You are on page 1of 67

CLDF

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

Lei Orgânica do DF
Da Administração Pública
MARCO SOARES

Especialista em Direito Público e Docência do


Ensino Superior. Bacharel em Direito pela Uni-
versidade Católica de Brasília. Aprovado em
diversos concursos, possui ampla experiência
como docente, principalmente na preparação de
candidatos para cargos públicos. Já foi membro
da Ordem dos Advogados do Brasil e advoga-
do colaborador da Defensoria Pública do Distrito
Federal. Autor do livro Lei Orgânica do DF para
Concursos.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

SUMÁRIO
Lei Orgânica do DF......................................................................................4
Introdução.................................................................................................4
1. Administração Pública...............................................................................6
1.1. Princípios.............................................................................................6
1.2. Administração Indireta, Fazendária e Tributária....................................... 10
1.3. Publicidade dos Atos............................................................................ 15
1.4. Prazos............................................................................................... 19
2. Serviços Públicos................................................................................... 21
Resumo.................................................................................................... 23
Questões de Concurso................................................................................ 32
Gabarito................................................................................................... 44
Gabarito Comentado.................................................................................. 45

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 3 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

LEI ORGÂNICA DO DF

Introdução

Antes de iniciarmos o estudo desta aula, eu gostaria de reforçar a metodologia

que você deve observar e seguir para o melhor aproveitamento e assimilação do

conteúdo.

1º ESTUDE O MATERIAL TEÓRICO;

2º LEIA O RESUMO NA RETA FINAL;

3º LEIA AS QUESTÕES COMENTADAS, INCLUINDO ITENS CERTOS E ERRADOS.

4º RESPONDA ÀS QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS, E, DEPOIS, CONFIRA O

GABARITO.

É comum que muitos alunos tenham dúvidas de como estudar. Isso acontece

até mesmo com candidatos mais preparados. Pensando nisso, o método aqui ofe-

recido apresenta o conteúdo de uma forma lógica e sequencial. Uma didática que

facilitará e muito a sua rotina de estudos.

Estudando da forma sugerida, você sempre terá, ao final de cada aula, uma

avaliação para saber se o conteúdo ministrado foi aprendido de forma satisfatória,

ou se precisa reforçar algum ponto específico.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 4 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Caso queira manter nosso contato, o que será um prazer, encontre-me no Fa-

cebook ou no Instagram para que possa acompanhar e curtir minhas dicas sobre a

Lei Orgânica do DF e concursos públicos em geral.

https://www.facebook.com/professormarcosoares/

@professormarcosoares

Então, está preparado(a)?

Vá e vença!

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 5 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

1. Administração Pública

O Capítulo V da LODF, mais precisamente no seu art. 19, inicia sua disposição
a respeito do tema Administração Pública. O art. supracitado é bastante extenso,
mas muito importante e interessante para os nossos estudos.
A Administração Pública, em apertada síntese (e em sentido formal, que é o
adotado no Brasil), pode ser entendida como o conjunto de órgãos e pessoas jurídi-
cas, que tenha a incumbência de executar as atividades administrativas. Alguns au-
tores entendem que não é relevante a atividade por eles exercida, mas que, como
regra, evidentemente, esses órgãos, entidades e agentes desempenham função
administrativa. A administração ocorre de forma direta (União, Estados, Distrito Fe-
deral e Municípios) ou indireta por meio de entidades administrativas (autarquias,
fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista).

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Direta Indireta

UNIÃO; AUTARQUIA;
ESTADOS; FUNDAÇÃO PÚBLICA;
DF; EMPRESA PÚBLICA;
MUNICÍPIOS. SOC. DE ECONOMIA MISTA.

A LODF disciplina expressamente a estrutura administrativa do DF, seja a admi-


nistração direta ou indireta de qualquer dos Poderes.

1.1. Princípios

A Administração Pública do Distrito Federal é norteada pelos princípios que

orientam toda a sua atividade. Eles encontram-se, explícita ou implicitamente, no

texto da Lei Orgânica do DF.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 6 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Os princípios são os postulados fundamentais que inspiram todo o modo de agir

da Administração Pública, ou seja, são as ideias centrais de um sistema, estabele-

cendo duas diretrizes e conferindo a ele um sentido lógico.

A Lei Orgânica do Distrito Federal elenca, em seu art. 19, um total de dez, isso

mesmo, 10 (dez) princípios expressos a serem observados por toda a Administra-

ção Pública Distrital.

São eles:

• LEGALIDADE;

• IMPESSOALIDADE;

• MORALIDADE;

• PUBLICIDADE;

• EFICIÊNCIA;

• TRANSPARÊNCIA;

• RAZOABILIDADE;

• INTERESSE PÚBLICO;

• MOTIVAÇÃO e

• PARTICIPAÇÃO POPULAR.

Esses são PRINCÍPIOS EXPRESSOS!

Art. 19. A Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes do Distrito


Federal obedece aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade,
razoabilidade, motivação, transparência, eficiência, interesse público e participação po-
pular.

Foi aprovada a emenda à Lei Orgânica de n. 106/2017.

Ela alterou o art. 19 da Lei Orgânica criando mais um princípio expresso para a

Administração Pública distrital, qual seja: participação popular.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 7 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

As bancas costumam afirmar que os princípios EXPRESSOS na LODF são IMPLÍCITOS.

Não vamos adentrar no conteúdo referente às disciplinas de Direito Constitucio-

nal e Direito Administrativo, mas não posso deixar de fazer uma menção, ainda que

breve, sobre cada um desses princípios.

1. PRINCÍPIO DA LEGALIDADE → esse princípio é o mais importante do di-

reito administrativo, pois dele derivam vários outros. Aqui, o administrador só pode

fazer o que a lei autoriza ou determina;

2. PRINCÍPIO DA IMPESSOALIDADE → segundo o princípio da impessoali-

dade, a atuação da Administração Pública deve ser impessoal, sem favorecer este

ou aquele indivíduo de forma diferenciada. Outro aspecto desse princípio é que não

pode ocorrer a promoção pessoal do agente público.

3. PRINCÍPIO DA MORALIDADE → esse princípio torna jurídica a exigência

de atuação ética dos agentes públicos. Está ligado ao bem comum, da boa-fé e da

honestidade.

4. PRINCÍPIO DA PUBLICIDADE → como regra, os atos da administração

merecem a mais ampla divulgação possível. É a divulgação oficial dos atos admi-

nistrativos.

5. PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA → está baseado na procura da produtividade

e economicidade, reduzindo os desperdícios de dinheiro público. A atividade admi-

nistrativa deve ser exercida com presteza, perfeição e rendimento funcional.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 8 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

6. PRINCÍPIO DA TRANSPARÊNCIA → transparência não é apenas dispo-

nibilizar dados, mas fazê-lo em linguagem clara e acessível a toda a sociedade

interessada.

7. PRINCÍPIO DA RAZOABILIDADE → visa a aferir a compatibilidade entre

meios e os fins, impondo a obrigação de os agentes públicos realizarem suas fun-

ções com equilíbrio, coerência e bom senso.

8. PRINCÍPIO DO INTERESSE PÚBLICO → vontade resultante do conjunto

de interesses que os indivíduos pessoalmente têm quando considerados em sua

qualidade de membros da sociedade.

9. PRINCÍPIO DA MOTIVAÇÃO → é a indicação dos fatos e fundamentos ju-

rídicos que autorizam a prática do ato.

Para fins de estudo da nossa matéria a cobrança, até então, está se baseando

no conhecimento sobre quais são os princípios expressos. Para ajudar você a

memorizar estes nove princípios expressos na Lei Orgânica do DF, atente-se ao

LIMPE TRIM, sendo:

L – EGALIDADE

I – MPESSOALIDADE

M ORALIDADE

P UBLICIDADE

E FICIÊNCIA

T RANSPARÊNCIA

R AZOABILIDADE

I – NTERESSE PÚBLICO

M OTIVAÇÃO

P ARTICIPAÇÃO POPULAR

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 9 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

1.2. Administração Indireta, Fazendária e Tributária

Nós estudamos no início dessa aula as entidades que compõem a Administração

Pública Indireta. Esse conteúdo é cobrado em Direito Administrativo, bastando para

a nossa matéria que você saiba como essas entidades são criadas.

Por lei específica, devemos compreender que se trata de uma lei com um único

objetivo, contendo apenas um único assunto. É por meio de lei específica que é

criada uma autarquia. No caso das demais entidades, a lei apenas autoriza a cria-

ção. Já para a lei complementar é atribuída a definição das áreas de atuação das

fundações.

Art. 19, XVIII – somente por lei específica pode ser:

a) criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade

de economia mista e de fundação, cabendo à lei complementar, neste último caso,

e definir as áreas de sua atuação;

b) transformada, fundida, cindida, incorporada, privatizada ou extinta entidade

de que trata a alínea a;

Veja bem:

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 10 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

LEI ESPECÍFICA: cria autarquia e autoriza a instituição das demais.

LEI COMPLEMENTAR: define as áreas de atuação das fundações públicas.

Para encerrar o tópico sobre as disposições gerais da Administração Pública

Distrital contidas no art. 19, transcreverei trechos da LODF que eventualmente são

cobrados em provas, fazendo os comentários pertinentes. Tais dispositivos prescin-

dem de comentários aprofundados (conceitos doutrinários), uma vez que as ban-

cas, quando os abordam, limitam-se à literalidade da lei. Vamos lá!

Vamos começar pela privatização ou extinção de empresa pública ou sociedade

de economia mista.

Para que estas entidades sejam privatizadas, a LODF exige duas condicionantes:

• aprovação pelo quórum de dois terços (2/3) dos deputados distritais; e

• aprovação da população através de referendo.

Contudo, recentemente, a Emenda à LODF n. 92, de 16/09/2015, de iniciativa

do Poder Legislativo, que dispõe que a privatização de empresa pública e da socie-

dade de economia mista está condicionada à manifestação favorável da população,

sob forma de referendo, possui outro entendimento por parte do Tribunal de Justiça

do DF. O TJDFT julgou inconstitucional tal medida (ADI n. 2015 00 2 030649-3

– TJDFT), justificando ser da competência privativa do Governador a iniciativa de

projetos de lei que disponham sobre organização e funcionamento da Administra-

ção Pública.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 11 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

§ 7º Para a privatização ou extinção de empresa pública ou sociedade de econo-


mia mista a que se refere o inciso XVIII deste artigo, a lei específica dependerá de
aprovação por dois terços dos membros da Câmara Legislativa.
I – a privatização de empresa pública ou sociedade de economia mista, de que
trata o inciso XVIII deste artigo, condicionada à autorização legislativa nos termos des-
te parágrafo, depende de manifestação favorável da população, sob a forma de
referendo.
II – a lei que autorizar a privatização, mediante alienação de ações de empresa pública e
sociedade de economia mista, estabelecerá a exigência de cumprimento pelo adquiren-
te de metas de qualidade do serviço de atendimento aos objetivos sociais inspiradores
da constituição da entidade. (Inciso acrescido pela Emenda à Lei Orgânica n. 92, de
2015, que foi declarada inconstitucional: ADI n. 2015 00 2 030649-3 – TJDFT, Diário de
Justiça, de 28/6/2016.)

