You are on page 1of 9

República de Angola

SECRETARIA DE ESTADO PARA O ENSINO


SUPERIOR INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DE
EDUCAÇÃO
= ISCED-HUAMBO=
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

Sector de Pedagogia

ANTE – PROJECTO DE INVESTIGAÇÃO PARA OBTENÇÃO DO GRAU DE


LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

TEMA:
PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA DE
HISTÓRIA DA 5ª CLASSE NA ESCOLA N.º 56 DO BAIRRO DE
FÁTIMA – HUAMBO

CURSO DE PEDAGOGIA
4º ANO

Autora:
Esperança da Conceição Menezes Cativa

Orientador:
Dr. Dário Ridrigues Pais
Huambo, Maio de 2010

INTRODUÇÃO

Ensinar História, aprender História e formar qualificadamente os profissionais que


dela se ocuparão na educação básica tem sido objecto de preocupações de
professores e pesquisadores durante décadas. O presente trabalho artigo procura
problematizar tais preocupações, focalizando os métodos e meios mais adequados
para o ensino da disciplina de História e a importância da formação do professor
reflexivo e investigador da sua prática e dos contextos escolares, atento aos
processos cognitivos dos alunos, como elemento de contribuição para a
qualificação do ensino e da aprendizagem em História

Estudos revelam que o domínio da leitura e da escrita é o elemento fundamental


para a aprendizagem de qualquer componente curricular, e especialmente da
história e, as pesquisas apontam que maior parte dos estudantes da 5ª classe se
encontram praticamente em situação de analfabetismo e não desenvolveram as
competências básicas de leitura (CAIMI, 2006).

Isto dificulta imensamente o ensino-aprendizagem da disciplina de história em


classes do ensino fundamental a medida em que as crianças não têm habilidades
suficientes de leitura e de interpretação de textos para fazerem a sua auto
aprendizagem.

Ensinar História para crianças não é tarefa das mais fáceis. Principalmente por ser
esta a disciplina que encontra maior resistência entre os alunos do ensino
fundamental. As questões mais frequentes são: porque devo estudar o que já
passou? Para que guardar todas estas datas? O que tem a ver com minha vida
estes fatos? Existe uma comunidade de sentidos no que se refere à disciplina
História.

O importante não é só o acervo de conhecimentos que se deve seleccionar para


instruir o ensino, igualmente importante é a maneira como se deve realizar este
ensino, o modo como o ensino é trabalhado. Ou seja, a metodologia de trabalho na
escola. Alfabetizar, por exemplo, pode ser feito por diversos métodos: alfabetizar a

2
partir da vivência, da realidade dos alfabetizados, fazendo com que eles ampliem o
conhecimento de sua realidade e incorporem outros conhecimentos, exige um
determinado método, não qualquer método (BORGES e BRAGA, 2007).

Uma vez que os professores têm uma cultura superior à dos alunos, entre as quais
a cultura dos historiadores, são eles quem devem conduzir os alunos a uma
examinação mais correcta dos acontecimentos, ajudando-os, por isso, a melhorar
os seus conhecimentos culturais. Os professores são responsáveis pela
estruturação das experiências de aprendizagem dos alunos. Deste modo, o
professor procura a compreensão da natureza do conhecimento histórico dos
sábios, do que o conhecimento histórico pode significar para os alunos e uma
sensibilidade para os ajudar nas escolhas instrutivas.

Neste sentido, o ensino – aprendizagem da história deveria incidir nas questões


que os estudantes colocam à sua própria cultura e experiências, na investigação
do passado que as questões delimitam e teorizam e importam para o presente.
Assim os estudantes estariam directamente próximos das componentes do
conhecimento histórico essenciais para eles entenderem as suas próprias vidas, as
suas posições no mundo, dentro do contexto temporal da história (FERTUZINHOS,
2004).

Os métodos enquanto concepção e procedimentos de ensino têm se constituído


numa permanente preocupação e num desafio para os professores de história.
Perguntas como: a história é uma disciplina decorativa? Ela deve ensinar o aluno a
ser crítico sem se preocupar com o factual? Porquê a maioria dos alunos não se
interessa muito pela disciplina? Qual deve ser a postura política, ideológica e
pedagógica do professor de história? (ISAAC, 1997)

Estas e outras questões combinadas com qual o método e meios de ensino


adequados para o processo de ensino-aprendizagem de história são as que vai se
debruçar o presente trabalho.

