You are on page 1of 326

Assistente Administrativo

Sumário
Capítulo 1 – Organização das Empresas ..................................................... 3

Capítulo 2 – Matemática ............................................................................... 29

Capítulo 3 - Contabilidade Geral e Custos ................................................... 47

Capítulo 4 – Administração Financeira ......................................................... 107

Capítulo 5 – Processos e Logística............................................................... 143

Capítulo 6 – Administração Tributária ........................................................... 155

Capítulo 7 – Recursos Humanos .................................................................. 164

Capítulo 8 - Departamento de Pessoal ..........................................................180

Capítulo 9 – Organização de Escritório......................................................... 300

Capítulo 10 – Administração do Tempo ........................................................ 308

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 1


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 2


Assistente Administrativo

Capítulo 1 – Organização das Empresas

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 3


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 4


Assistente Administrativo

Organização das Empresas

O que é empresa?

É uma organização econômica em que são reunidos e combinados fatores de


produção, desenvolvendo uma determinada atividade com o objetivo de lucro.

Elementos ou recursos de uma empresa

Para que uma empresa consiga atingir seu objetivo, é necessária a união de quatro
elementos ou recursos, a saber:

1. Humanos: são os funcionários organizados em uma hierarquia. É o elemento


mais importante para que uma empresa atinja seus objetivos.
2. Materiais: são as máquinas que se destinam a produzir bens: ferramentas,
veículos, computadores, maquinário, etc.
3. Técnicos: as habilidades para desenvolver o objeto social da empresa, ou seja,
saber lidar com o que se propõe a fazer.
4. Financeiros: de fundamental importância, é o capital empregado na produção de
bens, na atividade comercial e/ou serviços.

Pessoa Física

É o indivíduo ou pessoa natural dotada de vontade própria e capaz de direitos e


obrigações.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 5


Assistente Administrativo

Pessoa Jurídica

Há duas formas de entender pessoa jurídica, a saber:

- Empresário: um novo tipo de opção àquelas pessoas que pretendem se inscrever


como pessoa jurídica, independente de ser comerciante ou prestador de serviços,
em que o titular responde ilimitadamente por todos os atos praticados pela
empresa.
- Sociedade: a união de dois ou mais sócios que têm responsabilidade solidária e
limitada perante os compromissos assumidos.

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Qual o objetivo de uma empresa?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

2. Quais são os quatro elementos necessários para que uma empresa atinja seu
objetivo?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

3. Pessoa física é o ____________________ ou pessoa natural dotada de vontade


própria e capaz de _________________ e __________________.

4. O empresário pode ser pessoa jurídica?

( ) Sim ( ) Não

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 6


Assistente Administrativo

Missão da empresa

A partir do conceito de negócio formulado e definida a forma jurídica, deve-se


desenvolver a declaração de missão da empresa em termos das metas que deverão ser
atingidas, relacionadas a: natureza e qualidade dos produtos e/ou serviços oferecidos,
preços, relacionamentos com os clientes, com os funcionários e com outras empresas do
setor, características do ambiente de trabalho e estilo de administração, incorporação de
novas técnicas e tecnologias, perspectivas de crescimento e lucros, relacionamentos com
a comunidade e meio ambiente.

Exemplo:

Missão do Senai

“Contribuir para o fortalecimento da indústria e o desenvolvimento pleno e sustentável do


país, promovendo a educação para o trabalho e cidadania; assistência técnica e
tecnológica; a produção e disseminação de informações e a adequação, geração e
difusão da tecnologia”.

Constituição e legalização de empresas

Para que as empresas possam desenvolver suas atividades, é preciso que


estejam devidamente constituídas e legalizadas.

No caso das empresas industriais, comerciais e prestadoras de serviços a


legalização se dá por meio de registro ou arquivamento de seus atos constitutivos na
Junta Comercial do Estado, na Secretaria da Receita Federal, na Prefeitura Municipal, na
Secretaria da Fazenda do Estado (exceto prestadoras de serviços e entidades sem fins
lucrativos).
As empresas exclusivamente prestadoras de serviços têm ainda a opção de
arquivar seus atos constitutivos no Cartório de Registro de Títulos e Documentos ou
equivalente, no município em que forem atuar nessa atividade.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 7


Assistente Administrativo

Natureza das empresas

As empresas são classificadas quanto a sua forma, conforme segue:

Empresa de prestação de serviços


Empresas que vendem um serviço prestado diretamente ao cliente. Geralmente
têm estrutura simples porque não necessitam de estoque. A grande força desse tipo de
negócio são as pessoas. Exemplo: clinica de estética, salão de beleza, assessoria
contábil, conserto de equipamentos, dentre outras.

Empresa comercial
A atividade essencial é comercializar bens e produtos. Essa comercialização pode
se dar em termos de varejo ou distribuição. No varejo o fornecedor vende diretamente ao
consumidor final em quantidades geralmente pequenas, para seu próprio consumo. Essa
empresa normalmente tem estoque e paga comissões por vendas, lidando diretamente
com o público. Nesse caso, as pessoas também são a grande força do negócio.
Exemplos: supermercados, farmácias, magazines. Na distribuição trata-se de empresas
comerciais que atuam em determinadas áreas geográficas e são responsáveis por colocar
determinados produtos no mercado. Muitas vezes essas empresas também vendem no
varejo. Exemplo: atacadistas de produtos alimentícios, atacadistas de rações de animais.

Empresa industrial
A empresa fabrica produtos mediante encomendas ou para formar estoques,
utilizando para isso insumos ou produtos elaborados por outros fabricantes. Exemplos:
indústria de alimentos, indústria de vestuário.

Empresa mista
Combina característica de mais de um tipo de negócio. Exemplo: uma padaria que
fabrica e comercializa seus produtos, uma rotisserie.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 8


Assistente Administrativo

Forma jurídica das empresas

A Legislação Brasileira admite três formas jurídicas para uma empresa.

Firma Individual
É aquela em que há somente um sócio-proprietário, que exerce uma atividade com
a finalidade de lucro, habitual e profissionalmente, mediante a venda a terceiros de bens e
serviços em seu nome. Deve ser registrada devidamente na Junta Comercial em
formulário próprio de Firma Individual, onde constará, dentre outros dados, o objeto da
empresa (atividade a ser desenvolvida). É importante lembrar que não se enquadra como
empresa individual, se não houver a exploração da atividade comercial ou industrial,
sendo permitida a exploração da prestação de serviços cumulativa a essas atividades.
Atualmente, de acordo com o novo Código Civil, é denominada de “Empresário”.

Sociedade Comercial
Constituída obrigatoriamente por duas ou mais pessoas. Exerce atividade com a
finalidade de lucro, mediante a industrialização e/ou comercialização de bens e prestação
de serviços. Atualmente, de acordo com o novo Código Civil, é denominada de
“Sociedade Empresário”. As espécies mais comuns são:

- Sociedades por quotas de responsabilidade Limitada (Ltda): A empresa deve


ser constituída por no mínimo dois sócios, com atividade industrial e/ou comercial,
podendo explorar cumulativamente a atividade de prestação de serviços. As
quotas representam a participação de cada sócio no capital da empresa que terão
responsabilidade limitada a esse capital.
- Sociedade Anônima (S/A): Empresa formada por duas ou mais pessoas cujos
atos constitutivos dar-se-ão por intermédio de um Estatuto Social, em que
constarão as formas de operação, as normas que regerão a empresa e também o
capital social, que será dividido em ações. Essa denominação social também é
chamada companhia.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 9


Assistente Administrativo

Sociedade Simples (S/S): Constituída obrigatoriamente por duas ou mais pessoas, tendo
como objeto apenas a exploração de prestação de serviços. É regulada pelo Código Civil
e não pode praticar atos de comércio. Seus documentos são registrados no Cartório de
Títulos e Documentos e a responsabilidade pelos pagamentos das obrigações da
empresa é limitada à participação dos sócios. Denominada Sociedade Simples de acordo
com o novo Código Civil, conhecida anteriormente como Sociedade Civil (S/C).

Sociedade cooperativa: Sobre o tema a legislação especial estabelece que celebram


contrato de sociedade cooperativa as pessoas que reciprocamente se obrigam a
contribuir com bens ou serviços para o exercício de uma atividade econômica, de proveito
comum, sem objetivo de lucro. Portanto, as cooperativas são sociedades de pessoas,
com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil, não sujeitas à falência,
constituídas para prestas serviços aos associados, distinguindo-se das demais
sociedades e possuindo características peculiares.
Ressaltamos que as sociedades cooperativas podem adotar por objeto qualquer gênero
de serviço, operação ou atividade.

Classificação das empresas

Essa classificação obedece a vários critérios, tais como: ramo de atividade, número de
empregados, faturamento, capital, etc. O critério mais utilizado é classificar as empresa
quanto ao número de empregados, como vemos:

- Microempresa (ME): de 0 a 9 empregados;


- Empresa de Pequeno Porte (EPP): 10 a 99 empregados;
- Média: de 100 a 500 empregados;
- Grande: acima de 500 empregados.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 10


Assistente Administrativo

Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

A Lei nº 9.841/99, de 05 de outubro de 1999, denominada Estatuto das


Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, caracteriza como Microempresa (ME) as
pessoas jurídicas e firmas individuais que tiverem receita bruta anual igual ou inferior a
R$240.000,00. Pela mesma Lei, são consideradas Empresas de Pequeno Porte (EPP) as
pessoas jurídicas ou firmas individuais que, não enquadradas como microempresas
tiverem receita bruta superior a R$240.000,00 e inferior a R$2.400.000,00 – valores
monetários referentes a janeiro de 2006.

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Em que órgãos são arquivados os atos constitutivos das empresas comerciais,


industriais e prestadoras de serviços?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

2. As empresas exclusivamente de prestação de serviços têm a opção de arquivar seus


atos constitutivos no ______________________________________.

3. Com base na Receita Bruta Anual, como são classificadas as Microempresas (ME) e
Empresas de Pequeno Porte (EPP)?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 11


Assistente Administrativo

Razão Social

Todo empreendedor, ao formalizar seu negócio, tem que indicar o nome empresarial,
que pode ser de duas espécies:

- Firma: é o nome utilizado pelo empresário individual e opcionalmente pode ser


utilizado pelas sociedades limitadas.
- Denominação: é o nome utilizado pelas sociedades simples, sociedades
anônimas, cooperativas e opcionalmente pelas sociedades limitadas.

Formação do nome empresarial do empresário

O nome comercial deve ser o do empresário titular. Caso haja um nome igual já
registrado, ele pode ser abreviado, desde que essa abreviação não seja do último
sobrenome, ou ainda ser acrescentado um termo que possa indicar a principal atividade
econômica a ser exercida pela empresa como elemento que a diferencie.

Exemplo: nome do titular: Joaquim Francisco dos Santos e a atividade pretendida


é mercearia.

Ficaria assim:

Opção 1: J. Francisco dos Santos ou Joaquim F. dos Santos


Opção 2: Joaquim Francisco dos Santos Mercearia

Formação do nome empresarial na sociedade limitada

A sociedade limitada pode adotar como vimos anteriormente, tanto firma como
denominação.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 12


Assistente Administrativo

Para firma ela deve ser composta de uma das formas indicadas a seguir:

1. Pelo sobrenome de todos os sócios, acrescidos da expressão limitada ou Ltda.


Exemplo: Sócios: José da Silva, João dos Santos e Mário Vieira.
A razão social poderá ser: Silva, Santos e Vieira Ltda.

2. Pelo sobrenome de um dos sócios, acrescido da expressão & Companhia


Limitada, por extenso ou abreviadamente.
Exemplo: Sócios: José da Silva, João dos Santos e Mário Vieira.
A razão social poderá ser: Silva & Cia. Ltda., ou Silva, Santos e Cia. Ltda., ou
ainda Santos & Vieira Ltda.

3. Pelo nome completo ou abreviado de um dos sócios, acrescido da expressão &


Cia. Ltda. por extenso ou abreviadamente.
Exemplos: Carlos Oliveira Santos e Pedro Souza Dias.
A razão social pode ser: Carlos Oliveira Santos & Cia. Ltda. Ou P. S. Dias & Cia.
Ltda.

A expressão e “Companhia” indica que a sociedade, na formação da Razão Social,


optou por não constar o nome de todos os sócios, podendo ser substituído por outra
expressão que seja capaz de exercer a mesma função.

Exemplo: José Oliveira Silva e Irmãos.

Para denominação ela deve ser composta dos seguintes elementos:

1. Palavra de uso comum ou vulgar ou expressão de fantasia incomum acrescida da


principal atividade exercida pela empresa.
Exemplo: atividade pretendida: mercearia e açougue. Ficaria assim: Bem Servir
Mercearia Ltda.
2. A expressão limitada ou abreviadamente Ltda. deve vir ao final do nome.
Observamos que quando a sociedade optar por colocar na denominação social
sua atividade econômica a ser explorada, ela deve ser compatível com o objeto
social descrito no Contrato Social ou no Estatuto.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 13


Assistente Administrativo

Nome Fantasia

Também conhecido como nome comercial ou nome de fachada é a designação


utilizada por uma instituição, seja ela de ordem pública ou privada, sob a qual ela se torna
conhecida pelo público. Essa denominação opõe-se à Razão Social que é o nome
perante os órgãos públicos de registro das pessoas jurídicas.

O nome fantasia pode ser formado a partir de palavras ou expressões contidas na


própria Razão Social, bem como a partir da criatividade do empresário.

De conformidade com o direito comercial, o registro do nome fantasia dá-se


perante os órgãos de registro de marcas e patentes, resguardando o direito a sua
utilização ao primeiro que o registra.

Marca

É todo sinal distintivo (palavra, figura, símbolo, etc.) visualmente perceptível, que
identifica e distingue produtos e serviços de outros iguais ou semelhantes, de origens
diversas, bem como certifica a sua conformidade com determinadas normas ou
especificações técnicas.

Qualquer pessoa tanto física quanto jurídica que esteja exercendo atividade
legalizada e efetiva pode requerer o registro de uma marca, que se obtém pelo Instituto
Nacional de Propriedade Industrial – INPI.

A marca registrada perante o INPI garante ao seu proprietário o direito de uso


exclusivo em todo o território nacional em seu ramo de atividade econômica.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 14


Assistente Administrativo

Contrato Social

Para constituirmos uma sociedade é necessária a elaboração do Contrato Social,


pois é o instrumento jurídico que irá reger e definir por meio de suas normas a nova
empresa.

As cláusulas contratuais refletem as disposições de vontade dos sócios,


modelando o funcionamento da sociedade e definindo seus contornos mais peculiares.

É importante destacar que o contrato das limitadas é composto por cláusulas


contratuais essenciais ou obrigatórias, sem as quais não podem ser arquivados no
registro competente, e de cláusulas facultativas, que são livres, representando a
expressão máxima da autonomia da vontade dos sócios.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 15


Assistente Administrativo

Modelo Básico de Contrato Social

Contrato social de constituição da empresa “X”


1. Fulano de Tal ((qualificação completa: nacionalidade, estado civil (se casado indicar o
regime de bens), profissão, nº do CPF, identidade (carteira de identidade ou carteira de
estrangeiro indicando o seu nº, órgão expedidor e estado emissor), residente e domiciliado
na (endereço completo: tipo e nome do logradouro, nº, complemento, bairro, cidade, CEP e
UF)) e.
2. Beltrano de tal ((qualificação completa: nacionalidade, estado civil (se casado indicar o
regime de bens), profissão, nº do CPF, identidade (carteira de identidade ou carteira de
estrangeiro indicando o seu nº, órgão expedidor e estado emissor), residente e domiciliado
na (endereço completo: tipo e nome do logradouro, nº, complemento, bairro, cidade, CEP e
UF)), constituem uma sociedade limitada mediante as seguintes cláusulas:

1ª A sociedade girará sob o nome empresarial _________________ e terá sede e domicílio


na (endereço completo: tipo e nome do logradouro, nº, complemento, bairro, cidade, CEP e
UF).
2ª Seu objeto social será __________________________________________.
3ª O capital social será de R$ _______________ (____reais), dividido em _________
(______) quotas de valor nominal de R$ ___________ (____ reais), cada uma, subscritas,
3.1 e integralizadas, neste ato, em moeda corrente do País, pelos sócios:
Fulano de Tal .................... nº de quotas - R$ ________________.
Beltrano de Tal ................... nº de quotas - R$ ________________.
Total ................................... nº de quotas - R$ ________________.
4ª A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas todos respondem
solidariamente pela integralização do capital social.
5ª As quotas são indivisíveis e não poderão ser cedidas ou transferidas a terceiros sem o
consentimento do outro sócio, a quem fica assegurado, em igualdade de condições e
preço, o direito de preferência para sua aquisição se postas à venda, formalizando, se
realizada a cessão delas, a alteração contratual é pertinente.
6ª A sociedade iniciará suas atividades em ________ e seu prazo de duração é por tempo
indeterminado.
7ª A administração da atividade caberá _______________ com poderes e atribuições de
___________________ (constar os poderes que terá o administrador. Por exemplo,
representar a sociedade perante órgãos públicos), podendo os sócios assinar na forma
isoladamente ou em conjunto, autorizado o uso do nome empresarial, vedado, no entanto,
em atividades estranhas ao interesse social ou assumir obrigações seja em favor dos

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 16


Assistente Administrativo

quotistas ou de terceiros, bem como onerar ou alienar bens imóveis da sociedade, sem
autorização do outro sócio.
8ª ao término de cada exercício social, em 31 de dezembro, o administrador prestará contas
justificadas de sua administração, procedendo à elaboração do inventário, do balanço
patrimonial e do balanço do resultado econômico, cabendo aos sócios, na proporção de
suas quotas, os lucros ou perda apurados.
9ª Fica eleito o foro de _____________ para o exercício e o cumprimento dos direitos e
obrigações resultantes deste contrato.
10ª O(s) Administrador(es) declara(m), sob as penas da Lei, que não est(ão) impedidos de
exercer a administração da sociedade, por lei especial, ou em virtude de condenação
criminal, ou por se encontrar(em) sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que
temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação,
peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema
financeiro nacional, contra normas de defesa de concorrência, contra as relações de
consumo, fé pública ou a propriedade.

E por estarem assim justos e contratados, assinam o presente instrumento em ___ vias, na
presença de duas testemunhas.

__________________, _____ de _____________ de ______.


Local data

__________________ __________________
Fulano de Tal Belltrano de Tal

Testemunhas:

__________________
Assinatura:
Nome completo e identidade (espécie e nº, órgão emissor/UF

_________________
Assinatura:
Nome completo e identidade (espécie e nº, órgão emissor/UF

Visto do Advogado _____________________________________


Nome completo – Inscr. Na OAB/Seccion
(dispensado se a empresa for ME ou EPP)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 17


Assistente Administrativo

Legalização da Empresa

Para legalização definitiva de uma empresa, algumas providências devem ser


tomadas antes do efetivo início de suas atividades nos seguintes organismos:

Receita Federal

A partir de 1998, a Secretaria da Receita Federal alterou o sistema de


Cadastramento das Empresas Nacionais. Onde antes tínhamos o CGC (Cadastro Geral
de Contribuintes), hoje temos o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

O formato referente à numeração em nada foi alterado, permanecendo os mesmos


números para as empresas já inscritas no CGC.

Exemplo: 00.000.000/0000-00

- Os números após a parra correspondem à unidade da empresa.


- Os dois últimos números correspondem ao dígito verificador que testa se o CNPJ é
verdadeiro ou falso.

Inscrição Estadual

As empresas que realizam operações de compra e venda, tanto de produtos como


de mercadorias, são consideradas CONTRIBUINTE perante o ESTADO, devendo obter a
Inscrição Estadual. Os governos estaduais têm à disposição dos contribuintes e empresas
os Postos Fiscais Eletrônicos, que oferecem muitos serviços, especialmente a DECA
ESTADUAL.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 18


Assistente Administrativo

Inscrição municipal

Para finalizarmos o processo de abertura e para que possamos colocar a empresa


em funcionamento, é necessária uma inscrição municipal e posteriormente o alvará ou
licença de funcionamento.

Responsabilidade Social

O mundo empresarial vem se empenhando, nos últimos anos, em uma ampla e


profunda revisão do seu papel e da sua responsabilidade social, hoje revestida de um
novo significado. Já foi o tempo em que, para uma organização empresarial ser
considerada socialmente responsável, bastava gerar empregos, pagar impostos e
produzir algum bem ou serviço para o mercado. Isso, na verdade, é o seu propósito
econômico. Atualmente, o papel reservado à empresa, no conjunto da vida social, está
em plena expansão com a adoção de práticas e compromissos perante a sociedade.
Além de gerar resultados para remunerar o capital nela investido, por meio de
atendimento das necessidades e expectativas dos seus clientes, a empresa deve ter
compromissos com os seus colaboradores e com a coletividade para se tornar
socialmente responsável.

Desenvolvimento sustentável

Com o que chamamos de ‘progresso’, vemos hoje a degradação total quase


incontrolável do planeta, sempre pela ganância do homem em alcançar resultados
sempre financeiros e imediatos. Destroem as florestas criando um desequilíbrio em que
nem mesmo eles próprios podem acreditar, os rios despejando os mais variados e
estranhos lixos e assim por diante.

Diante desta terrível e triste constatação surge a idéia do desenvolvimento


sustentável, que busca conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação
ambiental, e com isso amenizar pelo menos a pobreza no mundo.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 19


Assistente Administrativo

As pessoas de bem acreditam que o desenvolvimento sustentável seja possível,


ou seja, os programas de educação ambiental devem ser colocados com força, de forma
a ‘acordar’ quem ainda não se engajou em programas dessa natureza.

O que é então o desenvolvimento sustentável se não o equilíbrio entre a


tecnologia e o ambiente, revelando-se diversos grupos sociais de uma nação e também
dos diferentes países na busca da equidade e justiça social, assim definido pelos
estudiosos.

Qualidade e Meio ambiente

NBR ISO 14000

A ISO – International Standardization for Organization é uma organização não-


governamental sediada em Genebra, fundada em 23 de fevereiro de 1947, com o objetivo
de ser o fórum internacional de normalização, que atua como entidade harmonizadora das
diversas agências nacionais. Noventa e cinco por cento da produção mundial estão
representados na ISO por mais de uma centena de países membro.

As organizações de todos os tamanhos vêm crescentemente aumentando suas


atenções para os impactos de suas atividades, produtos e serviços.

Essas organizações têm suas preocupações voltadas à manutenção e melhoria da


qualidade do meio ambiente e também a proteção da saúde humana, objetivando
alcançar um desempenho ambiental consciente, comprometendo-se com o
aprimoramento contínuo.

A ISO 14000 tem como objetivo geral fornecer assistência para as organizações
que se enquadrarem nos seus propósitos, na implantação de um sistema de gestão
ambiental – SGA.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 20


Assistente Administrativo

Um SGA oferece ordem e consistência para o atendimento das preocupações


ambientais por meio de alocações de recursos, definição de responsabilidades e
comprometimento com o ‘desenvolvimento sustentável’.
Da forma acelerada como vemos o progresso, podemos concluir que ele pode acabar
com o ambiente, ou, em outras palavras, destruir o planeta.

Modelos organizacionais de empresas

Organizar significa estruturar e integrar as atividades desenvolvidas em uma


empresa, distribuindo-se por departamentos, setores, seções, etc., conforme suas
necessidades.

Ao organizar uma empresa, agrupam-se suas atividades em determinados órgão,


atribuindo-lhes cargos ou funções, além de definir as relações de hierarquia (autoridade)
entre cada um desses órgãos.

Assim sendo, obtém a estrutura organizacional que é a forma de ‘arrumação’ de


uma empresa de maneira a oferecer-lhe maiores probabilidades de obter bons resultados.

Áreas e setores funcionais

Área funcional é diferente de estrutura. Para entendermos melhor áreas,


departamentos, setores, temos que nos ater ao organograma, que é a representação
gráfica da estrutura organizacional da empresa, considerados os departamentos, setores
e seções e a inter-relação existente entre eles.

A empresa é um sistema, cujo aspecto principal é a interligação da suas partes.

Didaticamente podemos apresentar a estrutura interna das empresas observando


os eu porte, os produtos confeccionados, a área geograficamente ocupada, etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 21


Assistente Administrativo

Analisando a estrutura empresarial quanto ás funções internas, temos:

1. Áreas: constituídas por departamentos e setores. Assim temos, por exemplo, a


área comercial constituída pelo departamento de marketing, responsável pelos
setores de pesquisa, compras, vendas e telemarketing. Considerando a tomada de
decisão, entendemos nas áreas as decisões estratégicas, envolvendo toda a
empresa. Em relação ao tempo, tais decisões são, normalmente, de longo prazo,
apresentando os resultados dos departamentos ao longo do período.

2. Departamentos: segundo nível de uma organização, responsáveis pelos setores.


As tomadas de decisões são basicamente táticas, compreendendo os
departamentos específicos e em relação ao tempo podem ser de médio ou curto
prazo.

3. Setores: terceiro nível de uma organização compreende a operacionalização da


atividade. O foco das decisões é operacional, de curto prazo.

Hierarquia

Quando se fala em hierarquia, sugere-se imediatamente um conceito de chefia. Na


realidade hierarquia significa mais que esse conceito e precisa ser vista e entendida
amplamente pela importância que representa para a empresa.

As relações de autoridade fundamentam-se na estrutura organizacional de


subordinação, enquanto as relações de responsabilidade são as definidas pelas ordens e
orientações recebidas e a quem devem prestar contas do trabalho realizado.

A relação existente entre autoridade e responsabilidade forma uma rede definida


como hierarquia, cujas relações de autoridade podem apresentar-se em dois níveis:
vertical e horizontal.
A título de fixação, apresentamos três tipos de organograma: linear, departamental
e funcional.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 22


Assistente Administrativo

Presidente

Diretor A Diretor B Diretor C

Gerente B1 Gerente B2 Gerente B3

Outra estrutura que queremos demonstrar é a departamental.

A departamentalização é a divisão ou órgão da empresa, responsável por um


conjunto determinado de atividades. Em seguida veja um exemplo de
departamentalização por função.

Diretoria Geral

Divisão Industrial Divisão Comercial Divisão Financeira

Departamento de Departamento de Departamento de


Compras Marketing Vendas

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 23


Assistente Administrativo

Organização funcional – a autoridade é exercida conforme a divisão da


administração, da direção e da chefia por funções.

Segue um exemplo desse tipo de organização:

Presidente

Diretor

Gerente

Supervisor Supervisor Supervisor Supervisor Supervisor


A B C D E

Executores Executores Executores Executores Executores

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 24


Assistente Administrativo

Fluxograma

Refere-se ao fluxo de informações que deve percorrer toda a organização e tem


interligações setoriais de grande importância.

Exemplo:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 25


Assistente Administrativo

Planejamento

O que é planejar? Evidentemente, significa elaborar planos para serem


acompanhados e obter resultados futuros. Esse futuro é desconhecido ainda, embora
sejam tendências globais e setoriais.

Essas tendências significam a observação de comportamento da economia e do


setor, ou ramo de atividade do cenário em que a empresa atua.

Várias são as técnicas e os métodos usados para planejar, porém, todos baseados
em históricos e tendências.

Como exemplo temos o planejamento de vendas da empresa. Para se obter os


resultados futuros, temos que nos apoiar em fatos e valores históricos do período igual ao
que estamos planejando, observando inclusive o comportamento do consumidor.

Mesmo o planejamento financeiro que pretendemos elaborar sobre o qual temos


que observar o histórico do mesmo período, porém, como este se relaciona com finanças,
o comportamento da moeda e do mercado é de fundamental importância.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 26


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 27


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 28


Assistente Administrativo

Capítulo 2 – Matemática

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 29


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 30


Assistente Administrativo

Matemática

Razão

A comparação entre dois números racionais, através de uma divisão, chama-se


Razão. Vamos considerar a seguinte situação: foi desenvolvida uma pesquisa para
conhecer a preferência dos eleitores quanto aos candidatos a presidente de uma
determinada Associação de Bairro em uma cidade, da qual obtiveram os seguintes dados:

• Candidato A = 400
• Candidato B = 300
• Candidato C = 200
• Candidato D = 100

Total = 1000

Vamos comparar então o número de moradores da comunidade que têm


preferência pelo candidato A, que são 400, com o número total de eleitores que é 1000.
Dividimos, então 400 por 1000:

40 2
Obtém-se : =
1000 5

A esse tipo de comparação entre dois números racionais chamamos de razão, ou


seja, no exemplo interpretamos que de cada cinco pessoas entrevistadas, duas preferem
o candidato A. Prosseguindo a interpretação, teremos:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 31


Assistente Administrativo

Para o candidato B teremos o seguinte:

300 3
= que se lê: 3 para 10
1000 10

Para o candidato C fica assim:

200 1
= que se lê: 1 para 5
1000 5

Para o candidato D fica assim:

100 1
= que se lê: 1 para 10
1000 10

Termos de uma razão

2 2
A fração lê-se: dois quintos A razão lê-se: dois para cinco
5 5

O número 2 é o numerador

2
Na fração
5

O número 5 é o denominador

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 32


Assistente Administrativo

O número 2 é o antecedente

2
Na razão
5

O número 5 é o conseqüente

A palavra razão, vem do latim ratio, e significa "divisão".

Proporção

É uma igualdade entre duas razões, como exemplificamos em seguida:

4 1 5 1
Considerando as razões = e =
8 2 10 2

4
As frações que representam as razões são equivalentes, portanto as razões e
8
5
são iguais e assim sendo, essa igualdade é uma proporção.
10

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 33


Assistente Administrativo

Regra de Três simples

Regra de três simples é um processo prático para resolver problemas que


envolvam quatro valores dos quais conhecemos três deles. Devemos, portanto,
determinar um valor a partir dos três já conhecidos. A Regra de três simples envolve duas
grandezas proporcionais.

Exemplo: Em uma linha de montagem, um funcionário produz 6000 peças por


hora. Quantas peças ele produz em 15 minutos?

Para solucionar o problema de uma maneira simples, temos que considerar duas
grandezas: Tempo e Peças fabricadas.

Vamos indicar por “x” a quantidade de peças a serem produzidas.

Coloquemos as grandezas de mesma espécie em uma mesma coluna e as


grandezas de espécies diferentes que se correspondem em uma outra linha:

Tempo Peças

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 34


Assistente Administrativo

Regra de três composta

A regra de três composta é utilizada em problemas com mais de duas grandezas


proporcionais.

Exemplo: Na mesma fábrica citada anteriormente, quero aumentar para 3


funcionários em 15 minutos. Quantas peças eles produzirão?

Tempo Peças

Grandezas

Entendemos por grandeza tudo aquilo que pode ser medido, contado. As
grandezas podem ter suas medidas aumentadas ou diminuídas. Alguns exemplos de
grandeza: o volume, a superfície, o comprimento, a capacidade, a velocidade, o tempo, o
custo e a produção.

Grandezas Diretamente Proporcionais

É comum ao nosso dia-a-dia, situações em que relacionamos duas ou mais


grandezas. Exemplo: Num forno utilizado para a produção de ferro fundido comum,
quanto maior for o tempo de uso, maior será a produção de ferro. Nesse caso, as
grandezas (o tempo e a produção) são diretamente proporcionais, pois aumenta o
tempo e aumenta a produção.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 35


Assistente Administrativo

Exemplo: Se um carro percorre uma Estrada com velocidade media de 70Km/h,


quantos quilômetros percorrerá em 5 horas?

Obs: Aumenta as duas grandezas proporcionais, o tempo e o percurso.

Grandezas Inversamente Proporcionais

Exemplo: Em uma corrida de "quilômetros contra o relógio", quanto maior for a


velocidade, menor será o tempo gasto nessa prova. Aqui, as grandezas (a velocidade e o
tempo) são inversamente proporcionais, pois aumentando a velocidade, diminui o
tempo.

Exemplo: Seis operários constroem um prédio em 360 dias. Quantos dias serão
necessários para que 20 operários construam o mesmo prédio?

Obs: Aumenta o número de operários e diminui os dias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 36


Assistente Administrativo

Se as grandezas forem diretamente proporcionais, mantém a proporção.

Se as grandezas forem inversamente proporcionais, inverte a proporção.

Exercícios para fixação do aprendizado

1) Uma indústria envasa 1800 garrafas de determinado refrigerante por hora.


Quantas garrafas essa indústria envasa em 45 minutos?

2) Se um ônibus percorre uma estada com velocidade média de 80 km/h, quantos


quilômetros percorrerá em 3 horas?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 37


Assistente Administrativo

3) Dois pintores gastam 18 horas para pintar uma parede. Quanto tempo levariam 4
pintores para fazer o mesmo serviço?

4) Cinco operários constroem uma casa em 360 dias. Quantos dias serão
necessários para que 25 operários construam a mesma casa?

5) Um ônibus em velocidade média de 70 km/h leva 5 horas para percorrer uma


estrada. Quanto tempo gastará para percorrer a mesma estrada se desenvolver
velocidade média de 100 km/h?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 38


Assistente Administrativo

6) Uma torneira enche um tanque em 2 horas. Em quantos minutos 3 torneiras iguais


a primeira encherão o mesmo tanque?

7) Se 16 operários levam 3 dias para completar uma obra, quantos operários são
necessários para completar essa obra em 2 dias?

8) Qual é a altura de um edifício cuja sombra tem 6 metros no mesmo instante em


que um poste de 2 metros de altura projeta uma sombra de 0,6 metros?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 39


Assistente Administrativo

9) Para percorrer 360 km de uma estrada, um automóvel consome 30 litros de


gasolina. Para percorrer 450 km, quanto consumirá?

Porcentagem (%)

É frequente o uso de expressões que refletem acréscimos ou reduções em preços,


números ou quantidades, sempre tomando por base 100 unidades. Alguns exemplos:

• A gasolina teve um aumento de 15%: Significa que em cada R$ 100,00 houve um


acréscimo de R$ 15,00.
• O cliente recebeu um desconto de 10% em todas as mercadorias: Significa que
em cada R$ 100,00 foi dado um desconto de R$ 10,00.

Verificamos o seguinte exemplo para melhor conceituar porcentagem: Uma loja


em um shopping center promove uma liquidação de suas roupas oferecendo 30% de
desconto em todas as mercadorias da linha cama, mesa e banho. Calcule o desconto em
reais para uma mercadoria cujo preço de etiqueta é R$ 350,00.

 O valor de R$ 350,00 é chamado de principal (P)


30
 30% = é a taxa percentual (i)
100
 A porcentagem será o valor de desconto (p)
Assim sendo, p equivale 30% de R$ 350,00.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 40


Assistente Administrativo

A porcentagem pode ser calculada de duas formas: regra de três e multiplicação


direta.

Cálculo utilizando a Regra de três

Cálculo utilizando a multiplicação direta

Exercícios para fixação do aprendizado

1) Em uma linha de produção são fabricadas 800 peças/ dia. Sabendo-se que há
uma perda de 13% da produção, quantas peças perdem-se por dia?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 41


Assistente Administrativo

2) Uma determinada loja está liquidando seu estoque de roupas de inverno. Um


casaco que custa R$ 450,00 está sendo vendido com 45% de desconto. Qual o
preço final que o consumidor pagará caso venha a comprar o casaco?

3) Em um colégio com apenas dois períodos, estudam 700 alunos. Destes, 53%
estudam no período da tarde. Quantos alunos estudam à tarde? E de manhã?

4) No fim de uma temporada, uma equipe de basquete havia ganho 26 dos 40 jogos
disputados. Qual a porcentagem de partidas ganhas no final da temporada?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 42


Assistente Administrativo

5) Um comerciante comprou um objeto por R$ 200,00 e o vendeu por R$ 250,00.


Qual foi a porcentagem de seu lucro em relação ao preço de compra?

6) Uma loja aumentou em 20% o preço do par de sapatos que custava R$ 40,00. Ao
entrar em liquidação, essa loja passou a oferecer esse mesmo par de sapatos com
um desconto de 20% para pagamento à vista. Qual o preço atual dos sapatos à
vista?

7) Depositando-se R$ 600,00 numa caderneta de poupança, ao final do mês obtém-


se R$ 621,00. Qual a taxa de porcentagem do rendimento?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 43


Assistente Administrativo

8) Numa classe de 40 alunos, 45% são meninas. Quantas meninas tem na sala? E
quantos meninos?

9) Gastei 30% do meu salário comprando um vestido. Calcule meu salário, sabendo-
se que paguei R$ 180,00 pelo vestido.

10) Meu salário é R$ 1500,00. Deste, 30% é reservado ao pagamento de aluguel, 25%
ao lazer e o restante à alimentação. Quais são os valores destinados ao
pagamento do aluguel, ao lazer e à alimentação?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 44


Assistente Administrativo

Média aritmética simples

A média aritmética simples também é conhecida apenas por média. É a medida de


posição mais utilizada e a mais intuitiva de todas. Ela está tão presente em nosso dia-a-
dia que qualquer pessoa entende seu significado e a utiliza com frequência. A média de
um conjunto de valores numéricos é calculada somando-se todos estes valores e
dividindo-se o resultado pelo número de elementos somados, que é igual ao número de
elementos do conjunto, ou seja, a média de n números é sua soma dividida por n.

Exemplo: Alcebíades participou de um concurso, onde foram realizadas provas de


Português, Matemática, Biologia e História. Sabendo que Alcebíades tirou 8,0 em
Português, 7,5 em Matemática, 5,0 em Biologia e 4,0 em História, qual foi a média que ele
obteve?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 45


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 46


Assistente Administrativo

Capítulo 3 – Contabilidade Geral e Custos

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 47


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 48


Assistente Administrativo

Contabilidade

CONCEITO DE CONTABILIDADE

A Contabilidade visa transformar os dados em informações. Funciona como um


sistema fabril, uma indústria, por exemplo, que transforma matéria prima, mão-de-obra e
horas de máquinas e equipamentos em produto acabado, portanto há uma entrada de
recursos que, após processados pela área produtiva, gera o produto acabado. A
Contabilidade também funciona dessa forma, pois há uma entrada de dados econômicos
e financeiros (tudo o que a empresa compra, vende, paga ou recebe), e esses dados são
processados e transformados em informações (que são utilizadas na elaboração de
relatórios que contribuem para tomada de decisões). Assim, há uma entrada, um
processamento e uma saída.

FINALIDADES DA CONTABILIDADE

A contabilidade é o controle e o planejamento de toda e qualquer entidade sócio-


econômica.

Controle: a administração por meio das informações contábeis via relatórios pode
certificar-se, na medida do possível, de que a organização está agindo em conformidade
com os planos e políticas determinados.

Planejamento: a informação contábil, principalmente no que se refere ao


estabelecimento de padrões e ao inter-relacionamento da contabilidade e os planos
orçamentários é de grande utilidade no planejamento empresarial, ou seja, no processo
de decisão sobre que curso de ação deve ser tomado para o futuro.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 49


Assistente Administrativo

Funções da Contabilidade

As principais funções da Contabilidade são registrar, analisar, demonstrar, organizar e


acompanhar as modificações do patrimônio em virtude da atividade econômica ou social
que a empresa exerce no contexto econômico.

• Registrar: todos os fatos que ocorrem e podem ser representados em valor


monetário.
• Analisar: os demonstrativos podem ser analisados com a finalidade de apuração
dos resultados obtidos pela empresa.
• Demonstrar: com base nos registros realizados, expor periodicamente por meio
de demonstrativos a situação econômica, patrimonial e financeira da empresa.
• Organizar: um sistema de controle adequado à empresa.
• Acompanhar: a execução dos planos econômicos da empresa, prevendo os
pagamentos a serem realizados, as quantias a serem recebidas de terceiros e
alertando para eventuais problemas.

Usuários da Contabilidade

Os usuários são as pessoas que utilizam da contabilidade, que se interessam pela


situação da empresa e buscam nos instrumentos contábeis as suas respostas. Podem ser
divididos em usuários internos e usuários externos.

Usuários internos: são todas as pessoas ou grupo de pessoas relacionadas com a


empresa e que têm facilidade de acesso às informações contábeis, como:

• Gerentes: para tomada de decisões;


• Funcionários: com interesse em pleitear melhorias;
• Diretoria: para execução de planejamentos organizacionais.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 50


Assistente Administrativo

O usuário interno principal da informação contábil na entidade moderna é a alta


administração que, pela proximidade com a contabilidade, pode solicitar a elaboração de
relatórios específicos para auxiliar na gestão do negócio.

Os relatórios específicos, além de abrangerem quaisquer áreas de informação (fluxo


financeiro, disponibilidades, contas a pagar, contas a receber, aplicações financeiras,
compras e vendas no dia ou no período e os gastos gerais de funcionamento), podem ser
elaborados diariamente ou em curtos períodos de tempo (semana, quinzena, mês, etc.)
de acordo com as necessidades administrativas.

Usuários externos: todas as pessoas, grupo de pessoas ou organismos sem facilidade


de acesso direto às informações, mas que as recebem de publicações das
demonstrações pela entidade, ou exigem de acordo com a Lei, tais como:

• Bancos: interessados nas demonstrações financeiras com a finalidade de analisar


a concessão de financiamentos e medir a capacidade de retorno.
• Concorrentes: interessados em conhecer a situação da empresa para poder
atuar no mercado.
• Governo: que necessita obter informações sobre as receitas e as despesas para
atuar sobre o resultado operacional no que concerne a sua parcela de tributação e
planejamento macroeconômico.
• Fornecedores: interessados em conhecer a situação da entidade para poder
continuar ou não as transações comerciais com a entidade, além de medir a
garantia de recebimento futuro.
• Clientes: interessados em medir a integridade da entidade e a garantia de que
seus pedidos serão atendidos nas suas especificações e no tempo acordado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 51


Assistente Administrativo

Estrutura Patrimonial

Elementos do Patrimônio estudados pela Contabilidade

(+) (-)
Bens Obrigações
● Dinheiro ● Contas a pagar
● Veículos ● Títulos a pagar
● Mercadorias para revenda ● Salários a pagar
● Computadores ● Impostos a pagar
● Máquinas e equipamentos ● Duplicatas a pagar
● Móveis e utensílios ●Financiamentos bancários
● Prédios ● Fornecedores
● Etc. ● Etc.

Direitos Patrimônio Líquido


● Contas a receber ● Capital Social
● Títulos a receber ● Lucro/ Prejuízo
● Clientes

Bens + Direitos formam a parte positiva do patrimônio.


Obrigações formam a parte negativa do patrimônio.
Patrimônio é um conjunto de bens pertencentes a uma empresa ou pessoa.

Bens

Sob o ponto de vista contábil, bem significa tudo aquilo que a empresa possui,
seja para uso, troca ou consumo. Os bens podem ser materiais ou imateriais. Os bens
materiais constituem todas as coisas ou objetos concretos da empresa, representados por
seu valor monetário. Exemplo: móveis, dinheiro, imóveis, máquinas, veículos,
mercadorias em estoque, etc. Os bens imateriais são aqueles que não existem
fisicamente. Exemplos: marcas, patentes, luvas, gastos com pesquisa, etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 52


Assistente Administrativo

Direitos

São valores que a empresa tem a receber de terceiros, decorrentes de bens,


serviços ou dinheiro que ela forneceu. Exemplos: duplicatas a receber referente vendas à
prazo, dívidas a receber, etc.

É comum as empresas efetuarem vendas a prazo. Quando isso ocorre, a empresa


não recebe no ato o dinheiro correspondente à venda; receberá futuramente, porque a
venda foi a prazo. Sendo assim, a empresa fica com o direito de receber o valor da
venda no prazo determinado.

Esses direitos geralmente aparecem com os nomes dos elementos seguidos da


expressão “a receber”.

Exemplos:

Elemento Expressão
Duplicatas a Receber
Promissórias a Receber
Aluguéis a Receber

Obrigações

São valores correspondentes a dívidas ou compromissos que a empresa assume


com terceiros, decorrentes de bens, serviços ou empréstimos que ela recebeu. Exemplos:
duplicatas a pagar referentes a compras a prazo, empréstimos a pagar, promissórias a
pagar, etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 53


Assistente Administrativo

É comum também as empresas efetuarem compras a prazo. Quando isso ocorre,


a empresa não paga a conta no ato; deverá pagar futuramente, porque a compra foi a
prazo. Nesse caso, a empresa fica com a obrigação de pagar o valor da compra
determinado.

Essas obrigações geralmente aparecem com os nomes dos elementos seguidos


da expressão “a pagar”.

Exemplos:

Elemento Expressão
Duplicatas a Pagar
Promissórias a Pagar
Aluguéis a Pagar
Salários a Pagar
Impostos a Pagar

Patrimônio Líquido

O patrimônio líquido representa o registro do valor que os proprietários de uma


empresa têm aplicado no negócio. Para ilustrar, vamos admitir que você e um sócio
decidiram abrir uma empresa. Mas, para iniciar as atividades, a empresa necessita de um
capital inicial de R$ 20.000.000, que vocês entregam ao gerente da firma. No momento
em que a empresa recebe o dinheiro, a posse deste representa um ativo. Mas, por outro
lado, a empresa deve registrar que seus proprietários (os sócios) aplicaram no negócio
uma determinada quantia, o capital, que representa o patrimônio líquido da empresa.

Ao pegar os bens e direitos (ativo) e reduzir os deveres e obrigações (passivo)


chega-se ao valor líquido da empresa, ou seja, ao valor que os proprietários (sócios e
acionistas) têm investido na sociedade em determinado momento. Por representar o valor
líquido da empresa é chamado de Patrimônio Líquido (PL), que é formado pelo capital
social, reservas e lucros ou prejuízos acumulados.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 54


Assistente Administrativo

A Equação Básica da Contabilidade

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido

Patrimônio Líquido = Ativo – Passivo

Passivo = Ativo – Patrimônio Líquido

O fato do total do Ativo ser exatamente igual ao total do Passivo + Patrimônio


Líquido não se trata de mera coincidência, pois para que se tenha bens e direitos é
necessário que alguém esteja financiando as aquisições, esse financiamento provém de
terceiros (Passivo) ou dos donos (PL). Assim, esse equilíbrio entre as duas colunas, de
um lado o Ativo e de outro o Passivo + PL, fez com que o nome Estrutura Patrimonial
migrasse para Balanço Patrimonial. O termo “balanço” representa equilíbrio entre as
fontes de recursos (Passivo + PL) e as aplicações desses recursos (Ativo).

Situações Líquidas Patrimoniais

É obtida com aplicação da equação patrimonial apresentada em seguida:

BENS + DIREITOS - OBRIGAÇÕES = SITUAÇÃO PATRIMONIAL

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 55


Assistente Administrativo

Existem três possíveis situações líquidas patrimoniais. São elas:

1 ª Ativo maior que o Passivo

Ocorre quando a soma com os bens e direitos é maior que a soma das obrigações.

Neste caso, a situação líquida chama-se:

• Situação Líquida Positiva porque o total dos elementos positivos (bens +


direitos) supera o total dos elementos negativos (obrigações).
• Situação Líquida Ativa porque o total do ativo (bens e direitos) supera o total do
passivo (obrigações).
• Situação Líquida Superavitária por ser uma situação positiva.

2 ª Ativo menor que o Passivo

Ocorre quando a soma dos bens com os direitos é menor que a soma das obrigações.

Neste caso, a situação líquida chama-se:

• Situação Líquida Negativa porque o total dos elementos negativos (obrigações)


supera o total dos elementos positivos (bens e direitos).
• Situação Líquida Passiva porque o total do passivo (representado apenas por
obrigações) é superior ao total do ativo (bens e direitos).
• Situação Líquida Deficitária por ser uma situação negativa.
• Passivo a Descoberto porque o total do ativo não é suficiente para cobrir o total
do passivo.

3 ª Ativo igual ao Passivo

Ocorre quando o total dos bens mais direitos é igual ao total das obrigações.
Nesse caso a situação líquida é nula, inexistente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 56


Assistente Administrativo

Contas

Conta é a denominação técnica dada a cada elemento do patrimônio (bens e


direitos) e a cada elemento do resultado (receitas e despesas).

Os lançamentos a débito ou a crédito na contabilidade carecem de um lugar para


armazenar os valores correspondentes. Podemos ainda dizer que conta é a
representação gráfica que normalmente possui um título técnico estabelecido por
convenção contábil.

A padronização das contas tem como objetivo o entendimento universal das peças
contábeis, com o objetivo de analisar um balanço ou balancete e sua respectiva
comprovação dentro das conformidades legais.

Classificação das Contas

Contas Patrimoniais Contas de Resultado


Contas do Ativo (+) Contas de Despesas (-)
Contas do Passivo (-) Contas de Receitas (+)

Contas Patrimoniais

Contas do Ativo

É o conjunto de bens, direitos de propriedade da empresa e valores a receber. São


os itens ou elementos positivos (+) do Patrimônio, que trazem benefícios, proporcionando
ganhos para a empresa. São bens em uso na empresa para promoção de suas atividades
ou direitos a receber que podem tornar-se um bem disponível dentro do patrimônio.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 57


Assistente Administrativo

Exemplo: caixa, bancos, móveis, valores a receber provenientes de vendas a


prazo, estoque de mercadorias, terrenos, etc.

