You are on page 1of 18

Eixo 4 – Comércio Internacional

O último eixo busca avaliar o impacto das transações internacionais dos SCC
sobre a economia brasileira. No contexto latino-americano, tradicionalmente, o setor
primário da economia é o que mais contribui para o comércio internacional, onde são
efetuadas as trocas entre diferentes países. Diante disto, este eixo visa mensurar a
importância do comércio de bens culturais e criativos no que tange a sua contribuição
para a economia nacional.
Segundo a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento
(UNCTAD, 2010)1, o comércio internacional de indústrias criativas vem ganhando
destaque nas discussões acerca do desenvolvimento econômico mundial nesse milênio
devido ao expressivo aumento da participação no produto dos países.
O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) dispõe de dados
referentes ao mercado externo de bens e serviços do Brasil, relevantes para avaliação do
comportamento das relações comerciais com o resto do mundo e do potencial de
desenvolvimento da indústria cultural nacional. Em termos conceituais, bens são os
produtos materiais e tangíveis (como livros e joias), enquanto os serviços são produtos
imateriais e intangíveis (como espetáculos de dança e direitos autorais).
Os dados utilizados para a composição das variáveis do Eixo 4, oriundos da base
de dados do MDIC, estão organizados diante de quatro agrupamentos: (i) importações –
retratando a entrada de bens e serviços culturais na economia do país; (ii) exportações –
remontando à saída de bens e serviços produzidos ou originários do Brasil; (iii) saldo
comercial – sendo a diferença entre as exportações e as importações e (iv) valor
transacionado – que é a soma dos valores de importações e exportações. Analisar o
comportamento das variáveis da balança comercial (importação e exportação) permite
uma avaliação da conjuntura do setor cultural no cenário internacional, mensurando a
entrada do produto interno em outras economias nacionais e a relevância do produto
externo na economia brasileira.
Foi considerado um agrupamento setorial de bens relacionado à composição
setorial adotada no Atlas, que qualifica quarenta e seis atividades econômicas (CNAEs)
em dez setores culturais e criativos (SCC). O Tradutor de Bens desenvolvido pela MDIC
possibilita a correspondência entre os dados obtidos pelo padrão da Nomenclatura
Comum do Mercosul (NCM)2 com o padrão da CNAE utilizado pelo Atlas. Dessa forma,
cada bem cultural classificado segundo a NCM está incluso em uma CNAE, que por sua
vez pertence a um dos SCC. A lista completa de relações é apresentada no Apêndice A.
Para o caso dos serviços, levou-se em consideração os setores que compõem o
Atlas e sua convergência em termos de similaridade com a classificação de serviços
adotada pelo próprio MDIC. Com base neste critério, consolidou-se o conjunto de bens
comercializados que foram classificados de acordo com os SCC. Como exemplo do
critério adotado, temos os Serviços de Biblioteca (1.1705.10.00 - pelo código na base de
dados de Serviços) classificado no setor de Patrimônio. Dois SCC não são contemplados
pelos dados da UNCTAD, a saber Artes Cênicas e Espetáculos e Publicidade.
A metodologia de extração de dados de fluxos comerciais envolve a escolha de
um país de origem do fluxo e outro de destino. Assim, foram delimitadas oito agregações
regionais – parceiros comerciais: (i) Brasil; (ii) Mundo (Agregado total de todos os países
disponíveis na base); (iii) América do Norte; (iv) América do Sul e Central; (v) África;
(vi) Europa; (vii) Ásia; (viii) Oceania. A relação completa de países que compõem cada
um desses parceiros está no Apêndice B. Dessa forma, o eixo apresenta valores absolutos,
em milhões de reais a preços constantes (em reais e reais), dos principais fluxos
comerciais (exportação; importação, saldo comercial; e todo valor transacionado, que
corresponde à soma de exportação e importação). Os dados são obtidos em dólares a
preços correntes e a atualização3 é feita com base na média anual da taxa de câmbio de
venda, segundo o Bank for International Settlements4, e com base no IPCA5 acumulado
ao ano.
O eixo é composto por 16 variáveis que visam evidenciar o comportamento do
setor cultural no comércio exterior, bem como dispor sua estrutura e possibilidades de
desenvolvimento.

2
Uma convenção adotada desde 1997 pelos países participantes do Mercosul que qualifica por um padrão
de oito dígitos todos os bens transacionados no mercado internacional
3
A saber, multiplica-se o valor extraído pela taxa de câmbio e depois pelo IPCA obtido.
4
Banco de Compensações Internacionais é uma organização internacional, com sede na Suíça, responsável
pela supervisão bancária e que visa a cooperação monetária e financeira internacional.
5
Índice de Preços para o Consumidor Amplo. É um índice produzido pelo IBGE para mensurar
mensalmente a inflação no comércio para o consumidor final. Os valores são corrigidos para o IPCA no
ano de 2017.
Valor Absoluto: retrata o valor de absoluto transacionado, caracterizando, com isso, o
quanto, em termos monetários, os SCC contribuíram para o comércio internacional.
Desagregação Principal: Exportação, Importação, Saldo Comercial, Valor
Transacionado.
Desagregação secundária: por ano, por SCC, por Parceiro Comercial.

Relação com o Produto Interno Bruto: mostra a participação relativa do comércio


exterior nacional dos SCC no PIB do país.
Desagregação Principal: Exportação, Importação, Saldo Comercial, Valor
Transacionado
Desagregação secundária: por ano, por SCC, por Parceiro Comercial.

