You are on page 1of 10

A ESSÊNCIA DA EDUCAÇÃO: CONHECER A “VONTADE DO UNIVERSO”

Revmo. Watanabe, Katsuite

Observando o mundo atual, somos obrigados a descrevê-lo como um mundo


repleto de maldade e falsidade. Vivemos a era do poder do dinheiro que vai ao fundo
das fraquezas humanas. Graças ao desenvolvimento econômico e à propagação da
educação, o homem se orgulha de uma prosperidade “superficial” e é dominado por
uma infinita ambição que busca posição social, fama e dinheiro. Na tentativa de
satisfazer suas ambições, infesta o mundo com mentiras e falsidades.
Em todos os aspectos, até mesmo aquilo que parece ser verdadeiro, quando
vamos verificar sua veracidade, concluímos que não passa de mais uma mentira,
como tantas outras. Percebemos, então que a realidade é um aglomerado de
“mentiras”. O indivíduo inteligente é um grande mentiroso e a pessoa séria – inábil em
mentir – é enganada com mentiras. Nestas circunstâncias, o enganado planeja ‘dar o
troco’ naquele que o enganou, também, usando mentiras.
A questão não é a mentira insignificante, dita da ‘boca para fora’. Grandes
mentiras circulam no mundo da política, economia e educação, além das existentes
nos meios de comunicação de massa, relações públicas e anúncios da sociedade
informatizada.
A criança questiona se a culpa é dos pais e estes, por sua vez, se esquivam
culpando à sociedade. Os doentes dependem dos médicos e, no fim, dizem que a
responsabilidade é deles. Em outras palavras, é uma transferência de culpas e
responsabilidades generalizadas, um verdadeiro abuso. A ruptela entre pais e filhos, a
grande ocorrência de crimes, os comuns casos de suborno – tudo isso acontece
porque vivemos num mundo em que a mentira e falsidade são permitidas.
Pessoas que movimenta, grandes somas em dinheiro, disfarçando através de
doações políticas, são capazes de se tornarem Primeiro Ministro de Estado. Obtém-se
autoridade por meio do poder do dinheiro. Estabelecem-se ligações entre os gestores
das empresas farmacêuticas que envolvem quantias fabulosas. Tudo movido pelo
dinheiro.
A quantia destinada aos serviços sócio-hospitalares ocupa grande parte do
orçamento nacional. No entanto, longe de representar um benefício para o povo, é
utilizada pelas empresas e médicos. O povo mergulha num ‘poço de remédios e a
Medicina – antes considerada como um ato de benevolência – fica entregue a
técnicas calculistas que visam somente lucros, tornando-se, portanto, maligna. Os
casos de julgamento envolvendo médicos que, atualmente, vem sendo motivo de
alarde, são apenas a ponta de um “iceberg”.
Além dos efeitos colaterais causados pelo uso de medicamentos recém-
lançados, sob o pretexto de eliminar a dor e o sofrimento do paciente, utiliza-se uma
infinita quantidade de drogas e, em cirurgias, recorre-se aos narcóticos. Estes, além
dos malefícios causados à saúde, são alvo de controle e fonte monetária para
bandidos. O problema não é só o surgimento de drogados, mas a falta de
preocupação quanto às seqüelas causadas pelo o uso público de narcóticos em
cirurgias. Mais do que o caso dos drogados, são mais temíveis as seqüelas deixadas
em inúmeros pacientes que introduzem tais drogas no organismo publicamente. O uso
de narcóticos em grande quantidade nos tratamentos médicos é mais perigoso do que
a comercialização ilegal destes pelos bandidos.
Outro ponto ainda desconhecido por muitos é que medicamentos cujo uso é
proibido (NT: no Japão) estão sendo exportados para países em desenvolvimento da
África e oferecidos à população.
Houve uma época da minha adolescência até a fase adulta que sonhava em
ganhar muito dinheiro. Fui bem sucedido nos negócios e ganhei bastante dinheiro. O
aprendizado que tirei desta época é que dinheiro não é algo para se ganhar e sim
para ser usado. A questão é de que forma usa-lo. Não podemos negar a existência do
pensamento de que se usa o dinheiro para ganhá-lo mais ainda. Mas, conforme fui me
aprofundando no mundo da fé, passei a achar que há formas de usar o dinheiro
conforme a Vontade Divina que é a eterna prosperidade humana. No entanto, se não
há concordância com a Vontade Divina, por mais que se diga que o dinheiro será
usado pelo bem de um país, de uma sociedade ou de tais pessoas, ele acabará sendo
usado para satisfazer alguma ambição imediata. À realidade atual nos mostra que as