As contas do Ativo se dividem em três grupos:

• Circulante: contas que alteram constantemente.


• Realizável a longo prazo: bens e direitos que irão realizar-se em até 360 dias
contados do ultimo dia do exercício social da data de publicação do balanço a que
faz parte.
• Permanente: bens e direitos não destinados à transformação direta em meios de
pagamento, cuja perspectiva de permanência na entidade ultrapasse 360 dias.

Contas do Passivo

Representa todas as obrigações financeiras que uma empresa tem para com
terceiros. É tudo que deve; as dívidas que ela contraiu. Assim se uma empresa adquire
um veículo para pagamento a prazo, a posse do mesmo representa um ativo. Mas por
outro lado, a empresa passa a ter uma obrigação para com a pessoa ou empresa que
vendeu o veículo. Assim, ela passa a ter uma obrigação, que representa um passivo
exigível.

Exemplo: duplicatas a pagar, impostos a pagar, juros a pagar, aluguéis a pagar, salários
a pagar, etc.

As contas do Passivo se dividem em:

• Circulante: são as obrigações a curto prazo.


• Exigível a longo prazo: valores que excedem o exercício social.
• Resultados de exercícios futuros: pouco usados e funcionam como previsões.
• Patrimônio Líquido: obrigações, por prazo indeterminado, com os sócios.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 58


Assistente Administrativo

Contas de Resultado

Não representam o patrimônio, mas os fatos que provocam variações no


patrimônio. É por meio dessas contas que a empresa, no final do exercício, vai apurar o
resultado, ou seja, saber se teve lucro ou prejuízo.

Receitas - Despesas = Resultado

- Lucro: total de receitas é superior ao total de despesas;


- Prejuízo: total de despesas é maior que a soma de receitas.

Receitas

São valores que a empresa obtém pelo exercício de suas atividades. Exemplos:
venda de mercadorias, prestação de serviços a terceiros, juros recebidos sobre
pagamentos de clientes em atraso, etc. As receitas obtidas alteram positivamente o
resultado do exercício contábil.

Despesas

São bens de consumo ou serviços utilizados na empresa. As despesas podem ser


geradas independentemente de pagamentos, mas podemos dizer que são valores que a
empresa gasta em bens e serviços necessários para desenvolver suas atividades e obter
receitas. Exemplos: salário de funcionários, consumo de energia elétrica e consumo de
água, aluguel do prédio, etc. As despesas realizadas alteram negativamente o resultado
do exercício contábil.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 59


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

Responda, complete, escolha uma das alternativas ou desenvolva.

1. Quais os usuários da Contabilidade?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

2. Quais são os elementos do patrimônio estudado pela contabilidade?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

3. Os __________________ e os __________________ formam a parte


__________________ e as __________________ formam a parte negativa do
patrimônio.

4. Defina bens, direitos e obrigações.

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 60


Assistente Administrativo

5. O Patrimônio Líquido é resultante da aplicação de que “equação patrimonial”?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

6. Quais são as situações patrimoniais conhecidas?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

7. Quais os grupos que compõem as contas do ativo?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

8. Quais os grupos que compõem as contas do passivo?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 61


Assistente Administrativo

9. Quais são os grupos de contas que apuram o resultado obtido pela empresa?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Noções de Débito e Crédito

Débito e crédito são palavras convencionadas para indicar se uma transação


aumenta ou diminui o ativo, o passivo exigível e o patrimônio líquido de uma empresa.
Como o total de cada um desses componentes é formado pela soma de diversas contas,
temos que os débitos e créditos indicam se o saldo de uma conta deve ser aumentado ou
diminuído em função de uma transação.

De acordo com o Método das Partidas Dobradas, para todo débito existe um
crédito de mesmo valor, ou seja, para cada movimentação, existem 2 registros: o de onde
veio e para onde vai o recurso. Crédito é a origem do recurso (de onde veio) e Débito é o
destino, onde o recurso será aplicado (para onde vai).

Exemplo: Tenho uma empresa e comprei mercadorias para estoque e paguei-as à


vista. Assim, saiu dinheiro do caixa (origem) para pagar a compra das mercadorias
(destino).

Dica:

Entrou? É Débito!

Saiu? É Crédito!

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 62


Assistente Administrativo

Escrituração

É uma técnica que consistem em registrar nos livros próprios (diário, razão, caixa,
etc.) todos os fatos administrativos que ocorrem na empresa por intermédio dos
lançamentos.

Lançamento é o registro dos fatos administrativos, enquanto escrituração é o


conjunto de lançamentos.

A gestão do patrimônio das empresas se dá pelos fatos administrativos registrados


por meio da escrituração.

Livros utilizados na escrituração

Dos vários livros usados pelas empresas, vamos destacar apenas os utilizados pela
contabilização dos fatos administrativos, que são:

• Livro Diário: é obrigatório pela legislação comercial e está sujeito às formalidades


legais.
• Livro Razão: de grande utilidade para a contabilidade porque registra o
movimento de todas as contas. A sua escrituração passou a ser obrigatória a partir
de 1991 (artigo 14 da Lei n. 8.218 de 29/08/91).
• Livro Caixa: é auxiliar, no qual são registrados todos os fatos administrativos que
envolvam entradas e saídas de dinheiro.
• Livro Contas Correntes: é auxiliar do Livro Razão e serve para controlar as
contas que representam direitos e obrigações para a empresa.

Todo lançamento deve ter os seguintes elementos essenciais:

• Local e data da ocorrência do fato


• Conta a ser debitada
• Conta a ser creditada
• Histórico
• Valor

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 63


Assistente Administrativo

Demonstrativos Contábeis

Vários são os demonstrativos utilizados pela contabilidade para relatar a situação


patrimonial da empresa. Esses demonstrativos analisam pormenorizadamente os
acontecimentos evidenciados pela empresa em um determinado período. Veremos a
seguir três dos demonstrativos contábeis mais utilizados.

Balancete de Verificação

É o demonstrativo que relaciona cada conta com o respectivo saldo devedor ou


credor, de tal forma que se os lançamentos foram corretamente efetuados, de acordo com
o Método das Partidas Dobradas, o total da coluna dos saldos devedores é igual ao total
da coluna dos saldos credores.

Demonstração do Resultado do Exercício - DRE

Destina-se a evidenciar a formação de resultado líquido do exercício, diante do


confronto das receitas, custos e despesas apuradas segundo o regime de competência.

O DRE indica como se chegou ao resultado final do exercício (lucro ou prejuízo) a


fim de que sejam dados os destinos que melhor representem a filosofia da empresa.
Embora sejam elaboradas anualmente para fins de divulgação, em geral são feitas
mensalmente pela administração e trimestralmente para fins fiscais.

Balanço Patrimonial

A palavra "Balanço" decorre do equilíbrio ou da igualdade expresso nas seguintes


fórmulas contábeis:

• Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido


• Aplicações = Origens.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 64


Assistente Administrativo

Parte-se da idéia de uma balança de dois pratos, onde sempre encontramos a


igualdade. Mas em vez de se denominar balança, denomina-se balanço.

O termo patrimonial tem origem no patrimônio da empresa, ou seja, conjunto de bens,


direitos e obrigações.

Juntando as duas partes, obtém-se o balanço patrimonial, equilíbrio do patrimônio,


igualdade patrimonial. Em sentido amplo, o balanço evidencia a situação patrimonial da
empresa em determinado momento, pois mostra o que ela tem de bens e direitos e o que
está devendo para terceiros e para os donos em determinada data.

Em terminologia moderna em uso no Brasil, o Balanço é uma demonstração contábil


que tem por finalidade apresentar a posição contábil, financeira e econômica de uma
entidade (em geral uma empresa) em determinada data, representando uma posição
estática (posição ou situação do patrimônio em determinada data).

Plano de Contas

Na contabilidade de uma entidade/empresa seja ela de que porte for, o plano


prévio de ação chama se Plano de Contas.. É definido como um elenco de todas as
contas previstas pelo contabilista como necessárias aos seus registros contábeis. Ele não
poderá ser rígido e inflexível, devendo pelo contrário permitir que sejam inseridas novas
contas ou excluídas contas que não serão mais usadas nos registros contábeis.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 65


Assistente Administrativo

1ATIVO

1.1CIRCULANTE
1.1.1 DISPONÍVEL
1.1.1-1Caixa
1.1.1-2 Bancos Conta Movimento
1.1.1-2-1 Banco Cobrajuros S.A.
1.1.1-3 Bancos Conta Aplicações de Liquidez Imediata
1.1.1-3-1 Banco Cobrajuros S.A.

1.1.2 CRÉDITOS
1.1.2-1 Duplicatas a Receber
1.1.2-2 Títulos a Receber

1.1.3 MERCADORIAS

1.2 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO


1.2.1 CRÉDITOS
1.2.1-1 Duplicatas a receber
1.2.1-2 Aplicações Financeiras
1.2.1-3 Títulos a Receber

1.3 PERMANENTE
1.3.1 IMOBILIZADO
1.3.1-1 Instalações
1.3.1-2 Imóveis
1.3.1-3 Máquinas e Equipamentos
1.3.1-4 Equipamentos de Informática
1.3.1-5 Móveis e Utensílios
1.3.1-6 Veículos

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 66


Assistente Administrativo

2 – PASSIVO

2.1 CIRCULANTE
2.1.1 FORNECEDORES
2.1.1-1 Fornecedor “A”
2.1.1-2 Fornecedor “B”
2.1.1-3 Fornecedor “C”

2.1.2 CONTAS A PAGAR

2.1.3 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS


2.1.3-1 Salários a Pagar
2.1.3-2 Pró-Labore a Pagar

2.1.4 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS A RECOLHER


2.1.4-1 ISSQN a Recolher
2.1.4-2 PIS a Recolher
2.1.4-3 IRRF a Recolher
2.1.4-4 INSS a Recolher
2.1.4-5 FGTS a Recolher

2.2 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO


2.2.1 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS
2.2.2 TÍTULOS A PAGAR
2.3 PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.3.1 CAPITAL SOCIAL
2.3.2 LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 67


Assistente Administrativo

3 – DESPESAS

3.1 DESPESAS ADMINISTRATIVAS


3.3.1 DEPESAS COM PESSOAL
3.3.1-1 Salários
3.3.1-2 Comissões
3.3.1-3 13° Salário
3.3.1-4 F.G.T.S.
3.3.1-5 Previdência Social

3.1.2 DESPESAS COM DIRETORIA


3.1.2-1 Pró-Labore
3.1.2-2 Encargos Sociais

3.1.3 OUTRAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS


3.1.3-1 Aluguéis
3.1.3-2 I.P.T.U.
3.1.3-3Consumo de Água
3.1.3-4 Consumo de Energia Elétrica
3.1.3-5 Telefones
3.1.3-6 Despesas de Viagens
3.1.3-7 I.P.V.A.
3.1.3-8 Combustíveis e Lubrificantes
3.1.3-9 Materiais de Limpeza
3.1.310 Materiais de Escritório

4 – RECEITAS

4.1 RECEITAS OPERACIONAIS


4.1.1 Vendas de Mercadorias
4.1.2 Vendas de Serviços

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 68


Assistente Administrativo

Um Caso Prático de Contabilidade

Para melhor entendimento de toda essa teoria apresentada, utilizaremos de um


exemplo prático. Vamos supor uma empresa em início de funcionamento, sendo seus
principais fatos contábeis:

1. Abertura da empresa com integralização do capital pelos sócios em dinheiro no


valor R$ 20.000,00.
2. Depósito em conta-corrente no Banco Cobrajuros S.A. no valor de R$ 15.000,00
em dinheiro.
3. Aquisição de um microcomputador e de uma impressora no valor de R$ 2.000,00
em cheque do Banco Cobrajuros S.A.
4. Compra de mercadorias destinadas à revenda no valor de R$ 10.000,00 a prazo,
do fornecedor Pelourinho Atacadista Ltda.
5. Compra de mercadorias do Fornecedor Tenha Dó Alimentos Ltda., destinadas à
revenda no valor de R$ 2.000,00 à vista em cheque do Banco Cobrajuros S.A.
6. Pagamento de duplicata do fornecedor Pelourinho Atacadista Ltda. referente à
compra a prazo, conforme cheque do Banco Cobrajuros S.A. no valor de R$
3.000,00.
7. Venda de mercadorias a prazo a diversos clientes no valor de R$ 6.000,00.
8. Aquisição de instalações destinadas ao depósito da empresa à vista em dinheiro,
do fornecedor Tecnolândia Móveis Ltda., no valor de R$ 3.000,00.
9. Recebimento de diversos clientes pela venda a prazo anteriormente feita, em
dinheiro, no valor de R$ 4.000,00.
10. Depósito em conta-corrente do Banco Cobrajuros S.A. no valor de R$ 4.000,00.

Pede-se:

I - Transcrever os fatos administrativos para o Livro Diário.

II – Fazer os lançamentos em conta “T” (Razonetes).

III – Preparar o Balancete de Verificação.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 69


Assistente Administrativo

IV – Elaborar a DRE – Demonstração de Resultado do Exercício.

V – Elaborar o Balanço Patrimonial.

I – LIVRO DIÁRIO

Data Contas Valor Histórico

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 70


Assistente Administrativo

II – RAZONETES

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 71


Assistente Administrativo

III – BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

Balanço encerrado em ___/___/___

Contas Débito Crédito Devedor Credor

TOTAIS

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 72


Assistente Administrativo

IV – DRE

Demonstração de Resultado do Exercício da empresa XXX em ___/___/___

RECEITAS

TOTAL RECEITAS __________________________

DESPESAS

TOTAL DESPESAS __________________________

Resultado: ______________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 73


Assistente Administrativo

V – BALANÇO PATRIMONIAL

Balanço Patrimonial da empresa XXX em ___/___/___

ATIVO PASSIVO

Circulante: _________________________ Circulante: _________________________

Permanente Imobilizado: _____________ Patrimônio Líquido: _________________

TOTAL ATIVO: ______________________ TOTAL PASSIVO:____________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 74


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

Exercício Prático 1

Fatos administrativos:

1. Integralização do capital social em dinheiro no valor R$ 60.000,00, pelos sócios.


2. Depósito em conta-corrente no Banco Orion S.A. no valor de R$ 45.000,00 em
dinheiro.
3. Aquisição de instalações da empresa Labortécnica Equipamentos e Soluções
Ltda. no valor de R$12.000,00 à vista, em cheque do Banco Orion S.A.
4. Aquisição de um microcomputador da empresa Fox Informática Ltda. no valor de
R$1.800,00 à vista, em cheque do Banco Orion S.A.
5. Compra de mercadorias a prazo no valor de R$ 22.000,00 da empresa Atacadista
São Paulo Ltda.
6. Compra de mercadorias à vista da Distribuidora Amadine Ltda. no valor de R$
4.500,00, em dinheiro.
7. Venda de mercadorias a prazo a diversos clientes no valor de R$ 4.000,00.
8. Venda de mercadorias à vista, em dinheiro, a diversos clientes no valor de R$
1.500,00.
9. Pagamento de duplicata do fornecedor Atacadista São Paulo Ltda. no valor de R$
7.800,00 em cheque sacado contra o Banco Orion S.A.
10. Recebimento de diversos clientes referente à venda a prazo no valor de R$
1.500,00, em dinheiro.
11. Depósito no Banco Orion S.A. de R$ 2.000,00.

Pede-se:

I – Efetuar os lançamentos no Livro Diário.

II – Lançar nos Razonetes.

III – Levantar o Balancete de Verificação.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 75


Assistente Administrativo

IV – Elaborar a DRE – Demonstração de Resultado do Exercício.

V – Elaborar o Balanço Patrimonial.

I – LIVRO DIÁRIO

Data Contas Valor Histórico

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 76


Assistente Administrativo

II – RAZONETES

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 77


Assistente Administrativo

III – BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

Balanço encerrado em ___/___/___

Contas Débito Crédito Devedor Credor

TOTAIS

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 78


Assistente Administrativo

IV – DRE

Demonstração de Resultado do Exercício da empresa XXX em ___/___/___

RECEITAS

TOTAL RECEITAS __________________________

DESPESAS

TOTAL DESPESAS __________________________

Resultado: ______________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 79


Assistente Administrativo

V – BALANÇO PATRIMONIAL

Balanço Patrimonial da empresa XXX em ___/___/___

ATIVO PASSIVO

Circulante: _________________________ Circulante: _________________________

Permanente Imobilizado: _____________ Patrimônio Líquido: _________________

TOTAL ATIVO: ______________________ TOTAL PASSIVO: ___________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 80


Assistente Administrativo

Exercício Prático 2

Fatos administrativos:

1 01/12 - Integralização do capital social em dinheiro no valor R$ 10.000,00.


2. 02/12 - Compra de móveis e utensílios no valor de R$ 200,00, em dinheiro.
3. 03/12 - Compra de mercadorias para revenda da ABC Ltda. no valor de R$
1.500,00, à prazo.
4. 04/12 - Venda de mercadorias, em dinheiro, no valor de R$ 100,00.
5. 05/12 - Prestação de serviços para a empresa XYZ no valor de R$ 20.000,00 à
vista, em dinheiro.
6. 06/12 - Pagamento de salários dos funcionários no valor de R$ 1.500,00, em
dinheiro.
7. 07/12 - Compra de mercadorias para revenda da SP Atacadão Ltda. no valor de
R$ 200,00, a prazo.
8. 08/12 - Prestação de serviços ao cliente Vida Boa Ltda. no valor de R$ 5.000,00, a
prazo.
9. 09/12 - Pagamento de 50% da dívida da compra realizada em 03/12, em dinheiro.
10. 10/12 - Pagamento de aluguel no valor de R$ 100,00. em dinheiro.
11. 11/12 - Recebimento dos clientes, em dinheiro, referente à prestação de serviços
no valor de R$ 5.000,00.

Pede-se:

I – Efetuar os lançamentos no Livro Diário.

II – Lançar nos Razonetes.

III – Levantar o Balancete de Verificação.

IV – Elaborar a DRE – Demonstração de Resultado do Exercício.

V – Elaborar o Balanço Patrimonial.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 81


Assistente Administrativo

I – LIVRO DIÁRIO

Data Contas Valor Histórico

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 82


Assistente Administrativo

II – RAZONETES

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 83


Assistente Administrativo

III – BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

Balanço encerrado em ___/___/___

Contas Débito Crédito Devedor Credor

TOTAIS

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 84


Assistente Administrativo

IV – DRE

Demonstração de Resultado do Exercício da empresa XXX em ___/___/___

RECEITAS

TOTAL RECEITAS __________________________

DESPESAS

TOTAL DESPESAS __________________________

Resultado: ______________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 85


Assistente Administrativo

V – BALANÇO PATRIMONIAL

Balanço Patrimonial da empresa XXX em ___/___/___

ATIVO PASSIVO

Circulante: ________________________ Circulante:__________________________

Permanente Imobilizado: _____________ Patrimônio Líquido: __________________

TOTAL ATIVO: TOTAL PASSIVO:


______________________ ____________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 86


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 87


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 88


Assistente Administrativo

Custos
Toda empresa se estabelece com o objetivo de LUCRO. E por lucro entendemos a
diferença positiva entre o preço de comercialização e os custos.

Portando, vem aí a importância na apuração exata dos custos que são a base para
o estabelecimento do preço de venda de determinado produto ou serviço.

Para apuração dos custos industriais, temos um controle extremamente minucioso


de valores envolvidos e sua distribuição correta nas atividades de produção. Isso se dá
por meio de um sistema de contabilidade específico chamado Contabilidade de Custos ou
Contabilidade Industrial.

O que torna a Contabilidade de Custos diferente dos demais ramos da


contabilidade são os procedimentos utilizados na área de produção das empresas
industriais, os quais exigem aplicação de critérios específicos para apurar o custo de
fabricação.

Custo Industrial: compreende a soma dos gastos com bens e serviços aplicados ou
consumidos na produção de outros bens.

Para melhor entendimento desse conceito precisamos conhecer o significado de


alguns termos como gastos, custos e despesas.

Gasto: significa aquisição em valores de bens, quer para uso, troca, transformação ou
consumo, ou ainda algum tipo de serviço.

Custo: são gastos relativos a bens e/ou serviços que serão utilizados na área produtiva
da empresa.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 89


Assistente Administrativo

Despesa: corresponde aos gastos na obtenção de bens ou serviços aplicados na área


administrativa, comercial ou financeira, visando a obtenção de receitas.

Para entender melhor a diferença entre custo e despesa, devemos raciocinar


resumidamente da seguinte forma:

• Gastos na fábrica significam custos.


• Gastos com administração e vendas significam despesas.

Classificação dos Custos

Várias são as formas de classificar os custos, sendo duas as básicas:

1. Quanto aos produtos, os custos podem ser diretos e indiretos.


2. Quanto à produção, os custos podem ser fixos e variáveis.

Custos Diretos: são aqueles apropriados diretamente aos produtos, pois quantificam seu
consumo, como por exemplo: matéria-prima, mão-de-obra direta, etc.

Custos Indiretos: são aqueles que debitamos aos produtos, tomando por base o que
defina uma relação próxima entre o custo e os produtos, o que permite o rateio com maior
margem de acerto possível.

Exemplos:

1 – Mão-de-obra indireta: é representada pelo trabalho nos departamentos auxiliares


nas indústrias ou prestadores de serviços e que não são mensuráveis em nenhum
produto ou serviço executado, como a mão de obra de supervisores, controle de
qualidade, etc.
2 – Materiais indiretos: são materiais empregados nas atividades auxiliares de
produção, ou cujo relacionamento com o produto é irrelevante. São eles: graxas e
lubrificantes, lixas etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 90


Assistente Administrativo

Custos Fixos: é a soma de todos os fatores fixos de produção. Independente do nível de


atividade da empresa, ou seja , produzindo-se ou vendendo-se em qualquer quantidade ,
os custos fixos existirão e serão os mesmos. Exemplos: salários e encargos da
administração , Pró labore, aluguéis, tarifas de água / telefones / energia elétrica ,
prestadores de serviços (contador / advogados / assessorias) manutenção , propaganda ,
seguros, etc.

Custos variáveis: é a soma dos fatores variáveis de produção. Custos que mudam de
acordo com a produção ou a quantidade de trabalho. Exemplos: Matéria prima, insumos
diretos , embalagens ,comissão de vendas , impostos diretos de venda, fretes de vendas ,
mão de obra industrial, mão de obra terceirizada.

Formação do Custo

A empresa, para satisfazer as exigências legais quanto à apuração de resultados


de suas atividades e avaliação de estoques, utiliza-se do método de custeio por absorção
(é aquele que faz debitar ao custo dos produtos todos os custos da área de fabricação,
sejam esses custos definidos como custos diretos ou indiretos, fixos ou variáveis, de
estrutura ou operacionais.O procedimento é fazer com que cada produto, produção ou
serviço, absorva parcela dos custos diretos e indiretos, relacionados à fabricação).

Custo da matéria prima: primeiramente é preciso conceituar matéria-prima que é todo


material que compõe o produto a ser fabricado pela indústria. Um determinado produto já
fabricado por uma indústria pode integrar outro produto em outra empresa, para o qual
deve ser considerado matéria-prima. Exemplo:

Minério de ferro  Ferro


Ferro  Autopeças
Autopeças  Máquinas

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 91


Assistente Administrativo

Como já dissemos, a matéria-prima incorpora o produto e assim sendo, é


considerada custo direto, necessitando ser medida a quantidade consumida na sua
fabricação. Dessa quantidade consumida no produto podem ocorrer sobras, as quais
podem integrá-lo se forem reaproveitáveis; caso contrário, serão desprezadas.

Temos como exemplo uma partida de algodão de 100 quilos destinados à


fabricação de fios, dos quais 5 quilos são sobras que resultam do processo produtivo.
Caso essas sobras não sejam reaproveitadas, o custo correspondente à matéria-prima
será o de 100 quilos, mas se elas forem reaproveitadas em outro processo, o custo desse
lote fabricado será de 95 quilos.

Devemos observar ainda que o custo da matéria-prima deve ser levantado a partir
da nota fiscal de compra, ou outro documento que a substitua, da seguinte forma:

CMP = Preço da nota fiscal + Frete + ICMS + Despesas extras

Outro fator de suma importância é com relação aos impostos que são
compensatórios na cadeia produtiva. Em hipótese alguma podem ser relacionados com
bitributação, ou seja, sofrer duas vezes uma determinada incidência de imposto.

Custo da mão-de-obra direta: entendemos por mão-de-obra direta (MOD) aquela que
atua diretamente no processo produtivo, e devemos considerar somente a parcela do
tempo empregado na fabricação do produto como custo direto de mão-de-obra,
reservando o tempo não empregado na fabricação do produto para ser integrado a um
grupo de custos indiretos de fabricação.

Os encargos trabalhistas e o tempo apontado do trabalhador ou grupo de


trabalhadores efetivamente devem integrar o custo de cada produto.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 92


Assistente Administrativo

Avaliação de Estoques

Toda empresa possui mercadorias em estoque, em todos os ramos de atividade,


seja estoque de materiais ou produtos destinados ao uso em serviços, como por exemplo,
uma dedetizadora, ou mesmo uma empresa de serviços em eletricidade, ou então as
empresas comerciais e industriais.

Todo estoque precisa ser avaliado para efeito de apuração de custo tanto em
serviços quanto de produção ou comercialização de seus produtos e isso demanda
critérios.

Para as empresas de produção (indústrias) ou comercialização (comércio) a


avaliação do estoque se torna imprescindível tanto para efeito de levantamento de
resultados no encerramento do exercício quanto para a verificação de custo de produção.

As formas mais comuns de avaliação do estoque são: Custo médio, UEPS e


PEPS.

Custo Médio

Por este critério, o valor médio de cada unidade em estoque altera-se pelas
compras de outras mercadorias do mesmo teor, por um preço diferente.

Exemplo: Imaginemos uma empresa cujo estoque inicial de um determinado


material ou produto é de 80 unidades, a R$ 40,00 de custo, totalizando o estoque inicial
em R$ 3200,00 e num determinado período apresente a seguinte movimentação:

Compra de 50 unidades por um custo de R$ 45,00 cada.


Venda ou requisição de 40 unidades
Venda ou requisição de 50 unidades
Compra de 40 unidades por um custo de R$ 50,00 cada.
Venda ou requisição de 50 unidades

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 93


Assistente Administrativo

Transportada para o gráfico, teremos o seguinte:

Data Entrada Saída Saldo


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Observações importantes com relação ao controle do estoque pelo sistema de


custo médio:

1. A coluna destinada ao saldo indicará sempre as quantidades em estoque com


seus respectivos valores médios, atualizados sempre em função das últimas
compras;
2. Somam-se os custos anteriores com os da aquisição atual e divide-se o total
pela quantidade de unidades, obtendo-se dessa forma, o custo médio;
3. Na coluna saldo é aconselhável sempre manter o custo médio com quatro
dígitos após a vírgula, a fim de que fique o mais próximo possível do real,
ajustando-se as diferenças de centavos na saída seguinte.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 94


Assistente Administrativo

Esse método, mais comumente utilizado no Brasil, evita o controle de custos por
lotes de compras, como nos métodos que veremos a seguir, mas obriga maior número de
cálculos ao mesmo tempo em que foge dos extremos, dando como custo de aquisição um
valor médio das compras.

PEPS
PEPS significa Primeiro que Entra e Primeiro que Sai, também conhecido como
FIFO, iniciais da frase inglesa First In First Out.

Com base nesse critério para valoração dos estoques a empresa vai dando baixa
a partir das primeiras compras, o que equivale ao seguinte raciocínio: “vendem-se ou
consomem-se antes as primeiras mercadorias compradas”.

Exemplo: utilizando o exemplo anterior com a mesma movimentação, transportada


para o gráfico, teremos o seguinte:

Data Entrada Saída Saldo Lote


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 95


Assistente Administrativo

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

UEPS

UEPS significa Último que Entra e Primeiro que Sai, também conhecido como
LIFO, iniciais da frase inglesa Last In First Out.

Com base nesse critério para valoração dos estoques a empresa vai dando baixa
a partir das últimas compras, o que equivale ao seguinte raciocínio: “vendem-se ou
consomem-se antes as últimas mercadorias compradas”.

Exemplo: utilizando o exemplo anterior com a mesma movimentação, transportada


para o gráfico, teremos o seguinte:

Data Entrada Saída Saldo Lote


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 96


Assistente Administrativo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Observações importantes com relação a devoluções que ocasionalmente podem


acontecer:

1. As devoluções de compras efetuadas aos fornecedores serão escrituradas


negativamente entre parêntesis na coluna das entradas, cujo valor será o de custo
da respectiva entrada no estoque.
2. As devoluções de vendas recebidas dos clientes serão escrituradas
negativamente entre parêntesis na coluna de saídas cujo valor deve ser o de custo
da respectiva saída do estoque.
Desta forma, a soma das colunas de entradas e saídas do estoque representa o valor
das compras e vendas.

Após conceituarmos os três métodos vêm-nos a pergunta: “Qual dos métodos


devemos utilizar?”

Para essa resposta, vamos considerar que todas as saídas foram de vendas e não de
requisição para consumo na produção ou uso e que essas vendas ocorreram a um preço
de R$ 90,00 a unidade, totalizando R$ 12.600,00.

Critério Venda Custo Lucro Estoque Final


PEPS 12.600,00 5.950,00 6.650,00 1.500,00
UEPS 12.600,00 6.250,00 6.350,00 1.200,00
Custo Médio 12.600,00 6.071,15 6.528,85 1.378,85

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 97


Assistente Administrativo

Percebe-se claramente, que na hipótese de serem três empresas diferentes que


se tivessem adquirido e vendido as mercadorias nas mesmas condições (quantidades e
preços), suas situações reais seriam praticamente as mesmas, com a mesma quantidade
de estoque, porém os resultados obtidos seriam diferentes pelos critérios de atribuição de
custos utilizados, muito embora todos se baseassem no mesmo custo de aquisição.

Dos três critérios apresentados, o mais aconselhável é o Custo Médio, pois é o


que traduz maior realidade nos custos, no lucro e no estoque final.

A Legislação do Imposto de Renda não aceita o sistema UEPS como sistema de


apuração e valoração de estoques por distorcer completamente os resultados,
apresentando custo maior, lucro menor e estoque final diverso da realidade.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 98


Assistente Administrativo

Exercícios para avaliação do aprendizado

Apure o CMV pelos métodos de Custo Médio, PEPS e UEPS.

1. em 01/12 – saldo inicial: 30 unidades a R$ 20,00 cada.


2. em 02/12 – venda de 10 unidades.
3. em 03/12 – compra de 30 unidades a R$22,00 cada.
4. em 04/12 – venda de 40 unidades.
5. em 05/12 – compra de 30 unidades a R$ 19,00 cada.
6. em 06/12 – venda de 30 unidades.

CUSTO MÉDIO

Data Entrada Saída Saldo


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 99


Assistente Administrativo

PEPS

Data Entrada Saída Saldo Lote


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 100


Assistente Administrativo

UEPS

Data Entrada Saída Saldo Lote


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 101


Assistente Administrativo

EXERCÍCIO PRÁTICO 2

Apure o CMV pelos métodos de Custo Médio, PEPS e UEPS.

1. em 01/12 – saldo inicial: 10 unidades a R$ 3,00 cada.


2. em 02/12 – compra de 7 unidades a R$ 3,20 cada.
3. em 03/12 – venda de 15 unidades.
4. em 04/12 – compra de 7 unidades a R$ 3,50 cada.
5. em 05/12 – venda de 8 unidades.

CUSTO MÉDIO

Data Entrada Saída Saldo


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 102


Assistente Administrativo

PEPS

Data Entrada Saída Saldo Lote


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 103


Assistente Administrativo

UEPS

Data Entrada Saída Saldo Lote


Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo Qtde. Unit. Saldo

Totais

CÁLCULO CMV
ESTOQUE INICIAL
COMPRAS
ESTOQUE FINAL

CMV

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 104


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 105


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 106


Assistente Administrativo

Capítulo 4 – Administração Financeira

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 107


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 108


Assistente Administrativo

Administração Financeira

Conceito

A administração financeira é um conjunto de ações e procedimentos


administrativos que envolvem o planejamento, a análise e o controle das atividades
financeiras da empresa. O objetivo da administração financeira é melhorar os resultados
apresentados pela empresa e aumentar o valor do patrimônio por meio da geração de
lucro líquido proveniente das atividades operacionais.

Uma correta administração financeira permite que se visualize a atual situação da


empresa. Registros adequados permitem análises e colaboram com o planejamento para
otimizar resultados.

A falta da administração financeira adequada pode causar os seguintes problemas:

• Não ter as informações corretas sobre saldo do caixa, valor dos estoques das
mercadorias, valor das contas a receber e das contas a pagar, volume das
despesas fixas e financeiras. Isso ocorre porque não é feito o registro adequado
das transações realizadas;

• Não saber se a empresa está tendo lucro ou prejuízo em suas atividades


operacionais, porque não é elaborado o demonstrativo de resultados;

• Não calcular corretamente o preço de venda, porque não são conhecidos seus
custos e despesas;

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 109


Assistente Administrativo

• Não conhecer corretamente o volume e a origem dos recebimentos, bem como o


volume e o destino dos pagamentos, porque não é elaborado um fluxo de caixa,
um controle do movimento diário do caixa;

• Não saber quanto os sócios retiram de pró-labore, porque não é estabelecido um


valor fixo para a remuneração dos sócios;

• Não saber administrar corretamente o capital de giro da empresa, porque o ciclo


financeiro de suas operações não é conhecido.

As Principais Funções da Administração Financeira

• Análise e planejamento financeiro: analisar os resultados financeiros e planejar


ações necessárias para obter melhorias;

• A boa utilização dos recursos financeiros: analisar e negociar a captação dos


recursos financeiros necessários, bem como a aplicação dos recursos financeiros
disponíveis;

• Crédito e cobrança: analisar a concessão de crédito aos clientes e administrar o


recebimento dos créditos concedidos;

• Caixa: efetuar os recebimentos e os pagamentos, controlando o saldo de caixa;

• Contas a receber e a pagar: controlar as contas a receber relativas às vendas a


prazo e contas a pagar relativas às compras a prazo, impostos e despesas
operacionais.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 110


Assistente Administrativo

Terminologia Utilizada

Capital (C ou P): É o valor principal de uma operação financeira, sobre o qual incidem
outros aplicativos como juros e descontos.

Juros (J): É o produto obtido por meio da aplicação de uma determinada taxa percentual
sobre um capital conhecido. Temos duas formas ou dois pontos de vista a considerar
sobre os juros. O primeiro é sobre o prisma do investidor para o qual significa a
remuneração do capital investido ou aplicado. A segunda forma de considerarmos os
juros é sob o ponto de vista do tomador, que representa o custo do dinheiro tomado a
empréstimo.

Prazo (n): É o tempo que o capital fica disponibilizado ou imobilizado em determinada


operação financeira. Os prazos mais utilizados são: ao ano (a.a.), ao mês (a.m.) e ao dia
(a.d.).

Taxa de juros (i): É o percentual aplicado em determinado capital ou valor por um prazo
conhecido contado em 100 unidades.

Montante ou Valor Futuro (M ou VF): É o produto final de um capital somado ou


adicionado aos juros produzidos ao final de um período ou prazo determinado, ou seja, é
o capital mais os juros.

Valor presente (VP): É o valor em determinada data de um montante a ser produzido em


um tempo ou prazo futuro.

Capitalização: É o mecanismo financeiro capaz de produzir um novo montante a cada


período com aplicação de uma determinada taxa de juros.

Amortização: É a injeção de um valor com a finalidade de abater de um montante, um


determinado valor visando diminuir uma dívida contraída.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 111


Assistente Administrativo

Juros Simples e Compostos

Juros Simples

O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidir apenas sobre
o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não incidirão novos juros. Valor
Principal ou simplesmente principal é o valor inicial emprestado ou aplicado, antes de
somarmos os juros. Transformando em fórmula temos:

J=C.i.n

Onde:

J = juros.
C = capital.
i = taxa de juros.
n = número de períodos (prazo).

Ao somarmos os juros ao valor principal temos o montante. Transformando em fórmula


temos:

M=C+J

Onde:

M = Montante.
C = capital.
J = juros.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 112


Assistente Administrativo

Exemplo: Com um capital de R$ 2.000,00, investido a juros simples, a uma taxa de 3%


a.m., pergunta-se quanto terei daqui 3 meses.

Aplicando as fórmulas:

J=C.i.n
J = 2.000,00 . 3% . 3
J = 180,00

M=C+J
M = 2.000,00 + 180,00
M = 2.180,00

Demonstrando período a período teremos:

n C J M
0 2 000 - 2.000
1 2 000 60 2.060
2 2 000 60 2.120
3 2 000 60 2.180

Observação importante: A taxa e o prazo sempre devem ser calculados ou


considerados nas mesmas unidades. Isso quer dizer que se a taxa for diária, o prazo
também deverá ser considerado em dia; se a taxa for mensal, o tempo também deverá
ser mensal e assim por diante.

Exemplo: Qual é o juro simples produzido por um capital de R$ 7.000,00, aplicado durante
27 dias a uma taxa de 2,5% a.m.? Calcule também o montante.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 113


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Relacione:

a) Prazo.
b) Taxa de Juros.
c) Capital.
d) Juros.
e) Montante.

( ) É o valor principal de uma operação financeira, sobre o qual incidem outros aplicativos
como juros e descontos.
( ) É o valor principal acrescido de juros.
( ) É o período do investimento ou parcelamento.
( ) É a taxa percentual aplicada sobre o principal.
( ) Valor a ser acrescido sobre o principal, resultando o montante.

2. Qual é o juro simples produzido por um capital de R$ 7.000,00 aplicado durante 4


meses a uma taxa de 2,5% a.m? Calcule também o montante.

3. Qual o valor a ser pago de um empréstimo de R$ 5.000,00 com taxa de juros


simples de 3% a.m. parcelado em 10 meses?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 114


Assistente Administrativo

4. Com um capital de R$ 1.000,00, investido a juros simples, a uma taxa de 2,5% am,
pergunta-se quanto terei daqui 1 ano.

5. Um empresário quer ampliar as fontes de investimento de sua empresa e resolve


aplicar R$ 75.682,00 em um fundo de pensão à taxa de 2,3% ao mês durante 7 meses a
juros simples. Qual o valor de resgate dessa aplicação?

6. Você trabalha em uma corretora e oferece aos seus clientes uma taxa de 12% a.a.
em regime de juros simples. Qual é o valor total de juros pago a um cliente se este aplicar
R$125.000,00 para resgatar daqui a 5 anos?

7. Considerando o regime de juros simples, qual será o montante de uma aplicação


de R$ 9.540,00 durante um período de 6 meses, sabendo que a instituição financeira
paga uma taxa de 0,08% ao dia?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 115


Assistente Administrativo

8. Um cliente de um banco quer saber quanto irá resgatar após 2 anos, se aplicar
R$400,00 em uma aplicação com rendimento de 6,5% a.m. a juros simples.

Juros Compostos

O regime de juros compostos é o mais comum no sistema financeiro e portanto, o


mais útil para cálculos de problemas do dia-a-dia. Os juros gerados a cada período são
incorporados ao principal para o cálculo dos juros do período seguinte.

Após três meses de capitalização (momento em que os juros são incorporados ao


principal), temos:

1º mês: M = C . (1 + i)

2º mês: o principal é igual ao montante do mês anterior: M = C . (1 + i) . (1 + i)

3º mês: o principal é igual ao montante do mês anterior: M = C . (1 + i) . (1 + i) . (1 + i)

Simplificando, obtemos a fórmula:

M = C . (1 + i)n

Importante: a taxa i tem que ser expressa na mesma medida de tempo de n, ou seja, taxa
de juros ao mês para n meses.

Para calcularmos apenas os juros basta diminuir o principal do montante ao final


do período:

J=M-C

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 116


Assistente Administrativo

Utilizaremos o mesmo exemplo dos juros simples: Com um capital de R$ 2.000,00,


investido a juros compostos, a uma taxa de 3% a.m., pergunta-se quanto terei daqui 3
meses.

Aplicando a fórmula:

M = C . (1 + i)n

Demonstrando período a período teremos:

n C J M
0 2.000,00 - 2.000,00
1 2.000,00 60,00 2.060,00
2 2.060,00 61,80 2.121,80
3 2.121,80 63,65 2.185,45

Para elucidar a diferença entre capitalização simples e composta, verificamos os


montantes para um investimento inicial de R$ 2.000,00 por um prazo de 3 meses e uma
taxa de 3% a.m. : Se aplicado a juros simples R$ 2.180,00 enquanto se aplicado a juros
compostos R$ 2.185,45.

Exemplo: Qual o saldo devedor de um empréstimo de R$ 15.000,00 pelo prazo de 6 anos,


pagando-se juros compostos a uma taxa de 10% ao ano?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 117


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Qual o montante de uma aplicação de R$ 15.000,00 pelo prazo de 9 meses à taxa


de juros compostos de 2% a.m.?

2. João fez um empréstimo de R$ 107.299,50 a uma taxa de 3,5% a.m a juros


compostos. Qual deverá ser o valor do pagamento para daqui a um semestre?

3. Qual é o montante de uma aplicação de R$ 18.000,00 pelo prazo de 5 meses à


taxa de juros compostos de 12% a.m.?

4. Qual o valor acumulado que um investimento inicial de R$ 15.320,00 produz no


final de um trimestre a uma taxa de 2,73% a.m. a juros compostos?

5. Montando planilhas de juros simples e compostos, demonstre um capital de R$


8.000,00, aplicado por 5 meses a 3,5% a.m. e apure a diferença entre as duas
formas.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 118


Assistente Administrativo

Descontos e Taxas

Desconto

É a diferença entre o valor nominal de uma dívida na data de seu vencimento e o


seu valor atual na data em que esse valor é atualizado.

É muito utilizado na antecipação de recebimentos, seja ele 13º salário, Restituição


do Imposto de Renda ou até mesmo desconto de duplicatas. Pode ser considerado Juros
ao contrário.

Algumas fórmulas utilizadas para cálculo do desconto são:

D=M.i.n

Onde:

D = Desconto.
M = Valor da duplicata a ser descontada (montante).
i = taxa de desconto (percentual a ser descontado).
n = número de períodos.

VL = M – D

Onde:

VL = valor a receber (líquido).


M = Valor da duplicata a ser descontada (montante).
D = Desconto .

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 119


Assistente Administrativo

Exemplo: Acabei de fazer a minha declaração de IR e constatei que tenho a restituir um


valor de R$2.500,00 e receberei a restituição daqui a seis meses. Sabendo-se que o
banco cobra uma taxa de desconto de 3,3% a.m., quanto receberei antecipado a minha
restituição?

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Qual é o valor do desconto de um título de R$12.000,00 com vencimento para 90


dias, à taxa de 4% a.m?

2. Qual é o valor do desconto de um título de R$10.000,00 a uma taxa de 4% a.m.


pago 2 meses antes do vencimento?

3. Calcule o valor creditado na conta de um cliente, correspondente ao desconto de


uma duplicata no valor de R$ 7.500,00 com prazo de 85 dias, sabendo-se que o
banco está cobrando uma taxa de desconto de 5,2% a.m.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 120


Assistente Administrativo

4. Fiz a solicitação do adiantamento da segunda parcela do 13º salário no valor de


R$500,00. Sabendo-se que receberia esse valor daqui a 4 meses e que a taxa de
desconto cobrada é de 2,5% a.m., quanto receberei antecipado de 13º salário?

5. Tenho uma dívida no valor de R$ 12.340,00 com vencimento para 90 dias. A taxa
de desconto é de 5% a.m. Quanto pagarei caso tenha o interesse de quitá-la hoje?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 121


Assistente Administrativo

Financiamentos de Curto e longo prazos

Valores liberados pelo credor para serem aplicados pelo devedor na aquisição de
bens móveis (veículos, máquinas, equipamentos) e imóveis (unidades habitacionais,
plantas industriais, etc.). Ou seja, sabe-se exatamente o destino do recurso. Existem os
financiamentos de curto prazo (até 360 dias) e os de longo prazo (acima de 360 dias).

Cálculos Financeiros

Série de Pagamentos Iguais

Faz parte do plano de amortização utilizado no investimento ou financiamento, que


retorna ao investidor ou financiador a uma determinada taxa em um certo tempo em
pagamentos iguais.

Sobre o valor financiado aplica-se a taxa de juros pelo tempo que a operação
ficará aberta até o retorno efetivo do capital, cujos juros estão embutidos nas prestações
ou parcelas no período do tempo ajustado.

A isso chamamos de fator de recuperação de capital – FRC, determinado pela


seguinte fórmula:

i. (1+i)n
(1+i)n -1

Vamos supor um bem de R$ 10.000,00, financiado a uma taxa de 5% a.m. a ser


retornado em cinco meses em cinco prestações iguais. Utilizando a fórmula acima, temos:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 122


Assistente Administrativo

Encontramos, portanto, o fator de 0,23097 que multiplicado pelo valor financiado


de R$ 10.000,00 resulta em R$ 2.309,70, que é exatamente o valor de cada uma das
cinco prestações.

Vamos demonstrar o exemplo:

Período Saldo Amortização Juros Prestação Capital


devedor Amortizado
0 10.000,00 0 0 0 0
1 8.190,30 1.809,70 500,00 2.309,70 1.809,70
2 6.290,12 1.900,18 409,52 2.309,70 3.709,88
3 4.294,93 1,995,19 314,51 2.309,70 5.705,07
4 2.199,98 2.094,95 214,75 2.309,70 7.800,02
5 0 2.199,98 109,72 2.309,70 2.199,98
Total 10.000,00 1.548,50 11.548,50

Encontramos, a partir do primeiro valor da amortização, R$ 8.190,30, uma


progressão geométrica, sendo esse o primeiro termo e a razão é (1 + i) = 1,05.

Taxa de Retorno

A taxa interna de retorno é o percentual de retorno obtido sobre o saldo investido e


ainda não recuperado em um projeto de investimento. Matematicamente, é a taxa de juros
que torna o valor presente das entradas de caixa igual ao valor presente das saídas de
caixa do projeto de investimento.

Empréstimos e Investimentos

Empréstimos: valores liberados pelas instituições financeiras (credores) para seus


clientes (devedores), sem que haja um controle efetivo do credor sobre a utilização de
recursos.

Investimentos: aplicações de recursos (dinheiro ou títulos) em empreendimentos que


renderão juros ou lucros, em geral em longo prazo. Aplica-se tanto a compra de
máquinas, equipamentos e imóveis para a instalação de unidades produtivas, como a
compra de títulos financeiros (ações, etc.).

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 123


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Qual a diferença entre empréstimos e investimentos?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

2. Fiz um financiamento em uma loja, cujo valor para pagamento à vista era R$
1.599,00. Parcelei em 12 vezes a uma taxa de 5% a.m. Qual o valor de cada
prestação e quanto paguei no total financiado?

Base de Cálculos

Toda vez que formos efetuar um cálculo é preciso ter uma base, isto é, o que
calcularemos sobre o que. Por exemplo, se aplicarmos um determinado capital, vamos
precisar de uma base para calcular esse capital que são: a taxa de juros e o prazo em
que esse capital ficará aplicado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 124


Assistente Administrativo

Taxas

É o percentual utilizado para cálculo de juros, descontos e outras operações


financeiras, sempre utilizado por cem unidades, por isso chamamos de porcentagem.

Prazos

É o tempo em que determinado capital aplicado a uma determinada taxa de juros


fica disponível. Lembramos que tanto capital quanto taxas ou prazos são utilizados em
todo tipo de operação financeira, ou seja, operações de aplicação, investimento,
desconto, valor atual ou presente, valor futuro. Em todos os cálculos, sempre utilizamos
essas bases.

Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa é considerado um dos principais instrumentos de análise e


avaliação de uma empresa, proporcionando ao administrador uma visão futura dos
recursos financeiros da empresa, integrando o caixa central, as contas correntes em
bancos, contas de aplicações, receitas, despesas e as previsões. As decisões
relacionadas à compra, venda, investimentos, aportes de capital pelos sócios, captação
ou pagamento de empréstimos e de investimentos, constituem um fluxo contínuo entre as
fontes geradoras e as utilizadoras de recursos. Deve e pode ser utilizado por empresas de
qualquer porte, dada a sua importância e simplicidade.

A projeção do fluxo de caixa permite a avaliação da capacidade de uma empresa


gerar recursos para suprir o aumento das necessidades de capital de giro geradas pelo
nível de atividades, remunerar os proprietários da empresa, efetuar pagamento de
impostos e reembolsar fundos oriundos de terceiros.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 125


Assistente Administrativo

Na projeção do fluxo de caixa, indicamos não apenas o valor dos financiamentos


que a empresa necessitará para desenvolver as suas atividades, mas também quando ele
será utilizado. Percebemos até agora que o fluxo de caixa olha para o futuro retratando a
situação real do caixa na empresa, não podendo ser confundido com os registros
contábeis que se ocupam do passado e incorporam categorias relacionadas ao patrimônio
físico da empresa, como por exemplo, o Ativo Imobilizado.