Relação com o Comércio Exterior Brasileiro: mostra a relação do comércio exterior


nacional dos SCC com o comércio exterior brasileiro. O indicador mostra quanto os SCC
contribuem para o comércio internacional total do Brasil.
Desagregação Principal: Exportação, Importação, Saldo Comercial, Valor
Transacionado.
Desagregação secundária: por ano, por SCC, por Parceiro Comercial.

Relação com o VA da Cultura: retrata a relação do comércio exterior nacional dos SCC
com o valor adicionado pelas empresas culturais e criativas.
Desagregação Principal: Exportação, Importação, Saldo Comercial, Valor
Transacionado.
Desagregação secundária: por ano, por SCC, por Parceiro Comercial.

Relação com o Comércio Exterior dos SCC no Brasil: retrata a participação relativa de
cada SCC em relação ao comércio total dos SCC.
Desagregação Principal: Exportação, Importação, Saldo Comercial, Valor
Transacionado
Desagregação secundária: por ano, por SCC, por Parceiro Comercial.

Razão de Concentração (C4) do Valor Absoluto Setorial: evidencia o nível de


concentração do comércio exterior dos quatro maiores SCC, em relação à participação de
todos os SCC nas transações totais.
Desagregações: por ano, por parceiro comercial.

Razão de Concentração (C4) do Valor Absoluto de Parceiros: mostra o nível de


concentração do comércio internacional para os quatro principais (maiores, em termos de
participação relativa) parceiros comerciais, em relação à participação de todos os países
nas transações totais de cada período.
Desagregações: por ano, por SCC.

IHH (Índice Herfindal-Hirschman de concentração) do Valor Absoluto Setorial:


mostra o quão disperso ou concentrado está o comércio exterior total dos SCC em relação
à contribuição de cada SCC. Quanto maior próximo de 1 estiver o IHH, mais concentrado
em poucos SCC está o comércio.
Desagregações: por ano, por Parceiro Comercial.

IHH (Índice Herfindal-Hirschman de concentração) do Valor Absoluto de


Parceiros: retrata a concentração da distribuição do comércio internacional dos SCC em
relação aos parceiros comerciais. Quanto maior próximo de 1 estiver o IHH, mais
concentrado em poucos parceiros está o comércio.
Desagregações: por ano, por SCC.

IVCR (Índice de Vantagens Comparativas Reveladas) do Valor Absoluto: evidencia


se há ou não vantagem comparativa nas exportações do comércio exterior nacional dos
SCC por estratificação proposta.
Desagregação Principal: Exportação.
Desagregação secundária: por ano, por SCC, por Parceiro Comercial.
REFERÊNCIAS
Relatório de economia criativa 2010: economia criativa uma, opção de desenvolvimento. – Brasília:
Secretaria da Economia Criativa/Minc; São Paulo: Itaú Cultural, 2012. Páginas 125 a 128.
APÊNDICE A

O Apêndice A apresenta a tradução ou correspondência entre NCM e CNAE, no


que se refere aos setores da cultura.

CORRESPONDÊNCIA NCM 2012 X CNAE 2.0 (agosto/2012)