Professor, como eu respondo na prova?

Fique atento(a) ao enunciado da questão. Em regra, é cobrado de acordo com

o texto da Lei Orgânica do DF.

Consta ainda no texto da Lei Fundamental que a direção superior das entida-

des da administração indireta, devem ter servidores escolhidos do quadro funcio-

nal.

Art. 24 A direção superior das empresas públicas, autarquias, fundações e sociedades


de economia mista terá representantes dos servidores, escolhidos do quadro funcional,
para exercer funções definidas, na forma da lei.

É indispensável autorização legislativa para que empresa pública ou sociedade de

economia mista do DF participe de empresa privada.

Dentre as atividades inerentes à Administração Pública, encontra-se a fiscaliza-

ção de tributos, que está sob a responsabilidade da administração fazendária.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 12 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Art. 19, XVII – a administração fazendária e seus agentes fiscais, aos quais compete
exercer privativamente a fiscalização de tributos do Distrito Federal, terão, em suas áre-
as de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos,
na forma da lei;
XXIII – aos integrantes da carreira Fiscalização e Inspeção é garantida a independência
funcional no exercício de suas atribuições, exigido nível superior de escolaridade para
ingresso na carreira.

Administração fazendária é a atividade do poder público, voltada à fiscali-

zação e arrecadação dos tributos e desenvolvida por agentes públicos que gozam

de precedência sobre os demais. Em apertada síntese, é o órgão encarregado de

arrecadar os tributos.

Os órgãos e entidades da Administração Pública podem ter sua autonomia ge-

rencial ampliada nos seguintes termos:

Art. 19., § 13. A autonomia gerencial, orçamentária e financeira dos órgãos e entidades


da Administração Pública pode ser ampliada mediante contrato, a ser firmado entre seus
administradores e o Poder Público, que tenha por objeto a fixação de metas de desem-
penho para o órgão ou a entidade, cabendo à lei dispor sobre:
I – prazo de duração do contrato;
II – controles e critérios de avaliação de desempenho, direitos, obrigações e responsa-
bilidade dos dirigentes;
III – remuneração do pessoal.

O artigo 20 da Lei Orgânica estabelece que as pessoas jurídicas de Direito Pú-

blico e as de Direito Privado, prestadoras de serviços públicos, responderão pelos

danos que seus agentes, nesta qualidade, causarem a terceiros, assegurado o di-

reito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.

Nesse sentido o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu no julgamento do Re-

curso Extraordinário 591874, que há responsabilidade civil objetiva (dever de inde-

nizar danos causados independente de culpa) das empresas que prestam serviço

público mesmo em relação a terceiros, ou seja, aos não usuários. A maioria dos

ministros negou provimento ao RE.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 13 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Administração tributária corresponde às ações do Estado, no nosso caso, o

Distrito Federal, voltadas à arrecadação de receitas para o Estado. A administração

tributária é uma atividade essencial e deve ser exercida por servidores de carreiras

específicas. Cabe mencionar que há uma grande diferença entre administração fa-

zendária e administração tributária. A expressão fazendária está relacionada com

finanças e, na área pública, é o setor que cuida das finanças públicas, controlando o

caixa e planejando os pagamentos. Já a administração tributária é aquela que cuida

da arrecadação de tributos, especificamente.

No DF, a administração tributária é encarregada basicamente de 4. (quatro)

funções: lança, fiscaliza, arrecada tributos e julga processos fiscais.

Art. 31 À administração tributária incumbem as funções de lançamento, fiscalização e


arrecadação dos tributos de competência do Distrito Federal e o julgamento administra-
tivo dos processos fiscais, os quais serão exercidos, privativamente, por integrantes da
carreira de auditoria tributária.
§ 1º O julgamento de processos fiscais em segunda instância será de competência de
órgão colegiado, integrado por servidores da carreira de auditoria tributária e represen-
tantes dos contribuintes.
§ 2º Excetuam-se da competência privativa referida no caput o lançamento, a fiscali-
zação e a arrecadação das taxas que tenham como fato gerador o exercício do poder
de polícia, bem como o julgamento de processos administrativos decorrentes dessas
funções, na forma da lei.

O § 2º, mencionado acima, se refere à multa emitida pelo DETRAN, por exemplo.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 14 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Devemos retirar também desse dispositivo que o julgamento administrativo de

processos fiscais em primeira instância é competência privativa dos integrantes da

carreira de auditoria tributária. Mas, quando o julgamento se der em segunda ins-

tância, ele será feito por um órgão colegiado composto por integrantes da carreira

e também por representantes dos contribuintes.

Algumas prioridades são conferidas à administração tributária. Elas estão

elencadas no at. 31, § 3º:

Art. 31, § 3º A administração tributária, atividade essencial ao funcionamento do Dis-


trito Federal, exercida por servidores da carreira auditoria tributária, tem recursos prio-
ritários para a realização de suas atividades e atua de forma integrada com as adminis-
trações tributárias da União, Estados e Municípios, inclusive com o compartilhamento de
cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou de convênio.

A Lei Orgânica é sucinta ao tratar da administração tributária, cabendo a lei es-

pecífica tratar das normas específicas.

Art. 32 Lei específica disciplinará a organização e o funcionamento da administração


tributária, bem como tratará da organização e estruturação da carreira específica de
auditoria tributária.

1.3. Publicidade dos Atos

Os atos administrativos são uma espécie do gênero “ato jurídico”. Enquadram-

-se na categoria de atos jurídicos. É a manifestação ou declaração de vontade da

Administração Pública, agindo nessa qualidade, em conformidade com o interesse

público.

A Administração Pública de todos os Poderes do Distrito Federal deve observar

uma série de normas impostas pela Lei Orgânica.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 15 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Atos da Administração Pública

DO DISTRITO FEDERAL

• Abrange todos os Poderes do DF;

• Sujeitam-se aos princípios constitucionais;

• Em regra, são públicos;

• Lei pode impor sigilo;

• É obrigada a fornecer cópia autenticada de seus atos a qualquer interessado;

• Deve emitir a primeira via da cédula de identidade pessoal gratuitamente;

• No processo administrativo, deve sempre observar os requisitos de validade,

o contraditório, a ampla defesa e o despacho ou a decisão motivada;

• Observar as regras pertinentes à publicidade dos atos;

• Assegurar a duração razoável do processo;

• Disciplinar e assegurar a participação do usuário na Administração Pública

com vistas a reclamações relativas à prestação dos serviços públicos e à re-

presentação contra o exercício negligente ou abusivo de cargo, emprego ou

função pública;

• Atender prontamente as requisições judiciais;

A publicidade de que trata a LODF deve ocorrer de forma clara e compreensível,

de modo a garantir, a todos os usuários, a compreensão das informações ali pres-

tadas.

O plano anual de publicidade estabelece que os Poderes do Distrito Federal fi-

quem obrigados a publicar, oficialmente (Diário Oficial do Distrito Federal – DODF),

quadros demonstrativos de despesas com publicidade e propaganda.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 16 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

PUBLICIDADE (PUBLICAÇÃO)
TRIMESTRALMENTE MENSALMENTE
DODF SÍTIOS OFICIAIS
PROPAGANDA E PUBLICIDADE TODAS AS DESPESAS

Devem sempre informar o valor gasto, o beneficiário e a sua finalidade.

Os atos da administração não podem conter nomes, imagens, símbolos ou

expressões que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públi-

cos. Tais atos devem, sobretudo, ter caráter educativo, informativo e de orientação.

PUBLICIDADE (NORMAS ORIENTADORAS)


DEVE TER NÃO DEVE TER
CARÁTER EDUCATIVO NOMES
CARÁTER INFORMATIVO IMAGENS
CARÁTER ORIENTATIVO SÍMBOLOS
- EXPRESSÕES

Os atos de publicidade devem ser suspensos 90 (noventa) dias antes das elei-

ções, salvo os essenciais ao interesse público.

Tais informações estão fundamentadas nos art. 22 da LODF:

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 17 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Art. 22. Os atos da Administração Pública de qualquer dos Poderes do Distrito


Federal, além de obedecer aos princípios constitucionais aplicados à Administração Pú-
blica, devem observar também o seguinte:
I – os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da adminis-
tração, impuser sigilo;
II – a administração é obrigada a fornecer certidão ou cópia autenticada de atos, con-
tratos e convênios administrativos a qualquer interessado, no prazo máximo de trinta
dias, sob pena de responsabilidade de autoridade competente ao servidor que negar ou
retardar a expedição;
III – é garantida a gratuidade da expedição da primeira via da cédula de identidade
pessoal;
IV – no processo administrativo, qualquer que seja o objeto ou procedimento, obser-
var-se-ão, entre outros requisitos de validade, o contraditório, a ampla defesa e o
despacho ou decisão motivados;
V – a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e as campanhas dos órgãos e
entidades da Administração Pública, ainda que não custeada diretamente pelo erário,
obedecerá ao seguinte:
a) ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar
símbolos, expressões, nomes ou imagens que caracterizem promoção pessoal de auto-
ridades ou servidores públicos;
b) ser suspensa noventa dias antes das eleições, ressalvadas aquelas essenciais ao in-
teresse público;
VI – a todos são assegurados a razoável duração do processo administrativo e os
meios que garantam a celeridade de sua tramitação.
§ 1º Os Poderes do Distrito Federal, com base no plano anual de publicidade, ficam
obrigados a publicar, nos seus órgãos oficiais, quadros demonstrativos de despesas re-
alizadas com publicidade e propaganda, conforme dispuser a lei.
§ 2º Os Poderes do Distrito Federal mandarão publicar, trimestralmente, no Diário
Oficial do Distrito Federal demonstrativo das despesas realizadas com propaganda
e publicidade de todos os seus órgãos, inclusive os da administração indireta, empre-
sas públicas, sociedades de economia mista e fundações mantidas pelo Poder Público,
com a discriminação do beneficiário, valor e finalidade, conforme dispuser a lei.
§ 3º Os Poderes do Distrito Federal mandarão publicar, mensalmente, nos respectivos
sítios oficiais na internet, demonstrativo de todas as despesas realizadas por todos os
seus órgãos, de forma clara e compreensível ao cidadão, inclusive os da administração
indireta, empresas públicas, sociedades de economia mista e fundações mantidas pelo
Poder Público, com a discriminação do beneficiário, do valor e da finalidade, conforme
dispuser a lei.
§ 4º A lei deve disciplinar as formas de participação do usuário na Administração
Pública direta e indireta, regulando especialmente:

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 18 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

I – as reclamações relativas à prestação dos serviços públicos em geral, assegurada


a manutenção de serviços de atendimento ao usuário e a avaliação periódica externa e
interna da qualidade dos serviços;
II – o acesso dos usuários a registros administrativos e informações sobre atos de go-
verno, observado o disposto no art. 5º, X e XXXIII, da Constituição Federal;
III – a representação contra o exercício negligente ou abusivo de cargo, emprego ou
função na Administração Pública.