A projeção pode ser realizada mês a mês, trimestre a trimestre ano a ano ou até
mesmo em bases diárias.

Além de permitir analisar a forma como uma empresa desenvolve sua política de
captação e aplicação de recursos, o acompanhamento entre o fluxo projetado e o
efetivamente realizado, permite identificar as variações ocorridas e as causas dessas
variações.

Resumidamente, podemos afirmar que Fluxo de Caixa é a demonstração visual


das receitas e despesas distribuídas pela linha do tempo futuro.

Para a montagem da projeção do fluxo de caixa devemos considerar os seguintes


dados:

Entradas de Caixa:

• Vendas à vista
• Recebimentos de Vendas a prazo
• Vendas do ativo imobilizado
• Recebimentos de juros
• Empréstimos bancários

Saídas de Caixa:

• Pagamentos de empréstimos bancários


• Pagamentos de impostos
• Pagamentos de juros

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 126


Assistente Administrativo

• Compras à vista
• Gastos com despesas administrativas
• Pagamentos a fornecedores
• Gastos gerais

Principais Contas da Gestão do Caixa

Contas a receber: representa fundamentalmente os créditos da empresa junto a seus


clientes. A liquidação do “contas a receber” é a principal fonte de recursos de caixa da
maioria das empresas.

O principal risco que o “contas a receber” corre é evidentemente do não


recebimento. Algumas providências devem ser tomadas para evitar esse risco, como por
exemplo, o controle rigoroso do contrato e o privilégio de recebimento pela rede bancária.
Em contrapartida, a punição para a fonte pagadora faltosa é a cobrança de encargos pelo
atraso.

A empresa vendedora (ou credora) deve envidar esforços para que o cliente em
atraso liquide sua obrigação. Podem ser utilizadas várias formas de negociação, como:
parcelamento, renegociação, cobrança amigável, auxílio de um escritório especializado
ou, em caso extremo, quando se esgotarem todas as tentativas de receber os valores
devidos, à cobrança judicial.

Contas a pagar: representa um crédito rotativo permanente, Por esse motivo, os


fornecedores, através dos créditos que concedem ao “contas a pagar”, tornam-se aliados
importantes da empresa. Como aliados, devem ser tratados com respeito. A imagem da
empresa junto aos seus fornecedores, muitas vezes construída ao longo de vários anos, é
um ativo importante e não contabilizado.

O pagamento deve ser efetuado ao credor ou a quem de direito o representa, cuja


quitação designará o valor e a espécie da dívida quitada, o nome do devedor ou quem
pagou por este, o tempo e o lugar do pagamento, com a assinatura do credor ou de seu
representante.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 127


Assistente Administrativo

O grande risco do “contas a pagar” é efetuar o pagamento sem o devido recibo.

Demonstrativo de Entrada e Saída – DESC

Trata-se da demonstração resumida dos valores em um determinado período da


movimentação de entradas e saídas previstas para que o administrador financeiro previna
com antecedência quaisquer remanejamentos das contas.

A título de exemplo, suponhamos um fluxo para uma semana com os seguintes


valores, e o saldo inicial seria de R$ 740,00 positivos:

Entradas dias Vendas de mercadorias Vendas de serviços


segunda-feira R$ 2.120,00 R$ 830,00
terça-feira R$ 1.980,00 R$ 320,00
quarta-feira R$ 2.460,00 R$ 470,00
quinta-feira R$ 1.060,00 R$ 540,00
sexta-feira R$ 1.740,00 R$ 260,00

Saídas Fornecedores Pagamentos Diversos


segunda-feira R$ 1.730,00 Telefone R$ 260,00
terça-feira R$ 1.460,00 Aluguel R$ 980,00
quarta-feira R$ 1.810,00 Impostos R$ 740,00
quinta-feira R$ 980,00 Empréstimos R$ 470,00
sexta-feira R$ 1.790,00 Energia R$ 370,00

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 128


Assistente Administrativo

Montaríamos o DESC da seguinte forma:

Descrição 2ª Feira 3ª Feira 4ª Feira 5ª Feira 6ª Feira


ENTRADAS
Mercadorias R$ 2.120,00 R$ 1.980,00 R$ 2.460,00 R$ 1.060,00 R$ 1.740,00
Serviços R$ 830,00 R$ 320,00 R$ 470,00 R$ 540,00 R$ 260,00
TOTAL R$ 2.950,00 R$ 2.300,00 R$ 2.930,00 R$ 1.600,00 R$ 2.000,00

SAÍDAS
Fornecedore
s R$ 1.730,00 R$ 1.460,00 R$ 1.810,00 R$ 980,00 R$ 1.790,00
Aluguel - R$ 980,00 - - -
Impostos - - R$ 740,00 - -
Empréstimos - - - R$ 470,00 -
Energia - - - - R$ 370,00
Telefone R$ 260,00 - - - -
TOTAL R$ 1.990,00 R$ 2.440,00 R$ 2.550,00 R$ 1.450,00 R$ 2.160,00

Saldo do Dia R$ 960,00 -R$ 140,00 R$ 380,00 R$ 150,00 -R$ 160,00


Saldo Acumulado R$ 1.700,00 R$ 1.560,00 R$ 1.940,00 R$ 2.090,00 R$ 1.930,00

Obs: O saldo acumulado parte do valor inicial de R$ 740,00.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 129


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

Suponhamos um fluxo em um mês com os seguintes valores. Pede-se montar o DESC:

DESC

Entradas

Vendas à vista Recebto Clientes Juros Aplicações Prestação de Servs.


1ª Sem. R$ 980,00 R$ 200,00 R$ 454,00 R$ 3.600,00
2ª Sem. R$ 1.200,00 R$ 400,00 R$ 125,00 R$ 2.580,00
3ª Sem. R$ 675,00 R$ 100,00 R$ 258,00 R$ 3.698,00
4ª Sem. R$ 2.100,00 R$ 150,00 R$ 465,00 R$ 2.458,00

Saídas

Pgto. Impostos Compras à vista Fornecedores Desps. Admin.


1ª Sem. R$ 254,00 R$ 548,00 R$ 416,00 R$ 458,00
2ª Sem. R$ 128,00 R$ 369,00 R$ 985,00 R$ 698,00
3ª Sem. R$ 125,00 R$ 852,00 R$ 257,00 R$ 257,00
4ª Sem. R$ 365,00 R$ 1.000,00 R$ 102,00 R$ 631,00

Descrição 1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana


ENTRADAS
Vendas à vista
Recebto Clientes
Juros Aplicações
Prest. Serviços
TOTAL

Pagto. Impostos
Compras à vista
Fornecedores
Desp. Administr.
TOTAL

Saldo Semana
Saldo Acumulado

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 130


Assistente Administrativo

Administração e Estratégias de Caixa

A administração do caixa é a grande chave da administração do capital de giro. As


estratégias básicas que devem ser empregadas pela empresa na administração do caixa
são:

• Retardar ao máximo possível o pagamento de duplicatas a pagar, sem prejudicar,


evidentemente, o conceito de crédito da empresa.

• Girar os estoques com a maior rapidez possível, evitando faltas de estoques que
podem resultar interrupção na linha de produção ou perda de vendas.

• Receber o mais rápido possível as duplicatas a receber sem perder vendas futuras
devido a técnicas rígidas de cobrança. Os descontos financeiros, se
economicamente justificáveis, podem ser usados para realizar esse objetivo.

Faturamento, Nota Fiscal e Fatura

Toda empresa que está no mercado gira seus negócios vendendo seus produtos
e/ou serviços. A essa venda damos o nome de faturamento. Tudo o que é vendido em
uma empresa econômica e administrativamente correta é faturado, quer à vista ou a
prazo.

À vista significa que a troca do produto ou bem vendido se dá no mesmo instante


por moeda corrente, dinheiro ou cheque, mediante a extração e apresentação imediata da
correspondente nota fiscal.

A prazo significa que a empresa entrega seu produto, mercadoria ou presta seus
serviços com valor acertado mediante a emissão da respectiva nota fiscal e fatura, e para
receber no futuro, emite duplicata.

Na empresa, o departamento que cuida dessa documentação é chamado de


faturamento.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 131


Assistente Administrativo

Nota Fiscal e Fatura

É o documento exigido pelo fisco, emitido pela empresa que vende os produtos ou
presta serviços. Esse documento acompanha os produtos ou serviços, independente de
serem negociados à vista ou a prazo e, na maioria das vezes, é acompanhado da fatura.

De suma importância aos negócios da empresa, esse documento é a base para a


movimentação e geração de tributos dentro da empresa, sendo a origem da fatura e,
quando for negociação a prazo, origina a duplicata.

Tesouraria, Recibos e Cheques

Toda empresa movimenta seus recursos financeiros no setor de tesouraria. Tanto


recursos em dinheiro como movimento bancário são desenvolvidos pela tesouraria,
mesmo que esse departamento ou setor não exista formalmente e seja desenvolvido,
dependendo do tamanho da empresa, agregado a outro departamento.

A tesouraria cuida então, como vimos, do “tesouro” da empresa; seus valores


representados em moeda.

Todos esses valores devem ser movimentados por meio de documentos e


cuidadosamente verificados, pois qualquer diferença ou divergência pode causar
prejuízos incalculáveis à saúde financeira da empresa.

Recibos

Todos os valores recebidos diariamente passam pela tesouraria para receberem


seu destino final de acordo com a política da empresa, como depósito em banco,
pagamento de despesas correntes ou mesmo pagamento a fornecedores.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 132


Assistente Administrativo

O movimento financeiro da empresa deve ser cuidadosamente definido por uma


política séria de movimento, como efetuar todo e qualquer pagamento, desembolso por
meio de recibos. Isso quer dizer que quem receber qualquer valo externa ou internamente
da empresa deve assinar um documento que chamamos de recibo pelo valor recebido.

Esse recibo pode ser desde um impresso formal adquirido em papelarias, ou


mesmo redigido na própria tesouraria ou departamento financeiro, ou colocado no verso
da duplicata quando ela for paga “em carteira”. O importante é que não saia nenhum valor
da tesouraria sem o devido comprovante de quem o recebeu.

Cheques

O cheque é uma “ordem de pagamento à vista”, sacado em benefício próprio ou


de terceiros, contra fundos disponíveis em estabelecimento bancário. Como tal, somente
deve ser emitido pela empresa quando ela estiver com suficiente saldo em banco. O talão
de cheques, após recebido pela empresa do banco correspondente em que ela mantenha
conta-corrente, é de sua inteira responsabilidade, inclusive para efeito de controle e
guarda física.

Existem duas formas de emissão de cheques: ao portador e nominativo.

• Cheques ao portador: não é recomendável que uma empresa emita cheques


dessa forma, pois não é nominal a ninguém, ou seja, não indica o favorecido. Isso
quer dizer que, nos dias de hoje, os cheques ao portador podem ser utilizados
como moeda corrente, passando de mão em mão até encontrar alguém disposto a
depositá-lo. Essa atitude dificulta, inclusive, a conciliação bancária, pois demora a
entrar na conta-corrente da empresa no banco.

• Cheques nominativos: emitidos pela empresa em que declara o favorecido pelo


pagamento da importância nele contida. Essa modalidade melhora os efeitos da
movimentação, inclusive facilita a conciliação bancária. O cruzamento no cheque é
representado por dois traços transversais e após isso, o cheque somente pode ser
compensado por meio de depósito e não pode ser sacado pelo favorecido.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 133


Assistente Administrativo

Há um fator importante com relação a essa modalidade de emissão de cheque,


pois se o favorecido endossar, ou seja, assinar atrás do cheque, ele se transforma ao
portador, porém não pode ser descontado ou recebido no caixa do banco, devendo
continuar com a exigência de ser somente depositado, mas nesse caso, na conta de outra
pessoa que não o favorecido.

A modalidade mais segura para a emissão de cheque é o cruzamento em preto,


nome que se dá quando o emitente cruza o cheque com dois traços transversais com os
dizeres: “este cheque somente poderá ser depositado na conta do favorecido”, o que
significa que somente o favorecido poderá depositar o cheque, ficando impedido de ser
repassado a diante. Essa modalidade vem definitivamente dar maior clareza à conciliação
bancária porque a empresa emitente pode rastrear o cheque quando não tiver sido
compensado.

Há uma medida também utilizada em algumas empresas e que está se firmando


na circulação de cheques, que é uma declaração colocada no verso do cheque e
assinada pelo emitente que diz: “este cheque não poderá receber contra-ordem”. Isso
significa que o emitente do cheque não poderá, por exemplo, sustar o cheque por
qualquer motivo. Essa medida é utilizada mais no recebimento de cheques para
pagamento de vendas ou faturamento na empresa.

Conciliação Bancária

Conciliação bancária é um comparativo entre as movimentações existentes em


uma conta bancária e as existentes no controle financeiro. Todos sabemos, por exemplo,
que existe um atraso natural entre a emissão de um cheque e sua compensação pelo
banco. Este atraso refletirá um saldo temporariamente incorreto o qual a conciliação
bancária deve demonstrar.

As diferenças encontradas na conciliação bancária devem ser corrigidas. Uma


nova movimentação deve ser feita se o lançamento estiver presente no banco e não
estiver no controle financeiro. Se um lançamento não tiver sido compensado pelo banco,
ele deve ser, de alguma forma, destacado no controle financeiro.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 134


Assistente Administrativo

À primeira via desse controle devem ser anexados todos os documentos de débito
e crédito para efeito de contabilização.

O objetivo da conciliação bancária é, após o encontro das contas, fazer com que
os saldos estejam de acordo dos controles da empresa com o apresentado pelo banco.

Apresentamos a seguir um exemplo de conciliação a partir de uma empresa que


ficticiamente chamamos de Zipflex Ltda., confrontando seus registros com o Banco
Pagajuros S/A, utilizando os formulários mais usados para esse fim.

Extrato do Banco Pagajuros S/A – Mês Novembro de 200X


Saldo Anterior R$ 1.874,00 C
03/11 Depósito em cheques R$ 4.275,00 C
05/11 Depósito em dinheiro R$ 350,00 C
10/11 Crédito ref. desconto de duplicatas R$ 7.248,00 C
10/11 IOF sobre operação de desconto R$ 72,00 D
10/11 Débito folha de pagamentos R$ 5.418,00 D
12/11 Devolução cheque depositado R$ 320,00 D
18/11 Pagamento cheque n º 960 R$ 527,00 D
23/11 Depósito em cheque R$ 713,00 C
Saldo em 30/11/200X R$ 8.123,00 C

Ficha de Razão da Empresa Zipflex Ltda. - Banco Pagajuros S/A


Data Histórico Débito Crédito Saldo C/C
Saldo anterior R$ 1.874,00
03/11 Depósito movimento do dia R$ 4.275,00 R$ 6.149,00
05/11 Depósito em dinheiro R$ 350,00 R$ 6.499,00
07/11 Cheque n º 958 R$ 438,00 R$ 6.061,00
Valor ref. Duplicatas
10/11 descontadas R$ 7.248,00 R$ 13.309,00
10/11 Cheque n º 959 R$ 184,00 R$ 13.125,00
10/11 Cheque n º 960 R$ 527,00 R$ 12.598,00
10/11 Débito folha de pagamentos R$ 5.418,00 R$ 7.180,00
23/11 Depósito em cheque R$ 713,00 R$ 7.893,00
23/11 Cheque n º 961 R$ 97,00 R$ 7.796,00

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 135


Assistente Administrativo

Vamos então proceder ao preenchimento dos formulários:

Pendências

Relação de Pendência: Valores debitados pelo banco conforme extrato e não considerados pelo
Razão.
Data Histórico Valor
10/11 IOF sobre operação de desconto R$ 72,00
12/11 Devolução cheque depositado R$ 320,00
Total R$ 392,00

Relação de Pendência: Valores creditados pelo banco conforme extrato e não considerados pelo
razão.
Data Histórico Valor
Não houve ocorrências no mês

Relação de Pendência: Valores debitados pelo razão e não considerados pelo banco até esta
data.
Data Histórico Valor
07/11 Cheque n º 958 R$ 438,00
10/11 Cheque n º 959 R$ 184,00
23/11 Cheque n º 961 R$ 97,00
Total R$ 719,00

Relação de Pendência: Valores creditados pelo razão e não considerados pelo banco até esta
data.

Não houve ocorrências no mês

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 136


Assistente Administrativo

Resumo da conciliação bancária

Nome da empresa: Zipflex Ltda.


Banco Pagajuros S/A.
Mês/Ano: Novembro de 200X
Saldo do Razão ................................................................................................. R$ 7.796,00
(-) Valores levados a débito pelo banco ............................................................ R$ 392,00
(+) Valores levados a crédito pelo banco ......................................................... R$ -0-
(-) Valores levados a débito pelo Razão ........................................................... R$ 719,00
(+) Valores levados a crédito pelo Razão .......................................................... R$ -0-
Saldo ................................................................................................................. R$ 8.123,00
Saldo extrato mês novembro de 200X .............................................................. R$ 8.123,00
Diferença apurada entre Razão e Banco ...........................................................R$ 327,00

Conciliado por

_________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 137


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Assinale a alternativa:

Cheque é uma ordem de pagamento à vista.


( ) correto ( ) errado

2. Quais as duas formas de emissão de cheque?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

3. Conciliação bancária é um comparativo entre as movimentações existentes em


______________________________ e as existentes
__________________________.

4. Apresentam-se a seguir a conciliação bancária da empresa Sei Lá Ltda. e os


registros no extrato do Banco do Povão S/A. Preencha os formulários de pendências:

Extrato do Povão S/A


Saldo Anterior R$ 14.000,00
6/jan Depósito Dinheiro R$ 1.500,00 C
8/jan Depósito Cheque R$ 2.000,00 C
10/jan Pagto Cheque nº 24 R$ 523,00 D
12/jan Débito Conta Luz R$ 1.250,00 D
12/jan Devolução cheque R$ 2.000,00 D
12/jan Débito conta telefone R$ 5.000,00 D
15/jan Pgto. Cheque nº 28 R$ 1.580,00 D
15/jan Pgto. Cheque nº 13 R$ 2.700,00 D
16/jan Depósito Dinheiro R$ 10.000,00 C
16/jan Pgto. Folha de Pagto R$ 5.500,00 D
16/jan Saldo Final R$ 8.947,00 C

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 138


Assistente Administrativo

Ficha de Razão da Empresa Sei Lá Ltda. - Banco Povão S/A


Data Histórico Débito Crédito Saldo C/C
7/jan Saldo anterior R$ 14.000,00
8/jan Depósito movimento dia R$ 2.000,00 R$ 16.000,00
8/jan Cheque nº 24 R$ 523,00 R$ 15.477,00
9/jan Cheque nº 29 R$ 100,00 R$ 15.377,00
10/jan Conta Energia R$ 1.250,00 R$ 14.127,00
10/jan Débito Telefone R$ 5.000,00 R$ 9.127,00
15/jan Cheque nº 13 R$ 2.700,00 R$ 6.427,00
16/jan Depósito movimento dia R$ 10.000,00 R$ 16.427,00
16/jan Débito Folha Pagto R$ 5.500,00 R$ 10.927,00

Pendências

Relação de Pendência: Valores debitados pelo banco conforme extrato e não considerados
pelo razão.
Data Histórico Valor

Relação de Pendência: Valores creditados pelo banco conforme extrato e não considerados
pelo razão.
Data Histórico Valor

Relação de Pendência: Valores debitados pelo razão e não considerados pelo banco até
esta data.
Data Histórico Valor

Relação de Pendência: Valores creditados pelo razão e não considerados pelo banco até
esta data.
Data Histórico Valor

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 139


Assistente Administrativo

Resumo da conciliação bancária

Nome da empresa:
Banco
Mês/Ano:
Saldo do Razão .................................................................................................
(-) Valores levados a débito pelo banco ............................................................
(+) Valores levados a crédito pelo banco .........................................................
(-) Valores levados a débito pelo Razão ...........................................................
(+) Valores levados a crédito pelo Razão ..........................................................
Saldo .................................................................................................................
Saldo extrato mês ..............................................................
Diferença apurada entre Razão e Banco ...........................................................

Conciliado por

_________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 140


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 141


Assistente Administrativo

Capítulo 5 – Processos e Logística

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 142


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 143


Assistente Administrativo

Logística

Hoje em dia as empresas buscam reduzir custos para aumentar a receita.

Estoques menores
Redução de custos
Custos menores

As empresas trabalham com planejamento de estoques baseadas na demanda


(quantidade consumida em um determinado tempo), limitada pelos estoques máximos
suportados e o mínimo aceito.

Quem fornece estes níveis é a Logística, baseado no Ponto e Tempo de


Ressuprimento.

O controle de estoque começa pelo recebimento das mercadorias no almoxarifado,


que separa o conteúdo fora de especificação.

O estoque deve permanecer na empresa num prazo máximo de 180 dias, o que
gera maior rapidez de giro. Do contrário, fica obsoleto e estoque é investimento parado
para a empresa.

Quanto maior o estoque, maior o custo de manutenção. Quanto menor o estoque,


menos gastos com estocagem, porém, corre-se o risco de paralisação por falta de
materiais.

Consideramos também a redução de custos baseada na falta de espaço físico.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 144


Assistente Administrativo

Controle de Materiais e Planejamento de Estoques

Quando a gestão tem um planejamento claro e eficiente, a


empresa goza de situações favorecedoras, como a melhoria
nas relações com usuários, a redução dos custos e perdas
de estoques, dentre outras.

Os almoxarifados hoje trabalham com dados precisos a


respeito da movimentação de materiais, tendo como base
alguns elementos da política de estoques. Esses elementos
são parâmetros imperiosos na adequação das quantidades
aos interesses e necessidades da empresa.

Existem, para tanto, os métodos de controle de estoque sempre baseados em


históricos de demandas, que é uma tendência linear. Baseados no histórico se planeja a
tendência e quem prepara estes dados é o almoxarife, que passa para o departamento de
compras as necessidades.

Simbologia utilizada para o planejamento e controle de estoques:

D: Demanda Média: quantidade média usada ou vendida num determinado período de


tempo (mês, por exemplo). Ex:

- chocolates: 50 kg/mês
- molho de tomate: 20 latas/mês

TR: Tempo de Ressuprimento: tempo que “demora” entre a realização do pedido de


compra até a entrega definitiva. Ex:

- Pastilha de freios: 1 dia para chegar o pedido à gerência + 2 dias para compra + 3
dias para entrega. TR = 6 dias

PR: Ponto de Ressuprimento: ponto onde devo disparar o pedido de compra. Ex: marca
de nível do estoque.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 145


Assistente Administrativo

IR: Intervalo de Ressuprimento: tempo que demora entre duas compras. Ex: fiz uma
compra de chocolates em janeiro e outra em março. IR = 3 meses.

LC: Lote de Compra: quantidade comprada por vez.

Emax: : Estoque máximo: quantidade máxima que posso ter em meu estoque (quanto eu
compro + mínimo que devo ter).

ES: Estoque de Segurança: quantidade de material para evitar que faltem mercadorias
até o ressuprimento.

CC: Cadência de Compra: quanta vez se compra num determinado período.

FÓRMULAS:

_ _ _
ES = D x TR Emax = (D x IR) + ES PR = (D x TR) + ES
_
LC = D x IR CC = 12 (período) IR = 12 (período)
IR CC

Exemplos:

A Bongosto Pizzaria tem uma demanda média mensal de consumo de molho de tomate e
farinha de trigo. Vamos estudar cada produto individualmente.

Calcule: ES, Emax, PR, CC e LC

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 146


Assistente Administrativo

Molho de tomate

• demanda média mensal = 200 latas/mês


• intervalo de recebimento: 1 mês
• tempo de ressuprimento: 1 vez por quinzena

_____________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________
________________________________________________________________________
__________________________________________________________________

Farinha de trigo

• demanda média mensal = 50 kg/mês


• intervalo de recebimento: 3 meses
• tempo de ressuprimento: 2 meses

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
_________________________________________________________
________________________________________________________________________
__________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 147


Assistente Administrativo

Análise da Curva ABC

A curva ABC é determinada pelo valor agregado ao produto. Desta forma,


podemos determinar os produtos onde teremos que ter maior atenção e revela a maior
parte do dinheiro empregado em estoque.

• Curva A: produtos de maior valor agregado


(aprox. 10%)
• Curva B: investimento médio em estoque
(aprox. 20 a 25%)
• Curva C: maioria dos itens; investimento
pequeno (aprox. 65 a 70%)

É importante salientar que devemos dispensar maior atenção para compra dos
itens da classe A devido ao alto custo, porém, não podemos nos esquecer dos itens das
classes B e C, pois se faltar um parafuso, por exemplo, podemos deixar de vender um
item da classe A.

Devolução de Materiais

A função da operação de devolução de materiais ocorrida nos setores de


estocagem é a de incorporar ao estoque ou atribuir um destino mais conveniente aos
materiais de sobras ou desativação na linha de produção ou em outros locais da empresa.

Para essa operação existe um procedimento específico que é justamente a


classificação e triagem dos materiais devolvidos que deverão receber seu destino, com os
materiais em condições de uso normal, os materiais sujeitos à recuperação ou
transformação ou aqueles que são irrecuperáveis.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 148


Assistente Administrativo

Distribuição de Materiais e Controle de Documentos

Os materiais distribuídos são estocados e para entendermos a distribuição, temos


que avaliar o recebimento deles, que normalmente obedecem à rotina de conferência com
relação à quantidade e especificação e depois à estocagem.

Para isso observa um fluxo interno de documentação em que o responsável


recebe antes o pedido para confrontar com a mercadoria recebida constante do
documento hábil, quase sempre a nota fiscal. Esses documentos geram um relatório que
é enviado à contabilidade de custos e ao departamento de contas a pagar para
providências e o material recebido é codificado de acordo com os critérios estabelecidos
pela empresa.

Depois de codificado e estocado, o material está pronto para ser utilizado pela
empresa e obedece à seqüência do fluxo, ou seja, à distribuição que nada mais é que a
entrega para os setores requisitantes. Esse material somente poderá ser distribuído
mediante apresentação de requisição devidamente assinada por pessoa habilitada porque
entrará na rotina de controle de estoque, fornecendo dados quanto ao ressuprimento.

Inventário Físico de Materiais

Trata-se de uma contagem física de materiais de um determinado grupo ou


mesmo todos os itens em estoque para confronto com a contabilidade. Ele tem dois
objetivos específicos, sendo um deles o levantamento real da situação do estoque para
ser levado ao balanço da empresa e outro seria uma auditoria sobre a situação dos
estoques e procedimentos desenvolvidos no almoxarifado.

Tipos de inventário

• portas fechadas: paralisa-se o expediente e procede-se a contagem física. Também


chamado e inventário fiscal para o efeito de balanço contábil.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 149


Assistente Administrativo

• portas semi-fechadas: é a contagem específica de alguns itens, normalmente


determinados pela curva ABC

• portas abertas: contagem sem interferir no sistema.

Ferramentas de Organização e Qualidade

Várias ferramentas são recomendadas para a organização de uma empresa em


seu segmento logístico com vistas à manutenção da qualidade.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 150


Assistente Administrativo

Dentre elas podemos citar o Housekeeping, também conhecido como 5 S, o


Kaizen e o Just-in-time.

• Housekeeping: ou programa 5 S, visa a mudança na forma de raciocinar das pessoas,


objetivando um comportamento melhor que durará por toda a vida, pois conduz a
empresa de uma maneira racional, proporcionando ganhos efetivos de produtividade.

Resumidamente vamos a cada um deles:

Em japonês Corresponde em Português


SEIRI Senso de Utilização
SEITON Senso de Ordenação
SEISO Senso de Limpeza
SEIKETSU Senso de Saúde
SHITSUKE Senso de Autodisciplina

- Seiri (Senso de Utilização): é a separação e classificação e visa colocar em ordem as


coisas que estão em situação de confusão e desordem.

- Seiton (Senso de Ordenação): é a ordenação e arrumação e propõe arrumar da


maneira certa.

- Seiso (Senso de Limpeza): significa limpar para ficar bonito, facilitar a visibilidade pela
limpeza;

- Seiketsu (Senso de Saúde): significa ter um ambiente higiênico, asseado.

- Shitsuke (Senso de Autodisciplina): propõe a aplicação de boas maneiras.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 151


Assistente Administrativo

• Kaizen: outra ferramenta de fundamental


importância na obtenção de qualidade, significa o
aprimoramento contínuo e envolve todos os
integrantes do quadro funcional da empresa, da alta
administração aos operários.

• Just-in-time: é um processo no qual se formalizam muitas


idéias contidas em diversas estratégias de produção para
atender à demanda. A aquisição, montagem ou a produção
de peças é feita para atender pedidos específicos. Em
resumo isso quer dizer: produz-se o que for necessário,
quando for necessário, e apenas o necessário, envolvendo
para tanto a qualidade, o planejamento, o mercado e o
cliente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 152


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 153


Assistente Administrativo

Capitulo 6 – Administração Tributária

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 154


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 155


Assistente Administrativo

Administração Tributária

Administração Tributária

É dividida em 3 espécies:

- Imposto: gerado sem a necessidade de “satisfação” da finalidade do dinheiro


- Taxa: finalidade acertada diante de uma atividade específica
- Contribuição: cobrada diante de um benefício trazido ao contribuinte

Elementos Fundamentais da Obrigação Tributária

- Lei: cria tributos e determina condições de cobrança


- Objeto: obrigações a serem cumpridas pelo contribuinte
- Fato Gerador: Sujeito Ativo: Estado
Sujeito Passivo: Contribuinte
Base de cálculo: valor a se aplicar em percentual (%)
Alíquota: de 2 a 5% ao mês

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 156


Assistente Administrativo

Sistema Simples Federal

Feito para simplificar e unificar os impostos e incentivar a criação de MEs e EPPs.


Unificação e pagamento mensal dos seguintes impostos:
- IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica;
- PIS/PASEP – Programa de Integração Social e Programa de Formação do
Patrimônio do Servidor Público;
- CSLL - Contribuição Social sobre o Lucro;
- COFINS – Contribuição para o financiamento da Seguridade Social;
- INSS – Contribuição para a Seguridade Social a cargo da Pessoa Jurídica;
- ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços
- IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados.

Atividades impeditivas de optar pelo SIMPLES

- Excesso de Receita Bruta: ME acima de R$240.000,00 e EPP acima de


R$2.400.000,00; Sociedades Anônimas; Participação de Entidade Pública; Pessoa
Jurídica com sede no Exterior; Sócio Pessoa Jurídica; Participação da Empresa
em outra Pessoa Jurídica; Participação em outra empresa pelo Titular ou Sócio
com mais de 10% do capital de outra pessoa jurídica; Sócio Estrangeiro no
Exterior, a não ser que o residente no exterior for brasileiro; Restrição pela
atividade explorada, como por exemplo instituições financeiras, atividades
imobiliárias, prestação de serviços de limpeza; Empresas com Débito Inscrito – se
tiver pendências é obrigada a regulariza-las; Sócio ou Titular Inscrito em Dívida
Ativa; Sócio com Bens Incompatíveis – bens ou gastos em valor incompatível com
os rendimentos declarados e Empresa resultante de Cisão (desmembramento da
empresa).

Prazo de recolhimento – as empresas optantes pelo SIMPLES deverão pagar até o 10º
dia do mês subseqüente à apuração da Receita Bruta. É feito através do DAS –
Documento de Arrecadação do Simples.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 157


Assistente Administrativo

Para efeito de exemplo, tomamos por base as tabelas a serem respeitadas com os
valores escalonados para os optantes do Simples Nacional, nos segmentos da Indústria,
Comércio e Serviços, no que concerne à partilha dos valores a serem arrecadados.

Partilha do Simples Nacional - Comércio

Receita Bruta em 12 meses Alíquota IRPJ CSLL COFINS PIS/PASEP INSS ICMS
Até 120.000,00 4,00% 0,00% 0,21% 0,74% 0,00% 1,80% 1,25%
De 120.000,00 a 240.000,00 5,47% 0,00% 0,36% 1,08% 0,00% 2,17% 1,86%
De 240.000,01 a 360.000,00 6,84% 0,31% 0,31% 0,95% 0,23% 2,71% 2,33%
De 360.000,01 a 480.000,00 7,54% 0,35% 0,35% 1,04% 0,25% 2,99% 2,56%
De 480.000,01 a 600.000,00 7,60% 0,35% 0,35% 1,05% 0,25% 3,02% 2,58%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,28% 0,35% 0,38% 1,15% 0,27% 3,28% 2,82%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,36% 0,39% 0,39% 1,16% 0,28% 3,30% 2,84%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,45% 0,39% 0,39% 1,17% 0,28% 3,35% 2,87%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,03% 0,42% 0,42% 1,25% 0,30% 3,57% 3,07%
De 1.080.000,00 a 1.200.000,00 9,12% 0,43% 0,43% 1,26% 0,30% 3,60% 3,10%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 9,95% 0,46% 0,46% 1,38% 0,33% 3,94% 3,38%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,04% 0,46% 0,46% 1,39% 0,33% 3,99% 3,41%
De 1.440.000,01 a 1.560.000,00 10,13% 0,47% 0,47% 1,40% 0,33% 4,01% 3,45%
De 1.560.000,01 a 1.680.000,00 10,23% 0,47% 0,47% 1,42% 0,34% 4,05% 3,48%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,32% 0,48% 0,48% 1,43% 0,34% 4,08% 3,51%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,23% 0,52% 0,52% 1,56% 0,37% 4,44% 3,82%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,32% 0,52% 0,52% 1,57% 0,37% 4,49% 3,85%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,42% 0,53% 0,53% 1,58% 0,38% 4,52% 3,88%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 11,51% 0,53% 0,53% 1,60% 0,38% 4,56% 3,91%
De 2,280.000,01 a 2.400.000,00 11,61% 0,54% 0,54% 1,60% 0,38% 4,60% 3,95%

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 158


Assistente Administrativo

Partilha do Simples Nacional – Indústria

Receita Bruta em 12 meses Alíquota IRPJ CSLL COFINS PIS/PASEP INSS ICMS IPI
Até 120.000,00 4,50% 0,00% 0,21% 0,74% 0,00% 1,80% 1,25% 0,50%
De 120.000,00 a 240.000,00 5,97% 0,00% 0,36% 1,08% 0,00% 2,17% 1,86% 0,50%
De 240.000,01 a 360.000,00 7,34% 0,31% 0,31% 0,95% 0,23% 2,71% 2,33% 0,50%
De 360.000,01 a 480.000,00 8,04% 0,35% 0,35% 1,04% 0,25% 2,99% 2,56% 0,50%
De 480.000,01 a 600.000,00 8,10% 0,35% 0,35% 1,05% 0,25% 3,02% 2,58% 0,50%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,78% 0,38% 0,38% 1,15% 0,27% 3,28% 2,82% 0,50%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,86% 0,39% 0,39% 1,16% 0,28% 3,30% 2,84% 0,50%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,95% 0,39% 0,39% 1,17% 0,28% 3,35% 2,87% 0,50%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,53% 0,42% 0,42% 1,25% 0,30% 3,57% 3,07% 0,50%
De 1.080.000,00 a 1.200.000,00 9,62% 0,42% 0,42% 1,26% 0,30% 3,62% 3,10% 0,50%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 10,45% 0,46% 0,46% 1,38% 0,33% 3,94% 3,38% 0,50%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,54% 0,46% 0,46% 1,39% 0,33% 3,99% 3,41% 0,50%
De 1.440.000,01 a 1.560.000,00 10,63% 0,47% 0,47% 1,40% 0,33% 4,01% 3,45% 0,50%
De 1.560.000,01 a 1.680.000,00 10,73% 0,47% 0,47% 1,42% 0,34% 4,05% 3,48% 0,50%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,82% 0,48% 0,48% 1,43% 0,34% 4,08% 3,51% 0,50%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,73% 0,52% 0,52% 1,56% 0,37% 4,44% 3,82% 0,50%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,82% 0,52% 0,52% 1,57% 0,37% 4,49% 3,85% 0,50%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,92% 0,53% 0,53% 1,58% 0,38% 4,52% 3,88% 0,50%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 12,01% 0,53% 0,53% 1,60% 0,38% 4,56% 3,91% 0,50%
De 2,280.000,01 a 2.400.000,00 12,11% 0,54% 0,54% 1,60% 0,38% 4,60% 3,95% 0,50%

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 159


Assistente Administrativo

Partilha do Simples Nacional - Serviços

Receita Bruta em 12 meses Alíquota IRPJ CSLL COFINS PIS/PASEP ISS


Até 120.000,00 4,50% 0,00% 1,22% 1,28% 0,00% 2,00%
De 120.000,00 a 240.000,00 6,54% 0,00% 1,84% 1,91% 0,00% 2,79%
De 240.000,01 a 360.000,00 7,70% 0,16% 1,85% 1,95% 0,24% 3,50%
De 360.000,01 a 480.000,00 8,49% 0,52% 1,87% 1,99% 0,27% 3,84%
De 480.000,01 a 600.000,00 8,97% 0,89% 1,89% 2,03% 0,29% 3,87%
De 600.000,01 a 720.000,00 9,78% 1,25% 1,91% 2,07% 0,32% 4,23%
De 720.000,01 a 840.000,00 10,26% 1,62% 1,93% 2,11% 0,34% 4,26%
De 840.000,01 a 960.000,00 10,76% 2,00% 1,95% 2,15% 0,35% 4,31%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 11,51% 2,37% 1,97% 2,19% 0,37% 4,61%
De 1.080.000,00 a 1.200.000,00 12,00% 2,74% 2,00% 2,23% 0,38% 4,65%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 12,80% 3,12% 2,01% 2,27% 0,40% 5,00%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 13,25% 3,49% 2,03% 2,31% 0,42% 5,00%
De 1.440.000,01 a 1.560.000,00 13,70% 3,86% 2,05% 2,35% 0,44% 5,00%
De 1.560.000,01 a 1.680.000,00 14,15% 4,23% 2,07% 2,39% 0,46% 5,00%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 14,60% 4,60% 2,10% 2,43% 0,47% 5,00%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 15,05% 4,90% 2,19% 2,47% 0,49% 5,00%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 15,50% 5,21% 2,27% 2,51% 0,51% 5,00%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 15,95% 5,51% 2,36% 2,55% 0,53% 5,00%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 16,40% 5,81% 2,45% 2,59% 0,55% 5,00%
De 2,280.000,01 a 2.400.000,00 16,85% 6,12% 2,53% 2,63% 0,57% 5,00%

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 160


Assistente Administrativo

IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados – Imposto Federal, baseia-se na


importação e saída do produto da fábrica. Contribuintes: Indústrias ou Importador. O
recolhimento é feito através do DARF – Documento de Arrecadação de Tributos Federais.

ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – Ocorre na venda de


mercadorias, importação, saída na transportadora, chegada de mercadorias de outro
Estado para consumo, Serviços de Comunicação. Contribuintes: quem realiza circulação
de mercadorias ou presta serviços de transportes ou de comunicação. Apuração é mensal
e o recolhimento é feito através da GARE – Guia de Arrecadação da Receita Estadual.

ISSQN – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza – Imposto municipal, baseado


na prestação de serviços. Contribuinte: Prestador de Serviços. ISS apurado mensalmente.
Alíquota mínima de 2% e máxima de 5%, dependendo de cada município, sobre o total da
venda.

COFINS – Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Financia a


Seguridade Social (aposentadoria). Alíquota é de 3% sobre o faturamento mensal das
empresas e o recolhimento é feito no último dia útil da primeira quinzena do mês
subseqüente ao fato gerador.

IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica – Alíquota é de 15% sobre o lucro líquido da
empresa.

CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido – Base da cálculo é o lucro líquido
da empresa. A alíquota é de 9% e o recolhimento é trimestral.

PIS/PASEP – Programa de Integração Social e Formação do Patrimônio do Servidor


Público. Base de cálculo é o faturamento bruto da empresa. Alíquota é de 0,65% a
1,65%. Recolhimento é mensal e a arrecadação custeia o Seguro-Desemprego com
média de até 2 salários mínimos da remuneração mensal.

INSS – Instituto Nacional da Seguridade Social – Valor devido pela empresa: 20%
sobre a Folha de Pagamento, Pró-Labores e Autônomos.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 161


Assistente Administrativo

Crimes Fiscais

Constituem crimes de sonegação fiscal, entre outros, os seguintes:

● Omitir informação ou prestar declaração falsa às autoridades fazendárias;


● Fraudar a fiscalização tributária, inserindo elementos inexatos ou omitindo operação em
documentos ou livros exigidos pelas leis fiscais;
●Falsificar ou alterar nota fiscal ou qualquer outro documento relativo à operação
tributável;
●Elaborar, distribuir, fornecer, emitir ou utilizar documento que saiba ou deva saber ser
falso ou inexato;
●Negar ou deixar de fornecer, quando obrigatório, nota fiscal ou documento equivalente
relativo à venda de mercadorias ou prestação de serviços, ou fornecê-los em desacordo
com a legislação;
●Falta de atendimento da exigência da autoridade fiscal;
●Deixar de recolher, no prazo legal, valor de tributo ou de contribuição social descontado
ou cobrado, na qualidade de sujeito passivo de obrigação e que deveria recolher aos
cofres públicos, etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 162


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 163


Assistente Administrativo

Capítulo 7 – Recursos Humanos

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 164


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 165


Assistente Administrativo

Recursos Humanos
Desenvolvimento das Competências Essenciais para o Mercado de Trabalho

Relacionamento Interpessoal

Trabalhar em equipe, construir bons relacionamentos no trabalho necessita muito


mais do que habilidade técnica. É necessária uma nova percepção sobre as pessoas: a
aquisição da competência interpessoal.

Durante os últimos anos as organizações têm se deparado com a alta exigência do


mercado e a alta competitividade, e para tanto, tem se buscado meios para se tornar mais
competitivo. Uma das formas que as empresas têm encontrado é a de passar a enxergar
o trabalhador de forma diferente. Hoje, em toda e qualquer organização que queira obter
êxito, não se admite mais o profissional individualista, exige-se profissionais que saibam
trabalhar em equipe, e principalmente, saibam se integrar e criar sinergia com as
pessoas.

O processo de interação humana está presente em toda a organização e é o que


mais influencia no rumo das atividades e nos seus resultados atualmente. Este fato,
porém, não foi ainda devidamente reconhecido e avaliado. Por isso mesmo, sucedem-se
surpresas, frustrações, eventos inesperados que trazem desconforto, perplexidade e
insegurança aos gestores. Mesmo as situações bem planejadas podem fugir ao seu
controle e configurar-se, na prática, de forma bem diferente do esperado (MOSCOVICI,
2002).

Como conviver com os outros no trabalho, trabalhar em equipe e criar sinergia,


sem conhecer a fundo cada um e sem entender alguns aspectos do seu próprio
comportamento?

Assim como de maneira individual, as pessoas quando estão em grupo possuem padrões
próprios para funcionar e agem de forma diferente do que quando estão sós. O grupo não
é a simples soma de indivíduos e comportamentos, ele assume configuração própria que
influência nas ações e nos sentimentos de cada um proporcionando, sinergia, coesão,
cooperação e coordenação, simpatia, carinho, harmonia, satisfação e alegria, ou mesmo,
antipatia, tensão, hostilidade, insatisfação e tristeza. O mais curioso é que, mesmo o ser
humano não conhecendo profundamente as pessoas, possui noções empíricas
(experiências práticas) sobre as reações dos outros e já desenvolveu certa habilidade
para lidar com as formas previsíveis de atuação de diferentes pessoas. Entretanto isto
não impede que haja distorções no relacionamento interpessoal e interpretações errôneas
sobre as pessoas e seus comportamentos em grupo.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 166


Assistente Administrativo

Um ponto importante para essa mudança de paradigma é a aquisição da


competência interpessoal pelos profissionais do mercado. A competência técnica para
cada profissional não é posta em dúvida, claramente todos reconhecem que o profissional
precisa ser competente em sua área específica de atividade. A competência interpessoal,
porém, só é reconhecida para algumas categorias profissionais notórias, tais como
assistência social, psicoterapia, magistério, vendas, serviços de atendimento ao público
em geral. Em cada profissão na verdade os dois tipos de competência são necessários,
embora em proporções diferentes. O problema consiste em discernir e aprender qual a
proporção adequada para prover serviços de alta qualidade, ou seja, para um
desempenho superior.

Cada tipo ou dimensão de competência é interdependente de outra. Assim, a


maneira pela qual um gerente, advogado, médico faz as perguntas (tendo ou não
estabelecido um clima psicológico favorável e uma relação de confiança) pode influenciar
as informações que recebe. Neste exemplo, a competência interpessoal (processo) é tão
importante quanto à competência técnica de formular as perguntas adequadas (conteúdo
das perguntas).

Se a competência técnica pode ser adquirida através de cursos, seminários,


leituras e experiência ou prática, a competência interpessoal necessita treinamento
especial de laboratório.

Segundo Argyris (1968), competência interpessoal é a habilidade de lidar eficazmente


com relações de acordo com três critérios:

a) Percepção acurada da situação interpessoal, de suas variáveis relevantes e respectiva


inter-relação.

b) Habilidade de resolver realmente os problemas, de tal modo que não haja regressões.

c) Soluções alcançadas de tal forma que as pessoas envolvidas continuem trabalhando


juntas tão eficientemente, pelo menos, como quando começaram a resolver seus
problemas.

Dois componentes da competência interpessoal assumem importância capital para


discernir e aprender a proporção adequada: a percepção e a habilidade propriamente
ditas. O processo da percepção precisa ser treinado para uma visão acurada da situação
interpessoal. Isto significa um longo processo de crescimento pessoal, abrangendo
autopercepção, autoconscientização e auto-aceitação como pré-requisitos de
possibilidades de percepção mais realística dos outros e da situação.

Esse treinamento perceptivo não se realiza espontânea nem facilmente, mas


requer treinamento especial, demorado, e muitas vezes sofrido, exigindo coragem e
disponibilidade psicológica do treinando no exercício de dar e receber feedback.

O autoconhecimento só pode ser obtido com a ajuda dos outros, por meio de
feedback, o qual precisa ser elaborado para auto-aceitação. Se o indivíduo tem percepção
mais acurada de si, então pode, também, ter percepção acurada da situação interpessoal.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 167


Assistente Administrativo

A habilidade propriamente dita, ou melhor, a forma de fazer, pode ser


desenvolvida de forma informal através de um espaço coletivo de discussão acerca das
variáveis e dos conteúdos presentes nas relações intra e extra grupo. Segundo
DEJOURS (1994), é necessário abrir um espaço interno de discussão que vá além do
conhecimento técnico e da divisão do trabalho, “onde o trabalhador possa discutir as
regras de consenso para trabalhar em conjunto e a elaboração de confiança entre
trabalhadores”. É necessário criar grupos em que os sujeitos apresentem expectativas,
determinem objetivos e definam a ordem das atividades e das relações.

Quando se está ao par destas diversidades torna-se mais fácil compreender por que
certos grupos têm dificuldade para definir seus objetivos e fins, e os métodos de alcançá-
los. É impossível conhecer tudo sobre os indivíduos de um grupo, entretanto, se forem
compreendidos e percebidos como pessoas, quais seus motivos básicos e conhecidos os
pontos em que querem ser satisfeitos, pode-se mais facilmente caracterizá-los como
individualidades. Determinando os pontos de concordância, os estímulos que os
impulsionarão a melhor compreender os seus atos.

A nova ótica é a de perceber e enxergar este grupo ou indivíduo de forma diferente


da usual, é mudar nossa forma de enxergar. É perceber antes de tudo e conforme
descreve SCHUTZ(1989) “o quanto nossa percepção pode ser profundamente
condicionada. Se poucos minutos ou horas podem ter tal impacto em nossa maneira de
ver as coisas, o que dizer dos condicionamentos que duram a vida inteira, sendo a nossa
fonte de atitudes e comportamentos”.
Portanto, avaliar a nossa conduta, nossos comportamentos e percepções frente aos
outros é o primeiro passo para que haja coesão nas relações grupais, bem como, se crie
sinergia e condições reais de se ganhar mais competitividade através das pessoas.

Respeito e Valorização da Diversidade

Diversidade é:

Religião, Orientação Sexual, Gênero, Idade,Estilo, Nacionalidade, Cultura, Raça


Condição Física, Idéias

A diversidade não é um valor a mais, pois permeia todos os quatro valores da


Organização e cria sinergia que contribui para relações de qualidade com todos os
envolvidos. Relações são mantidas por pessoas, que são o centro de tudo...

