You are on page 1of 508

Felipe Junges Villa

Gestão e Fiscalização de Contratos

Fontes do Material:

2
Gestão e Fiscalização de Contratos

Objetivo

Capacitar o servidor para atuar na gestão e


fiscalização de contratos administrativos de
aquisições de bens e serviços.

3
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
• Introdução
• Desenvolvimento
1. Panorama geral do contrato administrativo;
2. Formalização dos contratos;
3. Alterações contratuais;
4. Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro;

4
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

5
Gestão e Fiscalização de Contratos

Princípios
• Constituição Federal (88)

Art. 37. A administração pública direta e indireta de


qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos
princípios de LEGALIDADE, IMPESSOALIDADE,
MORALIDADE, PUBLICIDADE e EFICIÊNCIA e, também
(...)
Incluído pela Emenda Constitucional nº
19, de 1998 6
Gestão e Fiscalização de Contratos

Princípios
• Lei nº 8.666/93
Art. 3º A licitação destina-se a garantir a observância
do princípio constitucional da ISONOMIA (...) e será
processada e julgada em estrita conformidade com os
princípios básicos da LEGALIDADE, da IMPESSOALIDA-
DE, da MORALIDADE, da IGUALDADE, da PUBLICIDADE,
da PROBIDADE ADMINISTRATIVA, da VINCULAÇÃO AO
INSTRUMENTO CONVOCATÓRIO, do JULGAMENTO
OBJETIVO e dos que lhes são correlatos.
7
Gestão e Fiscalização de Contratos

Princípios
• Lei nº 9.784/99

Art. 2º A Administração Pública obedecerá, dentre


outros, aos princípios da LEGALIDADE, FINALIDADE,
MOTIVAÇÃO, RAZOABILIDADE, PROPORCIONALIDADE,
MORALIDADE, AMPLA DEFESA, CONTRADITÓRIO,
SEGURANÇA JURÍDICA, INTERESSE PÚBLICO e
EFICIÊNCIA.

8
Gestão e Fiscalização de Contratos

Princípios
A motivação deve atender os seguintes pré-requisitos:
- Motivos que levaram a praticar o ato;
- Finalidade que se busca com o ato; e
- Fundamentação legal.

• Lei nº 8.666/93
Art. 113. O controle das despesas decorrentes dos contratos e
demais instrumentos regidos por esta Lei será feito pelo Tribunal
de Contas competente, na forma da legislação pertinente,
ficando os órgãos interessados da Administração responsáveis
pela demonstração da legalidade e regularidade da despesa e
execução, nos termos da Constituição e sem prejuízo do sistema
de controle interno nela previsto. 9
Gestão e Fiscalização de Contratos

Importância do Planejamento das


Contratações
- Princípio Fundamental da Administração
Decreto-Lei nº 200, de 25 Fev 67.
Art. 6º As atividades da Administração Federal obedecerão aos seguintes
princípios fundamentais:
I – Planejamento
(...)

10
Gestão e Fiscalização de Contratos

De acordo com o TCU, as principais irregularidades das


contratações públicas ocorrem por falhas:

11
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
• Introdução
• Desenvolvimento
1. Panorama geral do contrato administrativo;
2. Formalização dos contratos;
3. Alterações contratuais;
4. Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro;

12
Gestão e Fiscalização de Contratos

O que é Contrato Administrativo?

• Lei nº 8.666/93 - Art. 2º


Parágrafo único. Para os fins desta Lei, considera-se
contrato todo e qualquer ajuste entre órgãos ou
entidades da Administração Pública e particulares, em
que haja um acordo de vontades para a formação de
vínculo e a estipulação de obrigações recíprocas, seja
qual for a denominação utilizada.

13
Gestão e Fiscalização de Contratos

Contrato Administrativo x Contrato da


Administração

CONTRATO ADMINISTRATIVO

• Lei nº 8.666/93
Art. 54. Os contratos administrativos de que trata esta
Lei regulam-se pelas suas cláusulas e pelos preceitos de
direito público, aplicando-se-lhes, supletivamente, os
princípios da teoria geral dos contratos e as disposições
de direito privado.
14
Gestão e Fiscalização de Contratos

Contrato Administrativo x Contrato da


Administração
CONTRATO DA ADMINISTRAÇÃO
• Lei nº 8.666/93 - Art. 62
§ 3º Aplica-se o disposto nos arts. 55 e 58 a 61 desta
Lei e demais normas gerais, no que couber:
I - aos contratos de seguro, de financiamento, de
locação em que o Poder Público seja locatário, e aos
demais cujo conteúdo seja regido, predominan-
temente, por norma de direito privado;
II - aos contratos em que a Administração for parte
como usuária de serviço público.
15
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prerrogativas da Administração
CLÁUSULAS EXORBITANTES

 Característica dos contratos administrativos, em


função da posição de superioridade da administração,
decorrente da supremacia do interesse público sobre o
privado, e que independe de previsão contratual.
São aquelas que não são comuns ou que seriam ilícitas
nos contratos entre particulares, por encerrarem
prerrogativas ou privilégios de uma das partes em
relação a outra.
16
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prerrogativas da Administração
• Lei nº 8.666/93
Art. 58. O regime jurídico dos contratos administrativos
(...) confere à Administração (...) a prerrogativa de:
I - modificá-los, unilateralmente, para melhor adequa-
ção às finalidades de interesse público, respeitados os
direitos do contratado;
II - rescindi-los, unilateralmente, nos casos especifica-
dos no inciso I do art. 79 desta Lei;
III - fiscalizar-lhes a execução;
17
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prerrogativas da Administração
• Lei nº 8.666/93 - Art. 58

IV - aplicar sanções motivadas pela inexecução total ou


parcial do ajuste;
V - nos casos de serviços essenciais, ocupar provisoria-
mente bens móveis, imóveis, pessoal e serviços
vinculados ao objeto do contrato (...)

exceptio non adimpleti contractus


(Lei 8666/93, art. 78, incisos XIV e XV) 18
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prerrogativas x Sujeições

ATENÇÃO!
a) No exercício dessas prerrogativas, os atos devem ser
motivados e preservado o equilíbrio contratual.
b) Deverá haver o estabelecimento do contraditório e
ampla defesa – art. 5°, inc. lV, da CF e art. 78, §
único, da Lei nº 8.666/93, quando for caso.

19
Gestão e Fiscalização de Contratos

Contrato Administrativo
•Lei nº 8.666/93
Art. 55. São cláusulas necessárias em todo contrato as
que estabeleçam:
I - o objeto e seus elementos característicos;
II - o regime de execução ou a forma de fornecimento;
III - o preço e as condições de pagamento, os critérios,
data-base e periodicidade do reajustamento de preços,
os critérios de atualização monetária entre a data do
adimplemento das obrigações e a do efetivo pagamento;
20
Gestão e Fiscalização de Contratos

Contrato Administrativo
•Lei nº 8.666/93 - Art. 55 (cont.)
IV - os prazos de início de etapas de execução, de
conclusão, de entrega, de observação e de recebimento
definitivo, conforme o caso;
V - o crédito pelo qual correrá a despesa, com a
indicação da classificação funcional programática e da
categoria econômica;
VI - as garantias oferecidas para assegurar sua plena
execução, quando exigidas;
21
Gestão e Fiscalização de Contratos

Contrato Administrativo
•Lei nº 8.666/93 – Art. 55 (cont.)
VII - os direitos e as responsabilidades das partes, as
penalidades cabíveis e os valores das multas;
VIII - os casos de rescisão;
IX - o reconhecimento dos direitos da Administração,
em caso de rescisão administrativa prevista no art. 77
desta Lei;
X - as condições de importação, a data e a taxa de
câmbio para conversão, quando for o caso;
22
Gestão e Fiscalização de Contratos

Contrato Administrativo
•Lei nº 8.666/93 - Art. 55 (cont.)
XI - a vinculação ao edital de licitação ou ao termo que
a dispensou ou a inexigiu, ao convite e à proposta do
licitante vencedor;
XII - a legislação aplicável à execução do contrato e
especialmente aos casos omissos;
XIII - a obrigação do contratado de manter, durante
toda a execução do contrato, em compatibilidade com
as obrigações por ele assumidas, todas as condições de
habilitação e qualificação exigidas na licitação. 23
Gestão e Fiscalização de Contratos

Garantia Contratual
• Lei nº 8.666/93 - Art. 56
A critério da autoridade competente, em cada caso, e desde
que prevista no instrumento convocatório, poderá ser
exigida prestação de garantia nas contratações, nas
seguintes formas:
• Caução em dinheiro ou títulos da dívida pública;
• Seguro-garantia; ou 5% do valor do
• Fiança bancária. contrato
Excepcionalmente 10% para obras, serviços e fornecimentos de grande vulto envolvendo
alta complexidade técnica e riscos financeiros consideráveis (§3º art. 56) 24
Gestão e Fiscalização de Contratos

Subcontratação
• Lei nº 8.666/93
Art. 72. O contratado, na execução do contrato, sem
prejuízo das responsabilidades contratuais e legais, poderá
subcontratar partes da obra, serviço ou fornecimento, até
o limite admitido, em cada caso, pela Administração.
• Acórdão nº 834/2014 – TCU(Plenário)
A subcontratação deve ser tratada como exceção. Só é admitida a
subcontratação parcial e, ainda assim, desde que demonstrada a
inviabilidade técnico-econômica da execução integral do objeto por
parte da contratada, e que haja autorização formal do contratante.
25
Gestão e Fiscalização de Contratos

Subcontratação
• Acórdão nº 2.198/2015 – TCU (Plenário)
Voto
A subcontratação parcial de serviços contratados não
necessita ter expressa previsão no edital ou no
contrato, bastando apenas que não haja expressa
vedação nesses instrumentos, entendimento que se
deriva do art. 72 da Lei 8.666/1993 e do fato de que,
na maioria dos casos, a possibilidade de
subcontratação deve atender a uma conveniência da
administração. (item 33)
26
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


A duração dos contratos regidos por esta Lei ficará
adstrita à vigência dos respectivos créditos
orçamentários. (art. 57 da Lei nº 8.666/93)

• Exceções:
1) aos projetos cujos produtos estejam contemplados
nas metas estabelecidas no Plano Plurianual;

27
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Exceções (cont.):
2) à prestação de serviços a serem executados de forma
contínua, que poderão ter a sua duração prorrogada
por iguais e sucessivos períodos com vistas à obtenção
de preços e condições mais vantajosas para a
administração, limitada a sessenta meses;
3) ao aluguel de equipamentos e à utilização de
programas de informática, podendo a duração
estender-se pelo prazo de até 48 (quarenta e oito)
meses após o início da vigência do contrato. 28
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Exceções (cont.):

4) às hipóteses previstas nos incisos IX, XIX, XXVIII e


XXXI do art. 24, cujos contratos poderão ter vigência
por até 120 (cento e vinte) meses, caso haja interesse
da administração.
- Interesse nacional; alta complexidade, tecnologia e
defesa.

