You are on page 1of 43

ACADEMIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

Curso de Extensão

TEATROS & AFINS


DIRETRIZES DE PROJETO E DE CÁLCULO

Prof. Nelson Solano


Prof. Convidado José Ovídio Ramos
ABSORVEDORES ESPECIAIS
O que são?
Para que servem?

Tipos, características e aplicações.


ABSORVEDORES ESPECIAIS

São componentes de
revestimento interno
(principalmente paredes) ou
externo e que têm absorção
seletiva essencialmente em
baixas frequências.
Interna
Absorvedores
Boas condições de Especiais
audibilidade e Caracterização
inteligibilidade das Diferentes
Fontes de Ruído
Caracterização Isolamento, ABSORÇÃO
do Entorno ou ambos ?

Externa

OBJETIVO: O EDIFÍCIO como


Conforto Relação Edifício / Síntese.
Acústico Entorno: Produto final no qual o
Forma de objetivo inicial será
Implantação dos atingido
Edifícios
Exigências PARTIDO
Humanas e ARQUITETÔNICO
Funcionais

Boas condições de
sossego e trabalho Comportamento e Emprego dos
O grau de silêncio Materiais e Componentes
essencial ao Relação Custo / Desempenho
conforto varia

Para que servem ?


ABSORVEDORES ESPECIAIS

Placas Vibrantes
(ou sistema de Ressoadores
membrana)
Semelhanças: ambos os sistemas absorvem baixas frequências,
podem ser projetados para uma frequência principal de absorção
e devem ser colocados próximos a uma superfície dura
Diferenças: Placas Vibrantes são lisas, os Ressoadores, furados
ou ranhurados e têm, estes últimos, melhor desempenho que as
primeiras
ABSORVEDORES ESPECIAIS
PLACAS VIBRANTES
(ou sistema de membrana)
ABSORVEDORES ESPECIAIS:
Placas Vibrantes para o Tratamento de Paredes

Geralmente constituídos por painéis leves, flexíveis, de pouca


espessura, que atuam como membranas, provocando reflexões em
sentido contrário; mesmo funcionamento de surdos e tambores

1 2 3
Resposta à deformação
Energia incidente Deformação da membrana produzindo uma onda
sonora em sentido contrário
Placas Vibrantes

Materiais possíveis:
9Madeira (laminados, fórmicas, aglomerados e
compensados)
9 Metais
9 Derivados de resinas plásticas
9 Vidros
9 Papelão
9 Fibrocimento
Placas Vibrantes

Ar = mola Painel = massa


PLACAS VIBRANTES:
Dimensionamento

Fo = c/ 2Π √ τ . i = 55 / √ τ . i
Sendo:
• Fo = maior frequência de absorção do painel em Hz
• i = distância da placa à parede em m
• c = velocidade do som no ar (345 m/s)
• τ = densidade superficial da membrana kg/m2
• Lembrando: τ (dens.superficial) = σ . Espessura, sendo σ
= densidade cúbica (kg/m3)

A Fo é definida ou escolhida em função da necessidade do projeto:


• da equalização do ambiente (no caso de teatros, etc.) e/ou
• da análise espectral (nos outros casos)
ABSORVEDORES ESPECIAIS
Placas Vibrantes para o Tratamento de Paredes

Exercício: Fo = 55 / √ τ . i
Calcular a F0 para a madeira contraplacada com
densidade cúbica (σ) da ordem de 750 a 850 kg/m3,
espessura de 6 mm e uma distância da parede de 4 cm.

τ= 800 x 0,006 = 4,8 Kg/m2


Para o intervalo i = 4 cm = 0,04 m, resulta:
F0 = 55 / √ 4,8 x 0,04 = 125 Hz

COEFICIENTES DE ABSORÇÃO α

Freq. F0/2 F0 2 F0 4 F0 8 F0 16 F0
α 0,35 0,50 0,30 0,15 0,08 0,07
PLACAS VIBRANTES
Estruturação dos Painéis

λ=V/f

Vigamento:
Na prática, as placas vibrantes são instaladas com
apoio num vigamento especial. Caso mais comum é
aquele em que o vigamento forma um retângulo
com dimensões, digamos, a e b, medidos segundo a
linha média das vigas ou caibros. Essas dimensões
devem estar entre o λ e o meio-comprimento de
onda relativo à frequência de ressonância F0 (2,70:2
= 1,35m para 125 Hz e 1,38:2 = 0,69m p/ 250 Hz).
PLACAS VIBRANTES
Estruturação dos Painéis
PLACAS VIBRANTES
Estruturação dos Painéis