Segmentos da população priorizados


• Negros
• Mulheres
• Pessoas com mais de 45 anos
• GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros)
• Jovem Aprendiz
• Pessoas com deficiência: física, auditiva, visual, intelectual

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 168


Assistente Administrativo

Valores Corporativos

• Integridade
• Profissionalismo
• Respeito
• Trabalho em Equipe

Interação Social

Todos nós temos a necessidade de interagir. Fazer contatos uns com os outros,
sugerindo soluções, discutindo relações, são ações características dos seres humanos.
Tratando o assunto de forma generalizada, até as sociedades mais complexas como a
dos países de primeiro mundo, tem necessidade de interagir, procurar uma melhor
qualidade de vida para os moradores de sua pátria, buscando uma nova tecnologia, uma
fonte de matéria prima, um comércio alimentício, um novo modelo de administração e
muitos outros interesses.

O responsável pelas contratações de uma empresa, sempre busca aquele


indivíduo com boa comunicação que venha a interagir junto aos perfis e a filosofia da
Organização.

A socialização organizacional significa a adaptação das pessoas à cultura da


organização. Os métodos de socialização organizacional mais utilizados são: o processo
seletivo, o conteúdo do cargo, o supervisor condutor, o grupo de trabalho e o programa de
integração que é o mais utilizado. (CHIAVENATO, 1999, p. 156.)

Assim a interação social ocorre quando temos que nos adaptar a algum grupo ou a
alguém com quem temos que interagir seja no trabalho, entretenimento, escola, lazer,
igreja, família, clube, faculdade e etc. Melhor explicando: a exemplo de um candidato que
concorre a uma vaga para qualquer posto, após a sua admissão, ele deve incorporar-se à
empresa, pois é um modelo diferente de sociedade, uma nova interação.

Motivação

A motivação é um processo que gera estímulos e interesses para a vida das


pessoas e possui uma relação estreita com as recompensa oferecidas e a satisfação das
necessidades dos clientes internos, induzindo o comportamento e as ações dos
elementos.

No trabalho, o indivíduo alcança várias formas de satisfação de necessidades.


Satisfeitas as necessidades ou parte delas, o indivíduo passa a ter um relacionamento
humano mais efetivo e menos conflitante. (MINUCUCCI, Agostinho. 2001, p. 215.).

Sugerindo manter a motivação sempre em alta, a proposta inicial do projeto de


estágio supervisionado de RI na empresa Centro Sul Construções Elétricas Ltda, visava
pensar na satisfação parcial das necessidades, tratando todos os componentes da
empresa de maneiras diferenciadas, tornar mais agradável o ambiente de trabalho,

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 169


Assistente Administrativo

buscando manter os colaboradores motivados e satisfeitos com as suas atividades


profissionais, evitando descontentamentos de quaisquer naturezas, como os provenientes
de divergências no que se refere às disparidades de salários, por exemplo.

O problema paralelo do salário é de importância vital no estabelecimento de


relações humanas no trabalho. Segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos,
não há nenhum fator isolado em todo o campo das trabalhistas que cause mais baixa
moral, que crie insatisfações individuais, que encoraje a falta ao trabalho, que aumente a
mobilidade no trabalho, que quebre a produção, do que as diferenças claramente injustas
na tabela de salários pagos aos diferentes indivíduos no mesmo grupo de trabalho e na
mesma empresa. (MINUCUCCI, Agostinho. 2001, p. 215.).

O grande segredo é A ATRAÇÃO. Como isso acontece e como criar a atração


desejada, sabendo que a ciência explica que tudo que acontece conosco é uma criação
nossa, é a nossa atração. Revelado como a grande força que impulsiona os triunfadores,
é uma verdade incontestável na vida de todo ser humano há centenas de anos e
apontada como a energia responsável por tudo que obtemos na vida, seja gostando ou
não. Trabalhando com os aspectos emocionais do ser humano podemos gerar esta
energia desejada e construir a trilha através da bioquímica de suas emoções,
impulsionando seu corpo físico na direção das realizações almejadas. Conhecer a si
mesmo é fundamental para crescer no mundo atual, tanto profissional como
financeiramente.

COMUNICAÇÃO PESSOAL

A Comunicação é entendida como a transmissão de estímulos e respostas


provocadas, através de um sistema completa ou parcialmente compartilhado. É todo o
processo de transmissão e de troca de mensagens entre seres humanos.

Esquema da Comunicação:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 170


Assistente Administrativo

Para se estabelecer comunicação, tem de ocorrer um conjunto de elementos


constituídos por: um emissor (ou destinador), que produz e emite uma determinada
mensagem, dirigida a um receptor (ou destinatário). Mas para que a comunicação se
processe efetivamente entre estes dois elementos, deve a mensagem ser realmente
recebida e descodificada pelo receptor, por isso é necessário que ambos estejam dentro
do mesmo contexto (devem ambos conhecer os referentes situacionais), devem utilizar
um mesmo código (conjunto estruturado de signos) e estabelecerem um efetivo contato
através de um canal de comunicação.

Se qualquer um destes elementos ou fatores falhar, ocorre uma situação de ruído


na comunicação, entendido como todo o fenômeno que perturba de alguma forma a
transmissão da mensagem e a sua perfeita recepção ou descodificação por parte do
receptor.

Elementos da Comunicação:

- Codificar: transformar, num código conhecido, a intenção da comunicação ou elaborar


um sistema de signos;
- Descodificar: decifrar a mensagem, operação que depende do repertório (conjunto
estruturado de informação) de cada pessoa;
- Feedback: corresponde à informação que o emissor consegue obter e pela qual sabe se
a sua mensagem foi captada pelo receptor.

LINGUAGEM VERBAL: as dificuldades de comunicação ocorrem quando as palavras têm


graus distintos de abstração e variedade de sentido. O significado das palavras não está
nelas mesmas, mas nas pessoas (no repertório de cada um e que lhe permite decifrar e
interpretar as palavras)

LINGUAGEM NÃO-VERBAL: as pessoas não se comunicam apenas por palavras. Os


movimentos faciais e corporais, os gestos, os olhares, a entoação são também
importantes: são os elementos não verbais da comunicação.

COMUNICAÇÃO ESCRITA: é a comunicação que vem através de um documento escrito,


em papel ou numa tela. O índice de eficiência da leitura de textos em papel é maior do
que em tela.

COMUNICAÇÃO VISUAL: é todo meio de comunicação expresso com a utilização de


componentes visuais, como: signos, imagens, desenhos, gráficos, ou seja, tudo que pode
ser visto.

COMUNICAÇÃO GESTUAL: é todo meio de comunicação expresso com a utilização de


gesticulação, sem emissão de sons.

COMUNICAÇÃO AUDITIVA: é a comunicação que vem pelo que se ouve, ou seja, os


ouvidos transmitem ao cérebro o que ouvem, levando ao cérebro as informações
captadas.

COMUNICAÇÃO SENSITIVA: é a comunicação pelos sentidos humanos: visão, audição,


tato, olfato, gosto.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 171


Assistente Administrativo

Marketing Pessoal

Marketing Pessoal hoje, é a ferramenta mais eficiente de fazer com que seus
pensamentos e atitudes, sua apresentação e comunicação, trabalhem a ser favor no
ambiente profissional. Além desses detalhes o cuidado com a ética e a capacidade de
liderar, a habilidade de se auto-motivar e de motivar as pessoas a sua volta, também
fazem parte do Marketing Pessoal.

As empresas de hoje analisam muito mais do que sua experiência profissional. A


preocupação com o capital intelectual e a ética, são fundamentais na definição do perfil
daqueles que serão parceiros/colaboradores.

O modelo de sociedade em que vivemos dita padrões de competitividade


extremamente elevados em praticamente todas as áreas. Tanto em aspectos visuais, de
comunicação e de conhecimento, quanto em outros aparentemente secundários,
pequenas diferenças podem determinar o sucesso ou o fracasso. Talvez seja um modelo
injusto, mas a realidade é que este é o modelo em que transitamos.
.
O reconhecimento de competências e habilidades é fundamental para diferenciar e
situar um indivíduo no contexto social em que vive e determina, em grande parte, a
maneira como ele estará posicionado para o sucesso profissional e pessoal.

É fato que nem todos possuem as mesmas competências e habilidades. Porém,


muitos as possuem e, por uma série de fatores, elas não são facilmente reconhecíveis. E
habilidades encobertas geram uma grande desvantagem, especialmente quando a
competição é acirrada. Todos já se perguntaram: porque fulano de tal, sendo menos
preparado, menos hábil, menos esforçado e experiente, galgou sucesso pessoal ou
profissional maior do que o nosso?

Talvez uma das respostas seja a prática do Marketing Pessoal.

Marketing Pessoal pode ser definido como uma estratégia individual para atrair e
desenvolver contatos e relacionamentos interessantes do ponto de vista pessoal e
profissional, bem como para dar visibilidade a características, habilidades e competências
relevantes na perspectiva da aceitação e do reconhecimento por parte de outros.
Foi-se o tempo em que marketing pessoal era um instrumento político, falso,
visando apenas uma conquista específica. Hoje, para avançar em meio à verdadeira selva
social em que se transformou o capitalismo, ele vem se tornando uma ferramenta cada
vez mais necessária para todos, do mais simples ao mais sofisticado.

Os elementos fundamentais, quando se atesta que o caminho do sucesso é a


prática do marketing pessoal, são:

- A qualidade do posicionamento emocional para com os outros


- A comunicação interpessoal
- A montagem de uma rede relacionamentos
- O correto posicionamento da imagem
- A prática de ações de apoio, ajuda e incentivo para com os demais

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 172


Assistente Administrativo

A comunicação interpessoal pode ser definida como sendo o grande elo que
destaca um individuo em meio à massa. Quando ele fala, quando se expressa por escrito
ou oralmente, quando cria vínculos de comunicação continuada, o individuo externa o que
tem de melhor em seu interior. Assim, usar um português correto e adequado a cada
contexto, escrever bem, vencer a timidez, usar diálogos motivadores e edificantes e
manter um fluxo de comunicação regular com as pessoas é básico para um bom
desenvolvimento do marketing pessoal. Temos sempre a tendência de ver as pessoas
que se comunicam bem como líderes no campo em que atuam.

Liderança

Liderança, Mitos e Realidade

Dos 20 líderes classificados como os mais destacados do mundo, citados no livro "A lei do
triunfo", Hitler e Napoleão foram os únicos considerados negativos. A história registra
nesses dois personagens o foco no poder a qualquer custo e uma vaidade imensa de
querer moldar as coisas à sua maneira, ao seu modo de ver o mundo.

"Você se torna um líder quando as pessoas seguem seus passos sem perguntarem o
porquê". A afirmação é de Gregory Smith, presidente da consultoria Chart Your Course
International, de Conyers, na Geórgia – USA.
De fato, nada pode funcionar na base do "faça ou será punido", condição que tanto Hitler
quanto Napoleão impunham aos seus comandados.

Ser chefe é ser líder? Deveria ser, mas o que se vê na maioria dos casos são
pessoas imbuídas de poder, que quando deixam seus cargos amargam o desprezo das
pessoas que os conhecem.

A diferença entre gerenciar e liderar serve para esclarecer um pouco mais o que
é ser líder: Gerenciar é cumprir tarefas determinadas, seguir normas, portanto, uma
atitude passiva. Liderar requer proatividade. É quando você se dá conta de estar
executando tarefas fora do contexto, mas que beneficiam a todos. É quando na ausência
do titular da função você se apresenta e resolve, antecipando a solução sem ter sido
solicitado.

Informação: não é o número de diplomas ou certificados que faz o líder. Um


conferencista amigo, chama a atenção para a arrogância que alguns detentores de MBA
exibem e os chama, ironicamente, de "Muito Bobos Agora". É preciso habilidade para lidar
com o melhor e maior dos capitais, o ser humano.

Coação e Manipulação: este é comportamento das pessoas que denominamos


"touros sentados na vida". Elas desconhecem que é preciso compreensão, colocar-se no
lugar do outro, vivenciar como se fossem dele as dificuldades de seus colaboradores. Os
"touros sentados na vida" só serão líderes quando deixarem de preocuparem-se com
títulos, cargos, salas decoradas e agendas lotadas e perceberem que para motivar e
arregimentar pessoas têm em primeiro lugar que acreditar em si mesmos, depois, nos
ideais que defendem e por último planejar com paixão a rota para suas conquistas.
O verdadeiro líder gosta de desafios, é persistente e busca maneiras criativas para

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 173


Assistente Administrativo

alcançar as metas, quando os meios pré-estabelecidos não apresentam resultados


satisfatórios. Ele sabe que fazer a mesma coisa e esperar um resultado diferente é
imaturidade, para dizer o mínimo.

Principais atributos de um líder:

• Deve ter disposição para tentar o que não foi tentado antes;

• Precisa possuir automotivação e ter uma percepção aguda do que é justo, além de
planos bem definidos
• É perseverante em suas decisões e tem o hábito de fazer mais do que aquilo pelo qual é
remunerado.

O líder possui pensamentos, palavras e atitudes positivas (tem uma personalidade


positiva). Empatia, domínio dos detalhes e disposição para assumir plena
responsabilidade são outras características. Capacidade de espelhar-se no outro e uma
profunda crença eu seus princípios também fazem parte das qualidades de um grande
líder, segundo a empresa de consultoria.

Diferenças entre chefe e líder

- O chefe conduz, o líder aconselha;


- O chefe inspira medo, o líder entusiasmo;
- O chefe diz "eu", o líder "nós";
- O chefe se preocupa com as coisas, o líder com as pessoas;
- O chefe colhe os louros, o líder os distribui;
- O chefe enxerga o hoje, o líder contempla o amanhã.

Uma liderança precisa se voltar com afinco às necessidades dos colaboradores,


se colocando no lugar deles e se questionando se é isso que agrada e satisfaz.

Com base nessas teorias podemos desenvolver e melhorar todos os aspectos que
motivam o parceiro a gostar do que tem que ser feito. A empatia é o primeiro passo de
qualquer líder, pois é daí que vem a confiança e simpatia.

Se esmerar para criar todos os aspectos de satisfação enfatizando que o ser


humano não pode ser fragmentado, sendo num primeiro momento razão, num outro
espírito e num outro apenas um corpo, daí a necessidade do que pode ser chamado de
neuro marketing. Procure satisfazer seu cliente interno e externo em todos os sentidos.
Que ele se sinta feliz no que vê, no que ouve e no que sente (olfato, paladar e tato) e
mostre que é capaz de surpreender e fazer diferença.

"Líder é aquele que faz com que outras pessoas façam com prazer aquilo que
normalmente não fariam". Norman Schwarzkopf.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 174


Assistente Administrativo

Proatividade

Proatividade é a característica pessoal definida pela atitude de alguém para


prevenir e/ou tomar novas iniciativas. A disposição proativa é a tendência para iniciar e
manter ações que irão alterar diretamente o ambiente ao redor. Ser proativo é o contrário
de ser reativo.

É o ato de trazer soluções e novas idéias por iniciativa própria. Ser proativo
também pode significar estar na frente dos seus concorrentes. O termo proatividade está
ligado diretamente à responsabilidade, ou seja, habilidade de tomar decisões.A pessoa
proativa não espera chover para que o telhado seja trocado, ele age antes que a chuva
penetre, tomando iniciativas, estando a frente dos acontecimentos, predizendo fatos.

É necessário ser proativo

A cada dia mais organizações precisam de líderes e têm o maior interesse em ver
o desenvolvimento de seus colaboradores.

Portanto, compartilhe com a organização suas intenções e ambições. Corra atrás,


vá e busque oportnidade de liderança, seja em equipes, em algum projeto, em família ou
ainda na sua comunidade. Cada experiência lhe ajudará a crescer.
O importante é agir, não esperar que outro faça por você. Hoje, a velocidade das
mudanças no mundo exige que profissionais e empresas assumam uma atitude de
aprendizagem contínua a fim de manter a competitividade.

Desenvolva sua flexibilidade. Mostre que é flexível e está aberto às novas idéias
fazendo o seguinte:

É muito importante se lembrar de agradecer a participação, mesmo que a idéia


não seja implementada.

Premie as melhores idéias e agradeça as outras - com isto você estará motivado
as pessoas a pensarem criativamente e estará melhorando toda a organização.

Muitos líderes estão condicionados a pensar apenas sobre o que sua equipe
precisa que negligenciam seu próprio desenvolvimento.

Não espere até que seu superior entregue a você um plano de desenvolvimento. O
mais provável é que ele esteja tão ocupado com alguns aspectos das mudanças que
acontecem todos os dias que não prepare um plano para o seu crescimento profissional.

Você precisa descartar antigas idéias de que caso você trabalhe duro, não crie
dificuldades e mantenha seu nariz grudado no trabalho, seu chefe irá recompensá-lo com
tarefas cada vez mais importantes e promoções. Na organização de hoje você precisa
criar suas próprias oportunidades.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 175


Assistente Administrativo

Recrutamento e Seleção

As relações de trabalho são as que geram maiores conflitos sociais, e devido a


esse fato, as leis trabalhistas são as que mais proliferam.

As relações de trabalho na atualidade, devido à globalização, vêm passando por


significativas transformações tanto no Brasil quanto no mundo.

Desde a Revolução Industrial, e como decorrência dos abusos então cometidos, a


intervenção do estado nas relações de trabalho veio se acentuando até chegar a uma
proteção excessiva.

A crise econômica, a globalização, a tecnologia e, como conseqüência, o aumento


da competitividade e do desemprego têm forçado os países a repensar as formas de
organizar o trabalho.

A sociedade moderna não admite mais sistemas muito rígidos de proteção ao


trabalho.

Duas são as formas de adaptar a legislação trabalhista às necessidades atuais de


mercado. A primeira delas é a desregulamentação, expressão que significa eliminar a
maior parte das leis regulamentadoras do trabalho, que passariam a conter apenas
princípios fundamentais a nortear essas relações. A outra é a flexibilização, que significa
a adaptação das normas trabalhistas às realidades sociais.

Recrutamento

Após ser detectada a necessidade de pessoal, o(s) departamento(s)


interessado(s) envia(m) ao Departamento de Pessoal “Solicitação de aumento de
funcionários”, documento que especifica o perfil do cargo a ser recrutado.

Podemos definir essa fase como sendo a de atração de pessoas, visando as


necessidades presentes e futuras da empresa.

Poderemos realizar o recrutamento das seguintes formas:

Interno: aproveitamento dos recursos humanos existente na própria empresa. Esse


procedimento é realizado pelo exame de: currículos, entrevistas, testes, avaliação de
mérito ou qualquer outro meio disponível.
O recrutamento interno oferece algumas vantagens, tais como: confiabilidade na pessoa
que vai ser aproveitada, sua personalidade, facilidade de moldagem aos objetivos da
empresa.

Externo: realizado fora do âmbito da empresa, e pode ser feito por intermédio de
agências de emprego, anúncios, cartazes, associações, faculdades, Internet. Assim como
o recrutamento interno, o externo traz algumas vantagens para o empregador, ou seja:
“sangue” novo para a empresa, novas idéias, etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 176


Assistente Administrativo

Seleção

Nesta fase vamos verificar a adaptação do candidato ao cargo. A verificação é


realizada tomando por base dois parâmetros: o que o cargo requer x o que o candidato
oferece.

Após a precisa determinação do exposto, o candidato será entrevistado,


procurando verificar aspectos profissionais, sua personalidade, etc. nessa fase costuma-
se aplicar testes de conhecimentos específicos, de conhecimentos gerais (Português,
Matemática e Realidade Atual) e dinâmicas de grupo.

Após ser sabatinado obtém o veredicto: APROVADO!

São solicitados vários documentos para a formalização de sua admissão: Carteira


de Trabalho e Previdência Social (CTPS), CPF (Cadastro de Pessoa Física), Cédula de
Identidade, Certificado de Reservista, Exame Médico Admissional, Certidão de
Casamento, Certidão de Nascimento dos Filhos, Comprovante de Residência. Excluindo-
se a CTPS, aceitam-se cópias.

Treinamento e Desenvolvimento

Toda a empresa que se apresenta no mercado, sabendo da sua responsabilidade


com relação à qualidade de seus produtos e/ou serviços, para atingir seu grande foco que
é o cliente, precisa de uma equipe capacitada.

Essa equipe deve estar capacitada para todas as áreas da empresa, quer na
administrativa, comercial, industrial, dentre outras, a fim de reforçar os conhecimentos
e/ou adquirir novas técnicas, aperfeiçoando um dos recursos mais importantes na
formação da empresa que são os recursos humanos.

Devemos ter em mente que os funcionários devem ser orientados com o objetivo
de adquirir habilidades, mudar comportamentos e atitudes, e isso somente se consegue
por meio de um eficiente programa de treinamento e capacitação;

Cargos e Salários

Dentro de uma organização comprometida com o bem-estar de seus


colaboradores, é preciso haver um programa especialmente preparado e desenvolvido
para a adequação dos cargos constantes de seu organograma funcional com os salários
de seus colaboradores. Isso vai proporcionar inclusive e principalmente um dos fatores
mais importantes de política motivacional que é a possibilidade de carreira, de ascensão
dentro da empresa.

A área de salários é a que cuida diretamente das recompensas que o colaborador


recebe, como retorno pelo desempenho de suas funções dentro da empresa.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 177


Assistente Administrativo

Uma eficiente administração de salários dentro de uma organização comprometida


visa atingir, dentre outros, os seguintes objetivos: remunerar cada colaborador de acordo
com o valor do cargo que ocupa, recompensando-o pelo seu desempenho e dedicação,
obter desses colaboradores a aceitação dos sistemas de remuneração adotados pela
empresa que na verdade visa reter os melhores,

Para que o ocupante do cargo possa ter satisfação no trabalho, desempenhando


suas funções, devemos considerar alguns fatores de ordem psicológica, visando obter
elevada motivação e satisfação com o trabalho.

A descrição do cargo é de fundamental importância para a empresa, pois irá


nortear todas as ações do departamento de recursos humanos durante todo o processo
de estada do colaborador em seus quadros funcionais.

Benefícios

É uma forma de remuneração indireta que a empresa oferece aos seus


empregados, objetivando a satisfação de suas necessidades pessoais, constituindo-se
uma política de fundamental importância que conduz fatalmente à produtividade.

Os benefícios são oferecidos por planos coletivos especiais, estendidos inclusive


aos familiares e dependentes dos empregados.

Para a empresa, os benefícios são considerados custos da remuneração total,


porém como um fator motivacional de grande significado por parte do empregado.

Os benefícios devem ser encarados pela empresa como responsabilidade social e


oferecidos gradativamente aos empregados. Eles abrangem três formas de remuneração:

Oferecidos no exercício do cargo: como, por exemplo: gratificações, prêmios de


produtividade, seguros de vida, veículo, transporte, dentre outros.
Oferecidos dentro da empresa: porém fora do cargo, como refeitório, instrução, lazer e
outros.
Oferecidos fora da empresa: incluindo familiares e dependentes, como assistência
médica e odontológica extensiva, clube e outros.

Os benefícios se classificam em formas distintas, ou seja, legais e espontâneos.

Benefícios legais: são os obrigatórios e exigidos por Lei, pela Previdência ou pela
Convenção Coletiva de Trabalho da categoria sindical à qual o empregado pertence,
como 13º salário, férias, seguro de acidente do trabalho, horas extras, adicionais, dentre
outros.
Benefícios espontâneos: concedidos por mera liberdade da empresa, como convênio
médico e odontológico, refeição, transporte, viagens, seguro de vida em grupo, etc.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 178


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
____________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
________________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 179


Assistente Administrativo

Capítulo 8 – Departamento de Pessoal

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 180


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 181


Assistente Administrativo

Departamento de Pessoal
PROCESSO DE ADMISSÃO

O Departamento de Pessoal representa ema questão estratégica que apóia a


gestão da área de Recursos Humanos nas empresas. O relacionamento entre o
Departamento de Pessoal e os trabalhadores, até então considerados por muitos
conflitantes, é o processo que facilita a permanência e retenção da força de trabalho.

A orientação adequada e acompanhamento contínuo por parte do Departamento


de Pessoal aos trabalhadores solucionam, em grande parte, os conflitos existentes e as
ansiedades em relação aos controles dentro da empresa.

O processo de admissão se dá após o setor de seleção e o requisitante da vaga


definirem a melhor opção entre os candidatos apresentados.
Em seguida, o candidato escolhido é encaminhado para o Departamento de Pessoal,
onde recebe a relação de documentos para a sua admissão na empresa.

Cabe ao responsável pelo Departamento de Pessoal orientar o candidato para que


ele não deixe de trazer nenhum documento relacionado, sob pena de não dar
continuidade ao processo de admissão.

O candidato deve entender que todos os documentos são de extrema importância,


para que não restem dúvidas quanto ao preenchimento de todos os registros previstos
pela legislação trabalhista.

É importante salientar também que tanto o departamento de Pessoal quanto o


candidato são responsáveis pelas informações, e que o processo completo significa
menos incertezas na admissão.

A organização efetiva de todos os documentos do trabalhador irá refletir


diretamente na qualidade do trabalho do departamento de Pessoal.

Freqüentemente se permite que o candidato deixe para entregar documentos


importantes em dia futuro, muitas vezes pela pressa da admissão, por falta de
planejamento ou orientação adequada, acarretando retrabalho e perda de eficiência do
próprio departamento.

Cabe uma orientação clara e objetiva aos gestores de que a empresa correrá
riscos trabalhistas, caso isso aconteça.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 182


Assistente Administrativo

Modelo

Solicitação de Documentos

Nome: ____________________________________________________________
Cargo: ____________________________________________________________

( ) Documento de Escolaridade
( ) Exame Médico Admissional
( ) Carteira de Identidade (R.G.)
( ) CPF
( ) Título de Eleitor
( ) Certificado de Alistamento ou Reservista
( ) Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS
( ) Cartão do PIS (caso não seja o primeiro emprego)
( ) _____ Fotos 3x4
( ) Possui conta corrente? ( ) Sim ( ) Não Banco: __________
Agência: ___________________ Conta Corrente: ______________
( ) Quando motorista – Carteira Nacional de Habilitação (CNH)
( ) Certidão de Nascimento (quando solteiro)
( ) Certidão de Casamento
( ) Certidão de Nascimento dos filhos menores de 14 anos
( ) Comprovante de Vacinação dos filhos menores de 14 anos
( ) Comprovante de residência
( ) Atestado de Saúde Ocupacional – ASO - da empresa anterior
( ) Atestado de freqüência escolar dos filhos entre 7 e 14 anos
( ) Atestado de Antecedentes Criminais

Não será permitida a admissão do funcionário sem os documentos citados.

Departamento de Pessoal

Atestado de Saúde Ocupacional – ASO

Antes do início efetivo do trabalhador em suas atividades, é necessário que seja


submetido a exames médicos, por profissional contratado pela empresa que, ao confirmar
a sua capacidade laborativa para o cargo determinado, elabora assim o Atestado de
Saúde Ocupacional – ASO.

È necessário prestar atenção nesta observação, pois se o trabalhador tiver


contraído doença profissional (perda auditiva, lesão por esforços repetitivos ou outro
comprometimentos laboral), ele deve ser encaminhado ao INSS para acompanhamento
médico.

Art. 168 das CLT – Será obrigatório exame médico, por conta do empregador, nas
condições estabelecidas neste artigo e nas instruções complementares a serem
expedidas pelo Ministério do trabalho:

I – na admissão;
II – na demissão;
III – periodicamente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 183


Assistente Administrativo

Modelo

Atestado de Saúde Ocupacional – ASO

Atesto para os devidos fins da NR 7, da Portaria nº 3.214/78, com nova redação dada pela
Portaria nº 24, de 29/12/94,
DOU de 30/12/94, e Portaria nº 8, de 08/05/96, da Secretaria de Segurança e Saúde do
Trabalhador, que o
Sr _______________________________, portador da CTPS nº _________, série _____, RG nº
_______________,
na função de ___________________________, submeteu-se a exame:

( ) admissional
( ) periódico
( ) retorno ao trabalho
( ) mudança de função
( ) demissional

Encontrando-se:

( ) apto ( ) inapto

para a atividade de ___________________________, tendo sido submetido em


___/___/_____,
_______________________________ (indicar os procedimentos médicos), bem como foram
solicitados os seguintes exames complementares:
_____________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________
(descrever os riscos ocupacionais específicos existentes, ou na ausência deles, na atividade do
empregado, conforme
instruções técnicas da SSST).

Local e data

_____________________________________
(carimbo e assinatura do médico encarregado)

_____________________________________
(nome do médico coordenador e o CRM)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 184


Assistente Administrativo

CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL – CTPS

Art. 29 da CLT - Carteira de Trabalho e Previdência Social será obrigatoriamente


apresentada, contra recibo, pelo trabalhador ao empregador que o admitir, o qual terá o
prazo de quarenta e oito horas para nela anotar, especificamente, a data de admissão, a
remuneração e as condições especiais, se houver, sendo facultada a adoção de sistema
manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções a serem expedidas pelo Ministério
do Trabalho (red. Lei 7.855/89).

O Departamento de Pessoal deve verificar se o registro da empresa foi


devidamente concluído, ou seja, se houve registro da data da saída do trabalhador. Com
isso o processo de admissão pode ter continuidade; caso contrário, o trabalhador deve
justificar a falta do registro.
Conforme o Art. 29 e parágrafos 1º, 2º e 3º da CLT, o empregador tem o prazo
máximo de 48 horas para nela efetuar as anotações previstas, sujeito ás penalidades.

Modelos:

Recibo de Entrega da Carteira de Trabalho e Previdência Social para


Anotações

Empregado: _____________________________________________
CTPS: _______________________________
Função: ______________________________
Admissão: ____________________________

Recebemos a Carteira de Trabalho e Previdência Social acima, para as anotações


necessárias e que será devolvida dentro de 48 (quarenta e oito) horas, de acordo com
as disposições legais vigentes.

Local e data

____________________________
(Carimbo e assinatura da empresa)

Comprovante de Devolução da Carteira de Trabalho e Previdência Social

Empregado: _____________________________________________
CTPS: _______________________________
Função: ______________________________
Admissão: ____________________________

Recebi em devolução a Carteira Profissional e Previdência Social acima, com as


respectivas anotações.

Local e data

____________________________
(Assinatura do empregado)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 185


Assistente Administrativo

Ficha ou Livro de Registro de Empregado

Art. 41 da CLT - Em todas as atividades será obrigatório para o empregador o registro dos
respectivos, podendo ser adotado livros, fichas ou sistema eletrônico, conforme instruções
a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho.

Parágrafo único. Além da qualificação civil ou profissional de cada trabalhador, deverão


ser anotados todos os dados relativos à sua admissão no emprego, duração e efetividade
do trabalho, a férias, acidentes e demais circunstâncias que interessem à proteção do
trabalhador (red. Lei 7.855/89).

O registro deve conter:

Qualificação do trabalhador (dados pessoais e documentos);


Dara da admissão;
Salário (hora ou mensal);
Beneficiários;
Opção pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço;
Número do PIS e respectiva data de cadastramento;
Assinatura do funcionário.

Além das informações de registro, a ficha ou livro de registro de empregados


contém campos para as seguintes informações:

Alterações de salário;
Alterações de cargo;
Registro das férias e respectivos dias de gozo(descanso);
Afastamento (doença, acidentes, paternidade, maternidade, etc.);
Contribuição sindical.

Cadastramento no Programa de Integração Social – PIS

Quando o trabalhador inicia as suas atividades no mercado de trabalho (primeiro


emprego), faz-se um cadastro em impresso padronizado (DCT) na Caixa Econômica
Federal no Programa de Integração Social.

Após o cadastramento, a Caixa Econômica Federal devolve duas vias, uma para o
empregador e outra para o trabalhador.

Segundo CARRION (2000), o Programa de Integração Social – PIS, consiste em


um fundo formado por depósitos mensais efetuados pelas empresas, calculado sobre
faturamento (receita bruta, como definido pela legislação do Imposto de Renda), a folha
de salários (entidades de fins lucrativos) ou sobre as receitas arrecadadas e
transferências corrente de capital recebidas.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 186


Assistente Administrativo

Após cinco anos do cadastramento, o trabalhador tem direito a receber um valor


correspondente às contribuições das empresas em que esteve registrado. Nos casos em
que o trabalhador receba até dois salários mínimos de remuneração mensal, lhe é
assegurado o pagamento de um salário mínimo anual, computado neste valor o
rendimento das contas individuais, no caso daqueles que já participavam dos referidos
programas (red. Art. 239 da CF, § 3º).

O número do PIS é utilizado também para os depósitos mensais na conta


vinculada do FGTS do trabalhador, e somente com o cartão do PIS é que se pode sacar o
FGTS, nos casos de rescisão do contrato de trabalho, quando por iniciativa do
empregador.

O trabalhador iniciante no mercado de trabalho deve ser orientado pelo


Departamento de Pessoal sobre a importância de guardar o Cartão do PIS. Caso
extraviar, ele não deve perder tempo em solicitar uma 2ª via, seja através do
Departamento de Pessoal ou diretamente na Caixa Econômica Federal.

Tipos de Contrato de Trabalho

Contrato Individual de Trabalho

Para que se caracterize o processo de contratação, as partes elaboram um


contrato para garantir a relação trabalhista entre o empregador e o trabalhador,
determinado pela CLT (artigo 422 a 454).

O Contrato Individual de Trabalho é um acordo que expressa o compromisso entre


as partes, no qual o trabalhador presta os serviços com responsabilidade e o empregador
provê recursos e alternativas para o desenvolvimento profissional, além de ambos
respeitarem a legislação trabalhista, conforme o que determina os artigos 2º e 3º da CLT.

Os contratados podem ser:

Por Prazo Determinado

Art. 443 da CLT


§ 1º Considera-se como prazo determinado o contrato de trabalho cuja vigência
dependa de termo prefixado ou da execução de serviços especificados ou ainda
da realização de certo acontecimento suscetível de previsão aproximada.

Art. 455 da CLT – O contrato de trabalho por prazo determinado não poderá ser
estipulado por mais de 2 (dois) anos.

Art. 451 da CLT – O contrato de trabalho por prazo determinado que, tácita ou
expressamente, for prorrogado mais de uma vez, passará a vigorar sem
determinação de prazo.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 187


Assistente Administrativo

O contrato pó prazo determinado é utilizado em casos como: substituição de trabalhador,


afastado por férias, doença, etc.

De Experiência

A experiência proporciona uma análise e avaliação das expectativas que um


deposita no outro. Tanto a empresa quanto o trabalhador investem tempo e
conhecimentos, objetivando ao término do período experimental chegar à conclusão de
que um está adequado ao outro.

No final desse período a empresa precisa tomar a decisão se o trabalhador está


apto a continuar ou não. O trabalhador, durante o período ou no seu término, pode decidir
se continua ou não na empresa.

Art. 433 da CLT, alínea “c”


Art. 455 da CLT
Parágrafo único. O contrato de experiência não poderá exceder 90 (noventa) dias.

O contrato de experiência pode ser estipulado por dois períodos iguais, desde que
não seja superior aos 90 (noventa) dias previstos (por exemplo, 45 duas + 45 duas ou
outros períodos previstos em acordo coletivo).

Por Prazo Indeterminado

Quando a empresa e o trabalhador chegam à conclusão de que podem confiar na


relação de trabalho de ambos, o contrato continua vigorando. A continuidade representa
um investimento na qualificação do trabalhador e na produtividade da empresa.

Caso o contrato de trabalho celebrado exceder os 90 (noventa) dias, passa a ser


considerado por prazo indeterminado, ou seja, não será fixado prazo para seu término.

Existem também outras formas de contrato:

Terceirização;
Cooperativas;
Temporários;
Estagiários;
Domésticos;
Autônomos;
Aprendizes;
Rural.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 188


Assistente Administrativo

Terceirização

Processo que consiste em repassar as tarefas secundárias para empresas


especializadas no intuito de realizarem suas atividades principais.

O Tribunal Superior do Trabalho – TST estipulo alguns requisitos básicos e uma


terceirização:

Não atingir a atividade-fim da empresa, ou seja, atividades não ligadas


diretamente ao produto da empresa.

Ter característica de impessoalidade, ou seja, evitar que a empresa terceirizada


empregue ex-funcionários da empresa contratante, com remuneração menor pelo mesmo
trabalho realizado.

Não ter subordinação direta do contratante, isto é, manter no local de trabalho um


supervisor que seja da empresa terceirizada para conduzir as atividades.

Conforme Instituição Normativa nº 7 do Ministério do Trabalho, indicam-se para


fiscalização:

● Que não se realize entre empresas do mesmo grupo econômico;


● Que não ocorra entre empresas de prestação de serviços;
● Que não haja aproveitamento de mão-de-obra para trabalho não estipulado no contrato
de prestação de serviços.

Cooperativa

A cooperativa de trabalho ou de serviços é formada por indivíduos autônomos e


permanecem assim até o final. As atividades são divididas com igualdade de
oportunidades e os ganhos são repartidos proporcionalmente.
Normalmente existe uma direção, mas sem a característica de “patrão” que administra a
operação da cooperativa. Não existe vínculo empregatício e acompanha os preceitos do
trabalho temporário quanto à continuidade e à subordinação do trabalho; caso contrário,
descaracteriza-se o trabalho cooperado.

Art. 422 da CLT – Contrato Individual de Trabalho é o acordo tácito ou


expresso, cor-respondente à relação de emprego.
Parágrafo único. Qualquer que seja o ramo de atividade da sociedade
cooperativa, não existe vínculo empregatício entre ela e seus associados,
nem entre estes e os tomadores de serviços daquela (re. Lei 8.949/94, D.O.U.,
9.12.94).

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 189


Assistente Administrativo

Temporário

O trabalho temporário está relacionado com a necessidade transitória de mão-de-


obra por parte das empresas, principalmente quando existe sazonalidade, ou seja, picos
de produção para atender às necessidades dos clientes.

Exemplo: empresas de chocolate quando precisam atender à demanda na


Páscoa; de sorvete, bebidas, refrigerantes para atender os clientes no verão, etc.

Também nos casos de substituição temporária de trabalhador (férias,


afastamentos diversos), a empresa pode utilizar esta modalidade de contrato.

Este tipo de contrato é regido pela Lei Nº 6.019/74 e regulamentado pelo Decreto
Nº 73.841/74.

Firmado entre a empresa contratante de serviço e a empresa fornecedora de mão-


de-obra temporária, devidamente autorizada pela Delegacia Regional do Trabalho – DRT,
que coloca à disposição dos trabalhadores selecionados para suprir uma situação
transitória. O prazo do contrato não pode exceder 90 (noventa dias) para cada trabalhador
temporário, salvo, autorização de prorrogação de mais um período igual ao anterior por
parte do Ministério do Trabalho.

O Contrato deve conter a finalidade da prestação de serviço.

Observação: o trabalhador temporário não tem direito a seguro-desemprego.

Estagiário

De acordo com a Lei 6.494/77 e Decreto 87.497/82, as empresas podem contratar


como estagiários alunos regularmente matriculados em cursos vinculados ao ensino
público e particular, desde que obedeçam às seguintes condições:
Apensas os estudantes de escola superior ou de curso profissionalizante de ensino médio
ou supletivo, dentro da linha de formação.

Não há vínculo empregatício entre estagiário e empresa contratante. Da mesma


forma, a empresa não é obrigada a pagar nenhum valor pelo desenvolvimento das
atividades, e sua única exigência legal é a contratação de seguro de vida e acidentes
pessoais. Caso exista pagamento, é considerado “bolsa” para o estudante.

Deve ser elaborado um termo de compromisso entre as partes (empresas,


estagiário e instituição de ensino). A instituição de ensino intervém para que sejam
cumpridas as exigências legais.
O estágio deve ser realizado em horário que não coincida com o horário de aula e provas.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 190


Assistente Administrativo

Doméstico

É aquele que presta serviço doméstico de natureza contínua e de finalidade não


lucrativa à pessoa ou à família em sua residência.

É necessário possuir Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS para os


devidos registros. Para esse tipo de serviço não é permitido contrato pó prazo
determinado, apenas por prazo indeterminado.

Conforme a Constituição Federal de 1988 e leis complementares, são direitos do


trabalho doméstico:

● Salário mínimo;
● Descanso semanal remunerado;
● Férias de 20 dias úteis com o adicional constitucional de 1/3;
● Aviso prévio de 30 dias;
● FGTS (opcional);
● Vale-transporte com desconto de 6%;
● Licença maternidade de 120 dias paga pela Previdência Social.

Autônomo

A prestação de serviços do profissional autônomo é regida pelo Código Civil.

É o trabalhador que presta serviços profissionais, sem vínculo empregatício, como


profissional liberal, ou não, e que recebe honorários.

O trabalho autônomo precede um registro na prefeitura da região da moradia do


indivíduo que, conforme as características profissionais, emite documento que o autoriza
a executar determinada atividade.

Os pagamentos ao autônomo são feitos mediante impresso padronizado, Recibo


de Pagamento Autônomo – RPA, que, emitido pelo prestador de serviço, sofre as
tributações do Imposto de Renda e da Previdência Social de acordo com a legislação
vigente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 191


Assistente Administrativo

Declaração de Encargos de Família para Fins de Imposto de Renda Retido na Fonte

Impresso padronizado da Receita Federal, no qual consta a relação dos


dependentes legais para efeito de encargos de família no Imposto de Renda Retido na
Fonte. O departamento de Pessoal preenche o impresso conforme as informações
recebidas pelo trabalhador, levando em consideração as exigências da Receita Federal.

Modelo

Declaração de encargos de Família para Fins de Imposto de Renda

Empresa: ________________________________________________________________
Registro: _________ Nome: _________________________________ Depto: __________

Em obediência à legislação do Imposto de Renda, venho pela presente informar-lhes que tenho
como encargo(s) de família,
a(s) pessoa(s) abaixo relacionada(s).

Nº Ordem Nome dos Dependentes Rel. Dependência Data Nascto.

_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_________________________________________________

Declaro sob as penas da lei, que as informações aqui prestadas são verdadeiras e de minha
inteira responsabilidade,
não cabendo a V.Sa(s) (fonte pagadora) qualquer responsabilidade perante a fiscalização.

Local e data

______________________________ ____________________________
Assinatura do declarante Assinatura do cônjuge em caso
de dependentes em comum

Lembrando que a responsabilidade pelas informações prestadas nessa declaração é


unicamente do trabalhador.

O documento deve ser renovado sempre que ocorrer qualquer alteração nas informações
iniciais.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 192


Assistente Administrativo

Termo de Responsabilidade do Salário-Família

Impresso padronizado da Previdência Social, no qual consta a relação dos filhos


para efeito de concessão do salário-família. O preenchimento correto é importante para
que o trabalhador tenha o pagamento no demonstrativo mensal.

Modelo

Termo de Responsabilidade para Concessão de Salário-Família

Empresa: _____
_____________________________________________________
Registro: __________ Nome: _______________ ______ Depto.:
____________

Nº Ordem Nome dos Dependentes Rel. Dependência Data


Nascto.

_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

Pelo presente TERMO DE RESPONSABILIDADE declaro estar ciente de que deverei


comunicar de imediato a ocorrência dos seguintes fatos que determinem a perda do
direito ao salário-família:

- ÓBITO DE FILHO
- CESSAÇÃO DE INVALIDEZ
- SENTENÇA JUDICIAL

Estou ciente, ainda, que a falta de cumprimento do compromisso ora assumido, além,
de obrigar a devolução
das importâncias recebidas indevidamente, sujeitar-me-á às penalidades previstas no
Art. 171 do código penal e a rescisão do contrato de trabalho por justa causa,
conforme Art. 482 da C.L.T.

Local e data

________________________________
Assinatura do declarante

Conforme as informações prestadas, tanto a empresa quanto o funcionário


declaram sob as penas da lei que se responsabilizam pelos pagamentos do salário-
família.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 193


Assistente Administrativo

O documento deve ser renovado sempre que ocorrer qualquer alteração nas
informações iniciais.

Por se tratar de um termo de responsabilidade, o funcionário deve informar


imediatamente quando ocorrer óbito do filho ou qualquer ocorrência que determine a
substituição do pagamento para outra pessoa, devidamente identificada pela Previdência
Social.

Acordo para Compensação de Horas de Trabalho

Se o trabalhador não exceder o limite máximo permitido pela legislação de 8 horas


diárias e 44 horas semanais, pode compensar um determinado dia se existir um Acordo
de Compensação.

Exemplo: jornada de segunda a sexta ,das 8:00h às 17:48h com uma hora para
refeição e descanso, e compensando o sábado. Esta jornada perfaz um total de 8 horas e
48 minutos diários.

O empregador deve preencher o Acordo de Compensação de Horas de Trabalho,


discriminando os dias da semana em que o trabalhador desenvolve suas atividades,
horário de início, de término da jornada, respectivo tempo para refeição e descanso, total
de horas semanais.

O formulário é assinado por ambas as partes.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 194


Assistente Administrativo

Modelo

Acordo para Compensação de Horas de Trabalho

Entre __________________________________________, estabelecida em


_________________________, e o seu empregado, abaixo assinado, portador da Carteira
Profissional e Previdência Social nº ________/______, fica convencionado de acordo com o
disposto do Art. 59 – Parágrafo 2º, aprovado pelo Decreto Lei nº 5.452 de 01 de maio de 1943
da CLT, que o horário de trabalho será o seguinte:

Segunda-feira das ______ às ______ horas com descanso de ______ hora(s)


Terça-feira das ______ às ______ horas com descanso de ______ hora(s)
Quarta-feira das ______ às ______ horas com descanso de ______ hora(s)
Quinta-feira das ______ às ______ horas com descanso de ______ hora(s)
Sexta-feira das ______ às ______ horas com descanso de ______ hora(s)
Sábado-feira das ______ às ______ horas com descanso de ______ hora(s)
com descanso semanal aos domingos.

Perfazendo o total de ______ horas semanais.

E, por estarem de pleno acordo, as partes contratantes assinam o presente acordo em 02 (duas)
vias, o qual vigorará até _____/_____/_____.

Local e data
___________________________
Assinatura da empresa

___________________________
Assinatura do empregado

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 195


Assistente Administrativo

Acordo para Prorrogação de Horas de Trabalho

Documento que demonstra o acordo entre a empresa contratante e o trabalhador


com relação à duração do trabalho diário, e que pode acrescentar até duas horas,
consideradas extraordinárias e pagas com o acréscimo que a legislação ou o acordo
coletivo determinar.

Art. 59 da CLT – A duração normal do trabalho poderá ser acrescida de horas


suplementares, em número não excedente de duas, mediante acordo escrito entre
empregador e empregado, ou mediante contrato coletivo de trabalho.

§ 2º Poderá ser dispensado o acréscimo de salário se, por força de acordo ou


convenção coletiva de trabalho, o excesso de horas em um dia for compensado
pela correspondente diminuição em outro dia, de maneira que não exceda, no
período máximo de um ano, a soma das jornadas semanais de trabalho previstas,
nem seja ultrapassado o limite máximo de 10 horas diárias (red. Lei 9.601/98 e MP
1.952-20/2000).

O formulário é assinado por ambas as partes.

Modelo

Acordo para Prorrogação de Horas de Trabalho

Entre a empresa __________________________ e seu colaborador


____________________________, portador da Carteira Profissional e Previdência Social nº
_____/_____, fica estabelecido que a jornada de trabalho será prorrogada em 02 (duas) horas
extras remuneradas com acréscimo de acordo com a Lei.
O presente acordo terá validade até ___/___/____ salvo se qualquer das partes em comum
acordo se manifeste em contrário.

Local e data

___________________________
Assinatura da empresa

___________________________
Assinatura do empregado

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 196


Assistente Administrativo

Termo de Opção de Vale-Transporte

Documento que identifica a opção ou não do funcionário pelo benefício vale-


transporte.

Lei 7.418 de 16 de dezembro de 1985.

Art. 1º - Fica instituído o Vale-Transporte que o empregador, pessoa física ou


jurídica, antecipará ao empregado para utilização efetiva em despesas de
deslocamento residência-trabalho e vice-versa, através do sistema de transporte
coletivo público, urbano ou intermunicipal e/ou interestatudal com características
semelhantes aos urbanos, geridos diretamente ou mediante concessão ou
permissão de linhas reguladores e com tarifas fixadas pela autoridade competente,
excluídos os serviços seletivos e os especiais ( res. Lei 7.619/87 com
remuneração de artigos).

Art. 4º - A concessão do benefício ora instituído implica a aquisição do empregador


dos vales-transporte necessários aos deslocamentos do trabalhador no percurso
residência-trabalho e vice-versa no serviço de transporte que melhor se adequar.

Parágrafo único. O empregador participará dos gastos de deslocamento do


trabalhador com a ajuda de custo equivalente à parcela que exceder a 6% (seis
por cento) de seu salário base (Art. rev. pela Lei 9.532/97 e restabelecido pela MP
1990-27, de 13.1.2000).

Não é permitido que a empresa contratante substitua o fornecimento do vale-


transporte por antecipação em dinheiro ou qualquer outra forma de pagamento, salvo no
caso de sua falta ou insuficiência de estoque.

Caso o funcionário não utilize transporte coletivo para este fim, é necessário que a
opção seja de “NÃO” utilização do benefício, com a assinatura do termo em conjunto com
a empresa.

