You are on page 1of 11

www.revistaartereal.com.

br
ABIM 005 JV Ano IX - Nº 72 - Abr/16
Editorial
C
omo de praxe, selecionamos, criteriosamente, formada por filhos de colonizadores, que voltavam
matérias que visam o enriquecimento cultural da Europa, após a conclusão de seus estudos, e que
de todos que nos prestigiam a cada edição. haviam se contaminado pelo movimento libertário do
Nesta, por exemplo, destacamos a matéria de nossa Iluminismo, sendo, na ocasião, iniciados em Lojas
lavra, intitulada “De Promissoras Sementes a Frutos Maçônicas em Portugal e na França, e, quando de
em Excelência”, quando apresentamos algumas Lojas seu retorno ao Brasil Colônia, aproveitaram-se do
maçônicas que foram fundadas, especificamente, por movimento academicista existente, já que na época,
grupos de Irmãos Maçons, em sua enorme maioria, de ainda, não existia Maçonaria no Brasil, a fim de
ex-DeMolays. Na oportunidade, através de pesquisas, arquitetarem, no seio das Academias, os planos de
tivemos a informação de, apenas, algumas lojas, libertação da colônia da Coroa Portuguesa, o que foi
porém, acreditamos que tal iniciativa não se limita, levado a efeito no início do século seguinte.
apenas, às Lojas citadas. Estaremos receptivos à
informação de outras Lojas assim fundadas. A Revista Arte Real vem cumprindo seu
altruístico papel de incentivadora da prática da cultura
Diante da convulsão por que passa a no seio da Maçonaria. Chaga-nos, a todo momento,
humanidade atual, com a total inversão de valores, mensagens de nossos leitores, informando-nos do
falência de instituições, exacerbado materialismo e aproveitamento, em Loja, de matérias publicadas,
profunda falta de espiritualidade, vimos como oportuna no Quarto de Hora de Estudos, gerando debates
a publicação da matéria “Novos Rumos”, de autoria muito produtivos, pesquisas e servindo como fontes
do Professor Henrique José de Souza, que em muito para confecção de Peças de Arquitetura, o que
deverá elucidar nossos leitores. nos deixa muito lisonjeados, porém aumentando,
consideravelmente, nossas responsabilidades para
A fim de estimular a pesquisa e o estudo, com as edições futuras.
quanto ao surgimento da Ordem Maçônica em terras
brasileiras, achamos por bem publicar a matéria Nosso trabalho é o de tratar a cultura
do escritor Fábio Mendonça Pedrosa, que retrata o maçônica com a seriedade que merece!
surgimento do movimento academicista brasileiro,
formado pelos eruditos da época, em sua totalidade, Boa leitura para todos!

Exemplares da Edição Impressa


Para os leitores que não tiveram a
oportunidade de assinar a edição
impressa, ou que desejarem
completar sua coleção, estamos
disponibilizando exemplares
avulsos das 22 edições publicadas.
solicite através do e-mail
Apenas, R$ 13,00/exemplar
redacao@revistaartereal.com.br
frete incluso
para todo o Brasil

A Revista Arte Real é um periódico maçônico virtual, fundado em 24 de fevereiro de 2007, de periodicidade
mensal, distribuído, gratuitamente, pela Internet, atualmente, para 33.154 e-mails de leitores cadastrados,
no Brasil e no exterior, com registro na ABIM - Associação Brasileira de Imprensa Maçônica, sob o nº 005
JV, tendo como Editor Responsável o Irmão Francisco Feitosa da Fonseca, 33º - Jornalista MTb 19038/MG.
www.revistaartereal.com.br - redacao@revistaartereal.com.br - Facebook RevistaArteReal -  (35) 99198-7175 Whats App.
Novos Rumos
“O processo de evolução é longo. O estudante de
ocultismo não deve sentir urgência na sua própria salvação.
Pense ele no dever que assumiu perante a Lei, em ser
digno dela. O resto virá com ou sem urgência, mas virá”.