1.4. Prazos

A Administração Pública deve dar atenção especial à razoável duração dos

processos que tramitam em seus órgãos. Além disso, está obrigada a:

• atender ao requerimento de certidão ou cópia autenticada de atos, contratos

e convênios administrativos a qualquer interessado, no prazo máximo de 30

(trinta) dias, sob pena de responsabilidade de autoridade competente ou ser-

vidor que negar ou retardar a expedição;

Fornecer, em 10 (dez) dias úteis, independente de pagamento de taxas ou emo-

lumentos, certidão de atos, contratos, decisões ou pareceres, para defesa de seus

direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal ou coletivo.

• atender às requisições no prazo determinado pela autoridade judiciária.

A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanha dos órgãos deve

ser suspensa 90 (noventa) dias antes das eleições, ressalvadas aquelas essenciais

ao interesse público.

• gastos com publicidade devem ser publicados trimestralmente do Diário Ofi-

cial do Distrito Federal – DODF;

• gastos com todas as despesas devem ser publicados mensalmente em sítios

oficiais na internet.

• o prazo para a quitação da folha salarial é até o 5º (quinto) dia útil do mês

subsequente.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 19 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Assim dispõem os artigos 22, 23 e 35:

Art. 22. Os atos da Administração Pública de qualquer dos Poderes do Distrito


Federal, além de obedecer aos princípios constitucionais aplicados à Administração Pú-
blica, devem observar também o seguinte:
II – a administração é obrigada a fornecer certidão ou cópia autenticada de atos, con-
tratos e convênios administrativos a qualquer interessado, no prazo máximo de trinta
dias, sob pena de responsabilidade de autoridade competente ao servidor que negar ou
retardar a expedição;
V – a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e as campanhas dos órgãos e
entidades da Administração Pública, ainda que não custeada diretamente pelo erário,
obedecerá ao seguinte:
b) ser suspensa noventa dias antes das eleições, ressalvadas aquelas essenciais ao in-
teresse público;
§ 2º Os Poderes do Distrito Federal mandarão publicar, trimestralmente, no Diário
Oficial do Distrito Federal demonstrativo das despesas realizadas com propaganda e
publicidade de todos os seus órgãos, inclusive os da administração indireta, empresas
públicas, sociedades de economia mista e fundações mantidas pelo Poder Público, com
a discriminação do beneficiário, valor e finalidade, conforme dispuser a lei.
§ 3º Os Poderes do Distrito Federal mandarão publicar, mensalmente, nos respectivos
sítios oficiais na internet, demonstrativo de todas as despesas realizadas por todos os
seus órgãos, de forma clara e compreensível ao cidadão, inclusive os da administração
indireta, empresas públicas, sociedades de economia mista e fundações mantidas pelo
Poder Público, com a discriminação do beneficiário, do valor e da finalidade, conforme
dispuser a lei.
Art. 23. A Administração Pública é obrigada a:
I – atender a requisições judiciais nos prazos fixados pela autoridade judiciária;
II – fornecer a qualquer cidadão, no prazo máximo de dez dias úteis, independente-
mente de pagamento de taxas ou emolumentos, certidão de atos, contratos, decisões
ou pareceres, para defesa de seus direitos e esclarecimento de situações de interesse
pessoal ou coletivo.
Parágrafo único. A autoridade ou servidor que negar ou retardar o disposto neste artigo
incorrerá em pena de responsabilidade, excetuados os casos de comprovada impossi-
bilidade.
Art. 35. São direitos dos servidores públicos...
IX – quitação da folha de pagamento do servidor ativo e inativo da administração direta,
indireta e fundacional do Distrito Federal até o quinto dia útil do mês subsequente, sob
pena de incidência de atualização monetária, obedecido o disposto em lei.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 20 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

2. Serviços Públicos

Antes de adentrarmos nos preceitos da Lei Orgânica do DF sobre serviços públi-

cos, convém registrar que não existe um consenso na doutrina sobre a sua defini-

ção. Ela pode ser utilizada em um sentido subjetivo, quando se refere ao conjunto

de órgãos e entidades que desempenham a atividade administrativa, ou em sentido

objetivo, quando se refere a uma determinada atividade, ou a um conjunto de ati-

vidades.

Os serviços públicos constituem um DEVER do Distrito Federal!

Art. 25. Os serviços públicos constituem dever do Distrito Federal e serão prestados,


sem distinção de qualquer natureza, em conformidade com o estabelecido na Constitui-
ção Federal, nesta Lei Orgânica e nas leis e regulamentos que organizem sua prestação.

A titularidade dos serviços públicos é atribuída ao poder público, que poderá

prestá-lo diretamente ou indiretamente, e, nesse último caso, mediante concessão

ou permissão.

O DF deve observar a legislação Federal sobre obras, compras, alienações e

serviços que venha a prestar.

Art. 26. Observada a legislação federal, as obras, compras, alienações e serviços da ad-


ministração serão contratados mediante processo de licitação pública, nos termos da lei.

Na prestação dos atos do serviço público, não pode o agente público se esquivar

da estrita observância do previsto em lei. Agindo de forma diversa ao previsto, ele

estará sujeito às punições por ter cometido ato de improbidade administrativa.

Art. 27. Os atos de improbidade administrativa importarão suspensão dos direitos polí-


ticos, perda da função pública, indisponibilidade dos bens e ressarcimento ao erário, na
forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 21 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Para ajudar a memorizar as sanções, lembre-se: SU PE R I

Su spensão dos direitos políticos

Pe rda da função pública

R essarcimento ao erário

I – ndisponibilidade dos bens

A norma alcança a Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Po-

deres. Contudo, não definiu o que seria um ato de improbidade administrativa.

Nem mesmo a Lei n. 8.429/1992 conseguiu estabelecer tal conceito, limitando-se

a prever as espécies de atos considerados de improbidade:

a) atos que importam enriquecimento ilícito (artigo 9º);

b) atos que causam lesão ao erário (artigo 10);

c) atos que atentam contra os princípios da Administração Pública (artigo 11),

e, recentemente, criou uma nova modalidade,

d) atos decorrentes de concessão ou aplicação indevida de benefício financeiro

ou tributário (artigo 10-A).

Assim finaliza a LODF o conteúdo desta aula:

Art. 28. É vedada a contratação de obras e serviços públicos sem prévia aprovação do


respectivo projeto, sob pena de nulidade do ato de contratação.
Art. 29. Revogado.
Art. 30. Lei disporá sobre participação popular na fiscalização da prestação dos serviços
públicos do Distrito Federal.

As bancas costumam afirmar em suas questões que ao servidor que tiver cometido

ato de improbidade administrativa será imposta a cassação dos direitos políticos,

mas você já sabe que eles são suspensos.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 22 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

RESUMO

• A Administração Pública, em apertada síntese, e em sentido formal, que é o

adotado no Brasil, pode ser entendida como o conjunto de órgãos e pessoas

jurídicas, que tenham a incumbência de executar as atividades administra-

tivas. Alguns autores entendem que não é relevante a atividade por eles

exercida, mas que, como regra, evidentemente, esses órgãos, entidades e

agentes desempenham função administrativa. A administração ocorre de for-

ma direta (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) ou indireta por meio

de entidades administrativas (autarquias, fundações públicas, empresas pú-

blicas e sociedades de economia mista).

A Lei Orgânica do Distrito Federal elenca em seu art. 19, um total de nove, isso

mesmo, 9. (nove) princípios expressos a serem observados por toda a Administra-

ção Pública Distrital.

São eles:

–– LEGALIDADE;

–– IMPESSOALIDADE;

–– MORALIDADE;

–– PUBLICIDADE;

–– EFICIÊNCIA;

–– TRANSPARÊNCIA;

–– RAZOABILIDADE;

–– INTERESSE PÚBLICO e

–– MOTIVAÇÃO.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 23 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Esses são PRINCÍPIOS EXPRESSOS!


Art. 19. A Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes do Distrito
Federal obedece aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade,
razoabilidade, motivação, transparência, eficiência e interesse público, e também ao
seguinte:

As bancas costumam afirmar que os princípios EXPRESSOS na LODF são IMPLÍCITOS.

• Para fins de estudo da nossa matéria, a cobrança, até então, está se basean-
do no conhecimento sobre quais são os princípios expressos. Para ajudar você
a memorizar estes nove princípios expressos na Lei Orgânica do DF, atente-se
ao LIMPE TRIM, sendo:
L – EGALIDADE
I – MPESSOALIDADE
M ORALIDADE
P UBLICIDADE
E FICIÊNCIA

T RANSPARÊNCIA
R AZOABILIDADE
I – NTERESSE PÚBLCIO
M OTIVAÇÃO
P ARTICIPAÇÃO POPULAR

• Por lei específica, devemos compreender que se trata de uma lei com um úni-
co objetivo, contendo apenas um único assunto. É por meio de lei específica

que é criada uma autarquia. No caso das demais entidades, a lei apenas au-

toriza a criação. Já para a lei complementar é atribuída a definição das áreas

de atuação das fundações.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 24 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Art. 19., XVIII – somente por lei específica pode ser:


a) criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de eco-
nomia mista e de fundação, cabendo a lei complementar, neste último caso, definir as
áreas de sua atuação;
b) transformada, fundida, cindida, incorporada, privatizada ou extinta entidade de que
trata a alínea a;

Veja bem:

LEI ESPECÍFICA: cria autarquia e autoriza a instituição das demais.

LEI COMPLEMENTAR: define as áreas de atuação das fundações públicas.

Sobre a privatização ou a extinção de empresa pública ou sociedade de econo-

mia mista, para que estas entidades sejam privatizadas, a LODF exige duas condi-

cionantes:

• aprovação pelo quórum de dois terços (2/3) dos deputados distritais; e

• aprovação da população através de referendo.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 25 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Contudo, recentemente, a Emenda à LODF n. 92, de 16/09/2015, de iniciativa do

Poder Legislativo, que dispõe sobre a privatização de empresa pública e sociedade

de economia mista estarem condicionadas à manifestação favorável da população,

sob forma de referendo, possui outro entendimento por parte do Tribunal de Justiça

do DF. O TJDFT julgou inconstitucional tal medida (ADI n. 2015 00 2 030649-3 –

TJDFT), pois é competência privativa do Governador a iniciativa de projetos de lei

que disponham sobre organização e funcionamento da Administração Pública.

