You are on page 1of 1

ECG

12 derivações

Cada dupla de derivação mostra uma parede do VE

D1 AVL  Lateral alta

D2 D3 AVL  Lateral inferior

V1 V2  Septo

V3 V4  Parede anterior

V5 V6  Parede lateral

Parede inferior e posterior não aparecem no ECG normal (VD)

Intervalo PR  máx 0,2s (2 quadradões)

Intervalo QRS  máx 0,12s (3 quadradinhos)

Cada quadradão é composto por 5 quadradinhos!

QRS estreito  sist de condução ventricular funcionando bem (condução do impulso para os ventr
está rápida)
QRS largo  sist de condução danificado, despolarização célula à célula

Taquicardia ventricular polimórfica (TVP)  QRS varia em uma mesma derivação (mais de uma
forma de condução elétrica)
Taquicardia ventricular monomórfica (TVM)
Alterações de isquemia e lesão mexem com a parte de repolarização no ECG

Isquemia  quando cél sofre por falta de O2


Lesão  morte
Necrose  cicatriz que fica

Lesão/Isquemia Endocárdica  Infradesnivela ST (infarto endocárdico)


Lesão/Isquemia Epicárdica  Onda T fica invertida e simétrica (AVR V1 são negativas);
Superdesnivela ST (infarto epicárdico)

Onda P sinusal é positiva em V1 e AVF


Se for negativa significa que a despolarização vem dos ventrículos (ritmo atrial ectópico)

Bloqueio AV 1º, 2º e 3º grau

Ritmo Sinusal

P+ em DI e DII Ritmo Sinusal


P- em AVR
Toda P gera QRS P+ em DI e DII
P- em AVR
Toda P gera QRS