NCM 2012 DESCRIÇÃO NCM 2012 CNAE SETOR
2.0
71012200 PEROLAS CULTIVADAS, TRABALHADAS, 3211.6 Arquitetura e
N/MONTADAS, N/ENGASTADAS Design
71022900 OUTS. DIAMANTES INDUSTRIAIS, NAO 3211.6 Arquitetura e
MONTADOS, NEM ENGASTADOS Design
71023900 OUTS.DIAMANTES NAO 3211.6 Arquitetura e
INDUSTRIAIS,N/MONTADOS, N/ENGASTADOS Design
71039100 RUBIS,SAFIRAS E ESMERALDAS,TRABALHADAS 3211.6 Arquitetura e
DE OUT.MODO Design
71039900 OUTS.PEDRAS PRECIOSAS/SEMI,TRABALHADAS 3211.6 Arquitetura e
DE OUT.MODO Design
71049000 OUTS.PEDRAS SINT/RECONST.MESMO 3211.6 Arquitetura e
TRABALHADAS/ COMBINADAS Design
71051000 PO DE DIAMANTES 3211.6 Arquitetura e
Design
71059000 PO DE PEDRAS PRECIOSAS,SEMIPRECIOSAS OU 3211.6 Arquitetura e
SINTETICAS Design
71131100 ARTEFATOS DE JOALHARIA,DE PRATA,MESMO 3211.6 Arquitetura e
FOLH.DE MET.PREC. Design
71131900 ARTEFATOS DE JOALHARIA,DE OUTS.METAIS 3211.6 Arquitetura e
PRECIOSOS,ETC. Design
71132000 ARTEFATOS DE JOALHARIA,DE METAIS COMUNS 3211.6 Arquitetura e
FOLH.METAL PREC Design
71141100 ARTEFATOS DE OURIVESARIA,DE PRATA,MESMO 3211.6 Arquitetura e
FOLH.MET.PREC. Design
71141900 ARTEFATOS DE OURIVESARIA,DE OUTS.METAIS 3211.6 Arquitetura e
PRECIOSOS,ETC. Design
71142000 ARTEFATOS DE OURIVESARIA,DE METAIS 3211.6 Arquitetura e
COMUNS FOLH.MET.PREC Design
71159000 OUTROS OBRAS DE METAIS PREC/METAIS 3211.6 Arquitetura e
FOLH/CHAP.METAL PREC Design
71161000 OBRAS DE PEROLAS NATURAIS OU CULTIVADAS 3211.6 Arquitetura e
Design
71162010 OBRAS DE DIAMANTES SINTETICOS 3211.6 Arquitetura e
Design
71162020 GUIAS DE AGULHAS,DE RUBI,PARA CABECAS DE 3211.6 Arquitetura e
IMPRESSAO Design
71162090 OUTS.OBRAS DE PEDRAS 3211.6 Arquitetura e
PRECIOSAS/SEMI,SINTETICAS/ RECONST. Design
71171100 ABOTOADURAS E OUTS.BOTOES,DE METAIS 3212.4 Arquitetura e
COMUNS Design
71171900 OUTROS BIJUTERIAS DE METAIS COMUNS 3212.4; Arquitetura e
3299.0 Design
71179000 OUTROS BIJUTERIAS 3212.4; Arquitetura e
3299.0 Design
71181010 MOEDAS SEM CURSO LEGAL,EXCETO DE OURO, 3211.6 Arquitetura e
destinadas a ter curso legal no país importador Design
71181090 Outras (MOEDAS SEM CURSO LEGAL,EXCETO DE 3211.6 Arquitetura e
OURO) Design
71189000 OUTROS MOEDAS 3211.6 Arquitetura e
Design
37069000 OUTROS FILMES CINEMATOGRAFICOS IMPRESS.E 5911.1; Audiovisual
REVELADOS 5912.0
49040000 MUSICA MANUSCRITA OU IMPRESSA,ILUSTRADA 5920.1 Audiovisual
OU NAO
49011000 LIVROS,BROCHURAS,IMPRESSOS 5811.5; Editorial
SEMELHANTES,EM FOLHAS SOLTAS 5821.2
49019100 DICIONARIOS E ENCICLOPEDIAS,MESMO EM 5811.5; Editorial
FASCICULOS 5821.2
49030000 ALBUNS OU LIVROS DE ILUSTRACOES,ETC.PARA 5811.5; Editorial
CRIANCAS 5821.2
49051000 GLOBOS (OBRA CARTOGRAFICA,IMPRESSA) 5821.2 Editorial
49059100 OBRAS CARTOGRAFICAS,IMPRESSAS EM LIVROS 5821.2 Editorial
OU BROCHURAS
49059900 OUTROS OBRAS CARTOGRAFICAS,IMPRESSAS 5821.2 Editorial
37040000 CHAPAS,FILMES,ETC.FOTOGRAFICOS,IMPRESS.M 7420.0 Educação e
AS N/REVELADOS Criação em
Artes
37051000 CHAPAS,FILMES 7420.0 Educação e
FOTOGRAF.IMPRESS.REVELADOS, Criação em
P/REPROD.OFSET Artes
37059010 Fotomáscaras sobre vidro plano, positivas, próprias para 7420.0 Educação e
gravação em pastilhas de silício (“chips”) para fabricação Criação em
de microestruturas eletrônicas Artes
37059090 OUTS.CHAPAS E FILMES 7420.0 Educação e
FOTOGRAFICOS,IMPRESS.E REVELADOS, EXCETO Criação em
FILMES CINEMATOGRÁFICOS Artes
97011000 QUADROS,PINTURAS E DESENHOS,FEITOS A MAO 9002.7 Educação e
Criação em
Artes
97019000 COLAGENS E QUADROS DECORATIVOS SEMELH. 9002.7 Educação e
Criação em
Artes
97020000 GRAVURAS,ESTAMPAS E 9002.7 Educação e
LITOGRAFIAS,ORIGINAIS Criação em