Henrique José de Souza

J
á tivemos ocasião de dizer: Desgraçado daquele Do mesmo modo, quando tal Ser refere-se ao atual
que ousar parar no meio do Caminho para olhar o estado da Humanidade: “A cada passo nos acotovelamos nas
que ficou atrás! Não nos detenhamos a mirar com ruas das cidades com seres não mais possuidores de alma”.
perigosa curiosidade o que deixamos na retaguarda. Um
Como já dissemos, “O Universo evolui
incêndio imenso o devora. Se não prosseguirmos seremos
perpetuamente e, em espiral ascendente, a Humanidade
consumidos por suas chamas. Não pensemos, pois, no
inteira. E se, nessa espiral ascendente procurarmos o
fogo que deixamos para lá, mui distante de onde nos
nosso aperfeiçoamento, as emoções e os pensamentos
encontramos! Mas, no vulcão que a tudo vitaliza, o Fogo
brilharão em toda vivíssima luz do Supremo Bem. Nada
do Espírito Criador, ou seja, o mesmo que há perto de mil
pode reter a evolução, e quem não a seguir, será vítima de
anos, já profetizava Gioacchino da Fiore (abade calabrês –
sua desgraçada incompreensão”.
1130-1202), de quem nos fala Dante, que “passou o reino
do Pai; está passando o do Filho e próximo, acha-se o do Os tempos esperados já chegaram! Aproxima-se
Espírito Santo”. Com efeito, reinou o Pai durante o apogeu o reino do Templo do Deus sem Nome e sem Culto, que é
do hinduísmo; o Filho, durante o verdadeiro cristianismo e, o da Teosofia, por ser a verdadeira Arca de Salvação da
hoje, está germinando uma nova civilização, que nos há de qual se serviram todos os Eons ou Noés, para defender
conduzir ao Reino do Espírito Santo, cuja energia criadora, cuja os eleitos contra as águas destruidoras (ou mortais) da
inspiração... há de transformar, fatalmente, a face do mundo. ignorância humana, e, em cujo bordo, ainda, hoje, podem-
O momento atual da Humanidade é bem se ocultar, todos os homens de boa vontade , isto é, livres
semelhante ao que está consubstanciado nas de preconceitos, isentos de ideias separatistas, mas, em ânsias
incomparáveis palavras de um Ser elevado, a quem o vulgo de um ideal da mais pura espiritualidade, ou o único que pode
prefere chamar de Kut-Humi: “Aqui, os egos retardatários abastecer a sua mente e o seu coração com a Sabedoria e o
perecem aos milhões. É o momento solene em que os Amor, que são dons naturais de todos os homens!
mais aptos sobrevivem e os inaptos são aniquilados.
Quanto aos demais ideais hoje existentes (referimo-
Somente, a matéria (o homem material) é obrigada, por
nos aos não espiritualistas) são oriundos dessa mesma
seu próprio peso, a descer até as profundezas do círculo
confusão estabelecida no fim de um ciclo apodrecido e
de necessidade e de tomar aí uma forma animal. Quanto
gasto, para não dizer, formas ridículas do maior de todos os
ao vencedor desta trajetória, através dos mundos, o ego
Ideais, que é o da Fraternidade Humana, por isso mesmo,
espiritual subirá de estrela em estrela, de mundo em
sem distinção de raça, crença, sexo, casta ou cor!
mundo, encontrando em sua progressão circular, sua antiga
condição de Espírito Planetário Puro, porquanto, elevando- Não faltam, no entanto, pessoas que hajam
se mais alto ainda, atingirá, finalmente, seu ponto de partida perdido por completo toda e qualquer ideia de salvação!
e daí imergir-se-á no Mistério. Nenhum Adepto jamais penetrou E, justamente, por possuírem a mente nublada por esse
além do véu da matéria cósmica primitiva. A mais perfeita visão turbilhão de coisas desconexas, confusas, absurdas e
superior é limitada ao Universo da Forma e da Matéria”. repletas de maldade que se manifestam, hoje, na terra,
Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 03
tenham pensado naquela famosa frase de Enéas (Virgílio, O nosso maior desejo é que, todos quantos tiveram
Eneida, II. 354): “Una salus victis, nulla sperare salutem”, a dita de nascer nesta parte do Globo, segundo exigiu
isto é, “uma só probabilidade para os vencidos: não esperar a própria Lei, possam ter a nítida compreensão do seu
salvação alguma”. dignificante papel (melhor dito, Dever) de trabalhar por esse
“amanhã resplandecente”, empregando um instante que
No entanto, uma esperança resta, ainda, para
seja de sua vida, de modo louvável ou condigno com a sua
todos, desde que não se deixem levar ao desânimo ou
hierarquia de homem ou ser pensante, evitando a mentira,
falta de confiança em si mesmos: a de buscar a salvação
o ódio e tudo mais quanto possa prejudicar a formação de
por esforços próprios, embora, guiados pelos esplendores
seu caráter (a sua alma).
dessa Luz intensíssima, que é mantida nos brandões
empunhados pelos Grandes Seres de Compaixão, cujo Do mesmo modo, cultivando a mente, não só com
único papel na Terra, é o de servir de Guias ou Condutores a leitura e o estudo dos bons livros como, também, por
de uma pobre Humanidade, a tatear nas trevas de sua meio de bons pensamentos, principalmente, a favor dos
própria ignorância, pelas coisas reais e verdadeiras que sofrem, quase, sempre, por ignorância das coisas
que são: as do Espírito! Por isso mesmo, Seres que, superiores ou divinas. Como, ainda, defendendo seu corpo
“a tudo renunciaram pelo bem de todos”...! Mas nunca, físico, como tabernáculo que é, da Alma e do Espírito, para
absolutamente NUNCA, esses pretensos redentores não dizer, o maravilhoso Templo dentro do qual devem
do mundo, (Salvadores de Pátrias decaídas por sua consorciar-se ou unir os dois: Alma e Espírito, segundo
própria imprevidência), que outra coisa não são, senão, a fábula grega de “Psyké em busca de seu amante”.
a expressão lídima do fim de um ciclo, que aos poucos Evitando, ainda, todo e qualquer excesso; os vícios tão em
se desmorona para o dealbar de outro (ciclo) portador de voga nesta época de loucuras. Em resumo, acima de tudo,
melhores dias para o mundo! não contrariar a sua Consciência, que nunca mente nem é
falível, mas ao contrário, aponta, sempre, o erro ou a falta
Quanto aos recursos ou meios de que se serve
cometida e a virtude que deve ser praticada todas às vezes
a Luz à que nos referimos, estão consubstanciados nos
em que o homem se encontra só, no silêncio solene de
três Caminhos e a Teosofia é a primeira a preconizar: o da
suas paixões abafadas!
Sabedoria, o do Amor e o da Ação, já que ela em si mesma
possui esse tríplice aspecto: Saber que ilumina; Amor que Cultivemos, pois, a excelsa Tríade do Bom, do Bem
sublima ou purifica e Ação que constrói ou edifica! e do Belo para o aprestamento da Era Nova de Paz, Amor,
Sabedoria e Justiça entre os homens! Seja a Paz com todos
São, ainda, as três sucessivas Aras de que nos
os seres!
fala Filostrato: a da Pobreza, do Aprendiz ou Neófito, que
começa; a da Suprema Arte, do Companheiro, que já
dominou as ciências profanas e, finalmente, a da Morte,
O autor, o Professor Henrique José de Souza (1883-
da qual triunfou o Mestre ressuscitando como Jesus, de
1963), é o fundador da Sociedade Brasileira de Eubiose,
seu sepulcro, que outro não é, senão, o da carne ou corpo responsável por trazer um novo estado de consciencia para a
físico! humanidade, como preparação para o Advento do Novo Ciclo!