nações e as empresas em geral agem de maneira exatamente contrária à Vontade
Divina.
Quando tentamos revelar a existência de Deus, é comum nos depararmos com
oposições. Como se procura entende-lo através da “razão” inerente às ciências
naturais, mesmo que o objeto de estudo seja a natureza, Deus permanece
incompreendido. Até mesmo a vida e a morte são analisadas somente do ponto de
vista materialista. Ainda não se compreende verdadeiramente que a Providência da
Grande Natureza está nitidamente expressa em cada planta, árvore ou inseto e que
Deus é a própria Providência da Natureza. Quando pensamos no que é a vida ou
buscamos a causa invisível das questões vida/morte ou prosperidade/decadência,
vamos nos conscientizando da existência de Deus, da Sua Vontade e daquilo que
sempre me refiro como “vontade do universo”. Apesar disso, muitas pessoas se
prendem somente ao que está diante dos seus olhos, permanecendo presas ao
mundo material.
Se os pais em geral são assim, o que dizer dos filhos? Tanto os pais quanto os
filhos não enxergam suas próprias deficiências e buscam compensar o que não têm,
obtendo alguma outra coisa. Quando se sentem desesperados ou desiludidos,
costumam culpar o mundo, transferindo as responsabilidades. Esta situação é
realmente lamentável, mas nosso Mestre nos ensina que o Mundo da Era da Noite
está paulatinamente clareando. Ele nos diz que iluminando as partes sombrias do
sentimento humano, o Mundo da Noite se transformará em Mundo do Dia. O fato de
muitos aspectos do mal terem sido desvelados é uma evidência disto. Portanto, a
nossa missão como religiosos, não é ficar desesperado ou de braços cruzados, e sim
cumprir a grandiosa tarefa de orientar a todos sobre a Vontade Divina, isto é, sobre a
“vontade do universo”.
Pensando um pouco no futuro, no tocante à educação das crianças que viverão
o mundo de amanhã, acho que é necessário fazer com que elas, desde pequenas,
através de seu corpo, conheçam a “vontade do universo”. Creio que seja muito
importante a questão de quando e onde fazer, com que elas tenham a consciência da
vontade de universo que, jamais poderá ser compreendida por meio dos estudos, da
razão ou de conhecimentos superficiais.
O ser humano nasce como filho de Deus. Desde pequeno, possui sentimento
para compreender o Bem e o Mal. Não se pode esperar que a criança cresça para lhe
ensinar que o Mal leva ao sofrimento e o Bem às coisas agradáveis. É preciso educá-
la, desde pequena, a compreender a Vontade Divina. Interesso-me por educação
infantil e, comparando a época em que era conselheiro do jardim de infância, há 20
anos atrás, e agora, após tantas experiências vividas e ouvidas, sou levado a refletir
que, naturalmente, o desenvolvimento da criança varia bastante conforme a maneira
de ser dos pais.
Por exemplo, há 20 anos atrás, certamente pelo menos 20% das crianças
apresentavam bochechas rosadas. Porém, hoje em dia, quase não se vê crianças
assim; são crianças superprotegidas que desconhecem as dificuldades. Embora tenha
aumentado o nível de vida, certamente, houve uma considerável diminuição do
contato das crianças com a natureza devido à urbanização, à mudança de moradia,
etc. Outro ponto é o ambiente familiar. Não é preciso dizer que isto se deve ao
aumento da 1família nuclear, na qual se tem somente um ou dois filhos. Isto demonstra
que, para os pais, a criança se torna uma companhia que ele cria com superproteção.
Por outro lado, as crianças vão crescendo sem as brincadeiras e divergências comuns
entre os irmãos. Não há lapidação mútua de seus conhecimentos e virtudes o que
leva à falta de sociabilidade e perda do senso de autonomia causado pela
superproteção e mimo. Em suma, os pais pensam que os filhos são propriedades sua,
protegem-nos demais sem realmente pensar no seu futuro. Eles só conseguem
enxergar as coisas que estão sob o seu nariz. Estes tipos de pais são descarados em
afirmar: “Isto é pelo futuro do meu filho”. Contudo, sequer percebem que estão
arruinando a individualidade de seus filhos.
Da mesma forma que existem as mães superprotetoras, também há pais
desinteressados que deixam todo o crescimento e educação das crianças por conta
das mães. Com relação aos desejos das crianças, os próprios pais se posicionam a
partir da sua compreensão, correspondendo da forma mais fácil. Por exemplo, os pais