Pode-se também,
mantendo a geometria
geral do quadriculado
das vigas, instalar placas
(com dimensões a e b)
possuindo espessuras (e)
diferentes, e variar a
profundidade do
intervalo (i), de maneira
a ter um sistema
absorvedor em diversas
faixas de frequências.
ABSORVEDORES ESPECIAIS (PARA 125 Hz)
Placas Vibrantes para o Tratamento de Paredes
Densidade Densidade Espessura Distância
Material Cúbica Superficial e = mm da placa à
Kg/m3 Kg/m2 parede (mm)
8,0 10 30
6,4 8 35
Madeira 750 4,8 6 50
contraplacada a 4,0 5 60
ou aglomerado 800 3,2 4 70
2,4 3 95
2,7 1 85
Alumínio 2.700
5,4 2 43
9,6 4 24
2.400 9,6 3 32
Chapas planas de
fibrocimento 11,5 4 20
2.875 11,5 3 27
Eucaplac Lambri 1.000 6,4 6,4 35
Eucaplac chapas ou 3,0 3 75
1.000
Formidur 4,0 4 56
Xapadur ou Triplac 1.000 2,5 2,5 90
3,2 3,2 72
Fórmica 1.420 1,42 1 160
2,84 2 80
Obs.: A distância entre os montantes entre as placas, independentemente do material a ser
utilizado deverá ser de no máximo 135mm.
Placa Vibrante Reta
(tipo painel – lambri,
sem inclinação em
nenhum dos sentidos)

Alvenaria

Placa
vibrante

Teatro Ruth
Escobar – São
Paulo/SP
Autoria: Arq.Nelson Solano
& AMBIENTAL S/c Ltda Planta
Corte Fonte: AMBIENTAL
PLACAS VIBRANTES
Detalhes:
Placa inclinada no
sentido da planta para
evitar a formação de
ecos

Auditório do
Centro de Ciências
do CNPq - Brasília
Autoria: Arq.Nelson Solano
& AMBIENTAL S/c Ltda
Fonte: AMBIENTAL
PLACAS VIBRANTES
Detalhes:
Placa inclinada no
sentido do corte para
evitar a formação de
ecos

Auditório do
SENAC Jundiaí
Autoria: Arq.Nelson Solano
& AMBIENTAL S/c Ltda
Fonte: AMBIENTAL
ABSORÇÃO DE MATERIAIS POROSOS
100mm

50mm
25mm

α
O AUMENTA COM A ESPESSURA (ACIMA) E COM A DENSIDADE
(ABAIXO – de 20 a 60 Kg/m3). Exemplo: fibra de poliester

60 Kg/m3

CURVA DE ABSORÇÃO TÍPICA DE UM


MATERIAL ABSORVENTE INDEPENDENTE- 20 Kg/m3
MENTE SE ELE É COLOCADO JUNTO OU
AFASTADO DA PAREDE

Fonte: Revista Tectonica,nº 14, p.10


ABSORÇÃO DE MATERIAIS POROSOS
Fonte: Revista Tectonica,nº 14, p.11

QUANDO UM
MATERIAL POROSO
É REVESTIDO COM
UMA
SUP.IMPERMEÁVEL
LEVE SUAS
CARACTERÍSTICAS
DE ABSORÇÃO
SOFREM
ALTERAÇÕES
CONSIDERÁVEIS,
PODENDO SE
COMPORTAR COMO
UM ABSORVERDOR
DE MEMBRANA.

Acima: Painel de lã de vidro recoberto com uma lâmina de PVC ou com


uma capa de alumínio Kraft reforçado.
ABSORVEDORES ESPECIAIS
RESSOADORES
Ressoadores
(perfurados e ranhurados)

Materiais possíveis:
9Madeira (maciça, laminados, fórmicas, aglomerados e
compensados)
9 Metais
9 Derivados de resinas plásticas
9 Tijolos furados
9 Gesso
9 Garrafas e cabaças
9Fibrocimento
ABSORVERVEDORES ESPECIAIS:
Ressoadores para o Tratamento de Paredes
• O termo “ressoador” aplica-se de modo particular a
todo sólido ôco dotado de um gargalo de comunicação
com o exterior (garrafas); o ar interior funciona como
uma mola absorvedora.
• Este sistema basea-se na
propriedade de dissipar
energia em torno de uma
frequência de ressonância
(quando sua absorção e
máxima) que é função de suas
características geométricas.
• É um sistema bastante
seletivo.
Fonte: SANTOS, Jorge Luz Pizzuti dos (2005), p.25
Ressoadores:
Dimensionamento (para furos redondos)

