinhe visualmente a placa adaptadora com os
requerido para o içamento seguro de motores e orifícios dos parafusos no lado direito de motor para
peças pesadas. determinar a orientação da placa adaptadora no
cavalete para motores.

Nota: Deixe todos os parafusos frouxos para


facilitar o encaixe inicial dos adaptadores
no motor e placa do cavalete e, em seguida,
aplique torque nos parafusos do adaptador
na placa e motor.
Mostrado o adaptador do suporte do lado traseiro do
motor (fixação em 2 orifícios).

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

Adaptador do suporte do lado dianteiro do motor. Apertar os parafusos com o valor de torque padrão 1
(Diretrizes Gerais de Torque).
Remover os ganchos da corrente de segurança dos
olhais de içamento do motor. 2

3-19

6
Instalar a placa adaptadora recomendada no cavalete
para motores e fixe-a usando parafusos e porcas de
categoria 8.
7

Nota: Deixe todos os parafusos frouxos para


facilitar o encaixe inicial dos adaptadores
no motor e placa do cavalete e, em seguida, 8
aplique torque nos parafusos do adaptador
na placa e motor.
9
Deixe todos os parafusos frouxos para facilitar o
encaixe inicial dos adaptadores no motor e placa do
cavalete e, em seguida, aplique torque nos parafusos
do adaptador na placa e motor. 10

Usando o guincho, alinhe o cavalete para motores


para fazer coincidir a placa adaptadora no motor,
11
girando o cavalete e / ou levantando o motor para
fazer coincidir a placa adaptadora. Fixe um parafuso
e girar o cavalete, se necessário, para rosquear os
parafusos remanescentes. 12

Usar parafusos métricos de categoria 10.9 M12X45


ou mais longos para fixar o motor na placa adaptadora.
13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

3-20

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
BLOCO DO MOTOR

1
Bloco do Motor

Bloco do Motor.......................................................................................................................................... 4-2 2

Precauções na Desmontagem.................................................................................................................. 4-3

Inspeções e Medições............................................................................................................................... 4-4 3

Protrusão da Camisa............................................................................................................................ 4-4

Camisas............................................................................................................................................... 4-5 4-1

Bloco do Motor.......................................................................................................................................... 4-6

Especificações..................................................................................................................................... 4-6 5

Camisas..................................................................................................................................................... 4-8
6
Remoção.............................................................................................................................................. 4-8

Instalação............................................................................................................................................. 4-8
7

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Bloco do Motor

4-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
BLOCO DO MOTOR

1
Precauções na Desmontagem

Remover os parafusos da grade estrutural: 2

4-3

10
Remover a grade estrutural e o O-ring do tubo de sucção.

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeções e Medições

Protrusão da camisa

4-4

Superfície da Camisa sobre o Bloco do Motor


Medida mm
Protrusão *0.04 a 0.09

* Afeta o nível de emissões

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
BLOCO DO MOTOR

Camisas 1

4-5

10

Camisas
11
Medidas mm
Ovalização 0,02
12
Ø Interno 105,000 - 105,022

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Bloco do Motor

4-6

Especificações

Bloco do Motor
mm
Paralelismo 0,05
Perpendicularidade 0,04

Mancais Principais (A)


Diâmetro mm
Interno 92,000 - 92,022

Alojamento do Tucho (B)


Ø Interno mm
Padrão, nominal 18,000 - 18,018
Padrão, máximo 18,020
1º reparo 18,500 - 18,518

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
BLOCO DO MOTOR

Medir o comprimento dos parafusos dos mancais principais. Descartar parafusos maiores do que 133,5 mm. 1

4-7

Mancal da Árvore de Comando (C) e (E) 7

Ø Interno mm
8
Sem bucha
Padrão nominal 50,000 - 50,025
9
Máximo 50,045
1º reparo
10
Sem bucha 54,000 - 54,030
Com bucha 49,990 - 50,056
11

Mancal da Árvore de Comando (D)


Ø Interno mm 12

Sem bucha 54,000 - 54,030


Com bucha 49,990 - 50,056 13

*Observação:
14
O mancal da árvore de comando (D) possui uma bucha, os outros não. Quando for necessário, os outros mancais
podem receber buchas como reparo.
15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Camisas

Remoção
Usando a ferramenta especial MWM Nº
9.610.0.690.017,6, remover as camisas cuidadosa-
mente a fim de evitar danificar o bloco e/ou camisas.
Encaixar a parte inferior da ferramenta na borda
inferior da camisa.
4-8
A camisa deve ser removida girando-se a porca do
parafuso do extrator no sentido horário.

Instalação
Fazer 4 medições a 90 graus uma da outra no
primeiro degrau da camisa. Usar pontos próximos
aos orifícios de montagem do cabeçote.

Nota:
• A diferença entre as quatro medições não deve-
rá ser superior a 0,02 mm;
• Sempre usar instrumentos calibrados.
Limpe as superfícies do bloco e cabeçote até ficarem
isentas de sujeira e impurezas.

Nota: Motores que não coincidam com a pro-


trusão especificada devem usar o O-Ring
Remover e instalar novos O-Rings de vedação.
mais o calço de camisa com Loctite® 5900.
Instalar novos O-Rings. Para mais informações, ver o procedimento
correto de instalação nesta seção.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
BLOCO DO MOTOR

Espessuras disponíveis de anel de aço inoxidável: 1


9.610.8.340.040.4 = 0,25 mm
9.612.8.340.013.4 = 0,35 mm
2
9.610.8.340.041.4 = 0,40 mm
9.612.8.340.014.4 = 0,45 mm
3

4-9

Instalar a ferramenta especial MWM INTERNATIONAL


Nº D7001689C1 usando os orifícios dos parafusos 6
do cabeçote nos locais indicados. Aplique torque de
40 Nm nos parafusos para posicionar corretamente
a camisa em sua sede e para permitir a correta 7
medição da protrusão.

A camisa do cilindro possui raio arredondado para


minimizar a carga de tensão residual e um formato 8
específico para fornecer contato com a junta do
cilindro.
9

10

11
Rolled
45º
90º

12
Usando um relógio comparador, medir a altura da
camisa (protrusão) em relação à superfície superior
do bloco do motor. 13

A protrusão deverá ser medida em 4 locais igualmente


distantes um do outro e deverá estar entre 0,04 mm
a 0,09 mm. Caso contrário, remover a camisa e 14
Inspeção das Camisas
selecione um novo anel de aço inoxidável até atingir
Medida mm
o valor recomendado.
Ovalização 0,02 15
Ø Interno 105,000 - 105,022 Nota: Se diferença entre as medições da protru-
são, no mesmo cilindro, for superior a 0,02
mm, remover a camisa, limpar as superfí- 16
cies e medir novamente.

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

4-10

Instalar manualmente as camisas no bloco de


cilindros.

! Atenção: O O-Ring deve estar completa-


mente limpo para evitar a pos-
sibilidade de empenamento ou
dano durante o procedimento
de montagem.

Instalar a ferramenta especial MWM INTERNATIONAL


nº D7001689C1 e aplique o torque de 40 Nm nos
parafusos de fixação, a fim de assentar a camisa
corretamente no bloco do motor.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

1
Árvore de Manivelas

Árvore de Manivelas.................................................................................................................................. 5-2 2

Precauções na Desmontagem.................................................................................................................. 5-3

Especificações........................................................................................................................................... 5-5 3

Árvore de Manivelas............................................................................................................................. 5-5

Munhões Principais.............................................................................................................................. 5-6 4

Moentes................................................................................................................................................ 5-7

Ovalização e Conicidade...................................................................................................................... 5-8 5-1

Folga Radial......................................................................................................................................... 5-9


6
Raios dos Cantos............................................................................................................................... 5-10

Mancais Principais............................................................................................................................. 5-11


7
Inspeções e Medições............................................................................................................................. 5-12

Árvore de Manivelas........................................................................................................................... 5-12


8
Mancais do Bloco do Motor................................................................................................................ 5-12

Montagem................................................................................................................................................ 5-16
9
Medições Após a Montagem................................................................................................................... 5-19

Folga Axial.......................................................................................................................................... 5-19


10
Instalar a Grade Estrutural................................................................................................................. 5-21

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Árvore de Manivelas

5-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

1
Precauções na Desmontagem

Após remover o cárter, pistões e bielas, volante do motor, polia e carcaça das engrenagens, posicionar o motor 2
no cavalete em posição vertical e desapertar as capas do mancal principal. Para remover as capas do mancal,
usar os parafusos de fixação.
3

5-3

9
Remover o anel de encosto axial do mancal nº 1 (lado do volante do motor).

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover cuidadosamente a árvore de manivelas. Não a golpeie contra qualquer parte do bloco do motor. O
armazenamento da árvore de manivelas deve sempre ser feito em posição vertical a fim de evitar qualquer
possibilidade de empenamento.

5-4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

1
Especificações

Árvore de Manivelas 2

5-5

10

11

12
Engrenagem
Diâmetro mm
13
Sede 60,020 – 60,039

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Munhões Principais

5-6

Munhão Principal
Diâmetro mm
Padrão 85,492 - 85,964
1º reparo 85,692 - 85,714
2º reparo 85,442 - 85,464
3º reparo 85,192 - 85,214
4º reparo 84,942 - 84,964

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Moentes 1

5-7

10

11

Munhão Principal
Diâmetro mm 12

Padrão 62,951 - 62,970


1º reparo 62,701 - 62,720 13

2º reparo 62,451 - 62,470


3º reparo 62,201 - 62,220 14

4º reparo 61,951 - 61,970

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Ovalização e Conicidade

5-8

Ovalização Máxima mm
AxCeBxD 0,01
Conicidade Máxima mm
AxBeCxD 0,01

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Folga Radial 1

5-9

10

11

Folga Radial (exceto munhão principal central) mm


Nominal 0,036 - 0,096 12

Máxima 0,245

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Raios dos Cantos

5-10

Raios dos Cantos mm


Nominal 3,80 - 4,00

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Mancais Principais 1

5-11

10

11

Mancal Principal
Diâmetro mm 12

Sem bronzina de mancal 92,000 – 92,022


Padrão 89,000 – 89,030 13

1º reparo 88,750 – 88,780


2º reparo 88,500 – 88,530 14

3º reparo 88,250 – 88,280


4º reparo 85,000 – 88,280 15

Pré-tensão 0,05 - 0,15


16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeções e Medições

Árvore de Manivelas Mancais do Bloco do Motor


A árvore de manivelas e os mancais podem ser Antes de fazer qualquer verificação nas tampas
verificados visualmente. e mancais principais, assegurar-se que o número
gravado no bloco do motor corresponde à tampa do
Verificar quanto a indícios de superaquecimento,
mancal.
riscos profundos, fissuras ou outros tipos de dano.
Caso encontre qualquer dano, será necessário Instalar as tampas do mancal e apertar conforme a
verificar quanto à possibilidade de usinagem e uso especificação.
de bronzinas de mancal sobremedida.
Medir os raios dos cantos com um calibrador de 1º 45 a 50 N.m
5-12 esfera. 2º 155° ± 5°
Faixa de Torque 170 a 282 N.m

A medição dos raios dos cantos também pode ser


efetuada com um calço de raio.
Medir o diâmetro, a ovalização e a conicidade do
munhão do mancal com as bronzinas de mancal
removidas.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Medir o mancal com um comparador de diâmetros 1


internos 30° à esquerda e 30° à direita da posição
central.
2

3
30º
30º
4

5-13

Limpar os orifícios dos parafusos do mancal. Os


orifícios devem estar completamente isentos de 6
resíduos de óleo e impurezas.

Dependendo do padrão de desgaste nas bronzinas


7
de mancal, será possível identificar o problema: folga
excessiva, ovalização ou conicidade. Falha ou folga
excessiva pode ser detectada por uma baixa pressão
do óleo. 8

A operação prolongada com baixa pressão do óleo


pode causar ruído e vibração na árvore de manivelas
e resultar em falha prematura das bronzinas de 9
mancal.

10

11

Colocar as bronzinas de mancal com a ajuda de um


pino expansivo.
12

13

14

Para medir os mancais com as bronzinas de mancal


instaladas, limpar a tampa do mancal para prevenir 15
distorção devido ao óleo ou sujeira.

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Medir a árvore de manivelas. As medições devem ser


efetuadas duas vezes a 90° e nas duas bordas do
mancal para verificar a ovalização e conicidade dos
moentes e munhões principais.
30º
30º

5-14

Remover um dos parafusos do mancal e medir pré-


tensão do mancal.
Pré-tensão: 0,05 - 0,15 mm.

Compare as folgas obtidas na árvore de manivelas


por meio de um comparador de diâmetros internos.

Instalar a árvore de manivelas somente com as


bronzinas de mancal do primeiro e último mancais
instaladas e oleadas. Com um relógio comparador no
Instalar as tampas do mancal e apertar os parafusos munhão principal central, girar árvore de manivelas e
conforme a especificação. Medir novamente usando medir o empenamento.
o mesmo procedimento sem bronzinas de mancal
para verificar a ovalização das tampas do mancal. Empenamento máximo (mm) 0,15
A 1ª medição é feita no centro do mancal, o valor é
0,036 - 0,096 mm.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

5-15

Verificar os anéis de encosto da árvore de manivelas.


Verificar quanto a dano ou desgaste excessivo. 6
Durante montagem, o lado com duas ranhuras deve
ficar voltado em direção ao eixo.
Quando for necessário, poderá ser utilizado um anel 7
de encosto sobremedida. Sua superfície plana deve
ser ajustada a fim de fornecer a folga axial correta.
8

10

11

12

Anel de Encosto da Árvore de Manivelas 13

Espessura mm
Padrão 3,42 - 3,47 14

Sobremedida 3,67 - 3,72


15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Montagem

Instalar os injetores de óleo de arrefecimento do pistão. Observar se os dois pinos-guia estão encaixados
corretamente nos orifícios do bloco.
Apertar com torque de 10 ± 1,5 Nm.

5-16

1. Parafuso OCO M8x1,0


2. Conjunto Tubo do Injetor de Arrefecimento do Pistão
3. Bujão de Drenagem de Água

Instalar e aplique óleo em todas as bronzinas de mancal.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Instalar a árvore de manivelas. 1

5-17

Especificação de Torque de Aperto dos Parafusos


8
Etapa
1a : 50 - 5 Nm
9
2a : 155° ± 5°
Lmax 133,50 mm
10

Instalar primeiro o anel de encosto inferior do mancal.


11

12

13

14

15

16

17

! Atenção: As ranhuras do anel de encosto devem permanecer voltadas em direção à árvore de mani-
velas (lado móvel). 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalar as tampas do mancal com o anel de encosto


superior.

5-18

Nota: Os valores acima dos parafusos para os


motores com a grade estrutural são iguais
aos motores sem grade estrutural.
Anel de Encosto
Espessura mm
Padrão 3,42 – 3,47
Sobremedida 3,67 – 3,72

Apertar os parafusos em duas etapas e conforme a


especificação, usando o torquímetro.
O torque deve ser aplicado a partir do centro para as
extremidades da árvore de manivelas.

1a 50-5 N.m
2a
155° ± 5°
Faixa de Torque 170 a 282 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

1
Medição Após a Montagem

Folga Axial 2

5-19

A
8

10

11

12

Folga Axial (A) mm 13

Nominal 0,030 - 0,291


Máxima 0,4 14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A C

5-20

Medir a folga axial da árvore de manivelas.


1. Colocar um relógio comparador em zero “A”.
2. Libere o parafuso de fixação da tampa de um lado da tampa “B”.
3. Usando uma chave de fenda, empurre a árvore de manivelas para o lado da engrenagem da árvore de ma-
nivelas “C”.
4. Anote o valor do relógio comparador “D”.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Instalar a Grade Estrutural 1

Primeiro instalar o O-ring do tubo de sucção no bloco, depois instalar a grade estrutural, inserir os parafusos e
aplicar os torques correspondentes à sequência abaixo.
2

5-21

Dois Parafusos Especiais M8: 10

11

12

13

14

15
Seguir a sequência de aperto:
1. Instalar os dois parafusos.
16
2. Aplicar 15 ± 2 Nm nos dois parafusos.
3. Confirmar o torque de 15 ± 2 Nm nos parafusos.
4. Aplicar o aperto angular de 45° ± 4° nos dois parafusos. 17
Janela de Controle: 38 Nm a 65 Nm

18
Nota: Comprimento máximo para o parafuso especial M8 da grade estrutural: 34,9 mm.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Vinte e Sete Parafusos Especiais M12:

5-22

1. Instalar todos os parafusos.


2. Aplicar o torque de 50 ± 5Nm em todos os parafusos na sequência de aperto (indicada na figura).
3. Confirmar o torque de 50 ±5 Nm em todos os parafusos na sequência de aperto (indicada na figura).
4. Aplicar aperto angular de 30° ± 3° em todos os parafusos na sequência de aperto (indicada na figura).
Janela de Controle: 86 Nm a 154 Nm.

Nota: Comprimento máximo para o parafuso especial da grade estrutural M12: 30,0 mm.

Instalar o O-ring do tubo de sucção na grade estrutural. Instalar o tubo de sucção aplicando o torque nos parafusos:
25±5 Nm.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE MANIVELAS

Instalar o cárter. Instalar os parafusos e aplicar torque de 20 a 40 N.m e seguir a sequência abaixo: 1

5-23

10

1. Aplicar pré-torque de fixação: 18 ± 2 N.m (de acordo com a sequência de aperto).


2. Desapertar o primeiro em 90°. 11
3. Aplicar torque de 15 ± 2 N.m no primeiro parafuso e aperto angular de 25° ± 5°.
4. Repetir as etapas 2 e 3 para os outros parafusos (de acordo com a sequência de aperto). 12
5. Janela de Controle: 20 - 40 N.m.

13

Sequência de Aperto
14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

5-24

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE COMANDO

1
Árvore de Comando

Árvore de Comando.................................................................................................................................. 6-2 2


Precauções na Desmontagem.................................................................................................................. 6-3

Remoção.............................................................................................................................................. 6-3 3

Especificações........................................................................................................................................... 6-4

Árvore de Comando............................................................................................................................. 6-4 4

Tuchos e Placa de Trava....................................................................................................................... 6-5

Inspeções e Medições............................................................................................................................... 6-6 5

Montagem.................................................................................................................................................. 6-8
6-1

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Árvore de Comando

6-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE COMANDO

1
Precauções na Desmontagem

Remoção 2
Remover a árvore de comando da engrenagem da
bomba de combustível.
3

6-3

Remover os parafusos de fixação da trava da árvore


de comando e sua placa de trava.
7

Remover os parafusos. 8

10

11

12
Girar o conjunto do motor, mantendo o lado do cárter
voltado para cima. Remover a árvore de comando
através do lado dianteiro do motor. Tome cuidado
para não danificar os mancais da árvore e o bloco do 13
Remover o espaçador e a engrenagem de sincroni- motor. Se necessário, remover a bucha da árvore de
zação da árvore de comando. comando do bloco do motor.
Remover a tampa da carcaça das engrenagens, ver o 14
procedimento na seção 9 neste Manual de Serviços.

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Especificações

Árvore de Comando

6-4

Sede da Engrenagem Ranhura de Limitação da Folga Axial


Diâmetro (A) mm Largura (B) mm
Nominal 51,971 - 51,990 Nominal 7,100 - 7,190
Máxima 7,275

Munhão Principal
Munhão Principal
Diâmetro (C) mm
Folga do Mancal mm
Padrão 49,873 - 49,897
Axial 0,05 - 0,19
Radial 0,093 - 0,183

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE COMANDO

Tuchos e Placa de trava 1

6-5

10

11

Placa de Trava
Espessura mm 12

Nominal 7,00 - 7,05

13
Tuchos
Diâmetro (C) mm
14
Padrão
Nominal 17,983 - 17,994
1 reparo
o 15
Nominal 18,483 - 18,494

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeções e Medições

Verificar visualmente os tuchos. Verificar se há Medir o diâmetro e a ovalização dos alojamentos do


marcas de desgaste excessivo na área de contato tuchos.
com os ressaltos da árvore de comando.

6-6

Medir o diâmetro dos tuchos.


Nota: Durante seu funcionamento, os tuchos
efetuam um movimento giratório, resultando
na distribuição uniforme da força e desgaste.
Ele não deve apresentar desgaste em uma
área somente.

Verificar visualmente os orifícios de lubrificação dos


tuchos.

Medir o diâmetro dos mancais da árvore de comando.

! Atenção: Os orifícios de lubrificação dos


tuchos não devem estar obs-
truído.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE COMANDO

Comparando as medições efetuadas, obtenha a folga 1


entre o mancal e o alojamento.

6-7

Medir as cavidades dos alojamentos dos rolamentos


da árvore de comando.
7
Medir a árvore de comando quanto ao empenamento.

4 cil. 6 cil. 8
Empenamento máximo (mm) ?? 0,04

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Montagem

Limpar e lubrificar os tuchos e os alojamentos dos


tuchos.

6-8

Instale-os apenas com as mãos. Se não for necessário


substituir, reinstale-os nas posições originais.

Limpar e lubrificar os mancais da árvore de comando.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
ÁRVORE DE COMANDO

Instale-a apenas com as mãos usando movimentos giratórios. 1

Sequência de aperto 6-9

7
Faixa de torque 38 a 68 N.m

Nota: Tome cuidado para não danificar as buchas no bloco do motor. 9

Após a instalação da árvore de comando, instalar a trava axial e apertar os parafusos conforme a especificação.
10
Torque: 30 ± 5 N.m

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Medir a folga axial da árvore de comando. Repita a Instalar a engrenagem da árvore de comando.
operação para assegurar-se que a medição esteja
correta.

6-10

Instalar a roda de pulsos. Preste muita atenção à


bucha expansiva, o qual orienta o posicionamento
correto.

Seis Cilindros

Ver o procedimento de instalação da engrenagem de


sincronização na seção 9 deste Manual de Serviços.

Instalar os parafusos da roda de pulsos e apertar de


acordo com a especificação.
Torque: 7,5 ± 1 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

1
Pistões e Bielas

Pistões e Bielas......................................................................................................................................... 7-2 2


Precauções na Desmontagem.................................................................................................................. 7-3

Especificações........................................................................................................................................... 7-4 3

Categoria de Peso................................................................................................................................ 7-4

Marcação da Biela................................................................................................................................ 7-4 4

Código de Identificação........................................................................................................................ 7-5

Pistão................................................................................................................................................... 7-5 5

Canaletas do Pistão............................................................................................................................. 7-6

Aberturas das Extremidades dos Anéis............................................................................................... 7-7 6

Bronzinas de Bielas.............................................................................................................................. 7-8

Empenamento de Bielas...................................................................................................................... 7-9 7-1

Bielas.................................................................................................................................................. 7-10
8
Pistão e Pino...................................................................................................................................... 7-11

Inspeção e Medição................................................................................................................................ 7-12


9
Aperto do Parafuso de Biela.............................................................................................................. 7-15

Montagem................................................................................................................................................ 7-16
10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Pistões e Bielas

7-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

1
Precauções na Desmontagem

Após à remoção do cárter e cabeçotes, posicionar o 2


motor na posição invertida para remover as bielas.
Remover as capas das bielas. Os parafusos devem
ser afrouxados alternadamente e em etapas. Não 3
soltar completamente o parafuso de um lado e em
seguida o outro.
4

Remover os anéis do pistão.


7-3

Antes de remover o pistão, limpar a parte interna


da camisa para remover quaisquer resíduos ou 9
impurezas. Com as capas das bielas removidas,
remover cuidadosamente o conjunto de pistão / biela
através do lado superior do motor. 10

11

! Atenção: Quando remover o pistão e bie-


12
la, observar a posição do injetor
de óleo, a fim de evitar danificá-
lo. 13

14

15
Remover os anéis elásticos do pino do pistão. Os
pinos dos pistões devem se mover livremente.
16
Nota: Não é necessário golpear ou aquecer os
pinos.
17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Especificações

TO peso da biela é identificado pela sequência de letras e números entre o corpo e a capa. Conforme a letra
(X, Y e Z), é possível identificar o peso.

Marca da Biela

7-4

Categoria de Peso

Letra Faixa de Peso Aplicação


X 1855g - 1876g Produção
Y 1877g - 1898g Peça Sobressalente
Z 1899g - 1920g Produção

A diferença de peso entre todos os conjuntos de pistões / bielas, no mesmo motor, deve ser no máximo de 41g.
Portanto, como peça sobressalente, somente a biela “Y” está disponível.

Marcação da Biela
O par corpo / capa da biela é feito pelo alinhamento dos dígitos gravados no corpo da biela com os primeiros 4
dígitos gravados na capa da biela.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Código de Identificação: 1

2
Controle do Fornecedor

Ano 3
Mês
Fabrificação
Lima 4
Fábrica

5
Categoria de Peso (*)

6
Mês / Dia

7-5

* Como peça sobressalente, somente a biela “Y” está disponível.


( )

8
Importante: Não fazer a montagem de bielas de massas “X” e “Z” no mesmo motor, porque essas bielas exce-
dem o limite máximo de diferença de massas.
9

Pistão
Observar os dois orifícios para arrefecimento da cabeça do pistão. 10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Canaletas do Pistão

1a

2a
3a
7-6

Observação:
Os anéis são identificados pela listra no diâmetro externo.