§ 7º Para a privatização ou extinção de empresa pública ou sociedade de econo-


mia mista a que se refere o inciso XVIII deste artigo, a lei específica dependerá de
aprovação por dois terços dos membros da Câmara Legislativa.
I – a privatização de empresa pública ou sociedade de economia mista, de que
trata o inciso VXIII deste artigo, condicionada à autorização legislativa nos termos des-
te parágrafo, depende de manifestação favorável da população, sob a forma de
referendo.
II – a lei que autorizar a privatização, mediante alienação de ações de empresa pública e
sociedade de economia mista, estabelecerá a exigência de cumprimento pelo adquiren-
te de metas de qualidade do serviço de atendimento aos objetivos sociais inspiradores
da constituição da entidade. (Inciso acrescido pela Emenda à Lei Orgânica n. 92, de
2015, que foi declarada inconstitucional: ADI n. 2015 00 2 030649-3 – TJDFT, Diário de
Justiça, de 28/6/2016.)

Professor, como eu respondo na prova?

Fique atento(a) ao enunciado da questão. Em regra, é cobrado de acordo com o

texto da Lei Orgânica do DF.

• Consta no texto da Lei Fundamental que a direção superior das entidades da

administração indireta devem ter servidores escolhidos do quadro funcional.

Art. 24 A direção superior das empresas públicas, autarquias, fundações e sociedades


de economia mista terá representantes dos servidores, escolhidos do quadro funcional,
para exercer funções definidas, na forma da lei.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 26 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

• Dentre as atividades inerentes à Administração Pública, encontra-se a fiscali-

zação e a arrecadação de tributos, que está sob a responsabilidade da admi-

nistração fazendária.

Art. 19., XVII – a administração fazendária e seus agentes fiscais, aos quais compete
exercer privativamente a fiscalização de tributos do Distrito Federal, terão, em suas áre-
as de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos,
na forma da lei;

• O artigo 20 da Lei Orgânica estabelece que as pessoas jurídicas de Direito

Público e as de Direito Privado, prestadoras de serviços públicos, responderão

pelos danos que seus agentes, nesta qualidade, causarem a terceiros, asse-

gurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.

No DF, a administração tributária é encarregada basicamente de 4 (quatro) fun-

ções: lançar, fiscalizar, arrecadar tributos e julgar processos fiscais.

• O julgamento administrativo de processos fiscais em primeira instância é

competência privativa dos integrantes da carreira de auditoria tributária. Mas,

quando o julgamento se der em segunda instância, ele será feito por um ór-

gão colegiado composto por integrantes da carreira e também por represen-

tantes dos contribuintes.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 27 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Algumas prioridades são conferidas à administração tributária. Elas es-

tão elencadas no at. 31, § 3º:

Art. 31, § 3º A administração tributária, atividade essencial ao funcionamento do Dis-


trito Federal, exercida por servidores da carreira auditoria tributária, tem recursos prio-
ritários para a realização de suas atividades e atua de forma integrada com as adminis-
trações tributárias da União, Estados e Municípios, inclusive com o compartilhamento de
cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou de convênio.

A Lei Orgânica é sucinta ao tratar da administração tributária, cabendo a lei es-

pecífica tratar das normas específicas.

Art. 32. Lei específica disciplinará a organização e o funcionamento da administração


tributária, bem como tratará da organização e estruturação da carreira específica de
auditoria tributária.

• ATOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DO DISTRITO FEDERAL

–– Abrange todos os Poderes do DF;

–– Sujeitam-se aos princípios constitucionais;

–– Em regra, são públicos;

–– Lei pode impor sigilo;

–– É obrigada a fornecer cópia autenticada de seus atos a qualquer interessado;

–– Deve emitir a primeira via da cédula de identidade pessoal gratuitamente;

–– No processo administrativo, deve sempre observar os requisitos de vali-

dade, o contraditório, a ampla defesa e o despacho ou decisão motivados;

–– Observar as regras pertinentes à publicidade dos atos;

–– Assegurar a duração razoável do processo;

–– Disciplinar e assegurar a participação do usuário na Administração Pública

com vistas a reclamações relativas à prestação dos serviços públicos e a

representação contra o exercício negligente ou abusivo de cargo, emprego

ou função pública;

–– Atender prontamente às requisições judiciais;

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 28 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

A publicidade de que trata a LODF deve ocorrer de forma clara e compreensível,

de modo a garantir a todos os usuários a compreensão das informações ali prestadas.

O plano anual de publicidade estabelece que os Poderes do Distrito Federal fi-

quem obrigados a publicar, oficialmente (Diário Oficial do Distrito Federal – DODF),

quadros demonstrativos de despesas com publicidade e propaganda.

PUBLICIDADE (PUBLICAÇÃO)
TRIMESTRALMENTE MENSALMENTE
DODF SÍTIOS OFICIAIS
PROPAGANDA E PUBLICIDADE TODAS AS DESPESAS

• Devem sempre informar o valor gasto, o beneficiário e a sua finalidade.

Os atos da administração não podem conter nomes, imagens, símbolos ou ex-

pressões que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públi-

cos. Tais atos devem, sobretudo, ter caráter educativo, informativo e de orientação.

PUBLICIDADE (NORMAS ORIENTADORAS)


DEVE TER NÃO DEVE TER
CARÁTER EDUCATIVO NOMES
CARÁTER INFORMATIVO IMAGENS
CARÁTER ORIENTATIVO SÍMBOLOS
- EXPRESSÕES

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 29 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Os atos de publicidade devem ser suspensos 90 (noventa) dias antes das elei-

ções, salvo as essenciais ao interesse público.

• A Administração Pública deve dar atenção especial à razoável duração dos

processos que tramitam em seus órgãos. Além disso, está obrigada a:

–– atender ao requerimento de certidão ou cópia autenticada de atos, contra-

tos e convênios administrativos a qualquer interessado, no prazo máximo

de trinta dias, sob pena de responsabilidade de autoridade competente ao

servidor que negar ou retardar a expedição;

–– fornecer em 10 (dez) dias úteis, independente de pagamento de taxas ou

emolumentos, certidão de atos, contratos, decisões ou pareceres, para de-

fesa de seus direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal ou

coletivo.

• Atender as requisições no prazo determinado pela autoridade judiciária.

A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanha dos órgãos deve

ser suspensa 90 (noventa) dias antes das eleições, ressalvadas aquelas essenciais

ao interesse público.

• gastos com publicidade devem ser publicados trimestralmente do Diário Ofi-

cial do Distrito Federal – DODF;

• gastos com todas as despesas devem ser publicados mensalmente em sítios

oficiais na internet.

• o prazo para a quitação da folha salarial é até o 5º (quinto) dia útil do mês

subsequente.

• os serviços públicos constituem um DEVER do Distrito Federal!

• a titularidade dos serviços públicos é atribuída ao poder público, que poderá

prestá-lo diretamente ou indiretamente, e, nesse último caso, mediante con-

cessão ou permissão.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 30 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

• O DF deve observar a legislação Federal sobre obras, compras, alienações e

serviços que venha a prestar.

• Na prestação dos atos do serviço público, não pode o agente público se es-

quivar da estrita observância do previsto em lei. Agindo de forma diversa ao

previsto, ele estará sujeito a punições por ter cometido ato de improbidade

administrativa.

• Para ajudar a memorizar as sanções, lembre-se: SU PE R I

Su spensão dos direitos políticos


Pe rda da função pública
R essarcimento ao erário
I – ndisponibilidade dos bens
• É vedada a contratação de obras e serviços públicos sem prévia aprovação do

respectivo projeto, sob pena de nulidade do ato de contratação.

• Lei disporá sobre participação popular na fiscalização da prestação dos servi-

ços públicos do Distrito Federal.

As bancas costumam afirmar em suas questões que ao servidor que tiver cometido

ato de improbidade administrativa será imposta a cassação dos direitos políticos,

mas você já sabe que eles são suspensos.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 31 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

QUESTÕES DE CONCURSO

1. (IADES/PGDF/2011) A Administração Pública direta e indireta de qualquer dos

poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos

seguintes princípios:

a) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

b) legalidade, excelência, soberania, publicidade e eficiência.

c) erradicar a pobreza, garantir o desenvolvimento nacional, legalidade, moralida-

de e igualdade entre os Estados.

d) solução pacífica dos conflitos, soberania, publicidade, eficiência e legalidade.

e) asilo político, independência nacional, livre iniciativa, dignidade da pessoa hu-

mana e moralidade.

2. (PROF. MARCO SOARES/2017) Assinale a alternativa que apresenta um princípio

implícito na Lei Orgânica do Distrito Federal.

a) Legalidade e impessoalidade.

b) Moralidade e Publicidade.

c) Eficiência e transparência.

d) Razoabilidade e interesse público.

e) Segurança jurídica.

3. (CESPE/SEDF/2017) A motivação e o interesse público são princípios que devem

ser obedecidos pela Administração Pública direta e indireta.

4. (CESPE/DETRAN/2009) A LODF não aborda expressamente o princípio da moti-

vação.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 32 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

5. (CESPE/IBRAN/2009) A LODF não prevê, expressamente, o princípio da mora-

lidade administrativa, porém trata-se de princípio implícito que vincula todos os

agentes públicos.

6. (IADES/METRÔ/2014) De acordo com as disposições vigentes constantes da Lei

Orgânica do Distrito Federal, sua Administração Pública direta, indireta ou funda-

cional, de qualquer dos Poderes, obedecerá aos princípios da:

a) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

b) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, razoabilidade e

interesse público.

c) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, transparência das contas

públicas, razoabilidade, motivação e interesse público.

d) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, transparência,

razoabilidade, interesse público e motivação.

e) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, proporcionalidade, moti-

vação e interesse público.

7. (FUNIVERSA/SEPLAG/2010) Constituem princípios expressos na LODF os prin-

cípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, razoabilidade, moti-

vação e interesse público, sendo este último adotado de acordo com discricionarie-

dade do administrador público.

8. (CESPE/PMDF/2009) O princípio da moralidade não está previsto expressamente

na LODF e a sua aplicação é feita com base em construção jurisprudencial.

9. (FUNIVERSA/PMDF/2013) Relativamente à organização do DF, estabelecida em

sua Lei Orgânica, julgue: a administração fazendária e seus agentes fiscais, aos

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 33 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

quais compete exercer privativamente a fiscalização de tributos do DF, terão, em

suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores ad-

ministrativos, na forma da lei.