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 04


De Promissoras
Sementes a
Frutos em
Excelência!

Francisco Feitosa

J
á deixamos ficar notório, em matérias anteriores, A Ordem DeMolay, para os que não tiveram a
quando nos dirigimos às Ordens Paramaçônicas, oportunidade de pesquisar, é uma Fraternidade fraternal-
o quanto apreciamos o altruístico trabalho juvenil, que surgiu através do Maçom Frank Sherman
desenvolvido pelos nossos Sobrinhos, Sobrinhas e Land, há quase um século, mantida e patrocinada pela
Cunhadas, apoiados por abnegados Maçons, que dão Ordem Maçônica, e que possui cerca de 8 milhões de
suporte ao valoroso trabalho realizado em prol de um membros no mundo, sendo cerca de 200 mil no Brasil.
mundo melhor.
Inspirada na vida e na morte do nobre militar e
Nossa Revista, em determinada época de sua cavaleiro francês Tiago de Molay, em francês Jacques,
trajetória, dedicou especial atenção ao tema, criando nascido na comuna francesa de nome “Molay”, por isso
a coluna “Ordens Paramaçônicas”, quando pudemos seu nome Jacques de Molay, tal região está localizada
publicar matérias sobre a história e o objetivo dessas no departamento do Alto Sona, na França, embora, à
Ordens. Em especial, referindo-nos à Ordem DeMolay, época, o vilarejo pertencesse ao Condado de Borgonha.
da qual tive a honra de ser um dos fundadores e o Jacques DeMolay, cujo ano de seu nascimento gera
primeiro Consultor do Capítulo DeMolay Cavaleiros de controvérsias (1243, 1244, 1249 ou 1250), ingressou na
São Lourenço nº 713, no Sul de Minas Gerais, e que, Ordem aos 21 anos de idade, sendo o 23º e último Grão-
devido ao nosso cotidiano de inúmeros compromissos, Mestre (1298) dos Cavaleiros Templários. Em 1307,
lamentavelmente, não mais pudemos acompanhar, de iniciava uma perseguição, por conta do rei francês Felipe
perto, suas atividades. IV, o Belo, aos Templários. Após uma tentativa, sem
sucesso, de tentar unir as Ordens dos Templários a dos
Como todos sabem, a Ordem DeMolay acolhe Hospitalários, tirando-a do poder da Igreja e mantendo
nossos Sobrinhos desde muito cedo, dos 12 aos sobre seu domínio, a fim de tentar se apoderar do vasto
21 anos, sendo que alguns, desde 2002, no Brasil, patrimônio dos Templários, o rei Felipe acabou por
ingressaram como Escudeiros da Távola Redonda, arquitetar um novo plano sinistro, capturando Jacques
aos 7 anos, e pautam suas vidas até a maioridade, DeMolay e alguns de seus Cavaleiros, em Paris, na
através dos princípios da Sabedoria, Verdade e a Justiça, emblemática sexta-feira, do dia 13 de maio de 1307, fato
posteriormente, iluminando seus caminhos com as Luzes que deu origem à fatídica sexta-feira 13, oportunidade
das Sete Virtudes Cardeais, complementando com os em que se dirigiam, para a França, a fim de participar de um
ensinamentos dos Nobres Cavaleiros da Ordem Sagrada funeral de um membro feminino da realeza.
dos Soldados Companheiros de Jacques DeMolay – a
Ordem de Cavalaria. Aprisionados nas masmorras por sete longos
anos de torturas da absurda “santa” inquisição, o Grão-

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 05


pesquisa, algumas Lojas Maçônicas que foram fundadas
por iniciativa de grupos de DeMolay Seniores.

A exemplo da Augusta e Respeitável Loja


Simbólica Fidelitas nº 47, fundada em 1º de maio de
2009, em João Pessoa, na Paraíba, sob a jurisdição
da Grande Loja Maçônica do estado da Paraíba. Esta
Oficina fora fundada por Sete Mestres Maçons, todos
Seniores DeMolays do Capítulo João Pessoa nº 11 da
Ordem DeMolay, oriundos da Augusta e Respeitável Loja
Simbólica “Os Últimos Templários nº 46”, da GLEPB.
Sua instalação se deu no dia 05 de agosto de 2009,
pelo Sereníssimo Grão-Mestre, Irmão Marcos Antônio
de Araújo Leite, adotando o Rito York e reunindo-se às
quartas-feiras, no Templo Grande da Muito Respeitável
Grande Loja Maçônica do Estado da Paraíba.