Artes
97030000 Produções originais de arte estatuária ou de escultura, de 9002.7 Educação e
quaisquer matérias. Criação em
Artes
97040000 Selos postais, selos fiscais, marcas postais, envelopes de 9002.7 Educação e
primeiro dia (F.D.C. – “first-day cover”), inteiros postais e Criação em
semelhantes, obliterados, ou não obliterados, exceto os Artes
artigos da posição 49.07.
97050000 Coleções e espécimes para coleções, de zoologia, botânica, 9002.7 Educação e
mineralogia, anatomia, ou apresentando interesse histórico, Criação em
arqueológico, paleontológico, etnográfico ou numismático. Artes
97060000 ANTIGUIDADES COM MAIS DE 100 ANOS 9002.7 Educação e
Criação em
Artes
95030010 Triciclos, patinetes, carros de pedais e outros brinquedos 3240.0 Entretenimento
semelhantes com rodas; carrinhos para bonecos
95030021 BONECOS DE FIGURA HUMANA, MESMO 3240.0 Entretenimento
VESTIDOS, C/MECANISMO A CORDA/ELETR.
95030022 OUTROS BONECOS ,MESMO VESTIDOS 3240.0 Entretenimento
95030029 OUTROS PARTES E ACESS.P/BONECOS DE FIGURA 3240.0 Entretenimento
HUMANA
95030031 BRINQUEDOS C/ENCHIMENTO,DE FIGURA 3240.0 Entretenimento
ANIMAL OU NAO-HUMANA
95030039 OUTROS BRINQUEDOS DE FIGURA ANIMAL OU 3240.0 Entretenimento
NAO HUMANA
95030040 TRENS ELETR.DE 3240.0 Entretenimento
BRINQUEDO,INCL.TRILHOS/SINAIS/ OUTS.ACESS
95030050 MODELOS REDUZIDOS,DE BRINQUEDO,EM 3240.0 Entretenimento
CONJ.P/MONTAGEM
95030060 OUTROS CONJUNTOS E 3240.0 Entretenimento
BRINQUEDOS,P/CONSTRUCAO
95030070 QUEBRA-CABECAS ("PUZZLES") 3240.0 Entretenimento
95030080 OUTROS BRINQUEDOS EM SORTIDOS OU EM 3240.0 Entretenimento
PANOPLIAS
95030091 INSTRUMENTOS E APARS.MUSICAIS,DE 3240.0 Entretenimento
BRINQUEDO
95030097 OUTROS BRINQUEDOS E 3240.0 Entretenimento
MODELOS,MOTORIZADOS, ELETRICOS
95030098 OUTROS BRINQUEDOS DE FRICCAO,DE CORDA 3240.0 Entretenimento
OU DE MOLA
95030099 OUTROS BRINQUEDOS 3240.0 Entretenimento
95042000 BILHARES E SEUS ACESS. 3240.0 Entretenimento
95043000 OUTS.JOGOS ACIONADOS POR 3240.0 Entretenimento
FICHA/MOEDA,EXC. JOGOS BALIZAS
95044000 CARTAS DE JOGAR 3240.0 Entretenimento
95049010 Boliches automáticos 3240.0 Entretenimento
95049090 OUTROS ARTIGOS P/JOGOS DE SALAO 3240.0 Entretenimento
92011000 PIANOS VERTICAIS 3220.5 Música
92012000 PIANOS DE CAUDA 3220.5 Música
92019000 OUTS.PIANOS,CRAVOS E OUTS.INSTRUM.DE 3220.5 Música
CORDAS, C/TECLADO
92021000 INSTRUMENTOS MUSICAIS DE CORDAS,TOCADOS 3220.5 Música
C/AUXILIO ARCO
92029000 OUTROS INSTRUMENTOS MUSICAIS DE CORDAS 3220.5 Música
92051000 INSTRUMENTOS MUSICAIS DE SOPRO 3220.5 Música
DENOMINADOS "METAIS"
92059000 OUTROS INSTRUMENTOS MUSICAIS DE SOPRO 3220.5 Música
92060000 INSTRUMENTOS MUSICAIS DE PERCUSSAO 3220.5 Música
(TAMBORES,ETC.)
92071010 SINTETIZADORES (INSTRUMENTOS MUSICAIS DE 3220.5 Música
TECLADO)
92071090 OUTROS INSTRUMENTOS MUSICAIS DE TECLADO 3220.5 Música
92079010 GUITARRA E CONTRABAIXO 3220.5 Música
92079090 OUTROS INSTRUMENTOS MUSICAIS C/SOM 3220.5 Música
AMPLIF.POR MEIO ELET
92081000 CAIXAS DE MUSICA 3220.5 Música
92089000 ORGAOS MECANICOS DE FEIRA E OUTS.INSTRUM. 3220.5 Música
MUSICAIS
92093000 CORDAS P/INSTRUMENTOS MUSICAIS 3220.5 Música
92099100 PARTES E ACESS.P/PIANOS 3220.5 Música
92099200 PARTES E ACESS.P/INSTRUMENTOS MUSICAIS DE 3220.5 Música
CORDAS
92099400 PARTES E ACESS.P/INSTRUM.MUSICAIS SOM 3220.5 Música
AMPLIF.MEIO ELETR
92099900 PARTES E ACESS.P/OUTS.INSTRUMENTOS 3220.5 Música
MUSICAIS
37061000 FILMES CINEMATOGRAFICOS IMPRESS.E 5911.1; Audiovisual
REVELADOS, L>=35MM 5912.0
APÊNDICE B
O Apêndice B apresenta o agrupamento de países por agregação regional.