3
Importância e razão da escolha do tema

A Escola n.º 56 é caracterizada com um alto nível de das condições de trabalho,


existe um excessivo n.º de alunos por turma e, actualmente os métodos de ensino
nas aulas de História são mais baseados na memorização e na repetição oral dos
textos escritos. Existe escassez de materiais didácticos. Ensinar História na Escola
n.º 56 do Bairro de Fátima caracteriza-se na transmissão de pontos estabelecidos
nos livros, dentro do programa oficial e considera-se que aprender História reduz-
se, a saber, repetir as lições recebidas. A Escola não tem actualmente um
programa de excursões para visitas a monumentos e sítios de forma a dar uma
maior practicidade dos conhecimentos transmitidos e os métodos de ensino de
história estão pouco diversificados mediante a o contexto e as particularidades da
classe e dos alunos.

Por outro lado ainda prevalecem os métodos tradicionais de ensino afastando para
longe o ensino crítico da História com o objectivo de desenvolver no aluno atitudes
desalienantes, uma vez que as acções desenvolvidas na escola não oferecem
nenhuma condição para desenvolver tal atitude (crítica), prevalecendo assim, a
visão tecnicista apolítica descontextualizada e vazia.

No campo da aprendizagem, ou seja por parte dos alunos alguns aspectos estão a
influenciar viementemente no cumprimento cabaz dum processo exitoso de
aprendizagem, tal é o facto da falta de interesse pelo ensino de história, os
métodos empregues o fraco acompanhamento dos pais e os próprios hábitos e
costumes dos alunos que são largamente influenciados pela famílias como a
grande perca de tempo ao assistir televisão ao invés de resolver as tarefas de casa
ou estudar. Com estes argumentos acima apresentados e com o objectivo de se
fazer uma abordagem em profundidade do processo de ensino-aprendizagem da
disciplina de história na 5ª classe da Escola n.º 56 do Bairro de Fátima, levanta-se
o seguinte problema científico:

Problema Científico

4
Que dificuldades se apresentam no processo de ensino-aprendizagem da disciplina
de história na Escola n.º 56 do Bairro de Fátima – Huambo?

Objecto de estudo: Dificuldades no ensino de História.

Campo de acção: Processo de ensino-aprendizagem.

Objectivo Geral:

Ebaborar uma proposta de sugestões para melhorar o processo de ensino-


aprendizagem da disciplina de História na 5ª classe

Objectivos Específicos:
• Fundamentar teoricamente as dificuldades no processo de ensino-
aprendizagem de História
• Diagnosticar a situação actual das dificuldades no processo de ensino-
aprendizagem de História da 5ª classe na Escola n.º 56 do Bairro de Fátima
– Huambo.
• Propor acções com vista a melhorar o processo de ensino-aprendizagem da
disciplina de história na 5ª classe da Escola n.º 56 do Bairro de Fátima-
Huambo.

Ideia a Defender
A selecção de métodos eficazes no processo de ensino-aprendizagem da dsiciplina
de História da 5ª classe bem como o envolvimento da família no acompanhamento
da educação dos filhos e uma melhor formação metodológica do professores vai
contribuir para uma melhoria da qualidade do processo de ensino-aprendizagem da
disciplina de história na Escola n.º 56 do Bairro de Fátima – Huambo.

5
Estrutura da tese

A presente tese será estruturada por uma introdução, dois capítulos, conclusão,
recomendações e bibliografia.
O primeiro capítulo da fundamentação teórica espelha um conteúdo científico
testemunhado por várias obras de diversos autores.
Atendendo as particularidades dos requisitos metodológicos para este tipo de
trabalho, passa-se a fazer referência ao marco teórico do presente trabalho:

1.1 Abordagem Histórica e conceitual da Importância do ensino de história no


ensino primário;
1.2 Principais causas do insucesso escolar no ensino de historia no ciclo básico e
sobretudo no primário
1.3 Os métodos de ensino no geral
1.4 Os métodos de ensino específicos da disciplina de historia
1.5 O papel da família no acompanhamento dos filhos para melhores resultados do
ensino de historia
1.6 A formação de professores na metodologia do ensino de historia
1.7 Acções importantes para melhorar o ensino de história

FUNDAMENTAÇÃO METODOLÓGICA

Modelo de investigação: descritiva-exploratoria uma vez que o objectivo da


pesquisa exploratória é buscar entender as razões e motivações subentendidas
para determinadas atitudes e comportamentos das pessoas. Ela é frequentemente
utilizada na geração de hipóteses e na identificação de variáveis que devem ser
incluídas na pesquisa. A pesquisa exploratória proporciona a formação de ideias
para o entendimento do conjunto do problema, enquanto que a pesquisa descritiva
procura quantificar os dados colhidos e analisá-los estatisticamente (Malhotra,
1993).