Teve como fundadores os Irmãos DeMolay


Seniores Arquimedes Mariano Pereira, Benedito Freire
de Araújo Neto, Cassio Cabral Santos, Murilo Cerqueira
Doria, Rafael Montenegro Carneiro da Cunha Nóbrega,
Rodolfo Dantas de Queiroga e Tiago Bezerra Lima.
São, ainda, membros da Loja e considerados como
fundadores os Irmãos Marcos Antônio de Araújo, José
Mestre da Ordem e demais Cavaleiros foram levados a Reinaldo Camilo de Sousa e Teldson Douetts Sarmento,
julgamento em 18 de março de 1314, negando todas e respectivamente, à época, Sereníssimo Grão-Mestre,
quaisquer acusações e, portanto, sendo condenados à Eminente Grão-Mestre Adjunto e Grande 1º Vigilante da
morte. Durante sua morte na fogueira inquisicional, na GLEPB.
“Ile de la Cité”, Jacques DeMolay convocou seus algozes
a comparecerem diante do Tribunal de Deus, o que Teve como seu primeiro Venerável Mestre, o
aconteceu em menos de um ano. Irmão Murilo Cerqueira Doria. A Loja foi criada com o
intuito de, em primeiro lugar, acolher o Capítulo “João
Com isso Tiago ou Jacques de Molay passou Pessoa” e o Convento “Cavaleiros do Ocidente”. Quando
a ser conhecido como um símbolo de lealdade e da comemoração de seu primeiro aniversário, a Loja
companheirismo, pois preferiu morrer a entregar seus recebeu do Grande Conselho Estadual-PB as Cartas
demais companheiros ou faltar com seu juramento. Constitutivas Permanentes do Capítulo “João Pessoa”
Tais virtudes alicerçam um conjunto de excelsos Nº 11 e do Convento “Cavaleiros do Ocidente” Nº 05
ensinamentos que estruturam a Ordem DeMolay. a Loja “Fidelitas” Nº 47 a qual passou, oficialmente, a
patrocinar estas células da Ordem DeMolay e da Ordem
Nossos Sobrinhos, que ingressam para tão nobre da Cavalaria.
Ordem, ao chegarem aos 21 anos, ou seja, a mesma
idade em que seu patrono ingressou na Ordem dos Tal iniciativa, estimulou a outros grupos de
Templários, tornam-se DeMolay Seniores, podendo optar DeMolay Seniores a adotarem a mesma ideia, a exemplo
em dar continuidade em sua vida iniciática ingressando da Augusta e Respeitável Loja Simbólica Cavaleiros
na Ordem Maçônica, destino muito comum e salutar para do Templo Sagrado nº 48, fundada em 09 de março de
os mesmos e, em especial para a Loja Maçônica que 2013, no Oriente de Cajazeiras, no estado da Paraíba,
os acolhem, pois receberá um neófito virtuoso e com sob a jurisdição da GLEPB, sendo instalada no dia 25
poucas arestas, no eterno desbastar de sua Pedra, já de maio daquele mesmo ano. Adotou, também, o Rito de
nem tanto bruta. York, funcionando às quintas-feiras, às 19h30.

Bem, mas o que nos despertou atenção, na Em Uberlândia, em Minas Gerais, foi fundada
verdade, é que encontramos, além de diversas Lojas que em 07 de julho de 2013, a Augusta e Respeitável Loja
se orgulha de ter acolhido Sobrinhos que passamos a União e Amizade Nº 007, filiada à Grande Loja Maçônica
chamar de Irmãos, encontramos, sem muito esforço de de Minas Gerais. Fundada por dezenove membros, dos

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 06


quais nove são DeMolay Seniores, que motivados pela
União e Amizade criada na Ordem DeMolay, idealizaram
a fundação da Loja.