oferecem-lhes brinquedos comprados prontos e, mais do que os filhos, os pais se
sentem satisfeitos por isso. Desta maneira, não há como desenvolver a criatividade da
criança.
A criatividade da criança influenciará enormemente o seu futuro. Se os pais,
conscientes da importância da auto-criação, não cultivarem em seus filhos, desde
pequenos, o espírito da criatividade, depois de crescidos por mais que desejem
desenvolver este lado, não será fácil. A ambição humana é algo permitido por Deus,
mas isto não significa que seja possível fazer qualquer coisa para satisfazê-la. Se a
1
Família constituída somente por pais e filhos
pessoa não constrói algo, confirmando por si mesma, como já disse antes, ela não se
esforça e acaba se apossando de outras coisas. Concluindo, corrompe a si mesma.
Citando o exemplo do brinquedo, se é comprado pronto, tolhe a criatividade, enquanto
que um brinquedo feito em casa estimula a imaginação e a fantasia da criança,
contribuindo para que ela desenvolva a criatividade para o amanhã. Outro ponto é que
crianças sem criatividade, não se relacionam bem com os amigos e se tornam
crianças solitárias. A superproteção dos pais prejudica a criatividade das crianças,
leva-as à solidão e a perda da capacidade de lidar com a sociedade e com os
indivíduos. Enfim, a superproteção forma pessoas incapazes e inúteis.
Desde antigamente, existe a expressão: “o leão empurra o filhote no vale”. O
sentido desta expressão popular é que, por amor e desejo de que o filho se fortaleça,
o pai faz com que o filho se defronte com situações difíceis. Este é o verdadeiro e
grande amor. O amor imediatista é superprotetor, sendo até inconveniente chamá-lo
de amor. Trata-se de um falso amor.
Conforme o ditado ‘querer é poder’, gostaria que, desde cedo, cultivassem o
sendo de autonomia nas crianças, isto é, autoconfiança de que ela é capaz de que ela
própria fez algo e que, senão fosse ela, não teria conseguido faze-lo. Realmente,
autoconfiança e senso de autonomia se alcançam a partir da criatividade.
Sempre que tenho oportunidade procuro alertar os pais que têm filhos pequenos
sobre este ponto, advertindo também as mães superprotetoras. Como atividades
infantis, aconselho-os a utilizar, ao máximo, o tempo para que as crianças se divirtam
de forma natural e a realizar variados trabalhos manuais e brincadeiras com argila.
Quando as crianças pegam em suas mãos, pequenos animais como peixes e
passarinhos ou plantas e flores que estão à sua volta, começam a sentir, com seu
próprio corpo, a grandiosidade dos seres vivos e o mistério da vida. Assim, sem se
darem conta, as crianças irão conhecendo a “vontade do universo”, a providência da
natureza, isto é, a Vontade de Deus. Creio que este seja o fundamento da educação
infantil.
Além do período que a criança passa no jardim de infância, mesmo quando ela
está com a família, ir aprofundando a relação da criança com a natureza, é
desenvolver o sentimento do verdadeiro ser humano e o espírito religioso. Não é
preciso exigir que a criança venere alguma divindade. Ao contrário, quanto mais se
impõe o modelo de adoração à divindade, mais ocorre o afastamento do verdadeiro
espírito religioso.
A propósito, com este tipo de educação básica, após três anos, quando a
criança deixa o jardim de infância, observo claramente a diferença da época do seu
ingresso e como ela vai se soltando. Porém, por mais que vá se tornando
independente, ainda há muito caminho pela frente: ensino elementar, médio e
superior. Após sair da universidade, há um longo percurso rumo à sociedade. Durante
esta jornada, provas e exames são inevitáveis. Segundo a expressão “aquilo que a
criança aprende até os três anos, dura até os cem anos”, não podemos deixar de
desejar que a criança cresça sem que nada atrapalhe a formação do seu sentimento
durante o jardim de infância. Além disso, o meu desejo é que os pais, mesmo que
atrasados, se tornem capazes de captar a ‘vontade do universo’ juntamente com seus
filhos.
Como já mencionei anteriormente, Deus concedeu-me um terreno cuja área é de
19.800m2 e uma casa (chamada Hachiman-Kaku) onde sempre há cerca de 10
jovens praticando a fé juntamente conosco.
Atendendo aos pedidos de alguns pais que dizem: “Não sei como fazer com meu
filho estou em apuros. Por favor, permita-lhe que aprimore com o senhor na sua casa”.