29
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Orientação Normativa AGU Nº 38, de 13 Dez 11.
NOS CONTRATOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE NATUREZA
CONTINUADA DEVE-SE OBSERVAR QUE: A) O PRAZO DE
VIGÊNCIA ORIGINÁRIO, DE REGRA, É DE ATÉ 12 MESES; B)
EXCEPCIONALMENTE, ESTE PRAZO PODERÁ SER FIXADO POR
PERÍODO SUPERIOR A 12 MESES NOS CASOS EM QUE,
DIANTE DA PECULIARIDADE E/OU COMPLEXIDADE DO
OBJETO, FIQUE TECNICAMENTE DEMONSTRADO O
BENEFÍCIO ADVINDO PARA A ADMINISTRAÇÃO; E C) É
JURIDICAMENTE POSSÍVEL A PRORROGAÇÃO DO CONTRATO
POR PRAZO DIVERSO DO CONTRATADO ORIGINARIAMENTE.
30
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Orientação Normativa AGU Nº 39, de 13 Dez 11.

A VIGÊNCIA DOS CONTRATOS REGIDOS PELO ART. 57,


CAPUT, DA LEI 8.666, DE 1993, PODE ULTRAPASSAR O
EXERCÍCIO FINANCEIRO EM QUE CELEBRADOS, DESDE
QUE AS DESPESAS A ELES REFERENTES SEJAM
INTEGRALMENTE EMPENHADAS ATÉ 31 DE DEZEMBRO,
PERMITINDO-SE, ASSIM, SUA INSCRIÇÃO EM RESTOS A
PAGAR.
31
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Lei nº 8.666/93 - Art. 57
§ 2º Toda prorrogação de prazo deverá ser justificada
por escrito e previamente autorizada pela autoridade
competente para celebrar o contrato.
§ 3º É vedado o contrato com prazo de vigência
indeterminado.
§ 4º Em caráter excepcional, devidamente justificado e
mediante autorização da autoridade superior, o prazo
de que trata o inciso II do caput deste artigo poderá ser
prorrogado por até doze meses. 32
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Orientação Normativa AGU Nº 36, de 13 Dez 11.
A ADMINISTRAÇÃO PODE ESTABELECER A VIGÊNCIA POR PRAZO
INDETERMINADO NOS CONTRATOS EM QUE SEJA USUÁRIA DE
SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS DE ENERGIA ELÉTRICA E ÁGUA E
ESGOTO, SERVIÇOS POSTAIS MONOPOLIZADOS PELA ECT
(EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS) E AJUSTES
FIRMADOS COM A IMPRENSA NACIONAL, DESDE QUE NO
PROCESSO DA CONTRATAÇÃO ESTEJAM EXPLICITADOS OS MOTI-
VOS QUE JUSTIFICAM A ADOÇÃO DO PRAZO INDETERMINADO E
COMPROVADAS, A CADA EXERCÍCIO FINANCEIRO, A ESTIMATIVA
DE CONSUMO E A EXISTÊNCIA DE PREVISÃO DE RECURSOS
ORÇAMENTÁRIOS." 33
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos

Qual a sua opinião...

É possível prever cláusula de


prorrogação automática do prazo
de vigência dos contratos?

34
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Lei nº 8.666/93 – Art. 65
II - à prestação de serviços a serem executados de
forma contínua, que poderão ter a sua duração
prorrogada por iguais e sucessivos períodos com vistas
à obtenção de preços e condições mais vantajosas para
a administração, limitada a sessenta meses;
§ 2º Toda prorrogação de prazo deverá ser justificada
por escrito e autorizada pela autoridade competente
para celebrar o contrato.
35
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos

NÃO, pois a ampliação do prazo de vigência:

 Deverá ser formalizada mediante termo aditivo; e

 Necessita de análise de assessoria jurídica;

36
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos

Qual a sua opinião...

Na hipótese de não haver


cláusula no contrato autorizando, é
possível efetuar a prorrogação do
prazo de vigência?

37
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos

• Lei nº 8.666/93
Art. 57. A duração do contratos (...):
I - aos projetos cujos produtos estejam contemplados
nas metas estabelecidas no Plano Plurianual, os quais
poderão ser prorrogados se houver interesse da
Administração e desde que isso tenha sido previsto
no ato convocatório;

38
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Lei nº 8.666/93 – Art. 57 (cont.)
II - à prestação de serviços a serem executados de forma
contínua, que poderão ter a sua duração prorrogada por iguais e
sucessivos períodos com vistas à obtenção de preços e condições
mais vantajosas para a administração, limitada a sessenta meses;
(...)
III – (Vetado)
IV - ao aluguel de equipamentos e à utilização de programas de
informática, podendo a duração estender-se pelo prazo de até
48 (quarenta e oito) meses após o início da vigência do contrato.
39
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• Lei nº 8.666/93 – Art. 57 (cont.)

V- às hipóteses previstas nos incisos IX, XIX, XXVIII e XXXI do art.


24, cujos contratos poderão ter vigência por até 120 (cento e
vinte) meses, caso haja interesse da administração.
§4º Em caráter excepcional, devidamente justificado e mediante
autorização da autoridade superior, o prazo de que trata o inciso
II do caput deste artigo poderá ser prorrogado por até doze
meses.

40
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


Resumindo:
• Art. 57, I – previsão edital
• Art. 57, II, IV e V - Dois entendimentos:
- Necessidade previsão: princípios isonomia, vincu-
lação ao instrumento convocatório, segurança, etc.;
- Desnecessidade: dispositivos legais não exigem.
• Art. 57, § 4º Prorrogação extraordinária: desneces-
sidade de previsão de prorrogação.
41
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


• IN 05/2017
ANEXO IX
DA VIGÊNCIA E DA PRORROGAÇÃO

1. A duração dos contratos ficará adstrita à vigência dos


respectivos créditos orçamentários, podendo, quando
for o caso, ser prorrogada até o limite previsto no ato
convocatório, observado o disposto no art. 57 da Lei
8.666/93.
42
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual - Pressupostos

Previsão no edital
Antecedência
Concordância de ambas as partes: contratado e
contratante
Comprovação da vantajosidade
 Manutenção das condições de habilitação
Indicação dos créditos orçamentários
Consultoria jurídica (parecer)
Termo aditivo 43
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual - Pressupostos

• Acórdão nº 3.010/2008 – TCU (2ª Câmara)


“9.2. determinar ao (...) que, por ocasião da celebração
de aditivos para prorrogação do prazo de vigência dos
contratos de prestação de serviços executados de forma
contínua: (...)
9.2.2. realize pesquisa prévia dos preços de mercado
capaz de justificar ou não o aditamento, consignando-a
expressamente nos autos, para fins de observância ao
disposto no art. 57, inciso II, da Lei 8.666/1993;” 44
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual - Pressupostos

• Acórdão nº 1.084/2009 – TCU (1ª Câmara)

“1.5.1.6. somente proceda à prorrogação de contratos de


serviços contínuos quando comprovada ser vantajosa
para a Administração, o que deve ser evidenciado com a
realização de pesquisa de mercado para serviços
similares, conforme preceitua o art. 3º c/c o 57, § 2º, da
Lei nº 8.666/93.”
45
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


• Qual a sua opinião...

É possível formalizar a
prorrogação de prazo na
hipótese de a vigência expirar e
as partes permanecerem
executando o contrato?

46
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição Legalista
Efeitos da falta de formalização da prorrogação contratual
antes da sua extinção
A expiração do prazo de vigência, sem prorrogação, opera de
pleno direito a extinção do ajuste, exigindo novo contrato
para continuação das obras, serviços ou compras
anteriormente contratados. o contrato extinto não se
prorroga, nem se renova: é refeito e formalizado em novo
instrumento, inteiramente desvinculado do anterior. (Hely
Lopes Meirelles)
47
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição Legalista

• Orientação Normativa AGU Nº 3, de 01 Abr 09.


NA ANÁLISE DOS PROCESSOS RELATIVOS À
PRORROGAÇÃO DE PRAZO, CUMPRE AOS ÓRGÃOS
JURÍDICOS VERIFICAR SE NÃO HÁ EXTRAPOLAÇÃO DO
ATUAL PRAZO DE VIGÊNCIA, BEM COMO EVENTUAL
OCORRÊNCIA DE SOLUÇÃO DE CONTINUIDADE NOS
ADITIVOS PRECEDENTES, HIPÓTESES QUE CONFIGURAM
A EXTINÇÃO DO AJUSTE, IMPEDINDO A SUA
PRORROGAÇÃO.
48
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição Legalista

• Acórdão nº 1.247/03 – TCU – Plenário

9.1.3. não celebre termo aditivo de contrato, cujo


prazo de vigência tenha expirado, por ausência de
previsão legal, observando-se o disposto no art. 65 da
Lei nº 8.666/93;

49
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição Legalista

• Acórdão 131/2015 – TCU (Plenário)


Impropriedades verificadas em termo aditivo a um contrato:
a) ausência de parecer jurídico prévio sobre a regularidade de
aditivos contratuais, o que afronta o disposto no parágrafo
único do art. 38 da Lei nº 8.666/1993;
b) formalização de aditivo após o período de vigência do
contrato, o que é juridicamente incabível, pois ultrapassado
seu termo final e concluída a obra, o contrato é considerado
extinto (itens 1.6.1.1 e 1.6.1.2) 50
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição mais flexível
• Acórdão nº 1.808/2008 – TCU – Plenário
(...) no que diz respeito a matéria aditamento é importante que a
administração pública diligencie para que a assinatura dos termos
de aditamento sejam promovidas até o termino da vigência
contratual, uma vez que, após o decurso do prazo, numa visão
positivista, o contrato considera-se extinto. Todavia, nesses casos, o
Tribunal tem relevado a referida inconsistência, tendo em vista o
interesse público em jogo. Não seria razoável penalizar a sociedade
em razão da inércia do agente público em adotar uma formalidade,
ainda que de importante valor, e sobretudo em razão de tal
providência, embora extemporânea, ter sido implementada.
Precedentes: Acórdãos 132/2005, 1727/2004 e 1257/2004 51
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição mais flexível

Situação bastante corriqueira na prática administrativa


é a ausência de termo aditivo para a prorrogação dos
contratos administrativos. Suponha que antes do
término do prazo de vigência, a Administração
questionou o contratado, por escrito, se havia o
interesse em prorrogar o ajuste. Este respondeu
afirmativamente (também por escrito). Contudo, por
desídia administrativa, escoou o prazo de vigência sem
a devida formalização do termo aditivo.
(cont.) 52
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição mais flexível

O contratado, até mesmo em função da manifestação


da Administração, continuou executando normalmente
o contrato. Nesse caso, houve prorrogação contratual
com vício de formalização, tendo em vista a clara
manifestação de ambas as partes antes do término de
vigência contratual. Essa prorrogação portadora de vício
de formalização pode ser convalidada com a elaboração
posterior do termo aditivo.”
FREIRE, André Luiz. Manutenção e retirada dos contratos
administrativos inválidos. São Paulo: Malheiros Editores, 2008. p. 109-
110. 53
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prorrogação do Prazo Contratual


Posição mais flexível
• Acórdão nº 127/2016 – TCU (Plenário)
Informativo de Licitações e Contratos
5. Em regra a prorrogação do contrato administrativo deve
ser efetuada antes do término do prazo de vigência,
mediante termo aditivo, para que não se opere a extinção do
ajuste. Entretanto, excepcionalmente e para evitar prejuízo
ao interesse público, nos contratos de escopo, diante da
inércia do agente em formalizar tempestivamente o devido
aditamento, é possível considerar os períodos de paralisação
das obras por iniciativa da Administração contratante como
períodos de suspensão da contagem do prazo de vigência do
ajuste 54
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração do Contratos
- Prazo de vigência x Prazo de execução -
• Prazo de vigência: período em que o contrato produz
efeitos jurídicos e vincula as partes à prestação e à
contraprestação assumidas.
• Prazo de execução: período previsto no contrato para
que a contratada execute as obrigações contratualmente
assumidas.