Segundo o nosso querido Irmão historiador


José Maurício Guimarães, 33º, em seu livro “GLMMG,
História Fundamentos e Formação”, sob o Decreto
1.996, de 20 de setembro de 2013, a Loja recebe o nº
07, outrora pertencente à Loja Maçônica Guilherme Dias,
Irmãos fundadores da ARLS Sentinelas das Virtudes nº 259 - GLOJARS
uma das Lojas fundadoras da GLMMG. Teve como seus
fundadores os nove Irmãos Demolays Seniores Antônio
à visitação dos irmãos que queiram abrilhantar seus
Celso de Souza, Clayton Vital da Luz, Clóvis de Almeida,
trabalhos.
Éder Pereira de Araújo, Fernando Germano Rocha
Junior, Gilson Fonseca dos Santos, Hilton Finotti Neto, Sabemos que, é bem possível que existam
João Alberto de Souza Prado, João Batista Ferreira, outras Lojas, também, fundadas neste formato, e que
além de outros Irmãos, de outras Lojas, transferidos e não tivemos oportunidade, em nossa pesquisa, de
outros filiados de outras Potências. Sendo seu primeiro identificá-las, as quais, desde já, solicitamos nossas
Venerável Mestre o Irmão Maurício Lanjo Dias. escusas, porém pedimos que façam contato, para que,
Seguindo os passos anteriores, mais um grupo em oportunidade futura, possamos publicar outra matéria
de DeMolays, esse do Oriente de Cachoeirinhas, no sobre o tema.
Rio Grande do Sul, oriundos do Capítulo DeMolay O dístico latino “Spes Mensis in Semine”, lema
“Sentinelas das Virtudes nº 514”, do mesmo Oriente, sob da Sociedade Brasileira de Eubiose, significando “a
o patrocínio da ARLS Gênesis nº 106, jurisdicionada à esperança da colheita reside na semente”, aqui, encaixe-
Grande Loja Maçônica do Rio Grande do Sul, no dia 18 se perfeitamente. Que estas promissoras sementes
de março de 2016, composto de quinze Irmãos, sendo encontrem, na Maçonaria, solo fértil, tornando-se frutos
desses nove DeMolays Seniores, resolveram fundar em excelência, a fim de reescrever a história de nossa
mais uma Loja Maçônica. Ordem, neste alvorecer de um Novo Ciclo!
Os nove DeMolays Seniores fundadores são os Pelo o que podemos notar, o nobre trabalho das
Irmãos Israel Bisotto, Roger Francisco Rodrigues Kayser, Lojas em patrocinar os Capítulos Demolay retorna em
Jader Klein Dorneles, Eduardo Martins de Oliveira, excelência, com a formação de novos líderes e, não
Lucas Zotti, Marco Antonio Elgues Sffair, Juliano da Silva obstante, criando uma geração proativa de Maçons, a fim
Monteiro, Geison Antonio Rodrigues Kayser e Wolfrang de impulsionar a Ordem, à guisa dos valorosos irmãos
Marchi dos Santos, complementado pelos Irmãos Ademir do passado, que muito nos orgulham.
Bisotto - seu primeiro Venerável Mestre - Paulo Zairo
Da Silva, Paulo da Graça Redó Y’gubaú, Luís Fernando O objetivo desta matéria é o de estimular nobres
Bueno Marinho, Edgar Lisboa Nóbrega e Luiz Antonio iniciativas como estas e o de revermos a Maçonaria
Fioravanzo. que estamos fazendo hoje, aproveitando o entusiasmo
desses novos irmãos que, com certeza, não irão se
A Loja funciona duas vezes ao mês, na segunda debruçar na inércia sombria da omissão para, tão
quarta-feira e na segunda sexta-feira, às 20h, no templo somente, admirar os feitos dos Irmãos do passado,
localizado na Rua Maria Taval Haussem nº 400 – deixando de buscar soluções para um país que, ora
Cachoeirinhas, RS. Seus trabalhos são realizados no agoniza, clama e implora por atitudes de verdadeiros
Rito Escocês Antigo e Aceito, e esta novel oficina, assim Maçons!
como as anteriores citadas, está de braços abertos

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 07


O MOVIMENTO ACADEMICISTA
E A ACADEMIA BRASÍLICA
DOS ESQUECIDOS
Fábio Mendonça Pedrosa