Venho revezando o recebimento destes jovens. O Hachiman-Kaku é como um jardim
de infância, um local para a educação e aprimoramento de jovens.
São rapazes e moças sensíveis com cerca de vinte anos que, gradualmente, vão
se tornando independentes. A respeito disso tenho outros registros, por isso sem me
deter ao assunto, gostaria de chamar a atenção para o ponto comum destes jovens: o
desinteresse pela natureza e a falta de proximidade com ela.
Felizmente a área do Hachiman-Kaku é extensa, com várias plantas e flores
plantadas, pássaros e um lago com carpas. O jardim construído com muito amor é um
local de bela natureza. Inicialmente, faço-os observar bem o jardim e peço que cuidem
dele a sua maneira. Começo dizendo-lhes: “Independentemente de ter ou não
experiência em cuidar de jardins, tente fazê-lo”. Por fim, incentivo-os dizendo: “Viu
como você também consegue!”, ou elogiando-os. “Ficou um ótimo trabalho!”.
Não me restrinjo apenas aos cuidados com o jardim, peço-lhes que façam de
tudo. Às vezes, faço alguma amostra e mando-os repetir, elogiando-os no final. Se
destacarmos suas falhas e os censurarmos, mais ainda os jovens se tornarão
sombrios e perderão a autoconfiança. Se observarmos com atenção tudo o que eles
fazem, passaremos a compreender seu modo de pensar e o rumo dos seus
sentimentos. Portanto, falando-lhes coisas como “você tem tal ponto positivo”, “não dá
para ver que sua mãe tem isso de bom?” Ou “sabe que você tem um pai
maravilhoso?”, procuro fazer com que descubram o sentido de viver, a beleza e o bem
presentes na esfera da expansão do sentimento familiar.
Os jovens que chegam ao Hachiman-kaku possuem diversos problemas e estão
decepcionados com o ser humano. Em alguns meses, é possível ver o quanto eles
mudam. Naturalmente, os pais e os próprios jovens passam a se esforçar em viver a
vida baseada na fé em Deus.
Com este exemplo mesmo, podemos observar que os religiosos não podem ser
precipitados, uma vez que eles conscientizam as pessoas sobre a existência de Deus.
Não pe possível fazer com que o outro se conscientize e compreenda Deus invisível
de uma só vez. É preciso que os cuidadosos esforços do orientador toquem o ponto
fraco da pessoa.
É inútil dizer milhares de coisas às pessoas desiludidas sentimentalmente que
são presas do materialismo e que desejam apenas desfrutar da aparente vida
confortável alcançada através do crescimento econômico.
As coisas não se resolvem somente porque juntamos as mãos e reverenciamos
a Deus, dizendo que isto é religião ou fé. Descobrir em tudo que nos cerca o sentido
da vida, vivificando as pessoas e as coisas, é estar em conformidade com o Caminho
de Deus. Para fazer com que os desiludidos descubram o sentido da vida é preciso
despertá-los para o fato de que o ser humano possui dentro de si a iniciativa de
vivificar as cosias.
Pensando bem, os jovens que ficam no Hachiman-kaku são felizardos. Ou
melhor, no mínimo, todos aqueles que têm afinidade com o Caminho de Deus são
felizardos. Isto porque têm a chance de conhecer a “vontade do universo”, isto é a
Vontade Divina. Pessoas más como as que são notícias nos jornais e na televisão,
infelizmente, estão distantes do Caminho. E mais, a maldade praticada pelas pessoas
de educação média não é tão problemática. Quem pratica as maiores maldades, na
sua maioria, são as pessoas que receberam educação superior. Esta realidade nos
mostra a necessidade de se questionar, novamente, o significado da educação. A
propósito, a maior maldade é a prepotência do dinheiro e da matéria que, sem ser
vista como uma maldade em si permanece impune e inabalável.
Entretanto, Deus é a Grande Natureza não permitirá que isso continue para
sempre. Acontecerão inimagináveis calamidades naturais para demonstrar isso.
Doenças em animais e vegetais ligados à existência humana, bem como a sua
extinção, e problemas ambientais que afligirão o homem são manifestações dessa
realidade. Nós, que seguimos o Caminho Divino e estamos alerta quanto à Vontade
do Universo, recebemos de Deus, por intermédio de Meishu-Sama, a força para
purificar o “envenenado” ser humano. Nós temos a força para vivificar as coisas e as
pessoas, Não tememos nenhum tipo de ambiente desfavorável. Acreditamos que a
essência da educação humana está em conhecer a “vontade do universo”.
(02.05.1970 – diário)