Dimensões dos Anéis e Folgas nas Canaletas


Dimensões Código
Canaleta Dimensões (anel) Folga
(canaleta) de Cores

1a Espessura 3,00 (ref) Espessura 3,00 (ref) Largura 4,20 a 4,55 0,07 a 0,10 Laranja
2a
Espessura 2,56 a 2,58 Espessura 2,455 a 2,47 Largura 4,20 a 4,55 0,07 a 0,11 Amarelo
Largura 3,45 a 3,70
(com mola)
3a
Espessura 3,54 a 3,56 Espessura 3,47 a 3,49 0,05 a 0,09 Verde
Largura 2,45 a 2,85
(sem mola)

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Aberturas das Extremidades dos Anéis 1

7-7

10

Abertura das Extremidades (mm)


11
1ª canaleta
Nominal 0,30 - 0,55
2ª canaleta 12
Nominal 0,40 - 0,55
3ª canaleta
13
Nominal 0,25 - 0,55

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Bronzinas de Biela

7-8

Bronzina de biela, Ø (cavidade)


Diâmetro (mm)
Padrão 64,998 – 65,025
Reparo 1 64,748 – 64,775
Reparo 2 64,498 – 64,525
Reparo 3 64,248 – 64,275
Reparo 4 63,998 – 64,025

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Empenamento da Biela 1

7-9

10

Torção Máxima Empenamento Máximo


11
0,10 0,03

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Bielas

B
A

7-10

Folga Lateral (mm)


Nominal 0,026 – 0,08
Máxima 0,178

Diâmetro Ø (mm)
A (Com bronzina de biela) 64,998 – 65,025
B (Sem bronzina de biela) 67,000 – 67,019

Folga Lateral (mm)


Nominal 0,30 - 0,50
Máxima 0,90

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Pistão e Pino 1

7-11

9
ØA
Pino do Pistão
Diâmetro (mm) 10
Nominal 37,994 a 38,000
Máxima 37,900
11

ØB
Bucha de Biela (montada) 12
Diâmetro (mm)
Nominal 38,037 a 38,095
13
Máxima 38,140

ØC 14
Bucha de Biela (alojamento)
Diâmetro (mm)
Nominal 41,455 a 41,480 15

D
16
Folga Entre Pino do Pistão e Bucha de Biela
Diâmetro (mm)
Nominal 0,037 a 0,101 17
Máxima 0,150

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeções e Medições

Verificar visualmente os pistões, pinos e bielas. Medir a folga do alojamento da bucha de biela ao pino
do pistão. Inspecione a biela quanto a dano, marcas
ou desgaste. Um dano no corpo da biela (perfil “I”)
poderá causar fissuras e falha da biela.

7-12
Verificar o pino do pistão quanto a marcas, riscos ou
desgaste excessivo.
Medir o diâmetro do pino. Verificar a conicidade e
ovalização do pino. Com a bucha montada, medir o diâmetro do
alojamento do pino do pistão.

Transfira a medida do pino do pistão para um


comparador de diâmetros internos.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Antes de efetuar a medição dos mancais, verificar os 1


códigos de marca na tampa e na biela. Estes códigos
indicam a paridade entre biela e capa, garantindo
um perfeito assentamento das bronzinas de mancal 2
na montagem. Desapertar os parafusos da biela,
desmonte a bronzina de biela e a capa.
Fazer a montagem da capa da biela apertando 3
conforme a especificação (sem as bronzinas de
mancal) e verificando em 2 pontos 90° distantes
um do outro começando a 30° da partição da biela, 4
verificando a ovalização.

Com as bronzinas de mancal instaladas, medir a


folga com um comparador de diâmetros internos. 6

7-13

9
Verificar a folga da árvore de manivelas a biela por
medição do diâmetro da árvore de manivelas com
um micrômetro e transfira esta medida para um 10
comparador de diâmetros internos.

11
Verificar a torção da biela.
Torção Máxima = 0,10 mm
12

13

14

15

Com as bronzinas de mancal instaladas, medir a


folga com um comparador de diâmetros internos.
16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Verificar o empenamento da biela. Medir a folga com um comparador de diâmetros


internos girado por 90° em relação à partição das
Empenamento Máximo = 0,03 mm
bronzinas de mancal.

Desapertar a capa da biela, o conjunto e as bronzinas


Com um comparador de diâmetros internos a 90°
7-14 de mancal com a ajuda do pino expansivo, fazer a
da partição da biela, reajuste o relógio comparador,
montagem da capa da biela e apertar conforme a
remover um dos parafusos da biela e medir sua pré-
especificação.
tensão.

Compare as folgas obtidas dos moentes com um


Pré-tensão: 0,06 - 0,12
comparador de diâmetros internos.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Aperto do Parafuso de Biela 1

Um espaço vazio na face de união por lado é permitido. O espaço vazio não pode exceder 2 mm x 5 mm na
superfície externa da biela.
2

5
Marca de montagem da biela no pistão

7-15

Torque – Ângulo 8
Etapa
1a................ 40 ± 5 Nm
2a................ 80 ± 2° 9

Lmáx = 59,20 mm

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Montagem

As marcas “CTOPW”, “CTOPK” e “CTOP” devem ficar


voltadas para cima.

Verificar as canaletas dos anéis, o alojamento do


pino e a saia do pistão. Verificar a folga dos anéis nas
7-16
canaletas do Pistão.
Fazer a montagem dos anéis do pistão.

Lubrificar as camisas e anéis do pistão. Quando


Lubrificar o pino do pistão, fazer a montagem do pistão instalar o conjunto de pistão / biela no cilindro,
na biela, observando o posicionamento correto entre lembre-se da posição de montagem correta. A seta
eles. A seta na parte superior do pistão deve ficar na parte superior do pistão deve apontar em direção
voltada em direção ao lado dos 3 orifícios da biela. ao lado do volante do motor.
Limpar a parte posterior das bronzinas de mancal e
fazer a montagem no corpo e na capa da biela.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Antes de instalar os pistões nos cilindros, colocar a Empurre cuidadosamente o pistão no cilindro. Nunca
extremidade dos anéis na direção do pino, deslocados bata diretamente na parte superior do pistão. 6
120° um do outro.

7-17

10

11
Observar a posição correta da árvore de manivelas.
Nota: A marca na cabeça do pistão deve ficar vol-
tada para o lado do volante do motor.
12
Para montar a biela com corpo e capa, é necessário
observar a protuberância que mostra a posição
correta.
13
Instalar o compressor de anéis do pistão.

Nota: Posicionar o volante do motor voltado para 14


cima para evitar contatar os injetores de
óleo com as bielas.
15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Lubrificar as duas metades internas das bronzinas de mancal.

7-18 Posicione o corpo da biela no moente da árvore de manivelas e instalar a capa da biela. Apertar os parafusos
conforme a especificação.

Parafuso M12X58 - 10.9


*Torque
1o) 30±5 N.m
2o) 30±5 N.m
Janela de Torque: 87 a 147 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
PISTÕES E BIELAS

Verificar quanto ao movimento lateral livre da biela. 1


Medir a folga lateral.

Assegurar-se que o injetor de óleo esteja apontado


para o orifício do pistão. Caso contrário, ele poderá 7-19
causar aquecimento excessivo do pistão e danos ao
motor.
8

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTES

7-20

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Cabeçotes

Cabeçotes................................................................................................................................................. 8-2 2

Especificações........................................................................................................................................... 8-3

Válvulas – Com ou Sem Freio-Motor................................................................................................... 8-4 3

Guias de Válvulas – Com ou Sem Freio-motor.................................................................................... 8-5

Altura e Distância da Guia à Superfície do Cabeçote – Com ou Sem Freio-motor.............................. 8-6 4

Curso e Folga de Válvulas.................................................................................................................... 8-7

Molas das Válvulas............................................................................................................................... 8-8 5

Diagrama de Válvulas........................................................................................................................ 8-12


6
Inspeções e Medições............................................................................................................................. 8-13

Vista Geral............................................................................................................................................... 8-15


7
Remoção............................................................................................................................................ 8-16

Procedimento de Remoção do Bico Injetor........................................................................................ 8-20


8-1
Desmontagem.................................................................................................................................... 8-22

Montagem.......................................................................................................................................... 8-29
9
Instalação........................................................................................................................................... 8-37

Procedimento de Instalação do Bico Injetor....................................................................................... 8-40


10
Ajuste das Válvulas de Admissão e Escapamento............................................................................ 8-44

Ajuste da Válvula .................................................................................................................................... 8-45


11
Procedimento de Ajuste de Válvulas de Motor MaxxForce 4.8H / 7.2H............................................. 8-45

Notas Gerais................................................................................................................................. 8-48


12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Cabeçotes

Sem Freio-motor Com Freio-motor

8-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Especificações

Sedes de Válvulas Com ou Sem Freio-Motor 2

8-3

10
ØA
Alojamento (mm)
Padrão 11
37,600 - 37,625
Admissão
33,500 - 33,525
Escapamento
12
Ø (B)
Externo (mm)
13
Padrão
Admissão 37,660 - 37,671
Escapamento 33,580 - 33,596
14

(C)
Largura da Sede (mm) 15
Padrão
Admissão 0,600 - 0,620
Escapamento 0,563 - 0,577 16

Ø (D)
17
Ângulo da Sede (mm)
Admissão 60°
Escapamento 45° 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Válvulas – Com ou Sem Freio-Motor

C B

8-4 D

ØA
Haste (mm)
Faixa 7,40 – 8,00

(B)
Altura do Cabeçote (mm)
Admissão 2,60 - 2,80
Escapamento 2,90 - 3,10

(C)
Largura da Superfície (mm)
Admissão 5.30 - 5.90
Escapamento 2.53 - 2.82

Ø (D)
Largura da Superfície (mm)
Admissão 36,5 - 36,7
Escapamento 32,4 - 32,6

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Guias de Válvulas – Com ou Sem Freio-motor 1

8-5

9
ØA
Após a Montagem (mm)
Nominal 10
Reparo 7,000 - 7,022
Máximo
11

Ø (B)
Externo (mm) 12
Nominal 12,028 - 12,039

Ø (C) 13

Alojamento (mm)
Nominal 12,000 - 12,021 14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Altura e Distância da Guia à Superfície do Cabeçote – Com ou Sem Freio-motor

8-6

Altura da Guia de Válvula (A) (mm)


Admissão e Escapamento 13,85 - 14,15

Distância da Superfície do Cabeçote (B) (mm)


Nominal
Reparo 0,90 - 1,00
Máximo 1,45 - 1,55

Altura da Gguia à Face do Cabeçote (C) (mm)


Admissão e Escapamento 44,7 - 45,3

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Curso e Folga de Válvulas 1

B 3

B
4

A 7
A

8-7

9
(A)
Curso (mm)
Admissão 7,04 - 7,32 10
Escapamento 7,12 - 7,40

11
(B)
Folga (mm)
Admissão 0,20 a 0,40 12
Escapamento 0,20 a 0,40

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Molas de Válvula
O teste é efetuado colocando-se as molas em um dispositivo especial e lendo a força de fechamento para duas
deflexões diferentes conforme a seguinte tabela. As molas das válvulas de admissão são únicas (somente uma
mola) e as molas das válvulas de escapamento são duplas.

Sem Freio-motor

Sem Carga C Carga A Carga B

8-8

Mola da Válvula de Admissão e Escapamento


Ø arame 3,30 mm
Carga (kgf) Comprimento (mm)
C 0,0 C 58,3
A 311 ± 20 A 40,0
B 481 ± 20 B 30,0

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Com Freio-motor 1

Sem Carga C Carga A Carga B


4

Ø arame 3,30 mm 7

Carga (kgf) Comprimento (mm)


C 0,0 C 64,70 8-9
A 410 ± 25 A 40,0
B 576 ± 28 B 30,0
9
Mola do Atuador do Freio-motor
Ø arame 3.30 mm
10
Carga (kgf) Comprimento (mm)
C 0,0 C 16,10
A 57,7 ± 5 A 12,10
11
B 77,9 ± 6 B 10,70

Mola Interna do Atuador do Freio-motor 12


Ø arame 3.30 mm
Carga (kgf) Comprimento (mm)
13
C 0,0 C 16,10
A 0,30 ± 0,03 A 10,0
B 0,35 ± 0,03 B 9,00
14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Balancim – Folga (a Frio)

8-10

Ø
Balancim mm
Balancim 16,016 - 16,034
Articulação 15,983 - 15,994

Folga
Balancim mm
Radial 0,022 a 0,051
Axial 0,2 a 0,5

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Freio-motor – Folga (à Frio) 1

8-11

Ø 9
mm
Alojamento do atuador do freio-motor 11,000 - 11,011
10
Atuador do freio-motor 10,983 - 10,994
Profundidade do alojamento do atuador (A) 11,80 - 12,2
Comprimento do atuador 13,67 - 13,73 11

Folga
12
Balancim mm
Radial 0,022 a 0,051
13
Ferramenta especial para medição da mola.

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Diagrama de Válvulas

8-12

Admissão
Abre 3° ± 3° DPMS
Fecha 23° ± 3° DPMI
Escapamento
Abre 33° ± 3° APMI
Fecha 1° ± 3° DPMS

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Inspeções e Medições

Verificar visualmente os cabeçotes quanto a vaza- Medir o diâmetro externo da haste da válvula em 3 2
mentos. pontos diferentes:
• Parte superior;
• Parte central; 3
• Parte inferior.

7
Verificar as hastes de acionamento. As extremidades
da haste de acionamento não devem estar frouxas
ou fissuradas. Verificar quanto a desgaste excessivo. 8-13
Inspecione as hastes de acionamento quanto ao
empenamento.
Medir o diâmetro externo da guia de válvula.
9

10

11

12

13

A superfície dos cabeçotes nunca deve ser usinada.


Nota: Não medir o diâmetro na parte inferior da
14
guia.

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Medir a cavidade do alojamento da guia de válvula.


Após a medição, instalar as guias de válvulas usando
a ferramenta especial mostrada.

Verificar as extremidades do balancim quanto a des-


gaste excessivo ou fissuras no alojamento do eixo ou
na área de contato com a haste da válvula.
Medir a ovalização do eixo do balancim.
Medir a cavidade da guia de válvula instalada. Verificar com um micrômetro.
Medir a largura da superfície de contato da válvula.

8-14

Medir a cavidade do alojamento do eixo.


Medir a altura da guia de válvula em relação ao
Verificar a folga axial das extremidades do balancim
cabeçote.
no eixo e quanto a deformidades como ovalização e
conicidade.

Medir a largura da sede de válvula.


Nota: Antes de iniciar a montagem do conjunto
do cabeçote, todas as peças deverão estar
bem limpas.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Vista Geral

Com Freio-motor Sem Freio-motor 3

8-15

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remoção

Remover a tampa de válvulas.


Remover o O-Ring do parafuso de fixação da tampa
de válvulas e descartar.

8-16 Remover a vedação da tampa de válvulas.

Remover o coletor de admissão.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Remover os parafusos de fixação do tubo de água. 1

8-17

9
Remover o tubo de saída de líquido de arrefecimento.

10

11

12

13

14

15

16

17
Remover o tubo de saída do parafuso da linha.

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover os parafusos do coletor de escapamento.

8-18

Remover as porcas e desconectar a fiação elétrica do cabeçote para os conectores dos injetores.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Remover o parafuso e desconectar o conector do bico injetor externo. 1

8-19

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Procedimento para Remoção do Bico Injetor

Remover a abraçadeira STP, a ponte e os dois parafusos. (4/2)


Remover o parafuso escalonado especial. (3)
Remover o parafuso sextavado interno M6x30. (4)
Remover a abraçadeira STP. (5)
Remover o suporte da ponte – Admissão. (2)
Remover o conector de alta pressão. (1)

8-20

1. Conector de alta pressão


2. Suporte da ponte – Admissão
3. Parafuso escalonado especial
4. Parafuso sextavado interno M6x30 Fixação da ponte
5. Abraçadeira STP

Nota: Nos motores com freio de escapamento, não é necessário remover o conjunto de suporte e freio-motor
para remover o bico de injeção.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Remover o injetor de combustível do cabeçote. Remover as buchas de guia. 1

6
Remover o cabeçote.

8-21

10

11

Remover as hastes de acionamento.


Remover as juntas. 12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Desmontagem

Remover os parafusos M5X10 e remover a trava do tubo de lubrificação.

8-22

Remover a trava do tubo de lubrificação do eixo balanceiro.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Remover o O-Ring. 1

6
Para remover o eixo balanceiro do balancim.

8-23

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover o eixo balanceiro com o O-Ring e descartar o O-Ring.

Nota: Para remover o eixo balanceiro de admissão, Com Freio de Escapamento e Sem Freio de Escapamento.

Com Freio de Escapamento

8-24

Sem Freio de Escapamento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Remover os balancins de admissão. 1

6
Remover o eixo balanceiro com o O-Ring e descartar
o O-Ring.
7

8-25

10

11

Remover o balancim de escapamento.


12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover o eixo balanceiro de escapamento, com ou sem freio de escapamento.

Com Freio de Escapamento

8-26

Sem Freio de Escapamento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Remover a tampa de válvulas. Comprima a mola e remover as chavetas da mola, 1


conforme mostrado.

6
Instalar a ferramenta especial guia Nº D7002297C1,
conforme mostrado. Remover os discos superiores das molas.
7

8-27

10

11

Para comprimir e remover as chavetas das molas de Remover as molas de válvula.


válvula, usar a ferramenta especial Nº D7002297C1. 12

Instalar a alavanca da ferramenta especial na guia,


conforme mostrado.
13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover os retentores de válvula. Inspecione os 9 bujões de vedação quanto a


vazamentos, corrosão ou dano. Substituir, se
necessário.

Remover os discos inferiores das molas.

8-28

Remover, pelo outro lado, as 4 válvulas.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Montagem

Aplique Loctite 648 ou equivalente na superfície de 2


vedação.

Instalar as 4 válvulas.
7
Instalar os 9 bujões de vedação. Ver a seguinte
ilustração para os locais das tampas de vedação.
8-29

10

11

Instalar, pelo outro lado, os discos de mola inferiores.


12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalar a ferramenta especial Nº D7000597C1 para Usando a ferramenta especial Nº D7000597C1 e


deslizar o retentor da válvula. seu espaçador, instalar o retentor da válvula em seu
alojamento.

Para assegurar que o retentor da válvula esteja


totalmente encaixado na guia da haste da válvula
no cabeçote, o espaçador da ferramenta especial
deve atingir a superfície do cabeçote. Usando um
8-30 martelo de borracha, aplique pancadas leves sobre a
ferramenta especial para assegurar que o espaçador
atinja sua posição.

Colocar os retentores de válvula na posição mostrada.

Instalar as molas de válvula.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Instalar os discos superiores da mola. Instalar a tampa de válvulas. 1

6
Usar a ferramenta especial Nº D7002297C1 para Instalar o balancim de escapamento.
comprimir e instalar as chavetas das molas de válvula.
Instalar a alavanca da ferramenta especial na guia, 7
conforme mostrado.

8-31

10

11

Aplique vaselina ou óleo de motor limpo no novo


O-Ring.
12
Instalar o O-Ring em seu alojamento do eixo balan-
Comprima a mola e instalar as chavetas da mola, ceiro.
conforme mostrado.
13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Nota: Quando instalar o eixo balanceiro, assegurar-se que o O-Ring se encaixe corretamente para evitar
qualquer dano.

Instalar o eixo balanceiro com um novo O-Ring no lado externo.

Com Freio de Escapamento

8-32

1. Conjunto do Balancim Intermediário 6. Eixo dos Balancins


2. Parafuso de Ajuste da Folga de Válvulas 7. Bujão
3. Porca M8 Especial 8. O-ring 6x2
4. Balancim de Admissão 9. Parafuso Dodecagonal do Eixo dos Balancins
5. O-ring 17.17x1.78

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Sem Freio de Escapamento 1

8-33

10

11
1. Conjunto do Balancim Intermediário
2. Parafuso de Ajuste da Folga de Válvulas
12
3. Porca M8 Especial
4. Balancim de Admissão
5. O-ring 17.17x1.78 13

6. Eixo dos Balancins


7. Bujão 14
8. O-ring 6x2
9. Parafuso Dodecagonal do Eixo dos Balancins
15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalar os balancins de admissão.

Com o O-Ring previamente instalado, instalar o eixo balanceiro com o O-Ring no lado externo.

Com Freio de Escapamento


8-34

1. O-ring 17.17x1.78 4. O-ring 6x2


2. Eixo dos Balancins 5. Parafuso Dodecagonal do Eixo dos Balancins
3. Bujão 6. Balancim de Escapamento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Sem Freio de Escapamento 1

8-35

10

11
1. O-ring 17,17x1,78
2. Eixo dos Balancins
12
3. Bujão
4. O-ring 6x2
5. Parafuso Dodecagonal do Eixo dos Balancins 13

6. Balancim de Escapamento
14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalar o O-Ring. Instalar os parafusos M5X10 e apertar o parafuso.


Torque: 4 a 6 N.m.

o tubo de lubrificação do eixo balanceiro. Instalar a


trava do tubo de lubrificação.

8-36

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Instalação

Instalar as buchas de guia. 2


Duas guias para cada cilindro em lados opostos, conforme mostrado.

8-37

10

Para a instalação da junta do cilindro, observar a marca da posição TOP (superior) na junta, a qual deve ficar
voltada para cima. 11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A junta deve se encaixar nas buchas de guia. Instalar um novo O-Ring e arruela de vedação no
injetor e assegurar-se que ele esteja instalado na
posição correta.

Instalar o pino-guia ferramenta especial Nº


9.407.0.690.030.4 a alinhe os cabeçotes. Instalar as
hastes de acionamento.
Observando que os cabeçotes sirvam de guia pelo
lado superior, instalar as hastes de acionamento dos
8-38 balancins.

Instalar o injetor de combustível no cabeçote.

Instalar o cabeçote.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Instalar o conector de alta pressão em sua posição 1


correta.

8-39

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Procedimento de Instalação do Bico Injetor

8-40

1. Porca do Conector de Combustível de Alta Pressão


2. Conector de Combustível de Alta Pressão
3. Bocal do Injetor de Combustível
4. Arruela de Vedação 1
5. Abraçadeira do Injetor de Combustível
6. Ponte de Fixação do Injetor de Combustível
7. Chicote de Fiação do Injetor de Combustível
8. Parafuso-flange Sextavado M6x12 8.8 Organo
9. Parafuso-flange Sextavado M6x12 8.8 Organo Met.
10. Parafuso Sextavado Interno M6x30 8.8
11. O-ring
12. Tampa do Injetor de Combustível

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Instalar manualmente o injetor (3), abraçadeira (5), ponte de Fixação (6) e os parafusos (9, 10). 1
Aplicar torque de 4 ± 1 Nm parafuso M6x30 (9) da abraçadeira do injetor.
Aplicar torque de 1 a 1,5 Nm no parafuso M6x30 (10) para fixar a ponte de fixação (6). 2
Aliviar o torque para 0 Nm do parafuso M6x30 da ponte de fixação (10).
Instalar o conector de alta pressão (2, 1) aplicando torque de 15 a 20 Nm.
3
Aplicar torque de 1 a 1,5 Nm no parafuso M6x30 da ponte de fixação (10).
Aplicar torque angular de 7 a 13 Nm no parafuso M6x30 da ponte de Fixação (10) em 3 etapas (90° + 90° + 30°).
4
Aplicar torque de 50 a 55 Nm na porca do conector de alta pressão (1).
Instalar a tampa do injetor (12).
É necessário se certificar de que o chicote de fiação seja torcido duas vezes antes de instalá-lo abaixo do tubo 5
de lubrificação dos balancins (de acordo com o detalhe A).
Instalar o chicote de fiação do injetor (7) aplicando o torque recomendado.
6
Nota: Este procedimento é necessário para assegurar o assentamento e alinhamento corretos do injetor e
conector de alta pressão.
7

8-41

10

11

12

13

14
1. Conector de alta pressão
2. Suporte da ponte – Admissão
3. Parafuso escalonado especial 15

4. Parafuso sextavado interno M6x30 Fixação da ponte


5. Abraçadeira STP 16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Usando uma porca M4, conectar os fios elétricos do cabeçote aos conectores dos injetores. Aplique a apertar a
porca com o torque correto. Torque: 1,25 a 1,75 N.m.
Com um parafuso M6X12, apertar o conector externo do bico injetor, aplicando o torque correto.
Torque: 7,5 a 9,5 N.m.