55
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


- Ampliação de prazo de execução -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 57
§ 1º Os prazos de início de etapas de execução, de
conclusão e de entrega admitem prorrogação,
mantidas as demais cláusulas do contrato e assegurada
a manutenção de seu equilíbrio econômico-financeiro,
desde que ocorra algum dos seguintes motivos,
devidamente autuados em processo:

56
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


- Ampliação de prazo de execução -

Lei nº 8.666/93 – Art. 57 - § 1º (cont.)

I - alteração do projeto ou especificações, pela Adm;


II - superveniência de fato excepcional ou imprevisível,
estranho à vontade das partes, que altere fundamental-
mente as condições de execução do contrato;
III - interrupção da execução do contrato ou diminuição do
ritmo de trabalho por ordem e no interesse da Adm;
57
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


- Ampliação de prazo de execução -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 57 - §1º (cont.)
IV - aumento das quantidades inicialmente previstas no
contrato, nos limites permitidos por esta Lei;
V - impedimento de execução do contrato por fato ou ato
de terceiro reconhecido pela Administração em documento
contemporâneo à sua ocorrência;
VI - omissão ou atraso de providências a cargo da
Administração, inclusive quanto aos pagamentos previstos
de que resulte, diretamente, impedimento ou
retardamento na execução do contrato, sem prejuízo das
sanções legais aplicáveis aos responsáveis. (...) 58
Gestão e Fiscalização de Contratos

Duração dos Contratos


- Ampliação de prazo de execução -

• Lei nº 8.666/93 – Art. 79

§ 5º Ocorrendo impedimento, paralisação ou sustação


do contrato, o cronograma de execução será
prorrogado automaticamente por igual tempo.

59
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
• Introdução
• Desenvolvimento
1. Panorama geral do contrato administrativo;
2. Formalização dos contratos;
3. Alterações contratuais;
4. Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro;

60
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


Os contratos administrativos devem ser formalizados
por escrito, de acordo com as exigências da Lei nº
8.666/93 (arts. 60 e 61)
A publicação resumida do instrumento de contrato ou
de seus aditamentos na imprensa oficial, que é
condição indispensável para sua eficácia, será provi-
denciada pela Administração até o quinto dia útil do
mês seguinte ao de sua assinatura, para ocorrer no
prazo de vinte dias daquela data [...] (§ único, art. 61 da
Lei nº 8.666/93) 61
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


A contratação deve ser formalizada obrigatoriamente
por meio de termo de contrato, conforme prevê o art.
62 da Lei 8.666/93:
 licitações realizadas nas modalidades concorrência,
tomada de preços;
 dispensa ou inexigibilidade de licitação, cujo valor
esteja compreendido nos limites das modalidades
concorrência e tomada de preços;
 contratações de qualquer valor das quais resultem
obrigações futuras. 62
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Lei nº 8.666/93

Art. 38 (...)
Parágrafo único. As minutas de editais de licitação, bem
como as dos contratos, acordos, convênios ou ajustes
devem ser previamente examinadas e aprovadas por
assessoria jurídica da Administração.

63
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


O Termo de Contrato será dispensável:

nos casos de aquisição de bens cuja entrega seja


integral imediata (até 30 dias da data prevista para
entrega da proposta), das quais não resultem obriga-
ções futuras, como é o caso de assistência técnica,
independentemente do valor da contratação;
para a aquisição de bens (mesmo quando não haja
entrega integral e imediata – 30 dias) ou contratação
de serviços, desde que o valor da contratação não
supere o limite legal do Convite (R$80.000,00). 64
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


O Termo de Contrato poderá ser substituído por:

 Nota de empenho
 CartaContrato
 Autorização de serviço
 Autorização de fornecimento ou compra

§ 2º Em "carta contrato", "nota de empenho de despesa",


"autorização de compra", "ordem de execução de serviço"
ou outros instrumentos hábeis aplica-se, no que couber, o
disposto no art. 55 desta Lei. (art. 62 da Lei nº 8.666/93) 65
Gestão e Fiscalização de Contratos

Nota de Empenho

66
Gestão e Fiscalização de Contratos

Carta Contrato

67
Gestão e Fiscalização de Contratos
Autorização de Compra/Serviço

68
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


ATENÇÃO!

a) Decreto 93.872/86 - Art. 29 - § único: “Quando a


Nota de Empenho substituir o termo do contrato (...)
dela deverão constar as condições contratuais, relativa-
mente aos direitos, obrigações e responsabilidades das
partes;
b) Formalizar ou cientificar a entrega da NE, especifi-
cando que o fornecimento do material deverá ser feito
no prazo máximo de XX dias corridos, a contar do
recebimento da Nota de Empenho). 69
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Acórdão nº 423/2011 – TCU (Plenário)


“9.2. alertar ao (...) para que, em suas futuras
licitações e contratações, abstenha-se de: (...)
9.2.4. autorizar a prestação de serviços sem formalizar
o devido termo de contrato, infringindo o disposto nos
artigos 38, inciso X, 60 e 62 da Lei 8.666/93; e

70
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Acórdão nº 1.920/2011 – TCU (1ª Câmara)


“9.7.6. na formalização dos processos de dispensa de
licitação, observe com rigor os preceitos da Lei nº
8.666/93, em especial (...), os casos em que é obrigatório
o instrumento contratual (art. 62, caput), bem como os
elementos que a instruirão relacionados no parágrafo
único do art. 26;”

71
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


• Acórdão nº 7.166/2011 – TCU (1ª Câmara)

“1.7.1. dar ciência ao (...) das seguintes


impropriedades:
1.7.1.1. ausência de termo de contrato para compras
com obrigações futuras, o que afronta o § 4º do art. 62
da Lei 8.666/1993, conforme tratado no parágrafo 5º
da instrução anterior (peça 16);”

72
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Qual a sua opinião...

É possível a formalização de
contratos de forma verbal com a
Administração?

73
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Lei nº 8.666/93 – art. 60


Parágrafo único. É nulo e de nenhum efeito o contrato
verbal com a Administração, salvo o de pequenas
compras de pronto pagamento, assim entendidas
aquelas de valor não superior a 5% (cinco por
cento) do limite estabelecido no art. 23, inciso II,
alínea "a" desta Lei, feitas em regime de
adiantamento.
74
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Qual a sua opinião...

Em relação aos contratos


decorrentes do Sistema de
Registro de Preços, é necessária
a formalização de contrato ou
basta a assinatura da ata?

75
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos

• Decreto nº 7892/13
Art. 15. A contratação com os fornecedores registrados
será formalizada pelo órgão interessado por intermédio
de instrumento contratual, emissão de nota de
empenho de despesa, autorização de compra ou outro
instrumento hábil, conforme o art. 62 da Lei nº 8.666, de
1993.

76
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


• Acórdão nº 1.359/2011 – TCU (Plenário)
9.2. alertar a Subsecretaria de Assuntos Administrativos
– (...) quanto à necessidade de, nas licitações para
registro de preços, formular o instrumento de contrato
quando os valores envolvidos se encaixarem nas
hipóteses de concorrência e de tomada de preços, na
forma estabelecida no art. 11 do Decreto federal nº
3.931/2001, c/c o art. 62 da Lei nº 8.666/1993;
77
Gestão e Fiscalização de Contratos

Formalização dos Contratos


• Acórdão nº 3.273/2010 – TCU (2ª Câmara)

9.2. determinar à Secretaria de Estado da Educação


Cultura e Desporto - SECD do Estado de (...) que,
quando da utilização de recursos federais: (...)
9.2.2. evite que as atas de registro de preço e os
contratos, assim como seus aditivos, sejam
formalizados em um mesmo termo ou instrumento, vez
que têm natureza e finalidades distintas;
78
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
• Introdução
• Desenvolvimento
1. Panorama geral do contrato administrativo;
2. Formalização dos contratos;
3. Alterações contratuais;
4. Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro;

79
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Lei nº 8.666/93
Art. 65. Os contratos regidos por esta Lei poderão ser
alterados, com as devidas justificativas, nos seguintes casos:
I - unilateralmente pela Administração:
a) quando houver modificação do projeto ou das especifi-
cações, para melhor adequação técnica aos seus objetivos;
b) quando necessária a modificação do valor contratual em
decorrência de acréscimo ou diminuição quantitativa de
seu objeto, nos limites permitidos por esta Lei;