10. (IADES/HEMOCENTRO/2017) Com relação às fundações, é correto afirmar que

a Lei Orgânica do Distrito Federal exige lei:

a) complementar para sua criação.

b) específica para autorização de sua instituição, e lei complementar definindo as

áreas de sua atuação.

c) complementar específica para autorização de sua instituição.

d) para sua criação.

e) complementar para sua autorização, e lei específica definindo as respectivas

áreas de atuação.

11. (CESPE/OAB/2006) A norma jurídica necessária à criação de uma autarquia ou

à autorização da instituição de uma empresa pública foi definida pela Constituição

Federal como:

a) lei, no caso de criação de autarquia, e decreto, no caso de instituição de empre-

sa pública.

b) lei específica, tanto para a criação de autarquia como para a instituição de em-

presa pública.

c) decreto, quando se tratar de criação de autarquia, e lei, para a instituição de

empresa pública.

d) decreto específico, tanto para a criação de autarquia quanto para a instituição

de empresa pública.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 34 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

12. (IADES/PGDF/2011) O Distrito Federal se organiza e estrutura mediante Lei

Orgânica, a qual deve observar aos princípios estatuídos na Constituição Federal.

Em relação aos dispositivos da Lei Orgânica do Distrito Federal (LODF) acerca da

Administração Pública, julgue: a criação, transformação, fusão, cisão, incorporação,

privatização ou extinção de sociedades de economia mista, autarquias, fundações

e empresas públicas depende de lei específica, sendo, para a extinção de empresa

pública ou sociedade de economia mista, necessário, para aprovação, maioria ab-

soluta.

13. (FUNIVERSA/SECRIANÇA/2015) Acerca da Lei Orgânica do Distrito Federal

(LODF), julgue. A fiscalização tributária é de competência privativa dos auditores e

procuradores fiscais, os quais terão precedência sobre os demais servidores.

14. (FUNIVERSA/ADASA/2009) De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Federal,

as pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado, prestadoras de ser-

viços públicos, responderão pelos danos que seus agentes, nesta qualidade, causa-

rem a terceiros. Em complementação ao que dispõe a LODF, assinale a alternativa

correta:

a) É assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou

culpa.

b) É assegurado o direito de regresso contra o responsável apenas nos casos de

dolo.

b) É assegurado o direito de regresso contra o responsável apenas nos casos de

culpa.

e) Não cabe responsabilização contra o terceiro que age com dolo ou culpa.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 35 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

15. (CESPE/OFICIAL/PMDF/2007) Uma companhia, pessoa jurídica de direito pri-

vado e prestadora de serviço público no DF, instalou um poste de concreto ao lado

de um estacionamento público em uma quadra residencial. A instalação do poste,

com a qual se objetivava reativar o sistema de energia elétrica interrompido, foi

feita pelos servidores Vítor e Oto, ambos da referida companhia. Dois dias após a

instalação, o poste caiu sobre um veículo regularmente estacionado. Houve perda

total do automóvel. O proprietário do veículo dirigiu- se à companhia energética

para o ressarcimento. Recebeu informação da assessoria jurídica de que procu-

rasse os servidores Vítor e Oto, pois a companhia não tinha responsabilidade pelo

ressarcimento do dano causado em seu veículo e não havia amparo legal para tal

solicitação.

Nessa situação, ao contrário do afirmado pela assessoria jurídica, o proprietário do

veículo tem direito à indenização pela própria companhia, haja vista que as pessoas

jurídicas de direito privado prestadoras de serviço público respondem pelos danos

que seus agentes causarem a terceiros.

16. (FUNIVERSA/SECRIANÇA/2015) Suponha-se que o governador pretenda priva-

tizar empresa pública do DF. Nesse caso, ele deverá encaminhar, à Câmara Legis-

lativa do DF, projeto de lei específica que deverá ser aprovado por maioria simples.

17. (CESPE/BRB/2011) É indispensável autorização legislativa para que empresa

pública ou sociedade de economia mista do DF participe de empresa privada.

18. (PROF. MARCO SOARES/2017) É garantida a gratuidade da expedição da pri-

meira via da cédula de identidade pessoal aqueles que comprovarem insuficiência

de recursos.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 36 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

19. (CESPE/BRB/2011) O julgamento de processos fiscais em segunda instância é

de competência de órgão colegiado, integrado por servidores da carreira de audito-

ria tributária e representantes dos contribuintes.

20. (PROF. MARCO SOARES/2017) Compete à administração fazendária e seus

agentes fiscais, exercer privativamente a fiscalização de tributos do Distrito Federal.

21. (CESPE/BRB/2011) A administração fazendária e seus agentes fiscais têm, em

suas áreas de competência e jurisdição, tratamento igualitário aos demais setores

administrativos, na forma da lei.

22. (PROF. MARCO SOARES/2017) Aos integrantes da carreira de Fiscalização de

Inspeção é garantida a independência funcional no exercício de suas atribuições.

23. (CESPE/DETRAN/2009) Aos integrantes da carreira de fiscalização e inspeção

é garantida a independência funcional no exercício de suas atribuições, não sendo

exigido nível superior de escolaridade para o ingresso nessa carreira.

24. (PROF. MARCO SOARES/2017) De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Fede-

ral, a privatização ou extinção de empresa pública ou sociedade de economia mista

dependerá da aprovação de dois terços dos membros da Câmara Legislativa e de

manifestação favorável da população, sob a forma de referendo.

25. (PROF. MARCO SOARES/2017) De acordo com o entendimento do Tribunal de

Justiça do Distrito Federal e Territórios a privatização ou extinção de empresa pú-

blica ou sociedade de economia mista dependerá da aprovação de dois terços dos

membros da Câmara Legislativa e de manifestação favorável da população, sob a

forma de referendo.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 37 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

26. (CESPE/BRB/2011) A publicidade de atos, programas, obras, serviços e cam-

panhas de órgãos e entidades da Administração Pública, ainda que não custeadas

diretamente pelo erário, devem ser suspensas quatro meses antes das eleições,

ressalvadas aquelas essenciais ao interesse público.

27. (FUNIVERSA/CEB/2010) Tendo em vista o disposto na Lei Orgânica do Distrito

Federal (LODF), assinale a alternativa correta.

a) É possível imprimir publicidade de instituição financeira no contracheque do ser-

vidor público.

b) Na publicidade de atos, programas, obras, serviços e nas campanhas de órgãos

e entidades da Administração Pública, poderão constar símbolos, expressões, no-

mes ou imagens, ainda que isso caracterize promoção pessoal de autoridades ou

de servidores públicos.

c) A publicidade de atos, programas, obras, serviços e as campanhas dos órgãos e

entidades da Administração Pública deverão ser suspensas noventa dias antes das

eleições, mesmo aquelas essenciais ao interesse público.

d) Na expedição da primeira via da cédula de identidade pessoal, deverá ser cobra-

da metade do preço normal.

e) Os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da Admi-

nistração, impuser sigilo.

28. (CESPE/DETRAN/2009) A direção superior das empresas públicas, autarquias,

fundações e sociedades de economia mista terá representantes dos servidores, es-

colhidos do quadro funcional, para exercer funções definidas, na forma da lei.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 38 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

29. (EXATUS/CEB/2014) De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Federal, marque

a alternativa incorreta:

a) os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da admi-

nistração, impuser sigilo.

b) é garantida a gratuidade da expedição da primeira via da cédula de identidade

pessoal.

c) a administração é obrigada a fornecer certidão ou cópia autenticada de atos,

contratos e convênios administrativos a qualquer interessado, no prazo máximo de

cinco dias, sob pena de responsabilidade de autoridade competente ou servidor que

negar ou retardar a expedição

d) No processo administrativo, qualquer que seja o objeto ou procedimento, obser-

var-se-ão, entre outros requisitos de validade, o contraditório, a ampla defesa e o

despacho ou decisão motivados.

30. (CESPE/SOLDADO/PMDF/2009) Tendo essa situação hipotética como referên-

cia inicial julgue o item seguinte, relativo à Lei Orgânica do DF: os atos administra-

tivos praticados na Secretaria de Segurança Pública e nas administrações regionais

são públicos, com exceção da hipótese de uma lei prever sigilo no interesse da

administração.

31. (CESPE/DETRAN/2009) A direção superior de empresas públicas, autarquias,

fundações e sociedades de economia mista deve ter representantes dos servidores

do quadro funcional para exercer funções definidas, na forma da lei.

32. (IADES/SECULT/2014) João é do quadro funcional de uma empresa pública do

Governo do Distrito Federal. Pedro é do quadro funcional de sociedade de economia

mista do Governo do Distrito Federal. Maria é do quadro funcional de autarquia do

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 39 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Governo do Distrito Federal. Sara é do quadro funcional da Secretaria de Estado de

Educação do Distrito Federal.

a) João, Pedro, Maria e Sara têm previsão, na Lei Orgânica do Distrito Federal, para

terem representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção

superior de suas entidades/órgãos públicos, na forma da lei.

b) João e Pedro têm previsão, na forma da Lei Orgânica do Distrito Federal, para

terem representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção

superior de suas entidades/órgãos públicos, na forma da lei.

c) João, Pedro e Maria têm previsão, na Leio Orgânica do Distrito Federal, para ter

representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção superior

de suas entidades/órgãos públicos, na forma da lei.

d) Nenhum deles tem previsão expressa, na Lei Orgânica do Distrito Federal, para

ter representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção supe-

rior de suas entidades/órgãos públicos.

e) Somente Pedro têm previsão, na Lei Orgânica do Distrito Federal, para ter re-

presentantes dos seus quadros funcionais para participar da direção superior da

própria entidade pública.

33. (CESPE/BRB/2009) A Administração Pública é obrigada a fornecer a qualquer ci-

dadão, no prazo máximo de quinze dias úteis, independente de pagamento de taxas

ou emolumentos, certidão de atos, contratos, decisões ou pareceres para a defesa

de seus direitos e esclarecimentos de situações de interesse pessoal ou coletivo.

34. (IADES/PGDF/2011) Todos os poderes do Distrito Federal devem publicar, tri-

mestralmente, no Diário Oficial, demonstrativo de despesas com publicidade e pro-

paganda, devendo ser suspensa, a qualquer título, sua veiculação no período de 90

dias que antecedem as eleições.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 40 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

35. (CESPE/DETRAN/2009) Considere que o governo do DF pretenda divulgar suas

opções de governo, com obras, projetos etc. Nesse caso, esse tipo de publicidade

deve ser suspenso noventa dias antes das eleições.

36. (CESPE/DETRAN/2009) Ao DF compete instituir taxas de serviço, como aquela

que é cobrada na expedição da primeira e da segunda vias da cédula de identidade

pessoal.