8-42

Apertar os parafusos seguindo a sequência numérica acima em três etapas, para cada cilindro, conforme as
especificações abaixo:
Torque convencional e angular:
Aperto Inicial: Apertar – Torque = +60 ± 3 N.m
Apertar – Ângulo = +120º +10º
Soltar – Ângulo = -90º +10º
Aperto Final: Apertar – Torque = +110 + 10 N.m
Apertar – Ângulo = +120º +10º
Janela de torque = 170 a 272 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

8-43

1. Parafuso Dodecagonal com Espiga do Cabeçote 8. Parafuso Oco M12x1,5x24


2. Parafuso Dodecagonal do Cabeçote 9. Arruela de Vedação 10X16x1
10
3. Parafuso Cilíndrico 10. Cinjunto do Tubo de Lubrificação do Trem de
4. Cinjunto do Tubo de Lubrificação do Mancal dos Válvulas
Balancins 11. Parafuso Oco M10x1x19 11
5. O-Ring 12. Arruela de Vedação
6. Cinjunto do Cabeçote 13. Cinjunto do Tubo de Lubrificação do Trem de
7. Junta do Cabeçote 1,2 mm (Opcional) Válvulas 12
Junta do Cabeçote 1,3 mm (Opcional) 14. Parafuso-Flange Sextavado M8x12 – 8.8
Junta do Cabeçote 1,4 mm 15. Parafuso Oco M10x1x23
13

A - Por Meio de Parafusadeira Múltipla com B - Por Meio de Torquímetro Manual


Sistema de Torque/Ângulo 14
Item Etapas Qt.
Item Etapas Qt. Apertar – Torque +60±3 N.m
Apertar – Torque +60±3 N.m Aperto
Apertar – Torque +120±10 N.m 15
Aperto Inicial
Apertar – Torque +120+5 N.m Soltar – Ângulo -90+10°
Inicial
Soltar – Ângulo -140°+5° Aperto Apertar – Torque +110+10 N.m
16
Apertar – Torque +100±5 N.m Final Apertar – Ângulo +120+10°
Aperto Soltar – Ângulo -45°+5° Janela de Torque 170 a 272 N.m
Final Apertar – Torque +120±5 N.m 17
Apertar – Ângulo +120°+5°
Janela de Torque 170 a 272 N.m
18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Para ajustar as válvulas, consulte o procedimento Ajuste das Válvulas de Admissão e


específico nesta seção. Escapamento
Usar uma nova junta da tampa de válvulas, e Seguir este procedimento para assegurar o ajuste
assegurar-se que se ela esteja encaixada correta- correto da folga de válvulas.
mente.
Com o motor frio, girar a árvore de manivelas até que
as válvulas de admissão e escapamento do cilindro
4 estejam fechada, para assegurar que a árvore de
comando não esteja atuando no balancim que será
ajustado.

Usando um parafuso M6x60, instalar a tampa de


8-44 válvulas aplicando o torque correto.
Torque: 7,5 a 9,5 N.m

1. Folga

Porca de
Ajuste

1. Porca de Ajuste

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

1
Ajuste da Válvula

Procedimento de Ajuste das Válvulas do Motor MaxxForce 4.8H / 7.2H Com Freio-motor 2

8-45

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1ª Etapa:
Selecionar o cilindro a ser ajustado e posicionar o
pistão no ponto morto superior, a fim de assegurar
que todas as válvulas estejam completamente
fechadas.

Esta operação irá permitir que o balancim fique livre


e com folga em relação a todas as peças.

3ª Etapa
Introduzir o calibrador de lâminas 0,3 mm entre o
topo da válvula de escapamento e o balancim, no
2ª Etapa: lado sem atuador.
8-46
Soltar totalmente o parafuso de ajuste da folga de
válvula e sua contraporca, localizado no balancim
intermediário, usando a chave de fenda e uma chave
fixa.

Soltar totalmente a articulação e sua contraporca,


localizada no suporte da articulação, usando uma
chave de fenda e uma chave fixa.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CABEÇOTES

Usando a chave de fenda, inclinar o parafuso de ajuste Verificar se a folga entre o topo da válvula e o 1
da folga de válvula sobre o balancim intermediário, balancim é de 0,3 mm. Caso contrário, repetir este
até a lâmina deslizar com pequeno atrito entre as procedimento até obter a folga de 0,3 mm.
peças, conforme o procedimento atual. 2

4ª Etapa
7
Remover o calibrador de lâminas ou o retire após
Se necessário, empurre o balancim de escapamento
aplicar o torque de 22 Nm na contraporca para
para baixo com a mão (em direção à válvula), e
assegurar que o parafuso não girar ou se mova de
Introduzir o calibrador de lâminas de 0,2 mm entre 8-47
sua posição pelo uso da chave de fenda.
o topo do balancim de escapamento e a sede da
articulação.
9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Usando a chave de fenda, inclinar a articulação sobre 6ª Etapa


seu suporte, até eliminar a possível folga entre o
Verificar se é possível introduzir o calibrador de
calibrador de lâminas, sede da articulação e o topo
lâminas de 0,1 mm entre a sede da articulação do
do balancim. Após finalizar a folga, continue girando
balancim intermediário e o balancim de escapamento.
o parafuso com uma leve carga de aperto e parar
Provavelmente, será possível a inserção do calibrador
quando perceber um súbito aumento da carga.
de lâminas de 0,2 mm. Verificar se essa folga é
superior a 0,1 mm.

Nota: O aumento súbito da carga é percebido


8-48
facilmente. Mas se ele não for percebido,
repetir este procedimento até perceber. Notas Gerais:
Para o ajuste das válvulas de admissão, o proce-
5ª Etapa dimento é o mesmo atualmente liberado.

Verificar se é possível introduzir o calibrador de Este procedimento será fácil se o ajuste da folga do
lâminas de 0,2 mm entre o topo da válvula e o freio-motor for efetuado antes da instalação do bico
balancim de escapamento no lado sem atuador. injetor.
Agora, a folga deverá ser entre 0,2 e 0,3 mm.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

1
Carcaça das Engrenagens

Carcaça das Engrenagens........................................................................................................................ 9-2 2


Precauções na Desmontagem.................................................................................................................. 9-3

Inspeções e Medições............................................................................................................................... 9-4 3


Especificações........................................................................................................................................... 9-6

Folgas das Engrenagens.................................................................................................................... 9-10 4

Montagem.......................................................................................................................................... 9-11

Substituição / Instalação do Compressor de Ar................................................................................. 9-16 5

Bomba de Alta Pressão – Pré-montagem.......................................................................................... 9-18


6

9-1

10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Carcaça das Engrenagens

9-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

1
Precauções na Desmontagem

Usar uma chave convencional, soltar o tensor da Remover a polia de acessórios. 2


correia e remover a correia. Soltar os parafusos de polia da árvore de manivelas.
Remover o conjunto da polia da árvore de manivelas
e amortecedor.
3

7
Remover a polia e o suporte do tensor.
Remover a vedação dianteira.
8

9-3

10

11

12

Antes de desmontar a polia, travar o conjunto


do volante do motor e árvore de manivelas com a Remover a parafusos de fixação da tampa dianteira 13
ferramenta especial MWM Nº D7000600C1 para evitar e, em seguida, remover a tampa.
o afrouxamento da engrenagem de sincronização.

14

15

16

17

Remover e substituir a junta da tampa dianteira. 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeções e Medições

9-4

1. Engrenagem do Compressor
2. Engrenagem Intermediária
3. Engrenagem da Árvore de Comando (Atuador da Bomba de Alta Pressão)
4. Engrenagem da Bomba de Combustível de Alta-Pressão
5. Engrenagem da Bomba de Óleo
6. Engrenagem da Árvore de Manivelas

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

9-5

1. Engrenagem da árvore de comando (atuador de sincronização do motor) 10


2 . Engrenagem da bomba de água

11
Verificar visualmente o amortecedor e a(s) polia(s).
Verificar visualmente as engrenagens. Verificar quanto a indícios de desgaste ou fissuras na base dos dentes.
12
Caso encontre quaisquer defeitos, substituir as engrenagens.
Medir os componentes da carcaça das engrenagens conforme a seguinte ilustração.
13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Especificações

Mancal da Engrenagem Intermediária


Medidas mm
Ø nominal 44,995 - 45,011
Folgas da Engrenagem mm
9-6
Radial 0,013 - 0,075
Axial 0,100 - 0,240

Anel de Encosto (Para Anel Intermediário)


E (mm) No MWM
3,41 - 3,45 9.610.0.433.008.4
3,46 - 3,50 9.610.0.433.009.4
3,52 - 3,56 9.610.0.433.010.4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Engrenagem Intermediária
Ø do furo mm 7

Sem bucha 49,990 - 50,015


Com bucha 45,024 - 45,076 8

Quantidade de dentes 61
9-7

10

11

12

13

14

Engrenagem Dianteira da Árvore de Manivelas 15

Ø do furo 59,994 - 60,019 mm


Quantidade de dentes 36 16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Engrenagem da Bomba de Alta Pressão


Ø do furo mm
Sem bucha 21,000 – 21,100
Quantidade de dentes 30

9-8

Engrenagem Dianteira da Árvore de Comando


(Árvore de Comando para Engrenagem Motora da Bomba de Combustível)
Ø do furo 50,000 - 50,032 mm
Quantidade de dentes 80

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Engrenagem Traseira da Árvore de Comando


(Engrenagem de Sincronização da Árvore de Comando)
7
Ø do furo 52,00 - 52,03 mm
Quantidade de dentes 72
8

9-9

10

11

12

13

14
Engrenagem do Compressor de Ar
Ø do furo 30,00 - 30,033 mm
15
Quantidade de dentes 32

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Engrenagem da Bomba de Óleo


Ø do furo 52,00 - 52,030 mm
Quantidade de dentes 26

Folgas das Engrenagens


9-10

Folgas das Engrenagens


Axial 0,06 a 0,14
Engrenagem / Mancal
Radial 0,013 a 0,075

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Montagem 1

Travar o motor com a ferramenta especial Nº


D7000600C1.
2
Com o motor de partida removido, instalar a ferra-
menta conforme indicado.
3

Instalar o mancal intermediário sem o disco e o anel


de encosto um perfeitamente no centro da peça 8
intermediária.

9-11

10

11

12

13

Colocar a junta da carcaça das engrenagens e bloco.


14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

! Atenção: Loctite 5999 instalar a carcaça das engrenagens e apertar os parafusos de fixação em
padrão cruzado conforme a especificação.

9-12

! Atenção: A centralização da carcaça das engrenagens é importante para garantir as folgas


especificadas das engrenagens de sincronização.

! Atenção: Quando remover/instalar a bomba de água, travar a árvore de comando e as engrenagens


de sincronização.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Instalar a bomba de água, apertar conforme a espe- 1


cificação. Tome cuidado para não danificar a junta.
Torque: 25 ± 3 Nm
2

Instalar a engrenagem da árvore de comando e


apertar os parafusos conforme a especificação. 6

Instalar a bomba de óleo, apertar conforme a 7


especificação. Tome cuidado para não danificar a
junta.
Torque: 25 ± 3 Nm 8

9-13

10

11

12

13
Instalar os tubos de lubrificação, apertar conforme a
especificação (motor eletrônico mostrado).
Torque: 5 ± 5 Nm 14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Carcaça do motor

Sequência de aperto

Janela de torque 38 a 68 N.m

9-14

1. Árvore de Comando
2. Abraçadeira da Árvore de Comando
3. Parafuso-Flange Sextavado M8x16-8.8
4. Roda de Pulsos / Sensor de Fase
5. Pino Elástico
6. Engrenagem da Árvore de Comando
7. Parafuso M6x12-8.8 Din 6921
8. Engrenagem da Árvore de Comando
9. Parafuso-Flange Sextavado M8x30-10.9 Din 6921

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Instalar os parafusos do mancal intermediário. 1

Instalar a engrenagem intermediária.


6
Torque: 38 a 68 Nm
Instalar o anel de encosto da engrenagem
intermediária. As duas ranhuras devem permanecer 7
voltadas em direção ao lado do eixo. Há 3 espessuras
diferentes de anel de encostos a fim de garantir a
folga axial da engrenagem intermediária.
8

9-15

10

Para fazer a montagem das engrenagens na posição 11


de sincronização correta, usar a chave de fenda e
fazer uma pequena volta. Observar as marcas das
engrenagens de sincronização.
12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Substituição/Instalação do Compressor de Ar
Remover a porca e seu protetor e instalar a engrenagem e sua porca com o torque especificado.
Torque: 200 a 250 Nm

- Aplicar pré-torque 40 N.m;


- Aplicar torque 225 ± 25 N.m;
- Soltar a porca 720°;
9-16
- Aplicar torque 225 ± 25 N.m.

Instalar um novo O-Ring no compressor de ar e aplicar vaselina para evitar danos durante a instalação.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Instalar os parafusos no compressor de ar e apertar com o torque especificado. 1


Torque: 40 a 50 Nm

9-17
Instalar os parafusos para o suporte do compressor de ar.
Torque: 14 a 26 Nm 10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Apertar todos os parafusos de fixação de engrenagens Bomba de Combustível de Alta Pressão –


de sincronização com os torques especificados. Ver a Pré-Montagem
tabela de torques especiais no Apêndice A.
A. Verificar e substituir o O-Ring da bomba de com-
bustível para assegurar que ela esteja na posi-
ção correta para evitar danos durante a monta-
gem do adaptador do flange.
B. Instalar o flange adaptador na carcaça da bomba
de combustível.

A B

Medir a folga entre a engrenagem de sincronização


da bomba de alta pressão e a engrenagem da árvore
de comando.

Instalar a bomba de alta pressão na carcaça das


9-18
engrenagens.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Aplicar trava química no parafuso (16) e apertar os parafusos de fixação. 1


Torque: 36 a 44 Nm

9-19

Instalar a engrenagem da bomba de combustível e apertar a porca com o torque especificado.


Torque: 100 a 110 Nm 10

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Vista do conjunto de engrenagens montado.

Colocar a nova junta na tampa dianteira da carcaça


das engrenagens.

! Atenção: Durante a operação do motor


não deverá haver qualquer
ruído de engrenagens.
Uma operação ruidosa indica
uma folga excessiva entre as
engrenagens ou o desgaste
excessivo dos dentes de
engrenagem.
9-20

Medir a folga entre ambas as engrenagens de


sincronização.
Folga: 0,05 a 0,25 Nm

Centralize a tampa dianteira com a ferramenta


especial MWM nº 9.610.0.690.019.6.

Folga: 0,05 a 0,25 Nm

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Instalar a ferramenta especial MWM nº 1


9.610.0.690.019.6.
Apertar os 2 parafusos indicados para encaixar a
ferramenta na engrenagem. 2

Estratégia de Torque
6
1º Aplicar torque de 18 ± 2 Nm em todos os parafu-
sos;

2º Soltar por 60°; 7


Colocar a nova vedação dianteira e o cubo da
3º Aplicar 15 ± 2 Nm; ferramenta especial e apertar conforme indicado
para posicionar a vedação em seu alojamento. 8
4º Aplicar aperto de 30 ± 3 graus.

Janela de Torque: 18 a 43 Nm.


9-21
Observação: Os passos 2, 3 e 4 devem ser aper-
tadas parafuso por parafuso, mantendo os
outros apertados. 10

Instalar, sem apertar, os parafusos para permitir que


a tampa seja ajustada.
11
Apertar os parafusos da tampa dianteira de acordo
com a especificação.
12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalar o sensor de pressão do óleo.


Instalar a placa defletora e a polia dianteira com o amortecedor.
Apertar os parafusos em padrão cruzado com o torque especificado.

1. Aplicar pré-torque de assentamento: 190 + 20 N.m (conforme sequência de aperto).


2. Soltar o primeiro parafuso e aplicar pré-torque: 40+5 N.m.
3. Aplicar no mesmo parafuso aperto angular de 60°+3°.
4. Repetir os passos 2 e 3 para os demais parafusos (conforme sequência de aperto).
5. Janela de torque: 231 - 476 N.m.

9-22

1º Pré-torque: 25±3 N.m


2º Ângulo de [ilegível]
Janela de torque: 31 a 71 N.m

1. Aplicar pré-torque de assentamento: 190 + 20N.m (conforme


sequência de aperto)
2. Soltar o primeiro parafuso e aplicar pré-torque: 40+5 N.m
3. Aplicar no mesmo parafuso aperto angular de 60°+3°
4. Repetir os passos 2 e 3 para os demais parafusos
(conforme sequência de aperto)
5. Janela de torque: 231 – 476 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
CARCAÇA DAS ENGRENAGENS

Instalar o adaptador e, em seguida, o sensor da 1


árvore de comando e aplicar o torque especificado.

Torque: 6,5 a 8,5 Nm


2

Instalar a polia e o suporte do tensor. 7

Torque: 17 a 23 Nm
8

9-23

10

11

12

Instalar a correia de acessórios afrouxando o tensor


com uma chave. 13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

9-24

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
VOLANTE DO MOTOR E CARCAÇA DO VOLANTE DO MOTOR

1
Volante do Motor e Carcaça do Volante do Motor

Volante do Motor e Carcaça do Volante do Motor................................................................................... 10-2 2


Precauções na Desmontagem................................................................................................................ 10-3

Inspeções Pré-Montagem.................................................................................................................. 10-3 3


Montagem................................................................................................................................................ 10-4

10-1

11

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Volante do Motor e Carcaça do Volante do Motor

Seqüência de aperto

10-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
VOLANTE DO MOTOR E CARCAÇA DO VOLANTE DO MOTOR

1
Precauções na Desmontagem

Antes de remover o volante do motor, travar a árvore Inspeções Pré-Montagem 2


de manivelas do motor com a ferramenta especial
MWM nº 9.610.0.690.026.4. Inspecione visualmente a carcaça do volante do
motor quanto a fissuras ou dano.
Com a chaveta do motor de partida removida, instalar 3
a ferramenta conforme indicado.

Inspecione visualmente o volante do motor e a coroa. 8


Falhas no engrenamento do motor de partida podem
Para remover a coroa (1) do volante do motor (2), ser causadas por dentes da coroa quebrados ou
aqueça a engrenagem a 180° C e bata-a para fora. danificados.
9
Assegurar-se que se os orifícios do sensor estejam
limpos e em boas condições.
10-3

2 11

1 12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Montagem

Para instalar a coroa no volante do motor, primeiro


a aqueça até uma temperatura ao redor de 250°C
e instalar-a prestando atenção para que os dentes
com formato de V fiquem voltados para o lado da
engrenagem do motor de partida.

Instalar a vedação traseira com a ferramenta especial


MWM Nº 9.610.0.690.020.6.

Limpar a carcaça e o bloco do motor. Aplicar Loctite


5900 na superfície de contato entre o bloco do motor
e a carcaça, circundando os orifícios dos parafusos,
conforme ilustrado.

10-4

Instalar a carcaça no bloco do motor e apertar os


parafusos conforme a especificação.
Torque: 85 a 115 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
VOLANTE DO MOTOR E CARCAÇA DO VOLANTE DO MOTOR

Com o motor travado, instalar o volante do motor. 1


Apertar os parafusos da árvore de manivelas con-
forme a especificação.
2
1. Aplicar pré-torque de assentamento: 200 + 20 N.m
(conforme sequência de aperto);
2. Soltar o 1º parafuso e aplicar pré-torque: 40+5 3
N.m;
3. Aplicar no mesmo parafuso aperto angular de
55°+3°; 4
4. Repetir os passos 2 e 3 para os demais parafusos
(conforme sequência de aperto).
5
5. Janela de torque: 252 - 460 N.m.

Verificar a concentricidade entre o volante do motor


e a carcaça. 6
Concentricidade máxima = 0,20 mm

10-5
Verificar o batimento lateral do volante do motor.
Batimento lateral máximo = 0,1 mm
11

Instalar o sensor de rotação, fixe-o com o parafuso e


apertar com o torque especificado. 12
Torque: 6,5 a 8,5 Nm

13

14

15

Verificar o paralelismo entre o volante do motor e a 16


carcaça.
Paralelismo máximo = 0,20 mm
17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

10-6

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

1
Sistema de Lubrificação

Circuito de Óleo Lubrificante................................................................................................................... 11-2 2


Módulo do Sistema de Óleo .................................................................................................................. 11-4

Precauções na Desmontagem................................................................................................................ 11-5 3


Instalação - Módulo do Sistema de Óleo e Resfriador de Óleo.................................................... 11-6

10

11-1

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Circuito de Óleo Lubrificante

11-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Entrada de combustível
7
Saída / retorno de combustível

10

11-3

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Módulo do Sistema de Óleo

11-4

1. Junta, Resfriador de Óleo a Carcaça do Motor


2. Prisioneiro M8x30
3. Conjunto Resfriador, Óleo Lubrificante – 5/6 ou 7 Placas
4. Espaçador, Tubo de Entrada de Lubrificação do Turbo
5. Parafuso-flange Sextavado M8x45
6. Parafuso-flange Sextavado M8x30
7. Espaçador do Tubo do Filtro de Combustível
8. Parafuso-flange Sextavado M8x65

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

1
Precauções na Desmontagem

Remover o resfriador de óleo retirando somente os parafusos sextavados. 2


Durante a remoção do resfriador de óleo, não remover os parafusos “Torx” para evitar a mistura de óleo no
sistema de arrefecimento.
Os parafusos “Torx” requerem uma ferramenta especial para a remoção e, se necessário, somente poderão ser 3
removidos quando o resfriador de óleo for removido do bloco do motor.

10

11-5

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalação - Módulo do Sistema de Óleo e Resfriador de Óleo

11-6
1. Junta, Resfriador de Óleo a Carcaça do Motor
2. Prisioneiro M8x30-10.9 DIN 939
3. Conjunto Resfriador, Óleo Lubrificante – 5/6 ou 7 Placas
4. Espaçador, Tubo de Entrada de Lubrificação do Turbo
5. Parafuso-flange Sextavado M8x45-8.8 DIN 6921
6. Parafuso-flange Sextavado M8x30-8.8 DIN 6921
7. Espaçador do Tubo do Filtro de Combustível
8. Parafuso-flange Sextavado M8x65-8.8 DIN 6921

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Junta metálica
2
Parafuso organometálico

Estratégia de Aperto 7

1o Aplicar 18 ± 2 N.m em todos os parafusos.


2
o
Soltar 60°. 8

3o Aplicar 15 ± 2 N.m.
4o Aplicar 30° ± 3. 9
Janela decontrole: 18 Nm a 43 Nm

Observação: As etapas 2, 3 e 4 devem ser apertadas parafuso por parafuso, mantendo-se os demais apertados. 10

11-7

12

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

11-8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA ELÉTRICO DO MOTOR

1
Sistema Elétrico do Motor

Identificação dos Sensores..................................................................................................................... 12-2 2

Sensores do Motor............................................................................................................................. 12-2

Sensor de Posição da Árvore de Comando (CMP) . .................................................................... 12-2 3

Sensor de Posição da Árvore de Manivelas (CKP) . .................................................................... 12-2

Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) ............................................................................... 12-3 4

Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor Sensor (ECT) ............................................. 12-3

Sensor de Pressão e Temperatura do Ar do Coletor (TMAP) ...................................................... 12-4 5

Sensor de Pressão do Combustível (EFP) – Rail ........................................................................ 12-5


6
Sensor de Pressão Barométrica Absoluta (BAP) . ....................................................................... 12-5

Válvulas................................................................................................................................................... 12-6
7
Válvula de Pressão do Rail................................................................................................................ 12-6

Módulo de Controle Eletrônico........................................................................................................... 12-6


8
Injetor de Combustível........................................................................................................................ 12-7

Sensores do Veículo........................................................................................................................... 12-7


9
Sensor de Posição do Acelerador (TPS) ..................................................................................... 12-7

Sensor de Velocidade do Veículo (VSS) ...................................................................................... 12-7


10
Sensor de Água no Combustível (WIF) . ...................................................................................... 12-8

Sensor de Nível de Líquido de Arrefecimento do Motor (ECL) .................................................... 12-8


11
Sensor do Pedal de Embreagem (CPS) ...................................................................................... 12-8

Sensor do Pedal de Freio (BPS) .................................................................................................. 12-9


12-1
Solenoide do Freio-motor.............................................................................................................. 12-9

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Identificação dos Sensores

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo, ler
todas as Instruções de Segurança na seção “Informações de Segurança” deste manual.

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo, ase-
segurar-se que a transmissão esteja em ponto morto, o freio de estacionamento esteja
aplicado e as rodas estejam calçadas antes de realizar os procedimentos de diagnóstico
ou serviço no motor ou veículo.

Nota: Para informações relativas à remoção ou instalação de componentes adjacentes, consulte os


seguintes procedimentos de serviço localizados em outras seções deste manual:
Esta seção deverá ser utilizada para a identificação e localização de sensores. Para uma descrição
mais detalhada de sensores elétricos, ver Sensores do Motor e Veículo na “Introdução” neste manual
ou no manual de diagnóstico.

Sensores do Motor

Sensor de Posição da Árvore de Comando (CMP)

O sensor de posição da árvore de comando é um sensor do tipo magnético utilizado para sentir a posição da
árvore de comando. Ele responde ao atuador da placa giratória instalada na parte posterior da engrenagem da
12-2 árvore de comando. O sensor CMP está instalado na tampa dianteira, próximo à bomba de combustível de alta
pressão.
Quando solicitar este sensor para substituição, assegurar-se que o sensor recebido seja o mesmo que é mostrado
na imagem.