80
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Lei nº 8.666/93 - Art. 65 (cont.)
II - por acordo das partes:
a) qdo conveniente a substituição da garantia de execução;
b) quando necessária a modificação do regime de execução
da obra ou serviço, bem como do modo de fornecimento,
em face de verificação técnica da inaplicabilidade dos
termos contratuais originários;
c) quando necessária a modificação da forma de pagamento,
por imposição de circunstâncias supervenientes, mantido o
valor inicial atualizado, vedada a antecipação do pagamento
(...);
81
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Lei nº 8.666/93 - Art. 65 (cont.)
d) para restabelecer a relação que as partes pactuaram
inicialmente entre os encargos do contratado e a retribui-
ção da administração para a justa remuneração da obra,
serviço ou fornecimento, objetivando a manutenção do
equilíbrio econômico-financeiro inicial do contrato, na
hipótese de sobrevirem fatos imprevisíveis, ou previsíveis
porém de conseqüências incalculáveis, retardadores ou
impeditivos da execução do ajustado, ou, ainda, em caso de
força maior, caso fortuito ou fato do príncipe, configurando
álea econômica extraordinária e extracontratual. 82
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Lei nº 8.666/93 - Art. 65
§ 1º O contratado fica obrigado a aceitar, nas mesmas
condições contratuais, os acréscimos ou supressões que se
fizerem nas obras, serviços ou compras, até 25% (vinte e
cinco por cento) do valor inicial atualizado do contrato, e,
no caso particular de reforma de edifício ou de
equipamento, até o limite de 50% (cinqüenta por cento) para
os seus acréscimos.
§ 2º Nenhum acréscimo ou supressão poderá exceder os
limites estabelecidos acima, salvo as supressões resultantes
de acordo celebrado entre os contratantes. 83
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Acórdão nº 2.331/11 – TCU/Plenário
Voto
(...) as alterações contratuais supressivas, acordadas entre as
partes, têm o condão de gerar um nova base de cálculo para
fins de incidência do percentual máximo de 25%., pois se
estaria infringindo o art. 65, § 1º, da Lei nº 8.666/93,
combinado com o art. 3º da Lei nº 8.666/93 e o art. 37,
caput e inciso XXI, da Constituição Federal. (item 18)

Ou seja, supressões superiores a 25 % alteram o


valor inicial atualizado do contrato.
84
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

• Lei nº 8.666/93 - Art. 65


§ 4º No caso de supressão de obras, bens ou serviços, se o
contratado já houver adquirido os materiais e posto no local
dos trabalhos, estes deverão ser pagos pela Administração
pelos custos de aquisição regularmente comprovados e
monetariamente corrigidos, podendo caber indenização por
outros danos eventualmente decorrentes da supressão,
desde que regularmente comprovados.

85
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

• Lei nº 8.666/93 - Art. 65


§ 5º Quaisquer tributos ou encargos legais criados,
alterados ou extintos, bem como a superveniência de
disposições legais, quando ocorridas após a data da
apresentação da proposta, de comprovada repercussão nos
preços contratados, implicarão a revisão destes para mais ou
para menos, conforme o caso.

86
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Acórdão 368/2010 – TCU (2ª Câmara)

Formalize as alterações contratuais de acordo com os


artigos 60 e 65 da Lei nº 8.666/1993, de forma a deixar
transparentes os acréscimos realizados no contrato
original.

87
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Acórdão 554/2008 – TCU (Plenário)

Observe a necessária justificativa em um eventual


aditamento contratual para acréscimos de quantitativos,
evitando a inadequabilidade de preços com o mercado,
notadamente com os anotados no orçamento-base e no
SINAPI, em decorrência da falha verificada em relação à
ausência de critério de aceitabilidade de preços
unitários.
88
Gestão e Fiscalização
Gestão dos
de Contratos
Contratos

Alterações Contratuais
• Peculiaridades dos contratos de obras/serviços de
engenharia
Decreto nº 7983/13: Estabelece regras e critérios para
elaboração do orçamento de referência de obras e serviços
de engenharia, contratados e executados com recursos dos
orçamentos da União
Art. 13 Em caso de adoção dos regimes de empreitada por
preço global e de empreitada integral, deverão ser
observadas as seguintes disposições para formação e
aceitabilidade dos preços: (...) 89
Gestão e Fiscalização
Gestão dos
de Contratos
Contratos

Alterações Contratuais
• Decreto nº 7983/13 – Art. 13 (continuação)
II - deverá constar do edital e do contrato cláusula expressa
de concordância do contratado com a adequação do
projeto que integrar o edital de licitação e as alterações
contratuais sob alegação de falhas ou omissões em
qualquer das peças, orçamentos, plantas, especificações,
memoriais e estudos técnicos preliminares do projeto não
poderão ultrapassar, no seu conjunto, dez por cento do
valor total do contrato, computando-se esse percentual
para verificação do limite previsto no § 1º do art. 65 da Lei
nº 8.666, de 1993. 90
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

Qual a sua opinião...

É possível alterar, no momento da


formalização contratual, o conteúdo
constante na minuta de contrato
que foi parte integrante do ato
convocatório? Ou será necessário
primeiro firmar o contrato para
depois alterá-lo?
91
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

• Lei nº 8.666/93

Art. 54,§ 1º Os contratos devem estabelecer com


clareza e precisão as condições para sua execução,
expressas em cláusulas que definam os direitos,
obrigações e responsabilidades das partes, em
conformidade com os termos da licitação e da proposta
a que se vinculam.
92
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

• Lei nº 8.666/93
Art. 58. O regime jurídico dos contratos administrativos
instituído por esta Lei confere à Administração, em
relação a eles, a prerrogativa de:
I - modificá-los, unilateralmente, para melhor
adequação às finalidades de interesse público,
respeitados os direitos do contratado;
(...)

93
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

• Lei nº 8.666/93
Art. 65. Os contratos regidos por esta Lei poderão ser
alterados, com as devidas justificativas, nos seguintes
casos:
I - unilateralmente pela Administração:
a) quando houver modificação do projeto ou das
especificações, para melhor adequação técnica aos
seus objetivos;
94
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
Entendemos que, se o fato superveniente que enseja a necessidade
de alteração contratual deva ocorrer após a entrega da
documentação e propostas por parte dos licitantes, situação em
que não seria possível a alteração do instrumento convocatório. A
partir deste momento, desde que reste plena e devidamente
justificada, poderá a Administração, quando for firmar o contrato,
já providenciar a devida alteração, nos termos do art. 65 da Lei nº
8.666/93.
Não haveria a necessidade de a Administração primeiro firmar o
contrato nos termos da minuta do contrato e, logo após, formalizar
um termo aditivo a esse contrato.

(Revista Zênite – Informativo de Licitações e Contratos (ILC), n. 101 - Jul. 2002)


95
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
Sobre a possibilidade de se pactuar o contrato já com as devidas
alterações, Adilson Abreu Dallari* afirma que em face do “mais
simples e elementar bom senso”, é possível que as alterações se
dêem de imediato, desde que não se modifique completamente
o objeto contratado, devendo ser mantidas as condições da
proposta vencedora, com as devidas alterações. O autor alerta
que “não se pode licitar uma coisa e contratar outra coisa
diferente, mas nada impede que o contrato se refira à mesma
coisa licitada, mas com as alterações ou adaptações destinadas à
plena satisfação do interesse público”.

(DALLARI, Adilson Abreu. Aspectos jurídicos da licitação. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1997. p. 95-97)
96
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

Qual a sua opinião...

Os percentuais previstos no §2º


do art. 65 aplicam-se às alterações
qualitativas e quantitativas? É
possível alteração qualitativa
superior ao previsto no referido
dispositivo?
97
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Lei nº 8.666/93
Art. 65. Os contratos regidos por esta Lei poderão ser
alterados, com as devidas justificativas, nos seguintes casos:
I - unilateralmente pela Administração:
a) quando houver modificação do projeto ou das especifi-
cações, para melhor adequação técnica aos seus objetivos;
b) quando necessária a modificação do valor contratual em
decorrência de acréscimo ou diminuição quantitativa de
seu objeto, nos limites permitidos por esta Lei;

98
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Lei nº 8.666/93 - Art. 65 (...)
§ 1º O contratado fica obrigado a aceitar, nas mesmas
condições contratuais, os acréscimos ou supressões que se
fizerem nas obras, serviços ou compras, até 25% (vinte e
cinco por cento) do valor inicial atualizado do contrato, e, no
caso particular de reforma de edifício ou de equipamento,
até o limite de 50% (cinqüenta por cento) para os seus
acréscimos.
§ 2º Nenhum acréscimo ou supressão poderá exceder os
limites estabelecidos acima, salvo as supressões resultantes
de acordo celebrado entre os contratantes. 99
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Decisão nº 215/1999 – TCU (Plenário)
8.1. com fundamento no art. 1º, inciso XVII, § 2º da Lei nº
8.443/92, e no art. 216, inciso II, do Regimento Interno deste
Tribunal, responder à Consulta formulada pelo (...), nos seguintes
termos:
a) tanto as alterações contratuais quantitativas - que modificam a
dimensão do objeto - quanto as unilaterais qualitativas - que
mantêm intangível o objeto, em natureza e em dimensão, estão
sujeitas aos limites preestabelecidos nos§§ 1º e 2º do art. 65 da
Lei nº 8.666/93, em face do respeito aos direitos do contratado,
prescrito no art. 58, I, da mesma Lei, do princípio da
proporcionalidade e da necessidade de esses limites serem
obrigatoriamente fixados em lei; 100
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Decisão nº 215/1999 – TCU (Plenário) (cont.)
b) nas hipóteses de alterações contratuais consensuais,
qualitativas e excepcionalíssimas de contratos de obras e serviços,
é facultado à Administração ultrapassar os limites aludidos no
item anterior, observados os princípios da finalidade, da
razoabilidade e da proporcionalidade, além dos direitos
patrimoniais do contratante privado, desde que satisfeitos
cumulativamente os seguintes pressupostos:
I - não acarretar para a Administração encargos contratuais
superiores aos oriundos de uma eventual rescisão contratual por
razões de interesse público, acrescidos aos custos da elaboração
de um novo procedimento licitatório;
101
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Decisão nº 215/1999 – TCU (Plenário) (cont.)
II - não possibilitar a inexecução contratual, à vista do nível de
capacidade técnica e econômico-financeira do contratado;
III - decorrer de fatos supervenientes que impliquem em
dificuldades não previstas ou imprevisíveis por ocasião da
contratação inicial;
IV - não ocasionar a transfiguração do objeto originalmente
contratado em outro de natureza e propósito diversos;
V - ser necessárias à completa execução do objeto original do
contrato, à otimização do cronograma de execução e à antecipação
dos benefícios sociais e econômicos decorrentes; 102
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Decisão nº 215/1999 – TCU (Plenário) (cont.)
VI - demonstrar-se - na motivação do ato que autorizar o
aditamento contratual que extrapole os limites legais
mencionados na alínea “a”, supra - que as consequências da
outra alternativa (a rescisão contratual, seguida de nova
licitação e contratação) importam sacrifício insuportável ao
interesse público primário (interesse coletivo) a ser atendido
pela obra ou serviço, ou seja gravíssimas a esse interesse;
inclusive quanto à sua urgência e emergência;

103
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

• Acórdão nº 3.165/2014 - TCU (2ª Câmara)

Determinação à SECEX-RN para que dê ciência à XXXX no


sentido de que o aditamento de um contrato celebrado
(...) chegou a 30,54% do valor inicial do contrato,
excedendo o percentual limite de 25% estabelecido na
Lei nº 8.666/1993, art. 65, § 1º, sem atender
aos requisitos previstos pela Decisão nº 215/1999-P
(item 1.5.1)
104
Gestão e Fiscalização de Contratos

Afinal, qual o custo de uma licitação?

105
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais

Qual a sua opinião...