U
ma das principais características da atividade É a partir do Renascimento que se acirra,
intelectual do século XVIII é a reunião de primeiro na Itália e depois em outros países da
letrados em academias, tanto com objetivos Europa, o gosto por associações de homens cultos.
científicos quanto literários. Deve-se considerar que o Assim, por todo o século XVI e XVII, surgiram
termo “Academia” não representa, apenas, a reunião academias em quase todas as cidades europeias.
periódica de um determinado grupo com estatutos No Brasil, pode-se considerar o ano de 1724 como o
preformulados, nem mesmo a reunião de alunos sob primeiro ano, ou o ANO I do movimento acadêmico.
a batuta de um mestre. A Academia do século XVIII Não se desconsidera a existência de academias
representa, também, a reunião de letrados por um dia, anteriores a dos “esquecidos”, uma vez que essas
uma tarde, ou mesmo algumas horas. são referidas pelos próprios acadêmicos. Contudo,
foi com a reunião dos “esquecidos” que o movimento
As Academias se formavam tanto por um acadêmico tomou impulso e se espraiou pelas
grande objetivo, como a redação da História da Nova principais cidades brasílicas.
Lusitânia, quanto por um fato isolado, como, por
exemplo, a homenagem devido à chegada de um
A Academia Brasílica dos Esquecidos foi
nobre à Colônia ou à morte de uma princesa, como
formada com o propósito de coligir informações sobre
se observa no ato acadêmico publicado em 1691. O
a Nova Lusitânia. Esse material seria enviado para a
ato se referia às exéquias públicas, por ocasião do
Corte, a fim de ser anexado à monumental História de
falecimento da princesa portuguesa Dona Isabel Luísa
Portugal, que estava sendo redigida pela Academia
Josefa. Este ato é composto, principalmente, pela
Real de História Portuguesa.
oração fúnebre recitada pelo vigário de Recife, na
cidade de Olinda.
As dificuldades de redação da história
Durante os séculos XVII e XVIII parte dos brasílica eram imensas, principalmente no tocante às
atos acadêmicos se confundiam com as festas e colônias. Para solucionar esse problema, o governo
eventos públicos. Esses atos, apesar de se intitularem metropolitano correspondia com o vice-rei do Brasil
acadêmicos, não possuíam semelhança estrutural Vasco César de Meneses. D. João V ordenou que o
com a “Academia dos Esquecidos”, nem com as vice-rei do Brasil fizesse “[...] coligir as informações
demais academias do final do “Setecentos”, a única precisas para a composição da História Portuguesa,
semelhança se encontrava na participação de diversos que encarreguei à Academia Real, na parte relativa ao
letrados compondo e recitando orações e poesias. Brasil”.

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 08


Após a troca de correspondência com a Corte, Presidencial seriam compostas obras poéticas sobre
o vice-rei do Brasil concluiu que a melhor maneira de dois temas previamente escolhidos, sendo, um tema
se reunir informações necessárias seria a fundação lírico e outro heroico. As obras compostas seriam
de uma academia brasílica. Para tal, ele reuniu, recitadas e, se necessário, corrigidas por José da
primeiramente, sete ilustres membros da sociedade Cunha Cardoso, secretário da Academia. A seguir,
baiana e fundou, no dia 23 de abril de 1724, em seu seriam recitadas as dissertações históricas. Em
Palácio, a Academia Brasílica dos Esquecidos. cada outeiro, os lentes de história se revezariam e, a
cada sessão, dois lentes recitariam as dissertações
A autodenominação de “esquecidos”, compostas.
provavelmente, provém do fato de que nenhum letrado
colonial fora chamado para compor os quadros da Durante os outeiros havia, também, a
Academia de História Portuguesa. Os acadêmicos participação de pessoas que não eram membros da
se consideravam abandonados pela metrópole, Academia, mas participavam a convite do orador ou
consideravam que seus talentos intelectuais deveriam do vice-rei. A maior parte das obras era composta
receber uma maior atenção da Corte, como se pode em português, havendo, também, muitas em latim e
observar no seguinte trecho recitado pelo acadêmico algumas poucas em espanhol.
José da Cunha Cardoso, durante o primeiro outeiro:
“Neste felicíssimo ocidente nasceu o Sol para a Bahia.
Agora, amanhasse-lhe, porque, agora, ver-se-á a
Bahia convertida em Atenas. Agora, sairão, à luz,
os que o nosso descuido cobria com as sombras do
esquecimento, que, por isso, tão entendidos, como
modestos se apropriaram o título dos Esquecidos”.