Sensor de Posição da Árvore de Manivelas (CKP)

O sensor CKP é um sensor do tipo coletor magnético utilizado para sentir a posição da árvore de manivelas. O
sensor CKP está instalado na parte superior esquerda da carcaça do volante do motor.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA ELÉTRICO DO MOTOR

Sensor de Pressão de Óleo do Motor (EOP) 1

1 aterramento (–)
5
Alimentação de voltagem +5V para pressão/temperatura do óleo

Sensor de
3 alimentação Sinal de pressão do óleo 6
de voltagem (+)
pressão Retorno de pressão/temperatura do óleo
2 sinal de pressão

O EOP consiste de um elemento sensível capacitivo cerâmico (CSE), condicionamento de sinal ASIC específico
e carcaça padrão com conector integral. O sensor fornece uma saída de voltagem analógica raciométrica 8
proporcional à pressão aplicada e voltagem de alimentação.
Este sensor mede a pressão absoluta.
9
O sensor EOP está instalado na parte superior direita da carcaça de engrenagens, próximo ao compressor de ar.
Instalação: Colocar o sensor EOP com uma nova arruela. Usando uma chave 12 mm, aplicar o torque de 25 a
29 N.m. 10

Teste de componente:
- Sinal de voltagem de pino 2 a aterramento. 11

Nota: Os testes abaixo devem ser feitos com alimentação U de 5 Volts.


12-3
Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor (ECT)

13

14

15

16

O sensor ECT é um sensor tipo termistor. 17

O sensor ECT está instalado na tubo de entrada do resfriador da EGR localizado no lado traseiro direito do motor.
18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sensor de Pressão e Temperatura do Ar do Coletor (TMAP)

1 aterramento (–)

2 NTC

3 alimentação
Sensor de de voltagem (+)
pressão
4 sinal de pressão

12-4
O sensor TMAP mede a pressão absoluta e a temperatura do ar.
Este sensor consiste de um elemento sensor de pressão piezo-resistivo e o elemento do sensor de temperatura é
um resistor NTC com circuitos adequados para amplificação do sinal e compensação da temperatura integrados
em uma pastilha de silício.
Este componente é marcado como “EGR”, o que significa que ele é desenvolvido especialmente para operar sob
o fluxo de ar posterior à entrada de recirculação de gases de escapamento.
O sensor TMAP está instalado no coletor de admissão de ar, localizado no lado esquerdo do motor.
Instalação: O O-ring irá vedar o sensor da atmosfera, somente uma leve película de óleo leve para motor (5W20)
é necessária como lubrificante. Não usar lubrificantes à base de silicone.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA ELÉTRICO DO MOTOR

Sensor de Pressão do Combustível (EFP) – Rail 1

3 alimentação de voltagem
6

2 sinal 7

1 aterramento

9
O sensor EFP é um sensor de capacitância variável. O sensor EFP está instalado no rail de combustível.

Sensor de Pressão Barométrica Absoluta (BAP) 10

11

12-5

13

14

15

O sensor BAP é um sensor de capacitância variável. O sensor BAP se localiza no ECM. 16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Válvulas

Válvula de Pressão do Rail

O atuador da válvula de pressão do combustível está instalado na bomba de combustível de alta pressão.
A válvula limitadora de pressão do rail está instalada no rail de combustível.

Módulo de Controle Eletrônico (ECM)

12-6

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA ELÉTRICO DO MOTOR

Injetores de Combustível 1

6
Sensores do Veículo
Sensor de Posição do Acelerador (TPS) 7

10

11

12-7
Sensor de Velocidade do Veículo (VSS)

13

14

15

16

17

O sensor VSS é projetado para medir a velocidade do veículo. Ele se localiza no veículo, ver o manual de serviços
do veículo para informações adicionais. 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Sensor de Água no Combustível (WIF)

O Sensor de Água no Combustível detecta a presença de água no combustível. O sensor WIF está instalado na
base da carcaça do filtro de combustível.

Sensor de Nível de Líquido de Arrefecimento do Motor (ECL)

Saída

O sensor ECL é um sensor de capacitância variável. O sensor ECL se localiza no veículo. Ver manual de serviços
do veículo para informações adicionais.

12-8
Sensor do Pedal de Embreagem (CPS)

O sensor CPS é um interruptor do tipo normalmente aberto. O sensor CPS se localiza no conjunto do pedal de
embreagem. Ver manual de serviços do veículo para informações adicionais.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA ELÉTRICO DO MOTOR

Sensor do Pedal de Freio (BPS) 1

7
Solenóide do Freio-motor

10

11

12-9

13

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

12-10

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ARREFECIMENTO

1
Sistema de Arrefecimento

Circuito de Arrefecimento........................................................................................................................ 13-2 2

Precauções na Desmontagem................................................................................................................ 13-3

Inspeções................................................................................................................................................ 13-4 3

Procedimento de Teste da Válvula Termostática..................................................................................... 13-5

Montagem................................................................................................................................................ 13-6 4

Instalação................................................................................................................................................ 13-7
5

10

11

12

13-1

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Circuito de Arrefecimento

13-2
Válvula termostática aberta
Válvula termostática fechada

Fluxo do Sistema de Arrefecimento


1. Radiador
2. Bomba de água
3. Compressor de ar
4. Válvula termostática
5. Tubo de água
6. Resfriador de óleo
7. Tubo de entrada de água

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ARREFECIMENTO

1
Precauções na Desmontagem

Bomba de Água 2

! Precaução: Nunca efetuar serviços em


3
qualquer componente do sis-
tema de arrefecimento en-
quanto o motor estiver em fun-
cionamento. 4

! Precaução: Evitar tocar os componentes do


sistema de arrefecimento logo 5
após a operação do motor, isso
pode causar queimaduras.
! Precaução: O fluido de arrefecimento pode 6
derramar e causar queimaduras
se a tampa do radiador for Reinstalar os parafusos de fixação nos outros
removida enquanto o sistema furos, conforme indicado e, em seguida, apertar os
7
ainda estiver quente, deixe o parafusos para remover a bomba de água de seu
sistema esfriar. Para remover alojamento.
a tampa do radiador, girar a
8
tampa para o primeiro estágio
e assegurar-se que toda a
pressão seja aliviada.
9
Para acessar a bomba de água, remover a tampa
dianteira e a engrenagem da árvore de comando,
ver o procedimento de remoção da carcaça das 10
engrenagens na seção 9.

11

12

13-3

14

15

Remover os parafusos de fixação da bomba de água.

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeções

Inspecionar a carcaça e rotor da bomba de água.

! Atenção: Quando remover/instalar a


bomba de água, trave a árvore
de manivelas e as engrenagens
de sincronização.

Instalar a bomba de água, apertar conforme a


especificação. Tome cuidado para não danificar o
anel de vedação.
Torque: 25 ± 3 Nm

13-4

Verificar o orifício de inspeção localizado no lado


esquerdo do bloco do motor (visto pelo lado do
volante do motor). Indícios e vazamento de água ou
óleo são uma indicação de que há vazamentos na
bomba de água ou através dos anéis de vedação.
Inspecionar e substituir, se necessário.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ARREFECIMENTO

1
Procedimento de Teste da Válvula Termostática

Testar a válvula termostática e verificar seu funcionamento conforme o procedimento abaixo: 2


• Colocar a válvula termostática em um recipiente e abastecer com água até a válvula estar totalmente imersa;
• Posicionar um relógio comparador na haste da válvula termostática e ajustar a pré-carga de 1 mm;
3
• Instalar um termômetro com uma escala de 0-100°C imerso na água;
• Aquecer gradualmente a água;
4
• Anotar as temperaturas no início e final da abertura da válvula termostática (início e fim do movimento do
relógio comparador) e o movimento total final do relógio comparador (totalmente aberta);
• Compare os valores encontrados com a tabela. Trocar a válvula termostática se a temperatura do início 5
de abertura estiver fora dos valores especificados e / ou o movimento operacional total estiver abaixo do
especificado.
6

10

11

12

13-5

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Montagem

Válvula Termostática

A válvula termostática é parte de carcaça da válvula


e não pode ser removida de sua montagem.
Quando necessário, substituir o conjunto de válvula
termostática e carcaça.

! Atenção: Nunca operar o motor sem a


válvula termostática, porque
o motor não irá atingir a tem-
peratura correta de operação.
Sempre instalar novos anéis de
vedação no componente su-
bstituído.

13-6

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ARREFECIMENTO

1
Instalação

2
! Atenção: Para evitar danificar o motor, não tentar esmerilhar ou usinar o tubo de líquido de arrefecimento
para compensar uma condição de empenamento.

Instalar novo O-Rings no tubo de líquido de arrefecimento. 3

Instalar o tubo de líquido de arrefecimento e seus parafusos. Apertar os parafusos com o torque e a sequência
mostrada. 10

Torque: 25 ± 4 Nm
Instalar o tubo de líquido de arrefecimento no parafuso oco do tubo de saída do compressor de ar com o torque 11
de 20 ± 6 Nm.

12

13-7

14

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

! Atenção: Para um melhor desempenho do sistema de arrefecimento, assegurar-se que todas as


passagens de água no interior do motor estejam corretamente preenchidas. A presença de
ar no sistema de arrefecimento pode causar pontos de alta temperatura nas superfícies dos
cabeçotes e bloco do motor e resultar em fissuras naqueles componentes e queimaduras
nas juntas dos cabeçotes.

13-8
1. Parafuso-flange Sextavado M8x55-11,9
2. Saída de Líquido de Arrefecimento
3. O-ring
4. Arruela de Vedação
5. Bujão M8x1,5 - A
6. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

1
Sistema de Injeção de Combustível

Sistema de Injeção de Combustível de Pressão Modulada do Common Rail........................................ 14-3 2


Chicote do Common Rail......................................................................................................................... 14-4

Bomba CP 3.3 – Vista da Parte Traseira................................................................................................. 14-5 3


BCP 3.3 – Plaqueta de Identificação.................................................................................................. 14-6

Rail de Combustível........................................................................................................................... 14-6 4

Bomba de Alta Pressão de Combustível................................................................................................. 14-7

Remoção............................................................................................................................................ 14-7 5

Instalação........................................................................................................................................... 14-7

Módulo de Controle Eletrônico (ECM) . .................................................................................................. 14-9 6

Remoção............................................................................................................................................ 14-9

Inspeção........................................................................................................................................... 14-11 7

Instalação......................................................................................................................................... 14-12
8
Purga do Sistema de Baixa Pressão..................................................................................................... 14-13

10

11

12

13

14-1

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

! Precaução: · Nunca efetuar serviços em qualquer componente do sistema enquanto o motor estiver
em funcionamento.
· Não fumar enquanto realizar serviços no sistema de combustível ou qualquer outro
sistema do motor.
· Evitar contato com componentes elétricos.
· Sempre verificar tanques, tubulação, mangueiras e outros componentes do sistema de
combustível quanto a vazamentos.
· Quando o motor estiver em funcionamento, não tocar os conectores dos injetores. A alta
voltagem pode causar ferimentos graves.
· Não fazer a purga do sistema de injeção de combustível com o motor em funcionamento.
A alta pressão no sistema pode causar ferimentos graves.
· Sob nenhuma circunstância o ECM poderá ser desmontado para serviço. Somente o
centro de serviços autorizado Bosch pode verificar ou reparar este componente. O reparo
não autorizado irá resultar na invalidação da garantia do componente e motor.
· Os solenoides instalados no Rail somente podem ser desmontados se problemas
operacionais forem indicados por um escâner. Caso contrário, ele não deverá ser
desmontado sob quaisquer circunstâncias.
· Antes de conectar o chicote ao ECM, assegurar-se que os cabos da bateria estejam
desconectados.
· O reparo do sistema de injeção somente pode ser efetuado após aguardar 30 segundos
após depois de desligar o motor, este tempo de espera assegura o abaixamento da
pressão no Rail.

14-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

1
Sistema de Injeção de Combustível de Pressão Modulada do Common Rail

10

11

12

13

14-3

15

16

Combustível proveniente do tanque


Combustível proveniente da bomba de engrenagens
17
Combustível filtrado
Combustível sob alta pressão
Retorno de combustível
18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Chicote do Common Rail

14-4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

1
Bomba CP 3.3 – Vista da Parte Traseira

B
E 3
D
A
4
F

C 5

10

A. Sensor de posição da árvore de comando (CMP) 11


B. Válvula de controle da pressão do rail (M-PROMPT)
C. Entrada de combustível do reservatório para bomba de engrenagens de elevação
12
D. Saída de combustível da bomba de engrenagens de elevação para filtro
E. Saída de combustível para o rail (alta pressão)
13
F. Entrada de combustível (proveniente do filtro)

14-5

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

BCP 3.3 – Plaqueta de Identificação


! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais
A plaqueta de identificação da bomba de alta pressão
graves, possível morte ou dano
de combustível é importante para rastreamento do
ao motor ou veículo, obedecer
componente e indicação da unidade de fabricação.
ao seguinte quando drenar o
combustível:
• Não fumar.
• Manter afastadas chamas ex-
postas e faíscas.

Drenar o conjunto do filtro de combustível de toda


a água e combustível em um recipiente adequado
antes de remover o conjunto.

Nº da bomba

Data de Modelo Modelo


fabricação do motor da bomba

Rail de Combustível

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais


graves, possível morte ou dano
ao motor ou veículo, ler todas
as Instruções de Segurança
na seção “Informações de
Segurança” deste manual.

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais


graves, possível morte ou dano
ao motor ou veículo, assegurar-
se que a transmissão esteja
em ponto morto, o freio de
estacionamento esteja apli-
14-6 cado e as rodas estejam
calçadas antes de realizar os
procedimentos de diagnóstico
ou serviço no motor ou veículo.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

1
Bomba de Alta Pressão de Combustível

Remoção A remoção deve ser feita com precaução. O atrito 2


entre o O-Ring e a carcaça da bomba pode dificultar
Após a soltar e remover os tubos, desapertar os a remoção. Após a remoção, colocar em local seguro
parafusos da bomba de alta pressão na peça para prevenir dano.
intermediária. 3

! Atenção: · Qualquer desmontagem da


bomba de alta pressão irá 4
invalidar a garantia.
• Se for necessário reparar
5
a bomba, ela deverá ser
enviada para um centro de
serviços autorizado Bosch.
6
Instalação
Instalar um novo o-ring na bomba de alta pressão. 7
Limpar a área e colocar uma camada de vaselina na
área de contato do o-ring.
Desapertar e remover a porca da engrenagem 8
da bomba de alta pressão pelo lado da tampa de
engrenagens. Remover a engrenagem.
9

10

11

12
Instalar a bomba de alta pressão. Apertar cuidado-
samente para assegurar que o o-ring não escorregue
ou seja danificado. Posicionar a bomba com os para- 13
fusos, até ela tocar a face de instalação da peça
Após remover a engrenagem, desapertar os
intermediária. Em seguida, apertar com o torque
parafusos e remover a bomba de alta pressão.
especificado. 14-7

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Assegurar-se que haja um bom assentamento da


bomba na peça intermediária. ! Atenção: · O cone do eixo da bomba de
Apertar com torque de 40 ± 4 Nm. alta pressão e a engrenagem
devem estar limpos e isentos
de óleo e graxa antes da ins-
talação. A limpeza pode ser
feita usando: benzeno de
teste, etila, glicol ou isopro-
panol.
· A bomba de alta pressão é
lubrificada pelo combustível.
Antes da primeira partida,
abastecer com aproximada-
mente 60 ml de combustível
para lubrificar as peças
internas. Para o primeiro
abastecimento, uma bomba
elétrica de combustível pode
ser utilizada com pressão
Após a instalar a bomba, posicionar a engrenagem mínima de 2 bar e máxima
no eixo e montar. Observar que não há sincronização de 4 bar.
entre esta engrenagem e o eixo da bomba e não é
necessária uma cupilha para o posicionamento.
Posicionar a arruela e a porca de fixação da
engrenagem e aplicar o torque especificado.
As tampas protetoras somente devem ser removidas
imediatamente antes de instalar a tubulação a fim de
evitar contaminação.

14-8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

1
Módulo de Controle Eletrônico (ECM)

Remoção 2
Colocar uma bacia coletora de óleo para coletar qualquer combustível que sair do resfriador do ECM durante o
procedimento de remoção.
3
Remover os dois conectores elétricos do ECM:
• Puxar fora a trava de elevação do conector;
• Remover o conector. 4

Drenar o combustível do resfriador do ECM e remover o suporte da fiação: 10

• Desapertar os parafusos de fixação do ECM ao resfriador para drenar o combustível remanescente;


• Remover os parafusos de fixação do suporte da fiação e em seguida remover o suporte. 11

12

13

14-9

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover os conectores dos tubos de entrada e saída Soltar o módulo ECM e resfriador. Descartar e
de combustível. substituir o o-ring.
• Empurre a trava do conector;
• Puxar para fora o conector.

Remover as porcas de fixação do suporte do ECM


ao motor e, em seguida, remover o conjunto do ECM.

1. Porca Sextavada X8

Com o conjunto do ECM removido, desapertar os


parafusos de fixação do ECM ao resfriador.

14-10

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

Inspeção 1

Verificar visualmente os pinos e fiação dos conectores quanto a corrosão, sujeira, pinos danificados e ingresso
de água. Limpar ou substituir os componentes, conforme necessário.
2

! Atenção: Abrir o ECM pode causar dano a seus componentes internos.


3

10

1. Resfriador da Unidade de Controle Eletrônico


11
2. O-Ring
3. Módulo da Unidade de Controle Eletrônico (ECU)
12
4. Parafuso-flange Sextavado 8.8 M6 X 30
5. Prisioneiro M6 X 30
6. Porca Sextavada M6 13

7. Auporte do Tubo de Respiro


8. Arruela de Vedação 14-11
9. Conexão do Resfriador da ECU
10. Tampa Protetora do Conector da ECU
15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalação
Substituir o o-ring e instalar o módulo ECM e
resfriador.
Apertar os parafusos com o torque de 6,5 a 8,5 Nm.

Instalar os parafusos de fixação do suporte da fiação.


Instalar os 2 conectores elétricos do ECM:
• Soltar a trava do conector, conforme mostrado
em A. Em seguida, instalar o conector macho no
conector fêmea;
Instalar as porcas de fixação do ECM no suporte do • Trave o conector, conforme mostrado em B.
motor.
Torque: 13 a 17 Nm.

Instalar os conectores dos tubos de entrada e saída


de combustível.
14-12
• Empurre a trava do conector;
• Empurre o conector para dentro.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE INJEÇÃO DE COMBUSTÍVEL

1
Purga do Sistema de Baixa Pressão

Após a efetuar a manutenção do sistema de injeção, ou no eventode o motor funcionar sem combustível, fazer a 2
purga o ar do sistema de baixa pressão com a bomba manual e dar partida no motor.
Se o motor morrer, repetir o procedimento e dar partida no motor novamente.
Após a partida do motor, deixá-lo funcionando por alguns minutos, em marcha-lenta. 3

! Atenção: Este procedimento deve ser utilizado nas seguintes situações: 4


· Motor sem combustível;
· Manutenção (ex: substituição de filtros / tubos). 5

10

11

12

13

14-13

15

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

14-14

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR

1
Sistema de Admissão, Escapamento e Turboalimentador

Coletor de Admissão de Ar...................................................................................................................... 15-2 2


Remoção............................................................................................................................................ 15-3

Instalação........................................................................................................................................... 15-4 3
Alinhamento das Juntas de Admissão no Coletor.............................................................................. 15-4

Coletor de Escapamento, Turboalimentador e Tubo de Água............................................................ 15-5 4

Turboalimentador..................................................................................................................................... 15-6

Remoção............................................................................................................................................ 15-6 5

Limpeza.............................................................................................................................................. 15-9

Turboalimentador e Peças Relacionadas...................................................................................... 15-9 6

Instalação........................................................................................................................................... 15-9

Coletor de Escapamento....................................................................................................................... 15-10 7

Remoção.......................................................................................................................................... 15-10
8
Limpeza e Inspeção......................................................................................................................... 15-10

Instalação......................................................................................................................................... 15-11
9

10

11

12

13

14

15-1

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Coletor de Admissão de Ar

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo, ler
todas as Instruções de Segurança na seção “Informações de Segurança” deste Manual.

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo,
assegurar-se que a transmissão esteja em ponto morto, o freio de estacionamento esteja
aplicado e as rodas estejam calçadas antes de realizar os procedimentos de diagnóstico ou
serviço no motor ou veículo.
15-2

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo,
obedecer ao seguinte quando drenar o combustível:
• Não fumar.
• Manter afastadas chamas expostas e faíscas.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR

Remoção 1

Remover o rail de combustível. Ver o procedimento específico neste Manual de Serviços para informações
adicionais.
2

Remover o parafuso de fixação do suporte do tubo de ar da válvula wastegate.


8
Remover os parafusos de fixação do misturador de ar.

10

11

12

13

14
Remover os parafusos de fixação do coletor.
Apoie o coletor de admissão e, em seguida, remover-o conforme mostrado.
Descartar juntas do coletor e remover todas as juntas remanescentes sobre os orifícios dos cabeçotes e coletores 15-3
de admissão.

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalação

! Atenção: Para evitar danificar o motor, não tentar esemrilhar ou usinar o coletor de admissão para
compensar uma condição de empenamento.

Limpo a entrada do coletor completamente com a solvente não cáustico adequado. Após a limpeza, secar usando
ar comprimido filtrado. Verificar o coletor quanto a fissuras e dano. Substituir o coletor de admissão conforme
necessário.

Alinhamento das Juntas de Admissão no Coletor


Colocar a junta do coletor de admissão sobre estes dois parafusos para assegurar o alinhamento correto entre
o coletor e a junta.
Colocar todos os parafusos do coletor nos orifícios dos parafusos e apertar com os dedos em suas posições
corretas.

15-4

1. Junta do Coletor de Admissão


2. Conjunto Coletor de Admissão
3. Parafuso-flange Sextavado Din 6921 M8x80
4. Parafuso-flange Sextavado Din 6921 M8x35

Apertar os parafusos do coletor de admissão com o valor de torque especificado e conforme a sequência.
Aplicar torque de 25 ± 5 Nm.
Instalar os componentes remanescentes usando a sequência inversa do procedimento de remoção.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR

Coletor de Escapamento, Turboalimentador e Tubo de Água 1

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo, ler 2
todas as Instruções de Segurança na seção “Informações de Segurança” deste Manual.

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo,
3

assegurar-se que a transmissão esteja em ponto morto, o freio de estacionamento esteja


aplicado e as rodas estejam calçadas antes de realizar os procedimentos de diagnóstico ou
serviço no motor ou veículo. 4

Nota: Para informações relativas à remoção ou instalação de componentes adjacentes, consulte os seguintes
procedimentos de serviço localizados em outras seções deste manual: 5
• Válvula wastegate do turbo;
• Cotovelo de ar de admissão;
6
• Compressor de ar;
• Bomba hidráulica;;
• Tubo de líquido de arrefecimento; 7
• Coletor de escapamento.

10

11

12

13

14

15-5

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Turboalimentador

Remoção

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo, ler
todas as Instruções de Segurança na seção “Informações de Segurança” deste Manual.

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo,
assegurar-se que o motor tenha se resfriado suficientemente antes de tentar remover o
conjunto do turboalimentado.

! Cuidado: Para evitar ferimentos pessoais graves, possível morte ou dano ao motor ou veículo,
assegurar-se de desconectar os cabos da bateria da bateria. A falha em remover o
cabo de aterramento da bateria poderá causar um arco elétrico durante a remoção do
turboalimentador.

Remover o freio de escapamento.

15-6

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR

Usando a ferramenta ilustrada, remover a abraçadeira do tubo de saída. 1

8
Remover o parafuso de fixação do suporte do cotovelo - 4.
Remover o parafuso do freio de escapamento.
9

10

11

12

13

14

15-7

16

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remover o parafuso oco do tubo de entrada de óleo.

Soltar a abraçadeira e remover a mangueira do atuador da válvula wastegate.

15-8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR

Remover as porcas de fixação do turboalimentador Instalação 1


(quatro porcas).

Colocar uma nova junta de fixação do tubo de saída 6


Remover o conjunto do turboalimentador. no turboalimentador.
Descartar a junta de instalação do turbo, as arruelas Colocar quatro novas porcas de fixação no
e as porcas de fixação. turboalimentador, novo o-ring em cada extremidade 7
do cotovelo do tubo de drenagem de óleo do turbo e
Nota: Após a remoção, tampar os orifícios do lubrificar com óleo para motor limpo.
turboalimentador para evitar contaminação, Instalar o conjunto do turboalimentador no coletor 8
a qual poderá danificar os seus compo- de escapamento e instalar quatro novas porcas de
nentes internos. fixação nos prisioneiros superiores, sem apertar.
Instalar a mangueira e sua abraçadeira no atuador da 9
Limpeza válvula wastegate.

Turboalimentador e Peças Relacionadas Antes de instalar o tubo de entrada de óleo, lubrificar


10
o eixo do turboalimentador aplicando óleo para motor
Usar sabão e água para limpar a tubulação entre o novo através do orifício de entrada de óleo.
turboalimentador e o conjunto do filtro de ar. Usar ar
comprimido filtrado para secar toda a tubulação. 11

Usar ar comprimido filtrado para limpar a tubulação


! Atenção: Este procedimento é importante
para evitar danos por falta de
de entrada de ar e as mangueiras de conexão.
lubrificação do turbo durante a 12
Usar um solvente adequado e uma escova de nylon primeira partida do motor.
para limpar o tubo de entrada de óleo e o tubo de
drenagem de óleo. Usar ar comprimido filtrado para Instalar o tubo de entrada de óleo no lado superior do
13
secar os tubos. Substituir qualquer tubo danificado. turboalimentador e colocar as quatro novas arruelas.
Apertar o parafuso oco com torque de 20 a 30 N.m.
Remover qualquer material de junta remanescente
das superfícies de fixação da carcaça da turbina e Instalar o tubo de saída no lado inferior do 14
coletor de escapamento. turboalimentador. Apertar com torque de 17 a 23 N.m.
Apertar todas as quatro porcas de fixação do
turboalimentador. Apertar com torque de 60 a 80 N.m. 15-9
Colocar um novo o-ring no cotovelo e instalar no
turboalimentador usando a abraçadeira.
16
Instalar o suporte do cotovelo. Apertar com torque de
25 a 30 N.m.