Como devem ser aplicados os


percentuais de 25% e 50% para
acréscimos? Qual a base de cálculo?
E se o contrato já tiver sido acrescido
ou suprimido, como deve ser
aplicado percentual remanescente
de acréscimo?
106
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Orientação Normativa AGU nº 50, de 25 Abr 14.

OS ACRÉSCIMOS E AS SUPRESSÕES DO OBJETO


CONTRATUAL DEVEM SER SEMPRE CALCULADOS
SOBRE O VALOR INICIAL DO CONTRATO ATUALIZADO,
APLICANDO-SE A ESTAS ALTERAÇÕES OS LIMITES
PERCENTUAIS PREVISTOS NO ART. 65, § 1º, DA LEI Nº
8.666, DE 1993, SEM QUALQUER COMPENSAÇÃO
ENTRE SI.
107
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 1

Prazo de execução: 10 meses.

Valor contratado: R$ 100.000,00.

Passados três meses, acréscimo quantitativo de 10%.


Valor total do contrato: R$ 110.000,00.

No sétimo mês de vigência do contrato, surge a


necessidade de novo acréscimo. Qual o limite?

108
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 1
 Foi realizado acréscimo de 10%. Então, restam 15%,
dado que o limite é 25%. Os 15% devem ser calculados
sobre o valor inicial atualizado do contrato, que é de
R$ 100.000,00, importando em mais 15 mil reais.

 O valor inicial é R$ 100.000,00. Pode chegar até, no


máximo, 125 mil reais. No caso concreto, por meio de
um acréscimo de 10 mil reais e outro de 15 mil reais, o
contrato alcançou 125 mil reais.

109
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 1
+ 15%
125 MIL
+ 10%
110 MIL
CONTRATO
100 MIL
110
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 2
Prazo de execução: 24 meses.

Valor contratado: R$ 10.000.000,00.

Passados três meses, acréscimo quantitativo de 10%.


Valor total do contrato: R$ 11.000.000,00.

111
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 2
Depois de 12 meses, reajuste de 5%. Nesses 12
primeiros meses, foram executados 50% do objeto, o
que consumiu 50% do valor do contrato, já pago. O
reajuste incide sobre o saldo remanescente. Portanto,
calcula-se 5% sobre R$ 5.500.000,00. O valor a ser
reajustado será de R$ 275.000,00. O valor total do
contrato é de R$ 11.275.000,00.

112
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 2
Passados dois meses do reajuste, surge a
necessidade de novo acréscimo. Qual o limite?
• Foi realizado acréscimo de 10%. Então, restam 15%,
dado que o limite é 25%. Os 15% devem ser
calculados sobre o valor inicial atualizado do
contrato, que é R$ 10.275.000,00.
• O valor inicial é R$ 10.000.000,00. O valor do
reajuste foi de R$ 275.000,00. Portanto, o limite será
de 15% sobre valor inicial atualizado de R$
10.275.000,00, ou seja R$ 1.541.250,00.
113
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 3

Prazo de execução: 7 meses.

Valor contratado: R$ 40.000,00.

Passados dois meses, supressão quantitativa de 15%.


Valor total do contrato: R$ 34.000,00.

No quinto mês de vigência do contrato, surge a


necessidade de um acréscimo. Qual o limite?

114
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 3
 Foi realizada uma supressão de 15%, ficando o
contrato com o valor de R$ 34.000,00.

 O valor inicial é R$ 40.000,00. Assim, o valor limite


para acréscimos é de 25% do valor inicial, ou seja, R$
10.000,00.

 No caso em tela, o contrato já havia sofrido uma


supressão e seu valor atual é de R$ 34.000,00. Com o
acréscimo, pode chegar até R$ 44.000,00, no máximo.
115
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático 3

+ 25%
44 MIL
CONTRATO
40 MIL
- 15%
34 MIL
116
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
Qual a sua opinião...

Em contratos que admitem


prorrogação, os limites de 25% e
50% para acréscimos referem-se a
cada período ou à vigência total
do contrato?

117
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Acórdão nº 749/2010 – TCU (Plenário)
9.2. determinar ao XXX que, em futuras contratações, para
efeito de observância dos limites de alterações contratuais
previstos no art. 65 da Lei nº 8.666/93, passe a considerar as
reduções ou supressões de quantitativos de forma isolada,
ou seja, o conjunto de reduções e o conjunto de acréscimos
devem ser sempre calculados sobre o valor original do
contrato, aplicando-se a cada um desses conjuntos,
individualmente e sem nenhum tipo de compensação entre
eles, os limites de alteração estabelecidos no dispositivo legal;
118
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
• Acórdão nº 448/2011 – TCU (Plenário)
146. (...), o Contrato 77/2007 ainda poderia ser prorrogado
por mais 33 meses, considerando-se o prazo estipulado no
art. 57, II, da Lei de Licitações. Isso porque apesar de ter sido
realizado aditamento que aumentou em 25% o seu
quantitativo original, tal contrato poderia sofrer novas
prorrogações desde que fossem mantidos esses
quantitativos já acrescidos em 25%, não cabendo, isso sim,
novos acréscimos. Ou seja, as prorrogações poderiam
ocorrer desde que mantidas as quantidades previstas pela
última alteração por meio de aditivo. 119
Gestão e Fiscalização de Contratos

Caso prático
Valor total do contrato: R$ 1.000.000,00 / 12 meses.
Aditivo de 25%: R$ 1.250.000,00.
Prorrogação para outros doze meses:
a) ou prorroga com o valor de R$ 1.000.000,00, sendo
possível aditar mais 25%;
b) ou prorroga com o valor de R$ 1.250.000,00, sendo
proibido aditar mais 25%?
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -

• Qual instrumento devo utilizar para


formalizar as alterações contratuais?

• Aditivo ou apostila?

• Quais as diferenças entre eles?

121
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -
• Aditivo
Toda e qualquer modificação contratual deve dar-se
mediante a celebração de TERMO ADITIVO, seja ela
unilateral ou consensual. Tal instrumento deverá ser
utilizado, ainda, em casos como: alteração do nome ou
denominação empresarial da contratada, alteração do
endereço da contratada, retificação de cláusula contratual e
retificação de dados da empresa contratada (quando, por
equívoco, ocorrer falha no registro desses dados).
Submete-se aos mesmos requisitos formais do contrato
(análise jurídica, publicação, etc.) 122
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -

• Lei nº 8.666/93 - Art. 65


§ 6º Em havendo alteração unilateral do contrato que
aumente os encargos do contratado, a Administração deverá
restabelecer, por ADITAMENTO, o equilíbrio econômico-
financeiro inicial.

123
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -
• Acórdão nº 1.892/2007 – TCU (Plenário)
“9.2. determinar ao XXX que, em relação às licitações e às
contratações realizadas pela sede e pelas superintendências
regionais:
9.2.1. faça constar de seus processos as justificativas para
todos os aditamentos dos contratos firmados, nos termos
do art. 65, caput, da Lei 8.666/1993;
9.2.2. submeta as minutas de todos os termos aditivos para
análise e aprovação prévia do órgão de assessoria jurídica,
consoante parágrafo único do art. 38 da Lei 8.666/1993;” 124
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -
• Apostila

O APOSTILAMENTO destina-se a registrar os resultados da


aplicação das cláusulas e condições inicialmente ajustadas
(já previstas no contrato), exclusivamente nas hipóteses
previstas no § 8º do art. 65 da Lei nº 8.666/93.

125
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -
• Lei nº 8.666/93 - Art. 65
§ 8º A variação do valor contratual para fazer face ao
reajuste de preços previsto no próprio contrato, as
atualizações, compensações ou penalizações financeiras
decorrentes das condições de pagamento nele previstas,
bem como o empenho de dotações orçamentárias
suplementares até o limite do seu valor corrigido, não
caracterizam alteração do mesmo, podendo ser registrados
por simples APOSTILA, dispensando a celebração de
aditamento. 126
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -

APOSTILA
Resultado da aplicação
ADITIVO das clausulas
Modificação das previstas
clausulas inicialmente
pactuadas

127
Gestão e Fiscalização de Contratos

Alterações Contratuais
- Formalização -
• Acórdão 132/2005 – TCU (Plenário)
Proceda à tempestiva formalização dos aditamentos
contratuais sempre que houver alteração de prazo.

• Acórdão 100/2008 – TCU (Plenário)


Celebre termos de aditamento de prorrogação de
prazos de contratos somente dentro dos respectivos
prazos de vigência.

128
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
• Introdução
• Desenvolvimento
1. Panorama geral do contrato administrativo;
2. Formalização dos contratos;
3. Alterações contratuais;
4. Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro;

129
Gestão e Fiscalização de Contratos

Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro


• Constituição Federal (88)

Art. 37. (...)


XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as
obras, serviços, compras e alienações serão contratados
mediante processo de licitação pública que assegure
igualdade de condições a todos os concorrentes, com
cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento,
mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos
da lei, o qual somente permitirá as exigências de
qualificação técnica e econômica indispensáveis à
garantia do cumprimento das obrigações. (...)
130
Gestão e Fiscalização de Contratos

Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro

REMUNERAÇÃO ENCARGO
Preço exigido para Custo para
executar o executar o
contrato. contrato.

mantidas as condições efetivas da proposta

131
Gestão e Fiscalização de Contratos

Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro


A manutenção do equilíbrio econômico-
financeiro do contrato e se dará nas seguintes
formas:
• Reajuste;
• Repactuação; e
• Revisão.

132
Gestão e Fiscalização de Contratos

Reajuste
• Em contratos com prazo de duração igual ou superior
a um ano é admitida cláusula com previsão de
reajuste de preços.

• Reajuste de preços está vinculado a índice de preço


previamente definido no ato convocatório e no
contrato. (IGPM, INPC, etc.)

• Realizado mediante apostilamento.


133
Gestão e Fiscalização de Contratos

Reajuste
• Orientação Normativa AGU nº 24, de 01 Abr 09

O CONTRATO DE SERVIÇO CONTINUADO SEM


DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DE MÃO DE OBRA DEVE
INDICAR QUE O REAJUSTE DAR-SE-Á APÓS DECORRIDO
O INTERREGNO DE UM ANO CONTADO DA DATA LIMITE
PARA A APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA.