37. (CESPE/DETRAN/2009) A administração é obrigada a fornecer certidão ou có-

pia autenticada de atos, contratos e convênios administrativos a qualquer interes-

sado, no prazo máximo de trinta dias, sob pena de responsabilidade de autoridade

competente ou servidor que negar ou retardar a expedição.

38. (CESPE/BRB/2011) Os atos de improbidade administrativa importam suspen-

são dos direitos políticos, perda da função pública, indisponibilidade dos bens e

ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, com prejuízo da

ação penal cabível.

39. (CESPE/PMDF/2013) José, que exerceu o cargo de presidente de uma funda-

ção do DF entre março de 2004 e abril de 2005, está sendo processado por ato de

improbidade administrativa, em razão de ter cometido irregularidades em sua ges-

tão. Se for condenado poderá ter seus bens indisponíveis e seus direitos políticos

cassados.

40. (PROF. MARCO SOARES/2017) Os serviços públicos constituem um poder do

Distrito Federal.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 41 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

41. (IADES/PGDF/2011) Privilegiando o princípio da Administração Pública profis-

sional, é prevista expressamente na referida Lei Orgânica que a direção superior

das entidades da Administração Indireta terá representantes dos servidores e, ain-

da, que sejam escolhidos do quadro funcional próprio.

42. (IADES/PGDF/2011) O prazo máximo para que a Administração Pública do

Distrito Federal providencie a emissão de quaisquer certidões solicitadas pelos ci-

dadãos é de 10 dias, excetuados os casos de comprovada impossibilidade e dos

assuntos que a lei, no interesse da administração, impuser sigilo.

43. (PROF. MARCO SOARES/2017) O Distrito Federal não se sujeita à legislação

federal em processos licitatórios.

44. (PROF. MARCO SOARES/2017) Os atos de improbidade importarão:

a) Cassação dos direitos políticos.

b) Perda da função pública.

c) Disponibilidade dos bens.

e) Recebimento do erário.

45. (PROF. MARCO SOARES/2017) De acordo com a Lei Orgânica do DF é permitida

a contratação de obras e serviços públicos sem a prévia aprovação do projeto.

46. (PROF. MARCO SOARES/2017) É vedado à lei dispor sobre a participação popu-

lar na fiscalização da prestação dos serviços públicos do Distrito Federal.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 42 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

47. (PROF. MARCO SOARES/2017) Não há previsão de participação popular na fis-

calização da prestação dos serviços públicos do Distrito Federal.

48. (PROF. MARCO SOARES/2017) Os serviços públicos prestados pelo Distrito Fe-

deral serão prestados sem distinção de qualquer natureza.

49. (PROF. MARCO SOARES/2017) O servidor público que for condenado por haver

cometido ato de improbidade administrativa estará sujeito as sanções previstas na

Lei Orgânica, com prejuízo da ação penal cabível.

50. (PROF. MARCO SOARES/2017) A administração tributária, atividade essencial

ao funcionamento do Distrito Federal, exercida por servidores da carreira de au-

ditoria tributária, tem recursos prioritários para a realização de suas atividades e

atua de forma isolada da administração tributária dos demais entes federativos.

51. (IADES/SES-DF/2018) A Administração Pública indireta deve obedecer aos

princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, razoabilidade,

motivação, participação popular, transparência, eficiência e interesse público.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 43 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

GABARITO

1. a 27. e
2. e 28. C
3. C 29. c
4. E 30. C
5. E 31. C
6. d 32. c
7. E 33. E
8. E 34. E
9. C 35. C
10. b 36. E
11. b 37. C
12. E 38. E
13. E 39. E
14. a 40. E
15. C 41. C
16. E 42. E
17. C 43. e
18. E 44. b
19. C 45. E
20. C 46. E
21. E 47. E
22. C 48. C
23. E 49. E
24. C 50. E
25. E 51. C
26. E

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 44 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

GABARITO COMENTADO

1. (IADES/PGDF/2011) A Administração Pública direta e indireta de qualquer dos

poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos

seguintes princípios:

a) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

b) legalidade, excelência, soberania, publicidade e eficiência.

c) erradicar a pobreza, garantir o desenvolvimento nacional, legalidade, moralida-

de e igualdade entre os Estados.

d) solução pacífica dos conflitos, soberania, publicidade, eficiência e legalidade.

e) asilo político, independência nacional, livre iniciativa, dignidade da pessoa hu-

mana e moralidade.

Letra a.

Apenas para aquecimento, essa questão. Perceba que o examinador questionou

quais eram os princípios observados por TODOS os entes da Federação; por isso,

não tivemos aqueles que estão expressos apenas na LODF (transparência, razoabi-

lidade, interesse público e motivação).

2. (PROF. MARCO SOARES/2017) Assinale a alternativa que apresenta um princípio

implícito na Lei Orgânica do Distrito Federal.

a) Legalidade e impessoalidade.

b) Moralidade e Publicidade.

c) Eficiência e transparência.

d) Razoabilidade e interesse público.

e) Segurança jurídica.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 45 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Letra e.

Todas as alternativas apresentam princípios expressos, exceto a alternativa “e”.

3. (CESPE/SEDF/2017) A motivação e o interesse público são princípios que devem

ser obedecidos pela Administração Pública direta e indireta.

Certo.

Questão recente, cobrada esse ano no concurso da SEDF. Uma questão clássica

sobre os princípios expressos na Lei Orgânica do DF. Aqui, o examinador exigiu

que o candidato tivesse conhecimento de todos os princípios expressos. São nove,

lembra?

A Lei Orgânica do Distrito Federal elenca em seu art. 19, um total de nove, isso

mesmo, 9 (nove) princípios expressos a serem observados por toda a Administra-

ção Pública Distrital.

São eles:

• LEGALIDADE;

• IMPESSOALIDADE;

• MORALIDADE;

• PUBLICIDADE;

• EFICIÊNCIA;

• TRANSPARÊNCIA;

• RAZOABILIDADE;

• INTERESSE PÚBLICO e

• MOTIVAÇÃO.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 46 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Esses são PRINCÍPIOS EXPRESSOS!

Art. 19. A Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes do Distrito


Federal obedece aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade,
razoabilidade, motivação, transparência, eficiência e interesse público, e também ao
seguinte:

4. (CESPE/DETRAN/2009) A LODF não aborda expressamente o princípio da moti-

vação.

Errado.

Pois ela aborda no caput do art. 19.

5. (CESPE/IBRAN/2009) A LODF não prevê, expressamente, o princípio da mora-

lidade administrativa, porém trata-se de princípio implícito que vincula todos os

agentes públicos.

Errado.

O princípio da moralidade é expresso, não implícito.

6. (IADES/METRÔ/2014) De acordo com as disposições vigentes constantes da Lei

Orgânica do Distrito Federal, sua Administração Pública direta, indireta ou funda-

cional, de qualquer dos Poderes, obedecerá aos princípios da:

a) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

b) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, razoabilidade e

interesse público.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 47 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

c) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, transparência das contas

públicas, razoabilidade, motivação e interesse público.

d) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, transparência,

razoabilidade, interesse público e motivação.

e) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, proporcionalidade, moti-

vação e interesse público.

Letra d.

Três alternativas estão corretas, mas somente uma está completa. Nesses casos, o

examinador quer que você identifique a questão correta que também seja a mais

completa.

a) certo, mas incompleto.

b) certo, mas incompleto.

c) errado. O princípio da transparência das contas públicas teve seu nome alterado.

d) certo. Estão elencados todos os nove princípios expressos na LODF: legalidade,

impessoalidade, moralidade, publicidade, eficiência, transparência, razoabilidade,

interesse público e motivação.

e) errado. A proporcionalidade não está prevista expressamente.

7. (FUNIVERSA/SEPLAG/2010) Constituem princípios expressos na LODF os prin-

cípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, razoabilidade, moti-

vação e interesse público, sendo este último adotado de acordo com discricionarie-

dade do administrador público.

Errado.

O que fundamenta o princípio do interesse público não é a discricionariedade do

administrador, e sim o interesse da coletividade.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 48 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

8. (CESPE/PMDF/2009) O princípio da moralidade não está previsto expressamente

na LODF e a sua aplicação é feita com base em construção jurisprudencial.

Errado.

O princípio da moralidade está previsto expressamente na LODF.

9. (FUNIVERSA/PMDF/2013) Relativamente à organização do DF, estabelecida em

sua Lei Orgânica, julgue: a administração fazendária e seus agentes fiscais, aos

quais compete exercer privativamente a fiscalização de tributos do DF, terão, em

suas áreas de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores ad-

ministrativos, na forma da lei.

Certo.

A administração fazendária e seus agentes gozam de precedência sobre os demais.

Art. 19., XVII – a administração fazendária e seus agentes fiscais, aos quais compete
exercer privativamente a fiscalização de tributos do Distrito Federal, terão, em suas áre-
as de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos,
na forma da lei;

10. (IADES/HEMOCENTRO/2017) Com relação às fundações, é correto afirmar que

a Lei Orgânica do Distrito Federal exige lei:

a) complementar para sua criação.

b) específica para autorização de sua instituição, e lei complementar definindo as

áreas de sua atuação.

c) complementar específica para autorização de sua instituição.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 49 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

d) para sua criação.

e) complementar para sua autorização, e lei específica definindo as respectivas

áreas de atuação.

Letra b.

A única alternativa correta é a “b”, conforme art. 19, XVIII, a saber:

Art. 19., XVIII – somente por lei específica pode ser:


a) criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de eco-
nomia mista e de fundação, cabendo a lei complementar, neste último caso, definir as
áreas de sua atuação;

11. (CESPE/OAB/2006) A norma jurídica necessária à criação de uma autarquia ou

à autorização da instituição de uma empresa pública foi definida pela Constituição

Federal como:

a) lei, no caso de criação de autarquia, e decreto, no caso de instituição de empre-

sa pública.

b) lei específica, tanto para a criação de autarquia como para a instituição de em-

presa pública.

c) decreto, quando se tratar de criação de autarquia, e lei, para a instituição de

empresa pública.

d) decreto específico, tanto para a criação de autarquia quanto para a instituição

de empresa pública.

Letra b.

Depois de tanto repetir esse assunto, não resta dúvida: lei específica cria autarquia

e autoriza a instituição de empresa pública.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 50 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

12. (IADES/PGDF/2011) O Distrito Federal se organiza e estrutura mediante Lei Or-

gânica, a qual deve observar aos princípios estatuídos na Constituição Federal. Em

relação aos dispositivos da Lei Orgânica do Distrito Federal (LODF) acerca da Ad-

ministração Pública, julgue: a criação, transformação, fusão, cisão, incorporação,

privatização ou extinção de sociedades de economia mista, autarquias, fundações e

empresas públicas depende de lei específica, sendo, para a extinção de empresa pú-

blica ou sociedade de economia mista, necessário, para aprovação, maioria absoluta.