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Coletor de Escapamento

Remoção
Remover o conjunto do turboalimentador. Ver o procedimento de remoção nesta seção.

Remover as porcas de fixação do coletor de escapamento e descartá-las.

Limpeza e Inspeção
Remover as juntas remanescentes no orifícios do coletor e limpar completamente o coletor de escapamento com
um solvente não cáustico adequado. Raspar o excesso de crostas e ferrugem das superfícies do coletor.
Após a limpeza, secar usando ar comprimido filtrado.
Verificar o coletor quanto a fissuras e dano. Substituir o coletor conforme necessário.
Verificar quanto a empenamento do coletor e motor:
Instalar o coletor de escapamento sem a junta e limpar a superfície de contato do cabeçote, aplicar um baixo nível
15-10 de aperto com torque dos parafusos suficiente para fornecer o contato entre as duas superfícies, e medir o vão
entre as superfícies de contato usando um calibrador de lâminas de 0,25 mm. Se necessário, verificar novamente
o alinhamento do cabeçote. Se o vão permanecer, substituir o coletor de escapamento.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA DE ADMISSÃO, ESCAPAMENTO E TURBOALIMENTADOR

Instalação 1

! Atenção: Para evitar danificar o coletor ou cabeçote, assegurar-se que os cabeçotes estejam alinhados 2
antes de proceder à instalação do coletor de escapamento.

! Atenção: Para evitar danificar o motor, assegurar-se que a junta do coletor e o coletor de escapamento
3
estejam alinhados antes de apertar os parafusos com o valor de torque especificado.

Após a limpeza e inspeção do coletor, instalar novas juntas do coletor de escapamento. 4

Alinhar e fixar as juntas enquanto coloca o coletor. Instalar as novas porcas de fixação no turboalimentador. 10

11

12

13

14

15-11
Apertar todos os parafusos do coletor de escapamento com o torque correto na sequência acima e usando as
três etapas de torque abaixo.
Torque: 8 a 12 Nm (prisioneiro) 16
60 a 80 Nm (Porca)
Seguir os procedimentos de instalação remanescentes usando a sequência inversa do procedimento de remoção
17
e aplicando o torque indicado.
Instalar o conjunto do turboalimentador. Ver o procedimento de instalação nesta seção.
18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1. Prisioneiro M10x25 10.9


2. Porca Autotravante Stover M10
3. Arruela Lisa
4. Conjunto Coletor de Escapamento
5. Junta do Coletor de Escapamento
6. Prisioneiro M10x45 – 10.9

15-12

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

1
Tomada de Força Traseira (RPTO) (Se Aplicável)

Introdução................................................................................................................................................ 16-2 2
Tomada de Força Traseira (RPTO) (Se Aplicável)................................................................................... 16-3

Introdução.......................................................................................................................................... 16-3 3
RPTO.................................................................................................................................................. 16-3

Remoção............................................................................................................................................ 16-4 4

Inspeção e Substituição do Rolamento................................................................................................... 16-6

1. Rolamento Principal do Eixo Rotativo de Saída............................................................................ 16-7 5

Remoção da Pista do Rolamento da Base de Apoio e Engrenagem............................................ 16-8

Remoção do Rolamento do Eixo de Saída................................................................................... 16-9 6

Instalação da Pista do Rolamento de Apoio, Engrenagem e Rolamento...................................... 16-9

Instalação da Engrenagem........................................................................................................... 16-9 7

Instalação da Pista do Rolamento de Apoio................................................................................. 16-9


8
2. Rolamento da Base de Apoio do Eixo Rotativo de Saída........................................................... 16-10

Instalação do Rolamento de Apoio da Base do Eixo.................................................................. 16-11


9
3. Rolamento de Roletes da Engrenagem Intermediária................................................................ 16-12

Remoção do Rolamento da Engrenagem Intermediária............................................................. 16-12


10
Instalação do Rolamento da Engrenagem Intermediária............................................................ 16-13

Instalação.................................................................................................................................... 16-14 11

Ferramentas Especiais..................................................................................................................... 16-19

12

13

14

15

16-1

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Introdução

Este texto informa o procedimento de reparo da Tomada de Força Traseira para o motor 6.12 T, incluindo a
inspeção e a troca dos rolamentos.
Esta instrução especificada objetiva minimizar o risco de reclamações relacionadas a ruído excessivo ou dano de
componentes internos da RPTO.

Tomada de Força Traseira – RPTO

16-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

1
Tomada de Força Traseira (RPTO) (Se Aplicável)

Introdução 2

Este procedimento informa os procedimentos de remoção e instalação da RPTO para o motor MaxxForce 4.8H /
7.2H, incluindo a inspeção e a troca dos rolamentos.
3
Esta instrução especificada objetiva minimizar o risco de reclamações relacionadas a ruído excessivo ou dano de
componentes internos da RPTO.
Ao final desta seção, há uma lista completa de jogos de ferramentas especiais utilizados para efetuar os 4
procedimentos de maneira apropriada.

5
RPTO

10

11

12

13

14

15

16-3

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Remoção Remover a carcaça do volante do motor e o retentor


traseiro.
Desconectar o cabo do sensor de rotação do motor e
o tubo de combustível.

Analisar a condição do retentor e substituí-lo somente


se for necessário.
Remover o suporte.

Remover o flange do eixo longitudinal.


Remover o volante do motor, usando o parafuso de
guia e evitando que o espaçador caia;

16-4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Remover a luva do acoplamento; Remover o conjunto do eixo de saída, rolamento e 1


engrenagem;

6
Remover os parafusos e a tampa do rolamentor;
Limpar o conjunto do eixo de saída com solvente de
limpeza ou outro agente de limpeza apropriado; 7

10

11

Soltar o parafuso de trava;

12
Limpar o mancal da carcaça com um agente de
limpeza apropriado;

13

14

15

16-5

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Inspeção e Substituição do Rolamento

Para melhor compreensão, informamos em um procedimento separado, a inspeção e a análise do rolamento


dividido como segue:

1. Rolamento Principal do Eixo Rotativo de Saída


2. Rolamento da Base de Apoio do Eixo Rotativo de Saída
3. Rolamento de Roletes da Engrenagem Intermediária

16-6

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

1. Rolamento Principal do Eixo Rotativo de Saída 1

O conjunto do eixo rotativo de saída é composto dos seguintes componentes: Eixo de saída, Rolamento Principal,
Engrenagem e Pista do Rolamento de Base.
2

9
Importante: É possível encontrar dois tipos diferentes de eixo:
O anterior, sem anel elástico, e o atual, com anel elástico.
10

11
Anterior Atual

12

13

14

15

16-7

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Eixo de saída montada (anterior) Eixo de saída desmontada (anterior)

Nota: O rolamento de base permanece instalado na carcaça da RPTO, fixada no bloco do motor.

Remoção da Pista do Rolamento da Base de Apoio e Engrenagem


Usando a guia de eixo como apoio, aplicar a ferramenta especial MWM Nº D7002287C1. Também podem ser
utilizados suportes e guias convencionais contanto que se tomem os devidos cuidados a fim de não danificar os
componentes.

16-8

Usar a ferramenta especial MWM Nº D7002287C1 como guia de apoio.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Remoção do Rolamento do Eixo de Saída Instalação da Pista do Rolamento de Apoio 1

Para remover o rolamento do eixo de saída, apoiar o Colocar o eixo na prensa, apoiando-o pela face
conjunto em uma prensa para a remoção; o rolamento do flange, usando a ferramenta especial MWM Nº
deverá ser apoiado por sua pista interna. Não o apoiar D7002287C1. 2
pela pista externa, pois o rolamento será danificado.

3
Instalação da Pista do Rolamento de Apoio,
Engrenagem e Rolamento
Apoiar o rolamento em uma prensa e force o eixo; 4
apoie o rolamento por sua pista interna. Não o apoie
pela pista externa, pois o rolamento será danificado.
5

Instalação da Engrenagem 10
Colocar a engrenagem na prensa e forçar o eixo.

Importante: Proteja a rosca de fixação do flange do 11


eixo de saída com seu próprio flange.

12

13

14

15

16-9

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

2. Rolamento da Base de Apoio do Eixo Rotativo de Saída


O rolamento da base de apoio do eixo rotativo de saída é composto por: Rolamento de roletes e pista do rolamento.

Nota: As pistas externa e interna do rolamento permanecem no eixo de saída e carcaça, conforme mostrado
abaixo.

Importante: Devido às características de projeto, este rolamento não pode ser reutilizado após a remoção.
Somente remover o rolamento de apoio da carcaça da RPTO se for absolutamente necessário!
Usar a ferramenta especial de remoção Nº D7002288C1.

16-10

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Instalação do Rolamento de Apoio da Base do Eixo 1

Fixe o dispositivo instalador do rolamento, a ferramenta especial MWM Nº D7002289C1 (Ver Tabela de Ferramentas
Especiais ao final desta publicação) e instalar o rolamento de roletes.
2

10

11

12

13

14

15

16-11

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

3. Rolamento de Roletes da Engrenagem Intermediária

Conjunto da engrenagem com rolamento Conjunto da engrenagem desmontado

Remoção do Rolamento da Engrenagem Intermediária


Remover os dois anéis elásticos com alicate convencional específico para remover anéis.

16-12

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Posicionar o rolamento sem os anéis na prensa e force o rolamento usando a ferramenta especial MWM 1
nº D7002287C1 (Usar somente o flange).

MWM Nº D7002287C1 6

Instalação do Rolamento da Engrenagem Intermediária


9
Para instalar o rolamento da engrenagem intermediária, usar o mesmo processo, mas na sequência inversa.
Posicionar a engrenagem com um dos anéis elásticos e prense o rolamento usando a ferramenta especial MWM
Nº D7002287C1. 10

11

12

13

14

MWM Nº D7002287C1 15

16-13

17

Não é autorizada, em qualquer hipótese, a troca preventiva do rolamento à base de garantia.


18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Instalação
A pista do rolamento irá continuar a ser instalada por interferência, usando uma prensa, sem o uso de qualquer
tipo de adesivo.

O rolamento será instalado e o conjunto será completamente travado por meio de anéis elásticos encaixados nas
ranhuras.

16-14

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Aplicar Loctite 638 na superfície externa do rolamento. 1

Nota: Aplicar o produto na área indicada, evitando aplicar uma quantidade excessiva;
2

Nota: O tempo de secagem é fundamental para um bom funcionamento do conjunto. 9

Instalar o conjunto do eixo de saída, rolamento e engrenagem. Aguarde cerca de 3 horas para secagem e adesão
completa do produto.
10

11

12

13

14

15

16-15

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Substituir o parafuso de trava e a arruela; Instalar o retentor.

Instalar o conjunto do eixo de saída, rolamento e Usar esta ferramenta a fim de instalar o retentor (nº
engrenagem, em seu alojamento; em liberação).

Instalar a tampa do rolamento de saída no conjunto Instalar a luva no conjunto da RPTO;


da RPTO;
Torque: 110 Nm

16-16

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Instalar o parafuso no flange do eixo longitudinal; Assegurar-se que o local de instalação do retentor 1
Aplicar Loctite 638 on parafuso de fixação e aplicar o esteja bem limpo.
torque de aperto indicado. Antes da instalação do retentor, aplicar uma fina
Torque = 95 a 125 N.m camada de vaselina sólida; 2

7
Aplicar Loctite 515 para vedação da carcaça nos Instalar o retentor traseiro do motor usando a
locais indicados na ilustração abaixo; ferramenta especial Nº. 9.610.0.690.020.6;
8

10

11

12

Instalar a carcaça do volante do motor e os 14 para- Instalar o volante do motor;


13
fusos de fixação, apertar com o torque especificado;
Torque = 85 a 115 N.m
14

15

16-17

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Apertar os parafusos em 2 estágios e em padrão


cruzado, aplicando o torque de aperto indicado;
Torque:
1º estágio = 90 a 110 N.m
2º estágio = 260 a 290 N.m

Instalar o suporte.

Conectar o sensor de rotação do motor, aplicando o


torque especificado.
Torque = 7.5 a 8.5 N.m

16-18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
TOMADA DE FORÇA TRASEIRA (RPTO) (SE APLICÁVEL)

Ferramentas Especiais 1

IMAGEM NÚMERO MWM DESCRIÇÃO


2

3
D7002288C1 Conjunto Extrator

5
D7002289C1 Conjunto Instalador

Conjunto Extrator / Instalador


D7002287C1
(Para ser Usado na Prensa)
8

10

11

12

13

14

15

16-19

17

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

16-20

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

1
Sistema SCR de Pós-Tratamento dos Gases de Escape (Se Aplicável)

1. Introdução ao Sistema SCR MWM INTERNATIONAL....................................................................... 17-2 2


1.1. Componentes Principais.............................................................................................................. 17-2

1.2. Como Funciona........................................................................................................................... 17-3 3

1.3. Temperaturas de Funcionamento de Projeto............................................................................... 17-4

1.4. Precauções de Segurança.......................................................................................................... 17-4 4

1.5. Acrônimos e Abreviações............................................................................................................ 17-4

2. Componentes do Sistema.................................................................................................................. 17-5 5

2.1. Conjunto do Tanque de Arla 32................................................................................................... 17-5

2.2. Conjunto da Caixa DCU.............................................................................................................. 17-9 6

2.3. Sistema de Fornecimento de Fluido.......................................................................................... 17-11

2.4. Sistema de Fornecimento de Fluido.......................................................................................... 17-16 7

3. Funcionamento do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL............................................................. 17-17


8
3.1. Reabastecimento do Tanque de Arla 32.................................................................................... 17-17

3.2. Resfriamento do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL.......................................................... 17-18


9
3.3. Relatório de Falhas.................................................................................................................... 17-18

3.4. Proteção Contra Danos dos Componentes............................................................................... 17-19


10
3.5. Monitoração do Sistema............................................................................................................ 17-20

3.6. Monitoração do Catalisador e do Sistema de Escape............................................................... 17-20


11
3.7. Encaminhamento do Veículo para Serviço................................................................................ 17-21

Apêndices.............................................................................................................................................. 17-22
12
A Esquema do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL................................................................... 17-22

13

14

15

16

17-1

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1. Introdução ao Sistema SCR MWM INTERNATIONAL

O sistema de redução de emissões SCR MWM INTERNATIONAL foi projetado como uma solução de custo efetivo
na redução de emissões de NOX de motores diesel, projetados para atender padrões de emissões anteriores
e atuais. Originalmente um produto de pós-venda, o sistema SCR MWM INTERNATIONAL está sendo também
instalado atualmente como equipamento original em veículos novos. Aplica a tecnologia SCR (redução catalítica
seletiva), utilizando uma solução de uréia líquida, o Arla 32, como reagente, para reduzir a emissão de NOX à
medida que os gases de escape passam pelo catalisador. A tecnologia SCR é uma das líderes na redução de
emissão de NOX disponíveis para que motores diesel atendam os padrões de emissões Euro IV, Euro V e US
2010.
O sistema SCR MWM INTERNATIONAL possibilita que o fabricante do motor recalibre-o para emissões mais baixas
de material particulado. Quando integrado a motores de baixas emissões, o sistema SCR MWM INTERNATIONAL
é capaz de proporcionar uma redução de até 90% de NOx. Diferentemente de outras tecnologias de redução de
emissões de NOx, esta redução não acarreta em deterioração no consumo de combustível. O sistema atende ao
padrão Euro V com capacidade interna de diagnóstico.

1.1 Componentes Principais


A figura abaixo mostra os componentes principais do sistema SCR MWM INTERNATIONAL e como eles estão
conectados:

1. Tanque de Arla 32 6. Sensor de Pressão Reversa dos Gases de


Escape
2. Chicote
17-2 7. Sensor de Temperatura de Saída do Catalisador
3. Sensor de NOX dos Gases de Escape
8. Injetor
4. Linhas de Arla 32
9. Sensor de Temperatura de Entrada do Catalisa-
5. Conjunto da Caixa DCU
dor

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

Os componentes podem ser reunidos em quatro grupos: 1

Conjunto do Tanque de Arla 32


2
O conjunto do tanque de Arla 32 consiste do tanque propriamente dito e da unidade sensora de Arla 32. A
unidade sensora contém sensores de nível e temperatura e tubos para circulação do líquido de arrefecimento e
suprimento. 3

Conjunto da Caixa DCU


4
O conjunto da caixa DCU contém a bomba, motor, filtro e o sensor de pressão da Arla 32. O DCU (dosing control
unit – unidade de controle de dosagem) é fixado à tampa da caixa DCU.

5
Sistema de Fornecimento de Fluido
O sistema de fornecimento de fluido consiste do injetor de Arla 32, sensores de temperatura de entrada e saída
do catalisador, sensores de NOX e pressão reversa dos gases de escape, e as linhas de fluido da Arla 32. 6

Chicote do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL


O chicote do sistema SCR MWM INTERNATIONAL contém a fiação elétrica que conecta os diferentes 7
componentes do sistema ao DCU.
Encontram-se informações mais detalhadas sobre componentes no Capítulo 2.
8

1.2. Como Funciona


O sistema SCR MWM INTERNATIONAL injeta quantidades precisas de uma solução aquosa de Arla 32 não- 9
tóxica, também conhecida como AUS32 (solução de uréia a 32,5% do peso) na corrente de gases de escape do
veículo. Uma vez dentro do fluxo quente, a solução de Arla 32 se decompõe para formar amônia (NH3) e dióxido
de carbono (CO2): 10

(NH3)2CO + H2O → CO2 + 2NH3


Uréia Água Dióxido de Carbono Amônia 11

A amônia reage com o NOX no catalisador SCR, transformando-o em água (H2O) e nitrogênio (N2):
12
4NO + 4NH3 + O2 → 4N2 + 6H2O
Óxido Nítrico Amônia Oxigênio Nitrogênio Água
2NO2 + 2NO + 4NH3 → 4N2 + 6H2O 13

Dióxido de Nitrogênio Óxido Nítrico Amônia Nitrogênio Água

A solução transparente de Arla 32 é obtida dissolvendo-se pílulas de uréia em água deionizada. É facilmente 14
obtida de fornecedores comerciais.

15

16

17-3

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

1.3. Temperaturas de Funcionamento de Projeto


A faixa de temperatura de funcionamento do sistema SCR MWM INTERNATIONAL é de -30°C a 55°C
(-22°F a 131°F). Exposições prolongadas a temperaturas acima de 55°C (131°F) prejudicarão a solução de Arla
32 e provocarão sua evaporação.
A concentração de uréia a 32,5% do peso tem ponto de congelamento de -11°C (12°F). Em regiões onde a
temperatura ambiente cair abaixo de -11°C (12°F) por períodos prolongados, o sistema SCR MWM INTERNATIONAL
é fornecido com proteção anti-congelamento, que evita danos ao sistema durante o funcionamento a baixas
temperaturas. A proteção anti-congelamento combina um processo de purga com capacidade de degelo, o qual
utiliza o líquido de arrefecimento do motor para descongelar o tanque de Arla 32. Essa proteção é acionada em
temperaturas abaixo de -11°C (12°F), e assegura funcionamento a até 30°C (-22°F).

! Advertência: A exposição de sistema sem aquecimento a condições de congelamento anulará a


garantia.

1.4. Precauções de Segurança


• Seguir todas as advertências de segurança do fabricante do veículo.
• Desligar a ignição do veículo antes de executar qualquer procedimento de manutenção, exceto conforme
direcionado no Capítulo 4.
• Assegurar-se que haja ventilação adequada para as emissões do diesel ou para os vapores de amônia
enquanto executar procedimentos de manutenção no sistema SCR MWM INTERNATIONAL.
• Tome cuidado quando trabalhar em torno de componentes do sistema de escape. Esses componentes do
sistema de escape do veículo podem estar quentes o suficiente para causar queimaduras.
• Seguir as precauções especificadas no MSDS (material safety data sheet – folhas de dados de segurança
dos materiais) quando manusear o AUS32. Consulte o Apêndice B para mais informações.
• Seguir todos os procedimentos padrão de segurança do veículo quando trabalhar em volta de, ou com
o líquido de arrefecimento do motor. Consulte o MSDS para verificar os procedimentos e precauções de
segurança. Ver o Apêndice B para maiores informações.

! Advertência: A não-observância em seguir estas instruções poderá ocasionar ferimentos.

1.5. Acrônimos e Abreviações


Abaixo se encontra a lista dos acrônimos e abreviações comumente utilizadas neste manual:

SCR Selective Catalytic Reduction (Redução Catalítica Seletiva).


OBD On-Board Diagnostics (Diagnóstico Embarcado).
DCU Dosing Control Unit (Unidade de Controle de Dosagem).
ECU Electronic Control Unit (Unidade de Controle Eletrônico).
MIL Malfunction Indicator Lamp (Lâmpada Indicadora de Falha).
MSDS Material Safety Data Sheet (OSHA) [Folha de Dados de Segurança dos Materiais].
AUS32 Aqueous Urea Solution (32.5 % by weight) [Solução Aquosa de Uréia (32,5% do peso)].

17-4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

1
2. Componentes do Sistema

Como o operador do veículo, você deve se familiarizar com os componentes que constituem o sistema SCR 2
MWM INTERNATIONAL. Aqui será dada uma visão geral dos componentes principais. Consulte o manual do
proprietário do veículo para verificar a localização desses componentes no veículo.
3
2.1. Conjunto do Tanque de Arla 32
O conjunto do tanque de Arla 32 consiste de: 4
• Módulo do tanque;
• Unidade Sensora de Arla 32;
5
• Tampa do tanque com válvula de controle de pressão.

A figura abaixo mostra o conjunto do tanque de Arla 32:


6

10

11

12

1. Unidade Sensora de Arla 32


13
2. Tampa do tanque

Nota: O conjunto do tanque de Arla 32 mostrado neste manual é o modelo padrão fornecido pela Tenneco. 14
Se o fabricante do veículo optar por instalar outro modelo, seu tanque poderá ser diferente. Consulte o
manual do proprietário do veículo para informações adicionais sobre o tanque.
15

16

17-5

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Tanque de Arla 32
A unidade sensora de Arla 32 contém os seguintes componentes:

• Sensor de nível de Arla 32 (dentro do tanque)


• Sensor de temperatura da Arla 32 (dentro do tanque)
• Tubos para fornecimento da Arla 32 e circulação do líquido de arrefecimento (dentro do tanque)
• Conexões de entrada e saída para as linhas de circulação do líquido de arrefecimento (visíveis do lado de
fora do tanque)
• Conexões de entrada e saída para as linhas de fornecimento de Arla 32 (visíveis do lado de fora do tanque)

Abaixo está uma ilustração da unidade sensora com as linhas conectadas:

1. Saída da Linha do Líquido de Arrefecimento


2. Entrada da Linha de Arla 32
3. Conexão do Chicote
4. Saída da Linha de Arla 32
5. Entrada da Linha do Líquido de Arrefecimento

Importante: Não tente remover a unidade sensora de Arla 32 do tanque por nenhum motivo! Isso anulará a
garantia.

Tampa do Tanque
A tampa do tanque cobre a abertura utilizada para o enchimento do mesmo. Quando fechada, ela veda o tanque
17-6
para assegurar que não entre sujeira ou detritos no tanque. A tampa tem uma válvula de alívio de pressão para
controla a quantidade de pressão no tanque.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

Proteção Anti-congelamento 1

Seu veículo pode também estar equipado com proteção anti-congelamento. Se estiver, o líquido de arrefecimento
do motor é direcionado através do tanque de Arla 32 para descongelá-la quando se ativar a proteção anti-
congelamento. As linhas do líquido de arrefecimento são fixadas à unidade sensora de Arla 32: 2

10

1. Linha de Retorno do Líquido de Arrefecimento


2. Linha de Fornecimento do Líquido de Arrefecimento 11

12

13

14

15

16

17-7

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Um dispositivo de controle de aquecimento do tanque é inserido na linha de fornecimento, conforme mostrado


no esquema abaixo:

1. Conecta ao conjunto da unidade sensora


2. Controle de Aquecimento do Tanque
3 Mangueira de Retorno do Líquido de Arrefecimento
4. Mangueira de Fornecimento do Líquido de Arrefecimento
5. Conecta no lado de retorno do núcleo do aquecedor
6. Tanque de Arla 32
7. Conecta no Lado de Fornecimento do Núcleo do Aquecedor ou à Saída do Líquido de Arrefecimento do
Motor

O dispositivo se abre quando o Tanque de Arla 32 estiver congelado, para permitir que o líquido de arrefecimento
flua através dos tubos do líquido até a unidade sensora de Arla 32, e então retornar. Quando o tanque estiver
descongelado o dispositivo se fecha.