134
Gestão e Fiscalização de Contratos

Reajuste
• Acórdão nº 567/2015 – TCU (Plenário)

“9.3 Determinar à XXX que retifique minuta de contrato


ou então, se este já tiver sido celebrado, promova nele
alteração de forma a contemplar a orientação do TCU no
sentido de que o marco inicial, a partir do qual se
computa o período de um ano para a aplicação de
índices de reajustamento, é a data da apresentação da
proposta ou a do orçamento a que a proposta se referir,
de acordo com o previsto no edital, conforme Acórdão
nº 474/2005-P.” 135
Gestão e Fiscalização de Contratos

Reajuste
• IN 05/2017
Art. 61. O reajuste em sentido estrito, como espécie de
reajuste contratual, consiste na aplicação de índice de
correção monetária previsto no contrato, que deverá
retratar a variação efetiva do custo de produção,
admitida a adoção de índices específicos ou setoriais.
§ 1º É admitida estipulação de reajuste em sentido
estrito nos contratos de prazo de duração igual ou
superior a um ano, desde que não haja regime de
dedicação exclusiva de mão de obra.
136
Gestão e Fiscalização de Contratos

Repactuação
• Será utilizada para contratos de sv continuado com
duração superior a 12 meses.
• Dependerá de solicitação motivada do fornecedor,
com demonstração em planilhas de custos das
repercussões dos aumentos derivados de dissídios
coletivos, passagens e insumos.
• Análise fundamentada pela Administração e deverá
estar prevista em contrato.
• Realizado mediante apostilamento.
137
Gestão e Fiscalização de Contratos

Repactuação
• Orientação Normativa AGU Nº 25, de 01 Abr 09
"NO CONTRATO DE SERVIÇO CONTINUADO COM
DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DE MÃO DE OBRA, O
INTERREGNO DE UM ANO PARA QUE SE AUTORIZE A
REPACTUAÇÃO DEVERÁ SER CONTADO DA DATA DO
ORÇAMENTO A QUE A PROPOSTA SE REFERIR, ASSIM
ENTENDIDO O ACORDO, CONVENÇÃO OU DISSÍDIO
COLETIVO DE TRABALHO, PARA OS CUSTOS DECORREN-
TES DE MÃO DE OBRA, E DA DATA LIMITE PARA A
APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA EM RELAÇÃO AOS
DEMAIS INSUMOS." 138
Gestão e Fiscalização de Contratos

Repactuação
• Orientação Normativa AGU Nº 26, de 01 Abr 09
"NO CASO DAS REPACTUAÇÕES SUBSEQUENTES À
PRIMEIRA, O INTERREGNO DE UM ANO DEVE SER
CONTADO DA ÚLTIMA REPACTUAÇÃO CORRESPONDENTE
À MESMA PARCELA OBJETO DA NOVA SOLICITAÇÃO.
ENTENDE-SE COMO ÚLTIMA REPACTUAÇÃO A DATA EM
QUE INICIADOS SEUS EFEITOS FINANCEIROS, INDEPEN-
DENTEMENTE DAQUELA EM QUE CELEBRADA OU
APOSTILADA."
139
Gestão e Fiscalização de Contratos

Reajuste x Repactuação
• Orientação Normativa AGU Nº 23, de 01 Abr 09

O EDITAL OU O CONTRATO DE SERVIÇO CONTINUADO


DEVERÁ INDICAR O CRITÉRIO DE REAJUSTAMENTO DE
PREÇOS, SOB A FORMA DE REAJUSTE EM SENTIDO
ESTRITO, ADMITIDA A ADOÇÃO DE ÍNDICES GERAIS,
ESPECÍFICOS OU SETORIAIS, OU POR REPACTUAÇÃO,
PARA OS CONTRATOS COM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DE
MÃO DE OBRA, PELA DEMONSTRAÇÃO ANALÍTICA DA
VARIAÇÃO DOS COMPONENTES DOS CUSTOS." 140
Gestão e Fiscalização de Contratos

PERIODICIDADE DA REPACTUAÇÃO

Assinatura Direito a repactuar


CCT
do contrato parcela insumos
01/06/16 01/03/17
Direito a repactuar
parcela mão de obra

Data da 1 ano da
apresentação Nova CCT apresentação
da proposta 01/06/17 da proposta
01/02/17 01/02/18 141
Gestão e Fiscalização de Contratos

Repactuação
• Orientação Normativa SLTI Nº 2, de 22 Ago 14.
Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e
fundacional deverão observar, nos processos de repactuação referentes a
serviços continuados com dedicação exclusiva de mão de obra, quando envolver
reajuste do vale transporte, as seguintes condições:
a) a majoração da tarifa de transporte público gera a possibilidade de
repactuação do item relativo aos valores pagos a título de vale-transporte;
b) o início da contagem do prazo de um ano para a primeira repactuação deve
tomar como referência a data do orçamento a que a proposta se refere, qual
seja, a data do último reajuste de tarifa de transporte público;
c) os efeitos financeiros da repactuação contratual decorrente da majoração de
tarifa de transporte público devem viger a partir da efetiva modificação do valor
de tarifa de transporte público; e
d) as regras de repactuação devem observar as disposições contidas nos arts. 37
a 41 da Instrução Normativa nº 2, de 30 de abril de 2008. 142
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão
Conforme previsão da letra “d”, inciso II, art. 65 da Lei
8.666/93 será motivado por:
 fato superveniente imprevisível;
 fato previsível de conseqüências incalculáveis;
 retardadores ou impeditivos da execução do ajustado;
 força maior;
 caso fortuito; ou
 fato do príncipe.

143
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão
Dependerá de solicitação motivada do fornecedor e
será analisado pela administração. Seus efeitos devem
ser concretos na execução e advir de risco
extraordinário (≠ risco do negócio).

ÁLEA ECONÔMICA
EXTRAORDINÁRIA

• Realizado mediante termo aditivo.


144
Gestão e Fiscalização de Contratos

ÁLEAS ÁLEAS
ORDINÁRIAS EXTRAORDINÁRIAS

“Risco relativo à possível ocorrência de um


evento futuro desfavorável, mas previsível ou
suportável, por ser usual no negócio efetivado.”

“Risco futuro imprevisível que, pela sua


extemporaneidade, impossibilidade de previsão e
onerosidade excessiva a um dos contratantes,
desafie todos os cálculos feitos no instante da
celebração contratual.“
145
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão
• Acórdão 3.024/2013 – TCU (Plenário)
"a mera variação de preços, para mais ou para menos, não é
suficiente para determinar a realização de reequilíbrio econômico-
financeiro do contrato, sendo essencial a presença de uma das
hipóteses previstas no art. 65, inciso II, alínea “d”, da Lei 8.666/1993,
a saber: fatos imprevisíveis, ou previsíveis porém de consequências
incalculáveis, retardadores ou impeditivos da execução do ajustado,
ou, ainda, em caso de força maior, caso fortuito ou fato do príncipe,
configurando álea econômica extraordinária e extracontratual."
Destacou ainda que a ocorrência de pequenas variações entre os
preços contratuais reajustados e os preços de mercado é situação
previsível, "já que dificilmente os índices contratuais refletem
perfeitamente a variação de preços do mercado". 146
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão
• Acórdão 1.729/2014 – TCU (Plenário)
Análise
“10.1 Sendo notória a variação de preços de produtos agro-
pecuários na entressafra, não há que se falar na manutenção do
reequilíbrio econômico-financeiro inicial, decorrente de "fatos
imprevisíveis, ou previsíveis, porém de consequências incalculáveis,
retardadores ou impeditivos da execução do ajustado" (artigo 65,
inciso II, alínea "d", da Lei 8.666/1993). Como a atividade da
empresa é o fornecimento de refeições, deve conhecer bem o
mercado em que atua e as variações sazonais dos preços dos
insumos, cujo impacto deve incorporar nas propostas apresentadas
nas licitações, considerando seu custo anualizado.” 147
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão
• Acórdão 2.837/2010 – TCU (Plenário)
Voto
De fato, a mera variação cambial, em regime de câmbio flutuante,
não configura causa excepcional de mutabilidade dos contratos
administrativos. A variação diária dos índices não autoriza pleitos
de recomposição de preços, dada a sua ampla previsibilidade.
Caso contrário, no regime de câmbio flutuante, todos os processos
em que houvesse variação positiva poderiam ensejar solicitações
de recomposição de preços, o que não ocorre. (...)

148
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão
• Acórdão 2.837/2010 -TCU (Plenário) – continuação

Esta redução dos preços dos equipamentos adquiridos pelo 2º


termo aditivo em relação aos originalmente contratados e a não
utilização dos instrumentos de proteção contra variações cambiais,
amplamente oferecidas por todas as instituições do mercado,
demonstra que a variação cambial não influenciou os custos dos
equipamentos, consistindo a variação em risco próprio do negócio.
Na verdade, a Administração não intervém na opção de contratar
ou não proteção, por tratar-se de mera escolha negocial da
empresa, a quem compete gerir os riscos de sua atividade.
149
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão x Repactuação

Qual a sua opinião...

Num mesmo período contratual,


é possível revisar e repactuar o
contrato?

150
Gestão e Fiscalização de Contratos

Revisão x Repactuação

- Sim, é possível.

• IN 05/2017
Art. 59 As repactuações não interferem no direito das
partes de solicitar, a qualquer momento, a manutenção
do equilíbrio econômico dos contratos com base no
disposto no art. 65 da Lei nº 8.666, de 1993.

151
Gestão e Fiscalização de Contratos

Manutenção do equilíbrio econômico-financeiro


Resumo
INSTITUTO REVISÃO REAJUSTE REPACTUAÇÃO
Restabelecer o poder
Recomposição de Alcançar o valor
OBJETIVO aquisitivo da moeda ou
Custos de mercado
insumos
- Art. 37, XXI da
-Inc. XI da art. 40 e inc.
CF/88; - IN 05/2017 –
EMBASAMENTO III do art. 55, ambos da
- Alínea ‘d’, inc. II, SEGES/MP;
LEGAL Lei 8.666/93;
art. 65 da Lei - Decreto 2271/97.
- Lei 10.192/01.
8.666/93.
PERIODICIDADE Não há Anual Anual
ÍNDICE PRÉ-
Convenção Coletiva e
Não Sim Sim
demais insumos da planilha
DEFINIDO
152
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato;
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

153
Gestão e Fiscalização de Contratos

O Agente 067

154
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Lei nº 8.666/93

Art. 67. A execução do contrato deverá ser acompanhada


e fiscalizada por um representante da Administração
especialmente designado (...)

155
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Decreto nº 2.271/97

Art . 6º A administração indicará um gestor do contrato,


que será responsável pelo acompanhamento e
fiscalização da sua execução, procedendo ao registro das
ocorrências e adotando as providências necessárias ao
seu fiel cumprimento, tendo por parâmetro os resultados
previstos no contrato.

