You are on page 1of 3

Liturgia Cristã cf. São Justino Mártir (II Séc.

ESTRUTURA HISTÓRICA ADAPTAÇÃO CONTEMPORÂNEA [por Luiz Carlos Ramos e Tércio Junker, 2006]

A Liturgia da Palavra

[Prelúdio] [A comunidade permanece em oração ao som da respiração dos presentes. Depois de


um tempo, o dirigente, soprando sobre os presentes, deseja-lhes a paz]

[Intróito] A paz seja com vocês.


E com você também.

♪ Glória Patri
[Séc. II, Charles Meineke, João Gomes da Rocha]

Lições dos profetas, Domingo de Pentecostes (Ano B):


das epístolas e evangelhos Atos dos Apóstolos 2.1-[13]21; Romanos 8.22-27; João 15.26-27
(“memórias dos apóstolos”) ♪ Aleluia
[Taizé]
Instruções e exortações Partilha da Palavra (dialogada)
baseadas nas lições
♪ Sopro do Espírito
[L&M: Flávio Irala, Roy de Oliveira e TércioJunker]

Orações em comum Súplica: [...] Vem, ó sopro da vida:


em forma de litania Responso: vivifica nossos corpos,
sensibiliza a nossa alma,
inspira o nosso espírito.

Salmos e hinos Salmódia: Salmo 104.24-35

♪ Responso: Envia teu Espírito e renovas a face da terra


[Salmo 104.30, Luiz Carlos Ramos e Tércio Junker]

A Liturgia da Mesa

Ósculo de paz

Ofertório: Processional: oferta dos alimentos e dos elementos (pão e vinho)


coleta dos dons para os
pobres e introdução dos ♪ Porque o Senhor é bom
elementos [Liséte Espindola]

Oração de consagração:
Oremos.
Acão de graças pela criação, Nós te louvamos, Deus da vida, pelas dádivas que recebemos de ti, pela terra e pela
providência e redenção água, pelo fogo e pelo ar. Em gratidão oferecemos o que de ti recebemos. Que estas
ofertas cumpram a tua vontade na vida das pessoas que as receberão. Louvado sejas,
Deus da vida, que nos dás o pão e o fruto da videira, dádivas abençoadas da terra e do
trabalho humano. Dá que, pela ação do teu Espírito Santo, este pão se torne pão da
vida e este vinho se torne bebida da libertação para todos nós.
Amém.

O Senhor seja com vocês.


E com você também.
Elevemos os nossos corações.
Ao Senhor os elevamos.
Rendamos graças ao Senhor.
Sim, é digno e justo render graças a Deus.
Nós te rendemos graças, ó Deus, pois nos enviaste o teu Santo Espírito para nos con-
solar em nossos prantos, para nos instruir na tua Palavra e para interceder por nós
quanto nos faltam as palavras. Por isso, como teu povo agradecido, cantamos:

♪ Hagios
[Da Liturgia Ortodoxa]

Recordação da Paixão Nós te damos graças, ó Deus, porque o teu Filho, antes de entregar-se à morte e res-
(Anamnese – memorial) suscitar, reuniu-se com os discípulos para a ceia pascal.
Ele veio nos salvar!
Oferta de dons E, enquanto comiam, Jesus tomou um pão e, tendo dado graças, o partiu e deu aos
como oferta de si mesmo discípulos, e disse: “Isto é o meu corpo dado por vós: fazei isto em minha memória.”
Depois de cear, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos e disse:
“Isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado por vós; fazei isto em
minha memória.”

Invocação do Verbo Lembrando disso, Senhor, nós nos reunimos ao redor desta mesa para, com alegria,
e do Espírito Santo para que receber o teu Filho que ressuscitou da morte e, tendo conquistado a vida eterna, der-
abençoe os dons de pão e rama sobre nós o teu Espírito Santo. Grande é o mistério da fé!
vinho (Epiclese) Anunciamos, Senhor, a tua morte, proclamamos a tua ressurreição
e esperamos a tua vinda. Maranatha! Vem, Senhor Jesus!

Deus Eterno: derrama o teu Espírito Santo, o Espírito que dá vida e cria comunhão.
♪ Veni Sancte Spiritus. / Vem, Santo Espírito.
[Comunidade de Taizé, França]

Dá que, partilhando o pão e o cálice da comunhão, possamos viver a vida do teu reino
e, na força do teu Espírito, testemunhar teu evangelho.

♪ Agnus Dei
[Comunidade de Taizé, França]

Intercessões Conspiramos pela unidade da Igreja


para que o mundo creia.
Conspiramos pela unidade desta comunidade
para que o mundo creia.
Conspiramos pela unidade das nossas famílias
para que o mundo creia.
Conspiramos...
para que o mundo creia.

♪ Unidade
[Cf. Jo 17.21 — Liséte Espíndola, Luiz Carlos Ramos,
Nelson Gomes, Roy de Oliveira, Xico Esvael]

Lembra-te, ó Deus, de todas as pessoas que em todos os tempos e lugares anseiam


por ti e carecem da tua graça. Intercedemos por nossos familiares, pelas pessoas ami-
gas, pelos irmãos e irmãs na fé e por toda a humanidade. Reúne-nos à mesa do ban-
quete no Reino prometido e por Cristo inaugurado, num mesmo Espírito de comunhão
universal.
Por Cristo, com Cristo e em Cristo.

Amém da congregação ♪ Cântico: Pai-Nosso


[Mt 6.9-13, Luiz Carlos Ramos e Roy de Oliveira]

Partilha (fração) (Elevando o pão) O pão pelo qual damos graças é a comunhão do corpo de Cristo.
(Elevando o cálice) O cálice pelo qual damos graças é a comunhão do sangue de Cristo.