17-8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

2.2. Conjunto da Caixa DCU 1

O conjunto da caixa DCU contém os componentes de comunicação e a bomba:

10

1. Conector da Caixa DCU 11

2. Conector do Chicote da DCU


3. DCU 12
4. Linhas de Arla 32

A DCU (unidade de controle de dosagem) contém o programa que calcula a dosagem de Arla 32 e monitora 13
o sistema SCR MWM INTERNATIONAL. Essa unidade recebe os dados dos sensores e da ECU (unidade de
controle eletrônico) do motor e, com base nessas entradas, envia sinais de atuação à bomba do Arla 32, injetor,
à caixa DCU, aos aquecedores de linha do Arla 32 e ao controle de aquecimento do tanque. 14

15

16

17-9

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A bomba, filtro, e os outros componentes necessários para manter a pressão e circular a Arla 32 estão localizados
dentro da caixa DCU. A Arla 32 flui do tanque até a entrada de Arla 32 da caixa DCU, passando pelo filtro e pela
bomba. O fluido é então bombeado pela saída de Arla 32 e flui até o injetor.

1. Saída de Arla 32
2. Entrada de Arla 32
3. Linha de Arla 32 até o injetor
4. Linha de Arla 32 vinda do tanque

A bomba é projetada para fornecer Arla 32 à pressão de 5,5 bar (80 psi). Essa pressão é mantida constante pelo
sensor de pressão da Arla 32. A bomba é classificada como de 12.000 horas de funcionamento. O filtro tem uma
capacidade de retenção de 5 gramas. É especificado para 150.000 km (93.206 milhas) de funcionamento e deve
ser substituído periodicamente para que o sistema funcione devidamente. Para esse período de manutenção,
assume-se que a Arla 32 utilizada no tanque atende os requisitos de pureza e limpeza. Se a Arla 32 do sistema
for contaminada por sujeira ou detritos, o filtro irá requerer trocas mais freqüentes.

17-10

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

2.3. Sistema de Fornecimento do Fluido 1

O sistema de fornecimento de fluido consiste do injetor, as linhas de Arla 32, e os sensores que monitoram os
gases de escape. Esses sensores fornecem os dados necessários para a determinação da quantidade correta
de Arla 32 a ser injetada, e também informações de diagnóstico. 2

O injetor e os sensores são montados no sistema de escape, na região do catalisador. O esquema abaixo mostra
as posições aproximadas numa instalação típica:
3

10

11

12
1. Sensor de Pressão Reversa dos Gases de Escape
2. Sensor de NOX dos gases de escape
13
3. Eletrônica do sensor NOX. Fixado no chassi.
4. Injetor
14
5. Sensor de Temperatura de Entrada do Catalisador
6. Catalisador
7. Sensor de Temperatura de Saída do Catalisador 15

Consulte o manual do proprietário para a localização exata no veículo.


16
Nota: Seu veículo pode não ter todos os quatro sensores. São necessários apenas o sensor de temperatura
de entrada do catalisador e o sensor de NOX dos gases de escapamento. O sensor de temperatura de
saída do catalisador e o sensor de pressão reversa dos gases de escape são opcionais. 17-11

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Injetor
O injetor é montado numa bossa soldada ao cano de escapamento. É fixada por uma braçadeira de faixa V:

1. Saída do Injetor - Fixada a Linha de Retorno da Arla 32


2. Conexão Elétrica
3. Entrada do Injetor
4. Fixada a Linha de Fornecimento da Arla 32

Braçadeira
O suprimento de Arla 32 e as linhas de retorno são fixadas ao injetor.

17-12

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

Sensores 1

Os quatro sensores que monitoram os gases de escape geralmente são instalados nas proximidades do catalisador
(ver ilustração na página 8 e o manual do proprietário do veículo para informações sobre a localização). Segue
abaixo uma visão geral de cada sensor. 2

Nota: As ilustrações nesta seção mostram os sensores fornecidos pela Tenneco. O fabricante do veículo
pode ter optado por utilizar sensores de algum outro fornecedor, de forma que a aparência poderá 3
ser diferente. Consulte o manual do proprietário do veículo para informações específicas sobre os
sensores.
4
• Os sensores de temperatura de entrada e de saída do catalisador monitoram os gases de escape antes e
após terem passado pelo catalisador. A DCU utiliza essa informação para o cálculo da dosagem de Arla 32.
Os sensores são parafusados numa bossa, que por sua vez é soldada ao cano de escape. Os dois sensores
de temperatura são idênticos. Abaixo está a ilustração de um deles: 5

10

11

12

13

1. Sensor
2. Bossa 14

Nota: Seu sistema poderá não ter ambos os sensores de temperatura. Apenas o sensor de entrada é
necessário. 15

16

17-13

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

• O sensor de pressão reversa dos gases de escape mede a pressão reversa desses gases para assegurar
que não exceda os níveis máximos permitidos. Esse sensor é montado de maneira diferente dos sensores de
temperatura, no sentido de não ser inserido diretamente no sistema de escape. Ele é fixado numa mangueira
que, por sua vez, é fixada ao sistema de escape por meio de uma junção de cotovelo, parafusada numa
bossa soldada ao sistema de escape:

1. Mangueira
2. Junção de Cotovelo
3. O sensor é fixado nesta mangueira e montado ao chassi
4. Bossa

Nota: O sensor de pressão reversa é opcional. O sistema de seu veículo pode não tê-lo.

17-14

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

• O sensor de NOX monitora os níveis de NOX no sistema de escape após os gases saírem do catalisador: 1

9
1. O módulo eletrônico é fixado a este cabo e montado no chassi
2. Sensor de NOX
10

Note o sensor de temperatura na parte posterior.


As informações fornecidas por esse sensor são utilizadas no cálculo de dosagem de Arla 32 e também para 11
diagnóstico, uma vez que uma quantidade excessiva de NOX na saída indica falha de algum componente.

Linhas de Arla 32 12

As linhas de Arla 32 são fixadas à entrada e saída do injetor. Essas linhas de Arla 32 podem ser tanto aquecidas
como não aquecidas, dependendo das opções do veículo. As linhas de Arla 32 aquecidas possuem conexões
13
elétricas ao chicote.

14

15

16

17-15

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

2.4. Chicote
O chicote do sistema SCR MWM INTERNATIONAL é conectado à DCU, à ECU do motor, e aos diversos
componentes do sistema SCR MWM INTERNATIONAL. Ele é integrado diretamente ao chicote do veículo.
O chicote do sistema SCR MWM INTERNATIONAL possui dois conectores principais. Um deles é conectado à
DCU e o outro à caixa DCU:

1. Conector do chicote à caixa DCU


2. Conector do chicote à DCU

O conector da DCU contém três fios que fornecem conexões elétricas aos componentes do SCR MWM
INTERNATIONAL. Eles recebem as entradas dos sensores e da ECU do motor e enviam sinais de atuação ao
injetor, bomba, controle de aquecimento do tanque (se existente), aquecedor da caixa DCU e aquecedor da linha
de Arla 32 (se existente).
Os seguintes componentes do sistema SCR MWM INTERNATIONAL são conectados diretamente através do
conector DCU:
• Sensores de temperatura;
• Sensor de pressão reversa dos gases de escape;
• Sensor NOx dos gases de escape;
• Unidade sensora de Arla 32;
• Injetor;
• Controle de aquecimento do tanque;
17-16 • Aquecimento de linha (se instalado).
O conector da caixa DCU é conectado na parte superior da caixa DCU. A DCU se comunica com os componentes
da caixa DCU por meio dessa conexão. A DCU envia sinais de atuação à bomba e ao aquecedor da caixa DCU,
e recebe sinais de entrada do sensor de pressão da Arla 32 para monitorar essa pressão.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

1
3. Funcionamento do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL

Como operador do veículo, você é responsável por abastecer devidamente o Tanque de Arla 32 e monitorar 2
periodicamente os componentes do sistema para se assegurar que estejam funcionando corretamente e que
não estejam danificados. Você deve também tomar precauções e práticas responsáveis para se assegurar que o
equipamento não seja danificado durante o funcionamento do veículo. 3

3.1 Reabastecimento do Tanque de Arla 32


4
O sistema SCR MWM INTERNATIONAL necessita de uma solução aquosa de uréia certificada a 32,5% (AUS32)
para seu funcionamento. É de sua responsabilidade assegurar que seja utilizada somente uma solução AUS32
certificada para abastecer o tanque. Quando completar o Tanque de Arla 32, tome cuidado para não contaminar
a solução AUS32. 5

O consumo de Arla 32 varia de acordo com as condições de funcionamento, o que inclui velocidade e carga.
Um medidor do nível de Arla 32 no painel de instrumentos do veículo permite que se monitore o nível de Arla
6
32. É boa prática verificar o nível do Tanque de Arla 32 a cada abastecimento do veículo. Quando o nível de Arla
32 ficar baixo, completar o tanque assim que possível. Se permitir que o tanque fique vazio, a lâmpada MIL (luz
indicadora de falha) irá piscar. O injetor não funcionará até que o tanque seja abastecido.
7
Importante: Não utilize água para abastecer o Tanque de Arla 32. Se utilizar água, o sistema registrará altos
níveis de NOX e acenderá a lâmpada MIL (ver “Relatório de Falhas” na página 14). O tanque
deverá ser drenado por um técnico de serviço e completado com AUS32 certificada. 8
Para abastecer o Tanque de Arla 32, proceda como se segue:

1. Antes de remover a tampa do tanque, limpar a região em volta da tampa para evitar possíveis
9
contaminações da solução de Arla 32. Durante a operação normal, acumulam-se detritos e poeira da
estrada na tampa e em torno do bocal, nos parafusos e no pescoço de enchimento.
2. Remover a tampa do Tanque de Arla 32 girando-a no sentido anti-horário, e puxe-a para fora do bocal: 10

11

12

13

14

15

16

17-17

3. Assegurar-se que o bico do recipiente da solução de Arla 32 esteja limpo. Então insira o bico do recipiente
no Tanque de Arla 32. 18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

4. Não permita que o Tanque de Arla 32 transborde. Pare o abastecimento assim que o nível de Arla 32 atingir
a parte inferior do pescoço de enchimento no tanque:

1. Não abastecer além deste ponto

A região na parte superior do tanque, acima do pescoço de enchimento, permite a expansão da Arla 32 quando
congelada.

5. Remover o bico do tanque. Assegurar-se de manter o bico limpo e tome cuidado para que sujeira ou
detritos não penetrem no tanque.
6. Alinhe as guias na tampa com os entalhes na abertura do tanque, e colocar a tampa de volta no
tanque. Girar a tampa no sentido horário para fixá-la e sele o tanque.

Importante: Manter a a área limpa quando abastecer o Tanque de Arla 32. Não permita que poeira ou detritos
caiam no tanque durante o abastecimento.

3.2. Resfriamento do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL


Durante o funcionamento do veículo, o injetor é protegido de superaquecimento por uma combinação de juntas
térmicas e contínua recirculação da solução de Arla 32. Quando a ignição do veículo é desligada, o sistema SCR
MWM INTERNATIONAL entra num ciclo de resfriamento, purga e desligamento para resfriar o injetor. Durante
esse ciclo a bomba continua funcionando e a Arla 32 circula pelo injetor, mas o injetor não funciona. Quando se
completa o ciclo, o sistema SCR MWM INTERNATIONAL se desliga automaticamente. Esse processo pode durar
5 a 13 minutos e faz parte do funcionamento normal.

3.3. Relatório de Falhas


O sistema SCR MWM INTERNATIONAL é monitorado eletronicamente através de diagnóstico embarcado (OBD);
quando falhar algum componente, gera-se um DTC (diagnostic trouble code – código de falha de diagnóstico) e
acende-se a lâmpada MIL (luz indicadora de falha). Os DTC’s possuem dois modos de operação – luz contínua,
indicando advertência, e luz piscante, indicando problema sério.
17-18
Nota: Ambas a DCU e a ECU do motor apresentam DTC’s por meio da MIL. A MIL ligada pode indicar tanto
uma falha do motor/veículo, como uma falha do sistema SCR MWM INTERNATIONAL. Somente um
técnico ou um centro de serviço autorizado podem determinar onde a falha ocorreu realmente.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

Quando ocorrer ativação da MIL (luz contínua ou piscando), deve-se proceder da seguinte forma: 1

1. Verificar o nível de Arla 32. Se estiver baixo, abastecer o tanque. A MIL deve se desligar
automaticamente.
2
2. Se o problema não foi causado por baixo nível de Arla 32 (ou se a luz indicadora não apagou depois de
abastecido o tanque e reiniciado), leve o veículo a um centro de serviço autorizado:
• Se a MIL estiver piscando, leve o veículo ao centro de serviço IMEDIATAMENTE, uma vez que isso indica 3
problema sério.
• Se a MIL estiver acesa de forma constante, leve o veículo ao centro de serviço assim que possível, para
4
que se faça o diagnóstico e reparo antes que se torne um problema sério.

Importante: O injetor é arrefecido pela circulação da solução de Arla 32. Para assegurar que haja Arla 32
suficiente para arrefecer o injetor, manter o tanque abastecido para evitar a condição de baixo nível 5
de Arla 32. Quando a MIL é acionada por uma condição de baixo nível de Arla 32, o injetor pára
de funcionar. Haverá Arla 32 suficiente no sistema para a circulação de arrefecimento até que o
tanque seja reabastecido. O injetor não funcionará até que o tanque seja reabastecido. 6

3.4. Proteção Contra Danos dos Componentes


7
Como operador do veículo, é de sua responsabilidade funcionar o mesmo de maneira tal que permita o sistema
SCR MWM INTERNATIONAL tenha um ótimo desempenho e assegure que não haja danos aos componentes:

1. Usar apenas uma solução AUS32 certificada e manuseada por profissionais para abastecer o Tanque de 8
Arla 32. Não permita que haja contaminação da solução de Arla 32.
2. Manter o Tanque de Arla 32 abastecido ao nível adequado. Embora possa haver Arla 32 suficiente para
arrefecer o injetor num tanque que acuse vazio, não haverá redução de NOX. 9

3. NÃO USAR A DESCONEXÃO PROFISSIONAL (INTERRUPTOR DE PARADA DE EMERGÊNCIA) PARA


DESLIGAR O VEÍCULO! Quando se usa a desconexão profissional, a alimentação ao sistema SCR MWM
INTERNATIONAL é desligada imediatamente e o ciclo de purga e arrefecimento não ocorrerá para resfriar o 10
injetor. Isto pode causar danos ao mesmo.
4. Assegurar-se que o líquido de arrefecimento do motor seja mantido no nível ideal. A proteção anti-congela-
11
mento do sistema SCR MWM INTERNATIONAL, que é ativada quando a temperatura ambiente atinge -11°
C (12° F), conecta-se ao sistema de arrefecimento do motor para descongelar o Tanque de Arla 32. Um
suprimento inadequado poderá comprometer o processo de descongelamento. Arla 32 congelada pode
provocar vazamentos, falha de componente e/ou danos ao equipamento. 12

! Advertência: Se estas instruções não forem devidamente seguidas, poderá haver falhas ou danos ao 13
equipamento. Danos que sejam resultado direto da não-observância destas diretrizes não
serão cobertas pela garantia.
14

15

16

17-19

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

3.5. Monitoração do Sistema


A manutenção preventiva é muito importante para se evitar problemas em potencial. No Capítulo 4 estão listadas
informações de inspeção de manutenção preventiva, juntamente com instruções para se executar a inspeção.
Entretanto, entre as inspeções, deve-se prestar atenção a qualquer sinal ou sintomas que possam indicar algum
problema ou problemas em potencial, e devem-se seguir os passos abaixo:

1. Depósitos de Arla 32 indicam um possível problema de vazamento. Esses depósitos aparecem na forma
de uma substância cristalina branca ou branco-amarelada. Se forem avistados depósitos de Arla 32 ao
redor de qualquer componente, vá ao Capítulo 4 e execute a inspeção de manutenção d a q u e l e
componente. Os locais mais prováveis são as linhas de Arla 32, conexões dessas linhas ao tanque, caixa
DCU e injetor, e a base do injetor onde é fixado à bossa do cano. Se houver evidências de vazamento, leve
o veículo a um serviço autorizado para reparos.
2. Consumo excessivo de Arla 32 pode indicar vazamentos no tanque, nas linhas de Arla 32 e conexões,
ou no injetor. Pode também indicar falha do injetor ou da bomba. Leve o veículo a um serviço autorizado para
diagnóstico e reparos.
3. Cheiro de amônia proveniente do escapamento pode ser indicativo de problemas com o injetor. Po d e
também ser causado por escape de amônia do catalisador. Leve o veículo a um serviço autorizado
para diagnóstico.
4. Ruído excessivo da bomba ou do injetor podem ser indicativos de componente com falha. Leve o
veículo a um serviço autorizado para diagnóstico.
5. Ruído de chacoalhamento da caixa DCU geralmente indica componente de fixação solto tanto na D C U
como na caixa DCU. Pode também indicar componentes soltos dentro da caixa DCU. Leve o veículo a um
serviço autorizado para um diagnóstico mais completo.
6. Ruídos de chacoalhamento de componentes no cano de escape podem ser causados por algum
componente solto no sistema SCR MWM INTERNATIONAL, e podem também ser causados por componentes
soltos do escapamento. Verificar o(s) componente(s) do sistema SCR MWM INTERNATIONAL:
• Se parecem soltos, leve o veículo a um serviço autorizado para reparos.
• Se não se observar nenhum problema de montagem, verificar o cano de escape. Vide o manual do
proprietário do veículo para informações mais detalhadas.
7. Se houver fios soltos ou balançando, leve o veículo a um serviço autorizado para reparos.

3.6. Monitoração do Catalisador e do Sistema de Escape


Embora não façam parte do sistema SCR MWM INTERNATIONAL, a manutenção adequada do sistema de
escape e catalisador é essencial para o funcionamento correto do sistema SCR MWM INTERNATIONAL. A
carcaça do catalisador e o escapamento devem ser inspecionados periodicamente para ver se não há depósitos
de Arla 32 ou entupimentos por particulados.
Os motores diesel produzem uma quantidade significativa de particulado fino. Essas partículas podem se
depositar na entrada do catalisador e aumentar a pressão reversa do sistema. Além disso, podem se formar
depósitos de Arla 32 na entrada do catalisador, que também aumentam a pressão reversa. Apesar do sistema
SCR MWM INTERNATIONAL ter sido projetado de forma a evitar a formação de depósitos de Arla 32, ainda
assim isso pode ocorrer.
Para mais informações sobre procedimentos de manutenção no escapamento e catalisador, vide o manual de
proprietário do veículo.

17-20

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

3.7. Encaminhamento do Veículo para Serviço 1

Como resultado das advertências da MIL (seção 3.3), sua própria monitoração (seção 3.5), ou dos procedimentos
de manutenção preventiva descritos no Capítulo 4, poderá ser necessário levar o veículo a um centro de serviço
autorizado para diagnóstico e/ou reparos. O fabricante do veiculo e/ou concessionário deve ser capaz de fornecer 2
uma lista de centros de serviço autorizado, e técnicos de serviço independentes, que sejam autorizados a
oferecer serviço ao seu veículo e ao sistema SCR MWM INTERNATIONAL. Eles podem também manter centros
de serviço autorizado próprios. 3
Na maioria dos casos pode-se levar o veículo dirigindo ao centro de serviço, uma vez que falhas no sistema SCR
MWM INTERNATIONAL não geram condições capazes de gerar danos mais graves ao se funcionar o veículo.
Entretanto, se o problema for dano físico a algum componente, deve-se tomar cuidados especiais: 4

• Se o componente estiver danificado, mas fixado firmemente ao veículo, não há problemas para dirigi-lo até
o centro de serviço.
5
• Se o componente estiver solto, fixe-o ao veículo de forma que se possa dirigi-lo até o centro de serviço sem
causar danos ou soltura do componente:
• Se a caixa DCU ou a DCU estiverem soltas, apertar os parafusos (ver seção 4.2 e 4.3) o suficiente para 6
evitar que o componente caia ou sofra danos por vibração enquanto o veículo é levado ao centro de
serviço.
7
• Se o injetor estiver solto, aperar a braçadeira (ver seção 4.6) o suficiente para que o injetor não balance.
• Se o Tanque de Arla 32 estiver solto, fixe-o ao veículo. Verificar o manual do operador do veículo para
recomendações quanto à fixação do tanque. 8
• Se houver fios soltos ou balançando, fixe-os ao chassi o melhor que puder, mantendo-os afastados de
fontes de calor ou objetos afiados ou em movimento.
9
Se não for possível fixar o componente o suficiente para se poder dirigir o veículo sem que haja mais danos,
reboque o veículo.

• Se o componente se soltou por completo ou quebrou, reboque o veículo. Assegurar-se de levar o componente, 10
se estiver disponível.

11

12

13

14

15

16

17-21

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Apêndices

A. Esquema do Sistema SCR MWM INTERNATIONAL


O esquema abaixo mostra a configuração básica do sistema SCR MWM INTERNATIONAL e sua integração com
o veículo:

17-22

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

1
AH - MWM Redução Catalítica Seletiva Pós-tratamento (SCR)

10

11

12

13

14

15

16

17-23

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A Redução Catalítica Seletiva (SCR) é um meio de converter óxidos de nitrogênio (NOx) com a ajuda de um
catalisador em nitrogênio diatômico (N2) e água (H2O). Um reagente gasoso, tipicamente amônia anidra, amônia
aquosa ou “ureia” Arla 32, é adicionado no caminho dos gases de escapamento e é absorvido pelo catalisador.
Dióxido de carbono, CO2 é o produto da reação quando “ureia” Arla 32 é utilizada como reagente.
Os principais benefícios do sistema incluem:

• Eficiência térmica e economia de combustível melhoradas;


• Rejeição de calor e tensões do sistema de arrefecimento reduzidas, permitindo usar radiador e ventoinha de
arrefecimento menores, e intervalos de troca de óleo prolongados;
• Um motor menor e mais leve está relacionado a uma carga útil aumentada e sistema de injeção menos
dispendioso;
• Permite reduzir as emissões em até 90%. As emissões de NOx também são reduzidas devido ao uso de
conversor catalítico específico;
• Ideal onde economia de combustível e peso são considerações primário e os caminhões operam em faixas
das principais rodovias;
• Tolerância superior a combustível diesel de alto teor de enxofre.

A faixa de operação de temperatura ambiente do sistema DEF (Fluido de Escapamento Diesel) é de -30°C a
55°C. A temperatura máxima de 55°C é para assegurar que a ureia não se degrade durante a operação do
sistema.

17-24

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

Os componentes principais do SCR incluem uma caixa da Unidade de Controle de Dosagem (DCU), um injetor 1
de ureia e abraçadeira e junta relacionada, um reservatório de ureia e sensores relacionados (Contrapressão,
Temperatura e NOX), conforme mostrado abaixo:
2

10

1. Módulo DCU (Unidade de Controle de Dosagem)


11
2. Injetor de Ureia
3. Abraçadeira em V do Injetor
12
4. Junta do Injetor de Ureia
5. Sensor de Pressão do Escapamento
6. Tubo de Extensão do Sensor de Pressão 13

7. Conversor Catalítico
8. Sensor de Temperatura 14
9. Sensor Nox

15

16

17-25

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A Caixa DCU é instalada no chassi do veículo em posição vertical (± 5°), protegida contra o arremesso de
partículas, borrifos de água e exposição ao calor excessivo, com as conexões da linha de fluido na parte inferior
da unidade. A Caixa DCU não deve ser removida do veículo. Os componentes internos são mostrados na figura
abaixo, os quais somente deverão ser acessíveis por remoção da tampa dianteira:

17-26

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
SISTEMA SCR DE PÓS-TRATAMENTO DOS GASES DE ESCAPE (SE APLICÁVEL)

8
ARLA 32 é a marca comercial para a solução de 32,5% de água / ureia. Ela é uma solução corrosiva incolor, NÃO
tóxica e NÃO inflamável, portanto seu manuseio exige cuidados.

10

11

12

13

14

15

16

17-27

18

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

17-28

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DIAGNÓSTICO DE FALHAS

1
Diagnóstico de Falhas

Introdução................................................................................................................................................ 18-2 2
Tabela de Sintomas............................................................................................................................ 18-3

10

11

12

13

14

15

16

17

18-1

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Introdução

! Atenção: · Entenda totalmente o problema antes de tentar qualquer reparo.


· Verificar primeiro o mais simples e óbvio.
· Encontrar a causa-raiz e corrigir o problema.