156
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 39. As atividades de gestão e fiscalização da execução
contratual são o conjunto de ações que tem por objetivo aferir
o cumprimento dos resultados previstos pela Administração
para os serviços contratados, verificar a regularidade das
obrigações previdenciárias, fiscais e trabalhistas, bem como
prestar apoio à instrução processual e o encaminhamento da
documentação pertinente ao setor de contratos para a
formalização dos procedimentos relativos a repactuação,
alteração, reequilíbrio, prorrogação, pagamento, eventual
aplicação de sanções, extinção dos contratos, dentre outras,
com vista a assegurar o cumprimento das cláusulas aven-
çadas e a solução de problemas relativos ao objeto. 157
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


Objetivo
Ações Assegurar o
cumprimento das
Aferir o cumprimento dos resultados cláusulas avença-
previstos das e a solução de
problemas
Verificar a regularidade das obrigações relativos ao objeto
previdenciárias, fiscais e trabalhistas

Prestar apoio à instrução processual e


o encaminhamento da documentação
pertinente ao setor de contratos

158
Art. 39 da Instrução Normativa nº 05/2017 – MP
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 40. O conjunto de atividades de que trata o artigo anterior
compete ao gestor da execução dos contratos, auxiliado pela
fiscalização técnica, administrativa, setorial e pelo público usuário,
conforme o caso, de acordo com as seguintes disposições:
I - GESTÃO DA EXECUÇÃO DO CONTRATO: é a coordenação das
atividades relacionadas à fiscalização técnica, administrativa,
setorial e pelo público usuário, bem como dos atos preparatórios à
instrução processual e ao encaminhamento da documentação
pertinente ao setor de contratos para formalização dos
procedimentos quanto aos aspectos que envolvam a prorrogação,
alteração, reequilíbrio, pagamento, eventual aplicação de sanções,
extinção dos contratos, dentre outros;
159
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) – Art. 40
II - FISCALIZAÇÃO TÉCNICA: é o acompanhamento com o objetivo
de avaliar a execução do objeto nos moldes contratados e, se for o
caso, aferir se a quantidade, qualidade, tempo e modo da prestação
dos serviços estão compatíveis com os indicadores de níveis
mínimos de desempenho estipulados no ato convocatório, para
efeito de pagamento conforme o resultado, podendo ser auxiliado
pela fiscalização de que trata o inciso V deste artigo;
III - FISCALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA: é o acompanhamento dos
aspectos administrativos da execução dos serviços nos contratos
com regime de dedicação exclusiva de mão de obra quanto às
obrigações previdenciárias, fiscais e trabalhistas, bem como quanto
às providências tempestivas nos casos de inadimplemento;
160
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) – Art. 40

IV - FISCALIZAÇÃO SETORIAL: é o acompanhamento da execução do


contrato nos aspectos técnicos ou administrativos quando a
prestação dos serviços ocorrer concomitantemente em setores
distintos ou em unidades desconcentradas de um mesmo órgão ou
entidade;

§ 1º No caso do inciso IV deste artigo, o órgão ou entidade deverá


designar representantes nesses locais para atuarem como fiscais
setoriais.
161
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) – Art. 40

V - FISCALIZAÇÃO PELO PÚBLICO USUÁRIO: é o acompanha-


mento da execução contratual por pesquisa de satisfação
junto ao usuário, com o objetivo de aferir os resultados da
prestação dos serviços, os recursos materiais e os
procedimentos utilizados pela contratada, quando for o caso,
ou outro fator determinante para a avaliação dos aspectos
qualitativos do objeto.

162
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) – Art. 40
§ 2º O recebimento provisório dos serviços ficará a cargo do fiscal
técnico, administrativo ou setorial, quando houver, e o
recebimento definitivo, a cargo do gestor do contrato.
§ 3º As atividades de gestão e fiscalização da execução contratual
devem ser realizadas de forma preventiva, rotineira e sistemática,
podendo ser exercidas por servidores, equipe de fiscalização ou
único servidor, desde que, no exercício dessas atribuições, fique
assegurada a distinção dessas atividades e, em razão do volume de
trabalho, não comprometa o desempenho de todas as ações
relacionadas à Gestão do Contrato.

163
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

Fiscalização Técnica
Gestão dos Contratos
Fiscalização
- Prorrogação Gestão da
Administrativa
- Alteração Execução
- Reequilíbrio Contratual
- Aplicação de sanções Fiscalização Setorial
- Rescisão
Fiscalização do
Público Usuário

164
Art. 40 da Instrução Normativa nº 05/2017 – MP
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)


Art. 41. A indicação do gestor, fiscal e seus substitutos caberá aos
setores requisitantes dos serviços ou poderá ser estabelecida em
normativo próprio de cada órgão ou entidade, de acordo com o
funcionamento de seus processos de trabalho e sua estrutura
organizacional.
§ 1º Para o exercício da função, o gestor e fiscais deverão ser
cientificados, expressamente, da indicação e respectivas atribuições
antes da formalização do ato de designação.

165
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) - Art. 41

§ 2º Na indicação de servidor devem ser considerados a


compatibilidade com as atribuições do cargo, a complexidade da
fiscalização, o quantitativo de contratos por servidor e a sua
capacidade para o desempenho das atividades.
§ 3º Nos casos de atraso ou falta de indicação, de desligamento ou
afastamento extemporâneo e definitivo do gestor ou fiscais e seus
substitutos, até que seja providenciada a indicação, a competência
de suas atribuições caberá ao responsável pela indicação ou
conforme previsto no normativo de que trata o caput.
166
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 42. Após indicação de que trata o art. 41, a autoridade
competente do setor de licitações deverá designar, por ato formal,
o gestor, o fiscal e os substitutos.

ANEXO I
I - AUTORIDADE COMPETENTE DO SETOR DE LICITAÇÕES: A referida autoridade,
para fins do disposto nesta Instrução Normativa, é aquela que possui poder de
decisão indicada na lei ou regimento interno do órgão ou entidade como
responsável pelas licitações, contratos, ou ordenação de despesas, podendo
haver mais de uma designação a depender da estrutura regimental.

167
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Qual a sua opinião...

O servidor nomeado como


gestor/fiscal pode se negar a
exercer a função?

168
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 43. O encargo de gestor ou fiscal não pode ser recusado pelo
servidor, por não se tratar de ordem ilegal, devendo expor ao
superior hierárquico as deficiências e limitações técnicas que
possam impedir o diligente cumprimento do exercício de suas
atribuições, se for o caso.
Parágrafo único. Ocorrendo a situação de que trata o caput,
observado o § 2º do art. 42(1), a Administração deverá providenciar
a qualificação do servidor para o desempenho das atribuições,
conforme a natureza e complexidade do objeto, ou designar outro
servidor com a qualificação requerida. 169
(1) Contratação de terceiros
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Acórdão nº 468/2007- TCU (Plenário)
Voto
O servidor designado para exercer o encargo de fiscal não
pode oferecer recusa, porquanto não se trata de ordem
ilegal. Entretanto, tem a opção de expor ao superior
hierárquico as deficiências e limitações que possam impedi-lo
de cumprir diligentemente suas obrigações. A opção que não
se aceita é uma atuação a esmo (com imprudência,
negligência, omissão, ausência de cautela e de zelo
profissional), sob pena de configurar grave infração à norma
legal . (Item 31/3) 170
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Qual a sua opinião...

Em que momento deve ocorrer a


nomeação do fiscal de contrato?

171
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


É muito importante que o(s) servidor(es) ao(s) qual(is)
será confiada a fiscalização do contrato participe(m) de
todas as etapas do planejamento, visto que muitas
dificuldades na fiscalização decorrem de:
 especificações técnicas deficientes;
 ausência de mecanismos de aferição da qualidade da
prestação dos serviços;
 desconhecimento do fiscal a respeito do conteúdo do
contrato e do projeto básico ou termo de referência, ou
seja, do objeto contratado com todas as suas
especificações; e
 ausência de definição das suas atribuições.
172
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


A participação do fiscal do contrato no planejamento da
contratação e na elaboração do Projeto Básico ou Termo de
Referência assegura que os aspectos técnicos relevantes
relacionados com a execução dos serviços sejam
contemplados em tal documento.
Assegura, ademais, que sanções razoáveis e eficazes sejam
tipificadas no contrato e que as prestações a cargo do
contratado também sejam adequadamente previstas, de
modo a se evitar a inclusão de disposições inócuas, ambíguas
ou irrelevantes.
173
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 21. Os procedimentos iniciais do Planejamento da
Contratação consistem nas seguintes atividades:
(...)
d) a indicação do servidor ou servidores para compor a
equipe que irá elaborar os Estudos Preliminares e o
Gerenciamento de Risco e, se necessário, daquele a quem
será confiada a fiscalização dos serviços, o qual poderá
participar de todas as etapas do planejamento da
contratação, observado o disposto no § 1º do art. 22;
174
Gestão e Fiscalização de Contratos

* Extraído do Manual de Contratos de Prestação 175


de Serviços Terceirizados do Governo de SC.
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Acórdão nº 380/2011 – TCU (Plenário)


9.3. alertar o (...) quanto às ocorrências a seguir,
apontadas nos itens 3.25 e 3.27 do relatório de
fiscalização: (...)
9.3.7. ausência de nomeação de fiscal do contrato antes
do início de sua vigência, decorrente do descumprimento
da Lei 8.666/1993, art. 67;
176
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Qual a sua opinião...

Ao constatar alguma irregularidade


na execução do contrato, quais
providências o fiscal deve tomar?

177
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização

• Lei nº 8.666/93 – Art. 67


§ 1º O representante da Administração anotará em registro
próprio todas as ocorrências relacionadas com a execução
do contrato, determinando o que for necessário à
regularização das faltas ou defeitos observados.
§ 2º As decisões e providências que ultrapassarem a
competência do representante deverão ser solicitadas a
seus superiores em tempo hábil para a adoção das
medidas convenientes.
178
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 46. As ocorrências acerca da execução contratual deverão


ser registradas durante toda a vigência da prestação dos
serviços, cabendo ao gestor e fiscais, observadas suas
atribuições, a adoção das providências necessárias ao fiel
cumprimento das cláusulas contratuais, conforme o disposto
nos §§ 1º e 2º do art. 67 da Lei nº 8.666, de 1993.

179
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 46. (...)
§ 1º O registro das ocorrências, as comunicações entre as partes
e demais documentos relacionados à execução do objeto
poderão ser organizados em processo de fiscalização, instruído
com os documentos de que trata o § 4º do art. 42.
Art. 42 (...)
§ 4º Para o exercício da função, os fiscais deverão receber cópias dos documentos
essenciais da contratação pelo setor de contratos, a exemplo dos Estudos Preliminares,
do ato convocatório e seus anexos, do contrato, da proposta da contratada, da
garantia, quando houver, e demais documentos indispensáveis à fiscalização.

180
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 46. (...)
§ 2º As situações que exigirem decisões e providências que
ultrapassem a competência do fiscal deverão ser registradas e
encaminhadas ao gestor do contrato que as enviará ao superior
em tempo hábil para a adoção de medidas saneadoras.

FISCAL/GESTOR SUPERIORES
Requer regularização Alteração, revisão,
das faltas/defeitos sanções, rescisão etc.