Na hipótese de o funcionário infringir tal compromisso, a empresa pode dispensá-


lo por justa causa, nos termos da lei vigente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 197


Assistente Administrativo

Modelo

Solicitação de Vale Transporte

Nome do Empregado: ___________________________ Nº de Reg.: ___________


Função: ________________________ CTPS nº: __________ Série: ___________
À
Empresa: __________________________________________________________
Endereço:_______________________________Cidade: _____________ UF:____

 Opto pela utilização do Vale Transporte  Não opto pela utilização do Vale Transporte

Nos termos do artigo 7º do Decreto nº 95.247 de 17 de novembro de 1987, solicito receber o


Vale Transporte e comprometo-me:

a) a utiliza-lo exclusivamente para meu efetivo deslocamento residência-trabalho-


residência;
b) a renovar anualmente ou sempre que ocorrer alteração no meu endereço
residencial ou dos serviços e meios de transporte mais adequados ao meu
deslocamento residência-trabalho e vice-versa;
c) autorizo a descontar até 6% (seis por cento) do meu salário básico mensal para
o custeio do Vale-Transporte (conforme o Artigo 9º do Decreto nº 95.247/87)
d) declaro estar ciente de que a declaração falsa ou o uso indevido do Vale-
Transporte constituem falta grave (conforme o § 3º do artigo 7º do Decreto nº
95.247/87).

Minha residência atual


Rua/Av. ____________________________________________________ nº __________
Bairro: ______________ Cidade: ___________________ UF: _____ CEP: ___________

Condução de ida: _________________________________________________________


Condução de volta: _______________________________________________________

Local e data
_____________________
Assinatura do empregado

Autorização para Desconto em Folha de Pagamento

No ato da contratação a empresa oferece benefícios extensivos a todos os


trabalhadores. Qualquer benefício “contributário”, ou seja, do qual o trabalhador participa
do custeio quando não previsto no Contrato Individual de Trabalho, o Departamento de
Pessoal deve estipular um documento de autorização para desconto em Folha de
Pagamento.

Em muitas situações, o Departamento de Pessoal não expressa no contrato


individual de trabalho, a cláusula em que o trabalhador concorda com determinados
descontos. Na maioria das vezes, refere-se a benefícios oferecidos ao trabalhador que
custeia parte do valor, inclusive sendo objeto da Folha de Pagamento.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 198


Assistente Administrativo

Esse procedimento valoriza a relação de emprego, pois desta forma o trabalhador


não terá dúvidas quando encontrar no seu demonstrativo de pagamento o desconto
acordado.
Para o empregador é a segurança de que todos os seus direitos estão protegidos
de controvérsias ou reclamações futuras.

Alguns benefícios comuns entre empresas:

● Assistência médica;
● Refeição;
● Seguro de vida;
● Assistência odontológica;
● Cesta básica;
● Vale-transporte, etc.

Modelo

Autorização para Desconto em Folha de Pagamento

Eu, ___________________________________________, autorizo esta Empresa a descontar de


meus vencimentos líquidos mensais a importância referente a ___________ do valor total do
benefício ___________________________.

Local e data
___________________________
Assinatura da empresa

___________________________
Assinatura do empregado

Para cada benefício sugere-se elaborar um documento específico, assinado por


ambas as partes e guardado no prontuário do trabalhador até o seu efetivo desligamento
da empresa.

Prontuário do Trabalhador

Após o processo de Contratação e Admissão, o Departamento de Pessoal deve


criar um prontuário para cada trabalhador, no qual se arquivam os documentos básicos
referentes à vida do profissional na empresa.

O prontuário é considerado um arquivo pessoal do trabalhador que, além de


facilitar o acesso do Departamento de Pessoal aos documentos profissionais para efeitos
de análise dentro da empresa, facilita uma possível fiscalização do Ministério do Trabalho,
evitando com isso que documentos individuais importantes fiquem arquivados sem
organização.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 199


Assistente Administrativo

Os documentos que devem ser arquivados são:

● Solicitação de vaga pelo requisitante;


● Documento de solicitação de emprego preenchido;
● Currículo profissional;
● Via do Contrato Individual de Trabalho;
● Via do acordo de compensação de horas de trabalho, quando houver;
● Via do acordo de prorrogação de horas de trabalho, quando houver;
● Via da declaração de encargos de família para fins de Imposto de Renda;
● Via do termo de responsabilidade para o salário-família;
● Via do termo de opção do vale-transporte;
● Via do atestado de saúde ocupacional (exame admissional).

No decorrer do tempo, arquivam-se outros documentos importantes:

● Aviso e recibo de férias;


● Alterações de cargo e salário;
● Documentos disciplinares (advertências, suspensões, etc.).

Observação: Quando houver qualquer alteração (dependentes, endereço, estado civil,


etc.), os impressos devem ser atualizados no prontuário, que é um documento de
fiscalização por parte do Ministério do Trabalho, portanto deve estar em ordem.

Cabe lembrar que o Departamento de Pessoal deve observar a norma ou acordo


coletivo da categoria profissional da empresa onde trabalha, e se certificar quais são as
cláusulas que favorecem a relação de emprego, principalmente com relação aos
benefícios adicionais que competem ao acordo expresso entre empresas e sindicatos.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 200


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. De acordo com os tópicos estudados, verifique quais impressos padronizados e


documentos são necessários para o preenchimento:

a) Sr. Luiz é contratado como Supervisor de Controle de Qualidade a partir de


01.08.200X. é solteiro, não possui dependentes legais e não é o seu primeiro
emprego. Horário diário de trabalho: 8 horas e 48 minutos, de segunda a sexta-feira.
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

b) Ana Lúcia foi contratada como Auxiliar Administrativo a partir de 02.01.200X. Tem três
dependentes reconhecidos pelo IRF (três filhos de 5, 7 e 12 anos respectivos), não é o
seu primeiro emprego. Horário diário de trabalho: 8 horas, de segunda a sexta-feira e
4 horas aos sábados.
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

c) Valdemar Pereira foi contratado como Vendedor a partir de 17.03.200X. É solteiro, tem
um dependente reconhecido pelo IRF: filho de 14 anos completos, é seu primeiro
emprego registrado. Horário diário de trabalho: 8 horas, de segunda a sexta-feira.
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

2. Qual a importância do Contrato Individual de Trabalho na relação de emprego?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 201


Assistente Administrativo

3. Na sua opinião, na hierarquia da legislação trabalhista no Brasil, qual é a que mais


favorece a relação entre empregador e trabalhador?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

4. Qual a finalidade do Contrato de Experiência na relação de emprego?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

5. Comente a diferença entre empregador e empregado (artigos 2º e 3º da CLT) e as


circunstâncias básicas para que haja a relação de emprego.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

6. Com suas palavras, o que é trabalho “temporário” em relação à legislação trabalhista?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

7. O art. 58 da CLT e inciso XIII do Art. 7º da Constituição Federal de 1988 prevêem


limites na jornada de trabalho diária e semanal, respectivamente, 8 horas e 44 horas.
Defina Acordo de Compensação e Acordo de Prorrogação de horas de trabalho. Quando
a empresa é obrigada a estipular um ou outro acordo?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

8. Comente a importância da CLT na relação entre empregado e trabalhador.


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

9. Comente a importância da “Autorização de desconto em Folha de Pagamento”.


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 202


Assistente Administrativo

Salário, Remuneração e Adicionais

Salário

Na história das relações entre empregador e empregado, o salário é o elemento de


suma importância no processo de contratação. É o valor fixado no ato da contratação e
pago ao trabalhador pelo exercício das suas atividades no posto de trabalho. Pode ser
fixado por mês (mensalista), hora (horista), dia (diarista) ou por tarefa (tarefeiro).

O Departamento de Pessoal deve observar a Constituição Federal de 1988, que


estabelece o mínimo a se pagar e as Convenções e Acordos sindicais que determinam o
piso salarial da categoria.

A administração dos salários dentro de uma empresa é imprescindível para que


corra a justiça em relação aos esforços e aos valores recebidos por estes.

Também é relevante levar em consideração o ambiente externo, ou seja, como o


mercado administra o salário do mesmo ramo de atividade. A administração de salários
compõe-se de um conjunto de normas e procedimentos utilizados para manter a estrutura
de salários eqüitativos na empresa, que tenha equilíbrio interno e competitividade com o
mercado de trabalho.

O Departamento de Pessoal, principalmente numa empresa que não possua uma


estrutura organizada de Cargos e Salários, deve estar atento às informações do mercado,
seja por meio de pesquisas de salários, seja por troca de experiências com grupos de
trabalho externos afins.

Remuneração

Representa a contraprestação do serviço do trabalhador além do salário fixo


contratual. O papel estratégico do Departamento de Pessoal é orientar o trabalhador
sobre a relação entre o salário e a remuneração.

Muitos trabalhadores não entendem a diferença entre os dois e invariavelmente


são pegos na “armadilha” das especulações do mercado de trabalho.

O importante é que o Departamento de Pessoal, explique, oriente e converse,


principalmente com os trabalhadores recém-contratados sobre:

● O que é salário-base ou salário contratual?


● Que são adicionais?
● De que forma os adicionais integram o salário?
● Qual é o valor agregado ao salário dos benefícios oferecidos pelo empregador?
● Como calcular tudo isso?

A grande oportunidade que o empregador tem de evidenciar sua credibilidade


perante os trabalhadores é nesse momento, quando o trabalhador está atento àquilo que
chama mais a sua atenção antes até de iniciar suas atividades.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 203


Assistente Administrativo

O trabalhador neste momento está sensível às explicações e é desta maneira que


o Departamento de Pessoal pode demonstrar toda a sua responsabilidade e seriedade
com a administração dos seus direitos.

Adicionais

São importâncias que integram o salário desde que pagas com habitualidade (Art. 457 §
1º da CLT):

Prêmios ou comissões: promessa de vantagem (em dinheiro ou não). Quando habituais,


integram o salário e demais reflexos.
Abonos: (§ 1º) quando pagos pelo empregador, integram o salário; reajuste salarial;
salário anual do PIS.

Gratificações: vantagens obtidas pelo trabalhador. Quando habituais, integram o salário


e demais reflexos.

Gorjetas: (§ 3º) considera-se não só a importância espontaneamente dada pelo cliente


ao empregado, como também aquela cobrada pela empresa do cliente, tais como:
adicional nas contas a qualquer título e destinada à distribuição aos trabalhadores.

Salário “in natura” ou em espécie: vantagem pelo trabalho ou para o trabalho. Por
exemplo, habilitação, transporte, alimentação.

Outras adicionais que integram o salário do mês em referência:

Horas extraordinárias: quando o trabalhador excede a sua jornada normal de trabalho


diária – Art. 59 da CLT.

DSR de horas extras: as horas extras habituais integram a remuneração do DSR –


enunciado 172 do Tribunal Superior do Trabalho TST.

Hora noturna: Art. 73 § 1º da CLT.

Insalubridade: atividades que podem causar danos à saúde do trabalhador – Art. 192 da
CLT; NR nº 15.

Periculosidade: atividades em condições perigosas ou em contato com produtos


inflamáveis ou explosivos – Art. 193 da CLT; NR nº 16.

Como salário, integram o cálculo de férias, 13º salário, FGTS e incidem sobre cálculo de
INSS e Imposto de Renda.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 204


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1) O salário tem sido o elo na decisão de um emprego. Como a remuneração pode


contribuir para melhorar esse entendimento?

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

2) Qual a diferença entre os adicionais de insalubridade e de periculosidade? Dê


exemplos.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Jornada de Trabalho

A luta dos trabalhadores por uma limitação na jornada de trabalho obteve sucesso
com a Constituição Federal de 1988, que reduziu a jornada semanal de trabalho de 48
para 44 horas. Desde então, as categorias trabalhadoras buscam acordos que favoreçam
a redução das 44 horas.

Em alguns casos, já existem empresas que, através de acordo ou normas


coletivas com os trabalhadores/sindicato, adotam jornadas de 42 e 40 horas semanais.

Conforme o Art. 58 da CLT e inciso XIII do Art. 7º da Constituição Federal de 1988,


a duração normal do trabalho não pode ultrapassar o limite máximo de oito horas diárias e
44 horas semanais e pode ser estipulada em contrato uma jornada inferior.

Em casos especiais em que a atividade exija contato ininterrupto com máquinas, a


legislação determina jornada de trabalho diferenciada (digitadores, ascensoristas,
telefonistas, etc.), pois leva em consideração as características físicas e psicológicas do
trabalhador.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 205


Assistente Administrativo

Compensação de Horas de Trabalho

A compensação de horas de trabalho acontece quando o trabalhador excede a


sua jornada diária, por isso é necessário que ele diminua a jornada em outro dia. Caso
isso ocorra, o empregador está isento do pagamento de hora extraordinária (Art. 59 da
CLT, parágrafo 2º).

Quando ocorrem emendas de feriados, se recaírem às terças ou quintas-feiras,


com as segundas e sextas-feiras compensadas, os critérios são estabelecidos pelo
empregador quanto à compensação, por meio de comunicação interna e acordo coletivo.

Prorrogação de Horas de Trabalho

Quando o trabalhador supera a jornada diária ou semanal de trabalho, o


empregador deve pagar essas horas como extras, com o adicional estipulado em acordo
coletivo da categoria.

Na ocorrência da habitualidade deste procedimento, as horas extras incorporam o


salário do descanso semanal remunerado, calculado pela média entre os dias úteis,
domingos e feriados do mês.

Art. 59 da CLT – A duração normal do trabalho poderá ser acrescida de horas


suplementares, em número não excedente de duas, mediante contrato coletivo de
trabalho.

Conforme o ART. 61 da CLT e seus parágrafos, poderá ultrapassar o limite legal


quando houver necessidade imperiosa ou força maior, quando a remuneração da hora
extra será paga sem o acréscimo.

Banco de Horas

Lei nº 9.601/98, Medida Provisória nº 1.709/98, as horas trabalhadas além do


limite legal poderão ser compensadas pelos trabalhadores, com folgas nos dias
subseqüentes.

Os acordos coletivos das categorias prevêem a matéria de forma a proteger os


interesses dos trabalhadores e preservar a relação com o empregador adotando critérios
próprios para administrar as horas excedentes.

As práticas trabalhistas têm demonstrado que empresas vêm substituindo o


pagamento das horas extraordinárias na Folha de Pagamento por banco de horas, porém
de maneira irresponsável.

Cabe ao Departamento de Pessoal a orientação adequada aos gestores sobre a


prática do banco de horas nas empresas, pois o desconhecimento ou a falta de
orientação pode provocar passivos trabalhistas difíceis de serem administrados.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 206


Assistente Administrativo

Períodos de Descanso

Conforme o Art. 71 da CLT, para as jornadas consecutivas de trabalho superiores


a seis horas, é necessário um repouso ou alimentação de, no mínimo, uma hora e no
máximo duas horas.

Quando a empresa oferece recursos de refeitório e não-habitualidade de horas


extras, o Ministério do Trabalho pode reduzir o período (Art. 71 da CLT § 3º).

Para jornadas de trabalho superiores a quatro horas e inferiores a seis horas, é


obrigatório o descanso de 15 minutos (Art. 71 da CLT § 1º); inferiores a quatro horas, não
há necessidade de descanso.

É importante que o Departamento de Pessoal verifique o que determina o acordo


coletivo da categoria profissional, principalmente quanto às atividades especiais que
requerem um descanso diferenciado.

Conforme o Art. 66 da CLT, o intervalo entra jornadas de trabalho, que


compreende do término de uma e início de outra, não pode ser inferior a 11 horas.

Respeitar o horário de descanso é primordial para que o empregador consiga o


comprometimento dos trabalhadores. Quando esses momentos são interrompidos por
problemas de trabalho, prejudicam essa relação, provocando insatisfação que pode
espalhar para os demais trabalhadores.

● Até 4 horas de trabalho: não há intervalo;


● De 4 a 6 horas: 15 minutos;
● Acima de 6 horas: 1 a 2 horas, dependendo da carga horária diária ou semanal.

Obs.: quando o horário não for concedido, deve-se remunerar com 50% sobre o valor da
hora normal.

Descanso Semanal Remunerado – DSR

Art. 67 da CLT – Será assegurado a todo empregado um descanso semanal de 24


horas consecutivas, o qual, salvo motivo de conveniência pública ou necessidade
imperiosa do serviço, deverá coincidir com o domingo, no todo ou em parte.

Ao trabalhador que completar a jornada de trabalho semanal, sem ocorrências


e/ou justificativas, é assegurado o Descanso Semanal Remunerado.

No cálculo salarial do trabalhador mensalista já está inserido o valor do DSR.


Desta forma, caso o trabalhador não cumpra a sua jornada de trabalho, a empresa pode
descontar o DSR do seu salário.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 207


Assistente Administrativo

Faltas e Atrasos

Faltas são as ausências do trabalhador no seu posto de trabalho no período


completo de um dia.

Atrasos são frações do dia de trabalho em que o trabalhador se ausenta do seu


posto de trabalho (por exemplo, uma hora de atraso no início da jornada; saída
antecipada do seu posto de trabalho).

Existem algumas características quanto às faltas e atrasos:

Justificadas: são ausências em que o trabalhador, por justo motivo, apresenta


documento comprobatório de sua saída (consulta ou exame médico, recebimento do PIS).
Nestes casos, a empresa não pode descontar a ausência de seu salário, sem prejudicá-lo
nos reflexos de férias nem na sua avaliação profissional.

Injustificadas: são ausências em que o trabalhador não apresenta motivo justo. Nestes
casos, além de descontar a ausência, a empresa pode descontar o DSR, incidindo
também nas férias e na avaliação profissional.

Em alguns casos, existe o que se denomina ausências “abonadas”, que, por conta
e risco da empresa, ela não desconta do salário do trabalhador, apesar da legislação não
prever tal condição.

Em alguns casos o Departamento de Pessoal serve de intermediário, por exemplo:


Marcação de consultas para familiar;
Intermediação em problemas particulares que exigem a presença do trabalhador em
determinado lugar para resolver;
Retirada de documentos particulares;
Pagamento do PIS na Folha de Pagamento;
Serviços pela Internet, etc.

Trabalho Noturno

É a atividade executada no período compreendido entre 22 e 5 horas do dia


seguinte (Art. 73 § da CLT).

A hora noturna equivale a 52 minutos e 30 segundos (Art. 73§ 1º da CLT), e para


efeitos deste artigo, o período trabalhado de sete horas equivale a oito horas para
pagamento ao trabalhador.

Essa modalidade de trabalho noturno acontece quando a empresa necessita


cumprir seu planejamento de produção, e seus recursos (máquinas e espaço físico) não
comportam o número de trabalhadores para conseguir o resultado esperado.

Neste caso a legislação permite que se elabore um turno de trabalho noturno, em


que o empregador deve atender ao estipulado em relação à valorização diferenciada
entre a hora noturna e a diurna.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 208


Assistente Administrativo

- Entre 22 e 5 horas;
- 7 horas noturnas equivalem a 8 horas diurnas;
- Acréscimo de, no mínimo, 20% por hora (os acordos coletivos podem elevar
estes percentuais).

Registro de Freqüência

O trabalhador é obrigado a registrar a sua freqüência no seu posto de trabalho de


maneira: manual, mecânica ou eletrônica, conforme o que o empregador determinar. É
uma exigência legal que o empregador também tenha que cumprir o Art. 74 § 2º da CLT e
alterações Lei nº 7.855/89.

Com base nesse registro de freqüência, o empregador paga aquilo que é devido
ao empregado e serve-lhe de controle para o absenteísmo (relação entre os dias do mês
e as ausências no mesmo período) e de excedentes de horas de trabalho.

Existem algumas formas de registrar a freqüência:

● Livro de registro presencial com a devida assinatura;


● Relógio de ponto, pelo cartão de registro de ponto, com a devida assinatura;
● Relógio eletrônico, por meio de cartão de identificação “crachá”, com a devida
assinatura;
● Papeleta de serviço externo, na qual o trabalhador caracteriza suas atividades, assinala
manualmente a sua freqüência, subordina-se ao seu superior e assina posteriormente.

Suspensão e Interrupção do Contrato de Trabalho

Art. 471 da CLT – Ao empregado afastado do emprego, são asseguradas, por


ocasião de sua volta, todas as vantagens que, em sua ausência, tenham sido
atribuídas à categoria a que pertencia na empresa.

As empresas estão sensíveis às causas das interrupções do contrato de trabalho,


principalmente quando se trata de problemas de saúde. Muitos ensaios de valorização
das condições físicas e mentais dos trabalhadores têm levado as empresas a
implementar programas de conscientização sobre doenças e exercícios laborais, sem
distinção de cargo e responsabilidade.

Com o Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional – PCMSO, as


empresas buscam monitorar também periodicamente as condições de saúde dos
trabalhadores, fator crítico do sucesso de qualquer negócio.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 209


Assistente Administrativo

Casos de Suspensão do Contrato

● Licença não remunerada – doença após os primeiros 15 dias, ou seja, nos casos de
afastamentos pelo INSS, os primeiros quinze dias são de responsabilidade do
empregador, remunerados em Folha de Pagamento; daí em diante a responsabilidade
pela remuneração do trabalhador é do próprio INSS. Desta forma, a interrupção passa à
suspensão do contrato de trabalho.
● Suspensão disciplinar.
● Acidente de trabalho e o serviço militar obrigatório (Art. 4 e 472 da CLT);
● Cargo sindical, se houver afastamento, quando o trabalhador é eleito para o cargo de
representante sindical, considerando neste caso como licença não remunerada,
isentando o empregador do pagamento de salário.
● Participação em curso ou programa de qualificação profissional, em virtude de
suspensão do contrato (Art. 476-A).

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Na sua opinião, a qualidade e a produtividade dos trabalhadores estão


relacionadas com o entendimento claro dos objetivos da empresa? Comente.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

2. Como o período de alimentação e descanso pode ser considerado como


ferramenta estratégica das empresas? Justifique.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

3. Como o Departamento de Pessoal pode contribuir para diminuir as ausências no


posto de trabalho?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 210


Assistente Administrativo

Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS

Art. 7º da Constituição Federal – São direitos dos trabalhos... além de outros... III –
Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.

A Lei nº 8.036 de 11 de maio de 1990 regulamenta a opção pelo Fundo de Garantia


do Tempo de Serviço que determina a obrigatoriedade das empresas de calcular 8% (oito
por cento) sobre a remuneração do trabalhador no mês e depositar este valor até o sétimo
dia do mês1 seguinte ao trabalhado, numa conta específica “vinculada” e individual do
trabalhador, na Caixa Econômica Federal – CEF

Depósito Mensal em Conta Vinculada

O valor calculado sobre a remuneração do trabalhador, normalmente, é feito


mensalmente por meio de convênio2 entre o empregador e a Caixa Econômica Federal,
conhecido como: Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informação à
Previdência Social – SEFIP, que possibilita ao empregador a utilização de meio
magnético para o preenchimento e recolhimento dos depósitos na Guia de Recolhimento
do FTS – GRF.

A caixa Econômica Federal disponibiliza para o empregador um manual de


orientação para o respectivo convênio.

O empregador é identificado nesse convênio pelo número do Cadastro Nacional


de Pessoa Jurídica – CNPJ e o trabalhador é identificado pelo número do PIS.

Multa Rescisória

Quando houver a rescisão do contrato de trabalho, por iniciativa do empregador e


sem justa causa, o trabalhador tem direito a receber, a título de multa rescisória, o valor
de 40% (quarenta por cento) sobre o saldo de sua conta vinculada, somado a outros
depósitos: do mês anterior ao da rescisão, do mês da rescisão e do aviso prévio3.

O saldo da conta vinculada do FGTS do trabalhador é atualizado mensalmente por


índice aplicado pela própria Caixa Econômica Federal, o qual é utilizado para os fins dos
cálculos da rescisão.

Para o depósito da multa rescisória, é utilizado um formulário específico chamado


de Guia de Recolhimento Rescisório do FGTS e Informação à Previdência Social –
GRRF.

1
Incluem-se para este fim os valores do descanso de férias e do 13º salário.
2
O Convênio com a Caixa Econômica Federal é conhecido como “Conectividade Social”.
3
O pagamento relativo ao período de aviso prévio, trabalhado ou não, está sujeito à contribuição para o
FGTS (Súmula 305 – TST).

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 211


Assistente Administrativo

Movimentação da Conta Vinculada do FGTS

O trabalhador pode movimentar ou sacar os depósitos do FGTS nos casos:

● Dispensa por iniciativa do empregador e sem justa causa, inclusive a indireta;


● Dispensa antecipada por iniciativa do empregador e sem justa causa do contrato por
prazo determinado;
● Extinção do contrato temporário regido pela Lei 6.019/74;
● Fechamento da empresa;
● Aposentadoria, inclusive por invalidez ou falecimento do trabalhador;
● Inatividade da conta vinculada, superior a três anos ininterruptos, nos casos de dispensa
por iniciativa do trabalhador;
● Idade igual ou superior a 70 anos;
● Quando o trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV ou acometido de
Neoplasia Maligna (câncer);
● Quando o trabalhador ou seu dependente estiver em estágio terminal, em razão de
doença grave e possuir conta cujo saldo seja decorrente do complemento dos planos
econômicos, quando formalizada a adesão até 30.12.2003.

No caso de pagamento de prestações do Sistema Financeiro da Habilitação, o


trabalhador pode movimentar especificamente para este fim (não sacar) e a formalização
feita na Caixa Econômica Federal.

Exercícios para fixação do aprendizado

1) De que forma o Departamento de Pessoal facilita suas atividades com relação ao


FGTS dos trabalhadores e à Caixa Econômica Federal – CEF?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________

2) Explique o que significa “multa rescisória”. Qual a implicação para o empregador?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________

3) O que é conta vinculada do trabalhador?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________

4) O trabalhador pode sacar os depósitos do FGTS para pagamento de prestações da


casa própria? Explique.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 212


Assistente Administrativo

Folha de Pagamento

A empresa é obrigada a elaborar mensalmente a Folha de Pagamento da remuneração


paga devida ou creditada a todos os segurados ao seu serviço, devendo manter em cada
estabelecimento, uma via da respectiva folha e recibos de pagamento.

A Folha de Pagamento é o processamento final das informações sobre a


remuneração do trabalhador, ou seja, se a contabilização dos proventos ou vencimentos
brutos que o trabalhador terá de receber em relação aos descontos legais e autorizados.

Discriminação

Na folha de pagamento, deverão estar discriminados:

● O nome do segurado: empregado, trabalhador avulso, autônomo e equiparado,


empresário, e demais pessoas físicas sem vínculo empregatício;
● Cargo, função ou serviços prestados;
● Parcelas integrantes da remuneração;
● Parcelas não integrantes da remuneração (diárias, ajuda de custo, etc.);
● O nome das seguradas em gozo de salário-maternidade;
● Os descontos legais;
● A indicação do número de quotas de salário-família e dependentes para imposto de
renda atribuídas a cada segurado empregado ou trabalhador avulso;

Verbas que são consideradas Remuneração

São verbas que são consideradas como remuneração as quais são valores fontes
para cálculo de 13º salário, férias, rescisões e etc.:

● Salário Contratual;
● Adiantamento salarial;
● Descanso Semanal Remunerado - DSR
● Adicionais (Horas Extras; Adicional Noturno; Adicional de Periculosidade; Adicional de
Insalubridade; Comissões; Gratificação; Prêmios – desde que habituais; Gorjetas;
● Salário-família;
● 13º Salário;
● Empréstimos descontados em Folha;
● Salário in Natura – fornecimento habitual de qualquer vantagem concedida ao
empregado (aluguel de casa, carros, escola de filhos, etc.)

Pagamento da Folha de Pagamento

O pagamento líquido da Folha de Pagamento do mês de referência deve ser feito


até o quinto dia útil do mês subseqüente ao trabalhado (Art. 459 e parágrafo único da
CLT).

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 213


Assistente Administrativo

Salário Contratual

● Mensalista: o valor pago na Folha de Pagamento do mês de referência será o salário


integral do mês, ou seja, o salário deve ser informado na sua totalidade, independente
se o trabalhador faltar ou atrasar no decorrer do mês, ou para aqueles contratados no
decorrer do mês, será proporcional à data de início até o término do mês, a título de
Salário Mensal ou outra nomenclatura que a empresa possa utilizar. O salário integral
representa a base de cálculo para os descontos de faltas e atrasos e posteriormente
servir de base para os descontos legais (INSS e IRRF).

● Horista: o valor pago na Folha de Pagamento será dividido entre a totalidade de horas
trabalhadas e o respectivo DSR. A totalidade de horas + o respectivo DSR representa a
base de cálculo para os descontos de faltas e atrasos e posteriormente, servir de base
para os descontos legais (INSS e IRRF).

Exemplo:

- horas trabalhadas: 188 horas = 188h x R$4,00 = R$752,00


- valor/hora: R$4,00
- DSR = 32 horas (4 domingos no mês) = 32h x R$4,00 = R$128,00

Total de remunerações no mês = R$752,00 + R$128,00 = R$880,00

Descanso Semanal Remunerado

O DSR é um direito garantido pela referida lei e pela Constituição Federal em seu
art. 7º, inciso XV, ao empregado que não faltar durante a semana sem motivo justificado,
ou seja, que tenha cumprido integralmente o seu horário de trabalho na semana.

Podemos dizer que o DSR possui dois reflexos diferentes:

● Reflexo do repouso pela semana trabalhada: neste, o empregado tem direito ao


descanso de um dia na semana (preferencialmente no domingo), por ter cumprido a carga
horária semanal sem faltas injustificadas;

● Reflexo na remuneração sobre os adicionais recebidos: neste, o empregado tem


direito ao acréscimo da remuneração sobre os adicionais recebidos durante o mês.
DESCANSO (DOMINGO) - REFLEXO DO REPOUSO PELA SEMANA TRABALHADA

O Descanso Semanal Remunerado é de 24 (vinte e quatro) horas consecutivas,


preferencialmente aos domingos, garantido a todo trabalhador urbano, rural ou doméstico,
sendo, para este último, através do art. 7º parágrafo único da Constituição Federal.

Havendo necessidade de trabalho aos domingos, desde que previamente


autorizados pelo Ministério do Trabalho, aos trabalhadores é assegurado pelo menos um
dia de repouso semanal remunerado coincidente com um domingo a cada período,
dependendo da atividade.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 214


Assistente Administrativo

"Art. 67 CLT - Será assegurado a todo empregado um descanso semanal de vinte e


quatro horas consecutivas, o qual, salvo motivo de conveniência pública ou necessidade
imperiosa do serviço, deverá coincidir com o domingo, no todo ou em parte."
"Parágrafo único - Nos serviços que exijam trabalho aos domingos, com exceção quanto
aos elencos teatrais, será estabelecida escala de revezamento, mensalmente organizada
e constando de quadro sujeito à fiscalização."

A Lei 11.603/2007 dispõe que:

Fica autorizado o trabalho aos domingos nas atividades do comércio em geral,


observada a legislação municipal, nos termos do inciso I do caput do art. 30 da
Constituição Federal;

É permitido o trabalho em feriados nas atividades do comércio em geral, desde


que autorizado em convenção coletiva de trabalho e observada a legislação municipal,
nos termos do inciso I do caput do art. 30 da Constituição Federal.

O repouso semanal remunerado deverá coincidir, pelo menos 1 (uma) vez no


período máximo de 3 (três) semanas, com o domingo, respeitadas as demais normas de
proteção ao trabalho e outras a serem estipuladas em negociação coletiva.

A remuneração do repouso semanal remunerado corresponderá:

• para os que trabalham por dia, semana, quinzena ou mês: a um dia de serviço,
computadas as horas extraordinárias habitualmente prestadas;
• para os que trabalham por hora: à sua jornada de trabalho normal, computadas as
horas extraordinárias habitualmente prestadas;
• para os que trabalham por tarefa ou peça: o equivalente ao salário correspondente
às tarefas ou peças feitas durante a semana, no horário normal de trabalho,
divididos pelos dias de serviço efetivamente prestados ao empregador.
• para o empregado em domicílio: o equivalente ao quociente da divisão por 6 (seis)
da importância total da sua produção na semana.
• Não será devida a remuneração (DSR) quando, sem motivo justificado, o
empregado não tiver trabalhado durante toda a semana anterior, cumprindo
• integralmente o seu horário de trabalho.

Descanso Semanal Remunerado - Horista

A Lei 605/49, que trata do repouso semanal remunerado, especifica em seu artigo
7º que a remuneração do mencionado repouso corresponderá a um dia de serviço.

O descanso semanal remunerado do empregado horista calcula-se da seguinte


forma:

- somam-se as horas normais realizadas no mês;


- divide-se o resultado pelo número de dias úteis;
- multiplica-se pelo número de domingos e feriados;
- multiplica-se pelo valor da hora normal.

Nota.: O sábado é considerado dia útil, exceto se recair em feriado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 215


Assistente Administrativo

Exemplos:

1. Empregado horista trabalhou no mês de segunda a sexta-feira 8 (oito) horas diárias em


22 dias e nos sábados 4 horas em 4 sábados. O número de domingos do mês é 5.
Valor da hora normal = R$ 7,00.
Seu DSR corresponderá:
Número de dias úteis do mês = 22 + 4 = 26
Número domingos e feriados = 5
- 192 horas trabalhadas x R$ 7,00 = R$ 1.344,00
DSR = ( 192 ) x 5 x R$ 7,00
26
DSR = 7,38 x 5 x R$ 7,00
DSR = 36,92 x R$ 7,00
DSR = R$ 258,46

2. Empregado horista trabalhou no mês de segunda a sexta-feira 8 (oito) horas diárias em


19 dias e no sábado 4 (quatro) horas em 5 sábados. Houve 5 domingos e 2 feriados no
mês.

Valor da hora normal = R$ 6,50.


Seu DSR corresponderá:
Número de dias úteis do mês = 19 + 5 = 24
Número domingos e feriados = 7

- 172 horas trabalhadas x R$ 6,50 = R$ 1.118,00

DSR = (172 ) x 7 x R$ 6,50


24
DSR = 7,1667 x 7 x R$ 6,50
DSR = 50,1667 x R$ 6,50
DSR = R$ 326,08.

Adiantamento Salarial

Normalmente, por força de norma coletiva da categoria, os empregadores


concedem um adiantamento do salário para o trabalhador, em data determinada. Esse
tipo de adiantamento é previsto em lei.

Em muitos casos, as empresas antecipam em média 40% (quarenta por cento) do


salário-base do trabalhador, conhecido como adiantamento salarial. O pagamento é feito
em dia que antecede o pagamento líquido da Folha de Pagamento (dias 15, 20, etc.).

O desconto do adiantamento salarial será na Folha de Pagamento do mês de


Referência junto com as demais verbas de desconto.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 216


Assistente Administrativo

Exemplo 1
Folha de Pagamento: 03/200X – mensalista
Admissão: 01/03/200X (30 dias trabalhados no mês)
Salário: R$ 880,00 / mês

Cálculo: salário contratual (considerando que o trabalhador tenha trabalhado até o final
do mês) x 40 % = adiantamento salarial.
R$ 880,00 x 40% = R$ 352,00.

Exemplo 2
Folha de Pagamento: 03/200X – mensalista
Admissão: 16/03/200X (15 dias trabalhados no mês)
Salário: R$ 880,00 / mês

Calculo: salário contratual dividido por 30 x 15 dias (considerando que o trabalhador


tenha trabalhado até o final do mês) x 40 % = adiantamento salarial.
R$ 880,00 / 30 x 15 = R$ 440,00 x 40% = R$ 176,00.

Exemplo 3
Folha de Pagamento: 03/200X – horista
Admissão: 01/03/200X (220 horas trabalhadas no mês)
Salário: R$ 4,00 / hora

Calculo: salário/hora multiplicado pelo nº de horas trabalhadas no mês x 40% =


adiantamento salarial.
R$ 4,00 x 220h = R$ 880,00 x 40% = R$ 352,00.

Exemplo 4
Folha de Pagamento: 03/200X – horista
Admissão: 16/03/200X (15 dias trabalhados no mês)
Salário: R$ 4,00 / hora

Calculo: salário/hora multiplicado pelo nº de horas trabalhadas no mês ÷ 30 dias x 15


dias = R$ 440,00 x 40 % = adiantamento salarial.
R$ 4,00 x 220h ÷ 30 x 15 = R$ 440,00 x 40% = R$ 176,00.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 217


Assistente Administrativo

Horas Extras

A legislação trabalhista vigente estabelece que a duração normal do trabalho,


salvo os casos especiais, é de 8 (oito) horas diárias e 44 (quarenta e quatro) semanais,
no máximo.

Todavia, poderá a jornada diária de trabalho dos empregados ser acrescida de


horas suplementares, em número não excedentes a duas, no máximo, para efeito de
serviço extraordinário, mediante acordo individual, acordo coletivo, convenção coletiva ou
sentença normativa. Excepcionalmente, ocorrendo necessidade imperiosa, poderá ser
prorrogada além do limite legalmente permitido.

Consideram-se extras as horas trabalhadas diariamente além da jornada legal ou


contratual.

Remuneração do Serviço Extraordinário

A remuneração do serviço extraordinário, desde a promulgação da Constituição


Federal/1988, que deverá constar, obrigatoriamente, do acordo, convenção ou sentença
normativa, será, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) superior à da hora normal.

Enunciado nº 264, do TST

"A remuneração do serviço suplementar é composto do valor da hora normal,


integrado por parcelas de natureza salarial e acrescido do adicional previsto em
Lei, contrato, acordo, convenção coletiva ou sentença normativa."

Necessidade Imperiosa

Ocorrendo necessidade imperiosa, por motivo de força maior, realização ou


conclusão de serviços inadiáveis, cuja inexecução possa acarretar prejuízo manifesto, a
duração do trabalho poderá exceder ao limite legal ou convencionado,
independentemente de acordo ou contrato coletivo, devendo, contudo, ser comunicado à
Delegacia Regional do Trabalho no prazo de 10 (dez) dias no caso de empregados
maiores e 48 (quarenta e oito) horas no caso de empregados menores.

Na hipótese de serviços inadiáveis, a jornada de trabalho não poderá exceder de


12 (doze) horas, devendo a remuneração da hora suplementar ser, pelo menos, 50%
(cinqüenta por cento) superior à da hora normal.

No caso de força maior, a remuneração da hora excedente não será inferior à da


hora normal (artigo 61, § 2º da CLT).

Para o cálculo do valor da hora normal necessário se faz o estabelecimento do


divisor, o qual é determinado, no caso de mensalistas e diaristas.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 218


Assistente Administrativo

Exemplo 1
Jornada semanal: 44h
Salário mensal: R$ 1.273,00
Cálculo do divisor: 44 ÷ 6 x 30 = 220
Cálculo do salário-hora: R$ 1.273,00 ÷ 220 = R$ 5,79

Exemplo 2
Jornada semanal: 40h
Salário mensal: R$ 2.321,00
Cálculo do divisor: 40 ÷ 6 x 30 = 200
Cálculo do salário-hora: R$ 2.321,00 ÷ 200 = R$ 11,60

Cálculo de Horas Extras

Encontrado o valor da hora normal, sobre este é calculado o percentual correspondente


(no mínimo, 50%), apurando-se o total:

Exemplo 1
Valor salário- mês = R$ 880,00
Adicional extra -= R$ 50%
Quantidade de horas extras no mês: 5

Salário-base dividido por 220 horas, multiplicado pelo número de horas extras e acrescido
de 50% (mínimo previsto pela CLT = valor das horas extras

(880 / 220 = 4,00 x 5 = 20,00 + 50% = 30,00)

Exemplo 2
Valor salário-hora = R$ 5,79
Adicional extra -= R$ 50%
Quantidade de horas extras no mês: 10

Salário-hora dividido por 220 horas, multiplicado pelo número de horas extras e acrescido
de 50% (mínimo previsto pela CLT = valor das horas extras
(5,79 x 10 = 57,90 + 50% 86,85)

Descanso Semanal Remunerado de Horas Extras

A integração das horas extras no descanso semanal remunerado, calcula-se da


seguinte forma:

- somam-se as horas extras do mês;


- divide-se o total de horas pelo número de dias úteis do mês;
- multiplica-se pelo número de domingos e feriados do mês;

O sábado é considerado dia útil, exceto se recair em feriado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 219


Assistente Administrativo

Caso as horas extras feitas durante o mês tenham percentuais diferentes, a média
terá que ser feita separadamente.

Exemplo
Durante o mês de outubro o empregado prestou 26 horas extras, com adicional de 50%.
Valor da hora normal R$ 6,50.

valor da hora extra: R$ 6,50 x 26 horas + 50% = R$253,50


número de domingos + feriado (do dia 12.10) em outubro = 5
dias úteis = 26 dias

Cálculo:

R$253,50 / 26 dias úteis x 5 domingos/feriados

DSR = R$48,75

Nota: para cálculos reais, verificar o número de domingos do mês de outubro do


ano respectivo. O cálculo acima é apenas exemplificativo.

Reflexo na Remuneração Sobre os Adicionais

O Descanso Semanal Remunerado reflete inclusive sobre os rendimentos


variáveis ou adicionais como horas extras, adicional noturno, comissões ou outros de
mesma natureza previstos em acordos ou convenção coletiva de trabalho.

O DSR sobre os adicionais é automático, ou seja, se o empregado receber 10


(dez) horas ou 1 (um) minuto como extraordinário ou como adicional noturno, terá direito
ao reflexo na remuneração.

A apuração do reflexo do DSR sobre os adicionais é feita com base no número de


dias úteis do mês em relação aos domingos e feriados. Normalmente se considera o
período de 01 a 30 ou 31 (mês fechado) para se fazer esta contagem,
independentemente do período de apuração das horas extras, já que muitas empresas
antecipam o período de apuração de horas (ponto) para ter tempo hábil para fechamento
da folha de pagamento.

Exemplo
Considerando que a empresa fechou a apuração das horas no período de 21.10.2007 a
20.11.2007 para pagamento na folha de novembro/2007, o cálculo do DSR será com base
no mês de novembro, ou seja, período de 01 a 30.11.2007.

Novembro = 30 dias
Dias úteis = 24 dias
Domingos/Feriados = 06 dias

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 220


Assistente Administrativo

Hora Noturna

A hora normal ou diurna tem a duração de 60 (sessenta) minutos e a hora noturna,


por disposição legal, nas atividades urbanas, é computada como sendo de 52 (cinqüenta
e dois) minutos e 30 (trinta) segundos. Ou seja, cada hora noturna sofre a redução de 7
minutos e 30 segundos ou ainda 12,5% sobre o valor da hora diurna.

Portanto, a cada 52 (cinqüenta e dois) minutos e 30 (trinta) segundos trabalhados


no período noturno, será computado 1 (uma) hora de jornada trabalhada.

Assim sendo, considerando o horário das 22:00 às 5:00 horas, temos 7 (sete)
horas-relógio que correspondem a 8 (oito) horas de jornada de trabalho.

Nota: Nas atividades rurais a hora noturna é considerada como de 60 (sessenta)


minutos, não havendo, portanto, a redução como nas atividades urbanas.

Intervalo

No trabalho noturno também deve haver o intervalo para repouso ou alimentação,


sendo:

JORNADA DE TRABALHO INTERVALO INTRA-JORNADA


Até 4 horas Sem intervalo
Acima de 4 até 6 horas 15 minutos
Acima de 6 horas Mínimo de 1 hora e máximo de 2 horas

Ao intervalo para repouso ou alimentação não se aplica a redução da hora,


prevalecendo para esse efeito a de 60 minutos.

A concessão do período de repouso ou alimentação aplica-se inclusive a vigias,


vigilantes, zeladores, porteiros e outras funções assemelhadas sem qualquer distinção.
Mesmo em acordos de revezamento devem existir os respectivos intervalos, sob pena de
pagamento de multas e horas complementares.

Adicional Noturno

As horas trabalhadas entre as 22:00h e as 05:00h do dia seguinte são pagas na


Folha de Pagamento a titulo de Adicional Noturno, seguindo a legislação que determina o
acréscimo mínimo de 20% sobre o valor da hora diurna.

Exemplo 1:
Salário:R$880,00/mês
Adicional Noturno: 15 horas
Cálculo: salário-base ÷ nº de horas trabalhadas no mês x nº de horas noturnas x 20%
R$880,00 ÷ 220h x 15h x 20% = R$12,00

Obs.: paga-se apenas o percentual do adicional, pois as horas já estão sendo pagas
como salário.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 221


Assistente Administrativo

Exemplo 2:
Salário:R$4,00/hora
Adicional Noturno: 15 horas
Cálculo: salário-hora x nº de horas noturnas x 20%
R$4,00 x 15h x 20% = R$12,00

Em alguns casos, empregadores adotam a iniciativa de pagar o DSR incidente nas


horas de adicional noturno do trabalhador. Nestas oportunidades o cálculo se assemelha
ao do DSR das horas extraordinárias, ou seja, o valor apurado das horas de adicional
noturno em relação aos dias úteis e domingos e feriados, correspondendo como base de
cálculo de médias para efeito de férias e 13º salário.

Cessação do Direito

O adicional noturno, pago ao empregado, é devido em razão do trabalho ser


desenvolvido em horário noturno. Dessa forma, o empregado sendo transferido para o
período diurno, o mesmo perde o direito ao adicional.

Hora Extra Noturna

As horas trabalhadas entre as 22:00h e as 05:00h do dia seguinte são pagas na


Folha de Pagamento a título de adicional noturno, seguindo a legislação que determina o
acréscimo mínimo de 20% sobre a hora diurna.

Quando o serviço suplementar for prestado durante o horário noturno, o


empregado fará jus aos adicionais noturno e extra (20% + 50%, vide convenção ou
acordo coletivo da categoria, para os percentuais), cumulativamente.

Exemplo 1 - Mensalista
Salário-mês = R$ 920,00
Horas Extras Noturnas = 20 horas

Cálculo: (salário ÷ nº hoaras trabalhadas no mês x nº horas extras + adicional de 50% +


adicional noturno 20%

920,00 ÷ 220h x 20h + 50% + 20% = R$150,55

Exemplo 2 - Horista
Salário-hora normal = R$ 4,00
Horas Extras Noturnas = 20 horas

Cálculo: (valor hora x nº horas extras + adicional de 50% + adicional noturno 20%

4,00 x 20h + 50% + 20% = R$144,00

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 222


Assistente Administrativo

Comissionista

Normalmente o valor das comissões é calculado pelo Departamento Comercial da


empresa e informado ao Departamento de Pessoal para o efetivo pagamento na Folha de
Pagamento do mês de referência.

O empregado que recebe salário somente à base de comissões e sujeito ao


controle de horário, quando prestar serviço extraordinário, tem direito, apenas, ao
adicional de horas extras de no mínimo 50% (cinqüenta por cento), este calculado sobre o
valor-hora do total das comissões recebidas no mês.

Como o trabalho extraordinário já é remunerado pelas próprias comissões


originadas das vendas efetuadas durante a realização das horas extras, ao comissionista
cabe somente o cálculo do adicional de 50% do valor da hora normal, com base no
número de horas efetivamente trabalhadas no mês.

Enunciado nº 340, do TST


"O empregado, sujeito a controle de horário, remunerado à base de comissões,
tem direito ao adicional de, no mínimo, 50% (cinqüenta por cento) pelo trabalho
em horas extras, calculado sobre o valor-hora das comissões recebidas no mês,
considerando-se como divisor o número de horas efetivamente trabalhadas." Nova
redação - Res. 121/2003, DJ 21.11.2003

Comissionista sem Salário Fixo

Exemplo

Empregado que no horário normal de trabalho auferiu comissões de R$ 1.000,00 e


em horário extraordinário R$ 500,00, durante o mês. A jornada normal do empregado era
de 6 (seis) horas diárias (totalizando 180 horas mensais) e realizou 40 (quarenta) horas
extras no mês. Adicional de hora extra é de 50%:

Base de cálculo das horas extras = total de comissões no mês dividido por número de
horas trabalhadas.
Base de cálculo das horas extras = (R$ 1.000,00 + R$ 500,00 = R$ 1.500,00) : (180 +
40 = 220) = R$ 6,82
Adicional de horário extraordinário: R$ 6,82 x 50% x 40 horas extras = R$ 136,40.

