You are on page 1of 2

Arriscas?

N.º 150

EDIÇÃO N.º 150


NOVEMBRO | 2016
MENSAL PORTUGAL
(CONT.) €1,60

NOVEMBRO DE 2016 Como é que reagimos


quando nos sentimos em
perigo? Sentir medo
é bom? Quando é
que somos capazes
de arriscar?

Português
2.º ciclo
MORCEGOS No tatami
Os melhores com
amigos das TELMA NOVA
bibliotecas MONTEIRO INICIATIVA VEM DESCOBRIR O ESPAÇO!

Guia do Professor

Morcegos - os agentes
secretos das bibliotecas
Sumário MA
IS

p.20

I
AN
Durante a noite, estranhos mamíferos voadores Os morcegos...

invadem a biblioteca do Palácio Nacional de


Mafra para se regalarem com verdadeiros
banquetes. Na manhã seguinte, o chão da
Morcegos,secretos
... adoram piolhos dos livros,

biblioteca está cheio de guano (cocó de morcego. peixes de prata, térmitas


e carunchos da madeira

Mas os bibliotecários não se importam com isto,


os agentes
das bibliotecas
pois consideram que os morcegos são os seus Entram à socapa durante a noite,
ladrões. Mantêm as bibliotecas em
mas não são
segurança,
mas não são polícias. Ai do inseto
maiores ajudantes. à frente! São morcegos guardadores
que lhes aparecer
de livros
Porque os morcegos vão para a
biblioteca à noite, não é preciso
usar produtos químicos para
...que se alimentam do papel,
da cola, das linhas que cosem
manter os livros em bom estado as encadernações, e das capas
de couro dos livros

A caminhada é longa: é preciso


percorrer compridos corre-
dores, cheios de quadros de reis e
de Mafra: a biblioteca.
Teresa Amaral já está mais do que
prateleiras da Biblioteca do Palácio
Nacional de Mafra – obras muito
para a biblioteca. Teresa chama-lhes
Para conseguir isso, Teresa diz que
habituada a esta caminhada diária. “filhos únicos” porque não existem
antigas e raras. a biblioteca conta com uns ajudantes
imperadores, e passar por salas com outros iguais em Portugal e, no caso
Trabalha na biblioteca há 24 anos. muito especiais... morcegos!
mesas antigas, onde rainhas deram de alguns, em nenhuma outra parte
“Só nunca me posso esquecer de
luxuosos jantares, e quartos com Quando mandou construir o
nada lá em baixo, senão tenho de do mundo!
palácio, no século XVIII, o rei Parece que estes mamíferos
berços, onde dormiram pequenos Livros tão preciosos precisam de ser
andar isto tudo outra vez”, brinca. voadores são uns autênticos biblio-
infantes. Só assim se consegue che- D. João V enviou emissários espe-
É ela a responsável por guardar os cuidados para se manterem em bom
ciais ao estrangeiro, para compra- tecários! Como que é eles protegem
gar à maior ala do Palácio Nacional estado e continuarem a poder ser li-
mais de 30 mil livros que ocupam as os livros? Durante a noite, os morce-
rem os melhores livros da época
20 dos depois de tantos e tantos anos
gos entram por pequenos buracos

21

Objetivos do programa de Português

DOMÍNIOS METAS
DE CONTEÚDOS CURRICULARES

ORALIDADE 1.1. a 1.7. - Interpretar textos orais


(OR) 3.1.; 3.2.; 3.6.; 3.7. - Produzir textos orais

9.1. a 9.3. – Organizar informação


10.2. – Avaliar criticamente textos
LEITURA E ESCRITA
(LES) 12.1. – Planificar a escrita de textos
14.1. – Escrever textos narrativos
19.1. a 19.7. – Rever textos escritos

A proposta pode ser realizada individualmente ou em trabalho a par. 


O/A professor/a poderá combinar com os alunos um tempo limite para a escrita do texto.
Os textos poderão ser ilustrados e compilados num livro.
Nome: Data:

Ficha de Português
Lê o artigo das páginas 20 a 24 da Visão Júnior de novembro (“Morcegos - os agentes secretos
das bibliotecas”).
Do artigo que leste, selecionámos algumas personagens e ações. Acrescentámos locais onde essas ações
poderão decorrer. Com tudo isto criámos três conjuntos de cartas para jogar com a imaginação.
Personagem Ação Espaço

EU Comer Rastejar

EU Rei Comer Rastejar Biblioteca Quarto

Voar Procurar

Bicharoco Morcego Voar Procurar Palácio Jardim

Roubar Ousar

Rainha Bibliotecário Roubar Ousar Corredor Sala


Propomos-te, agora, que escrevas um texto a partir das seguintes indicações:
1 Seleciona duas cartas “Personagem”, uma carta “Ação” e uma carta “Local ”;

2 Cria um plano para o texto, preenchendo rapidamente o seguinte esquema:

INTRODUÇÃO Quem:
Onde:
Quando:

DESENVOLVIMENTO O que aconteceu:

CONCLUSÃO Como terminou:

3 Escreve o texto e, no final, revê o trabalho realizado.


4 Apresenta, oralmente, o teu texto.
© 2016 VISÃO Júnior. Esta página pode ser fotocopiada. Edição n.º 150, novembro 2016.

Related Interests