You are on page 1of 7

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE

(UNI-BH)

SEMINÁRIO DE VIBRAÇÕES MECÂNICAS


Professor: Alex Oliveira

Absorvedores Dinâmicos de Vibrações (ADV)

Caio Paz
Fábio Calixto
Fabio Marcelino
Fernando Araújo
Naiane Lopes 
Ramon Siqueira
Raphaela Mori

BELO HORIZONTE
2018
1. ​INTRODUÇÃO

Uma vibração mecânica surge geralmente quando um sistema é deslocado da sua posição
de equilíbrio estável, em geral, quando o sistema tende voltar sob a ação de forças,
ultrapassando a posição de equilíbrio. A repetição deste processo é chamado movimento
oscilatório, o intervalo de tempo necessário para o sistema completar esse ciclo de
movimento chama-se período de vibração, o número de ciclos por unidade de tempo
desse movimento é definido como a frequência e o deslocamento máximo do sistema
medido a partir da sua posição de equilíbrio chama-se amplitude de vibração. Esse
processo pode ser utilizado com proveito em várias aplicações industriais, como em testes
de materiais, processos de soldagem e usinagem, porém, essas oscilação podem gerar
deslocamentos que podem colocar em risco a integridade de estruturas e até mesmo
causar desconforto para o ser humano. Diante destes efeitos prejudiciais das vibrações
mecânicas, surge então a necessidade de controlar esses fenômenos vibratórios.
(MARQUES, 2000)
Controle de vibrações é o conjunto de medidas que visam manter a resposta dinâmica de
um sistema estrutural abaixo dos níveis máximos considerados permitidos. A três formas
de reduzir os níveis de vibração, tais como; atuar sobre a força de excitação eliminando-a,
reduzindo sua amplitude e/ou alterando a sua frequência; outra forma é atuar sobre a
estrutura, variando seus parâmetros dinâmicos (massa, rigidez e amortecimento); e por fim
acoplar um sistema auxiliar ao sistema principal ou primário procurando neutralizar a
vibração e seus efeitos. (FCT, 2010)

2. ABSORVEDORES DINÂMICOS DE VIBRAÇÃO

A partir desse conceito foram desenvolvidos os Absorvedores Dinâmicos de Vibrações


(ADV), que surgem como uma alternativa para evitar esses problemas relacionados com a
frequência de vibração citadas anteriormente. São três tipos de ADVs, sendo eles os ADVs
passivos, ativos e adaptativos. (MARQUES, 2000)

2.1. ABSORVEDORES DINÂMICOS DE VIBRAÇÕES PASSIVOS

Foram os primeiros tipos de adaptadores desenvolvidos, compostos por elementos físicos


concentrados de inércia, rigidez e amortecimento. Eles foram criados de forma que sua
frequência natural seja sintonizada para a frequência de excitação admitida fixa, porém,
com uma banda de excitação relativamente estreita, inviabilizando a sua aplicação para
casos em que possa haver uma oscilação da frequência de excitação. (MAIO, 2011)

2.2. ABSORVEDORES DINÂMICOS DE VIBRAÇÕES ATIVOS

Os adaptadores ativos foram criados com base nos ADVs passivos, visto que são aqueles
em que um atuador é colocado paralelamente com algum elemento passivo do ADV,
exercendo uma força de controle, permitindo modificar sua sintonização, aumentando um
pouco a sua eficiência em bandas de vibrações maiores, porém com uma limitação de
variação das propriedades físicas da estrutura, onde não suportaria uma modificação por
exemplo, na inércia do material, rigidez e amortecimento. (MAIO, 2011)

2.3. ABSORVEDORES DINÂMICOS DE VIBRAÇÕES ADAPTATIVOS

Como citado anteriormente, os ADVs passivos e ativos possuem algumas vantagens, são
muito limitados quando a variação contínua de parâmetros físicos da estrutura. Com base
nas definições dos mesmos, foram desenvolvidos os ADVs adaptativos, que são aqueles
que possibilitam que os parâmetros físicos possam ser variados, sendo essa variação por
meio de automatização ou com intervenção manual, dessa maneira, há uma segurança
para operação de sintonização em bandas com frequências mais amplas. Quando, por
meio de algum trabalho externo é gerado uma variação desses parâmetros, admite-se que
esta variação seja em um processo quase estático, assim, cadas instante do sistema,
poderá ser modelado como um sistema de parâmetros físicos passivos, com valores
constantes. Assim, será possível assegurar a estabilidade de todo o sistema. (MARQUES,
2000)