Volume por furo

Fo = c/ 2Π √ S/LC V L

Sendo:
V
• Fo = maior frequência de absorção do painel
• c = velocidade do ar (345 m/s) V
• d = diâmetro do gargalo
• S = área da secção transversal do gargalo = Π d2 / 4
(para furos redondos)
• LC = comprimento “corrigido” do gargalo = L + 0,8 d (diâmetro)
• V = volume por furo = volume total / número de furos Fonte: JOSSE, R. Acustica em la
Construcción, p.282
Fonte: PRADO, Luis Cintra do. Acústica Arquitetônica, FAU USP,1962

A Fo é definida ou escolhida em função da necessidade do projeto: da equalização do ambiente (no


caso de teatros, etc.) e/ou da análise espectral (nos outros casos)
Ressoadores para o Tratamento de Paredes

Fonte: JOSSE, R. Acustica em la


Construcción, p.282
Planta

Auditório do Paço
Municipal de Jundiaí
Autoria: Arq.Nelson Solano &
AMBIENTAL S/c Ltda
Fonte: AMBIENTAL
Interior do auditório

Auditório do
Centro de Ciências
Ressoador Ranhurado
do CNPq - Brasília
Autoria: Arq.Nelson Solano
& AMBIENTAL S/c Ltda
Fonte: AMBIENTAL
Fonte: EGAN, D. Architectural Acoustics, 1988,p.49
Parede de Tijolo furado 21
alvenaria de tijolo furos ∅ 25 mm
maciço Selecta

Auditório do
SENAC Barretos
Autoria: Arq.Nelson Solano
& AMBIENTAL S/c Ltda
Fonte: AMBIENTAL
Fonte: SANTOS, Jorge Luz Pizzuti dos (2005), p.48

Coeficientes de absorção para a amostra de blocos cerâmicos vazios


e cheios de argamassa.
Alternativas de
elementos
vazados
ABSORVEDORES ESPECIAIS
Ressoadores para o Tratamento de Paredes

Exemplo de cálculo

Solução Solução Solução Solução Solução


Descrição
A B C D E

Espessura 1 cm 1 cm 0,5 cm 0,5 cm 2 mm

Distância até a parede 7 cm 3,5 cm 7 cm 8,1 cm 10 cm


Diâmetro do furo 1 cm 1 cm 5 mm 3 mm 3 mm
% de furo 10 % 5% 5% 5% 3,5 %
Outros
exemplos de
placas
vibrantes e
ressoadores
ABSORVEDORES ESPECIAIS
Ressoadores para o Tratamento de Paredes

COEFICIENTES DE ABSORÇÃO α

Freq. F0/2 F0 2 F0 4 F0 8 F0 16 F0
α 0,50 0,80 0,50 0,40 0,30 0,20

Freq. F0 2F0 4 F0 8 F0 16 F0 32 F0
α 0,80 0,50 0,40 0,30 0,10 0,08

Obs: Valores válidos somente para painéis rígidos furados com material absorvente por trás
Painéis distribuídos na câmara para
ensaios dos furos nos porongos
(superior)
“Bundas” de porongo de tamanho médio,
abocadas umas nas outras, mantendo-se
espaçamento entre elas (em baixo)

Fonte: SANTOS, Jorge Luz Pizzuti dos (2005), p. 67-


69
Fonte: SANTOS, Jorge Luz Pizzuti
dos (2005), p. 70

Coeficiente de absorção sonora para a composição com “bundas” de porongos com furos coladas
sobre painéis (superior) e abocadas sem ou com espaçador (inferior)
Fonte: SANTOS, Jorge Luz Pizzuti dos
(2005), p. 52

Composição com garrafas


“PET”.

Coeficiente de absorção para diferentes composições com garrafas


“PET” 2 litros.
Combinações de diferentes mecanismos de absorção sonora

Se o objetivo for ampliar as curvas


de absorção nas frequências, os
processos poder ser combinados
POROSIDADE + MEMBRANA +
RESSOADOR
surgindo, então, materiais como:
9 forros aglomerados de madeira
ou chapas metálicas, combinados
com materiais porosos ou fibrosos;
9 combinações de fibras minerais
com tecido sintético (tecido de
vidro ou poliester) colado na face Fonte: SANTOS, Jorge Luz Pizzuti dos (2005),
exposta (SANTOS, 2005) p.28
Sistema de forros acústicos em
gesso
Ginásio de Esportes com
garrafa – Grande ABC – SP
Foto: Arq.Carla Neves
Revestimento de Parede e Teto – AMF (2007)