LISTA DE PAÍSES PARTICIPANTES DE CADA BLOCO CONTINENTAL


BLOCO CONTINENTAL PAÍS
África do Sul; Angola; Argélia; Benin; Botsuana; Burkina Faso;
Burundi; Cabo Verde; Camarões; Chade; Comores; Congo; Congo;
República Democrática; Costa do Marfim; Djibuti; Egito; Eritreia;
Etiópia; Gabão; Gâmbia; Gana; Guiné; Guiné Equatorial; Guiné-
Bissau; Lesoto; Libéria; Líbia; Madagascar; Malavi; Mali;
África Marrocos; Mauritânia; Moçambique; Namíbia; Níger; Nigéria;
Papua; Território de; Quênia; República Centro-Africana; Ruanda;
Saara Ocidental; Santa Helena; São Tomé e Príncipe; Seicheles;
Senegal; Serra Leoa; Somália; Suazilândia; Sudão; Sudão do Sul;
Tanzânia; Togo; Tunísia; Uganda; Zâmbia; Zimbábue.
Anguilla; Bermudas; Canadá; Cayman, Ilhas; Estados Unidos;
Groenlândia; Johnston, Ilhas; México; Pacífico, Ilhas do
(Administração dos EUA); Pacífico, Ilhas do (EUA); Pacífico, Ilhas
América do Norte
do (Território Fideicomisso EUA); São Pedro e Miquelon; Sint
Maarten; Turcas e Caicos, Ilhas; Wake, Ilha.
Antígua e Barbuda; Antilhas Holandesas; Argentina; Aruba;
Bahamas; Barbados; Belize; Bolívia; Bonaire, Saint Eustatius e
Saba; Brasil; Chile; Colômbia; Costa Rica; Cuba; Curaçao;
Dominica; El Salvador; Equador; Falkland (Malvinas); Granada;
Guadalupe; Guatemala; Guiana; Guiana Francesa; Haiti; Honduras;
Internação na Zona Franca de Manaus; Jamaica; Montserrat;
América do Sul e Central Nicarágua; Panamá; Paraguai; Peru; Porto Rico; República
Dominicana; Saint Kitts e Nevis; Salomão, Ilhas; San Marino;
Santa Lúcia; São Cristóvão e Névis; São Vicente e Granadinas;
Suriname; Trinidad e Tobago; Uruguai; Venezuela; Virgens, Ilhas
(Americanas); Virgens, Ilhas (Britânicas); Zona do Canal do
Panamá.
Afeganistão; Arábia Saudita; Armênia; Azerbaijão; Bangladesh;
Barein; Brunei; Butão; Camboja; Catar; Cazaquistão; China;
Cingapura; Coreia do Norte; Coreia do Sul; Coveite (Kuweit);
Dubai; Emirados Árabes Unidos; Filipinas; Geórgia; Hong Kong;
Ásia Iêmen; Iêmen Democrático; Índia; Indonésia; Irã; Iraque; Israel;
Japão; Jordânia; Laos; Lebuan, Ilhas; Líbano; Macau; Macedônia;
Malásia; Maldivas; Mianmar; Mongólia; Nepal; Omã; Palestina;
Paquistão; Quirguistão; Síria; Sri Lanka; Tadjiquistão; Tailândia;
Taiwan (Formosa); Timor Leste; Turcomenistão; Turquia;
Uzbequistão; Vietnã.
Aland, Ilhas; Albânia; Alboran-Perejil, Ilhas; Alemanha; Alemanha
Oriental; Andorra; Áustria; Belarus; Bélgica; Bósnia-Herzegovina;
Bouvet, Ilha; Bulgária; Canal, Ilhas do (Guernsey); Canal, Ilhas do
(Jersey); Canárias, Ilhas; Chipre; Croácia; Dinamarca; Eslováquia;
Eslovênia; Espanha; Estônia; Faroe, Ilhas; Finlândia; França;
Gibraltar; Grécia; Hungria; Ilha de Man; Inglaterra; Irlanda;
Europa Islândia; Itália; Iugoslávia; Letônia; Liechtenstein; Lituânia;
Luxemburgo; Madeira, Ilha da; Malta; Moldávia; Mônaco;
Montenegro; Noruega; Países Baixos (Holanda); Polônia; Portugal;
Reino Unido; Romênia; Rússia; São Bartolomeu; Sérvia; Suécia;
Suíça; Tcheca, República; Tchecoslováquia; Território Antártico
Britânico; Território Britânico do Oceano Índico; Território da Alta
Comissão do Pacífico Ocidental; Ucrânia; União das Repúblicas
Socialistas Soviéticas; Vaticano.
Austrália; Christmas (Navidad), Ilha; Cocos (Keeling), Ilhas; Cook,
Ilhas; Fiji; Guam; Kiribati; Marianas do Norte, Ilhas; Marshall,
Ilhas; Martinica; Maurício; Micronésia; Midway, Ilhas; Nauru;
Niue; Norfolk, Ilha; Nova Caledônia; Nova Zelândia; Palau; Papua
Oceania Nova Guiné; Pitcairn; Polinésia Francesa; Samoa; Samoa
Americana; Tonga; Toquelau; Tuvalu; Vanuatu; Wallis e Futuna,
Ilhas.
Desagregações
Tipo de NÍVEL
N. Variável Definição Interpretação e Uso Descrição NÍVEL 2 - NÍVEL 4 NÍVEL 5 - Fontes
Indicador NÍVEL 1 3-
Fluxos - Setorial Parceiros
Regional
𝑉1 = ∑ 𝑋𝑖,𝑑 , em t
A apresentação dos
Sendo X representa a quantidade total, 1 - 'África'
Apresenta os valores absolutos das
de bens ou serviços, do setor i 2 - 'América
valores absolutos exportações, Ministério
e da desagregação d comercializada a. Exportação; do Sul e
para exportações, importações, do saldo da
no período t. b. Importação; Setor (10 Central'
importações, saldo comercial e do valor Indústria,
Valor A taxa de variação de V1 na 1. Bens c. Saldo 27 UFs e SCCs + 3 - 'América
1 Descritivo comercial e valor adicionado permitem Comércio
Absoluto desagregação d, 2. Serviços Comercial; Brasil Total dos do Norte'
transacionado nos que seja compreendido Exterior e
no período t em relação a t-1 é: d. Valor SCCs) 4 - 'Ásia'
Setores Culturais de melhor forma como Serviços
Transacionado 5 - 'Europa'
e Criativos no estão distribuídas as (MDIC)
𝑉1𝑡,𝑑 6 - 'Oceania'
Brasil. relações do Brasil com
o Mundo nos SCC. 𝑉1 = ( −1) 7 - 'Mundo'
𝑉1𝑡−1,𝑑

