You are on page 1of 5

REUNIÃO PEDAGÓGICA realizada em 27/02/2008

2º ANO
2008
MATUTINO
EQUIPE

Professoras regentes:
2º ano A - Professora Clécia
2º ano B – Professora Mônica
2º ano C – Professora Suely
Educação Física: Professora Daniela Teixeira
Ensino Religioso: Professora Maria Lúcia
Informática: Raquel e Gabriel
Diretor: Ir. Arlindo Corrent
Vice Diretor/ Supervisor Pedagógico:
Ir. Claudiano Tiecher
Coordenadora Pedagógica: Mariangela Menescal
Orientadora Educacional: Maria Cristina Nasiasene
Coordenadora de Turno: Daniela Melazo Dias

PAUTA:

IDENTIDADE DA ESCOLA

“Os educandos são o centro da vida e da organização escolar. Portanto,


além de construírem conhecimentos e desenvolverem competências, é
prioridade na ação educativa Marista que cultivem os valores através da
descoberta do mundo, dos outros , de si mesmos e de Deus”.
Projeto Pedagógico Marista

PRINCÍPIOS PEDAGÓGICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

a) Desenvolver a capacidade de o educando aprender, tendo como


meios básicos o domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
b) Desenvolver a compreensão do ambiente natural e social, do
sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se
fundamenta a sociedade;
c) Oportunizar o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de
solidariedade humana e do respeito mútuo em que se assenta a vida social;
d) Promover o desenvolvimento da religiosidade, a vivência autêntica
do cristianismo, mediante um ambiente escolar marcado pelos valores
evangélicos; e
e) Propiciar o comprometimento do educando para assumir
responsabilidades, enfocando sua formação e sua vida de cristão e de
cidadão numa perspectiva de serviço.

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

• Pilares:
Desenvolvimento pessoal e social
Ampliação do universo cultural
• Eixos de Referência:
1 – Competência Lingüística
2- Competência lógico-matemática
3 – Atuação no meio social
4 – Relações e convívio solidário
5 – Criatividade e movimento

PROPOSTA METODOLÓGICA

A proposta metodológica segue o trabalho com projetos que norteiam o


planejamento da sala de aula, fazendo a integração do tema escolhido pelos
estudantes com as habilidades estabelecidas para a série, no Plano de
Curso.
Essa proposta caracteriza-se por alguns pontos:
• trabalho curricular integrado.
• desenvolvimento da parceria entre estudantes/professores/famílias,
num convite à participação e à realização de tarefas concretas.
• participação do estudante como sujeito ativo que concebe, prepara e
executa o seu próprio trabalho sob orientação do professor.

Para desenvolver o projeto da turma:


*levantamento dos temas de interesse
*escolha de um tema para ser explorado durante o semestre.
Durante o desenvolvimento do projeto cada estudante monta seu
portifólio seguindo os seguintes pontos:
– Justificativa
– O que queremos descobrir?
– Nossas descobertas
– Habilidades desenvolvidas
– Fontes bibliográficas
– Conclusão
– Anexos

NÍVEIS DE DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA

NÍVEL PRÉ-SILÁBICO

NÍVEL SILÁBICO

*Características da fase:
- aceitação de palavras com uma ou duas letras,, mas ainda com conflito.
Algumas vezes acrescenta letras depois de escrever a palavra somente para
ficar mais bonito.
- utiliza uma letra para cada palavra quando escreve uma frase.
- falta definição das categorias lingüísticas ( artigo, substantivo, ... ).

SILÁBICO ALFABÉTICO
Por ser um nível intermediário, é conflitante, pois a criança precisa
negar a lógica do nível silábico e fica sem saída. Isto acontece
principalmente quando ela usa só as vogais, porque a mesma
combinação de letras serve para escrever uma porção de palavras.
Exemplo: TOAT - tomate

NÍVEL ALFABÉTICO

Neste momento a criança escreve foneticamente, mas não


ortograficamente. O desafio agora é caminhar em direção à
convencionalidade, em direção à correção ortográfica e gramatical.

AVALIAÇÃO

ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS
São agendados com a professora ou com os serviços, quando for
necessário, durante o ano letivo.

PARECER DESCRITIVO
É um documento que relaciona as habilidades anuais por trimestre.

RECUPERAÇÃO PROCESSUAL
É oferecida após cada avaliação, para aqueles alunos que precisarem
recuperar alguma habilidade que não foi atingida na avaliação proposta na
avaliação aplicada. Esta recuperação é oferecida em turno contrário.

DEVER DE CASA...
.
– É DIÁRIO;
– É registrado pelo (a) aluno (a) na agenda;
– Deve ser feito num local apropriado para este fim;
– O acompanhamento dos pais é necessário, para a verificação
das respostas e para o apoio;
– Sugerimos a criação de uma rotina em casa para que a criança
vá se acostumando com os horários específicos para cada
atividade em casa.
– Caso o aluno tenha resistência em desenvolver a atividade, o
colégio deve ser informado para ajudar a família a resolve a
situação;
– Este momento não deve se tornar desgastante para a família;
ROTINA
• Agenda
• Rodinha
• Hora do Conto
• Educação Física
• Ensino Religioso
• Biblioteca de sala
• Biblioteca/ Hora do Conto
• Informática
• Saída a campo
• Encontros de Formação

FINALIZAÇÃO

• Dúvidas

• Agradecimentos