18-2

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DIAGNÓSTICO DE FALHAS

1
Tabela de Sintomas

2
Sintoma Causas Prováveis

O ECM entra no Modo de Segurança: rpm do motor limitada;


59-65-66-67-68-69-75-113-131-199 3
o motor para

Falha de funcionamento de cilindro 56-65


4
Pressão excessiva do combustível no rail: Marcha-lenta e
38-56-61-65-67
Rotação nominal
5
Pressão baixa do combustível no rail 34-38-53-54-55-60-65-67

Pressão excessiva do ar no coletor de admissão 65-66-80-81 6

Pressão baixa do ar no coletor de admissão 65-66-76-77-80-83


7
Falhas intermitentes gerando diversos códigos de diagnóstico
diferentes ao mesmo tempo e o acendimento da luz de adver- 10-13-15-16-17-18-38-65
tência no painel de instrumentos
8
Baixa aceleração da rotação de partida 10-12-13

10-11-12-13-14-30-31-33-35-38-50-51-52-53- 9
O motor não dá partida 56-57-70-90-134-150-151-152-170-171-
175-191
10
10-11-12-13-14-31-33-35-38-50-51-52-53-56-
Partida difícil – o motor demora a dar a partida
57-70-90-134-150-151-152-170-171-175-191

31-33-35-38-50-51-52-53-56-57-58-70-71-72- 11
Baixa potência / desempenho insatisfatório 73-84-90-130-132-134-150-151-152-170-171-
172-173-191-197-198
12
Parada de funcionamento súbita com o motor em funcionamento 38-63-64-65-191-195

31-50-53-56-57-58-63-71-72-90-116-132-137-
Consumo excessivo de combustível 13
150-151-152-171-172-173-191-197-198

31-50-53-56-57-58-63-71-72-90-116-150-151-
Fumaça preta excessiva
171-173-191 14

31-50-58-70-71-74-110-112-116-130-150-
Fumaça branca excessiva
153-154-170-176-179-191-195
15

Pressão baixa do óleo lubrificante 50-110-111-116-117-119-120-123-124-158

111-113-116-117-124-134-136-140-151-152- 16
Motor excessivamente ruidoso ou detonações internas 154-157-158-170-171-173-175-191-193-194-
196-198
17
37-50-53-56-71-124-125-134-151-152-153-
Vibração excessiva
154-155-158-177-191-192-193-194-196
18-3

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Tabela de Sintomas (Continuação)

Sintoma Causas Prováveis

Pressão alta do óleo 110-114-118-120-122-124

37-53-56-63-90-116-121-125-130-137-138-
Ebulição do líquido de arrefecimento
140-141-150-158-171-175-191

Superaquecimento 131-158

Pressão excessiva do cárter com possível vazamento de óleo 70-75-76-90-110-116-122-123-130-153-155-


(blow-by) 170-176-178

57-58-70-90-110-130-134-150-152-153-170-
Compressão baixa em um dos cilindros
175

O motor dá partida e para 38-51-52-53-56-90

O motor aumenta de rotação 50-53-178

31-63-70-74-110-112-123-125-153-155-158-
Consumo elevado de óleo lubrificante
170-176-178-179

Líquido de arrefecimento misturado com óleo lubrificante 130-177

Óleo misturado com Líquido de arrefecimento 194

Marcha-lenta irregular 33-35-50-52-90-123-151

Motor para quando o veículo se detém 30-33-50-51-52-151

Falha de combustão do motor 50-52-151

18-4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DIAGNÓSTICO DE FALHAS

Tabela de Sintomas (Continuação) 1

No Causa Provável O que fazer


2
Verificar: fuga de corrente, condição de trabalho do
10 Carga baixa da bateria alternador, condição da bateria e corrosão nos terminais
dos cabos da bateria. Reparar ou substituir. 3
Verificar: fuga de corrente, condição de trabalho do
11 Voltagem de partida baixa alternador, condição da bateria e corrosão nos terminais
dos cabos da bateria. Reparar ou substituir. 4
Verificar condição do motor de partida e solenoide.
12 Motor de partida defeituoso Verificar quanto a corrosão nos contatos do chicote de
fiação para o motor de partida. Reparar ou substituir. 5
Verificar quanto a mudanças ou danos nos pontos de
13 Contato inadequado nas conexões elétricas aterramento, conexões ou chicote de fiação devido a
previous reparos ou serviço. Reparar ou substituir.
6
Movimento irregular ou limitado do acele-
14 Verificar, reparar ou substituir.
rador
Verificar a bateria quanto a uma carga baixa. Verificar a 7
Voltagem inconstante na alimentação do
15 caixa de fusíveis e chicote de fiação da bateria para o
ECM
ECM. Reparar ou substituir.
Verificar a condição de recarga do alternador e suas 8
16 Alternador defeituoso ou sem carga conexões quanto a bom contato e ausência de corrosão.
Reparar ou substituir.
Verificar quanto a mudanças ou danos nos pontos de 9
17 Aterramento deficiente aterramento, conexões ou chicote de fiação devido a
reparos ou serviços anteriores. Reparar ou substituir.
Verificar quanto a mudanças ou danos nos pontos de
Terminais com contato deficiente ou sem 10
18 aterramento, conexões ou chicote de fiação devido a
contato
reparos ou serviços anteriores. Reparar ou substituir.
30 Tanque de combustível vazio Completar com o combustível recomendado. 11
Tanque de combustível com respiro
31 Verificar, reparar ou substituir.
obstruído
Bomba elétrica do tanque funcionando, mas Verificar: bomba obstruída, válvula de retorno aberta, 12
32
sem pressão motor da bomba defeituoso, fusível queimado.
Verificar causas de obstrução como: combustível incor-
Tubo de alimentação de combustível
33 reto, filtro de combustível não substituído, tanque de com- 13
obstruído
bustível sujo. Limpar e substituir conforme requerido.
Usando um manômetro, verificar a pressão na linha
de baixa pressão, logo após o filtro de combustível. Se 14
a pressão estiver abaixo da especificação, verificar a
condição da bomba alimentadora (se disponível), bomba
No feeding on linha de combustível de baixa
34 elétrica do tanque e válvula de retorno ou qualquer
pressão 15
obstrução na linha de combustível devido a: combustível
incorreto, filtro de combustível não substituído, tanque de
combustível sujo ou bomba elétrica do pré-filtro do tanque.
Limpar e substituir conforme requerido. 16
Substituir o combustível . Verificar o tanque de combustível
35 Combustível inadequado e linha de alimentação quanto a contaminação. Limpar e
substituir conforme requerido.
17
Verificar quanto a anomalias causadas por reparos ou
serviços anteriores. Verificar problemas relacionados a
36 Motor sobrecarregado
compressão excessiva, atrito no trem de engrenagens e
polias. Reparar ou substituir. 18-5

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Tabela de Sintomas (Continuação)

Nº Causa Provável O que fazer

Verificar a condição dos coxins do motor quanto à


montagem correta. Substituir coxins danificados, pres-
37 Coxins do motor defeituosos
tando atenção ao aperto e torque na sequência correta
conforme o manual de serviços do veículo.
Verificar o fusível e chicote de fiação de alimentação
até a bomba. Verificar se acessórios como alarmes
38 Bomba elétrica defeituosa ou imobilizadores que bloqueiam o veículo através do
desligamento da bomba elétrica foram instalados. Verificar
a bomba elétrica e substituir se necessário.
Verificar quanto a falhas com um escâner de diagnóstico.
Verificar a bateria quanto a uma carga baixa ou outros
50 Sistema de injeção eletrônica defeituoso
problemas relacionados aos componentes dos sistemas
de alimentação. Reparar ou substituir.
Verificar causas de obstrução como: combustível
51 Filtro de combustível obstruído incorreto, filtro de combustível não substituído, tanque de
combustível sujo. Limpar ou substituir conforme requerido.
Verificar se a bomba elétrica está pressurizando o sistema.
52 Ar no sistema de combustível
Reparar ou substituir.
Verificar se a falha foi causada por sujeira na linha
de combustível como: combustível incorreto, filtro de
53 Bomba de alta pressão defeituosa
combustível não substituído, tanque de combustível sujo.
Limpar ou substituir conforme requerido.
Se o motor foi mantido inativo por longo tempo, poderá
54 Bomba de alta pressão travada ser necessária uma desmontagem, inspeção e limpeza
da bomba em um serviço autorizado.
Verificar se a falha foi causada por sujeira na linha
Bomba de alta pressão contaminada por de combustível como: combustível incorreto, filtro de
55
sujeira combustível não substituído, tanque de combustível sujo.
Limpar ou substituir conforme requerido.
Verificar se a falha foi causada por sujeira na linha
de combustível como: combustível incorreto, filtro de
combustível não substituído, tanque de combustível sujo.
56 Injetores obstruídos ou defeituosos
Se necessário, enviar os injetores a um serviço autorizado
para análise e limpeza em dispositivos apropriados ou
para substituir os injetores.
Verificar o fusível, chicote de fiação e vela de aquecimento.
57 Sistema de partida a frio inoperante
Reparar ou substituir.

58 Tubos de alta pressão incorretos Verificar e substituir.

Verificar operação da bomba de alta pressão, sensor


59 Pressão excessiva do combustível no rail de pressão do rail e válvula de alívio do rail. Reparar ou
substituir.
60 Válvula M-Prop travada aberta Verificar, reparar ou substituir.

61 Válvula M-Prop travada fechada Verificar, reparar ou substituir.

18-6 62 Válvula de alívio do rail defeituosa Verificar, reparar ou substituir.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DIAGNÓSTICO DE FALHAS

Tabela de Sintomas (Continuação) 1

Nº Causa Provável O que fazer


2
Se o sensor não estiver defeituoso após a verificação,
verificar se a distância entre o sensor CKP e a roda de
63 Sensor CKP defeituoso pulsos está correta, assim como danos na roda de pulsos 3
causando leituras incorretas ou danos no chicote de
fiação do sensor. Reparar ou substituir.
Se o sensor não estiver defeituoso após a verificação, 4
verificar se a distância entre o sensor CMP e o ressalto
64 Sensor CMP defeituoso
da árvore de comando está correta ou se há danos no
chicote de fiação do sensor. Verificar, reparar ou substituir. 5

65 Chicote de fiação defeituoso Verificar, reparar ou substituir.

Vazamentos através dos retentores das 6


66 Substituir.
guias de válvula

67 Sensor de pressão do rail defeituoso Verificar, reparar ou substituir.


7
Sensor de pressão e temperatura do óleo
68 Verificar, reparar ou substituir.
(EOP) defeituoso
Sensor de temperatura do líquido de 8
69 Verificar, reparar ou substituir.
arrefecimento do motor (ECT) defeituoso

70 Restrições no sistema de admissão de ar Verificar, reparar ou substituir. 9

Turboalimentador danificado ou necessitando


71 Verificar, reparar ou substituir.
de limpeza
10
Vazamento em juntas no turboalimentador e
72 Verificar, reparar ou substituir.
coletor de escapamento
11
73 Pressão baixa do ar do superalimentador Verificar, reparar ou substituir.

Vazamento em retentores de óleo do supera-


74 Verificar, reparar ou substituir. 12
limentador
Pressão excessiva do ar no coletor de admis-
75 Verificar, reparar ou substituir.
são
13
Se essas obstruções forem devido ao ingresso de sujeira,
verificar se o motorista segue a tabela de manutenção
para serviço pesado. Se for contaminação por óleo,
14
verificar quanto a retorno excessivo de óleo para o filtro.
76 Filtro de ar obstruído Neste caso, verificar a válvula de retorno do cárter, o
nível de óleo do cárter e as condições de trabalho do
turboalimentador. 15
Reparar ou substituir.

77 Pós-resfriador obstruído Verificar, reparar ou substituir. 16

Verificar se o problema está associado com perda de


potência, operação do turboalimentador ou vazamentos
78 Pressão baixa do ar no coletor de admissão 17
de ar em tubos e mangueiras. Verificar quanto a leituras
incorretas do sensor T-MAP. Reparar ou substituir.

80 Ajustes incorretos da válvula Wastegate Verificar, reparar ou substituir. 18-7

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Tabela de Sintomas (Continuação)

Nº Causa Provável O que fazer

Mangueira ou tubo da válvula wastegate


81 Verificar, reparar ou substituir.
rompida / danificada

83 Furos nas mangueiras do pós-resfriador Verificar, reparar ou substituir.

Verificar visualmente quanto a óleo na colmeia. Efetuar


84 Vazamento de ar no pós-resfriador um teste de vazamento com o pós-resfriador imerso em
água e usando ar comprimido.

90 Escapamento obstruído Verificar, reparar ou substituir.

Verificar se o escapamento foi instalado corretamente,


91 Escapamento com fissuras prestando atenção na sequência correta de aperto e
torques.
Verificar e substituir pelo óleo recomendado no manual
110 Óleo lubrificante incorreto
de operação do fabricante.
Completar e verificar quanto a vazamentos de óleo no
111 Nível baixo de óleo lubrificante no cárter bloco ou resfriador de óleo ou consumo de óleo entre
anéis e cilindros.

112 Nível alto de óleo lubrificante no cárter Verificar, reparar ou substituir.

Verificar a condição de desgaste da bomba de óleo,


mola do regulador de pressão da bomba e obstrução
113 Pressão baixa de óleo lubrificante
das passagens de óleo (tubo de sucção, árvore de
manivelas e outros). Reparar ou substituir.

114 Pressão alta de óleo lubrificante Verificar, reparar ou substituir.

Verificar quanto a vazamentos de óleo nas juntas ou óleo


no filtro de ar. Verificar o consumo de óleo entre anéis e
cilindros: cilindros com usinagem defeituosa, anéis de
115 Alto consumo de óleo lubrificante
pistão com aberturas alinhadas ou anéis desgastados,
cilindros desgastados, compressão insatisfatória do
cabeçote. Reparar ou substituir.
Bomba de óleo lubrificante desgastada
116 Verificar e substituir.
internamente
Mola da válvula de alívio da bomba de pres- Verificar a condição da mola, esfera e obstrução da
117
são do óleo emperrada aberta ranhura na carcaça da bomba. Reparar ou substituir.

Mola da válvula de alívio da bomba de pres-


118 Verificar, reparar ou substituir.
são do óleo emperrada fechada
Verificar o tubo de sucção quanto a obstrução,
Defeituoso tubo de sucção da bomba de
119 montagem e vedação entre tubo e bloco.
óleo
Reparar ou substituir.

120 Filtro de óleo lubrificante obstruído Verificar e substituir.

121 Tubo de respiro do motor obstruído Verificar, reparar ou substituir.

122 Válvula PCV danificada Verificar, reparar ou substituir.


18-8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DIAGNÓSTICO DE FALHAS

Tabela de Sintomas (Continuação) 1

Nº Causa Provável O que fazer


2

123 Vazamento no resfriador de óleo Verificar, reparar ou substituir.


3
124 Bomba tandem defeituosa Verificar, substituir ou enviar a um serviço autorizado.

Verificar a instalação do motor, suportes e coxins do 4


125 Ângulo de inclinação do motor incorreto
veículo. Reparar.

Verificar a atuação da válvula termostática, condição das


mangueiras do sistema, pressão e condição de operação 5
130 Ebulição
da bomba de água, junta queimada do cabeçote, mistura
de água no óleo. Reparar ou substituir.
6
Verificar a atuação da válvula termostática, ar nas man-
gueiras do sistema, condição das mangueiras do sistema,
Superaquecimento (alta temperatura do pressão e condição de operação da bomba de água, junta
131 7
líquido de arrefecimento) queimada do cabeçote, mistura de água no óleo, pressão
excessiva do turboalimentador, sincronização avançada
da injeção de combustível. Reparar ou substituir.
8
Verificar a atuação da válvula termostática. Substituir se
necessário.
132 Motor muito frio
Também verificar quanto a perda de potência. Reparar ou 9
substituir.
Válvulas termostáticas defeituosas (emper-
133 Verificar e substituir
radas abertas ou fechadas) 10

134 Ventoinha danificada Verificar as causas do dano e substituir.


11
Verificar se a RPM da ventoinha atinge 70% a 80 %
135 Sem atuação da embreagem viscosa da RPM do motor quando totalmente acoplada (motor
aquecido). Caso contrário, substituir a ventoinha.
12
Verificar quanto a travamento da embreagem viscosa.
136 Ventoinha excessivamente ruidosa
Substituir se necessário.
Passagens de água obstruídas das camisas 13
137 Verificar, limpar as passagens ou substituir componente.
de cilindros / bloco do motor

Verificar se somente o radiador está obstruído ou se


14
há obstruções ou crostas nas mangueiras e passagens
Radiador obstruído internamente (tubos ou de água. Reparar ou substituir o radiador e outros
138
reservatórios obstruídos) componentes afetados. Verificar se o fluido e água
corretos estão sendo utilizados e na proporção correta 15
para o sistema de arrefecimento.
Radiador obstruído externamente (aletas Verificar quanto às causas da obstrução das aletas.
139 16
obstruídas) Limpar completamente as aletas ou substituir o radiador.
Se houver cavitação, verificar quanto à presença de ar no
sistema. Substituir a bomba e fazer a purga do sistema. 17
Em caso de um vazamento no retentor, verificar se está
140 Bomba de água defeituosa
sendo utilizado o líquido de arrefecimento correto na
proporção e especificação corretas. Substituir a bomba.
18-9
Para outras falhas, substituir a bomba.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

Tabela de Sintomas (Continuação)

Nº Causa Provável O que fazer

Verificar quanto a danos e vazamentos de fluido na tanque


de expansão, válvula da tampa do tanque de expansão,
141 Falta de fluido no sistema de arrefecimento mangueiras, conexões, juntas, manchas causadas por
vazamentos na resfriador de água / óleo e junta do
cabeçote.
Verificar: anéis de pistão com aberturas alinhadas ou
150 Compressão baixa anéis desgastados, cilindros desgastados e compressão
insatisfatória do cabeçote. Reparar ou substituir.
Verificar com um micrômetro e paquímetro o desgaste está
concentrado na região e/ou em um cilindro específico.
Verificar quanto à usinagem correta dos cilindros, evi-
151 Desgaste do cilindro
dências de desgaste nas camisas de cilindro e anéis
relacionados à problemas de montagem ou usinagem.
Reparar e substituir.
Verificar quanto a indícios de superaquecimento ou
Anéis de pistão quebrados, desgastados ou
152 montagem incorreta. Verificar se a camisa está dentro das
emperrados
especificações. Substituir os componentes danificados.
Verificar quanto a montagem defeituosa do pistão ou se
153 Pistão emperrado as folgas especificadas entre camisa e pistão ou pino
estão corretas. Reparar ou substituir.
Verificar quanto a danos ou torção no bloco. Verificar a
154 Mancais danificados ou desgastados montagem dos mancais, bronzinas e árvore de manivelas.
Reparar ou substituir.

155 Assentamento incorreto dos anéis do pistão Verificar, reparar ou substituir.

Altura incorreta da superfície do pistão ao


156 Verificar, reparar ou substituir.
bloco

157 Camisas fissuradas ou quebradas Verificar, reparar ou substituir.

Desgaste anormal de mancal ou bronzinas


158 Usar a tabela de diagnóstico de mancais neste manual.
de biela
Verificar quanto a superaquecimento do motor, junta
queimada do cabeçote, compressão do motor muito alta,
170 Válvulas e sedes de válvulas queimadas folga incorreta entre válvula e guia de válvula, falta de
lubrificação da árvore de comando para as válvulas.
Reparar ou substituir.

Verificar quanto a folga de válvulas insuficiente entre a


171 Válvulas emperradas válvula e guia de válvula, falta de lubrificação da árvore
de comando para as válvulas. Reparar ou substituir.
Verificar quanto a superaquecimento do motor. Verificar
172 Vazamento na junta do cabeçote empenamento do cabeçote e / ou bloco, protrusão
incorreta (com a camisa). Reparar ou substituir.
Verificar e corrigir a folga de válvulas conforme as
173 Folga de válvulas fora da especificação instruções do manual. Substituir o componente somente
no caso de encontrar danos.
Verificar a folga entre a haste e guia de válvula. Verificar
174 Hastes e guias de válvula desgastadas a lubrificação da árvore de comando para as válvulas.
Reparar ou substituir.
18-10

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
DIAGNÓSTICO DE FALHAS

Tabela de Sintomas (Continuação) 1

Nº Causa Provável O que fazer


2

175 Molas de válvula quebradas Verificar, reparar ou substituir.


3
Vazamentos externos (juntas, retentores,
176 Verificar, reparar ou substituir.
etc.)
Verificar se foram causados por superaquecimento ou
177 Balancins quebrados 4
montagem incorreta.

178 Vazamento na guia de retentores de válvula Verificar, reparar ou substituir.


5
Verificar quanto a substituição do retentor em reparos
179 Guia de retentores de válvula frouxa anteriores. Substituir usando as ferramentas especiais
adequadas. Reparar ou substituir. 6
Verificar a sincronização da árvore de comando e ár-
vore de manivelas seguindo o procedimento do manual
191 Sincronização de engrenagens incorreta
de serviços e usando as ferramentas especiais recomen- 7
dadas. Corrigir a sincronização.
Verificar o desalinhamento entre volante do motor e
Volante do motor ou carcaça do volante do 8
192 carcaça do volante do motor seguindo o procedimento do
motor desalinhados
manual de serviços. Reparar ou substituir
Verificar a capacidade volumétrica da polia e amortecedor.
193 Amortecedor de vibração defeituoso 9
Substituir o componente.

194 Engrenagens defeituosas Verificar, reparar ou substituir.


10
195 Roda de pulsos frouxa Verificar, reparar ou substituir.

Verificar quanto a desgaste excessivo nos dentes de 11


Folga entre engrenagens excessiva nas engrenagem ou buchas. Substituir os componentes des-
196
engrenagens de sincronização gastados ou danificados. Fazer a montagem e verificar a
folga entre engrenagens conforme o manual de serviços. 12

Verificar se o cabeçote foi usinado anteriormente causando


contato excessivo entre os dentes da engrenagem inter-
mediária e engrenagem motora da árvore de comando. 13
Folga entre engrenagens insuficiente entre
Substituir os componentes afetados. Verificar quanto a
197 engrenagem da árvore de comando e en-
desgaste excessivo de dentes de engrenagem ou buchas.
grenagem intermediária
Substituir os componentes desgastados ou danificados. 14
Fazer a montagem e verificar a folga entre engrenagens
conforme o manual de serviços.
Verificar quanto a desgaste excessivo de dentes de engre- 15
Folga entre engrenagens insuficiente nas nagem ou buchas. Substituir os componentes desgastados
198
engrenagens de sincronização ou danificados. Fazer a montagem e verificar a folga entre
engrenagens conforme o manual de serviços. 16

Folga incorreta entre o sensor CKP e a roda Verificar a folga usando um calibrador de lâminas. Seguir
199
de pulsos as especificações e procedimentos do manual de serviços. 17

18-11

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

NOTAS

18-12

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

A-1
APêndice A

Bloco do Motor.......................................................................................................................................... A-3 B


Grade Estrutural (Ladder Frame).............................................................................................................. A-4

Biela........................................................................................................................................................... A-6

Árvore de Comando.................................................................................................................................. A-7

Carcaça das Engrenagens........................................................................................................................ A-8

Engrenagem Intermediária........................................................................................................................ A-9

Bomba de Óleo........................................................................................................................................ A-10

Bomba de Água....................................................................................................................................... A-11

Tampa Frontal.......................................................................................................................................... A-12

Tubo de Saída de Água........................................................................................................................... A-13

Motor de Partida...................................................................................................................................... A-14

Unidade de Controle Eletrônico............................................................................................................... A-15

Chicote Elétrico....................................................................................................................................... A-18

Turboalimentação.................................................................................................................................... A-24

Suporte do Alternador............................................................................................................................. A-25

Filtro de Combustível............................................................................................................................... A-26

Bomba de Alta Pressão........................................................................................................................... A-27

Tubo de Alta Pressão.............................................................................................................................. A-28

Coletor de Admissão............................................................................................................................... A-35

Cotovelo de Admissão............................................................................................................................. A-36

Coletor de Escapamento......................................................................................................................... A-37

Cotovelo de Escapamento...................................................................................................................... A-39

Respiro do Motor..................................................................................................................................... A-40

Compressor............................................................................................................................................. A-42

Cárter...................................................................................................................................................... A-44

Volante do Motor..................................................................................................................................... A-45

Polia da Árvore de Manivelas.................................................................................................................. A-46

Suporte do Motor – Suporte Dianteiro.................................................................................................... A-47

Suporte do Motor – Suporte Traseiro...................................................................................................... A-48

Carcaça do Volante do Motor.................................................................................................................. A-49

Abastecimento de Água.......................................................................................................................... A-50

Cabeçote do Filtro de Óleo Lubrificante e Resfriador de Óleo................................................................ A-51

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-2

Cabeçote................................................................................................................................................. A-52

Cabeçote – Com Freio de Escapamento................................................................................................ A-53

Cabeçote – Sem Freio de Escapamento................................................................................................. A-55

Chicote Elétrico de Fiação do Bico Injetor e Tampa de Válvulas (um Cabeçote).................................... A-57

Tampa de Válvulas.................................................................................................................................. A-58

Sensores................................................................................................................................................. A-59

Tabela de Torque Padrão Quanto a Parafusos de Aço Normais (Conforme DIN 2230).......................... A-61

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Bloco do Motor A-3

Parafuso, tampa do mancal

1. Parafuso Oco M8x1,0


2. Conjunto Tubo do Injetor de Arrefecimento do Pistão
3. Bujão de Drenagem de Água

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-4 Grade Estrutural (Ladder Frame)

Parafuso M8 – Estratégia de Aperto em Campo


1º Instalar os dois parafusos, sem apertá-los.

2º Aplicar torque de 15 ± 2 N.m em ambos os parafusos.

3º Confirmar o torque de 15 ± 2 N.m para ambos os parafusos.

4º Aplicar 45 ± 4 em ambos os parafusos.


Janela de Controle: 38 N.m a 65 N.m.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Grade Estrutural (Ladder Frame) (Continuação) A-5

Parafuso M12 - Estratégia de Aperto em Campo:

1º Instalar todos os parafusos, sem apertá-los.