A observação do ∑ 𝑋𝑖,𝑑
indicador em questão 𝑉2 = ∑𝑇
, em t
permite que se
dimensione a atividade Sendo X representa a quantidade total, 1 - 'África'
econômica relativa ao de bens ou serviços, do setor i
Apresenta a razão 2 - 'América
comércio internacional e da desagregação d comercializada, T o Ministério
dos valores a. Exportação; do Sul e
dos SCC no Brasil em total comercializado pela economia da
Relação com absolutos da b. Importação; Setor (10 Central'
comparação ao total do brasileira, Indústria,
o Comércio cultura 1. Bens c. Saldo 27 UFs e SCCs + 3 - 'América
2 Relacional comércio internacional no período t. Comércio
Exterior apresentados na 2. Serviços Comercial; Brasil Total dos do Norte'
do Brasil. A utilização A taxa de variação de V2 na Exterior e
Brasileiro V1 divididos pelo d. Valor SCCs) 4 - 'Ásia'
de tal razão permite que desagregação d, Serviços
total do comércio Transacionado 5 - 'Europa'
se observe como se dá o no período t em relação a t-1 é: (MDIC)
exterior brasileiro. 6 - 'Oceania'
comportamento da
7 - 'Mundo'
cultura no caso de 𝑉2𝑡,𝑑
aumentos ou quedas no 𝑉2 = ( −1)
𝑉2𝑡−1,𝑑
total do comércio
exterior brasileiro.
Ministério
∑ 𝑋𝑖,𝑑 da
Quando é observada a 𝑉3 = ∑ 𝑉𝐴
, em t Indústria,
evolução da razão entre Comércio
Apresenta a razão
os valores do comércio Sendo X representa a quantidade total, Exterior e
entre os valores 1 - 'África'
exterior e o Valor de bens ou serviços, do setor i Serviços
absolutos 2 - 'América
Adicionado, é possível e da desagregação d comercializada, VA (MDIC),
relacionados ao a. Exportação; do Sul e
observar o quanto varia o Instituto
comércio exterior b. Importação; Setor (10 Central'
Relação com a proporção entre esses total do Valor Adicionado pelos SCC, Brasileiro
dos SCC 1. Bens c. Saldo 27 UFs e SCCs + 3 - 'América
3 o VA da Relacional dois valores, o que no período t. de
brasileiros 2. Serviços Comercial; Brasil Total dos do Norte'
Cultura permite verificar como A taxa de variação de V3 na Geografia e
apresentados na d. Valor SCCs) 4 - 'Ásia'
se comporta a variação desagregação d, Estatística
V1 e o Valor Transacionado 5 - 'Europa'
ao longo dos anos do no período t em relação a t-1 é: (IBGE) e
Adicionado pelos 6 - 'Oceania'
comércio exterior em Ministério
SCC na economia 7 - 'Mundo'
relação à variação do 𝑉3𝑡,𝑑 do Trabalho
brasileira. 𝑉3 = ( −1)
Valor Adicionado pelos 𝑉3𝑡−1,𝑑 e da
SCC no Brasil. Previdência
Social
(MTPS)
Relação com Apresenta a razão A observação desse ∑ 𝑋𝑖,𝑑 a. Exportação; 1 - 'África' Ministério
𝑉4 = , em t 1. Bens 27 UFs e Setor (10
4 o Comércio Relacional dos valores indicador permite que ∑𝑋 b. Importação; 2 - 'América da
2. Serviços Brasil SCCs +
Exterior absolutos da seja analisada a c. Saldo do Sul e Indústria,
Cultural cultura divididos evolução da Sendo X representa a quantidade total, Comercial; Total dos Central' Comércio
Brasileiro pelos totais do participação relativa de bens ou serviços, do setor i d. Valor SCCs) 3 - 'América Exterior e
comércio exterior dos diferentes setores e e da desagregação d comercializada, X o Transacionado do Norte' Serviços
cultural brasileiro. das diferentes UFs na total comercializado pelos SCC na 4 - 'Ásia' (MDIC)
composição do economia 5 - 'Europa'
comércio exterior brasileira, no período t. 6 - 'Oceania'
cultural brasileiro. A taxa de variação de V4 na 7 - 'Mundo'
desagregação d,
no período t em relação a t-1 é:

𝑉4𝑡,𝑑
𝑉4 = ( −1)
𝑉4𝑡−1,𝑑

𝑛=2
𝑋𝑖,𝑑
(𝑉5) = 𝐶2 = ∑ ( ) , 𝑐𝑜𝑚 𝑖
O indicador demonstra ∑ 𝑋𝑇
𝑖=1
o quão concentrado é o = 1, … ,2, 𝑒𝑚 𝑡
Valor Absoluto por
Ministério
parceiros ao apresentar
Razão de Demonstra o grau da
a soma das Sendo X, o total comercializado entre os Total dos
Concentração de concentração Indústria,
participações relativas parceiros i, no período t, nas 1. Bens a. Exportação; Setores
5 (C2) do Valor Índice do Valor Absoluto Brasil Mundo Comércio
dos 2 maiores parceiros desagregações d e XT o total 2. Serviços b. Importação Culturais e
Absoluto de por parceiros Exterior e
comerciais. Quanto comercializado no fluxo analisado. Criativos
Parceiros comerciais Serviços
mais próximo de um for A taxa de variação da desagregação d,
(MDIC)
o valor do índice mais do período t em relação ao período t-1 é:
concentrado é o item
em questão. 𝑉5𝑡,𝑑
∆𝑉5 = ( − 1 ) x 100
𝑉5𝑡−1,𝑑