Comissionista com Salário Fixo

Exemplo
Para o empregado comissionista que recebe parte em salário fixo, o cálculo das
horas extras deve ser feito separadamente. Tomando-se por base as comissões do
exemplo anterior e considerando que o empregado realizou 32 (trinta e duas) horas
extras, recebendo salário fixo mensal de R$700,00 (setecentos reais), teríamos:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 223


Assistente Administrativo

Salário fixo = R$700,00


Carga horária mensal = 180 horas
Horas extras = 32 horas
Total horas trabalhadas = (180 + 32) = 212 horas
Comissões = R$1.000,00
Comissões em horário extraordinário = R$500,00

Cálculo das horas extras sobre o salário fixo:

Horas extras sobre salário fixo = (salário : carga horária mensal x nº horas extras) + %
hora extra
Horas extras sobre salário fixo = (R$700,00 : 180 x 32) + 50%
Horas extras sobre salário fixo = (R$3,89 x 32) + 50%
Horas extras sobre salário fixo = R$124,48 + 50%
Horas extras sobre salário fixo = R$186,72

Cálculo das horas extras sobre as comissões:

Horas extras sobre comissões = total comissões no mês : nº total horas trabalhadas x
nº horas extras x % hora extra
Horas extras sobre comissões = R$1.500,00 : 212 x 32 x 50%
Horas extras sobre comissões = R$7,08 x 32 x 50%
Horas extras sobre comissões = R$226,56 x 50%
Horas extras sobre comissões = R$113,28

Valor total horas extras do mês = horas extras sobre salário + horas extras sobre
comissões
Valor total horas extras do mês = R$186,72 + R$113,28
Valor total horas extras do mês = R$300,00

Descanso Semanal Remunerado - Comissões

Todo empregado tem direito ao repouso semanal remunerado de 24 horas


consecutivas, inclusive o comissionista, preferencialmente aos domingos.

Forma de Cálculo

- somam-se as comissões auferidas no mês;


- divide-se pelo número de dias úteis;
- multiplica-se pelo número de domingos e feriados.

* Importante: O sábado é considerado dia útil, exceto se recair em feriado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 224


Assistente Administrativo

Exemplos

1. Empregado auferiu no mês de abril/2007 um total de comissões de R$ 1.560,00. Seu


DSR corresponderá:
Mês Abril = 23 dias úteis 5 domingos e 2 feriados

DSR = R$ 1.560,00 / 23 dias úteis x 7 (5 domingos e 2 feriados)

DSR = R$ 474,78

2. Empregado comissionista auferiu no mês de maio/2007 um total de comissões de R$


1.768,00 e tem um salário fixo de R$ 430,00. Seu DSR corresponderá:

DSR = R$ 1.768,00 / 26 dias úteis x 5 (4 domingos e 1 feriado)

DSR = R$ 340,00

Observação: Não é devido DSR sobre a parte fixa do salário.

Gratificação paga aos Empregados

A gratificação é uma remuneração paga como agradecimento ou reconhecimento


por um trabalho realizado ou uma meta atingida e que tenha superado as expectativas do
empregador.

A gratificação paga aos empregados não é base para cálculo de horas extras,
férias, aviso prévio, adicional noturno ou outro adicional como insalubridade ou
periculosidade, desde que o período mínimo de pagamento seja semestral.

No entanto, a gratificação, qualquer que seja o período de pagamento, será base


para cálculo da indenização por antigüidade e no pagamento do 13º salário.

Quem pode receber

A legislação trabalhista não estabelece quem pode ou não receber o pagamento


de gratificações. A princípio, o pagamento desta verba pode ser feito a qualquer
empregado.

Este tipo de remuneração é mais comum ser utilizada no setor público que nas
empresas privadas, muito embora estas se façam deste recurso, por exemplo, para atrair
ou reter talentos.

Normalmente, a sua concessão decorre do documento coletivo de trabalho da


categoria profissional respectiva, do regulamento interno da empresa ou da liberalidade
do empregador.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 225


Assistente Administrativo

A gratificação pode ter várias modalidades, tais como, por assiduidade, por
produção, por antiguidade e etc.

Atividade Insalubre

A prorrogação do horário de trabalho nas atividades insalubres, salvo no caso de


microempresas, somente poderá ser realizada mediante licença das autoridades
competentes em matéria de segurança e medicina do trabalho. O trabalhador,
dependendo das condições insalubres no exercício do trabalho, terá assegurado a
percepção de adicional de insalubridade de 10% (dez por cento), 20% (vinte por cento) ou
de 40% (quarenta por cento).

Calculada pelo grau de exposição do trabalhador aos agentes insalubres em


relação ao salário mínimo do mês de referência e o valor pago na Folha de Pagamento do
mês de referência:

- Grau mínimo: 10%


- Grau médio: 20%
- Grau máximo: 40%

Adicional de Periculosidade

O adicional de periculosidade é um valor devido ao empregado exposto a


atividades periculosas.

São periculosas as atividades ou operações, onde a natureza ou os seus métodos


de trabalhos configure um contato com substancias inflamáveis ou explosivos, em
condição de risco acentuado. Exemplo: frentista de posto de combustível, operador em
distribuidora de gás, etc.

Caracterização e Classificação

A periculosidade é caracterizada por perícia a cargo de Engenheiro do Trabalho ou


Médico do Trabalho, registrados no Ministério do Trabalho (MTE).

Valor a ser pago

O valor do adicional de periculosidade será o salário do empregado acrescido de


30%, sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros
da empresa.

Entretanto, o TST editou a Súmula 191, em que os eletricitários terão o adicional


calculado sobre o total dos salários.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 226


Assistente Administrativo

Exemplo:
Salário do empregado em indústria sujeito a periculosidade: R$ 1.000,00 mensais.
Adicional de periculosidade: 30% x R$ 1.000,00 = R$ 300,00.

Salário- Família

Segundo a legislação em vigor do Ministério da Previdência e Assistência Social –


MPAS, o salário-família por filho é pago por filho ou equiparado de qualquer condição, até
14 anos incompletos, mensalmente ao trabalhador, exceto ao trabalhador doméstico e ao
avulso.

O valor pago na Folha de Pagamento é estipulado em relação ao salário ou


rendimento do trabalhador, que terá tantas cotas quantos filhos tiver.

A estrutura da tabela é a seguinte:

Rendimento no mês R$
Até R$
De R$ a R$
Acima de R$ extinto

Descontos Salariais

São as parcelas legais devidas aos órgãos da Previdência Social e da Receita


Federal, além das parcelas autorizadas pelo trabalhador no decorrer do seu Contrato
Individual de Trabalho: INSS, Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), Adiantamento
Salarial; Faltas e Atrasos; Descanso Semanal Remunerado (DSR); Contribuição Sindical;
Vale-Transporte; Empréstimo; Outros descontos autorizados (seguro de vida, refeição,
plano de assistência médica, previdência privada, mensalidade sindical, cesta básica,
vale-compra, plano odontológico, etc.)

Faltas e Atrasos

No apontamento da jornada de trabalho do mês, o Departamento de Pessoal


apura os dias e atrasos do trabalhador, que imediatamente lança na Folha de Pagamento.

Exemplos:

Faltas = 2 dias; Atrasos = 16 horas / Salário = R$880,00

● Mensalista:

- Faltas: salário mensal ÷ por 30 dias x nº de dias de faltas


R$880,00 ÷ 30 x 2 = R$58,66

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 227


Assistente Administrativo

- Atrasos: salário mensal ÷ 220h trabalhadas x nº de horas de atraso


R$880,00 ÷ 220h x 16h = R$64,00

● Horista:

Faltas = 1 dia*; Atrasos = 6 horas / Salário = R$10,00/hora

- Faltas: salário hora x nº de horas do dia = salário dia x 8


R$10,00 x 8 x 1 = R$80,00

- Atrasos: salário hora x nº de horas de atraso


R$10,00 x 6h = R$60,00

Faltas Justificadas

A legislação trabalhista admite determinadas situações em que o empregado


poderá deixar de comparecer ao serviço, sem prejuízo do salário.

As dispensas legais são contadas em dias de trabalho, dias úteis para o


empregado.

Quando a legislação menciona "consecutivos", este é no sentido de seqüência de


dias de trabalho, não entrando na contagem: sábado que não é trabalhado, domingos e
feriados.

Exemplo:

Falecimento do pai do empregado na quinta-feira à noite, este empregado não


trabalha aos sábados, então poderá faltar, sem prejuízo do salário, a sexta-feira e a
segunda-feira.

Faltas Admissíveis

O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário:

Com prazo previsto pela legislação

• até 2 (dois) dias consecutivos em caso de falecimento do cônjuge, ascendente,


descendente, irmão ou pessoa que, declarada em sua Carteira de Trabalho e
Previdência Social, viva sob sua dependência econômica;
• até 3 (três) dias consecutivos em virtude de casamento;
• por 5 (cinco) dias em caso de nascimento de filho, no decorrer da primeira semana
(licença-paternidade);
• pelo período de 120 (cento e vinte) dias de licença-maternidade ou aborto não
criminoso;
• pelo período de 15 (quinze) dias no caso de afastamento por motivo de doença ou
acidente de trabalho, mediante atestado médico e observada a legislação
previdenciária;

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 228


Assistente Administrativo

• por 1 (um) dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação


voluntária de sangue devidamente comprovada;
• até 2 (dois) dias consecutivos ou não, para o fim de se alistar eleitor, nos termos
da lei respectiva;
• Pelo prazo que se fizer necessário
• no período de tempo em que tiver de cumprir as exigências do Serviço Militar
referidas na letra "c" do art. 65 da Lei nº 4.375, de 17 de agosto de 1964 (Lei do
Serviço Militar);
• quando for arrolado ou convocado para depor na Justiça ou pelo tempo necessário
quando tiver que comparecer em juízo;
• faltas ao trabalho justificadas a critério do empregador;
• paralisação do serviço nos dias que, por conveniência do empregador, não tenha
havido trabalho;
• período de afastamento do serviço em razão de inquérito judicial para apuração de
falta grave, julgado improcedente;
• durante a suspensão preventiva para responder a inquérito administrativo ou de
prisão preventiva, quando for impronunciado ou absolvido;
• comparecimento como jurado no Tribunal do Júri;
• nos dias em que foi convocado para serviço eleitoral;
• nos dias em que foi dispensado devido à nomeação para compor as mesas
receptoras ou juntas eleitorais nas eleições ou requisitado para auxiliar seus
trabalhos (Lei nº 9.504/97);
• os dias de greve, desde que haja decisão da Justiça do Trabalho, dispondo que,
durante a paralisação das atividades, ficam mantidos os direitos trabalhistas (Lei
nº 7.783/89);
• os dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame vestibular
para ingresso em estabelecimento de ensino superior;
• as horas em que o empregado faltar ao serviço para comparecimento necessário
como parte na Justiça do Trabalho (Enunciado TST nº 155);
• período de freqüência em curso de aprendizagem;
• licença remunerada;
• pelo período de concessão das férias, computado este como tempo de serviço
para todos os efeitos legais;
• atrasos decorrentes de acidentes de transportes, comprovados mediante atestado
da empresa concessionária;
• a partir de 12.05.2006, por força da Lei 11.304/2006, pelo tempo que se fizer
necessário, quando, na qualidade de representante de entidade sindical, estiver
participando de reunião oficial de organismo internacional do qual o Brasil seja
membro ou quando convocado para atuar como conciliador nas Comissões de
Conciliação Prévia; e
• outras faltas dispostas em acordos ou convenções coletivas da categoria
profissional.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 229


Assistente Administrativo

Faltas por Acompanhamento Médico de Familiar

A legislação trabalhista não disciplina quanto ao abono de faltas em virtude de


atestado de acompanhamento médico familiar (cônjuge, ascendentes, descendentes e
etc.), tampouco se manifesta quanto à obrigatoriedade das empresas em recepcioná-lo.

Embora a legislação não se manifeste a respeito, se houver, em acordo ou


convenção coletiva, em contrato individual de trabalho ou procedimento interno da
empresa, cláusula que determine o abono de tais faltas, o empregador ficará obrigado a
cumprir tal determinação.

Portanto, não havendo qualquer dispositivo previsto conforme comentado no


parágrafo anterior, a princípio, a falta por acompanhamento médico de familiar poderá ser
descontado do empregado.

É importante ressaltar que o procedimento interno, ainda que tácito, deverá ser
respeitado e não poderá sofrer alteração unilateral, ou seja, se a empresa sempre adotou
o procedimento de abonar as faltas por acompanhamento médico, por liberalidade, ainda
que este procedimento não tenha sido por escrito, esta condição não poderá ser alterada,
sob pena de ferir o disposto no art. 468 da CLT, o qual veda qualquer alteração nas
condições de trabalho que acarretem prejuízos ao empregado.

Faltas não Justificadas – Reflexos na Remuneração

As faltas não justificadas por lei não dão direito a salários e demais conseqüências
legais, e podem resultar em falta leve ou grave, conforme as circunstâncias ou repetição;
mas podem ter justificativa imperiosa que, se seriamente considerada, vedará a punição.

É o caso, por exemplo, de doença grave em pessoa da família, amigo íntimo, ou


outra hipótese de força maior, que devem ser devidamente avaliadas pelo empregador,
para não incorrer em injustiça contra o empregado.

Desconto do Dia de Trabalho

A falta do trabalhador ao serviço enseja o desconto do dia respectivo em sua


remuneração, salvo se a falta for considerada justificada.

Descanso Semanal Remunerado

O empregado perde a remuneração do dia de repouso quando não tiver cumprido


integralmente a jornada de trabalho da semana, salvo se as faltas forem consideradas
justificadas.

Entendemos que o desconto do DSR se estende ao empregado mensalista ou


quinzenalista, porque a Lei 605/1949 não privilegia os mesmos, e a redação do § 2º do
art. 7 da referida lei considera que o mensalista e o quinzenalista são remunerados pelo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 230


Assistente Administrativo

DSR na própria remuneração mensal ou quinzenal. Daí, se deduz que o desconto do dia
de falta abrangerá também o DSR da respectiva semana.

O empregado que falta ao trabalho, seja esta integral (jornada completa) ou parcial
(parte da jornada), enseja o desconto do descanso semanal remunerado (DSR). O DSR a
ser considerado para efeito de desconto é o imediatamente seguinte ao da semana
trabalhada.

O empregador poderá, facultativamente, não descontar o DSR do empregado.


Porém, se isso ocorrer reiteradamente para todos os empregados por considerável
período de tempo, poderá correr o risco de ter que arcar com este ônus sempre, já que
este "perdão" gera acordo tácito entre as partes.

Exemplo 1

Empregado mensalista com jornada diária de 6 (seis) horas de segunda à sábado,


recebe salário mensal de R$1.100,00, falta um dia ao trabalho (06:00hs) durante a
semana. Como as faltas não foram justificadas, o empregado irá perder o DSR 06:00hs:

Cálculo das Faltas Cálculo do desconto do DSR


Faltas = Salário : 180 x nº horas faltas DSR = Salário : 180 x nº horas DSR
Faltas = R$1.100,00 : 180 x 06:00 DSR = R$1.100,00 : 180 x 06:00
Faltas = R$36,67 DSR = R$36,67
Total a ser descontado (Falta + DSR) = R$36,67 + R$36,67 = R$73,33

Exemplo 2

Empregado mensalista com salário de R$1.600,00, falta um dia ao trabalho


(07:20hs) durante a semana. Como as faltas não foram justificadas, o empregado irá
perder o DSR (07:20hs):

Transformando as horas em centesimais:

A transformação das horas em centesimais é feita considerando-se somente os


minutos após a apuração total, ou seja, as horas inteiras permanecem transformando os
minutos através da divisão destes por 60 (sessenta minutos).

Faltas DSR
Faltas = 07:20 → 20min : 60min = 0,333 DSR = 07:20 → 20min : 60min = 0,333
Faltas = 07,333 DSR = 07,333

Cálculo das horas de faltas e DSR:

Cálculo das Faltas Cálculo do desconto do DSR


Faltas = Salário : 220 x nº horas faltas DSR = Salário : 220 x nº horas DSR
Faltas = R$1.600,00 : 220 x 7,333 DSR = R$1.600,00 : 220 x 7,333
Faltas = R$53,33 DSR = R$53,33
Total a ser descontado (Falta + DSR) = R$53,33 + R$53,33 = R$106,66

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 231


Assistente Administrativo

Feriado na Semana

Se na semana em que houve a falta injustificada ocorrer feriado, este perderá o


direito à remuneração do dia respectivo.

Ainda que a falta ocorra após o feriado dentro da mesma semana, não sendo
justificada, haverá prejuízo salarial para o empregado.

Exemplo

Empregado mensalista com salário de R$1.600,00, falta ao trabalho na quinta-feira


(07:20hs) sendo a terça-feira da respectiva semana, feriado. Como a falta da quinta não
foi justificada, o empregado irá perder o feriado (07:20hs) mais o DSR (07:20hs):

Transformando as horas em centesimais:

Faltas Feriado DSR


Faltas = 07:20 DSR = 07:20
Feriado = 07:20
Faltas = 20min : 60min DSR = 20min : 60min =
Feriado = 20min : 60min = 0,333
= 0,333 0,333
Feriado = 07,333
Faltas = 07,333 DSR = 07,333

Cálculo das horas de faltas, feriado e DSR:

Cálculo do desconto
Cálculo das Faltas Cálculo do desconto Feriado do DSR
Faltas = Salário : 220 x nº Fer = Salário : 220 x nº horas DSR = Salário :
horas faltas DSR 220 x nº horas DSR
Faltas = R$1.600,00 : 220 DSR = R$1.600,00
x 7,333 Fer = R$1.600,00 : 220 x 7,333 : 220 x 7,333
Faltas = R$53,33 Fer = R$53,33 DSR = R$53,33
Total a descontar (Falta + Feriado + DSR) = R$53,33 + R$53,33 + R$53,33 =
R$159,99

Faltas do Comissionista - Cálculo Proporcional do DSR

A Lei 605/1949 não especifica o cálculo do desconto do DSR para o comissionista


que faltar injustificadamente ao trabalho.

No entanto, determina que não seja devida a remuneração do DSR quando, sem
motivo justificado, o empregado não tiver cumprido integralmente o seu horário de
trabalho na semana.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 232


Assistente Administrativo

Em analogia ao cálculo das horas extraordinárias para os comissionistas, em


relação às faltas são adotados os mesmos princípios, ou seja, se o comissionista já é
remunerado pela hora extraordinária efetuada em função da própria comissão recebida,
da mesma forma é penalizado por deixar de receber comissão em função da falta ao
trabalho.

Em relação ao DSR, se o empregado recebe o salário apenas à base de


comissões, caberia ao empregador apenas o não pagamento do reflexo do DSR sobre as
comissões do domingo/feriado ao da falta ocorrida na semana.

Exemplo

Empregado comissionista com jornada de trabalho de 6 (seis) horas diárias


(totalizando 180 horas mensais) que faltou ao trabalho no dia 22.11.2007, sem
justificativa, e que tenha auferido no respectivo mês R$1.500,00 de comissões.

Considerando que no mês de nov/07 o empregado teria direito ao reflexo do DSR


sobre os dias 02, 04, 11, 15, 18 e 25, como faltou injustificadamente no dia 22, perderá o
direito ao reflexo do domingo seguinte, ou seja, 25/11/2007.

DSR = total de comissões : nº dias úteis x domingos/feriados


DSR = R$1.500,00 : 24 x 5 (6 a que teria direito - 1 que perdeu)
DSR = R$375,00

Nota: Caso o empregado receba parte do salário de forma fixa e parte em


comissões, descontam-se as faltas e o DSR sobre o salário fixo e se paga o reflexo do
DSR proporcional aos domingos/feriados que o empregado tem direito.

Adiantamento Salarial

O adiantamento salarial pago pelo empregador é compensado na Folha de


Pagamento do mês de referência junto com as demais verbas de desconto, ou seja,
nesse momento o adiantamento salarial se transforma numa verba de desconto.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 233


Assistente Administrativo

Descontos Salariais Obrigatórios e Regulamentados

Previdência Social

Cabe aos empregadores o desconto relativo às contribuições previdenciárias de


seus empregados, mediante a aplicação das alíquotas de 8,00%, 9,00% e 11,00%,
incidente sobre o salário-de-contribuição de cada um.

● INSS

SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO (R$) ALÍQUOTAS%

Teto = R$ _________

Obs.: para os Prestadores de Serviços = 11%, limitado ao Teto máximo do desconto.

Recolher as contribuições relativas à Previdência Social de acordo com o seguinte


cronograma:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 234


Assistente Administrativo

CONTRIBUIÇÃOPRAZO PARA RECOLHIMENTO


Até o dia 02 do mês subseqüente, se não houver expediente bancário neste dia,
o prazo poderá ser alterado para o dia útil (bancário) imediatamente posterior ao
Contribuição
dia 02, considerando dia não útil os constantes no calendário divulgado pelo
sobre
BACEN.
reclamatória
trabalhista
Nota: Recolhimento das Contribuições Previdenciárias sobre os pagamentos de
reclamatórias trabalhistas referente aos códigos 1708, 2801, 2810, 2909, 2917.
Até o dia 20 (vinte) do mês subseqüente, se não houver expediente bancário
neste dia, o recolhimento deverá ser feito no primeiro dia útil imediatamente
Contribuição anterior, conforme Medida Provisória 447/2008.
sobre Nota¹: Até novembro/2008 (competência outubro/2008), o recolhimento do
remuneração e INSS era até o dia 10 do mês subseqüente.
produtos rurais Nota²: Até janeiro/2007 (competência dezembro/2006), o recolhimento do
INSS era até o dia 02 do mês subseqüente, PRORROGANDO-SE para o 1º dia útil
subseqüente, se não houvesse expediente bancário no dia 02.
Contribuinte
No dia 15 (quinze) do mês subseqüente, se não houver expediente bancário, o
individual
prazo poderá ser alterado para o dia útil (bancário) imediatamente posterior ao
(carnês),
dia 15, conforme artigo 216, inciso II e VIII do Regulamento da Previdência
inclusive
Social - RPS.
doméstico
Até o dia 20 de dezembro, inclusive para o empregado doméstico. Se não houver
expediente bancário neste dia, o recolhimento será:
13º salário no 1º (primeiro) dia útil imediatamente anterior para os empregados em geral;
no 1º (primeiro) dia útil imediatamente posterior para os empregados
domésticos.
Até o dia 20 (vinte) do mês subseqüente, se não houver expediente bancário
neste dia, o recolhimento deverá ser feito no primeiro dia útil imediatamente
anterior, conforme Medida Provisória 447/2008.
13º salário pago Nota¹: Até novembro/2008 (competência outubro/2008), o recolhimento do
em rescisão INSS era até o dia 10 do mês subseqüente.
Nota²: Até janeiro/2007 (competência dezembro/2006), o recolhimento do
INSS era até o dia 02 do mês subseqüente, PRORROGANDO-SE para o 1º dia útil
subseqüente, se não houvesse expediente bancário no dia 02.

GPS - Guia da Previdência Social

O empregador deve encaminhar ao sindicato representativo da categoria


profissional mais numerosa entre seus empregados, até o dia 20 de cada mês, cópia da
GPS, das contribuições recolhidas ao INSS, relativamente à competência anterior.

Nota: entendemos que, diante da prorrogação do prazo do recolhimento do INSS, para o


dia 20, conforme MP 447/2008, a entrega da cópia da GPS ao sindicato poderá ser
efetuada no próprio dia do recolhimento ou no dia útil subseqüente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 235


Assistente Administrativo

Imposto de Renda na Fonte

Sobre as remunerações pagas aos empregados há incidência do Imposto de


Renda na Fonte, mediante aplicação das alíquotas progressivas, observando tabela
oficialmente divulgada. IRRF - de acordo com art. 45 do Regulamento do Imposto de
Renda - RIR, aprovado pelo Decreto nº 3.000/99.

Base de Cálculo em R$ Alíquota % Parcela a Deduzir do Imposto em R$

Deduções a Base de Cálculo

A base de cálculo do imposto de renda na fonte é determinada mediante a dedução


das seguintes parcelas do rendimento tributável:

1) as importâncias pagas em dinheiro a título de pensão alimentícia em face das


normas do Direito de Família, quando em cumprimento de decisão judicial ou
acordo homologado judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais;
2) a quantia de R$ (______________________________________), por
dependente;
3) as contribuições para a Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios;
4) as contribuições para entidade de previdência privada domiciliada no Brasil e para
o Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi), cujo ônus tenha sido do
contribuinte, destinadas a custear benefícios complementares assemelhados aos
da Previdência Social, cujo titular ou quotista seja trabalhador com vínculo
empregatício ou administrador;

 Rendimento bruto: é a soma dos valores salariais que incidem para o Imposto de
Renda
 Deduções: parcelas dedutíveis do rendimento bruto
 Rendimento líquido: rendimento bruto subtraído das deduções permitidas
 Alíquota: percentual aplicado sobre o rendimento líquido
 Parcela a deduzir: além das deduções permitidas pela Secretaria da Receita Federal,
deduz-se mais uma parcela conforme a alíquota, resultando no Imposto de Renda
Líquido Devido

Atenção: Quando a fonte pagadora não for responsável pelo desconto dessas
contribuições, os valores pagos somente poderão ser deduzidos da base de cálculo, se
houver anuência da empresa e se o beneficiário fornecer a empresa, o original do
comprovante de pagamento.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 236


Assistente Administrativo

O valor de até R$ (_______________________________________),


correspondentes à parcela isenta dos rendimentos provenientes de aposentadoria e
pensão, transferência para a reserva remunerada ou reforma, a partir do mês em que o
contribuinte completar 65 anos de idade.

Recolhimento

A Secretaria da Receita Federal instituiu o Documento de Arrecadação de


Receitas Federais – DARF, o qual pode ser adquirido no comércio ou elaborado pela
própria empresa, seguindo as especificações da Receita Federal.

O recolhimento do valor descontado dos trabalhadores assalariados é feito até o


primeiro decêndio do mês subseqüente ao fato gerador do imposto devido.

Contribuição Sindical, Assistencial e Confederativa

A contribuição sindical anual, correspondente a um dia de salário por ano, é


obrigatória, cabendo ao empregador o seu desconto e recolhimento ao sindicato
respectivo da categoria profissional do empregado, independentemente de autorização.

O valor descontado na Folha de Pagamento é recolhido no mês de abril a favor do


sindicato da categoria profissional dos trabalhadores.

No caso do trabalhador que é contratado, o Departamento de Pessoal verifica se a


certeira de trabalho apresenta anotação de desconto da contribuição sindical. Caso
conste, não haverá o desconto no ano de referência; caso contrário, deverá efetuar o
desconto no mês seguinte ao ato da contratação.

A mensalidade sindical, do empregado filiado ao sindicato, quando a empresa por


este noticiada, deverá ser descontada e recolhida normalmente, desde que autorizada
pelo empregado.

A reversão salarial, muitas vezes denominada contribuição assistencial, prevista


em convenção, acordo ou sentença normativa de dissídio coletivo, somente poderá ser
descontada do empregado desde que este seja filiado à entidade sindical, conforme prevê
o Precedente Normativo TST nº 119.

A contribuição confederativa, nos termos do Parecer Normativo TST nº 119, é


aplicável tão-somente aos trabalhadores associados ao sindicato, mediante deliberação
da assembléia geral da respectiva representação profissional:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 237


Assistente Administrativo

Vale Transporte

Cabe ao empregador o desconto do percentual de 6% (seis por cento) incidente


sobre o salário-base ou vencimento do empregado, excluídos quaisquer adicionais ou
vantagens, se o empregado optar por este benefício, ou o valor das respectivas viagens
(o que for menor).

O Vale-Transporte constitui benefício que o empregador antecipará ao trabalhador


para utilização efetiva em despesas de deslocamento residência-trabalho e vice-versa.

Entende-se como deslocamento a soma dos segmentos componentes da viagem


do beneficiário, por um ou mais meios de transporte, entre sua residência e o local de
trabalho.

Não existe determinação legal de distância mínima para que seja obrigatório o
fornecimento do Vale-Transporte, então, o empregado utilizando-se de transporte coletivo
por mínima que seja à distância, o empregador é obrigado a fornecê-los.

Utilização

O Vale-Transporte é utilizável em todas as formas de transporte coletivo público


urbano ou, ainda, intermunicipal e interestadual com características semelhantes ao
urbano, operado diretamente pelo poder público ou mediante delegação, em linhas
regulares e com tarifas fixadas pela autoridade competente. Excluem-se das formas de
transporte mencionadas os serviços seletivos e os especiais.

Empregador – Desobrigação

O empregador que proporcionar, por meios próprios ou contratados, em veículos


adequados ao transporte coletivo, o deslocamento, residência-trabalho e vice-versa, de
seus trabalhadores, está desobrigado do Vale-Transporte.

Não cobertura de todo trajeto

O empregador que fornece ao beneficiário transporte próprio ou fretado que não


cubra integralmente todo o trajeto deverá fornecer Vale-Transporte para os segmentos da
viagem que não foram abrangidos pelo transporte fornecido.

Fornecimento em Dinheiro

A MP 280/2006 permitia, a partir de 01.02.2006, o pagamento do benefício em


pecúnia, vedado à concessão cumulativa com o Vale-Transporte. Entretanto, este
dispositivo foi revogado pela MP 283, publicada no Diário Oficial da União em 24.02.2006.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 238


Assistente Administrativo

Portanto, continua proibido substituir o Vale-Transporte por antecipação em


dinheiro ou qualquer outra forma de pagamento, exceto se houver falta ou insuficiência de
estoque de Vale-Transporte (dos fornecedores), necessário ao atendimento da demanda
e ao funcionamento do sistema. Neste caso, o beneficiário poderia ser ressarcido pelo
empregador, na folha de pagamento imediata, da parcela correspondente, quando tiver
efetuado, por conta própria, a despesa para seu deslocamento.

Falta Grave

O beneficiário que se utilizar de declaração falsa ou usar indevidamente o Vale-


Transporte estará sujeito a demissão por justa causa, uma vez que constitui falta grave.

Custeio

O Vale-Transporte será custeado:

- pelo beneficiário, na parcela equivalente a 6% (seis por cento) de seu salário básico ou
vencimento, excluídos quaisquer adicionais ou vantagens;
- pelo empregador, no que exceder à parcela referida no item anterior.

Proporcionalidade do Desconto

O valor da parcela a ser suportada pelo beneficiário será descontado


proporcionalmente à quantidade de Vale-Transporte concedida para o período a que se
refere o salário ou vencimento e por ocasião de seu pagamento, salvo estipulação em
contrário, em Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho que favoreça o beneficiário.

Para efeito da base de cálculo do desconto de 6%, o Parecer Normativo SFT/MT


nº 15/92, esclareceu que se toma como o seu salário inteiro e não apenas os dias úteis do
mês calendário.

O desconto é proporcional nos casos de admissão, desligamento e férias.

Exemplo:

Empregado admitido em 15 de junho. Utilizará 20 passes no período de 15 a 30 de junho.


O total de passes, considerando o mês completo de junho, é de 40. Custo do vale
transporte individual: R$ 1,75. Salário-base mensal: R$ 500,00.

Proporção de vale-transporte no mês da admissão: 20 divididos por 40 = 50%.


Custo do vale transporte em junho: R$ 2,30 x 20 = 46,00
6% x R$ 500,00 = R$ 30,00
Desconto proporcional: R$ 30,00 x 50% = R$ 15,00
Encargo de VT do empregador no mês de junho: R$ 46,00 – R$ 15,00 = R$ 31,00.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 239


Assistente Administrativo

Na demissão do empregado este deve devolver os passes que sobraram, ou então


se procede ao desconto do valor real dos passes não utilizados. Isto porque o
empregador entrega antecipadamente ao empregado os vales que adquiriu, logo
ocorrendo uma demissão no curso de um mês com aviso prévio indenizado, de imediato
não mais faz jus o empregado ao benefício concedido, devendo devolver os VT não
utilizados ou ser descontado o valor equivalente.

O desconto do Vale-Transporte somente poderá ser feito em relação ao salário


pago. Por exemplo, se a empresa paga por quinzena não poderá descontar no
pagamento da 1ª quinzena os vales correspondentes ao mês todo. Neste caso, a
empresa somente poderá descontar o valor dos vales relativos à remuneração da
quinzena que está sendo paga.

Valor inferior a 6%

Sendo a despesa com o deslocamento do beneficiário inferior a 6% (seis por


cento) do salário básico ou vencimento, o empregado poderá optar pelo recebimento
antecipado do Vale-Transporte, cujo valor será integralmente descontado por ocasião do
pagamento do respectivo salário ou vencimento.

Exemplo:

O empregado utiliza 2 Vales-Transporte para o seu deslocamento residência-


trabalho e vice-versa. Salário mensal do mês de agosto R$ 2.400,00.

- nº de dias de trabalho no mês de julho: 23


- nº de Vales-Transporte necessários: 46
- valor dos Vales-Transporte: R$ 105,80 (2,30 x 46)
- 6% do salário: R$ 114,00

Portanto, do empregado será descontado: R$ 105,80 e não R$ 114,00 (6% do


salário) devido o valor integral dos Vales-Transporte ser inferior aos 6% do salário.

Empregado que utiliza veículo próprio

O trabalhador que utiliza veículo próprio para seu deslocamento não terá direito ao
vale transporte.

Caso venha a optar pelo recebimento do benefício e passar a utilizá-lo de forma


irregular, que não seja o deslocamento residência-trabalho e vice-versa, estará
cometendo falta grave nos termos do § 3º, art. 7º do Decreto nº 95.247/87, deve ser
orientado pelo empregador para alterar o termo de opção do vale transporte, sob pena de
ter seu contrato de trabalho rescindido por justa causa. (artigos 2º, 3º, 5º e 7º do Decreto
nº 95.247/87).

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 240


Assistente Administrativo

Descontos de Assistência Médica, Odontológica, Farmácia, Seguro ou Associação

O desconto, desde que autorizado anteriormente pelo empregado, de valores


referentes à assistência médica, odontológica, seguro de previdência privada ou até
mesmo de entidade cooperativa, cultural ou recreativa associativa de trabalhadores em
benefício deles, é considerado lícito pelos nossos tribunais, conforme determina o
Enunciado TST nº 342.

Desta forma, os descontos de farmácia, planos de saúde, etc. devem constar de


documento de autorização para desconto, o qual deverá constar em cláusula contratual,
na ocasião da admissão do funcionário, ou através de termo aditivo do contrato de
trabalho.

Demonstrativo de Pagamento

Finalizado o processamento da Folha de Pagamento, é elaborado um


demonstrativo de pagamento mensal, que contempla ainda:

 Total de vencimentos – o somatório de todos os valores pertencentes à coluna de


vencimentos é conhecido também como total bruto da Folha de Pagamento.

 Total de descontos – o somatório de todos os valores pertencentes à coluna de


descontos.

 Líquido a receber – é o somatório do Total de vencimentos subtraído do Total de


descontos.

 Salário-base – é o valor do salário mensal ou por hora do trabalhador no mês de


referência.

 Salário de contribuição – INSS: o somatório das verbas que integram a remuneração


do trabalhador e que incidem para o cálculo do desconto do INSS.

 Base de cálculo do FGTS – o somatório das verbas que integram a remuneração do


trabalhador e que servem de base para o cálculo dos 8% do FGTS, que o] empregador
terá de depositar na conta vinculada do trabalhador

 FGTS do mês – o resultado do cálculo dos 8% que o empregador terá que depositar na
conta vinculada do trabalhador.

 Base de Cálculo do IRRF – a soma das verbas que integram a remuneração do


trabalhador e serve como base para o cálculo do IRRF

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 241


Assistente Administrativo

Exemplo:

Demonstrativo de Pagamento

Nome da empresa:
Endereço: CNPJ: Mês: ____/_____
Código Nome do funcionário Cargo Local Dep Setor
Seção
Descrição Ref. Vencimentos Descontos
Salário do mês 30 dias 880,00
Horas Extras (50%) 10 h 60,00
DSR de HE * - 15,00
Adicional Noturno (20%) 5h 4,00
Faltas 1 dia 29,33
Atrasos 5h 20,00
Adiantamento Salarial (40%) - 352,00
INSS sobre salário - 72,77
Total de Vencimentos Total de Descontos
959,00 474,10
Líquido a receber 484,90
Salário-Base Sal. Base Cal. FGTS FGTS do mês Base Calc. IRRF
880,00 Contribuição 909,67 72,77 -
909,67

* Considerando um mês com 24 dias úteis e 6 domingos/feriados

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 242


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Qual é o prazo legal para o empregador pagar a Folha de Pagamento dos


trabalhadores assalariados, sob o regime da CLT?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

2. Calcule o valor do adiantamento salarial com base em 40% para os salários


abaixo:

a) R$550,00/mês
b) R$990,00/mês
c) R$5,60/hora (base 220h)
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

3. Calcule o valor das horas extras com base em 50% para os salários abaixo:
a) R$550,00/mês – 20 horas extras diurnas
b) R$990,00/mês – 30 horas extras diurnas
c) R$5,60/hora – 18 horas extras diurnas
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

4. Calcule o valor do DSR das horas extras do exercício nº 3, levando em


consideração o mês com 24 dias úteis e 6 domingos/feriados.
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

5. Calcule o valor do Adicional Noturno com base em 20% dos salários:


a) R$550,00/mês – 6 horas noturnas
b) R$990,00/mês – 12 horas noturnas
c) R$5,60/hora – 16 horas noturnas
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 243


Assistente Administrativo

6. Quais são os percentuais de desconto da tabela progressiva do INSS? Se a


remuneração do trabalhador ultrapassar o teto máximo de contribuição, como
proceder ao desconto?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

7. Qual é a finalidade da Guia da Previdência Social – GPS?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
______________________________________________________

8. O que significa rendimento líquido para o cálculo do IRRF?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

9. Cite os passos para apuração do Imposto de Renda líquido devido.


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

10. Qual é a finalidade do Documento de Arrecadação das Receitas Federais –


DARF?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

11. Defina Contribuição Sindical.


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

12. Calcule o desconto da Contribuição Sindical para os salários abaixo:


a) R$550,00/mês
b) R$990,00/mês
c) R$5,60/hora
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 244


Assistente Administrativo

13. Comente o procedimento do desconto do vale-transporte.


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

14. De que forma é apurado o valor líquido a receber da Folha de Pagamento?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

a. Como é apurado o salário de contribuição – INSS da Folha de Pagamento?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

16.Como é apurada a base de cálculo do IRRF da Folha de Pagamento?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________

17. Calcule o desconto de Vale-Transporte dos salários indicados na seguinte tabela:

Salário Contratual % Viagens recebidas Desconto


R$550,00/mês 6 R$52,00
R$990,00/mês 6 R$49,00
R$5,60/hora (base 220h) 6 R$180,00

18. Elaborar um demonstrativo de pagamento dos trabalhadores, com as informações


indicadas em seguida, levando em consideração os apontamentos de adiantamento
salarial e vale-transporte dos exercícios anteriores (mês com 24 dias úteis e 6
domingos/feriados)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 245


Assistente Administrativo

Demonstrativo de Pagamento

Nome da empresa:
Endereço: CNPJ: Mês: ____/_____
Código Nome do funcionário Cargo Local Dep Setor
Seção
Descrição Ref. Vencimentos Descontos
Salário do mês 30 dias R$ 550,00
Horas Extras (50%) 20 h
DSR de HE * -
Adicional Noturno (20%) 6h
Faltas 1 dia
Atrasos 3h
Contribuição Sindical 1/30
Vale-transporte -
INSS sobre salário -
Total de Vencimentos Total de Descontos

Líquido a receber
Salário-Base Sal. Contribuição Base Cal. FGTS FGTS do mês Base Calc. IRRF
-

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 246


Assistente Administrativo

Demonstrativo de Pagamento

Nome da empresa:
Endereço: CNPJ: Mês: ____/_____
Código Nome do funcionário Cargo Local Dep Setor
Seção
Descrição Ref. Vencimentos Descontos
Salário do mês 30 dias R$ 990,00
Horas Extras (50%) 3h
DSR de HE * -
Adicional Noturno (20%) 12 h
Adiantamento Salarial (40%) -
Faltas 2 dias
Contribuição Sindical 1/30
Vale-transporte -
INSS sobre salário -
Total de Vencimentos Total de Descontos

Líquido a receber
Salário-Base Sal. Contribuição Base Cal. FGTS FGTS do mês Base Calc. IRRF
-

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 247


Assistente Administrativo

Demonstrativo de Pagamento

Nome da empresa:
Endereço: CNPJ: Mês: ____/_____
Código Nome do funcionário Cargo Local Dep Setor
Seção
Descrição Ref. Vencimentos Descontos
Salário do mês 220 h
Horas Extras (50%) 18 h
DSR de HE * -
Adicional Noturno (20%) 16 h
Adiantamento Salarial (40%) -
Atrasos 9h
Contribuição Sindical 1/30
Vale-transporte -
INSS sobre salário -
Total de Vencimentos Total de Descontos

Líquido a receber
Salário-Base Sal. Contribuição Base Cal. FGTS FGTS do mês Base Calc. IRRF
-

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 248


Assistente Administrativo

13º Salário

Décimo Terceiro Salário - 1ª Parcela

Quem tem direito

Ao pagamento do 13º salário faz jus o trabalhador urbano ou rural, o trabalhador


avulso e o doméstico.

Valor a ser pago

O valor do adiantamento do 13o. salário corresponderá á metade do salário


recebido pelo empregado no mês anterior, sendo pago proporcionalmente ao tempo de
serviço do empregado prestado ao empregador, considerando-se a fração de 15 dias de
trabalho como mês integral.

Desta forma, se a primeira parcela for paga no mês de novembro, o valor do


adiantamento será calculado com base no salário do mês de outubro.

Quando na composição do salário do empregado envolver parte variável, deverá


ser calculada a sua média.

Quanto aos empregados vendedores, a empresa deverá verificar, junto ao


sindicato da categoria, qual a forma de cálculo das médias e se os valores das comissões
deverão ser atualizados e por qual índice.

Data de pagamento

A primeira parcela do 13º salário deve ser paga de:

- 01/fevereiro a 30/novembro ou
- por ocasião das férias (se solicitado pelo empregado).

A importância paga ao empregado a título de primeira parcela será deduzida do valor da


segunda parcela do 13o a ser pago até 20/dezembro.

FÉRIAS – ADIANTAMENTO DO 13o SALÁRIO

Para que o empregado faça jus ao adiantamento da primeira parcela do 13o salário
por ocasião das férias, deverá requerer no mês de janeiro do correspondente ano ao
empregador, por escrito.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 249


Assistente Administrativo

Após este período, é facultado ao empregador a liberação do referido pagamento


ao empregado.

Rescisão Contratual

Havendo rescisão contratual, o valor adiantado da primeira parcela (se houver),


será compensado com o valor da gratificação devida na rescisão.

Horas Extras e Noturnas

As horas extras integram o 13º salário, conforme se depreende do Enunciado


TST 45: "A remuneração do serviço suplementar, habitualmente prestado, integra o
cálculo da gratificação natalina, prevista na Lei 4.090, de 1962."

O adicional noturno também integra o 13º salário por força do Enunciado I da


Súmula TST 60: "O adicional noturno, pago com habitualidade, integra o salário do
empregado para todos os efeitos."

Quando o empregado realizar números variados de horas noturnas ou extras


durante o ano, o empregador deverá fazer a média das horas, o qual serve tanto para
horas extras quanto para horas noturnas.

Quando o empregado realizar um determinado número de horas extras ou horas


noturnas, sem haver variação, não precisará fazer a média, apenas deverão incluir-se os
valores.

Adicional de Insalubridade e de Periculosidade

Os adicionais de insalubridade e de periculosidade integram o pagamento do 13º


salário, uma vez que fazem parte da remuneração do empregado.

Estes adicionais, embora sejam percentuais aplicados sobre valores determinados


(salário básico ou salário-normativo, se mais vantajoso), não precisa ser feito média, ou
seja, há que se verificar a proporcionalidade em relação ao período em que o empregado
realmente exerceu atividade insalubre ou periculosa.

Exemplo:

Empregado admitido em 02 de janeiro. Salário mensal de R$ 1.550,00. Recebe


adicional de periculosidade.

- Cálculo:
Adicional de periculosidade: R$ 1.550,00 x 30% = R$ 465,00
R$ 1.550,00 + R$ 465,00 = R$ 2.015,00
1a. parcela do 13o salário = R$ 2.015,00 x 50% = R$ 1.007,50.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 250


Assistente Administrativo

Admitidos Até 17 de Janeiro

Para os empregados admitidos até 17 de janeiro, inclusive, o valor da primeira


parcela será de 50% do salário do mês anterior ao do seu pagamento.

Por quê 17 de janeiro?

Conforme a Lei 4.090/62, art. 1º, §2º e Decreto 57.155/65, art. 1º, parágrafo único,
a fração igual ou superior a 15 dias será havida como mês integral, correspondendo a
1/12 avos. Então do dia 17 ao dia 31 de janeiro, temos 15 dias.

a) Mensalista
Empregado mensalista admitido em 10 de janeiro. Pagamento da primeira parcela
em 30 de novembro. Salário de outubro: R$ 1.360,00.

R$ 1.360,00 x 50% = R$ 680,00

b) Horista
Empregado horista admitido em 12 de janeiro. Pagamento primeira parcela em 30
de novembro. Salário-hora de outubro R$ 7,20.

- número de horas trabalhadas durante o ano até outubro = 1.862,8 dividido por 10 =
186,28 horas.
- número de horas correspondente ao descanso semanal remunerado (DSR) =
366,50 dividido por 10 = 36,65 horas

(*) o número de horas está sendo considerado em sistema centesimal.

Nota: Os valores de número de horas acima são apenas exemplificativos, devendo cada
empregador verificar o número exato de horas trabalhadas, assim como as horas do
respectivo DSR em cada mês. Consideramos a média por 10, uma vez que há variação
de número de horas de mês para mês, não podendo se estimar exatamente o número do
mês em curso (novembro). Convém salientar que nos meses em que o empregado foi
admitido no curso do mês, deve-se considerar para efeito do cálculo o número de horas
como se ele tivesse trabalhado o mês todo, para que o mesmo não seja prejudicado.

- Cálculo:
R$ 7,20 x 186,28 horas trabalhadas = R$ 1.341,22
R$ 7,20 x 36,65 h/DSR = R$ 263,88
R$ 1.341,22 : 2 + 263,88 : 2 = primeira parcela do 13. salário: R$ 802,55

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 251


Assistente Administrativo

13º Salário Proporcional

Pode ser pago proporcionalmente aos meses trabalhados.

Exemplo:

Salário: R$880,00/mês
Admissão: 10/03/xx = 10/12 avos

(salário ÷ 12 meses x nº de meses de direito)

- Cálculo do 13º Salário:

R$880,00 ÷ 12 x 10 = R$733,33

Salário variável – cálculos

Para os empregados que recebem salário variável, a qualquer título, a gratificação


será calculada na base da soma das importâncias variáveis devidas nos meses
trabalhados até o anterior àquele em que se realizar o adiantamento.

Os empregados que receberem parte fixa terá o respectivo valor somado à parte
variável.

Caso o trabalhador tenha saldo do salário variável (por exemplo, comissões) que
não foi processado na Folha de Pagamento do mês de dezembro, o Departamento de
Pessoal deve fazer o ajuste, ou seja, recalcular os vencimentos e providenciar o
pagamento da diferença de direito, para regularizar o ano vigente.

13º Salário - 1ª Parcela - Solicitação Por Ocasião Das Férias

O artigo 2º, § 2º da Lei 4.749/65, que dispõe sobre o pagamento da gratificação


natalina prevista na Lei 4.090/62, prevê que o empregado faz jus ao adiantamento da 1ª
parcela do 13º salário por ocasião de suas férias, sempre que solicitar no mês de janeiro
do correspondente ano.

Prazo de Requerimento

O empregado tem até o dia 31 de janeiro para requerer que lhe seja pago,
juntamente com a remuneração de férias, a 1ª parcela do 13º salário.

O valor referente à 1ª parcela do 13º salário correspondente a 50% do salário do


mês anterior ao gozo de férias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 252


Assistente Administrativo

Caso o empregado não solicite o pagamento da 1ª parcela do 13º salário na época


determinada, ou seja, no mês de janeiro, ficará na dependência da liberalidade do
empregador sua concessão, que poderá ser feita entre os meses de fevereiro a
novembro.

A primeira parcela requerida por ocasião das férias é, portanto, uma faculdade
inerente ao empregado, enquanto que o pagamento efetuado entre os meses de fevereiro
e novembro de cada ano corresponde a uma liberalidade do empregador, que pode
realizá-lo na época que melhor convenha a seus interesses.

MODELO DE SOLICITAÇÃO

Ao Sr. (nome do empregador)

Referência: Solicitação do pagamento da 1ª parcela do 13º salário por ocasião das férias.

Em razão do disposto no artigo 2º, § 2º da Lei 4.749/65, venho requerer o pagamento da


primeira parcela do 13º salário por ocasião do gozo de minhas férias.

_____________, ____ de ___________ de _____.

________________________
assinatura do empregado

________________________
ciente do empregador

Décimo Terceiro Salário - 2ª Parcela

Quem tem direito

Ao pagamento do 13º salário faz jus o trabalhador urbano ou rural, o trabalhador


avulso e o doméstico.

Valor a ser pago

O 13º salário será pago proporcional ao tempo de serviço do empregado na


empresa, considerando-se a fração de 15 dias de trabalho como mês integral.

A importância paga ao empregado a título de primeira parcela será deduzida do


valor do 13º salário devido até o dia 20 de dezembro.