Aos sete primeiros acadêmicos se uniram mais


de uma centena de letrados, que foram convocados
através de cartas circulares, tendo se reunido por um
ano. No dia 4 de fevereiro de 1725, após 18 reuniões
quinzenais, as atividades foram suspensas.

No primeiro outeiro, quando foi redigido o


estatuto, ficou homologado que os outeiros seriam
divididos em duas partes: primeiramente, uma
sessão puramente literária, quando após a Oração

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 09


Nos moldes da Real Academia Portuguesa Herança da tradição acadêmica europeia,
de História, os acadêmicos brasílicos do século XVIII a Academia dos Esquecidos se assemelhava às
eram homens ligados ao estado, à administração academias europeias setecentistas em vários
pública ou ligados à Igreja. Juízes, ouvidores, padres aspectos. O mecenato, a adoção de temas gongóricos
seculares, jesuítas, capuchinhos, capitães, coronéis e de assuntos jocosos eram de praxe na maioria das
e vigários eram os homens que compunham a academias europeias. Outra característica importada
maioria das academias do século XVIII, portanto, pelos esquecidos foi a adoção de vulgos satíricos para
não encontramos na Academia dos Esquecidos, se identificarem. Ocupado, Vago, Infeliz, Obsequioso,
comerciantes, fazendeiros, ou, ainda, artesãos. Venturoso, entre outros, eram os termos com os quais
os esquecidos assinavam suas composições.

Para sua melhor composição à História


Ao contrário do que uma análise apressada
da Nova Lusitânia foi dividida em quatro temas
da Academia pode sugerir, a Academia Brasílica
específicos, sendo cada tema dado a um lente, que
dos Esquecidos chamou a atenção dos europeus
foi escolhido na primeira reunião. História militar,
no momento de sua fundação. Em setembro de
eclesiástica, política e natural formavam as quatro
1724, o jornal francês Mercure Historique de France
divisões da História Brasílica, e essas foram dadas,
noticiou a existência da primeira douta Academia
respectivamente, aos seguintes lentes: ao juiz de fora
brasílica: “C’est sans doute la première Academie
Dr. Inácio Barbosa Machado (irmão do célebre Diogo
que les Brèsiliens auront eu; peut-être plus attentif
Barbosa Machado), ao padre Gonçalo Soares Franca,
au gain et à la decouverte des mines qu’à la culture
ao ouvidor-geral do cível Luís Siqueira da Gama e
des sciences et des arts”. (Esta é, provavelmente, a
ao desembargador-chanceler Caetano de Brito e
primeira Academia que os brasileiros tiveram; talvez,
Figueiredo.
mais perto do ganho e da descoberta das minas para
o cultivo da ciência e da arte).

Lançamento
N
a 68ª Convenção Internacional da Sociedade Tenho, também, a honra de ser o criador de
Brasileira de Eubiose, realizada em São seu projeto gráfico, da capa e da diagramação. Além
Lourenço-MG, no período de 20 a 24 de de seu valoroso conteúdo, os valores arrecadados,
fevereiro de 2016, foi levado a efeito o lançamento do com sua venda, serão direcionados para custear
livro “Monumento Eubiose”. Tal obra literária é parte do a construção desse Monumento. Saiba mais em
projeto da construção de um Obelisco, com 11 metros www.monumentoeubiose.com.br
de altura, a ser erigido na cidade de Cuiabá-MT –
centro geodésico da América do Sul. Dentre outros
mistérios, aquele estado abriga um dos Sistemas
Geográfico do planeta, polos de irradiação de energias
sutis para a face da Terra e a humanidade. Todos
esses assuntos, e muito mais, estão revelados neste
importante livro, que te a autoria de um grupo de
diversos estudiosos no assunto, no qual me incluo.

Esta coluna “Lançamentos” é destinada, exclusivamente, aos escritores, a fim de que possam
divulgar o lançamento de seus Livros. Os interessados, por gentileza, façam contato conosco, pelo
e-mail redacao@revistaartereal.com.br e divulguem sua obra para os nossos mais de 33.000 leitores!

Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 10


Revista Arte Real nº 72 - Abr/16 - Pg 11