𝑛=4
𝑋𝑖,𝑑
(𝑉6) = 𝐶4 = ∑ ( ) , 𝑐𝑜𝑚 𝑖
O indicador demonstra ∑ 𝑋𝑇
𝑖=1
o quão concentrado é o = 1, … ,4, 𝑒𝑚 𝑡
Valor Absoluto por Ministério
Razão de setor ao apresentar a da
Demonstra o grau Total dos
Concentração soma das participações Sendo X, o total comercializado entre os Indústria,
de concentração 1. Bens a. Exportação; Setores
6 (C4) do Valor Índice relativas dos 4 maiores setores i, no período t, nas desagregações Brasil Mundo Comércio
do Valor Absoluto 2. Serviços b. Importação Culturais e
Absoluto de setores. Quanto mais d e XT o total comercializado no fluxo Exterior e
por setores Criativos
Setores próximo de um for o analisado. Serviços
valor do índice mais A taxa de variação da desagregação d, (MDIC)
concentrado é o item do período t em relação ao período t-1 é:
em questão.
𝑉6𝑡,𝑑
∆𝑉6 = ( − 1 ) x 100
𝑉6𝑡−1,𝑑
𝑛=4
O indicador demonstra 𝑋𝑖,𝑑
(𝑉7) = 𝐶4 = ∑ ( ) , 𝑐𝑜𝑚 𝑖
o quão concentrado é o ∑ 𝑋𝑇
𝑖=1
Valor Absoluto por Ministério
Razão de
parceiros ao apresentar = 1, … ,4, 𝑒𝑚 𝑡 da
Concentração Demonstra o grau Total dos
a soma das Indústria,
(C4) do Valor de concentração 1. Bens a. Exportação; Setores
7 Índice participações relativas Brasil Mundo Comércio
Absoluto de do Valor Absoluto Sendo X, o total comercializado entre as 2. Serviços b. Importação; Culturais e
das 4 maiores UFs. Exterior e
Unidades por UFs unidades federativas i, no período t, nas Criativos
Quanto mais próximo Serviços
Federativas desagregações d e XT o total
de um for o valor do (MDIC)
comercializado no fluxo analisado.
índice mais concentrado
A taxa de variação da desagregação d,
é o item em questão.
do período t em relação ao período t-1 é:
𝑉7𝑡,𝑑
∆𝑉7 = ( − 1 ) x 100
𝑉7𝑡−1,𝑑

𝑛 2
𝑄𝑖,𝑑
O indicador demonstra 𝑉8 = 𝐼𝐻𝐻 = ∑ [ 𝑛 ] , 𝑒𝑚 𝑡
o quão concentrado é o ∑𝑖=1 𝑄𝑡
𝑖=1
Valor Absoluto por
IHH (Índice Sendo Qi, o total comercializado pelos Ministério
parceiros ao apresentar
Herfindal- Demonstra o grau parceiros i, no período t, nas da
a soma dos quadrados Total dos
Hirschman de de concentração desagregações d e Qt o total Indústria,
das participações 1. Bens a. Exportação; Setores
8 concentração) Índice do Valor Absoluto comercializado no fluxo analisado no Brasil Mundo Comércio
relativas dos parceiros 2. Serviços b. Importação; Culturais e
do Valor por parceiros período t. Exterior e
comerciais. Quanto Criativos
Absoluto por comerciais A taxa de variação da desagregação d, do Serviços
mais próximo de um for
Parceiros período t em relação ao período t-1 é: (MDIC)
o valor do índice mais
concentrado é o item
𝑉8𝑡,𝑑
em questão. ∆𝑉8 = ( − 1 ) x 100
𝑉8𝑡−1,𝑑
𝑛 2
𝑄𝑖,𝑑
O indicador demonstra 𝑉9 = 𝐼𝐻𝐻 = ∑ [ 𝑛 ] , 𝑒𝑚 𝑡
o quão concentrado é o ∑𝑖=1 𝑄𝑡
𝑖=1
IHH (Índice Valor Absoluto por Ministério
Herfindal- setor ao apresentar a Sendo Qi, o total comercializado pelos da
Demonstra o grau setores i, no período t, nas desagregações Total dos
Hirschman de soma dos quadrados das Indústria,
de concentração d e Qt o total comercializado no fluxo 1. Bens a. Exportação; Setores
9 concentração) Índice participações relativas Brasil Mundo Comércio
do Valor Absoluto analisado no período t. 2. Serviços b. Importação; Culturais e
do Valor dos setores. Quanto Exterior e
por setores A taxa de variação da desagregação d, do Criativos
Absoluto por mais próximo de um for Serviços
Setores o valor do índice mais período t em relação ao período t-1 é: (MDIC)
concentrado é o item
𝑉9𝑡,𝑑
em questão. ∆𝑉9 = ( − 1 ) x 100
𝑉9𝑡−1,𝑑
𝑛 2
𝑄𝑖,𝑑
𝑉10 = 𝐼𝐻𝐻 = ∑ [ ] , 𝑒𝑚 𝑡
O indicador demonstra ∑𝑛𝑖=1 𝑄𝑡
𝑖=1
o quão concentrado é o
IHH (Índice
Valor Absoluto por Sendo Qi, o total comercializado pelos Ministério
Herfindal-
parceiros ao apresentar parceiros i, no período t, nas da
Hirschman de Demonstra o grau Total dos
a soma dos quadrados desagregações d e Qt o total Indústria,
concentração) de concentração 1. Bens a. Exportação; Setores
10 Índice das participações comercializado no fluxo analisado no Brasil Mundo Comércio
do Valor do Valor Absoluto 2. Serviços b. Importação; Culturais e
relativas dos setores. período t. Exterior e
Absoluto de por UFs Criativos
Quanto mais próximo A taxa de variação da desagregação d, do Serviços
Unidade
de um for o valor do período t em relação ao período t-1 é: (MDIC)
Federativa
índice mais concentrado
é o item em questão. 𝑉10𝑡,𝑑
∆𝑉10 = ( − 1 ) x 100
𝑉10𝑡−1,𝑑
1
(𝑣 ⁄ 0
𝑣 )
𝐼𝑞0,1 = , 𝑒𝑚 𝑡
𝐼𝑝0,1
Representa o Ministério
comportamento O indicador demonstra Sendo v, o valor FOB de exportação da
Índice de Setor (10
do total a evolução dos fluxos (importação) em cada período e I o índice Indústria,
quantum do a. Exportação; SCCs +
11 Índice comercializado no comerciais ao longo do de preço (V12) no fluxo analisado no 1. Bens Brasil Mundo Comércio
valor b. Importação; Total dos
comércio tempo para os SCC na período t. Exterior e
absoluto SCCs)
internacional ao economia brasileira. A taxa de variação da desagregação d, do Serviços
longo do tempo. período t em relação ao período t-1 é: (MDIC)