Quando na composição do salário do empregado envolver parte variável, deverá


ser calculada a sua média.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 253


Assistente Administrativo

Quanto aos empregados vendedores, a empresa deverá verificar, junto ao


sindicato da categoria, se os valores das comissões deverão ser atualizados e por qual
índice.

Incidências

INSS

Na primeira parcela do 13º salário, não há incidência do INSS.

Na 2ª (segunda) parcela do 13º salário há incidência do INSS sobre o valor total


pago, o qual deve ser recolhido até o prazo legal, observando-se os critérios quando a
empregada afastou-se em licença-maternidade durante o ano.

FGTS

O FGTS incidirá sobre o valor bruto do 13º salário pago em dezembro menos o
valor adiantado, já que houve o recolhimento do FGTS sobre o valor da 1ª parcela.

No caso do 13º salário pago em rescisão, o FGTS incidirá sobre o valor bruto pago
menos o valor adiantado, se houver.

O FGTS deverá ser recolhido até o dia 7 de janeiro junto com a folha de
pagamento de dezembro.

A partir da competência janeiro/07 as empresas não estão mais obrigadas a


recolher a contribuição social adicional de 0,5%, conforme dispõe a Lei Complementar
110/2001.

IRRF – Imposto de Renda Retido na Fonte

No pagamento da segunda parcela do 13º salário há incidência do IRRF sobre o


total (soma da 1ª parcela + 2ª parcela), com base na tabela progressiva mensal.

Considera-se mês de quitação o mês de pagamento da 2ª parcela ou o mês da


rescisão de contrato de trabalho.

O cálculo do imposto será efetuado em separado dos demais rendimentos


mediante a utilização da tabela progressiva mensal vigente no mês de quitação. A
tributação ocorrerá exclusivamente na fonte.

No caso de pagamento de complementação do 13º salário posteriormente ao mês


de quitação, o imposto deverá ser recalculado sobre o valor total desta gratificação,

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 254


Assistente Administrativo

utilizando-se a tabela do mês da quitação. Do imposto assim apurado será deduzido o


valor do imposto retido anteriormente.

Os valores relativos a pensão judicial e contribuição previdenciária (oficial e


privada), computados como deduções do 13º salário, não poderão ser utilizadas para
determinação da base de cálculo de quaisquer outros rendimentos.

Na determinação da base de cálculo do imposto incidente sobre o 13º salário


serão admitidas as seguintes deduções:

a) dependentes;
b) a importância paga a título de pensão alimentícia em face das normas do direito
de família e em cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado
judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais correspondente ao
13º salário;
c) valor correspondente à parcela isenta dos rendimentos de aposentadoria e
pensão, transferência para a reserva remunerada ou reforma, correspondente ao
13º salário, pagos pela previdência social da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios ou por qualquer pessoa jurídica de direito público
interno, ou por entidade de previdência privada, no caso de contribuinte com idade
igual ou superior a 65 anos;
d) a contribuição para a previdência social da União, dos Estados, do Distrito Federal
e dos Municípios, incidente sobre o 13º salário;
e) as contribuições para as entidades de previdência privada domiciliadas no Brasil e
as contribuições para os Fundos de Aposentadoria Programada Individual (Fapi),
cujo ônus tenha sido do contribuinte, destinadas a custear benefícios
complementares assemelhados aos da Previdência Social;
f) f) o valor do acréscimo de remuneração proporcional ao valor da CPMF devida,
dos benefícios de prestação continuada e os de prestação única e dos proventos
dos inativos, pensionistas e demais benefícios, limitados a dez salários mínimos,
constantes dos Planos de Benefício da Previdência Social, de que tratam a Lei
8.213, de 24 de julho de 1991, e a Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Penalidades

A infração relativa ao 13º salário será penalizada com multa de 160 Ufir por
empregado prejudicado, dobrada na reincidência.

Preenchimento da GPS

A GPS deverá ser preenchida normalmente, inclusive no que se refere ao código


de pagamento, exceto quanto ao campo 4:

- campo 4 - Competência (mês/ano): utilizar a competência 13 (treze) e para o ano


4 (quatro) dígitos.

Exemplo: dezembro de 2007, colocar 13/2007.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 255


Assistente Administrativo

Data de Recolhimento

A contribuição ao INSS incidente sobre o décimo terceiro salário deverá ser


recolhida até o dia 20 de dezembro do ano correspondente, exceto em relação à rescisão
contratual.

Empregados com Salário Variável - Época do Recolhimento

A empresa com empregado percebendo salário variável deverá efetuar o


recolhimento da contribuição devida ao INSS até o dia 20 de dezembro.

Ajuste do Valor do Décimo Terceiro Salário

Havendo ajuste do valor do décimo terceiro salário em função de aumento de


salário ou de média de variáveis, o recolhimento da contribuição decorrente de eventual
diferença deverá ser efetuado juntamente com o INSS da folha de pagamento de
dezembro, ou seja, na GPS normal a ser recolhida no início do mês seguinte.

Recolhimento fora do Prazo

As contribuições recolhidas após 20 de dezembro sofrerão incidência dos


encargos previstos na legislação da Seguridade Social para as contribuições arrecadadas
e administradas pelo INSS, ou seja, juros e multa, com exceção da contribuição
decorrente do ajuste (diferença) do décimo terceiro salário.

GFIP

Ao confeccionar a GEFIP da competência dezembro, deve-se observar se estão


sendo somados os valores devidos à Previdência Social da competência mês 12 (folha de
pagamento) assim como os valores devidos referentes ao décimo terceiro salário
(competência 13/ano), inclusive de eventuais diferenças de quem recebe salário variável.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 256


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Calcular o valor do 13º Salário, levando em consideração as datas de admissão.


Calcule a 1ª e 2ª parcelas.

a) Admissão: 16 de março – Salário: R$550,00/mês


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________

b) Admissão: 15 de junho – Salário: R$990,00/mês


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________

c) Admissão: 16 de novembro – Salário R$5,60/hora


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________

d) Admissão: 17 de janeiro – Salário: R$1.300,00/mês


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________

e) Admissão: 25 de abril – Salário: R$1.020,00/mês


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_______________________________________

f) Admissão: 16 de setembro – Salário: R$6,50/hora


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 257


Assistente Administrativo

Férias

Férias – Aspectos Gerais

Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado


após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período
este denominado "aquisitivo".

As férias devem ser concedidas dentro dos 12 meses subseqüentes à aquisição


do direito, período este chamado de "concessivo".

A lei não permite a conversão de todo o período em pecúnia, ou seja, "vender as


férias", apenas autoriza que 1/3 do direito a que o empregado fizer jus seja convertido em
dinheiro.

Direito às Férias

Todo empregado terá direito anualmente ao gozo de um período de férias, sem


prejuízo da remuneração, computando-se este período inclusive como tempo de serviço,
na seguinte proporção:

Férias Até 5 6 a 14 15 a 23 24 a 32
proporcionais faltas faltas faltas faltas
1/12 2,5 dias 2 dias 1,5 dias 1 dia
2/12 5 dias 4 dias 3 dias 2 dias
3/12 7,5 dias 6 dias 4,5 dias 3 dias
4/12 10 dias 8 dias 6 dias 4 dias
5/12 12,5 dias 10 dias 7,5 dias 5 dias
6/12 15 dias 12 dias 9 dias 6 dias
7/12 17,5 dias 14 dias 10,5 dias 7 dias
8/12 20 dias 16 dias 12 dias 8 dias
/12 22,5 dias 18 dias 13,5 dias 9 dias
10/12 25 dias 20 dias 15 dias 10 dias
11/12 27,5 dias 22 dias 16,5 dias 11 dias
12/12 30 dias 24 dias 18 dias 12 dias

Obs.: O valor de 2,5 dias por avo trabalhado é o resultado de 30 (trinta) dias de férias
divididos por 12 (doze) meses do ano.

É proibido o desconto de faltas do empregado ao serviço do período de férias,


sendo vedado, desta forma, a permuta de faltas por dia de férias.

Quando o empregado tiver mais de 32 faltas no período aquisitivo, este perderá o


direito às férias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 258


Assistente Administrativo

Exemplo:

Empregado durante o período aquisitivo teve 7 faltas injustificadas. Gozará apenas


24 dias de férias em virtude do número de faltas injustificadas correspondente à tabela
acima.

Faltas Injustificadas no Dias de Descanso (gozo de Dias de Abono


Período Aquisitivo férias) Férias Pecuniário
Até 5 faltas 30 dias corridos 20 dias 10 dias
De 6 a 14 faltas 24 dias corridos 16 dias 8 dias
De 15 a 23 faltas 18 dias corridos 12 dias 6 dias
De 24 a 32 faltas 12 dias corridos 8 dias 4 dias

Critério de Faltas a Considerar na Proporção de Férias

As faltas não justificadas se computam individualmente, não se somando o


desconto do DSR, nem se somam horas de atraso quebradas ou meio-período.

Isto para não haver a dupla penalidade ao empregado, ou seja, uma vez, por
ocasião do desconto do repouso DSR durante o ano e outra vez para computar o
desconto na proporcionalidade de férias. Por inexistência de previsão legal, as horas
quebradas ou meio-período também não podem ser considerados dias inteiros ou
“somados” a outros períodos de ocorrências semelhantes.

Exemplo 1:

Empregado faltou na segunda-feira, sem motivo justificado. Em decorrência,


perdeu o DSR da semana correspondente. Para fins de cálculo das faltas não justificadas
para cômputo do direito de férias, conta-se 1 (um) dia e não 2 (dois).

Exemplo 2:

O empregado atrasou-se ½ hora, sem justificativa, na terça-feira, trabalhando o


período remanescente. Em decorrência, perdeu o DSR da semana e sofreu o desconto
proporcional do período de atraso. Para fins de cálculo das faltas não justificadas para
cômputo do direito de férias, não se descontará como falta tal evento.

Perda do Direito

Perderá o direito a férias o empregado que, no curso do período aquisitivo:

• deixar o emprego e não for readmitido dentro de 60 (sessenta) dias subseqüentes


à sua saída;
• permanecer em gozo de licença, com percepção de salários, por mais de 30
(trinta) dias

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 259


Assistente Administrativo

• deixar de trabalhar, com percepção do salário por mais de 30 (trinta) dias em


virtude de paralisação parcial ou total dos serviços da empresa. Neste caso a
empresa comunicará ao órgão local do Ministério do Trabalho, com antecedência
mínima de 15 dias, as datas de início e fim da paralisação total ou parcial dos
serviços da empresa, e, em igual prazo, comunicará, nos mesmos termos, ao
sindicato representativo da categoria profissional, bem como afixará aviso nos
respectivos locais de trabalho; e
• tiver percebido da Previdência Social prestações de acidente do trabalho ou de
auxílio-doença por mais de 6 (seis) meses, embora descontínuos.

A interrupção da prestação de serviços deverá ser anotada na Carteira de


Trabalho e Previdência Social.

Época da Concessão

A época da concessão das férias corresponderá ao melhor período de interesse


do empregador, salvo as exceções.

O início das férias não poderá coincidir com sábado, domingo, feriado ou dia de
compensação de repouso semanal, conforme Precedente Normativo TST 100, adiante
reproduzido:

Apesar de a concessão ser na época de melhor interesse do empregador, este


deverá conceder as férias no prazo máximo de 12 (doze) meses subseqüentes à data em
que o empregado tiver adquirido o direito.

Se o empregador não conceder as férias com término de gozo até 19.03.2009


(quando vence o 2º período aquisitivo), resta-lhe a obrigação do pagamento em dobro dos
dias que ultrapassar o término do período concessivo. Maiores detalhes acesse o tópico
Férias em dobro.

Portanto, somente na situação de afastamento por mais de 6 (seis) meses no


período seguinte ao adquirido, é que o período concessivo poderá se estender por mais
de 12 (doze) meses a contar do vencimento do 1º período, já que o afastamento ocorreu
alheio à vontade do empregador, e este não poderá ser penalizado por tal ocorrência.

Exceções

O empregado estudante, menor de 18 (dezoito) anos, terá direito a fazer coincidir


suas férias com as férias escolares.

Os membros de uma família, que trabalharem no mesmo estabelecimento ou


empresa, terão direito a gozar férias no mesmo período, desde que não haja prejuízo para
o serviço.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 260


Assistente Administrativo

Fracionamento do Período

As férias deverão ser concedidas por ato do empregador, em um só período,


durante o período concessivo.

Apenas em casos excepcionais as férias poderão ser concedidas em 2 (dois)


períodos, um dos quais não poderá ser inferior a 10 (dez) dias corridos.

Menores de 18 Anos e Maiores de 50 Anos

É proibido ao empregador fracionar o período de férias dos empregados menores


de 18 (dezoito) anos e maiores de 50 (cinqüenta) anos.

Abono Pecuniário

O empregado tem a faculdade de converter 1/3 (um terço) do período de férias em


abono pecuniário. O abono de férias deverá ser requerido até 15 (quinze) dias antes do
término do período aquisitivo. Após este prazo, caberá ao empregador aceitar ou não a
solicitação do empregado de converter 1/3 do seu direito em abono pecuniário.

Prazo para Pagamento

O pagamento das férias, do adicional de 1/3 (um terço) constitucional e do abono


pecuniário deverá ser feito até dois dias antes do início do período de férias. Neste
momento, o empregado dará quitação do pagamento, em recibo, no qual deverão constar
as datas de início e término do respectivo período.

O pagamento das férias dois dias antes do início visa possibilitar ao empregado
usufruir do descanso com a devida suficiência econômica. O entendimento quanto a este
prazo, conforme a própria legislação estabelece, não está vinculado diretamente a dois
dias úteis e sim, disponibilizar os valores devidos (seja por depósito, cheque ou dinheiro)
dois dias de antecedência ao início do gozo.

Exemplo:

Podemos exemplificar este entendimento demonstrando a situação do empregado


mensalista que compensa o sábado e que sairá de férias em 10.09.2007:

Data início férias: 10.09.2007 (segunda-feira)


Prazo de 2 dias antes do início gozo: 08.09.2007 (sábado)
Feriado Nacional: 07.09.2007 (sexta-feira)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 261


Assistente Administrativo

Adiantamento da 1ª Parcela do 13º Salário

Fazem jus ao adiantamento da primeira parcela do 13º salário os empregados que


gozarem férias a partir do mês de fevereiro do correspondente ano.

O empregado que quiser receber a primeira parcela do 13º salário deverá requerê-
la no mês de janeiro do ano correspondente.

Empregados Com Menos De 12 Meses De Serviço

O empregado só fará jus às férias após cada período completo de 12 meses de


vigência do contrato de trabalho. Se o mesmo solicitar dispensa antes deste período, na
rescisão contratual não receberá qualquer verba a título de férias, salvo Convenção ou
Acordo Coletivo em contrário.

Entretanto, o Enunciado 261 do TST, reformulado pela Resolução 121/2003 (DOU


19.11.2003), assim dispõe:
“O empregado que se demite antes de completar 12 (doze) meses de serviço tem direito
a férias proporcionais.”

Portanto, apesar de constar da CLT o não direito á percepção de férias


proporcionais, no pedido de demissão pelo empregado com menos de 12 meses de
serviço, os tribunais trabalhistas, baseados na Convenção 132 da OIT (ratificada pelo
Brasil através do Decreto 3.197/1999), reconhecem este direito.
Caso for demitido, terá direito ás férias proporcionais.

Quando se tratar de férias coletivas, que acarrete paralisação das atividades da


empresa ou de determinados estabelecimentos ou setores da mesma, os empregados
que não completaram ainda o período aquisitivo ficam impedidos de prestar serviços.

Assim, o artigo 140 da CLT estabelece que os empregados contratados há menos


de 12 meses gozarão, na oportunidade, férias proporcionais ao tempo de serviço,
iniciando-se, então, novo período aquisitivo.

Adicional de Insalubridade e Periculosidade

A Constituição Federal, em seu art. 7º, inciso XVII, assegura o gozo de férias
anuais com, pelo menos, um terço a mais do salário normal (1/3 constitucional).

Os adicionais de insalubridade e de periculosidade serão base para cálculo da


remuneração das férias assim como do acréscimo constitucional de 1/3.

Como o cálculo, tanto de um quanto de outro adicional, é sobre valores fixos, na


época de concessão das férias, basta aplicar o respectivo percentual e acrescentar ao
salário para compor a remuneração para cálculo de férias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 262


Assistente Administrativo

O pagamento mensal de ambos os adicionais devem ser feitos integralmente,


independentemente do tempo de exposição, salvo previsão de pagamento proporcional
ao tempo de exposição em acordo ou convenção coletiva de trabalho.

No entanto e por analogia à lei, poderia se entender que no caso das férias, este
pagamento seria proporcional ao tempo de recebimento do adicional durante o período
aquisitivo.

Assim, poderíamos fazer a seguinte análise para pagamento do adicional de


insalubridade ou periculosidade nas férias:

Período Aquisitivo Adicional Mês das Recebe Adicional nas Férias


(Início e término) Início Término Férias (insalubridade ou periculosidade)
Não
1º) mar/05 a fev/06 abril/06
(pois não recebeu adicional no per. aquisitivo)
Sim
2º) mar/06 a fev/07 Out/06 → abril/07
(recebe adic. proporcional de 6 meses → out/06 a fev/07)
Sim
3º) mar/07 a fev/08 → → abril/08
(recebe adicional integral)
Sim
4º) mar/08 a fev/09 → Nov/08 abril/09
(recebe proporcional de 9 meses → mar/08 a nov/08)
Não
5º) mar/09 a fev/10 abril/10
(pois não recebeu adicional no per. aquisitivo)

Nota:

a) no 2º período aquisitivo o empregado teria direito a receber somente 6/12 avos


de adicional, que foi o número de meses trabalhados em atividade (insalubre ou
periculosa) durante o período aquisitivo.

b) o empregado gozou as férias referente ao 4º período aquisitivo somente em


abril/09 quando já não recebia, mensalmente, o adicional. No entanto, teria direito a
receber 9/12 avos de adicional nas férias, já que este foi o número de meses trabalhados
em atividade (insalubre ou periculosa) durante este período aquisitivo.

Esta seria uma forma de pagar os adicionais em razão do tempo em que o


empregado ficou exposto à condição de risco, pois se considerar os adicionais somente
na data de saída de férias, um empregado que após ter trabalhado durante todo o período
aquisitivo em condição insalubre ou periculosa, mas que no mês de saída de férias já não
recebe o adicional por ter sido transferido de atividade, não terá na remuneração total das
férias o reflexo da atividade de risco desempenhada.

Insalubridade - Pagamento nas Férias

O adicional de insalubridade deve fazer base para cálculo da remuneração das


férias. Como o cálculo é sobre um valor pré-determinado, salário básico ou normativo,
basta aplicar o percentual respectivo ao valor pré-determinado para somar ao salário e
calcula as férias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 263


Assistente Administrativo

A legislação especifica que o direito ao recebimento do adicional de insalubridade


cessará com a eliminação do risco à saúde ou integridade física, nos termos das normas
expedidas pelo Ministério do Trabalho.

Periculosidade – Pagamento nas férias

O adicional de periculosidade, assim como o de insalubridade, o adicional noturno,


horas extra e etc., também devem fazer base para cálculo da remuneração das férias.
Como o cálculo é sobre o salário base, basta aplicar o percentual respectivo para somar
ao salário e calcular as férias.

O direito ao recebimento do adicional de periculosidade cessará com a eliminação


do risco à saúde ou integridade física, nos termos das normas expedidas pelo Ministério
do Trabalho.

Remuneração das férias:

Descrição Vencimentos Descontos


Férias normais (24 dias) (1.650 ÷ 30 x 24) R$ 1.320,00
Adicional Periculosidade sobre férias (24 dias) (1.650 x R$ 396,00
30% ÷ 30 x 24)
1/3 adicional constitucional (R$1.320 + 396 ÷ 3) R$ 572,00
Inss - considerando tabela vigente (base: 2.288 x (%)) R$
Irrf - considerando tabela vigente (base: 2.036,32 x (%) - R$
parcela a deduzir)
Sub-totais R$ 2.288,00 R$
Total líquido de férias R$

Férias - Abono Pecuniário

Abono pecuniário é a conversão em dinheiro, de 1/3 (um terço) dos dias de férias
a que o empregado tem direito. É uma opção ao empregado, independente da
concordância do empregador, desde que requerido no prazo estabelecido na legislação
trabalhista.

Conversão e Abono

Se o empregado tem direito a 30 dias de férias, poderá converter 10 dias em


dinheiro e gozar 20 dias de férias.

Caso o direito seja de 24, 18 ou 12 dias, o empregado poderá converter 8, 6 ou 4


dias em abono pecuniário e gozará 16, 12 ou 8 dias de férias, respectivamente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 264


Assistente Administrativo

Prazo de Requerimento

O empregado que desejar converter 1/3 (um terço) de suas férias em abono
pecuniário deverá requerê-lo ao empregador, por escrito, até 15 (quinze) dias antes do
término do período aquisitivo.

Quando o requerimento do abono pecuniário de férias ocorrerem após o prazo


legal, ao empregador é facultado atender ou não o pedido.

Férias Coletivas

No caso de férias coletivas, a conversão de 1/3 (um terço) das férias em abono
pecuniário deverá ser objeto de acordo coletivo entre o empregador e o sindicato
representativo da respectiva categoria profissional, não importando a vontade individual
do empregado, mesmo que tenha requerido a conversão na época oportuna.

Valor do Abono

O valor do abono pecuniário deve ser calculado sobre a remuneração das férias já
acrescidas do terço constitucionalmente garantido.

Recibo de Pagamento do Abono

O valor correspondente ao abono pecuniário deverá constar do recibo de férias, na


rubrica própria.

Prazo de Pagamento

O abono pecuniário deverá ser pago juntamente com a remuneração das férias,
até 2 (dois) dias antes do início do período de fruição das férias.
Contudo, os dias trabalhados em parte do mês de concessão das férias, quando for o
caso, deverão ser quitados no prazo previsto na legislação trabalhista para pagamento de
salários ou em norma coletiva da categoria, quando mais favorável.

Férias em Dobro

Quando ocorrer pagamento em dobro, face à não concessão das férias no prazo
legal, o abono pecuniário também será em dobro, tendo em vista que a base de cálculo é
a remuneração das respectivas férias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 265


Assistente Administrativo

Encargos Sociais

Sobre o valor do abono pecuniário de férias não há incidência de contribuição


previdenciária e FGTS.
Todavia, o abono deverá ser adicionado à remuneração das férias para cálculo do
Imposto de Renda na Fonte.

Férias Coletivas

São férias coletivas as concedidas, de forma simultânea, a todos os empregados


de uma empresa, ou apenas aos empregados de determinados estabelecimentos ou
setores de uma empresa, independentemente de terem sido completados ou não os
respectivos períodos aquisitivos.

Época da Concessão

As férias coletivas serão gozadas na época fixada em acordo ou convenção


coletiva de trabalho. Não havendo tal previsão, cabe ao empregador a adoção do regime
e a determinação da época de sua concessão.

Fracionamento

As férias coletivas podem ser gozadas em 2 (dois) períodos anuais desde que
nenhum deles seja inferior a 10 (dez) dias corridos.

Requisitos para a Concessão

As empresas, inclusive as microempresas, para concederem férias coletivas


deverão observar as determinações da legislação trabalhista.

O empregador deverá:
Comunicar ao órgão local do Ministério do Trabalho, com antecedência mínima de 15
(quinze) dias, as datas de início e fim das férias;

Nota: As microempresas e as empresas de pequeno porte (Lei Complementar 123/2006)


são dispensadas da comunicação ao Ministério do Trabalho e Emprego sobre a
concessão de férias coletivas.

• Indicar os departamentos ou setores abrangidos;


• Enviar, no prazo de 15 (quinze) dias, cópia da comunicação aos sindicatos da
categoria profissional; e
• Comunicar aos empregados com antecedência mínima de 15 (quinze) dias,
mediante a afixação de aviso nos locais de trabalho, a adoção do regime, com as
datas de início e término das férias e quais os setores e departamentos
abrangidos.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 266


Assistente Administrativo

MODELOS DE COMUNICAÇÃO

Comunicação à DRT

Ilmo. Sr.
Delegado Regional do Trabalho no Estado de ...........

Ref.: CONCESSÃO DE FÉRIAS COLETIVAS

(nome da empresa), com sede na Rua .............nº.....nesta cidade, inscrita no CNPJ nº .......Inscrição
Estadual nº ............, em atendimento ao disposto no artigo 139, § 2º, da CLT, comunica que no período de
...../...../..... a ...../...../..... concederá férias coletivas a (discriminar se a todos os empregados ou quais os
setores ou departamentos, se parcial).

Cidade-UF, ...... de...................de ..........

_______________________________
carimbo e assinatura da empresa

Comunicação ao Sindicato

Enviar cópia da comunicação remetida ao órgão local do Ministério do Trabalho


para o Sindicato dos trabalhadores da categoria.

Aviso Aos Empregados das Férias Coletivas

AVISO

Em atendimento ao disposto no parágrafo 3º do artigo 139 da CLT, comunicamos que a empresa


concederá férias coletivas a (discriminar quem está abrangido pela medida) no período de ..../..../.... a
..../..../.....

......................,..... de ............ de ........

________________________________
carimbo e assinatura da empresa

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 267


Assistente Administrativo

Período aquisitivo de empregado com mais De 12 meses de serviço

Os empregados com mais de um ano de serviço não têm seu período aquisitivo
alterado.

Desta forma, uma vez que o empregado já tem direito ao período aquisitivo
completo, a concessão de férias coletivas para esses empregados dará quitação total se
estas forem de 30 (trinta) dias.

Caso as férias coletivas seja um número de dias inferior a 30 (trinta), acarretará


um saldo positivo em favor do empregado que pode ser concedido como novo período de
coletivas ou como férias individuais, observando o prazo do período concessivo.

Adicional de 1/3 constitucional sobre as férias

O adicional de 1/3 sobre as férias é um direito atribuído aos trabalhadores


empregados pela Constituição Federal de 1988.

O referido adicional é calculado sobre a remuneração das férias, inclusive abono


pecuniário, e pago juntamente com as mesmas.

Anotações

No momento da concessão das férias coletivas, o empregador deverá proceder as


anotações devidas na Carteira de Trabalho e Previdência Social e no Livro ou Ficha de
Registro de Empregados.

Carteira de Trabalho e Previdência Social

A legislação trabalhista determina que o empregado deverá apresentar a sua


Carteira de Trabalho ao empregador antes de entrar em gozo de férias, para que seja
anotada a respectiva concessão.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 268


Assistente Administrativo

Aposição de Carimbo ou Etiqueta Gomada

Quando o número de empregados contemplados com as férias coletivas for


superior a 300 (trezentos), a empresa poderá realizar as anotações mediante carimbo o
uso de etiquetas gomadas, autenticadas pelo empregador ou seu representante legal,
conforme modelo abaixo:

FÉRIAS COLETIVAS
Início: ____ / ______ / _______
Término: ____ / ______ / _______
Estabelecimento:
_____________________
Setor
_____________________________
_______________________________
carimbo e assinatura da empresa

NOTA: A portaria nº. 3.626/91, além de outras providências, dispõe, no capítulo III, sobre
as anotações na CTPS e revoga a Portaria 3.560/79, que havia aprovada o carimbo para
anotações de férias coletivas para as empresas com mais de 300 empregados. Com a
nova portaria, o empregador poderá fazer as anotações através do uso de etiquetas
gomadas ou ainda, através da adoção de ficha impressa contendo identificação e
assinatura do empregador. Maiores detalhes veja Port. MTB 3.626/91 de 13.11.1991.

Registro de Empregados

Quando da concessão das férias, o empregador deverá efetuar, também, a


anotação devida no Livro ou Ficha de Registro de Empregados.

Férias em dobro

Conforme o Art. 137 da CLT, o empregador que não conceder férias ao


trabalhador após o período aquisitivo no que trata o Art. 134 da CLT, estará sujeito ao
pagamento das férias em dobro.

As férias pagas em dobro não têm incidência de INSS e FGTS. O IRRF deve ser
calculado junto com o restante das férias. Exemplo:

● Salário-base: R$1.630,00
● Férias (30 dias) + 1/3: R$1.630,00+R$543,33 = R$2.173,33 (descontar o INSS)
● Férias em dobro + 1/3: R$1.630,00 + R$543,33 = R$2.173,33 (não descontar INSS)
● INSS das férias + 1/3: R$239,07 (2.173,33 x 11% = R$239,07)
● IRRF das férias: (base de cálculo R$4.107,59): R$580,77
Base de cálculo = Férias (30 dias) + 1/3 + Férias em dobro + 1/3 – INSS descontado
(R$2.173,33 + R$2.173,33 – R$239,07 = R$4.107,59)
● Líquido a receber: R$3.526,82 (2.173,33 + 2.173,33 – 239,07 – 580,77)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 269


Assistente Administrativo

Incidências

Tabela de incidência sobre o cálculo de férias

ITENS INSS IRRF FGTS


Valor de Férias Sim Sim Sim
1/3 Constitucional de Férias Sim Sim Sim
Abono Pecuniário Não Não Não
1/3 Abono Pecuniário Não Não Não
Adicionais Sim Sim Sim
13º Salário Não Não Sim

Exemplo do recibo de Férias

Recibo de Férias
Registro Nome Setor CTPS/SÉRIE/UF
Cargo: CPF:
Aquisição: ___/___/____ a ___/___/____ Gozo: ___/___/____ Remuneração: R$______

Férias (30 dias) R$880,00


Integração de férias R$110,00
1/3 Constitucional de férias R$330,00
INSS (9%) R$118,80
Líquido a receber R$1.201,20

Recebi da empresa Sei Lá Ltda. a importância líquida de R$1.201,20 (um mil, duzentos e um
Reais e vinte centavos) conforme demonstrativo acima, referente a 30 dias de férias.

São Paulo, 01 de abril de 2008.

__________________________
Joana Prado

Base de cálculo FGTS/Férias: R$1.320,00 FGTS/Férias: R$105,60

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 270


Assistente Administrativo

Outra oportunidade que o Departamento de Pessoal tem para orientar o


trabalhador é no momento do pagamento das férias.

Na maioria das vezes o trabalhador não entende que férias significam:


“antecipação de salário” e que se refere aos respectivos dias de descanso. Quando ele
recebe a quantia antecipada, normalmente dispõe para suas necessidades pessoais, sem
se preocupar com a próxima folha de pagamento.

Exemplo:

O trabalhador saiu de férias no primeiro dia do mês e descansou 30 dias. Neste


caso, na Folha de Pagamento constará apenas os valores referentes aos eventos de
férias e nada mais.

Exemplo:
Demonstrativo de Pagamento

Nome da empresa:
Endereço: CNPJ: Mês: ____/_____
Código Nome do funcionário Cargo Local Dep Setor Seção
Descrição Ref. Vencimentos Descontos
Férias 880,00
Integração de férias 110,00
1/3 Constitucional de férias 330,00
INSS 118,80
Férias recebidas 1.201,20

Total de Vencimentos Total de Descontos


1.320,00 1.320,00
Líquido a receber
Salário-Base Sal. Contribuição Base Cal. FGTS FGTS do mês Base Calc. IRRF
880,00 1.320,00 1.320,00 105,60 -

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 271


Assistente Administrativo

No caso em que as Férias do trabalhador seja compreendida em dois meses, a


Folha de Pagamento será elaborada levando em consideração cada mês de referência.

Exemplo:

Recibo de Férias
Registro Nome Setor CTPS/SÉRIE/UF
Cargo: CPF:
Aquisição: 01/02/2005 a 31/03/2006 Gozo: 10/04/2006 a 09/05/2006 Remuneração:
R$1.200,00

Férias (21 dias de descanso em abril) R$840,00


Férias (9 dias de descanso em maio) R$360,00
1/3 Constitucional de férias R$400,00
INSS (9%) R$144,00

Líquido a receber R$1.456,00

Recebi da empresa Sei Lá Ltda. a importância líquida de R$1.456,00 (um mil, quatrocentos e
cinqüenta e seis Reais) conforme demonstrativo acima, referente a 30 dias de férias.

São Paulo, 01 de abril de 2008.

__________________________
Joana Prado

Base de cálculo FGTS/Férias: R$1.600,00 FGTS/Férias: R$128,00

Na Folha de Pagamento de abril, o trabalhador receberá 9 dias trabalhados e o


lançamento dos 21 dias de férias.

Os valores referentes a 1/3 Constitucional e INSS são informados no mês do


efetivo pagamento.

Na Folha de Pagamento de maio, o trabalhador receberá 21 dias trabalhados e o


lançamento dos 9 dias de férias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 272


Assistente Administrativo

Exemplos de cálculos:

1) Empregado com direito a 30 dias de férias e salário mensal de R$ 1.320,00, gozará 20


dias de férias, tendo em vista que converteu 1/3 das férias em abono pecuniário.

2) Empregado com direito a 18 dias de férias e salário mensal de R$ 1.600,00, gozará 12


dias de férias, tendo em vista as 16 (dezesseis) faltas injustificadas no período aquisitivo e
a conversão de 1/3 das férias em abono pecuniário.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 273


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Qual é o período aquisitivo do trabalhador que é admitido nas seguintes datas:

a) 16 de março de 2005

_______________________________________________________________

b) 20 de setembro de 2004

________________________________________________________________

c) 1º de fevereiro de 2006

________________________________________________________________

d) 1º de outubro de 2005

________________________________________________________________

2. O trabalhador solicitou a conversão das férias em abono pecuniário. Ele teve 13


faltas injustificadas. Qual será o número de dias de férias e de abono pecuniário?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
____________________________________________________________

3. Qual é o prazo mínimo que o empregador deve comunicar as férias ao


trabalhador?
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 274


Assistente Administrativo

Rescisão contratual

O contrato de trabalho extingue-se de modo normal, através de sua execução ou


de modo anormal, através da dissolução. A dissolução ocorre pelos seguintes modos:
Resolução, quando ocorrem inexecução faltosa, a existência de cláusula resolutiva ou
força maior; Resilição quando de comum acordo entre as partes, ou de iniciativa de uma
das partes, e a Rescisão, propriamente dita, que se verifica nos casos de nulidade. Estas
são considerações técnicas não adotadas pela CLT. Nela encontramos a expressão
Rescisão para os diversos modos de extinção do CT.

Adotaremos, neste Capítulo, a terminologia da CLT, empregando a expressão


Rescisão para as diversas hipóteses de desligamento.

Hipóteses de Extinção Contratual

Para tratarmos de qualquer Rescisão Contratual, há três verificações básicas a


serem feitas:

1) Se o contrato é por prazo determinado ou indeterminado;


2) Em sendo por prazo determinado, se é regido pelo Artigo 443, §2° da CLT, ou pela
Lei n° 9.601/98;
3) Se o contrato de trabalho vigora há mais ou menos de 01 (um) ano, e
4) O motivo da rescisão.

Advertência Disciplinar Verbal

Consiste em coletar informações necessárias sobre os fatos, analisar a sua


gravidade em relação ao planejamento da equipe de trabalho e da própria empresa e
chamar o trabalhador para uma “conversa”, na qual se esclareçam pontualmente os
motivos da advertência disciplinar verbal e se informe que numa reincidência, ou seja, se
o ato for repetido, ele pode receber punições mais severas (Art. 482 da CLT).

O importante é que o superior imediato do trabalhador seja a pessoa a aplicar a


advertência, pois facilita o entendimento por ser o maior interessado na manutenção da
relação de emprego.

Advertência Disciplinar por Escrito

Na reincidência do ato abusivo ou de maior gravidade de acordo com o


entendimento da empresa, o empregador deve formalizar por meio de documento uma
advertência disciplinar, na qual se descrevem as características do ato, seus reflexos e o
enquadramento em um dos itens do Art. 482 da CLT.

O documento, assinado e reconhecido pelo trabalhador, é arquivado no prontuário


do trabalhador no Departamento de Pessoal e servirá como histórico para análises
futuras. Neste caso de formalidade, o Departamento de Pessoal é o aplicador da
advertência disciplinar por escrito.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 275


Assistente Administrativo

Caso o trabalhador não queira assinar o documento, o empregador pode identificar


duas testemunhas que o assinarão pelo reconhecimento do ato, em decorrência da
negativa por parte do trabalhador.

Suspensão Disciplinar do Trabalho

Dependendo da gravidade do ato praticado e depois de analisar a relação de


emprego, o empregador pode suspender o funcionário do trabalho por prazo determinado
e permitir também o não-pagamento da sua remuneração neste período (Art. 474 da
CLT).

Situações como esta fazem as empresas repensarem sobre a recuperação do


trabalhador ou não. Em muitos casos, o funcionário perde o seu posto de trabalho por não
conhecer o esforço das empresas em tentar a correção de certos conflitos existentes
entre as partes.

Verbas Resisórias

Após a verificação das condições da rescisão, serão determinados os direitos decorrentes


de acordo com cada caso:

a) Aviso Prévio (Inciso XXI do Artigo 7° da CF/88 e 481 e 487 e segs. da


CLTS);
b) Indenização (Artigo 9° da lei n° 7.238/84);
c) Indenização Artigo 479 da CLT;
d) Saldo de salário (Artigos 3° e 457 da CLT);
e) Adicionais (§1° do Artigo 457 da CLT);
f) f) * FGTS 8% (Artigo 9° do Decreto n ° 99.684/90, com redação dada
pelo Decreto n° 2.430/97);
g) g)** FGTS 2%, além do estabelecido em Acordo ou Convenção Coletiva
de Trabalho (Inciso II e
h) Parágrafo Único do Artigo 2° da Lei n 9.601/98);
i) FGTS 40% (§§1° e 3° do Artigo 9° do Decreto n° 99.684/90, com redação
dada pelo Decreto n° 2.430/97);
j) Salário-família (Artigo 79 e segs. do Decreto n° 2.172/97 e OS n° 48/92);
k) Férias vencidas e/ou proporcionais (Artigo 146 da CLT, Enunciado 261 do
TST);
l) 1/3 sobre férias (Inciso XVII do Artigo 7° da CF/88);
m) 13° salário (Decreto n° 57.155/65); e
n) Outros decorrente de acordos, convenções ou sentenças normativas.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 276


Assistente Administrativo

Contrato por Prazo Indeterminado

Dispensa sem justa causa


Menos de um ano Mais de um ano
Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
Aviso Prévio (indenizado ou trabalhado) Aviso Prévio (indenizado ou trabalhado)
Férias proporcionais com adicionais Férias vencidas com adicionais
13º salário proporcional com adicionais Férias proporcionais com adicionais
FGTS – mês anterior (depositado) 13º salário proporcional com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) FGTS – mês anterior (depositado)
Multa rescisória (depositado) FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (saque dos depósitos) Multa rescisória (depositado)
Seguro-desemprego FGTS (saque dos depósitos)
Seguro-desemprego

Dispensa com justa causa


Menos de um ano Mais de um ano
Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
FGTS – mês anterior (depositado) Férias vencidas com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) FGTS – mês anterior (depositado)
FGTS (não poderá sacar) FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (não poderá sacar)

Pedido de Demissão
Menos de um ano Mais de um ano
Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
13º salário proporcional com adicionais Férias vencidas com adicionais
FGTS – mês anterior (depositado) Férias proporcionais com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) 13º salário proporcional com adicionais
FGTS (não poderá sacar FGTS – mês anterior (depositado)
FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (não poderá sacar

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 277


Assistente Administrativo

Contrato por Prazo Determinado

Dispensa sem justa causa antes do término


Menos de um ano Mais de um ano
Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
Férias proporcionais com adicionais Férias vencidas com adicionais
13º salário proporcional com adicionais Férias proporcionais com adicionais
FGTS – mês anterior (depositado) 13º salário proporcional com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) FGTS – mês anterior (depositado)
Indenização do Art. 479 da CLT) FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (saque dos depósitos) Indenização do Art. 479 da CLT)
FGTS (saque dos depósitos)

Dispensa com justa causa


Menos de um ano Mais de um ano
Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
FGTS – mês anterior (depositado) Férias vencidas com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) FGTS – mês anterior (depositado)
FGTS (não pode sacar) FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (não pode sacar)

Término do contrato por prazo determinado (no prazo)


Saldo de salário
Adicionais
Salário-família proporcional
Férias proporcionais com adicionais
Férias vencidas (contratos com prazo superior a 1 ano)
13º salário proporcional com adicionais
FGTS – mês anterior (depositado)
FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (saque dos depósitos)

Morte

Menos de um ano Mais de um ano


Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
Férias proporcionais com adicionais Férias vencidas com adicionais
13º salário proporcional com adicionais Férias proporcionais com adicionais
FGTS – mês anterior (depositado) 13º salário proporcional com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) FGTS – mês anterior (depositado)
FGTS (saque dos depósitos por FGTS – da rescisão (depositado)
representante legalmente identificado) FGTS (saque dos depósitos por
representante legalmente identificado)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 278


Assistente Administrativo

Aposentadoria

Menos de um ano Mais de um ano


Saldo de salário Saldo de salário
Adicionais Adicionais
Salário-família proporcional Salário-família proporcional
13º salário proporcional com adicionais Férias vencidas com adicionais
FGTS – mês anterior (depositado) Férias proporcionais com adicionais
FGTS – da rescisão (depositado) 13º salário proporcional com adicionais
FGTS (saque dos depósitos) FGTS – mês anterior (depositado)
FGTS – da rescisão (depositado)
FGTS (saque dos depósitos)

Aviso Prévio

Direito e Finalidade

O Aviso Prévio é direito assegurado pelo Artigo 7°, XXI, da CF/88 a todos os
empregados urbanos e rurais, inclusive aos domésticos e regulado pelos Artigos 487 e
seguintes da CLT.

É concedido nos contratos por prazo indeterminado ou determinado que


contenham a cláusula assecuratória de direito recíproco de rescisão (Artigo 481 da
CLT. Ver subitem VIII.2.8, infra), pela parte que, sem justo motivo, quiser rescindir o
contrato de trabalho.

Possibilita ao empregado a procura de novo emprego e ao empregador


oportunidade de contratar outro empregado para a função.

Prazo

Em qualquer caso, o prazo mínimo é de 30 (trinta) dias.

A Constituição Federal prevê aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, a ser,


ainda, regulamentado, através de Lei.

Alguns acordos, convenções e sentenças normativas prevêem aviso prévio em


prazo superior a 30 (trinta) dias.

Formas

Durante o prazo do aviso prévio, há vigência normal do contrato.


Consequentemente, trabalho e salário.

A ausência do AP obriga a parte a indenizar o período correspondente.

Por isso se diz que o aviso prévio pode ser trabalho ou indenizado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 279


Assistente Administrativo

Conforme a própria nomenclatura, trata-se de uma comunicação antecipada pela


qual a parte manifesta sua intenção de rescindir o CT, findo o prazo de 30 (trinta) dias.
Até então, o contrato flui normalmente.

Exemplo:

Empresa comunica em 15.03 que o contrato será rescindido findo o prazo de 30


(trinta) dias, contados do dia 16.03, encerrando-se em 14.04, data da rescisão. Porém,
pode ocorrer que a empresa, em 15.03, demita o empregado, sem concessão de AP .
Neste caso, a demissão é imediata, o período do AP será indenizado na rescisão, cuja
data será o próprio dia da comunicação da dispensa, ou seja, dia 15.03.

Redução da Jornada de Trabalho Durante o Aviso Prévio

Nos casos em que a rescisão contratual é de iniciativa do empregador, a jornada


de trabalho do empregado, durante o AP, é reduzida em 02 (duas) horas diariamente,
sem prejuízo da remuneração.

Essa redução dar-se-á no início, meio ou final da jornada, a critério das partes.

Exemplo:

Empregado com jornada diária de 7h, trabalhará durante o AP apenas 5h por dia,
sem prejuízo de sua remuneração. É facultado ao empregado optar por faltar 07 (sete)
dias corridos, reduzindo, assim, o prazo do AP para 23 dias (sem prejuízo da
remuneração).

Exemplo:

- Empregado com AP trabalhado no período de 07.06 a 06.07 opta por faltar 07 (sete)
dias corridos. Trabalhará, então, até o dia 29.06.
- Tal redução dar-se-á no início, meio ou final do período do AP, a critério das partes.
- Observa-se que o empregador não poderá substituir as reduções acima prescritas
por horas extras, compensações, sob pena de ilegalidade, na forma do Enunciado n°
230 do TST.

Integração no Tempo de Serviço

Trabalhado o AP, o contrato vigora normalmente para todos os efeitos trabalhistas


e previdenciários. Nesse período o empregado recebe salário normal, e se faltar, será
descontado dos dias respectivos. O direito a férias e 13° salário será computado até o
último dia trabalhado.

Quando a empresa indeniza o período de AP, este computar-se-á para todos os


efeitos trabalhistas. Assim, as verbas trabalhistas devidas por ocasião de rescisão, serão
apuradas até o final da projeção dos 30 (trinta) dias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 280


Assistente Administrativo

Exemplo:

Empregado admitido em 10.09 e demitido, sem justa causa, com API em 08.08 do
ano seguinte. Os direitos a férias e 13° salário serão computados até 07.09, embora a
data da rescisão seja 08.08.

Aumentos Salariais no Curso do Aviso Prévio

A remuneração base para efeitos de rescisão é a última vigente, a maior. É o


último salário vigente integrado pelos adicionais que o empregado tenha direito. Assim:

1) Aviso Prévio Trabalhado

Quando o trabalhador cumpre o período trabalhando. Se for por iniciativa do


empregador, o trabalhador tem direito a reduzir o tempo do aviso prévio:

Sete dias corridos, ou duas horas diárias (conforme negociação entre as partes, sem
que acarrete perda salarial em ambos os casos.

2) Aviso Prévio Indenizado

Quando o empregador decidir que o trabalhador não deve cumprir o período legal
de aviso prévio trabalhando (30 dias ou 220 horas – Art. 487 a 491 da CLT), ele
indenizará o trabalhador com o valor correspondente ao período.

Exemplo:

Salário-base + média dos adicionais que integram o salário recebidos nos últimos 12
meses = valor a pagar

- Cálculo:

 Horista: salário-hora x 220h + média dos adicionais = valor a pagar


R$10,00 x 220h + R$300,00 = R$2.500,00

 Mensalista: salário-mês + média dos adicionais = valor a pagar


R$1.200,00 + R$300,00 = R$1.500,00

Nota: Em se tratando de pedido de demissão, sem cumprimento do AP, o empregado


será descontado do salário referente ao período, na forma do §2° do Artigo 487 da CLT,
sem, contudo, haver a projeção do mesmo para qualquer fim. Tal projeção para fins de
integração no tempo de serviço do empregado está prevista, tão somente, nos casos
de dispensa pelo empregador (§1° do Artigo 487 da CLT).

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 281


Assistente Administrativo

Incidências Legais Sobre o Aviso Prévio

a) Aviso Prévio Trabalhado

Período em que há percepção normal do salário. Consequentemente, há


incidências normais de INSS, FGTS e IFR (Artigo 214 do Decreto n° 3.048/99; Artigo 27
do Decreto n° 99.684/90 e Decreto nº 3.000/99, respectivamente).

b) Aviso Prévio Indenizado

O API está previsto como parcela que não integra o salário-de-contribuição no §9°
do Artigo 214 do Decreto n° 3.048/99, na Orientação Normativa n° 8/97 e na Circular n°
13/97 do INSS. A Lei n° 8.212/91, originariamente, no §9° do Artigo 28, excluía o API das
parcelas que integram o salário-de-contribuição.

Data do Desligamento

a) Aviso Prévio Trabalhado

A rescisão efetuar-se-á ao final do cumprimento do AP, na qual dar-se-á o efetivo


desligamento do emprego.

b) Aviso Prévio Indenizado

Apesar da sua integração no tempo de serviço, considerar-se-á desligamento o


último dia trabalhado, normalmente quando o empregado é comunicado da demissão.

Indenização Adicional: Artigo 9° Da Lei N° 7.238/84

A Indenização Adicional prevista no Artigo 9° da Lei n° 7.238/84 é devida nos


casos de Rescisão de Contrato de trabalho, sem justa causa, pelo empregador, no
período de 30 (trinta) dias que antecede à data base da categoria sindical a qual
pertence o empregado. Observar-se-ão, para tal, a data do término do Aviso Prévio,
quando cumprido e a data da projeção do Aviso Prévio, quando indenizado.

O valor corresponde ao salário do empregado acrescido dos adicionais


convencionados.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 282


Assistente Administrativo

Indenização do Artigo 479 da CLT na Rescisão Antecipada de Contrato de


Trabalho por Prazo Determinado

Regra Geral

Nos casos de Rescisão antecipada de contrato por prazo determinado, regido pela
§2° do Artigo 443 da CLT, incluindo o de experiênci a, de iniciativa do empregador, este
pagará ao empregado metade do salário dos dias que faltam para o término do prazo,
conforme previsão do Artigo 479 da CLT.

Também, nos casos de iniciativa do empregado, o empregador poderá descontar


deste, no caso de prejuízo pela rescisão antecipada, uma indenização que terá como
limite a indenização prevista no Artigo 479. É o que dispõe o Artigo 480 da CLT.