6
Métodos seleccionados para a realização da presente investigação

Métodos teóricos:

ANALÍTICO – SINTÉTICO: Consiste na interpretação e análise de um objecto ou


na dissociação de um todo em suas partes. Com este método far-se-á a
interpretação dos diversos factores que influenciam na baixa qualidade do ensino
de história e quais são as suas principais facetas de resolução ou mitigação.

INDUTIVO-DEDUTIVO: Define-se, sendo uma forma de raciocínio por meio do


qual se passa do conhecimento de casos gerais para casos particulares e do
conhecimento de casos particulares para conhecimentos gerais, com este método
foi possível estudar as dificuldades enfrentadas quer no ensino como na
aprendizagem de historia e o seu impacto na qualidade do processo de ensino-
aprendizagem no geral.

Métodos Empíricos:

ENTREVISTA, QUESTIONÁRIO E OBSERVAÇÃO

ENTREVISTA: Técnica que visa obter informações de interesses a uma


investigação no qual o pesquisador formula pergunta orientada com o objectivo
definido. Com a aplicação deste método nos foi possível diagnosticar a falta de
material didáctico na disciplina de educação física.
As entrevistas serão de tipo estruturado e se aplicará de maneira individual para
todos os sujeitos da pesquisa, tendo como objectivos colher informações sobre as
dificuldades no processo de ensino-aprendizagem de historia. Para tal elaborar-se-
á guiões de entrevista o mesmo será elaborado pela autora.

QUESTIONÁRIO: Um questionário é um instrumento de investigação que visa


recolher informações baseando-se, geralmente, na aquisição de um grupo
representativo da população em estudo. Para tal, coloca-se uma série de questões
que abrangem um tema de interesse para os investigadores, não havendo

7
interacção directa entre estes e os inquiridos. A utilização deste método permitirá
obter diferentes opiniões dos professores, alunos e famílias sobre as difuculdades
no processo de ensino-aprendizagem da disciplina de historia na 5ª classe da
Escola n.º 56 do Bairro de Fátima – Huambo.

OBSERVAÇÃO: A observação é uma das etapas do método científico que


consiste em perceber e ver ou é a técnica que permite fazer o uso dos sentidos
com vista a adquirir os conhecimentos necessário para o quotidiano pode ser
utilizada como procedimento cientifica, medida em que serve a um objectivo
formulado de pesquisa e sistematicamente planificação e submetida a verificação
controlo de validade e precisão. Serão observadas as aulas dos professores para
captar os métodos empregues pelos professores e o comportamento dos alunos na
sala de aula e a sua resposta de interesse em relação as aulas.

POPULAÇÃO E AMOSTRA

A POPULAÇÃO

Para a realização da pesquisa, a população será de 384 estudantes matriculados


na 5ª classe na Escola n.º 56 do Bairro de Fátima – Huambo, 3 Membros da
Direcção da Escola, 10 professores da 5ª classe da mesma escola e 384
encarregados de educação.

AMOSTRA

A amostra para pesquisa é de 120 alunos, 1 Subdirector pedagógico e 60


encarregados de educação.

TIPO DE AMOSTRAGEM

Para a realização da presente investigação o tipo de amostragem é não


probabilístico porque os elementos foram escolhidos ao acaso, vendo em cada
indivíduo da população igual a possibilidade de aparecer na amostra.

8
Referências Bibliográficas

CAIMI, Flávia Eloisa, Por que os alunos (não) aprendem História? Reflexões
sobre ensino, aprendizagem e formação de professores de História, Junho de
2006.
BORGES, Maria Aparecida Quadros e BRAGA, Jezulino Lúcio Mendes, O ensino
de história nos anos iniciais do ensino fundamental, 2007
FERTUZINHOS, Carlos Jorge Martins, “A Aprendizagem da História no 1º Ciclo
do Ensino Básico e o uso do Texto Prosa e da Banda Desenhada” Um estudo
com alunos do 4º ano de escolaridade, Instituto de Educação e Psicologia –
Universidade do Minho, Braga 2004.
ISAAC, Paulo Augusto Mário, Uma experi3ncia de “ensinar” História, In
Coletâneas do Nosso Tempo – Revista do Departamento de História
/ICHS/CUR/UFMT, Rondonópolis, Ano I, n.º 2, 1997, p. 39-50