“Homem forte é aquele que,


Esquecendo-se de si mesmo,
Percorre o caminho correto”. (Meishu-Sama)

Igreja Messiânica Mundial do Brasil

Johrei x Gravidez

Uma criança é uma benção de Deus aos pais. Seguindo a Lei da Ordem do Mundo
Espiritual. O espírito individual e seus Antepassados escolhem os pais, e no tempo certo
a concepção acontece. A criança recebe sua individualidade física a partir da união de
seus pais. Seu espírito, entretanto, é um brilho divino de fonte eterna. No momento da
concepção, o espírito primário – ou o espírito individualizado de Deus penetra no ovário
através do esperma.

O Sagrado ato de dar a luz foi dado à mulher, que tem sido fortemente
presenteada com o dom de parir. De acordo com seu destino, a mulher será capaz de ter
filhos. Além do mais, mãe e filho serão abençoados com sua saúde melhor se houver um
parto normal sem o uso de instrumentos artificiais.

Os casais deveriam começar a preparação muito antes de se tornarem pais a fim


de ganharem uma boa saúde espiritual e física. Uma oração é primeiramente oferecida
pedindo a permissão para receber um filho de Deus, e para poder guiar a Alma através
de seus ciclos de vida com amor e sabedoria.

É importante para o marido e mulher receber Johrei regularmente, mas


especialmente a mulher, que é quem carrega a criança. Um nascimento natural e
saudável será grandemente determinado pela sua saúde física e bem estar
espiritual/emocional.

Durante a fase preparatória, receber Johrei facilitará um fluxo natural de toxinas


para serem eliminadas, e ajudará em estabelecer um ciclo menstrual regular. Uma
atenção especial é dada a áreas que ajudarão a eliminar o stress indevido a pressão das
toxinas ao redor dos rins e abdômen quando a concessão ocorre. Receber Johrei também
ajuda a manter o equilíbrio delicado entre o céu e a terra, representados pela parte
central da testa e órgãos de reprodução respectivamente.

Uma vez ocorrendo à gravidez, a mãe deve continuar recebendo tanto quanto
possível. Ela deve manter seu ritmo de trabalho/atividade até o mês do parto se
possível, mas deve evitar trabalho ou exercício ao extremo. E particularmente fazer
trabalhos que exercitem a área do cóccix, tais como: aspirar ou abaixar-se para pegar
coisas do chão, mesmo no último estágio de gravidez. Antes da mecanização, as
camponesas japonesas exercitavam a área do cóccix ceifando nos campos, e tinham
fáceis partos com decorrência disso.

Dieta e higiene são obviamente importantes durante a gravidez. Um outro aspecto


importante do pré-natal que ajudará a futura mãe é manter um equilíbrio e harmonia
interior, e que tem um efeito significativo no feto é ouvir música bonita, apreciar a boa
arte, ler Ensinamentos de Meishu-Sama e outros livros espirituais. É também importante
para a mulher e o marido ter um relacionamento harmonioso e amoroso.