𝑉11𝑡,𝑑
∆𝑉11 = ( − 1 ) x 100
𝑉11𝑡−1,𝑑
∑ 𝒑𝟏𝒊 ∗ 𝒙𝟎𝒊 ∑ 𝒑𝟏𝒊 ∗ 𝒙𝟏𝟏
𝑰𝟎,𝟏
𝑷 = √[ ⁄ 𝟎 ] ∗[ ⁄ 𝟎 ]
∑ 𝒑𝒊 ∗ 𝒙𝟎𝒊 ∑ 𝒑𝒊 ∗ 𝒑𝟏𝒊

Onde 𝒑𝟎𝒊 é o preço de i no ano-base, 𝒑𝟏𝒊 o Ministério


preço de i no ano subsequente, 𝒙𝟎𝒊 a da
Índice de Setor (10
quantidade de i no ano-base e 𝒙𝟏𝟏 a Indústria,
preços do a. Exportação; SCCs +
12 Índice quantidade de i no ano subsequente. 1. Bens Brasil Mundo Comércio
valor b. Importação; Total dos
A taxa de variação da desagregação d, do Exterior e
absoluto SCCs)
período t em relação ao período t-1 é: Serviços
(MDIC)
𝑉12𝑡,𝑑
∆𝑉12 = ( − 1 ) x 100
𝑉12𝑡−1,𝑑

𝑉13 = ∑ 𝑋𝑖,𝑑 , em t

Sendo X representa a quantidade total 1 - 'África'


(em kg), 2 - 'América
de bens ou serviços, do setor i Ministério
a. Exportação; do Sul e
e da desagregação d comercializada da
Quantidade b. Importação; Setor (10 Central'
no período t. Indústria,
física c. Saldo 27 UFs e SCCs + 3 - 'América
A taxa de variação de V1 na 1. Bens Comércio
transacionada Comercial; Brasil Total dos do Norte'
desagregação d, Exterior e
(em massa) d. Valor SCCs) 4 - 'Ásia'
no período t em relação a t-1 é: Serviços
Transacionado 5 - 'Europa'
(MDIC)
6 - 'Oceania'
𝑉13𝑡,𝑑 7 - 'Mundo'
𝑉13 = ( −1)
𝑉13𝑡−1,𝑑
13 Descritivo
Ministério
da
Indústria,
(𝑃𝑡 ×𝑊𝑡)×𝐸𝑡
( ) Comércio
(𝐶𝑡 ×𝑊𝑡 )
𝑉14 = (𝑃0 ×𝑊0 )×𝐸0 × 100 Exterior e
( (𝐶0 ×𝑊0 )
)
Serviços
Sendo Pt o preço das exportações no (MDIC),
período t, P0 o preço das exportações no Fundação
período base; Wt a participação dos SCC Centro de
na massa salarial da economia brasileira Estudos de
Índice de no período t, W0 a mesma participação Total dos Comércio
Rentabilidade no período base; Ct o custo de produção Setores Exterior
14 Índice 1. Bens Exportação Brasil Mundo
das no período t, C0 o custo de produção no Culturais e (FUNCEX)
Exportações período base; e Et a taxa de câmbio Criativos e Ministério
efetiva real no período t e E0 é a taxa de do Trabalho
câmbio efetiva real no período base. e da
Previdência
Social
(MTPS)
Bank of
Internationa
l
Settelments
(BIS)
𝑚𝑖,𝑡
𝑉15 = {1 + [( ) − 1] × (𝑃𝑚𝑖,𝑡 )} × 1 - 'África'
𝑚𝑖,𝑡−1
2 - 'América
𝑚𝑖,𝑡−1 Ministério
{1 + [(𝑚 ) − 1] × (𝑃𝑚𝑖,𝑡−1 )} × 100 do Sul e
𝑖,𝑡−2 da
Total dos Central'
Indústria,
Índice de Sendo m a variação do total das a. Exportação; Setores 3 - 'América
15 Descritivo 1. Bens Brasil Comércio
Demanda importações de produtos brasileiros no b. Importação; Culturais e do Norte'
Exterior e
continente i em um período t e Pm a Criativos 4 - 'Ásia'
Serviços
participação das importações de produtos 5 - 'Europa'
(MDIC)
dos SCC no continente i em um período 6 - 'Oceania'
de t. 7 - 'Mundo'
1 - 'África'
2 - 'América
Ministério
do Sul e
da
Setor (10 Central'
Indústria,
Empresas 1. Bens a. Exportação; 27 UFs e SCCs + 3 - 'América
16 Descritivo 𝑉16 = Comércio
Exportadoras 2. Serviços b. Importação Brasil Total dos do Norte'
SCCs) 4 - 'Ásia'
Exterior e Formatted: Font: (Default) Times New Roman, 8 pt
Serviços
5 - 'Europa'
(MDIC)
6 - 'Oceania'
7 - 'Mundo'