Errado.

O erro da questão está no quórum apresentado pela alternativa. Na verdade, em

caso de privatização e extinção de empresas públicas e sociedades de economia

mista, o quórum necessário é de 2/3 dos deputados distritais, bem mais difícil de

ser alcançado. Veja:

Art. 19., § 7º Para a privatização ou extinção de empresa pública ou sociedade de eco-


nomia mista a que se refere o inciso XVIII deste artigo, a lei específica dependerá de
aprovação por dois terços dos membros da Câmara Legislativa.

13. (FUNIVERSA/SECRIANÇA/2015) Acerca da Lei Orgânica do Distrito Federal

(LODF), julgue. A fiscalização tributária é de competência privativa dos auditores e

procuradores fiscais, os quais terão precedência sobre os demais servidores.

Errado.

A carreira é de auditoria tributária.

Art. 31., § 3º A administração tributária, atividade essencial ao funcionamento do Dis-


trito Federal, exercida por servidores da carreira auditoria tributária, tem recursos
prioritários para a realização de suas atividades e atua de forma integrada com as admi-
nistrações tributárias da União, Estados e Municípios, inclusive com o compartilhamento
de cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou de convênio.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 51 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

14. (FUNIVERSA/ADASA/2009) De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Federal,

as pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado, prestadoras de ser-

viços públicos, responderão pelos danos que seus agentes, nesta qualidade, causa-

rem a terceiros. Em complementação ao que dispõe a LODF, assinale a alternativa

correta:

a) É assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou

culpa.

b) É assegurado o direito de regresso contra o responsável apenas nos casos de

dolo.

b) É assegurado o direito de regresso contra o responsável apenas nos casos de

culpa.

e) Não cabe responsabilização contra o terceiro que age com dolo ou culpa.

Letra a.

A responsabilidade civil adotada é a objetiva, em que as pessoas jurídicas listadas

no enunciado da questão responderão pelos danos causados por seus agentes,

que, agindo nessa qualidade, causarem danos a terceiros, assegurado o direito de

regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.

O artigo 20 da Lei Orgânica estabelece que as pessoas jurídicas de Direito Público

e as de Direito Privado, prestadoras de serviços públicos, responderão pelos danos

que seus agentes, nesta qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de

regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.

15. (CESPE/OFICIAL/PMDF/2007) Uma companhia, pessoa jurídica de direito pri-

vado e prestadora de serviço público no DF, instalou um poste de concreto ao lado

de um estacionamento público em uma quadra residencial. A instalação do poste,

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 52 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

com a qual se objetivava reativar o sistema de energia elétrica interrompido, foi

feita pelos servidores Vítor e Oto, ambos da referida companhia. Dois dias após a

instalação, o poste caiu sobre um veículo regularmente estacionado. Houve perda

total do automóvel. O proprietário do veículo dirigiu- se à companhia energética

para o ressarcimento. Recebeu informação da assessoria jurídica de que procu-

rasse os servidores Vítor e Oto, pois a companhia não tinha responsabilidade pelo

ressarcimento do dano causado em seu veículo e não havia amparo legal para tal

solicitação.

Nessa situação, ao contrário do afirmado pela assessoria jurídica, o proprietário do

veículo tem direito à indenização pela própria companhia, haja vista que as pessoas

jurídicas de direito privado prestadoras de serviço público respondem pelos danos

que seus agentes causarem a terceiros.

Certo.

As pessoas jurídicas de Direito Público e as de Direito Privado, prestadoras de ser-

viços públicos, responderão pelos danos que seus agentes, nesta qualidade, cau-

sarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos

de dolo ou culpa, nos termos do art. 20 da Lei Orgânica do DF.

16. (FUNIVERSA/SECRIANÇA/2015) Suponha-se que o governador pretenda priva-

tizar empresa pública do DF. Nesse caso, ele deverá encaminhar, à Câmara Legis-

lativa do DF, projeto de lei específica que deverá ser aprovado por maioria simples.

Errado.

O quórum de aprovação não é de maioria simples. É de 2/3.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 53 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

17. (CESPE/BRB/2011) É indispensável autorização legislativa para que empresa

pública ou sociedade de economia mista do DF participe de empresa privada.

Certo.

Nos termos do art. 19, XIX.

18. (PROF. MARCO SOARES/2017) É garantida a gratuidade da expedição da pri-

meira via da cédula de identidade pessoal aqueles que comprovarem insuficiência

de recursos.

Errado.

Pois o art. 22, III, não faz essa exigência quanto à comprovação de insuficiência de

recursos. É um direito de todos.

19. (CESPE/BRB/2011) O julgamento de processos fiscais em segunda instância é

de competência de órgão colegiado, integrado por servidores da carreira de audito-

ria tributária e representantes dos contribuintes.

Certo.

Foi cobrada exatamente a literalidade do art. 31, § 1º.

20. (PROF. MARCO SOARES/2017) Compete à administração fazendária e seus

agentes fiscais, exercer privativamente a fiscalização de tributos do Distrito Federal.

Certo.

Nos termos do art. 19, XVII.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 54 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

21. (CESPE/BRB/2011) A administração fazendária e seus agentes fiscais têm, em

suas áreas de competência e jurisdição, tratamento igualitário aos demais setores

administrativos, na forma da lei.

Errado.

O tratamento não é igualitário, pois eles têm precedência sobre os demais.

Art. 19., XVII – a administração fazendária e seus agentes fiscais, aos quais compete
exercer privativamente a fiscalização de tributos do Distrito Federal, terão, em suas áre-
as de competência e jurisdição, precedência sobre os demais setores administrativos,
na forma da lei;

22. (PROF. MARCO SOARES/2017) Aos integrantes da carreira de Fiscalização de

Inspeção é garantida a independência funcional no exercício de suas atribuições.

Certo.

Nos termos do art. 19, XXIII.

23. (CESPE/DETRAN/2009) Aos integrantes da carreira de fiscalização e inspeção

é garantida a independência funcional no exercício de suas atribuições, não sendo

exigido nível superior de escolaridade para o ingresso nessa carreira.

Errado.

Pois se exige o nível superior, nos termos do art. 19, XXIII.

XXIII – aos integrantes da carreira Fiscalização e Inspeção é garantida a independência


funcional no exercício de suas atribuições, exigido nível superior de escolaridade para
ingresso na carreira.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 55 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

24. (PROF. MARCO SOARES/2017) De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Fede-

ral, a privatização ou extinção de empresa pública ou sociedade de economia mista

dependerá da aprovação de dois terços dos membros da Câmara Legislativa e de

manifestação favorável da população, sob a forma de referendo.

Certo.

Esse é o teor do art. 19, § 7º, I.

25. (PROF. MARCO SOARES/2017) De acordo com o entendimento do Tribunal de

Justiça do Distrito Federal e Territórios a privatização ou extinção de empresa pú-

blica ou sociedade de economia mista dependerá da aprovação de dois terços dos

membros da Câmara Legislativa e de manifestação favorável da população, sob a

forma de referendo.

Errado.

Pois o Tribunal considerou inconstitucional a exigência de aprovação da população,

sob a forma de referendo.

26. (CESPE/BRB/2011) A publicidade de atos, programas, obras, serviços e cam-

panhas de órgãos e entidades da Administração Pública, ainda que não custeadas

diretamente pelo erário, devem ser suspensas quatro meses antes das eleições,

ressalvadas aquelas essenciais ao interesse público.

Errado.

A suspensão ocorre por 90 (noventa dias antes).

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 56 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

27. (FUNIVERSA/CEB/2010) Tendo em vista o disposto na Lei Orgânica do Distrito

Federal (LODF), assinale a alternativa correta.

a) É possível imprimir publicidade de instituição financeira no contracheque do ser-

vidor público.

b) Na publicidade de atos, programas, obras, serviços e nas campanhas de órgãos

e entidades da Administração Pública, poderão constar símbolos, expressões, no-

mes ou imagens, ainda que isso caracterize promoção pessoal de autoridades ou

de servidores públicos.

c) A publicidade de atos, programas, obras, serviços e as campanhas dos órgãos e

entidades da Administração Pública deverão ser suspensas noventa dias antes das

eleições, mesmo aquelas essenciais ao interesse público.

d) Na expedição da primeira via da cédula de identidade pessoal, deverá ser cobra-

da metade do preço normal.

e) Os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da Admi-

nistração, impuser sigilo.

Letra e.

e) correto. Esse é o teor do art. 22, I:

Art. 22 Os atos da Administração Pública de qualquer dos Poderes do Distrito Federal,


além de obedecer aos princípios constitucionais aplicados à Administração Pública, de-
vem observar também o seguinte:
I – os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da administra-
ção, impuser sigilo;

a) errado. Não existe essa previsão na LODF.

b) errado. A LODF veda, expressamente, que a publicidade de atos, programas,

obras, serviços e as campanhas de órgãos e entidades da Administração Pública,

contenham símbolos, expressões, nomes ou imagens, que caracterizem promoção

pessoal de autoridades ou de servidores públicos.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 57 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

c) errado. A regra é a suspensão da publicidade de atos, programas, obras, ser-

viços e as campanhas dos órgãos e entidades da Administração Pública noventa

dias antes das eleições. Contudo, tal regra possui uma exceção: não se impõe às

publicidades essenciais ao interesse público.

d) errado. A LODF determina que a primeira via da cédula de identidade seja gra-

tuita, nos termos do art. 22, III.

28. (CESPE/DETRAN/2009) A direção superior das empresas públicas, autarquias,

fundações e sociedades de economia mista terá representantes dos servidores, es-

colhidos do quadro funcional, para exercer funções definidas, na forma da lei.

Certo.

O examinador cobrou a literalidade da lei. Veja:

Art. 24. A direção superior das empresas públicas, autarquias, fundações e sociedades


de economia mista terá representantes dos servidores, escolhidos do quadro funcional,
para exercer funções definidas, na forma da lei.

29. (CEB/2014) De acordo com a Lei Orgânica do Distrito Federal, marque a alter-

nativa incorreta:

a) os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da admi-

nistração, impuser sigilo.

b) é garantida a gratuidade da expedição da primeira via da cédula de identidade

pessoal.

c) a administração é obrigada a fornecer certidão ou cópia autenticada de atos,

contratos e convênios administrativos a qualquer interessado, no prazo máximo de

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 58 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

cinco dias, sob pena de responsabilidade de autoridade competente ou servidor que

negar ou retardar a expedição

d) No processo administrativo, qualquer que seja o objeto ou procedimento, obser-

var-se-ão, entre outros requisitos de validade, o contraditório, a ampla defesa e o

despacho ou decisão motivados.

Letra c.