Muitas mulheres durante os três primeiros meses de gravidez enjoam pela manhã.
Em casos sérios, vômitos mais constantes impedem a mulher de comer durante um mês
ou mais. Esta situação ocorre em mulheres que tem mais toxinas ao redor do estômago,
e pode ser considerado um processo natural de purificação para fortalecer seu corpo e
preparar para a luz. Esta purificação permitirá também o crescimento contínuo do
embrião – feto, que poderia então ser abordado pelo acúmulo de toxinas. Há dois tipos
de toxinas para serem eliminados: uma é a toxina Hereditária e a outra é a toxina
proveniente de remédios. Os enjôos matinais cessarão quando estas toxinas forem
eliminadas ao redor do estômago.

Entre o terceiro e o quinto mês de gravidez a mulher deve diminuir em fazer


longos percursos de carro ou de ônibus ou usar qualquer transportes com solavancos.
Um aborto pode ser causado por solavancos durante este período de gravidez.
À medida que o feto vai se desenvolvendo, a mulher algumas vezes tem inchaços.
Isto é devido à pressão feita sobre os rins pelas toxinas das costas e pela gravidez. Esta
pressão causará atrofia dos rins e pode levar ao excesso de urina circulando no corpo,
causando o inchaço.

Examinando as condições físicas da mulher grávida, pode se dizer com freqüência


se o parto será fácil ou não. Se uma mulher estiver com boa saúde, só o útero cresce, e
durante o último mês de gravidez, se apresentará com uma forma esférica, redonda. Sob
essas condições o nascimento tenderá ser fácil, e a mulher poderá se manter ativa
devido à leveza de seu corpo até antes do parto. A recuperação será geralmente suave.
Por outro lado, há uma quantidade relativamente grande de mulheres grávidas que tem
mais inchaço à medida que o dia do parto se aproxima, o corpo da mulher começa a
ficar pesado e suas atividades ficarão mais restritas. Sua recuperação também pode ser
afetada.

Este estado é devido às toxinas que comprimem os rins, causando a formação de


toxinas urinárias e do inchaço na área abdominal. Recebendo Johrei, as toxinas
diminuirão, melhorando a saúde da mulher antes e depois do parto.

Durante os três últimos meses de gravidez, a maneira de se ministrar Johrei, muda


levemente para enfatizar as regiões que ajudarão na dilatação do cervix durante o
trabalho de parto e facilitar a saída da criança através da vagina.

Aqueles que estão recebendo Johrei regularmente, em geral terão menos dores de
parto e o trabalho de parto durará menos tempo. Durante o desenrolar do trabalho de
parto, pode se ministrar Johrei no abdômen ou no cóccix. Se não causar maior
desconforto da mulher no trabalho de parto, o esposo ou outra pessoa que estiver
ministrando Johrei pode colocar a mão por baixo da mulher acerca de uma ou duas
polegada acima do cóccix se a mulher estiver deitada, ou ministrar diretamente na
região uma ou duas polegadas acima do cóccix se ela estiver sentada. Isto ajudará no
nascimento.

AMAMENTAÇÃO

O leite da mulher é o melhor alimento para a criança. Esta é a maneira que Deus
criou os seres humanos. Se a criança é criada com leite de vaca e nutrientes artificiais a
energia do corpo e seu poder purificador natural são enfraquecidos embora não haja
diferenças aparentemente no crescimento. Estas substancias podem então ser a causa
indireta de algumas doenças na infância.

Uma das grandes maravilhas do mundo se encontram no leite materno. O colostro,


ou primeiro leite, age como um laxante natural para limpar o estômago e o intestino da
criança das impurezas recebidas no útero e durante o parto. As duas primeiras fezes são
geralmente escuras devido ao material tóxico que está fluindo de seu corpo. Como uma
função natural, também, o leite da mãe ficará cada vez mais rico para guardar as
necessidades crescente da criança.

A amamentação no peito, deve ser interrompida quando os dentes do neném


começar a nascer aproximadamente aos 14 meses, quando não começam antes, o
aparecimento dos dentes ,mostrará que o sistema digestivo está funcionando
completamente, e que a criança está pronta para outros alimentos.