Comunhão Nós, embora muitos, somos um só corpo.


Venham, pois tudo está preparado. Quem convida é o Senhor!

[Distribuição do pão e do vinho]

♪ Ceia
[Neusa Cezar e Liséte Espíndola]

Despedida Oremos.
Graças te damos, ó Deus, porque vieste a nós nesta Ceia e nos fortaleceste. Que esta
comunhão nos ajude a crescer na fé e no amor solidário. Que possamos sair daqui
animados e animadas a viver a Páscoa em nossa vida pessoal, familiar e comunitária.
Por Cristo, teu Filho amado.
Amém

[Bênção] Que o vento sopre suave sobre os seus ombros trazendo sempre o aroma da paz;
Que o fogo aqueça o seu coração deixando-o sempre pleno de ternura;
Que a palavra que sair dos seus lábios e as que visitarem os seus ouvidos levem e
tragam sempre o som de uma bênção.
♪ Amém.

Vão em paz, orientados pelo Espírito de Deus, e sirvam ao Senhor.


Damos graças a Deus.

*
***
*
Por que Capela da Serra?

A
tribui-se o termo “capela” a São Martinho de Tours, o Cristo no acolhimento dos irmãos, passou a designar-
que viveu na época do imperador Constâncio, no se “capela”.
século IV d.C. Conta-se que, quando ainda era soldado Estamos chamando o espaço no qual nos reuni-
romano, desejava tornar-se cristão, mas relutava a mos de “Capela da Serra” porque o nosso sonho é que
tomar essa decisão por influência do pai, também mili- este seja um lugar onde Cristo seja acolhido no acolhi-
tar, e por força de sua profissão. Certa noite, quando mento que fizermos uns dos outros e, já que estamos
cavalgava pela neve, viu um mendigo. Movido por com- ecologicamente situados ao pé da Serra do Japi, pare-
paixão, rasgou a sua capa em duas partes e deu uma ceu-nos apropriado designar este lugar de “Capela da
metade para o homem que padecia de frio. Mais tarde, Serra”. Além disso, há aqui um encontro maravilhoso da
durante aquela noite, enquanto dormia, teve um sonho natura com a cultura. As serras são edificações geológi-
no qual via Jesus Cristo envolto com a metade da sua cas que naturalmente vão ao encontro do céu, enquanto
capa. Quando narrou seu sonho, o termo que empregou as capelas são edificações humanas nas quais sobrenatu-
para designar a metade da capa (ou capa pequena), foi ralmente Deus vem ao nosso encontro.
“capela”. Essa experiência determinaria o modo de vida
monástica que Martinho adotaria dali em diante. A partir Rev. Luiz Carlos Ramos

de então, uma pequena construção destinada a acolher a partir de relato feito pelo Rev. Luciano José de Lima

Cânticos
♪ Glória Patri ♪ Agnus Dei
[Séc. II, Charles Meineke, João Gomes da Rocha] [Comunidade de Taizé, França]
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo (†). Agnus Dei,
Como era no princípio é hoje e para sempre, qui tollis peccata mundi,
Sempre e sem fim. Amém. Amém. miserere nobis, Domine.

♪ Sopro do Espírito ♪ Unidade


[L&M: Flávio Irala, Roy de Oliveira e TércioJunker] [Cf. Jo 17.21 — Liséte Espíndola, Luiz Carlos Ramos,
Nelson Gomes, Roy de Oliveira, Xico Esvael]
O vento sopra onde quer:
Semeando a unidade
pra onde é que vai nos levar?
Para que o mundo creia
/:Um rumo, um caminho certo,
/: Sejamos todos um :/
vai surgir, decerto: o vento vai soprar...:/
Para que o mundo creia
O vento sopra onde quer: Semente [Colheita] de comunhão
a sua voz se pode ouvir.
/:Mas não se sabe de onde vem, ♪ Pai-Nosso
nem para onde vai: só sei que vou seguir.:/ [Mt 6.9-13, Luiz Carlos Ramos e Roy de Oliveira]
O vento leva, o vento traz: Pai nosso que estás no céu, / o teu nome seja santo.
surpresas ele nos trará. Tua vontade seja feita, / assim na terra como no céu.
/:Levando o barco em mar aberto, A cada dia dá-nos pão / p’ras nossas dívidas perdão.
penso que estou perto, posso então sonhar.:/ Livra-nos do mal / e de toda tentação,
Pois teu é o reino, / o poder e a glória,
p’ra sempre, p’ra sempre. Amém.
♪ Porque o Senhor é bom
[Liséte Espindola]
♪ Ceia
Ele ampara os pobres
[L: Neusa Cezar; M: Liséte Espíndola]
E a cada dia sobre a mesa dá o pão
Lembre-se sempre de mim! / Ao comer o pão
Porque o Senhor é bom!
Que simboliza o meu corpo / que dou por você
Oh! Aleluia! Oh! Aleluia! Oh! Aleluia!
Porque o Senhor é bom!
Lembre-se sempre de mim! / Quando o vinho beber
E aos que sofrem dores
Que simboliza o meu sangue / na cruz por você
Traz esperança e com ternura dá a paz
Por amor eu vim! / Por amor vivi
♪ Hagios
Por amor minha vida eu dou!
[da Liturgia Ortodoxa]
Enfrentada a cruz / trago a salvação
Hagios, ho Theos, hagios yschiros,
Uma vida nova eu dou! / Lembre-se sempre de mim!
hagio athanatos, eleison hymas