Naturalmente, esta indenização não exclui as outras verbas rescisórias que o


empregado faça jus, como férias, 13°, FGTS.

Exemplo:

- Empregado em contrato de experiência no período de 01.04 a 10.06


- É demitido em 20.05
- Salário contratual: R$ 2.000,00
- Indenização Artigo 479 da CLT: R$ 720,43

2.000,00 ÷ 31x12
- Porque:  metade de 12 dias em maio = = 387,10
2
 = 387,10
 +
 2.000,00 ÷ 30x10
 metade de 10 dias em junho: = 333,33
 2

Exemplo 2:

- Prazo do contrato de trabalho: 90 dias (de3 01/02/06 a 01/04/06)


- Desligamento: 14/03/06
- Saldo de dias até o término do contrato: 18 dias
- Salário: R$1.200,00

Metade dos 18 dias = 9 dias de indenização complementar

- Cálculo: 1.200,00 ÷ 30 x 9 = R$360,00

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 283


Assistente Administrativo

Saldo de Salário

Os dias trabalhados até a data do desligamento são remunerados normalmente.


Essa remuneração poderá compreender, além do saldo de salário, os demais adicionais a
que o empregado faça jus.

Exemplo:

Considerando-se o Pagamento da Folha no último dia do mês e a data de


desligamento em 18/03. O trabalhador tem direito a 18 dias de saldo de salário, calculado
sobre o seu último salário-base = R$1.200,00.

(salário ÷ dias do mês x nº dias trabalhados)

- Cálculo: 1.200,00 ÷ 30 x 18 = R$720,00.

Parcelas Integrantes da Remuneração: Pagamento em Rescisão

Adicionais

Além do salário, são devidos, em rescisão, os adicionais que integram o salário,


como por exemplo: horas extras, horas extras noturnas, insalubridade, periculosidade,
etc., a que faça jus o empregado, por força de contrato. Esses adicionais são devidos
relativamente aos dias trabalhados.

Exemplo:
- Data da rescisão: 18.05 (APT)
- Data máxima para pagamento da rescisão: 19.05
- Data máxima para pagamento do salário: 07.06
- Horas extras realizadas no período de 01.05 a 18.05: 13h

Serão pagos em rescisão, além de outras verbas pertinentes:


- Saldo de salário: 18 (dezoito) dias (APT)
- Horas extras: 13h

Ambos serão pagos em rescisão, até dia 19.05.

Exemplo:
- Data da rescisão: 24.07 (API)
- Data máxima para pagamento da rescisão: 02.08
- Data máxima para pagamento do salário: 06.08
- Horas noturnas realizadas no período de 01.07 a 24.07: 05h
- Empregado trabalha em atividade de insalubridade

Salários pagos em rescisão, além de outras verbas pertinentes:


- Saldo de salário: 24 (vinte e quatro) dias
- Aviso prévio indenizado: 30 (trinta) dias
- Adicional noturno: referente 05h
- Adicional de insalubridade: proporcional a 24 (vinte e quatro) dias

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 284


Assistente Administrativo

Todas as verbas serão pagas até o dia 02.08.

Integração dos Adicionais nas Verbas Rescisórias

Ao estudarmos os diversos adicionais, verificamos que pela sua natureza salarial,


eles devem ser integrados para o pagamento de Férias, 13° salário e Aviso Prévio.

Também na rescisão contratual, esses adicionais, além de serem pagos


relativamente aos dias trabalhados, integram as demais verbas na forma regulada em Lei
ou em Jurisprudência.

Exemplo:
- Empregado demitido sem justa causa
- Data da rescisão: 30.04 (API)
- Horas extras em abril: 10
- Média horas extras nos últimos 12 (doze) meses: 08 (para integração no API)
- Média HE no ano civil: 05 (para integração no 13° Salário)
- Média HE no período aquisitivo das férias vencidas (para integração nas férias)
- Data máxima para pagamento do salário: 07.05
- Data máxima para pagamento da rescisão: 09.05

Neste exemplo, além do pagamento das HE realizadas no mês, as Férias, o 13°


salário e o API serão integrados pelas médias respectivas, nas formas já estudadas.
Observar-se que quanto ao pagamento do salário e dos adicionais deverá ser respeitado
o prazo 07.05.

Comissões

As comissões, além de integrarem o Aviso Prévio Indenizado, Férias, 13° salário e


outras indenizações, nas formas já estudadas, são também pagas na Rescisão,
observadas as disposições do §1° do Artigo 459, Artigo 466 e §§ da CLT e Lei n°
3.207/57.

FGTS

A Lei n° 9.491/97 - DOU: 10.09.97 alterou o “Caput” e os §§1° e 3° do Artigo 18 e o


Artigo 20 da Lei n° 8.036/90, que trata sobre o FGTS.

Pela nova redação, nos casos de rescisão, por parte do empregador, os valores
referentes ao FGTS (8% ou 2%, referentes ao mês anterior e ao mês da rescisão, e 40%)
devem ser depositados na conta vinculada do trabalhador, através da GRFP, nos
seguintes prazos:

a) até o 1° dia útil imediato ao término do contrat o, ou


b) até o 10° dia, contado da data da notificação da demissão, quando da ausência do
Aviso prévio, indenização do mesmo, ou dispensa de seu cumprimento.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 285


Assistente Administrativo

Hipóteses em que o FGTS, 8% ou 2% (mês anterior e mês da rescisão), deve ser


depositado em GRFC:

- Demissão sem justa causa;


- Demissão, sem justa causa, decorrente de rescisão antecipada do contrato por prazo
determinado;
- Término do contrato por prazo determinado;
- Rescisão indireta de contrato de trabalho; e
- Despedida por culpa recíproca ou força maior reconhecida pela Justiça do Trabalho.

Salário Família

Proporcionalidade

Na rescisão, o salário-família será devido proporcionalmente aos dias trabalhados,


tendo como base a remuneração normal do mês e não o saldo de salário.

Exemplo:
- Saldo salário: R$ 200,00
- Salário mensal: R$ 300,00
- Data da rescisão: 23.06
- Dias trabalhados: 23 dias
- Salário-família proporcional (valor do salário família ÷ dias do mês x nº de dias
trabalhados

- Cálculo: R$18,08 ÷ 30 x 23 = R$13,86

Seguro Desemprego

Direito

Terá direito a perceber o Seguro-Desemprego o trabalhador dispensado sem justa


causa, inclusive a indireta, que comprove:

I - ter recebido salários consecutivos no período de 6 (seis) meses imediatamente


anteriores à data da dispensa, de uma ou mais pessoas jurídicas ou físicas equiparadas
às jurídicas;

II - ter sido empregado de pessoa jurídica ou pessoa física equiparada à jurídica durante,
pelo menos, 06 (seis) meses nos últimos 36 (trinta e seis) meses que antecederam a data
de dispensa que deu origem ao requerimento do Seguro-Desemprego;

III - não estar em gozo de qualquer benefício previdenciário de prestação continuada,


previsto no Regulamento de Benefícios da Previdência Social, excetuando o auxílio-
acidente e a pensão por morte; e

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 286


Assistente Administrativo

IV - não possuir renda própria de qualquer natureza suficiente a sua manutenção e de sua
família.

Considera-se pessoa física equiparada à jurídica, os profissionais liberais inscritos no


Cadastro Específico do Instituto Nacional do Seguro Social (CEI).

Considera-se 1 (um) mês de atividade, para efeito do inciso II deste artigo, a fração igual
ou superior a 15 (quinze) dias, nos termos da Consolidação das Leis do Trabalho.

Concessão

O Seguro-Desemprego será concedido ao trabalhador desempregado, por um


período máximo variável de 03 (três) a 05 (cinco) meses, de forma contínua ou alternada,
a cada período aquisitivo de 16 (dezesseis) meses, observando-se a seguinte relação:

I - 03 (três) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa


jurídica ou pessoa física a ela equiparada de no mínimo 06 (seis) meses e no máximo 11
(onze) meses, nos últimos 36 (trinta e seis) meses;

II - 04 (quatro) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa


jurídica ou pessoa física a ela equiparada de no mínimo 12 (doze) meses e no máximo 23
(vinte e três) meses no período de referência; e

III - 05 (cinco) parcelas, se o trabalhador comprovar vínculo empregatício com pessoa


jurídica ou pessoa física a ela equiparada, de no mínimo 24 (vinte e quatro) meses no
período de referência.

O período aquisitivo será contado da data de dispensa que deu origem à última
habilitação, não podendo ser interrompido quando a concessão do benefício estiver em
curso.

A primeira dispensa que habilitar o trabalhador determinará o número de parcelas


a que este terá direito no período aquisitivo.

Para fins de apuração do benefício, será considerada a média aritmética dos


salários dos últimos 03 (três) meses de trabalho.

O salário será calculado com base no mês completo de trabalho, mesmo que o
trabalhador não tenha trabalhado integralmente em qualquer dos 3 (três) últimos meses.

Caso de o trabalhador perceber salário fixo com parte variável, a composição do


salário para o cálculo do Seguro-Desemprego tomará por base, ambas as parcelas.

O Seguro-Desemprego será calculado com base no que seria equivalente ao seu


salário mensal, tomando-se por parâmetro, para essa equivalência, o mês de 30 (trinta)
dias ou 220 (duzentos e vinte) horas, exceto para quem tem horário especial, inferior a
220 horas mensais, que será calculado com base no salário mensal.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 287


Assistente Administrativo

O valor do benefício será igual ao valor de unidades de moeda corrente, excluída


as partes decimais.

O trabalhador poderá requerer o benefício no prazo de 7 a 120 dias subseqüentes


à data da demissão.

Justa Causa

Quando ocorre falta grave por parte do trabalhador, é o momento de refletir sobre
a rescisão do contrato de trabalho por justa causa.

Neste caso, o empregador deve ter a certeza absoluta das intenções do


trabalhador, buscar informações e coletar provas de que houve intenção faltosa. Em
alguns casos, o trabalhador não sabia das conseqüências de seus atos, e por isso é
importante que exista segurança por parte do empregador quando aplicar uma penalidade
tão grave como a justa causa. O empregado pode cometer mais de um motivo de justa
causa.

Outro fator importante é o trabalhador ser reincidente ou não. O empregador deve


buscar no prontuário profissional do trabalhador, verificar se houve outras penalidades
disciplinares e analisar sua história na empresa. Somente desta forma a empresa tem
recursos e apoio legal suficientes.

Conforme o Art. 482 da CLT, constituem justa causa para a rescisão do contrato
de trabalho:

● Ato de Improbidade, ou seja, apropriar-se indevidamente de algo que não lhe


pertence; atentar contra o patrimônio da empresa ou de colegas trabalhadores.

● Incontinência de conduta ou mau procedimento: desrespeito às normas da


sociedade (sexualidade, pudor, pornografia, obscenidade, etc.). É mais abrangente,
usado quando não se enquadra nos outros tipos de justa causa.

● Negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e


quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou for
prejudicial ao serviço: quando o trabalhador utiliza-se de negociação por sua conta e
risco, sem a participação ou consentimento do empregador, de maneira habitual,
corriqueira e com interesse financeiro; configuração de concorrência contra a própria
empresa onde trabalha e que prejudique o desenvolvimento das atividades laborais.

● Condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tendo havido


suspensão da execução da pena: somente quando houver condenação sem possibilidade
de recursos, a não suspensão da pena e o seu conseqüente cumprimento permitem sua
demissão.

● Desídia desempenho das respectivas funções: negligência ao trabalho; desinteresse


do trabalhador pelo desenvolvimento de suas atividades e da empresa em si; omissão,
repetição de atos que onerem a empresa.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 288


Assistente Administrativo

● Embriaguez habitual ou em serviço: de maneira freqüente, em qualquer lugar, estiver


em estado de embriaguez e prejudicar o trabalho e a relação com a imagem da empresa.
Mesmo que numa única vez, o estado de embriaguez é caracterizado como ato grave. As
drogas tóxicas ou entorpecentes também são considerados ato de embriaguez, pois tiram
a capacidade laboral do trabalhador.

● Violação de segredo da empresa: quando o trabalhador tiver sobre sua


responsabilidade segredos que possam colocar em “xeque” o desempenho e a
competitividade da empresa frente ao mercado e revelá-lo para terceiros.

● Ato de indisciplina ou de insubordinação: desrespeito de regras impostas pela


empresa e descumprimento de normas e procedimentos como, por exemplo, não ouvir
determinações do ascendente profissional e colocar em risco o relacionamento interno da
empresa.

● Abandono de emprego: a jurisprudência fixa em 30 dias de ausência injustificada e


consecutiva o prazo para a empresa providenciar a rescisão do contrato de trabalho.
Como fator preventivo, o empregador deve comunicar o abandono ao trabalhador por
meio de telegrama ou carta registrada e anunciar em jornais de grande circulação o ato
de abandono de emprego, o que caracteriza fatos para a continuidade do desligamento
do trabalhador.

Da mesma forma, a legislação protege o trabalhador contra os atos abusivos do


empregador, e pode o trabalhador recorrer à Justiça do Trabalho, por meio de uma ação,
para a rescisão do contrato de trabalho e requerer o pagamento dos reflexos trabalhistas
com base no desligamento sem justa causa.

Estabilidades

Existem alguns direitos trabalhistas que funcionários adquirem e que o seu


contrato de trabalho não pode extinguir.

Essas estabilidades são previstas na CLT, Constituição Federal ou em Acordos


Coletivos de Trabalho. Alguns exemplos:

● Cipeiro: os trabalhadores eleitos para o cargo de direção da CIPA, desde o registro da


candidatura até um ano após o mandato, não podem ser dispensados de forma arbitrária
ou sem justa causa.

● Gestante: protege a mulher gestante no período compreendido entre a confirmação da


gestação até 5 meses após o parto.

● Trabalhador acidentado: o trabalhador acidentado e afastado por mais de 15 dias,


quando tiver alta médica e retornar suas atividades, tem estabilidade provisória de 12
meses.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 289


Assistente Administrativo

● Dirigente Sindical: o trabalhador que for eleito para ocupar cargo representativo
sindical, inclusive o suplente, não pode ser dispensado, a partir do registro de sua
candidatura até 12 meses após o final do seu mandato. Apenas por falta grave podem ser
dispensados e o fato é considerado uma licença não remunerada.

No caso de estabilidade é importante que o Departamento de Pessoal tenha


conhecimento do acordo coletivo de sua categoria profissional, para que observe
situações diferenciadas ao exposto, ou outras estabilidades não comentadas.

Data para Pagamento das Verbas Rescisórias

É o §6° do Artigo 477 da CLT que determina o prazo para pagamento das Verbas
Rescisórias, que será, em regra, no 1° (primeiro) dia útil seguinte ao término do contrato,
ou até o 10° (décimo) dia a contar da notificação, de acordo com cada caso.

Consideremos:

CASOS DATA
Extinção de Contrato por Prazo Primeiro dia útil seguinte ao término
Determinado
Primeiro dia útil seguinte ao término do
Aviso Prévio Trabalhado prazo do aviso, que dá termo do contrato
Aviso Prévio Indenizado, Dispensa do Décimo dia contado da notificação da
Aviso Prévio,Ausência de Aviso Prévio demissão

Entende-se que, em se tratando de rescisão de contrato de trabalho por prazo


determinado, antes do prazo acordado, o prazo para pagamento das verbas rescisórias
deve ter como limite a data que seria o 1° (primeiro) dia útil ao término do contrato, nos
casos em que o 10° (décimo) dia ultrapasse o referido limite.

Exemplo:
- Data do término do contrato por prazo determinado: 18.07
- Rescisão antecipada em 04.07
- Data limite para pagamento das verbas rescisórias: 13.07

Exemplo:
- Data do término do contrato por prazo determinado: 18.07
- Rescisão antecipada: 15.07
- Data limite para pagamento das verbas rescisórias: 19.07
* (Ver nota acima)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 290


Assistente Administrativo

Homologação da Rescisão do Contrato de Trabalho – Normas

A homologação da rescisão contratual é obrigatória nos contratos cuja vigência


seja superior a 01 (um) ano.

Exemplo:
- Data da admissão: 04.07.97
- Pedido de demissão em: 02.07.98, sem cumprimento do AP.

A vigência do contrato foi inferior a 01 (um) ano, sendo que o AP, neste caso, não
se projetou por tratar-se de pedido de demissão. A homologação não é obrigatória.

Exemplo:
- Data da admissão: 08.03.97
- Demissão sem justa causa em 20.02.98, com API.

Não obstante a demissão ter ocorrido em 20.02.98, antes do contrato completar 01


(um) ano, o AP foi indenizado, tendo, portanto, se projetado para data que ultrapassa 01
(um) ano de vigência do contrato. Portanto, a homologação é obrigatória.

Exemplo:
- Contrato por prazo determinado
- Data de admissão: 05.05.97
- Término do prazo e extinção de contrato de trabalho em 04.05.98

A extinção do contrato ocorreu no término do prazo ajustado, ao final de 01 (um)


ano. Portanto, a homologação não é obrigatória.

Atraso na Homologação ou no Pagamento das Verbas Rescisórias - Penalidades

O atraso na homologação, ou no pagamento das verbas rescisórias, por culpa da


empresa, sujeitará a empresa à:
- multa administrativa: 160 UFIR, por trabalhador;
- multa a favor do empregado: valor equivalente ao seu salário, atualizado pela
UFIR.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 291


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

1. Na rescisão do contrato de trabalho, quando ocorre o evento “aviso prévio


indenizado”?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

2. Quando ocorre o pagamento das férias na rescisão?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

3. Como calcular o 13º salário na rescisão? Consideram-se os adicionais? Como?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

4. Quais os prazos legais para o pagamento da rescisão contratual para o


trabalhador? Qual o procedimento que o Departamento de Pessoal deve adotar?
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

5. Qual é o procedimento do trabalhador que decide solicitar demissão?


_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 292


Assistente Administrativo

Tabela de Incidências

VERBAS INSS FGTS IRRF

Saldo de Salário Sim Sim Sim


Adicional Noturno Sim Sim Sim
Adicional de Insalubridade Sim Sim Sim
Adicional de Periculosidade Sim Sim Sim
Horas Extras Sim Sim Sim
Repouso Semanal Remunerado Sim Sim Sim
Salário-Maternidade Sim Sim Sim
Prêmio de Produção Sim Sim Sim
Gratificação Sim Sim Sim
Auxílio Enfermidade Sim Sim Sim
Aviso Prévio Trabalhado Sim Sim Sim
Aviso Prévio Indenizado Sim * Sim Não
Primeira Parcela de 13º Salário Não Sim Não
Segunda Parcela de 13º Salário Sim Sim Sim
13º Salário pago na rescisão Sim Sim Sim
Férias gozadas normalmente Sim Sim Sim
Abono pecuniário Não Não Não **
Adicional 1/3 de férias Sim Sim Sim
Férias vencidas indenizadas Não Não Sim
Férias proporcionais Não Não Sim
Salário-Família Não Não Não
Média de Horas Extras/ DSR Sim Sim Sim
Complemento de Auxílio Enfermidade Não Não Sim
Diárias para viagem (até 50% do salário) Não Não Não
Diárias para viagem (acima de 50% do salário) Sim Sim Sim
Estagiários Não Não Sim
Participação nos Lucros / Resultados Não Não Sim
Abono Não Não Não
Média de Comissões/ 1/3 de Férias Sim Sim Sim
13º Salário indenizado Não Sim Não
Indenização Adicional Não Não Não
Indenização Complementar – Art. 479 CLT Não Não Não
Adicional 1/3 Férias Indenizadas Não Não Sim
Adicional 1/3 Abono Pecuniário Não Não Não **
Comissões Sim Sim Sim
D.S.R./ Comissões Sim Sim Sim
Média de Comissões / Férias Sim Sim Sim
Média de Comissões / 13º Salário Sim Sim Sim
Média de Comissões / Aviso Prévio Não Sim Não
Média de Comissões / Abono Pecuniário Não Não Sim

* à partir de 12/01/09
** à partir de janeiro/09

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 293


Assistente Administrativo

Exercícios para fixação do aprendizado

Calcule as Rescisões Contratuais, baseando-se nos casos abaixo, considerando a


data de Pagamento da Folha no último dia do mês, com 24 dias úteis e 4 domingos e
feriados.

a. Admissão: 01/01/06
Demissão: 08/10/07
Dispensa: sem justa causa
Aviso Prévio: dispensado
Contrato: por prazo indeterminado
Salário: R$765,00/mês
Não tirou férias
Não possui adicionais

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 294


Assistente Administrativo

b. Admissão: 01/05/06
Demissão: 16/10/06
Dispensa: sem justa causa
Aviso Prévio: dispensado
Contrato: por prazo indeterminado
Salário: R$620,00/mês
Salário-Família: 01 dependente
Comissões no Mês: R$200,00
Horas Extras no Mês: 30 horas
Média de comissões no período: R$154,00
Média de Horas Extras no período: 19 horas

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 295


Assistente Administrativo

c. Admissão: 15/10/07
Demissão: 16/10/08
Pedido de demissão
Aviso Prévio: último dia – 15/11/08
Contrato: por prazo indeterminado
Salário: R$1.800,00/mês
Não possui adicionais

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 296


Assistente Administrativo

Obrigações Trabalhistas

Mensais

INSS (GPS)

O empregador deve recolher as contribuições relativas à Previdência Social de


acordo com o seguinte cronograma:

1 – Remuneração, férias gozadas e 1/3 No dia 2 do mês subseqüente ao


Constitucional trabalhado
2 – Contribuição individual (carnês), Até o dia 15 do mês subsequente ao
inclusive da empregada doméstica trabalhado
3 – 13º Salário pago em rescisão No dia 2 do mês subseqüente à rescisão
4 – 13º Salário (gratificação de Natal) Até o dia 20/12
(www.mpas.gov.br)

FGTS (GFIP/GRFC)

O empregador deve recolher até o dia 7 do mês subseqüente, em documento


padronizado (GFIP – Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência), a
parcela incidente sobre a remuneração de cada trabalhador no mês (Lei 8.036/90).

No caso da rescisão do contrato de trabalho, recolher até 10 dias da data da


dispensa através da GRFC – Guia de Recolhimento Rescisório do FGTS e da
Contribuição Social. (www.caixa.gov.br)

Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED

O empregador deve encaminhar ao Ministério do Trabalho até o dia 07 do mês


subseqüente, por meio de documento padronizado, a relação de admitidos e demitidos do
mês. (www.mte.gov.br)

Imposto de Renda Retido na Fonte – IRRF - DARF

A parcela referente ao IRRF descontado na Fonte deve ser recolhida no primeiro


decêndio do mês subseqüente ao fato gerador por meio do DARF – Documento de
Arrecadação da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 297


Assistente Administrativo

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA

O empregador é obrigado a constituir a Comissão Interna de Prevenção de


Acidentes – CIPA, conforme as instruções do Ministério do Trabalho, nas dependências
da empresa.

Cabe ao Ministério do Trabalho regulamentar as atribuições, a composição e o


funcionamento das comissões, que será composta de representantes tanto do
empregador quanto dos trabalhadores, de acordo com os critérios da legislação.

Para os trabalhadores que fazem parte da CIPA, caberá um mandato de um ano,


não sendo permitida rescisão do contrato de trabalho para eles nesse período e
permitindo somente uma reeleição.

Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional – PCMSO

Conforme artigos 168e 169 da CLT e a Norma Regulamentadora NR nº 7,


estabelece-se que o empregador deve realizar exames médicos periodicamente.

Acidente de Trabalho

O empregador deve comunicar à Previdência Social por meio de Comunicado de


Acidente do Trabalho – CAT, os acidentes ocorridos nas dependências da empresa ou de
trajeto até o 1º dia útil subseqüente ao acontecido. (www.mte.gov.br)

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 298


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 299


Assistente Administrativo

Capítulo 9 - Organização de Escritório

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 300


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 301


Assistente Administrativo

Organização de Escritório
Layout e Distribuição

Todo escritório deve ter ordem para que seus colaboradores desempenhem suas funções
de maneira agradável e com rendimento de tempo.

Para que isso ocorra num clima de perfeita harmonia organizacional é imperioso que se
tenha um layout adequado entre os departamentos envolvidos.

A espelho disso temos o departamento de escrituração fiscal que deve ficar próximo ao
departamento jurídico, pois tem contato direto; o departamento de tesouraria ligado ao
caixa e contas a pagar e receber; o departamento de compras perto do almoxarifado e
assim por diante, numa disposição inteligente, evitando inclusive que colaboradores
andem demasiadamente para informações em seções ou departamento distantes.

Rotinas de Documentos

Dentro de uma organização circulam muitos documentos diariamente tanto de caráter


interno como memorandos, avisos e outros, quanto os gerados pela empresa que devem
ser circulados fora dela, gerando então, o tráfego de documentos. Algumas empresas têm
em seus escritórios uma seção denominada tráfego, que é responsável por toda essa
circulação. É evidente que essa circulação precisa ter controle, o que torna necessário um
registro pormenorizado das entradas e das saídas de documentos que passarem
evidentemente por esse setor.

Esta é a única forma que vemos de saber se determinado documento ou correspondência


foi mesmo recebido ou entregue, bastando consultar os protocolos diários dessa
circulação.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 302


Assistente Administrativo

Triagem e distribuição de documentos

Como já vimos, todos os documentos devem ser centralizados em um único local dentro
do escritório para que sejam registrados e distribuídos, cabendo a esse setor a
protocolização por ocasião da entrega.

Algumas empresas utilizam-se de escaninhos colocados no setor, funcionando como


autodistribuição, ou seja, cada responsável pelos departamentos ou portador retira os
documentos que passaram pela triagem.

Malote

Serviço organizado de transporte regular para correspondência e pequenos valores.

Processo Administrativo

Os documentos têm as mais diversas características e podem ser uma simples nota
fiscal, uma fatura, um cheque, um extrato bancário, enfim, dentro os escritórios circulam,
além de correspondências, documentos importantes.

A circulação desses documentos deve obedecer a um fluxo, ou seja, uma seqüência


lógica traçada baseada nas necessidades de cada empresa.

Como exemplo tempos à circulação de uma compra efetuada, cuja cópia do pedido vai
direto ao setor de recebimento de mercadorias que, ao receber, encaminha a nota
fiscal/fatura para o departamento de contas a pagar e este, depois de registra-la, envia à
contabilidade, que depois de processada, volta ao departamento de contas a pagar que
enviará à tesouraria por ocasião do vencimento para efetivo pagamento. Vemos então
como é o fluxo de documentos dentro de uma organização e a importância que tem uma
distribuição adequada do espaço interno, permitindo a circulação e o fluxo dentro do
menor espaço de tempo possível de maneira racional, obedecendo a uma seqüência
lógica.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 303


Assistente Administrativo

Protocolo

Em sentido restrito, Protocolo significa, algo que se pré-dispõe a por algo pronto a ser
utilizado, através de recursos a ele atribuídos, ou ainda, é a padronização de leis e
procedimentos que são dispostos a execução de uma determinada tarefa.

Correio Eletrônico

email é um método que permite compor, enviar e receber mensagens através de


sistemas eletrônicos de comunicação. O termo e-mail é aplicado tanto aos sistemas que
utilizam a internet, como aqueles sistemas conhecidos como intranets, que permitem a
troca de mensagens dentro de uma empresa ou organização e são, normalmente,
baseados em protocolos proprietários.

Exemplo:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 304


Assistente Administrativo

Técnicas de Arquivamento

Arquivo é um conjunto de documentos guardados e conservados ordenadamente, visando


sua posterior utilização, devendo ser organizado e classificado de acordo com as
necessidades da empresa, o que permite encontrar o documento quando for necessário.

Para que os documentos sejam arquivados de forma racional é preciso que sejam
classificados, isto é, agrupa-los pó classes ou grupos que podem ser ordenados em
números ou letras do alfabeto.

Essa ordenação pode ser alfabética, numérica, por assunto ou mesmo cronológica e os
documentos colocados em pastas suspensas, e pastas chamadas A-Z ou então em
fichários.

Existe uma maneia mais simplificada para proceder ao arquivo de documentos, muito
utilizado nas empresas americanas, que está sendo utilizado também em nossos
escritórios com sucesso.

Essa técnica agrupa os documentos em pastas suspensas dispostas em ordem


exclusivamente numérica, ou seja, cada pasta tem um número, variando as etiquetas de
identificação em cores que indicam os departamentos quando lês integrarem um sistema
único de arquivo.

Para o controle dessas pastas utilizam-se apenas duas agendas, sendo uma em ordem
numérica e outra em ordem alfabética. A agenda em ordem numérica vai apontar a
seqüência das pastas e o que elas trazem arquivado, permitindo que novas vão se
abrindo na seqüência lógica. A agenda em ordem alfabética permite localizar o arquivo a
partir do assunto e tem anotado a seguir o numero da pasta em que se encontra o
documento procurado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 305


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 306


Assistente Administrativo

ANOTAÇÕES GERAIS

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 307


Assistente Administrativo

Capítulo 10 – Administração do Tempo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 308


Assistente Administrativo

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 309


Assistente Administrativo

Administração do Tempo
Administração Do Tempo

Como administrar o tempo?

Todos nós possuímos a mesma quantidade de tempo diária: 24 horas. Alguns


usam essas horas de forma proveitosa e útil, enquanto outros têm dificuldades para
coordenar o tempo.

Como ter tempo?


Para se ter tempo é preciso usa-lo da melhor forma possível.

Você precisa adotar um plano para o seu dia.

Trabalhe com o que é IMPORTANTE e não somente com o que é URGENTE.


Comece o dia fazendo um esquema geral, com destaque para duas ou três coisas mais
importantes que gostaria de realizar. Não permita que suas preocupações diárias
impeçam-no de planejar seu esquema.

Exemplo:

8 horas:

8:15 horas:

8:30 horas:

8:50 horas:

9:10 horas:

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 310


Assistente Administrativo

9:50 horas:

10:00 horas:

11:00 horas:

12:00 horas:

13:30 horas:

14:30 horas:

15:30 horas:

17:00 horas:

17:50 horas:

No início talvez seja difícil organizar suas tarefas. Compre uma agenda e vá
incluindo os horários e tarefas. À medida que o dia for progredindo, vá assinalando o que
você já fez. Isso representa uma motivação a mais, já que, ao final do dia, você pode
olhar a lista e (certamente) dizer: quanta coisa eu fiz!

Modelo

Plano de Ação para o dia ____ / ____ / ____

Horário Tarefa Efetuada?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 311


Assistente Administrativo

Concentração!

A melhor maneira de economizar tempo é concentrar-se no que você faz. Não é


possível fazer duas ou três coisas ao mesmo tempo. Assuma uma tarefa e concentre as
forças nela. Não interrompa para dar uma telefonada ou para bater papo, etc. VÁ ATÉ O
FIM! Poucos problemas resistem a um ataque maciço.

Crie modelos!

Uma das formas de conseguir ganhar tempo é padronizar certos serviços, como
relatórios (basta preencher os dados que são solicitados pelo seu relatório específico).

Tudo o que você faz que é rotina pode ter economia de tempo, padronizando os
procedimentos.

Por exemplo: utilize os recursos do Word (editor de texto) e do Excel (planilha


eletrônica) para guardar relatórios e efetuar cálculos e controles financeiros diários.

Outro exemplo: guarde os documentos com os quais precisa lidar diariamente em um


só luar (pasta) para ter acesso imediatamente a qualquer um deles, sem perder tempo em
procurar nas gavetas e em arquivos.

1. Escreva em seguida duas ou três coisas que diariamente você tem de fazer,
obrigatoriamente, no seu trabalho:

A - exemplo – ler o relatório diário de acompanhamento de clientes

B - ______________________________________________________________

C - _____________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 312


Assistente Administrativo

2 – Muito bem, agora estabeleça um horário para que cada tarefa citada seja
executada:

Tarefa Horário Diário

Exemplo: Ler o relatório de acompanhamento de 8:15 às 08:50


clientes

3 – Tudo ok? Agora relacione outras tarefas e ações corriqueiras que você precisa
fazer para incluir no seu Plano de Ação Diário:

Tarefa ou Ação Tempo Necessário por Dia

Exemplo: ler os e-mails 20 minutos

4 – Muito bem! Agora organize seu dia com base nos exercícios anteriores (se for
necessário, use o modelo sugerido anteriormente). Você consegue!

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 313


Assistente Administrativo

Pausas e organização....

Uma das nossas tendências quando estamos com pouco tempo, é tentar fazer
tudo ao mesmo tempo, no mesmo dia, nem que para isso fiquemos trabalhando até às
23:00h.

Pausas!

Mas trabalhar durante longas horas, sem fazer nenhum descanso, não é bom
modo de aproveitar eficazmente o tempo. A energia acaba e o tédio instala-se. O cansaço
físico e mental termina por sepultar o aproveitamento. Trocar, por alguns minutos, um
trabalho menta por um físico (caminhar, respirar intensamente, exercícios leves, etc.)
ajuda a recuperar o ânimo.

Não pense que um repouso é desperdiçar tempo. Ele aumenta a eficiência


beneficiando sua saúde, à medida que alivia a tensão. Tudo o que contribua para manter
sua boa saúde é um bom emprego do seu tempo!

Organização da papelada....

A pior coisa para perdermos tempo é a confusão de papéis sobre a mesa. A


desordem prejudica a concentração, provoca tensão e frustra-nos com a sensação de que
estamos “soterrados”.

Sempre que sua mesa esteja se tornando caótica, reserve algum tempo para
organiza-la: separe os papéis em quatro grupos:

1 – o que vai direto para o lixo (coloque imediatamente na cesta!): propagandas, papéis
velhos, anotações gerais;

2 – providências imediatas;

3 – prioridade menor;

4 – para leitura posterior

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 314


Assistente Administrativo

Arquive somente o que é imprescindível. Arquivar muitos documentos multiplica a


necessidade de espaço e tempo para administrar tanto o espaço quanto o arquivamento.

Ao final do dia, limpe a mesa. Assim, o seu dia seguinte começará livre e sem
entulhos do dia anterior.

Arranje três pastas de cartolina e coloque os papéis em cada uma (cada pasta
deve ter uma cor diferente para facilitar). Exemplo:

→ Pasta azul: para leitura posterior;

→ Pasta verde: prioridade menor;

→ Pasta vermelha: prioridades imediatas!

Muito bem! Agora você já sabe o que atacar de frente: a pasta vermelha
(prioridades imediatas!) Vá em frente e você obterá.... uma grande vitória!

As tarefas a longo prazo....

Sempre existem aquelas tarefas com um prazo para entrega.

Nossa tendência é deixar essas tarefas para o “último dia”.... Não faça isso!

Aplique um plano rápido e pequeno para você vencer uma grande tarefa, com
prazo marcado. Veja o seguinte exemplo:

→ Tarefa: escrever o relatório anual de desempenho da minha seção.

→ Prazo para entrega: 25 de março.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 315


Assistente Administrativo

Distribuição das tarefas menores:

Data Executar:

10 de fevereiro Procurar o relatório do ano anterior para servir de modelo


Pedir para o pessoal escrever, em 10 a 20 linhas, o que
foi realizado de importante no ano anterior
15 de fevereiro (novos clientes, treinamento, nova forma de trabalho,
etc.)

Escrever a primeira versão do relatório, juntando o


10 de março modelo com o que o pessoal já escreveu

20 de março Revisar e fazer alterações


25 de março Enviar o relatório para a diretoria

Viu como é fácil? Use este modelo.

Nota: Após preencher, coloque na pasta VERDE (prioridade menor). Próximo ao prazo de
entrega da tarefa, coloque na pasta VERMELHA (prioridade imediata).

Plano de Execução do Projeto / Tarefa

Data Executar Foi feito?

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 316


Assistente Administrativo

1. Defina um horário, tanto de manhã quanto à tarde, em que você fará uma pausa só
sua no seu trabalho e se dedicará a uma rápida relaxada. Uma ginástica leve ou ler
aquele livro guardado durante anos na sua gaveta.

2. Pratique, diariamente, o que você estabeleceu no exercício anterior.

3. Verifique agora os papéis na sua mesa. Separe-os nos quatro tipos. Jogue o maior
número possível no lixo! Pegue os rês tipos de papeis que sobraram e coloque nas
pastas de papelão (se não tiver, improvise até comprar; marque na agenda para não
esquecer!).

4. Ataque, de imediato, a pasta vermelha (ou aquela que você separou para as
PROVIÊNCIAS IMEDIATAS).

5. Muito bem! Pense numa tarefa que você tem que realizar daqui a um ou dois meses.
Escreva esta tarefa: __________________________________________

6. OK. Agora anote as ações que você precisa fazer para conseguir entregar a tarefa:

Ações para cumprir a tarefa

1.

2.

3.

4.

5.

6.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 317


Assistente Administrativo

7. Viu como é fácil? Basta definir as datas em que você vai desenvolver cada tarefa:

Data Tarefa

1.

2.

3.

4.

5.

6.

8. Coloque na pasta VERDE (prioridade menor) a relação que você fez no exercício 7.
Ao se aproximar a data (dois ou rês dias antes) que você colocou, transfira para a
pasta VERMELHA (providências imediatas). Após cumprir aquela ação, o papel pode
voltar para a pasta verde e assim sucessivamente. VOCÊ VENCERÁ!

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 318


Assistente Administrativo

Ganhando tempo por partes

O perfeccionista acha que tem tempo...

Existe diferença entre esforçar-se por executar um trabalho ótimo e empenhar-se


para atingir a perfeição. O primeiro caso é alcançável, produtivo e necessário. O segundo
é quase inatingível.

Por que se esforçar para fazer uma carta perfeita, se o seu chefe vai ler apenas os
aspectos principais e depois joga-la num arquivo qualquer ou mesmo no lixo?

Por que imprimir 10 páginas novamente ou tirar xerox, se o erro está apenas na
palavra “começar”, que você esqueceu de colocar o “ç”? É mais sensato, econômico e
rápido apenas incluir o sinalzinho abaixo do “c”!!!

Raramente os perfeccionistas, aqueles que querem a perfeição em tudo (ou quase


tudo) têm tempo para si, para os outros, ou para serem perfeitos!

Diga NÃO!!!

O uso da palavra não é uma eficaz ferramenta de economia de tempo. Aprenda a


recusar, com educação, mas firmemente, qualquer solicitação que não lhe pareça
imprescindível para alcançar os resultados.

Você pode desculpar-se dizendo que não deseja livrar-se do trabalho, mas
dedicar-se melhor àquilo que realmente considera importante, e assim ter a chance de
livrar-se dos trabalhos improdutivos.

Quando nossa única preocupação é não ofender os outros, acabamos entulhados


de prioridades alheias.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 319


Assistente Administrativo

Exemplos:

1. Você foi convidado para ir a uma reunião de outro departamento que nada tem a
ver com as suas tarefas ou com os clientes. Apenas convidaram você porque
queriam “valorizar” a “turma”. Recuse sem hesitação!

2. Você recebe um telefonema para dar uma opinião de marketing para um


conhecido, em que deve cadastrar seus dados e responder a um questionário na
internet, com 50 perguntas (ou mais). Delicadamente, diga que você não dispõe
do tempo necessário para dar atenção devida ao assunto e... tchau!

Essas tarefas adiadas....

Um hábito enraizado é evitar atacar de frente os problemas, adiando-os até que se


torne muito maior do que realmente é. Qualquer um pode mudar seus costumes.

1. Decida iniciar sua mudança assim que terminar de ler este livro, enquanto ainda
estiver motivado. Tomar esse primeiro passo imediatamente é importante.

2. Não tente fazer coisas demais com pressa excessiva. Obrigue-se, apenas, agora
mesmo, a fazer algo que você esteja adiando. Depois, a partir de amanhã de
manhã, comece cada dia fazendo o que você considera mais desagradável na sua
responsabilidade diária. Você se sentirá satisfeito consigo mesmo ao pensar que,
passados apenas 15 minutos do dia, já se livrou d pior que tinha a fazer.

Discipline-se nas próximas duas semanas, para não abrir exceções a estas regras,
e você triunfará e conseguirá estabelecer suas metas! Isso se tornará um hábito
enraizado e permanente. Você terá satisfação em mudar e vencer o tempo!

Corte!

Há inúmeras atividades que nos levam a perder tempo: bater papo sobre futebol
na hora do trabalho, falar ao telefone além do imprescindível, remeter um e-mail sobre
coisas corriqueiras que não precisam ser escritas, ler propagandas e aquele amontoado
de malas diretas que chegam a sua mesa diariamente.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 320


Assistente Administrativo

Estabeleça horários em que atenderá telefonemas de marketing direto (se é que


você quer atender a esse tipo de telefonema) e seja rigoroso, pedindo àqueles que
desejam interromper suas atividades para serem breves e diretos. Não se trata de má
educação, mas de conduta apropriada para vencer as responsabilidades que você tem!

Ah! Mas então eu não posso mais conversar sobre futebol com meus colegas?
Claro que pode! Mas utilize o tempo do almoço!

Delegar

Nós precisamos saber distinguir entre aquilo que nós temos de fazer e aquilo de
podemos deixar outros executarem por delegação direta. Delegar quer dizer incumbir,
entregar uma tarefa a outrem, transmitir permissão de executar em meu lugar.

O que você pode deixar que seus subordinados façam? Faça uma revista de suas
tarefas diárias e verifique que parte delas dispensa sua ação direta!

Se você delegar corretamente, terá mais tempo para assumir (novas) tarefas mais
complexas de acordo com sua competência, fazendo-o progredir profissionalmente!

1. Você é um perfeccionista? Responda a cada uma das perguntas com um número,


segundo a escala:

0 (zero) para “NUNCA”

1 para “DE VEZ EM QUANDO”

2 para “QUASE SEMPRE”

3 para “SEMPRE”

( ) Se você erra ao escrever um bilhete, em vez de riscar o erro, você escreve tudo de
novo em outra folha.

( ) Você revisa um relatório à procura de erros, mesmo após já o ter entregado.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 321


Assistente Administrativo

( ) Você “enfeita” (coloca cores, desenhos, etc.) seu trabalho, sempre que possível,
para agradar a quem o recebe.

( ) Um amigo lhe pede uma opinião sobre um assunto em que você é um especialista.
Você dá sua opinião, mas se estende nos detalhes, e fala durante, pelo menos, 10
15 minutos.

( ) Numa reunião, você precisa votar em um assunto. Além de votar, você faz questão
de explicar aos outros porque votou daquela maneira.

( ) Você passa a limpo seus rascunhos, para uma nova folha, antes de digitar ou de
redigir o texto definitivo.

Coloque o total de seus pontos: _______

Vamos aos resultados:

• De zero a 5: parabéns! Você, certamente, não é um perfeccionista!

• De 6 a 10: está na média, ms lembre-se de que o perfeccionismo não significa,


necessariamente, melhor qualidade no trabalho.

• Acima de 10: você tem um estilo perfeccionista. Quanto lhe custa isso? Vale a pena?

2 . Lembre-se de duas coisas que PRECISA dizer e não tem coragem. Agora, anote-as e
tome a decisão de dizer NÃO assim que for solicitado a fazer!

Preciso dizer NÃO para a seguinte pessoa: ____________________ que me convidou


para fazer o seguinte: _____________________________________

Também preciso dizer NÃO para o __________________________ (coloque o nome


da pessoa) que quer que eu me responsabilize por
_______________________________________________________________

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 322


Assistente Administrativo

3. Pense em uma tarefa que você vem adiando, adiando... Escreva aqui essa tarefa:
_______________________________________________________________

4. Com base na sua resposta anterior, é possível:

a) Delegar essa tarefa a alguém? Se sim, quem? Então, delegue-a!

b) Cancelar essa tarefa, sem prejuízo para você, sua empresa, seus clientes? Se sim,
cancele-a imediatamente!

c) Repartir essa tarefa com alguém? Se sim, quem? Então, o que você está esperando?

d) Fazer a tarefa imediatamente, agora? Se sim, execute-a!

Vencendo a falta de tempo

As orientações apresentadas abaixo nem sempre serão úteis para você. Mas
certamente poderão ajuda-lo ao encontrar meios de administrar melhor seu tempo.

1. COMO LER UM LIVRO

Andando de ônibus: o tempo que você usa no transporte coletivo pode ser usado
para ler aquele livro que há anos você está tentando concluir. Depois que tiver o
hábito, você lerá normalmente. Serão dezenas de livros por ano!

Mas se você não quer, definitivamente, ler no ônibus, então leia... na frente da TV!
Isso mesmo, enquanto está assistindo à TV, tenha um livro aberto. Assim que soar
o “plim-plim” da propaganda... comece a ler o seu livro! Em um ano você terá lido
pelo menos dois a três livros médios, dependendo do tempo que você assiste à
TV.

2. INTERNET E FILA DE BANCO

Fila de Banco? Nunca mais! Se você tem internet, faça (quase) todas as
transações por ela. A economia chega a três ou 4 horas por mês (fora o tempo de

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 323


Assistente Administrativo

deslocamento até a agência bancária). Fale com o seu gerente! (Há outras opções
também, como débitos automáticos de água, luz, telefone; conheça-as, utilize-as e
ganhe tempo!).

3. NO TRÂNSITO

É impossível prever o desperdício de tempo no trânsito. Mas este sempre haverá,


pois cada dia as estradas ficam mais cheias. Se você se desloca de veículo, que
tal combinar com um colega que mora na mesma região que a sua e tentar dividir
a condução? Assim, de dois em dois dias você será o passageiro e poderá: ler um
livro, escrever um relatório, aprender inglês (CD portátil)... gostou?

4. NO SUPERMERCADO

Faça sempre uma lista de compras ANTES de ir ao supermercado. Assim, você


não perde tempo imaginando o que deveria comprar, e tendo que retornar depois
para completar a compra (você vai economizar também combustível e evitar
comprar aquelas “ofertas” inúteis).

5. VENDEDORES... PESQUISADORES E OUTRAS “DORES”...

Há uma porção de pessoas querendo disputar seu tempo. Talvez o telemarketing


ativo (quando o pessoal liga para você para vender qualquer coisa chamada de
“lançamento”, com inúmeras vantagens da “promoção”) seja o mais “moderno” e
sutil meio de gastar seu tempo, dinheiro e paciência.

Só há um jeito de eliminar essas dores: diga não imediatamente! Se você não


gosta de dizer não, então diga: telefone-me no mês que vem. Até lá vou pensar no
assunto. Pelo menos você ganhou um mês de “liberdade”.

6. CURSOS

Pare de fazer cursos caros, demorados e ineficientes! Procure fazer cursos


intensivos, rápidos ou on-line (como este que você está fazendo). Você economiza
transporte, estacionamento e, é claro, tempo!

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 324


Assistente Administrativo

7. MALA DIRETA, E-MALS E OUTROS ENTULHOS.

Mais de 50% de toda correspondência postal e eletrônica é verdadeiro entulho


propagandístico ou desperdício de comunicação e recursos. Delete os e-mails de
conteúdo publicitário ou que nada tem a ver com as suas metas imediatamente.
Coloque no lixo as malas diretas e nem perca tempo abrindo um envelope! Após
abrir milhares de malas diretas, ainda não achei um cheque ou cédula de dinheiro
vivo nelas.

8. CELULAR?

A maravilha do celular é também um incômodo que rouba nossa concentração e


toca nas horas mais desagradáveis. Desligue-o! Mantenha-o ligado somente
quando puder atendê-lo.

9. DESCULPE, POR FAVOR E GENTILEZA

Quando alguém nos aborda e começa a falar ininterruptamente (inclusive nosso


chefe), o que fazer? Utilize as palavras mágicas: “desculpe, eu preciso voltar ao
trabalho...”, “por favor, posso dar atenção a você em outra oportunidade...?” e
“gentileza, estou me lembrando de algo que preciso fazer agora...”. Falta de
educação é roubar o tempo dos outros.

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 325


Assistente Administrativo

Referências Bibliográficas
1. Castiglioni, J.A.M.. – Assistente Administrativo. Erika, 2007.

2. Jordão, Sonia - Proatividade – “A Arte de Liderar - Vivenciando Mudanças num Mundo


Globalizado".

3. Araujo, P.H. - Motivando o Talento Humano. Eko, 1999

4. Gillen, T. – Assertividade. Nobel, 2001

5. Oliveira, M.G. – Como conseguir motivação pessoal. Rideel, 2003.

6. Parsloe, E.; Wrhight, R. O Orçamento. Nobel, 2001.

7. Fidelis, G. J. – Gestão de Pessoas – Rotinas Trabalhistas e Dinâmicas do


Departamento de Pessoal. Erika, 2007.

8. Suen, Alberto – Matemática Financeira. IESDE Brasil, 2007.

9. Nogami, Otto – Economia. IESDE Brasil, 2007.

Sites
www.comportamento.com.br
www.etiquetaprofissional.com.br
www.wikipedia.org
www.guiarh.com.br
www.mariopersona.com.br
www.trainingleadre.com.br
www.somatematica.com.br
www.superlogica.com.br
www.sebrae.com.br
www.guiatrabalhista.com.br

Escola SENAI “Mariano Ferraz” Página 326