Cuidado! A banca pediu a incorreta. Em questões semelhantes, as bancas não cos-

tumam colocar a incorreta na alternativa “a”, colocando logo de cara uma assertiva

fácil e correta. Isso para induzir o candidato ao erro: “essa é fácil! Vou marcar a “a”

e ir direto para a próxima questão”. Cuidado!

c) errado. O prazo fixado na LODF é de no máximo 30 (trinta) dias. Como essa

alternativa não condiz com o texto da Lei Orgânica, ela é a alternativa incorreta a

ser marcada.

a) perfeito! Os atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse

da administração, impuser sigilo. Mas a banca quer uma assertiva incorreta.

b) realmente, a primeira via da cédula de identidade é gratuita.

d) correto também! Deve-se observar, entre outros requisitos de validade, o con-

traditório, a ampla defesa e o despacho ou decisão motivados.

30. (CESPE/SOLDADO/PMDF/2009) Tendo essa situação hipotética como referên-

cia inicial julgue o item seguinte, relativo à Lei Orgânica do DF: os atos administra-

tivos praticados na Secretaria de Segurança Pública e nas administrações regionais

são públicos, com exceção da hipótese de uma lei prever sigilo no interesse da

administração.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 59 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Certo.

Perfeito! Conforme o art. 22, da LODF, os atos da Administração Pública de qual-

quer dos Poderes do Distrito Federal, além de obedecer aos princípios constitucio-

nais aplicados à Administração Pública, devem observar também o seguinte: I – os

atos administrativos são públicos, salvo quando a lei, no interesse da administra-

ção, impuser sigilo.

31. (CESPE/DETRAN/2009) A direção superior de empresas públicas, autarquias,

fundações e sociedades de economia mista deve ter representantes dos servidores

do quadro funcional para exercer funções definidas, na forma da lei.

Certo.

Nos termos do art. 24.

32. (IADES/SECULT/2014) João é do quadro funcional de uma empresa pública do

Governo do Distrito Federal. Pedro é do quadro funcional de sociedade de economia

mista do Governo do Distrito Federal. Maria é do quadro funcional de autarquia do

Governo do Distrito Federal. Sara é do quadro funcional da Secretaria de Estado de

Educação do Distrito Federal.

a) João, Pedro, Maria e Sara têm previsão, na Lei Orgânica do Distrito Federal, para

terem representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção

superior de suas entidades/órgãos públicos, na forma da lei.

b) João e Pedro têm previsão, na forma da Lei Orgânica do Distrito Federal, para

terem representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção

superior de suas entidades/órgãos públicos, na forma da lei.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 60 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

c) João, Pedro e Maria têm previsão, na Leio Orgânica do Distrito Federal, para ter

representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção superior

de suas entidades/órgãos públicos, na forma da lei.

d) Nenhum deles tem previsão expressa, na Lei Orgânica do Distrito Federal, para

ter representantes dos seus quadros funcionais para participarem da direção supe-

rior de suas entidades/órgãos públicos.

e) Somente Pedro têm previsão, na Lei Orgânica do Distrito Federal, para ter re-

presentantes dos seus quadros funcionais para participar da direção superior da

própria entidade pública.

Letra c.

Está achando difícil? Vou te ajudar! Perceba que Sara é a única que trabalha em

um órgão que não faz parte da administração indireta. Consta ainda no texto da Lei

Fundamental que a direção superior das entidades da administração indireta, deve

ter servidores escolhidos do quadro funcional.

Art. 24. A direção superior das empresas públicas, autarquias, fundações e sociedades


de economia mista terá representantes dos servidores, escolhidos do quadro funcional,
para exercer funções definidas, na forma da lei.

Agora ficou tranquilo, né?

c) certo e completo. Esse é o gabarito!

a) errado. Sara, não.

b) certo. Mas, incompleto.

d) errado! Nenhum? Kkk

e) errado. Somente Pedro, não.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 61 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

33. (CESPE/BRB/2009) A Administração Pública é obrigada a fornecer a qualquer

cidadão, no prazo máximo de quinze dias úteis, independente de pagamento de

taxas ou emolumentos, certidão de atos, contratos, decisões ou pareceres para

a defesa de seus direitos e esclarecimentos de situações de interesse pessoal ou

coletivo.

Errado.

Na situação apresentada, o prazo será de 10 (dez) dias úteis, conforme art. 23, II.

34. (IADES/PGDF/2011) Todos os poderes do Distrito Federal devem publicar, tri-

mestralmente, no Diário Oficial, demonstrativo de despesas com publicidade e pro-

paganda, devendo ser suspensa, a qualquer título, sua veiculação no período de 90

dias que antecedem as eleições.

Errado.

Um pequeno detalhe torna esse item incorreto. A expressão “a qualquer título” sig-

nifica que é uma regra que não comporta exceção. Mas, como estudamos, há uma

exceção: a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanha dos ór-

gãos deve ser suspensa 90 (noventa) dias antes das eleições, ressalvadas aquelas

essenciais ao interesse público, conforme art. 22, V, b.

35. (CESPE/DETRAN/2009) Considere que o governo do DF pretenda divulgar suas

opções de governo, com obras, projetos etc. Nesse caso, esse tipo de publicidade

deve ser suspenso noventa dias antes das eleições.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 62 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

Certo.

Nos termos do art. 22, V.

36. (CESPE/DETRAN/2009) Ao DF compete instituir taxas de serviço, como aquela

que é cobrada na expedição da primeira e da segunda vias da cédula de identidade

pessoal.

Errado.

Pois a primeira via é gratuita, nos termos do art. 22, III.

37. (CESPE/DETRAN/2009) A administração é obrigada a fornecer certidão ou có-

pia autenticada de atos, contratos e convênios administrativos a qualquer interes-

sado, no prazo máximo de trinta dias, sob pena de responsabilidade de autoridade

competente ou servidor que negar ou retardar a expedição.

Certo.

Nos termos do art. 22, II.

38. (CESPE/BRB/2011) Os atos de improbidade administrativa importam suspen-

são dos direitos políticos, perda da função pública, indisponibilidade dos bens e

ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, com prejuízo da

ação penal cabível.

Errado.

Não há prejuízo na ação penal cabível.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 63 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

39. (CESPE/PMDF/2013) José, que exerceu o cargo de presidente de uma funda-

ção do DF entre março de 2004 e abril de 2005, está sendo processado por ato de

improbidade administrativa, em razão de ter cometido irregularidades em sua ges-

tão. Se for condenado poderá ter seus bens indisponíveis e seus direitos políticos

cassados.

Errado.

Os direitos políticos serão suspensos.

40. (PROF. MARCO SOARES/2017) Os serviços públicos constituem um poder do

Distrito Federal.

Errado.

Pois os serviços públicos constituem um DEVER do Distrito Federal, nos termos do

art. 25.

41. (IADES/PGDF/2011) Privilegiando o princípio da Administração Pública profis-

sional, é prevista expressamente na referida Lei Orgânica que a direção superior

das entidades da Administração Indireta terá representantes dos servidores e, ain-

da, que sejam escolhidos do quadro funcional próprio.

Certo.

Nos termos do art. 24 da Lei Orgânica do DF.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 64 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

42. (IADES/PGDF/2011) O prazo máximo para que a Administração Pública do

Distrito Federal providencie a emissão de quaisquer certidões solicitadas pelos ci-

dadãos é de 10 dias, excetuados os casos de comprovada impossibilidade e dos

assuntos que a lei, no interesse da administração, impuser sigilo.

Errado.

A Lei Orgânica traz certidão de atos, contratos, decisões ou pareceres, para defesa

de seus direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal ou coletivo, e

não qualquer certidão.

43. (PROF. MARCO SOARES/2017) O Distrito Federal não se sujeita à legislação

federal em processos licitatórios.

Errado.

Veja o que dispõe o art. 26:

Art. 26. Observada a legislação federal, as obras, compras, alienações e serviços da ad-


ministração serão contratados mediante processo de licitação pública, nos termos da lei.

44. (PROF. MARCO SOARES/2017) Os atos de improbidade importarão:

a) Cassação dos direitos políticos.

b) Perda da função pública.

c) Disponibilidade dos bens.

e) Recebimento do erário.

Letras b.

A única alternativa correta nos termos do art. 27 da LODF é a alternativa “b”.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 65 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

45. (PROF. MARCO SOARES/2017) De acordo com a Lei Orgânica do DF é permitida

a contratação de obras e serviços públicos sem a prévia aprovação do projeto.

Errado.

É vedada, conforme art. 28.

46. (PROF. MARCO SOARES/2017) É vedado à lei dispor sobre a participação popu-

lar na fiscalização da prestação dos serviços públicos do Distrito Federal.

Errado.

De acordo com o art. 30, a lei deve dispor.

47. (PROF. MARCO SOARES/2017) Não há previsão de participação popular na fis-

calização da prestação dos serviços públicos do Distrito Federal.

Errado.

Pois há previsão de forma expressa no artigo 30 da Lei Orgânica do DF.

48. (PROF. MARCO SOARES/2017) Os serviços públicos prestados pelo Distrito Fe-

deral serão prestados sem distinção de qualquer natureza.

Certo.

Essa é a literalidade do art. 25.

O conteúdo desta aula em pdf é licenciado para ELIANE DE ALMEIDA PAES - 00448221705, vedada, por quaisquer meios e a qualquer título,
a sua reprodução, cópia, divulgação ou distribuição, sujeitando-se aos infratores à responsabilização civil e criminal.
www.grancursosonline.com.br 66 de 67
LEI ORGÂNICA DO DF
Da Administração Pública
Prof. Marco Soares

49. (PROF. MARCO SOARES/2017) O servidor público que for condenado por haver

cometido ato de improbidade administrativa estará sujeito as sanções previstas na

Lei Orgânica, com prejuízo da ação penal cabível.

Errado.

Não há prejuízo da ação penal cabível.

50. (PROF. MARCO SOARES/2017) A administração tributária, atividade essencial

ao funcionamento do Distrito Federal, exercida por servidores da carreira de au-

ditoria tributária, tem recursos prioritários para a realização de suas atividades e

atua de forma isolada da administração tributária dos demais entes federativos.

Errado.

A administração tributária do DF atua de forma integrada com as administrações

tributárias da União, estados e municípios, inclusive com o compartilhamento de

cadastros e de informações fiscais, na forma da lei ou de convênio.

51. (IADES/SES-DF/2018) A Administração Pública indireta deve obedecer aos

princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, razoabilidade,

motivação, participação popular, transparência, eficiência e interesse público.

Certo.

Eu alertei meus alunos do presencial de que essa recente atualização (ELO 106) na

LODF seria cobrada. A participação popular passou a ser um princípio expresso na

LODF.

www.grancursosonline.com.br 67 de 67