2º Aplicar torque de 50 ± 5 N.m em todos os parafusos de acordo com a sequência indicada na figura.

3º Confirmar o torque de 50 ± 5 N.m para todos os parafusos de acordo com a sequência indicada na figura.

4º Aplicar 30° ± 3° em todos os parafusos de acordo com a sequência indicada na figura.


Janela de Controle: 86 N.m a 154 N.m.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-6 Biela

Parafuso M12x58 - 10.9


Torque:
1o: - 30 ± 5 N.m
2o: - 47° ± 2°
Janela de torque: 87 a 147 N.m

1. Conjunto do Pistão, Anéis de Pistão e Biela


2. Bronzina Inferior da Biela
3. Bronzina Superior da Biela

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Árvore de Comando A-7

Cárter

Sequência de aperto

Janela de torque 38 a 68 N.m

1. Árvore de Comando
2. Abraçadeira da Árvore de Comando
3. Parafuso-flange Sextavado M8x16 - 8.8
4. Roda de Pulsos / Sensor de Fase
5. Pino Elástico
6. Engrenagem da Árvore de Comando
7. Parafuso M6x12 - 8.8 Din 6921
8. Engrenagem da Árvore de Comando
9. Parafuso-flange Sextavado M8x30 - 10.9 Din 6921

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-8 Carcaça das Engrenagens

1. Carcaça das Engrenagens de Sincronização


2. Parafuso-flange Sextavado M8x50 - 10.9
3. Parafuso-flange Sextavado M8x20 - 10.9
4. Tubo de Conexão da Válvula Termostática
5. Bujão Din 906
6. Bujão
7. Arruela de Vedaçãor
8. Tubo de Lubrificação do Bloco do Motor – Carcaça de Sincronização
9. Parafuso Oco M8x1,0 Din 673

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Engrenagem Intermediária A-9

1. Rolamento da Engrenagem Intermediária


2. Conjunto da Engrenagem Intermediária
3. Anel de Encosto de Ajuste dos Rolamentos
4. Anel de Encosto de Ajuste dos Rolamentos (Opcional)
5. Anel de Encosto de Ajuste dos Rolamentos (Opcional)
6. Retentor dos Rolamentos Intermediários
7. Parafuso-flange Sextavado M10x70 - 11,9

Notas: As faces de contato das peças devem ser oleadas com óleo lubrificante.
Montagem do anel conforme a Folga Axial.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-10 Bomba de Óleo

1. O-ring
2. Bomba de Óleo Lubrificante
3. Parafuso-flange Sextavado M8x20 - 10.9 Din 6921
4. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Bomba de Água A-11

1. O-ring
2. Conjunto da Bomba de Água
3. Parafuso-flange Sextavado M8x20 - 10.9 Din 6921
4. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-12 Tampa Frontal

Estratégia de Aperto:

1º Aplicar 18 ± 2 N.m em todos os parafusos;


2º Soltar por 60°;
3º Aplicar 15 ± 2 N.m;
4º Aplicar 30° ± 3;
Janela de Torque: 18 Nm a 43 Nm.

Observação: Os estágios 2, 3 e 4 devem ser apertados parafuso por parafuso, mantendo os outros apertados.

1. Tampa da Carcaça das Engrenagens de Sincronização


2. Retentor de Óleo Dianteiro da Árvore de Manivelas
3. Parafuso-flange Sextavado M8x55 - 10.9 EMD1 1262
4. Parafuso-Flange Sextavado M8x16 - 8.8
5. Trava Química Loctite TR 314 E1 (0,250g)
6. Trava Química Loctite 640
7 Ativador Rápido N 7649
8. Selante de Silicone Loctite 5900

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Tubo de Saída de Água A-13

1. Parafuso-flange Sextavado M8x55 - 11,9


2. Saída de Líquido de Arrefecimento
3. O-ring
4. Arruela de Vedação
5. Bujão M8x1,5 - A
6. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-14 Motor de Partida

1. Motor de Partida
2. Defletor do Motor de Partida
3. Suporte do Defletor do Motor de Partida
4. Parafuso-flange Sextavado M10x35 Din 6921 - 8.8
5. Parafuso-Flange Sextavado M6x12 Din 6921 - 8.8
6. Trava Química Loctite 601
7. Suporte do Defletor do Motor de Partida (Inferior)
8. Suporte do Defletor do Motor de Partida (Superior)
9. Parafuso-flange Sextavado M6x20 Din 6921 - 8.8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Unidade de Controle Eletrônico A-15

1. Unidade de Controle Eletrônico do Resfriador


2. O-ring
3. Módulo da Unidade de Controle Eletrônico (ECU)
4. Parafuso-flange Sextavado M6x30 - 8.8
5. Prisioneiro M6x30
6. Porca Sextavada M6
7. Suporte do Tubo de Respiro
8. Arruela de Vedação
9. Conexão do Resfriador da ECU
10. Tampa Protetora do Conector da ECU

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-16 Unidade de Controle Eletrônico (Continuação)

1. Suporte da Unidade de Controle do Motor


2. Parafuso-flange Sextavado M8x16 - 8.8
3. Isolador 60 Shore A

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Unidade de Controle Eletrônico (Continuação) A-17

1. Porca Sextavada X8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-18 Chicote Elétrico

Conector do Sensor de Conector do Sensor Conector do Sensor de Pressão e


Temperatura do Líquido de Fase Temperatura do Ar
de Arrefecimento

Conector da ECU

Conector do Sensor de
Temperatura do Óleo

1. Chicote Elétrico de Fiação do Motor

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Chicote Elétrico (Continuação) A-19

Conector do Sensor de
Pressão do Rail

Conector do Sensor
de Velocidade

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-20 Chicote Elétrico (Continuação)

Unidade do Coletor de Admissão


Unidade de Sensores

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Chicote Elétrico (Continuação) A-21

B
Conector do Sensor
de Pressão de Óleo

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-22 Chicote Elétrico (Continuação)

Unidade 09A002PR

Montagem Somente na
Planta do Cliente

Unidade, Tampa e Caixa de Distribuição

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Chicote Elétrico (Continuação) A-23

1. Suporte do Chicote Elétrico de Fiação


2. Suporte do Chicote Elétrico de Fiação
3. Suporte do Chicote Elétrico de Fiação
4. Parafuso-flange Sextavado M6x12 - 8.8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-24 Turboalimentação

1. Turboalimentador
2. Porca Stover M10
3. Suporte do Turboalimentador
4. Parafuso-flange Sextavado Alta Temperatura M8x20
5. Turboalimentador / Coletor de Escapamento

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Suporte do Alternador A-25

1. Parafuso-flange Sextavado M10x40 – 8.8 DIN 6921


2. Suporte do Alternador (Inferior)
3. Pino-guia
4. Suporte do Tensor da Correia
5. Parafuso-flange Sextavado M8x35 – 8.8 DIN 6921
6. Parafuso-flange Sextavado M10x50 – 8.8 DIN 6921
7. Suporte do Alternador (Superior)
8. Parafuso-flange Sextavado M8x25 – 8.8 DIN 6921

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-26 Filtro de Combustível

1. Filtro de Combustível
2. Arruela de Vedação
3. Conexão
4. Parafuso-flange Sextavado Organo M10x35 – 8.8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Bomba de Alta Pressão A-27

1. Rail de Combustível de Alta Pressão


2. Parafuso-flange Sextavado Organo M8x60
3. Espaçador

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-28 Tubo de Alta Pressão

1. Rail de Combustível de Alta Pressão


2. Parafuso-flange Sextavado Organo M8x20

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Tubo de Alta Pressão (Continuação) A-29

B
Cilindros 5 e 6

Cilindros 3 e 4

Cilindros 1 e 2

1. Conjunto do Tubo de Combustível de Alta Pressão


2. Conjunto do Tubo de Combustível de Alta Pressão
3. Conjunto do Tubo de Combustível de Alta Pressão

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-30 Tubo de Alta Pressão (Continuação)

1. Conjunto do Tubo de Combustível de Alta Pressão

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Tubo de Alta Pressão (Continuação) A-31

B
Subseção, Carcaça das Engrenagens de Sincronização e Tampa Dianteira

1. Bomba de Combustível de Alta Pressão


2. Parafuso-flange Sextavado Organo M10x40
3. Flange Adaptadora (Bomba de Alta Pressão)
4. Vedação
5. Engrenagem da Bomba Injetora de Combustível
6. Porca-flange Sextavada Especial
7. Parafuso-flange Sextavado Organo M10x30
8. Trava Química

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-32 Tubo de Alta Pressão (Continuação)

1. Conjunto do Tubo de Retorno de Combustível


2. Abraçadeira
3. Abraçadeira Insulok
4. Chicote Elétrico de Fiação
5. Parafuso-flange Sextavado Organo M8x12 8.8
6. Abraçadeira

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Tubo de Alta Pressão (Continuação) A-33

1. Conjunto do Tubo de Bomba de Alta Pressão para Filtro de Combustível


2. Conjunto do Tubo de Filtro de Combustível para Bomba de Alta Pressão
3. Conjunto do Tubo de Entrada de Combustível para Resfriador da ECU

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-34 Tubo de Alta Pressão (Continuação)

1. Conexão de Retorno de Combustível


2. Arruela de Vedação
3. Suporte dos Tubos de Entrada e Retorno de Combustível
4. Parafuso-flange Sextavado Organo M8x16 8.8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Coletor de Admissão A-35

1. Junta do Coletor de Admissão


2. Conjunto do Coletor de Admissão
3. Parafuso-flange Sextavado DIN 6921 M8x80
4. Parafuso-flange Sextavado DIN 6921 M8x35

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-36 Cotovelo de Admissão

1. Junta do Cotovelo de Admissão de Ar


2. Cotovelo de Admissão de Ar
3. Parafuso-flange Sextavado DIN 6921 M8x30 8.8
4. Arruela de Vedação
5. Bujão Roscado M22 DIN 7604

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Coletor de Escapamento A-37

1. Prisioneiro M10x25 - 10.9


2. Porca Stover M10x25 – 10.9
3. Arruela Lisa
4. Conjunto Coletor de Escapamento
5. Junta do Coletor de Escapamento
6. Prisioneiro M10x45 - 10.9

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-38 Coletor de Escapamento (Continuação)

1. Blindagem Térmica do Coletor de Escapamento


2. Blindagem Térmica do Coletor de Escapamento
3. Arruela Lisa
4. Parafuso-flange Sextavado para Alta Temperatura

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Cotovelo de Escapamento A-39

1. Prisioneiro
2. Conjunto do Cotovelo do Coletor de Escapamento Integrado
3. Porca Stover M8
4. Blindagem Térmica do Coletor de Escapamento
5. Arruela Lisa
6. Parafuso-flange Sextavado para Alta Temperatura

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-40 Respiro do Motor

1. Conjunto Separador de Óleo Lubrificante


2. Abraçadeira Elástica DN27 - DIN 3021
3. Parafuso M8x30 8.8 DIN 6921
4. Mangueira do Tubo de Respiro
5. Abraçadeira Insulok
6. Abraçadeira da Mangueira de Respiro
7. Parafuso M8x16 8.8 DIN 6921
8. Abraçadeira Elástica DN17 - DIN 3021
9. Mangueira do Tubo de Respiro
10. Tubo de Retorno de Lubrificação do Respiro do Motor
11. Parafuso Oco M14x1,5 – DIN 7673
12. Arruela de Vedação

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Respiro do Motor (Continuação) A-41

1. Arruela de Vedação
2. Tubo de Retorno de Lubrificação do Respiro do Motor
3. Parafuso-flange Sextavado M6x16 8.8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-42 Compressor

1. Arruela de Vedação
2. Parafuso Oco
3. Terminal de União
4. Abraçadeira Elástica
5. Mangueira de Entrada do Compressor de Ar
6. Suporte do Compressor de Ar
7. Parafuso-flange Sextavado M8x20 8.8

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Compressor (Continuação) A-43

- Aplicar pré-torque 40 N.m


- Aplicar torque 225 ± 25 N.m
- Desaperte a porca 720°
- Aplicar torque 225 ± 25 N.m

1. Freio do Compressor de Ar
2. Engrenagem do Compressor de Ar
3. Arruela de Vedação
4. Parafuso Oco
5. Abraçadeira Elástica
6. Tubo de Retorno de Água do Compressor
7. Mangueira do Tubo de Saída de Água do Compressor

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-44 Cárter

Sequência de aperto

1. Conjunto do Cárter de Óleo Lubrificante


2. Junta do Cárter
3. Parafuso Sextavado DIN 6921:1983 M8x25 – 8.8
4. Tubo de Sucção de Óleo Lubrificante
5. O-ring

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Volante do Motor A-45

1 - Aplicar pré-torque de assentamento de 200 + 20 N.m, conforme sequência


de aperto.
2 - Soltar o primeiro parafuso e aplicar pré-torque de 40+5 N.m.
3 - Aplicar no mesmo parafuso aperto angular de 55 + 3 graus.
4 - Repetir os passos 2 e 3 para os demais parafusos, conforme sequência de aperto.
5 - Janela de torque: 252 – 460 N.m

1. Conjunto do Volante do Motor


2. Parafuso de Cabeça Cilíndrica DIN 912:1983 M16x40 – 10.9

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-46 Polia da Árvore de Manivelas

Sequência de aperto

1º Pré-torque: 25±3 N.m


2º Ângulo de 55° + 5°
Janela de torque: 31 a 71 N.m

1 - Aplicar pré-torque de assentamento: 190 + 20N.m (conforme sequência de aperto);


2 - Soltar o primeiro parafuso e aplicar pré-torque: 40+5N.m;
3 - Aplicar no mesmo parafuso aperto angular de 60°+3°;
4 - Repetir os passos 2 e 3 para os demais parafusos (conforme sequência de aperto).
5 - Janela de torque: 231 – 476N.m

1. Parafuso de Cabeça Cilíndrica DIN 912:1983 M16x65 – 10.9


2. Polia da Árvore de Manivelas
3. Amortecedor de Vibrações Torcionais
4. Anel do Amortecedor de Vibrações
5. Parafuso-flange Sextavado DIN 6921:1983 M8x25 – 10.9 – Oleado
6. Arruela de Proteção (Aço) 94x60x0,45
7. Bucha Dianteira da Árvore de Manivelas
8. O-ring 59,09x1,75

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Suporte do Motor – Suporte Dianteiro A-47

Sequência de aperto

1. Suporte Lateral Traseiro do Motor (Lado Direito)


2. Suporte Lateral Traseiro do Motor (Lado Esquerdo)
3. Parafuso-flange Sextavado M12x35

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-48 Suporte do Motor – Suporte Traseiro

Sequência Sequência
de aperto de aperto

Sequência Sequência
de aperto de aperto

1. Suporte Lateral Traseiro do Motor (Lado Direito)


2. Suporte Lateral Traseiro do Motor (Lado Esquerdo)
3. Parafuso-flange Sextavado M12x65

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Carcaça do Volante do Motor A-49

Sequência de aperto

1. Retentor de Óleo Traseiro da Árvore de Manivelas


2. Parafuso-flange Sextavado Durlok M12x30
3. Carcaça do Volante do Motor
4. Tampa Protetora
5. Tampa de Inspeção da Carcaça do Volante do Motor
6. Junta Líquida
7. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-50 Abastecimento de Água

Seção A–A

Nota: Montar o item 2 com graxa à base de silicone DC 111 na área indicada.

1. Conexão de Entrada de Água


2. O-ring
3. Parafuso-flange Sextavado M8x70 – 8.8 Organometálico
4. Bujão M16x1,5x12
5. Arruela de Vedação
6. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Cabeçote do Filtro de Óleo Lubrificante e Resfriador de Óleo A-51

1. Junta do Resfriador de Óleo para Carcaça do Motor


2. Prisioneiro M8x30 – 10.9 DIN 939
3. Conjunto Resriador de Óleo Lubrificante 5 / 6 ou 7 Placas
4. Espaçador do Tubo de Entrada De Lubrificação do Turbo
5. Parafuso-flange Sextavado M8x45 – 8.8 DIN 6921
6. Parafuso-flange Sextavado M8x30 – 8.8 DIN 6921
7. Espaçador do Tubo do Filtro de Combustível
8. Parafuso-flange Sextavado M8x65 – 8.8 DIN 6921

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-52 Cabeçote

Conjunto do Cabeçote

Pino Guia

Carcaça do Motor

**Veja Notas

Sequência de Aperto

Descartar parafusos acima de L > 157,7 mm

1. Parafuso Dodecagonal com Espiga do Cabeçote 8. Parafuso Oco M12x1,5x24


2. Parafuso Dodecagonal do Cabeçote 9. Arruela de Vedação 10x16x1
3. Parafuso Cilíndrico 10. Conjunto do Tubo de Lubrificação do Trem de
4. Conjunto do Tubo de Lubrificação do Mancal dos Válvulas
Balancins 11. Parafuso Oco M10x1x19
5. O-ring 12. Arruela de Vedação
6. Conjunto do Cabeçote 13. Conjunto do Tubo de Lubrificação do Trem de
7. Junta do Cabeçote 1,2 mm (Opcional) Válvulas
Junta do Cabeçote 1,3 mm (Opcional) 14. Parafuso-flange Sextavado M8x12 – 8.8
Junta do Cabeçote 1,4 mm 15. Parafuso Oco M10x1x23

A - Por meio de parafusadeira múltipla com B - Por meio de torquímetro manual


sistema de torque/ângulo
Item Steps Qt.
Item Etapas Qt. Apertar - Torque +60 ± 3 N.m
Apertar - Torque +60 ± 3 N.m Aperto
Apertar - Torque +120° ± 10° N.m
Aperto Inicial
Apertar - Torque +120° + 5° N.m Soltar - Ângulo -90° + 10°
Inicial
Soltar - Ângulo -140° + 5° Apertar - Torque +110 + 10 N.m
Aperto
Apertar - Torque +100 ± 5 N.m Final Apertar - Ângulo +120° + 10°
Aperto Apertar - Torque -45 + 5° Janela de Torque 170 a 272 N.m
Final Soltar - Ângulo +120 ± 5 N.m
Apertar - Ângulo +120 +5°
Janela de Torque 170 a 272 N.m

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Cabeçote – Com Freio de Escapamento A-53

Janela de torque 30 a 55 Nm

1. Conjunto do Balancim Intermediário 8. O-ring DI 6x2


2. Parafuso de Ajuste da Folga de Válvulas 9. Parafuso Dodecagonal do Eixo dos Balancins
3. Porca M8 Especial 10. Conjunto do Suporte da Articulação do Freio-
motor
4. Balancim de Admissão
11. Parafuso-soquete de Cabeça Hexalobular
5. O-ring DI 17,17x1,78
M8x65 – 10.9
6. Eixo dos Balancins
12. Conjunto do Balancim de Escapamento (Freio-
7. Bujão motor)

Válvula Folga a (Motor frio)


Admissão 0,2 a 0,4
Escapamento 0,2 a 0,4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-54 Cabeçote – Com Freio de Escapamento (Continuação)

1. Tampa da Haste da Válvula 1,5 mm 5. Mola da Válvula


Tampa da Haste da Válvula 1,4 mm Opcional 6. Arruela da Mola
Tampa da Haste da Válvula 1,6 mm Opcional
7. Válvula de Admissão
2. Chaveta da Haste da Válvula
8. Válvula de Escapamento
3. Retentor da Mola
4. Haste da Válvula

Altura
Válvula de Escapamento 1,5 ± 0,05
Válvula de Admissão 0,95 ± 0,05

– As faces de contato das peças devem ser oleadas com óleo lubrificante.
– Procedimento para seleção de tampas de válvula conforme 7ES02807.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Cabeçote – Sem Freio de Escapamento A-55

1. Conjunto do Balancim Intermediário


2. Parafuso de Ajuste da Folga de Válvulas
3. Porca M8 Especial
4. Balancim de Admissão
5. O-Ring DI 17,17x1,78
6. Eixo dos Balancins
7. Bujão
8. O-ring DI 6x2
9. Parafuso Dodecagonal do Eixo dos Balancins
10. Balancim de Escapamento

Válvula Folga a (Motor a Frio)


Admissão 0,2 a 0,4
Escapamento 0,2 a 0,4

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-56 Cabeçote – Sem Freio de Escapamento (Continuação)

1. Válvula de Admissão
2. Válvula de Escapamento
3. Arruela da Mola de Escapamento
4. Retentor de Óleo da Haste da Válvula
5. Molas das Válvulas
6. Chaveta da Haste da Válvula
7. Retentor da Mola - Válvula de Escapamento
8. Tampa da Haste da Válvula 1,5 mm
Tampa da Haste da Válvula 1,4 mm Opcional
Tampa da Haste da Válvula 1,6 mm Opcional

Válvula Altura da Válvula Standard B YS


Altura da Válvula Produção B
Admissão 1,45 a 1,55 1,35 a 1,65
Escapamento 0,9 a 1,0 0,8 a 1,1

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Chicote Elétrico de Fiação do Bico Injetor e Tampa de Válvulas (um Cabeçote) A-57

1. Porca do Conector de Combustível de Alta Pressão


2. Conexão de Combustível de Alta Pressão
3. Injetor de Combustível
4. Vedação 1
5. Abraçadeira do Injetor de Combustível
6. Ponte de Fixação do Injetor de Combustível
7. Chicote Elétrico de Fiação do Injetor de Combustível
8. Parafuso-flange Sextavado – Orgânico M6x12 8.8
9. Parafuso da Abraçadeira do Injetor de Combustível
10. Parafuso Sextavado Interno M6x30 8.8
11. O-ring
12. Tampa Do Injetor de Combustível

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-58 Tampa de Válvulas

1. Parafuso-flange Sextavado M6x60 – 10.9


2. O-ring
3. Tampa de Válvulas
4. Junta da Tampa de Válvulas
5. Graxa à Base de Silicone DC 111

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Sensores A-59

1. Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento e Óleo


2. Sensor de Pressão de Óleo
3. Arruela de Vedação
4. Sensor de Pressão e Temperatura do Ar
5. Parafuso Sextavado Interno M6x16 – 8.8
6. O-ring
7. Espaçador do Sensor de Fase
8. Sensor de Fase
9. Parafuso Sextavado Interno M6x20 – 8.8
10. Abraçadeira Insulok

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-60 Sensores (Continuação)

Subseção, Carcaça do
Volante do Motor SAE 1
(Flyw Housing)

1. Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento e Óleo


2. Parafuso Sextavado Interno M6x16 – 8.8
3. Abraçadeira Insulok
4. Sensor de Velocidade

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE A

Tabela de Torque Padrão Quanto a Parafusos de Aço Normais (Conforme DIN 2230) A-61

Categoria de Parafuso (Nm)


Nominal Tamanho B
8.8 10.9 12.9
M5 6±1 9±1 10 ± 1.5
M6 10 ± 1,5 15 ± 2 18 ± 3
M8 25 ± 4 37 ± 6 43 ± 7
M10 50 ± 8 73 ± 11 84 ± 13
M12 86 ± 13 124 ± 19 145 ± 22
M14 135 ± 20 198 ± 30 231± 35
M16 207 ± 31 304 ± 46 325 ± 49
M18 298 ± 45 424 ± 64 497 ± 75
M20 418 ± 63 595 ± 89 696 ± 104
M22 569 ± 85 810 ± 122 948 ± 142

Nota: Esta tabela é aplicada somente quando o torque não é referido no manual de serviços. Para todas as
outras condições usar os torques especiais fornecidos pelos procedimentos relacionados.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

A-62 NOTAS

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V
APÊNDICE B

A
Ferramentas Especiais

CÓDIGO MWM TIPO DA FERRAMENTA COMPONENTE IMAGEM B-1

9.610.0.690.011.6 Adaptador Suporte do Motor

Dispositivo de Medição do “Cabeçote - Camisa


9.610.0.690.025.4
Relógio Comparador do Cilindro”

9.610.0.690.024.6 Instalador Camisa do Cilindro

9.610.0.690.020.6 Instalador Retentor de Óleo Traseiro

9.610.0.690.017.6 Extrator Camisa do Cilindro

Retentor de Óleo
9.610.0.690.019.6 Instalador
Dianteiro

Adaptador do Relógio Medição de Altura


9.610.0.690.062.4
Comparador do Pistão

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Manual de Oficina
MaxxForce 4.8H / 7.2H – Euro V

CÓDIGO MWM TIPO DA FERRAMENTA COMPONENTE IMAGEM

B-2
9.407.8.690.030.4 Pinos-guia Cabeçote

“Martelo de impacto e “Injetor de combustível


D7002295C1
adaptador“ com adaptador”

D7000600C1 Dispositivo de trava Volante do motor

Extrator/Compressor
D7002297C1 Mola da válvula
de mola

D7002299C1 Instalador Retentor da válvula

Retentores das válvulas


D7002298C1 Extrator de escapamento e de
admissão

D7001689C1 Fixador Camisa do cilindro

Observação: As ilustrações podem diferir das ferramentas reais.

Publicação Nº 9.72H.0.060.100.1 – 01/12


Produced by:
ASC Comunicação Técnica
www.asccomunicacao.com.br
BR 116 km 145 nº 15.104
Caxias do Sul - RS - Brasil
95059-520 +55 (54) 3238.8000
www.agrale.com.br