You are on page 1of 2

Resumo: A Espiral hermenêutica

Esse livro de Grant Osborne é uma obra prima na área da hermenêutica com conteúdo amplo
e objetivo.

Introdução
A hermenêutica que tem como significado “interpretação” é uma ciência que provê métodos e
princípios para tal. Interpretar um texto é aparentemente fácil contando que seria apenas
achar o significado para pessoa que lê, porém é muito mais que isso pois o texto preso a
tempos e circunstâncias precisa revelar o que significava para assim revelar o que significa.

A hermenêutica é de três características: primeiramente é cientifica, pela análise, pesquisa


metodologia e ferramentaria aplicada ao documento no desejo de alcançar a essência de um
escrito. Em segundo é trabalho artístico porque aquele que a interpreta não apenas usa teorias
e métodos mecânicos, mas também sua imaginação, experiência e habilidades porque o
significado entendido mas oculto, é menos importante do que o exposto e aplicado. O
interprete não só deve considerar esses dois fatores, mas também, no que se refere a
interpretação das sagradas Escrituras o trabalho é espiritual, e por isso é insuficiente quando
abordado apenas pelos dois primeiros pontos, porque o Espírito tem especial importância para
se chegar a um resultado eficaz.

A tarefa hermenêutica encontra seu resultado mais completo quando se desenvolve em três
níveis, que é primeiro a exegese, segundo devocional e terceiro homilética, fazendo o texto
responder a três perguntas: (1) O que significa? (2) O que significa para mim? (3) o que esse
significado para mim significa para o próximo.

A hermenêutica e o significado pretendido


O texto sagrado tem como premissa a inspiração divina sobre o autor humano, Deus na sua
inspiração usa o escritor, e ambos ao produzir os escritos pretendem um significado específico,
que os primeiros leitores entenderam, mas, que nós por causa das distancias temos
dificuldade de compreender a intenção do autor pela complexidade em que o texto é
envolvido. Mesmo com essas barreiras não é impossível de entender a mensagem autoral,
ainda que alguns afirmem isso, dizendo que o significado está no interprete, pois não adianta
buscar a originalidade, que é inalcançável.

A interpretação e o problema da distância


Mesmo que não seja impossível interpretar o texto alcançando o significado pretendido, é
importante frisar que não é fácil, e que serão necessários vários tipos de investimentos como
tempo e dinheiro na compra de material de apoio, pois, se para entender uma poesia escrita
no século passado precisamos empregar esforço imagine um texto produzido à mais de
milênios.

Inspiração e autoridade das escrituras


O texto em sua situação original por ser inspirado revela autoridade inequívoca, porém ao ser
interpretado e contextualizado em outro tempo tem-se que assegurar a preservação do
significado que carrega a autoridade.
O significado depende do gênero do texto
Assim como as diversas expressões da face humana revelam o humor de alguém assim
também os diversos gêneros do texto revelam significados distintos, sendo assim o gênero
literário nos dá um norte rumo a interpretação do texto em exame. Cada estilo tem formas
distintas de se entender como por exemplo não se pode interpretar uma história verídica
como se interpreta uma parábola.

Simplicidade e clareza das Escrituras


Mesmo que se deva empregar esforço na busca do entendimento do texto sagrado tem alguns
fatores que demonstram sua simplicidade e clareza. Lutero formulou esse assunto da seguinte
forma: a simplicidade das Escrituras se dá em primeiro lugar pelo seu aspecto gramatical,
sendo aplicado as leis da gramatica se chega a um resultado. O segundo aspecto é o espiritual,
onde o Espírito trazendo iluminação clareia o significado da palavra de Deus. É também
importante salientar que o principal intuito da iluminação é o entendimento da mensagem e
nem sempre a compreensão do processo de interpretação e nem o esclarecimento de textos
obscuros.

Unidade e diversidade das Escrituras


Um ponto importante a ser frisado é sobre a unidade e diversidade do texto bíblico. Como na
inspiração se encontra apenas um autor que é Deus, mas ao mesmo tempo vários autores
humanos inspirados por Deus, temos uma unidade de pensamento na bíblia e ao mesmo
tempo diversidades e peculiaridades próprias dos autores humanos. Isso ajuda a entendermos
as diferenças de expressões e as formas como foram empregadas. Neste aspecto devemos ter
cuidado para não apoiarmos um fator (unidade ou diversidade) e desprezarmos o outro.

Analogia das Escrituras


É cair num erro afirmar que a autoridade das Escrituras não provém dela mesma, mas sim de
algum grupo especifico sendo portador das doutrinas bíblicas, sendo assim temos um princípio
chave provindo da reforma que parte do seguinte ponto: uma doutrina só se faz tal se for
apoiada de forma ampla e clara pelas escrituras, para que evitar que textos isolados sejam
forçados a expor sentenças falsas.

Papel do leitor na interpretação


Ler não é entender, pois todo leitor se aproxima do texto com pré-conhecimentos que
influenciam na compreensão e que podem desviar totalmente o sujeito de seu significado
original, isso não é de todo mal já que os conteúdos dos escritos devem se aplicar a realidade
atual e o leitor atual é o melhor para fazer isso.

Pregação expositiva
Tendo em mente que a bíblia tem o alvo de fazer de seus leitores pessoas piedosas, o melhor
produto da mesma é a pregação e em seu estilo expositivo unindo o horizonte do autor ao
horizonte do leitor fazendo a os textos antigos tão vivos e claros como foram em sua época.