2.3.1. TIPOS DE ABSORVEDORES DINÂMICOS ADAPTATIVOS:


2.3.1.1ADVs Adaptativos tipo massa - mola helicoidal e lâmina
O ADVs do tipo massa-mola helicoidal, possuem um motor de corrente contínua, usado
para sintonizar o ADV, regulando o comprimento efetivo da mola. (PIRES, 2016)
ADV tipo massa-mola helicoidal

Figura 1: (MARQUES, 2000)

Já o ADV com molas de lâminas ou massa-mola de folhas, é efetuada uma variação da


rigidez de flexão do conjunto, por meio do controle de abertura do parafuso de avanço das
massas laterais, assim gerando a sintonização do ADV.

ADV tipo massa-mola de lâminas

Figura 2: (MARQUES, 2000)

2.3.1.2. ADVs Adaptativos tipo corda vibrante

Esse ADV é composto por uma corda a uma determinada distância da estrutura, com uma
determinada densidade linear, sujeita a tração, onde é presa uma massa concentrada.
(MARQUES, 2000)
ADV tipo corda vibrante

Figura 3: (Maio, 2011)

2.3.1.3. ADVs Adaptativos tipo corda vibrante

É um ADV muito utilizado, principalmente em estruturas de grande porte, sujeita a


vibrações de baixas frequências, como por exemplo: edifícios, torres, entre outras, pois
permite um ajuste dos parâmetros do comprimento da haste do pêndulo e a posição da
conexão dela com a estrutura. Ele consiste em um pêndulo formado por uma haste
uniforme, com uma massa na sua extremidade. A haste do pêndulo é ligada por uma
conexão rígida, a uma lâmina flexível engastada livre, com rigidez de flexão EI.
(MARQUES, 2000)
ADV tipo corda vibrante

Figura 4: Maio, 2011


2.3.1.4. ADVs Adaptativos tipo viga com atuadores piezelétricos

Um tipo de ADV que explora a tecnologia dos materiais piezelétricos. Onde em uma viga
metálica, bi-engastada sobre a qual são colocadas duas placas desse materiais. Os
elementos serão comandados por uma mesma tensão elétrica, a fim de que sua
deformação seja transmitida parcialmente à viga de metal. A viga sendo restringida em
suas extremidades, a deformação do material piezelétrico causa um tensionamento
mecânico interno na viga causando um enrijecimento da mesma e essa ação promove
variação na frequência natural de movimento de flexão da viga. Esse é um exemplo bem
típico de um ADV adaptativo, pois permite uma variação da tensão aplicada entre valores
negativos e positivos, podendo aumentar ou diminuir os valores de frequências naturais da
viga, por exemplo, quando a viga é tracionada, o valor da sua frequência diminui, e quando
a viga for comprimida, a sua frequência natural será aumentada. (MAIO, 2011)

ADV tipo viga com atuadores piezelétricos

Figura 5: MAIO, 2011

3. CONCLUSÃO

Os absorvedores dinâmicos de vibrações são de extrema importância no cenário atual,


onde vem sendo estudados frequentemente em busca de melhores adaptação às mais
variadas construções pelo mundo. Vimos que os adaptadores passivos e ativos são bem
complexos para modelamento, mas que foram de suma importância para a criação dos
ADVs mais utilizados, que são os adaptativos.
4. REFERÊNCIAS

MARQUES, R. F. ALVEZ - ​ESTUDO TEÓRICO E NUMÉRICO DE ABSORVEDORES


DINÂMICOS DE VIBRAÇÕES ATIVOS E ADAPTATIVOS - ​UNIVERSIDADE FEDERAL DE
UBERLÂNDIA​ - JULHO DE 2000

APONTAMENTO DE VIBRAÇÕES MECÂNICAS - ​FACULDADE DE CIÊNCIAS E


TECNOLOGIA​/​FCT​ - 2009/2010

PIRES, K. L - ​PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE NEUTRALIZADOR DINÂMICO DE


VIBRAÇÃO, UTILIZANDO MOLAS DE AÇO HELICOIDAIS - ​CONGRESSO NACIONAL
DE ENGENHARIA MECÂNICA​ - AGOSTO DE 2016

MAIO, CARLOS E. B - ​TÉCNICAS DE MONITORAMENTO DE INTEGRIDADE


ESTRUTURAL USANDO SENSORES E ATUADORES PIEZOELÉTRICOS -
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINAS/UNICAMP​ - MARÇO 2011