You are on page 1of 21

INSTITUTO FEDERAL DO

CEARÁ
DEPARTAMENTO DE ARTES
CURSO DE ARTES VISUAIS

MOVIMENTOS FEMINISTAS
DA DÉCADA DE SESSENTA E
SUAS MANIFESTAÇÕES NA
ARTE CONTEMPORÂNEA
Proposta de aula de História
da Arte
Seminário para N1 -FUNDAMENTOS DO ENSINO DA
ARTE
Aluna: Naiana Rodrigues
12 de novembro de 2018
Objetivo
 Por meio de uma aula expositiva, analisar conexões entre os
movimentos reivindicatórios feministas da década de 1960 e
os trabalhos artísticos realizados, como forma de protesto e
reflexão, principalmente pelas norte-americanas e europeias.
Contexto Histórico
 Década de 1960 > saturação das utopias e ilusões do
advento da modernidade
 EUA: focos na luta contra a discriminação racial e o fim da
guerra do Vietnã.
 Abril de 1968 – Assassinato de Martin Luther King
 Europa: Na França, houve levante dos universitários
franceses
 Influências de Herbet Marcuse (Eros e Civilização, 1966):
necessidade do ser humano emancipar-se da repressão,
considerando a possibilidade de todos dizerem não às
regras da sociedade.
 Estruturação dos movimentos de contracultura dos anos 60
O Feminismo em Cena
 Livro O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir (1949)
 “Não se nasce mulher, torna-se mulher”
 First Wave Feminism: Betty Friedan e a NOW > originando o
Movimento de Libertação da Mulher
 Luta aliada às lutas pelos direitos civis dos negros dos EUA
e pelo fim da Guerra do Vietnã
 Desenvolvimento da ciência > novos métodos contraceptivos
> reinvidicações de maior liberdade sexual > “Nosso corpo
nos pertence!”
Primeiras Atuações Feministas
 Final do Séc XVIII (França) – o manifesto silencioso das
tricoteuses durante a Revolução Francesa
 1792 – Livro Reivindicações dos direitos das mulheres, de
Mary Wollstonecraft
 Nísia Floresta
 Julho de 1848 (EUA): 1ª Convenção para o Direito das
Mulheres, em Seneca Falls, NY
 Século XX – Virginia Woolf questiona a ausência das
mulheres na história no seu livro “Um teto todo seu”
 Neste século, se destaca a luta pela cidadania aliada às
manifestações a favor do sufrágio universal
Manifestações Feministas nas
Artes
 Questionamento de Linda Nochlin, historiadora de arte da
Universidade de NY (1971): “Why have there been no great
women artists?”
 A Primeira Onda de Feminismo – performances e
instalações, com temas relacionados à mulher (imagens da
vagina, sangue menstrual, nus, introdução de bordado e
cerâmica)
 Problematizações do pós-modernismo: “Vocês são
essencialistas!”
Carolee Schneemann

Obra Rolo Interior (1975 e 1977)


Judy Chicago
 A Última Ceia ou O jantar (1975-1979) – grande instalação
feita de cerâmicas
 Problematização pós-modernista – redução das mulheres a
um signo de escultura genital.
 Para Chicago: a obra seria uma reprodução da vergonha
com que as mulheres eram obrigadas a ver seus corpos
 Convite para a sua exposição na California State College
(1971) – fotografia da artista vestida de boxeur, numa atitude
desafiadora, resgatando um papel tipicamente masculino e
subvertendo-o
Anos 1970, 80, 90.....
 Um desencanto surge, relativo ao incentivo da discórdia das
relações homens x mulheres e à maneira como foi formulada
a reivindicação de igualdade (que deveria seguir um modelo
masculino)
 A própria dinâmica do movimento feminista revelou suas
diversidades e suas divisões – o „dilema da diferença‟
 Joan Scott e a criação de uma história de gênero: as
diferenças entre homens e mulheres são decorrentes de
construções sociais baseadas nas diferenças sexuais
 Luta contra o essencialismo das características sexuais dos
homens e das mulheres
Discussões e Problemáticas
 Feministas pós-modernas x First Wave Feminism:
as pós-modernas eram contra o uso da arte para tentar
oferecer imagens positivas da experiência das mulheres
a tarefa das artistas era de revelar como as características
femininas são construções sociais
Não existe uma essência feminina

 Uso da arte como crítica ao poder masculino sobre as


formas de representação feminina (no cinema, na moda, nas
artes visuais, etc)
 Representação de mulheres fora dos padrões – velhas,
mulheres deformadas, mutiladas
 “qualquer forma de representação perpetua a objetificação
da mulher”
Barbara Kruger
Sarah Charlesworth - Figures
Cindy Sherman - Stills
Constatações e Conclusão
 A constituição da história das mulheres tem relação direta
com os movimentos feministas das décadas de 60 e 70
 Artes visuais como uma ferramenta de visibilidade
 Joan Scott – os movimentos feministas são não-lineares
Avaliação – Debate em classe
 Cite exemplos de artistas mulheres feministas no Brasil que
surgiram entre o final do século XIX e o século XX, na Arte
Contemporânea
 Quais as semelhanças e diferenças entre os movimentos de
artistas feministas na Europa e EUA e aqui no Brasil?
 As críticas pós-modernistas às obras (de que estas são
essencialistas) são válidas?
Alguns exemplos....

Tarsila do Amaral (começo do Anita Mafaltti (começo do séc. XX)


séc. XX)
Letícia Parente (década de 1970)
Marcia X
(anos 1980-
1990)
REFERÊNCIA
 DINIZ, Carmen Regina Bauer. Movimentos Feministas da
Década de Sessenta e Suas Manifestações na Arte
Contemporânea. 18o ANPAP – Transversalidades nas Artes
Visuais. 2009. Salvador, Bahia.
 https://hysteria.etc.br/ler/listas-cinco-artistas-brasileiras-
radicais-por-marta-mestre/