You are on page 1of 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ...

VARA CRIMINAL DO TRIBUNAL


DO JÚRI DA COMARCA DE ...

Processo nº

Jerusa, já qualificado nos autos do processo em epígrafe, vem por meio


de seu advogado infra-assinado que lhe move o Ministério Público, inconformado
com a decisão de fls., que pronunciou a acusada pela prática do delito de
homicídio doloso simples, na modalidade dolo eventual, previsto no art. 121
c/c Art. 18, I, parte final, ambos do Código Penal, vem respeitosamente, à
presença de Vossa Excelência com fulcro no artigo 581, inc. IV do CPP, interpor

RECURSO EM SENTIDO ESTRITO.

Nesse sentido, requer seja recebido o recurso e procedido o juízo de


retratação, nos termos do art.589 Código Processo Penal, com a finalidade de
impronunciar a acusada. Assim não entendendo Vossa Excelência, requer o
processamento do recurso, remetendo-o ao Egrégio Tribunal de Justiça.

Termos em que;
Pede deferimento.

Loca, 09 de agosto de 2016

Advogado
OAB nº...
EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ...

Recorrente: Jerusa
Recorrido: Ministério Público
Processo nº:...
Origem: ... VARA CRIMINAL DO TRIBUNAL DO JÚRI DA COMARCA DE ...

RAZÕES DE RECURSO EM SENTIDO ESTRITO

EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA


COLENDA CÂMARA CRIMINAL
DOUTA PROCURADORIA DE JUSTIÇA

Não se conformando com a respeitável decisão proferida, vem dela RECORRER


EM SENTIDO ESTRITO, aguardando que ao final seja ela reformada, pelas razões
a seguir expostas:

I) DOS FATOS

A recorrente foi denunciada e processada, conforme exposto na denúncia


pelo crime de homicídio doloso simples, na modalidade dolo eventual – Artigo
121c/c Artigo 18, inciso I, parte final, ambos do Código Penal ao realizar
ultrapassagem em via pública não utilizando da respectiva seta sinalizadora
do veículo em que trafegava, culminando na colisão com a vítima que transitava
em uma motocicleta e mesmo com a prestativa de socorro solicitada pela
Recorrente veio a falecer em razão dos sofrimentos sofridos pelo acidente.
Após recebimento da denúncia, regular instrução criminal e finda fase
probatória o juiz pronunciou a recorrente pelo crime apontado na exordial.
No entanto, não merece respaldo a decisão de pronúncia proferida pelas
razões a seguir.

II) DO DIREITO
II.1) DA DESCLASSIFICAÇÃO DA CONDUTA PELA AUSÊNCIA DE DOLO

Como pode ser verificado nos autos da presente ação, a Recorrente, em


momento algum agiu com dolo e sim com culpa. Isso porque o dolo eventual
exige, além da previsão do resultado, que o agente assuma o risco pela
ocorrência do mesmo, nos termos do Art. 18, I (parte final) do CP, que adotou,
em relação ao dolo eventual, a teoria do consentimento. Nesse sentido, a
conduta de Jerusa amolda-se àquela descrita no Art. 302 do CTB, razão pela
qual ela deve responder pela prática, apenas, de homicídio culposo na direção
de veículo automotor.
Dessa Forma, percebe-se NITIDAMENTE que a conduta que melhor se adequa
ao caso ora discutido é a conduta prevista no artigo 302 do Código de trânsito
Brasileiro, razão pela qual a Recorrente deverá responder somente pela prática
de Homicídio culposo na Direção de Veículo Automotor.

II) DA INCOMPETÊNCIA DO TRIBUNAL DO JURI

Assim, com a INEXISTENCIA da ocorrência de crime doloso contra a vida, o


tribunal do Júri não é competente para apreciar a questão, razão pela qual
deve ocorrer a desclassificação, nos termos do artigo 419 do Código de Processo
penal.

III – DOS PEDIDOS

Diante do exposto requer a Vossa Excelência o recebimento e provimento


do presente recurso com a aplicação da desclassificação do crime imputado
a Recorrente, nos termos do Artigo 419 do CPP, para homicídio culposo na
direção de veículo automotor, previsto no artigo 302 do Código de trânsito
Brasileiro, remetendo-se os autos para o juiz competente para processamento e
julgamento, por ser medida de inteira justiça.

Termos em que,
Pede deferimento.

Local, 09 de agosto de 2016

Advogado...
OAB..