Quando as circunstâncias chegam a um ponto que um substituto do leite é


necessário, no inicio da lactação ou alguns meses mais tarde, uma fórmula pode ser
preparada em casa a fim de fornecer alimento saudável para a criança.

ORIENTAÇÕES SOBRE OS CUIDADOS PÓS-PARTO

Para a primeira semana pós-parto, a mulher deve permanecer na cama e ter


repouso absoluto. Ela deve usar a comadre para evitar andar, até mesmo para ir ao
banheiro, ou fazer qualquer coisa que estimule ou pressione os nervos tais como: ler,
assistir TV etc. Ela deve comer somente alimentos cozidos e de fácil digestão até que,
gradualmente, ela vai retomando sua dieta regular lá pela segunda semana.

A única coisa que a mulher pode fazer durante a primeira semana é alimentar o
bebê. É importante que ela receba Johrei diariamente, se possível, durante toda a sua
recuperação.

O fluxo de sangue sujo, geralmente dura cerca de três semanas. Durante este
período em banho de chuveiro, outro tipo de banho não deve ser tomado, já que ele
superestimula os nervos e as células( Quando a água é quente, escorre pelo corpo e as
toxinas subirão em direção à cabeça). Um banho de esponja pode ser tomado se
necessário, de preferência com a ajuda do marido ou de um ajudante, especialmente
durante a primeira semana.

Durante a segunda e a terceira semana, ficar na cama é recomendado para


permitir a continuação de sangue sujo, mas a mulher pode andar até o banheiro, e se
levantar para as tarefas razoáveis em relação à criança. Ela pode fazer as refeições
regulares, mas deve evitar leitura, costura e outras atividades semelhantes.

A partir da quarta semana, a mão pode retornar às suas atividades regulares.


Todavia, até a 10ª semana, ou cerca de setenta e cinco dias, ela não deve se dedicar a
nenhum exercício ou trabalho excessivo. Ela também não deve ministrar Johrei em
outras pessoas durante 75 dias, mas pode ministrar Johrei no esposo e na criança depois
de 35 dias. Relações Sexuais devem ser evitadas durante no mínimo 5 semanas para
evitar superestimulação dos nervos. Ela deve cuidar igualmente para não ler letras
miúdas. Se os olhos forem utilizados intensivamente durante esse período, o sangue
tóxico irá se acumular e se solidificará nessa área causando vista fraca mais tarde.

CUIDADOS PÓS-PARTO

(EM SEGUIDA AO NASCIMENTO)

Meishu-Sama disse que dar a luz é uma grande tarefa para a mulher, e que
cuidados adequados após o parto são essenciais para a sua saúde. Meishu-Sama
orientou que após o parto, todos os órgãos do corpo que mantiveram a gravidez e
facilitar o parto, estarão bastante exauridas. E também, uma grande quantidade de
sangue sujo que se acumulou dentro e fora do útero precisa ser purificado o suficiente
para evitar complicação mais tarde.

Se uma mulher reassume suas atividades prematuramente, o sangue sujo não se


purificará, acumulará e se solidificará rapidamente na região onde os nervos estão
sendo mais usados. Algumas vezes o efeito será imediato, porém, mais freqüentemente
os efeitos se tornarão a causa de doenças nos anos posteriores, especialmente durante
a menopausa. Por exemplo: andar cedo demais fará com que o sangue impuro se
concentre na região pélvica; usar os braços e as mãos pode resultar em contrair artrite
nos pulsos e nas juntas dos braços; ler com letras miúdas e forçar a vista farão com que
as toxinas se acumulem ao redor dos olhos, enfraquecendo a vista, causando a perda da
visão. Preocupação faz com que o sangue se concentre no centro da cabeça, o que pode
se tornar a causa de uma depressão nervosa ou num caso muito raro, insanidade.
Doenças causadas por atividade em excesso após o parto freqüentemente se tornam
problemas ao longo da vida, sendo difícil ajudar.

Dar a luz é uma purificação muito boa para o corpo físico, uma vez que dá uma
oportunidade para eliminar sangue sujo, na verdade, se for tomado um cuidado após o
parto, a mulher pode se tornar mais saudável do que ela era antes da gravidez.