You are on page 1of 4

O que são direitos de autor e os que lhe

são conexos:?Explique e exemplifique


É um conjunto de prerrogativas conferidas
por lei à pessoa física ou jurídica criadora
da obra intelectual, para que ela possa
gozar dos benefícios morais e intelectuais
resultantes da exploração de suas criações.
O Direito Autoral está regulamentado por
um conjunto de normas jurídicas que visa
proteger as relações entre o criador e a
utilização de obras artísticas, literárias ou
científicas, tais como textos, livros,
pinturas, esculturas, músicas, ilustrações,
projetos de arquitetura, gravuras,
fotografias e etc.
Os direitos conexos são os direitos
reconhecidos a determinadas categorias
que auxiliam na criação, produção ou
difusão da obra intelectual. Entre os
titulares conexos estão os intérpretes,
músicos acompanhantes, produtores
fonográficos (são os responsáveis pela
produção e divulgação dos fonogramas e
do suporte utilizado, CD ou DVD) e as
empresas de radiodifusão.
Os direitos autorais são divididos, para
efeitos legais, em direitos morais e
patrimoniais.
Os direitos morais são os laços
permanentes que unem o autor à sua
criação intelectual, permitindo a defesa de
sua própria personalidade.
Por sua vez, os direitos patrimoniais são
aqueles que se referem principalmente à
utilização econômica de obra intelectual,
por qualquer processo técnico já existente
ou ainda a ser inventado, caracterizando-se
como o direito exclusivo do autor de
utilizar, fruir e dispor de sua obra criativa,
da maneira que quiser, bem como permitir
que terceiros a utilizem, total ou
parcialmente, caracterizando-se como
verdadeiro direito de propriedade
garantido em nossa Constituição Federal.
Ao contrário dos direitos morais, que são
intransferíveis, imprescritíveis,
inalienáveis e irrenunciáveis, os direitos
patrimoniais podem ser transferidos ou
cedidos a outras pessoas, às quais o autor
concede direito de representação ou
mesmo de utilização de suas criações. Sem
autorização, portanto, a obra intelectual
não poderá ser utilizada sob qualquer
forma, e se o for, a pessoa responsável
pela utilização desautorizada estará
violando normas de direito autoral,
conduta passível de medidas judiciais na
esfera cível sem prejuízo das medidas
criminais.
È legal tirar copias reprográficas de
obras artísticas,literárias ou cientificas?
Fundamente sua resposta.
Reprodução é a cópia em um ou mais
exemplares de uma obra literária, artística
ou científica. Contrafação é a cópia não
autorizada de uma obra. Desta forma, toda
reprodução é uma cópia, e cópia sem
autorização do titular dos direitos autorais
e/ou detentor dos direitos de reprodução
ou fora das estipulações legais constitui
contrafação, ato ilícito civil e penal.
De acordo com o disposto no artigo 28 da
Lei do Direito Autoral, cabe ao autor o
direito exclusivo de utilizar, fruir e dispor
da obra literária, artística ou científica. O
artigo 29 dispõe que depende de
autorização prévia e expressa do autor a
utilização da obra, por quaisquer
modalidades, dentre elas a reprodução
parcial ou integral.
Contudo, essa exclusividade é limitada
pelas hipóteses expressamente indicadas
no artigo 46 da mesma Lei. Fora dessas
exceções legais, e da permissão da cópia
para uso privado do copista, a reprodução,
sem autorização do titular de direitos
autorais ou de seu representante, constitui
contrafação passível de punição nas
esferas cível e criminal.
São permitidas apenas cópias, em um só
exemplar, para uso privado do copista,
sem intuito de lucro direto ou indireto.
Copiar para distribuir, ainda que sem
ganho material, é contra a lei e ofende o
quesito “uso próprio”
Defina,explique e exemplifique
propriedade intelectual.
Propriedade intelectual é expressão
genérica que pretende garantir a inventores
ou responsáveis por qualquer produção do
intelecto (seja nos domínios industrial,
científico, literário e/ou artístico) o direito
de auferir, ao menos por um determinado
período de tempo, recompensa pela
própria criação. Segundo definição da
Organização Mundial de Propriedade
Intelectual (OMPI), constituem
propriedade intelectual as invenções, obras
literárias e artísticas, símbolos, nomes,
imagens, desenhos e modelos utilizados
pelo comércio.
A propriedade intelectual abrange duas
grandes áreas: Propriedade Industrial
(patentes, marcas, desenho industrial,
indicações geográficas e proteção de
cultivares) e Direito Autoral (obras
literárias e artísticas, programas de
computador, domínios na Internet e
cultura imaterial).
Baseado no direito de personalidade
,qualquer pessoa poderá ter sua imagem
utilizada sem sua autorização ?E com
sua autorização ?Em qualquer tempo?
Para qualquer fim?Explique e
exemplifique
O direito à própria imagem é inalienável e
intransmissível, uma vez que não há como
dissociá-lo de seu titular. Entretanto, não é
indisponível e é esta a grande
característica do direito à imagem: a
possibilidade de dispor ou não da própria
imagem para que outros a utilizem para
diversos fins. Pode assim, a pessoa
explorar a sua própria imagem.
Portanto, ao titular do direito de imagem
compete o consentimento no uso da
imagem. Então, a questão do
consentimento se revela especialmente
pelo fato de, autorizada a utilização da
imagem, cessar qualquer direito de
pretender a indenização prevista pela lei.
O consentimento deve ser específico para
que não haja o uso indevido.
Além do consentimento de publicação,
pode ocorrer o de alteração da imagem,
necessitando também da autorização do
titular, exceto em casos de caricatura
desde que a modificação não seja
injuriosa. Assim, a partir de um contrato
adequado, onde necessariamente devem
estar explicitados todos os elementos
integrantes do ajuste de vontades, a pessoa
pode extrair proveito econômico de sua
imagem.
Entretanto, há limitações impostas que
restringem o exercício do direito à própria
imagem. Essas restrições são baseadas na
prevalência do interesse social, e, portanto,
o direito coletivo sobrepõe o direito
individual. Se o retratado tiver
notoriedade, é livre a utilização de sua
imagem para fins informativos, que não
tenham objetivos comerciais, e desde que
não haja intromissão em sua vida privada.
Com as ressalvas feitas no caso anterior, é
livre também a fixação da imagem
realizada com objetivo cultural, porque a
informação cultural prevalece sobre o
indivíduo e sua imagem desde que
respeitadas as finalidades da informação
ou notícia. Há também os casos de
limitação relacionada à ordem pública,
como a reprodução e difusão de um retrato
falado por exigências de polícia.
Obviamente, não teria lógica um
criminoso se opor à esta exposição de sua
imagem. Há ainda o caso do indivíduo
retratado em cenário público, ou durante
acontecimentos sociais, pois ao
permanecer em lugar público, o indivíduo,
implicitamente, autorizou a veiculação de
sua imagem, dentro do liame notícia-
imagem. Esse indivíduo só poderá alegar
ofensa a seu direito à própria imagem se a
utilização da fixação da imagem for de
cunho comercial.
Essas limitações fazem com que
determinadas utilizações da imagem não
sejam ilícitas, mesmo que se realizem sem
o consentimento do retratado, pois
permitem a violação da imagem,
colocando-a fora da proteção legal. Pode-
se concluir, então, que com exceção dessas
possibilidades, qualquer outro uso da
imagem alheia sem autorização do titular
constitui violação do direito à imagem.