181
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


• Acórdão nº 8372/2017 – TCU (1ª Câmara)

“Dar ciência à XXX que a ausência de registros específicos de


irregularidades na execução do contrato, com a respectiva
comunicação formal à empresa contratada para adotar
providências corretivas, (...), constitui infração ao disposto no
art. 67 da Lei 8.666/1993.” (item 1.7)

182
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Contratação de Terceiros -

•Lei nº 8.666/93
Art. 67 A execução do contrato deverá ser acompanhada
e fiscalizada por um representante da Administração
especialmente designado, permitida a contratação de
terceiros para assisti-lo e subsidiá-lo de informações
pertinentes a essa atribuição.

183
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Contratação de Terceiros -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 42. (...)


§ 2º Será facultada a contratação de terceiros para assistir ou
subsidiar as atividades de fiscalização do representante da
Administração, desde que justificada a necessidade de assistência
especializada.

184
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Contratação de Terceiros -
• Acórdão nº 690/2005 – TCU (Plenário)
9.2. determinar à (...) que: (...)
9.2.3. mantenha representante, pertencente a seus quadros
próprios de pessoal, especialmente designado para
acompanhar e fiscalizar a execução dos contratos que
celebrar, permitida a contratação de agentes terceirizados
apenas para assisti-lo e subsidiá-lo de informações
pertinentes a essa atribuição, a teor do art. 67 da Lei
8.666/93; 185
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Contratação de Terceiros -
ATENÇÃO!

O fiscal deve promover visitas no local periodica-


mente, acompanhando, inclusive, o trabalho da
empresa que o auxilia na fiscalização.
Analisar com atenção os documentos provenientes
da empresa contratada para auxiliar na fiscalização.
Manter diálogo e contato com o preposto do
contratado.
186
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Contratação de Terceiros -
• Acórdão nº 3.033/2014 – TCU (1ª Câmara)

“irregularidade caracterizada pela contratação de


empresa para acompanhamento e supervisão de
obras de adaptação e reforma da nova sede
da Chancelaria, sem a prévia existência de recursos
para execução dos serviços a serem supervisionados,
contrariando o princípio de eficiência (item 1.7.2.3)”

187
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Contratação de Terceiros -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 31. O órgão ou entidade não poderá contratar o mesmo


prestador para realizar serviços de execução, de subsídios ou
assistência à fiscalização ou supervisão relativos ao mesmo objeto,
assegurando a necessária segregação das funções.

188
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Segregação de Funções -

• Acórdão nº 1.315/2014 - TCU (2 ª Câmara)


O TCU deu ciência ao XXX de impropriedade no processo de
contratação da (...), caracterizada por falhas de governança e
ausência de controles internos eficazes, que resultaram na
ausência de planejamento adequado da contratação e
na concentração de poder de decisão em um único gestor,
violando o princípio da segregação de funções, caracterizadas
pelo fato de o Coordenador-Geral de Eventos ter participado em
diversas fases do processo de contratação, exercendo os
seguintes papéis: 189
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Segregação de Funções -

• Acórdão nº 1.315/2014 - TCU (2 ª Câmara) – cont.

a)analisou a proposta comercial apresentada pela Abav;


b)formulou o projeto básico que deu origem à contratação;
c)produziu parecer técnico propondo a aprovação da
proposta e a respectiva contratação; e
d)foi nomeado fiscal do contrato.

190
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Preposto da Contratada -
• Lei nº 8.666/93

Art. 68. O contratado deverá manter preposto, aceito pela


Administração, no local da obra ou serviço, para representá-lo na
execução do contrato.

• NECESSIDADE DE INDICAÇÃO DE PREPOSTO EM TODO


CONTRATO

• DOCUMENTO PARA ATUAÇÃO COMO PREPOSTO


191
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Preposto da Contratada -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 44. O preposto da empresa deve ser formalmente


designado pela contratada antes do início da prestação dos
serviços, em cujo instrumento deverá constar expressamente
os poderes e deveres em relação à execução do objeto.
§ 1º A indicação ou a manutenção do preposto da empresa
poderá ser recusada pelo órgão ou entidade, desde que
devidamente justificada, devendo a empresa designar outro
para o exercício da atividade.
192
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Preposto da Contratada -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 44. (...)
§ 2º As comunicações entre o órgão ou entidade e a contratada
devem ser realizadas por escrito sempre que o ato exigir tal
formalidade, admitindo-se, excepcionalmente, o uso de mensagem
eletrônica para esse fim.
§ 3º O órgão ou entidade poderá convocar o preposto para adoção
de providências que devam ser cumpridas de imediato.
§ 4º A depender da natureza dos serviços, poderá ser exigida a
manutenção do preposto da empresa no local da execução do objeto,
bem como pode ser estabelecido sistema de escala semanal ou
mensal. 193
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Preposto da Contratada -
• Acórdão nº 8.237/2011 – TCU (2ª Câmara)
“9.3. determinar ao XXX que (...), adote as seguintes medidas:
9.3.1. em atenção à disposição legal contida no art. 68 da Lei
8.666/1993, c/c inciso IV do art. 4º, do Decreto 2.271/1997, exija
da empresa (...) a designação formal de preposto a ser mantido no
local dos serviços, para representá-la durante a execução dos
serviços objeto do contrato, efetivamente intermediando as
solicitações entre o contratante e os funcionários terceirizados,
por meio de instrumento específico, a exemplo das ordens de
serviço, de modo a não caracterizar subordinação direta dos
profissionais da contratada ao (...); 194
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Preposto da Contratada -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 45. Após a assinatura do contrato, sempre que a natureza


da prestação dos serviços exigir, o órgão ou entidade deverá
promover reunião inicial para apresentação do plano de
fiscalização, que conterá informações acerca das obrigações
contratuais, dos mecanismos de fiscalização, das estratégias
para execução do objeto, do plano complementar de execução
da contratada, quando houver, do método de aferição dos
resultados e das sanções aplicáveis, dentre outros.
195
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Preposto da Contratada -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 45. (...)
§ 1º Os assuntos tratados na reunião inicial devem ser
registrados em ata e, preferencialmente, estarem presentes o
gestor, o fiscal ou equipe responsável pela fiscalização do
contrato, o preposto da empresa e, se for o caso, o servidor ou
a equipe de Planejamento da Contratação.
§ 2º O órgão ou entidade contratante deverá realizar reuniões
periódicas com o preposto, de modo a garantir a qualidade da
execução e os resultados previstos para a prestação dos
serviços
196
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -

• Qual a sua opinião...

Qual a participação do fiscal/gestor


nos procedimentos de ateste de notas
fiscais do contratado?

197
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Lei nº 8.666/93

Art. 73. Executado o contrato, o seu objeto será


recebido:
I - em se tratando de obras e serviços:
a) provisoriamente, pelo responsável por seu
acompanhamento e fiscalização, mediante termo
circunstanciado, assinado pelas partes em até 15
(quinze) dias da comunicação escrita do contratado;
198
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 73

b) definitivamente, por servidor ou comissão designada


pela autoridade competente, mediante termo
circunstanciado, assinado pelas partes, após o decurso
do prazo de observação, ou vistoria que comprove a
adequação do objeto aos termos contratuais,
observado o disposto no art. 69 desta Lei;
(90 dias, cfe §3º do art. 73)
199
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 73

II - em se tratando de compras ou de locação de


equipamentos:
a) provisoriamente, para efeito de posterior verificação
da conformidade do material com a especificação;
b) definitivamente, após a verificação da qualidade e
quantidade do material e conseqüente aceitação.
200
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)

Art. 49. O recebimento provisório e definitivo dos


serviços deve ser realizado conforme o disposto nos
arts. 73 a 76 da Lei nº 8.666, de 1993, e em
consonância com as regras definidas no ato
convocatório.

201
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Lei nº 8.666/93
Art. 74. Poderá ser dispensado o recebimento provisório nos seguintes casos:
I - gêneros perecíveis e alimentação preparada;
II - serviços profissionais;
III - obras e serviços de valor até o previsto no art. 23, inciso II, alínea "a", desta Lei,
desde que não se componham de aparelhos, equipamentos e instalações sujeitos à
verificação de funcionamento e produtividade.
Parágrafo único. Nos casos deste artigo, o recebimento será feito mediante recibo.

• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)


Art. 50. Exceto nos casos previstos no art. 74 da Lei n.º 8.666, de 1993,
ao realizar o recebimento dos serviços, o órgão ou entidade deve
observar o princípio da segregação das funções e orientar-se pelas
seguintes diretrizes: 202
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) – Art. 50
I - o recebimento provisório será realizado pelo fiscal técnico, fiscal admi-
nistrativo, fiscal setorial ou equipe de fiscalização, nos seguintes termos:
a) elaborar relatório circunstanciado, em consonância com as suas
atribuições, contendo o registro, a análise e a conclusão acerca das
ocorrências na execução do contrato e demais documentos que julgarem
necessários, devendo encaminhá-los ao gestor do contrato para
recebimento definitivo; e
b) quando a fiscalização for exercida por um único servidor, o relatório
circunstanciado deverá conter o registro, a análise e a conclusão acerca
das ocorrências na execução do contrato, em relação à fiscalização
técnica e administrativa e demais documentos que julgar necessários, de-
vendo encaminhá-los ao gestor do contrato para recebimento 203
definitivo;
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP) – Art. 50
II - o recebimento definitivo pelo gestor do contrato, ato que concretiza
o ateste da execução dos serviços, obedecerá às seguintes diretrizes:
a) realizar a análise dos relatórios e de toda a documentação
apresentada pela fiscalização técnica e administrativa e, caso haja
irregularidades que impeçam a liquidação e o pagamento da despesa,
indicar as cláusulas contratuais pertinentes, solicitando à contratada,
por escrito, as respectivas correções;
b) emitir termo circunstanciado para efeito de recebimento definitivo
dos serviços prestados, com base nos relatórios e documentação
apresentados; e
c) comunicar a empresa para que emita a Nota Fiscal ou Fatura com o
valor exato dimensionado pela fiscalização com base no Instrumento de
204
Medição de Resultado (IMR) (...)
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -

• Acórdão nº 1.330/2008 – TCU (Plenário)

“9.4.20. instrua seus fiscais de contrato quanto à forma


de verificar e medir a execução de serviços e o
recebimento de bens, observando os preceitos dos arts.
73 e 76 da Lei nº 8.666/1993, alertando-os para a
responsabilidade pessoal pelos ‘atestos’ emitidos;”

205
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Acórdão nº 1.089/2011 – TCU (Plenário)
“1.5. Alertar o (...) para que:
1.5.1. realize a adequada fiscalização e acompanhamento
dos contratos em execução, com vistas a sanar as falhas
observadas pelo Controle Interno em seu Relatório nº
189092, relacionadas à falta de atesto em notas fiscais,
ausência de conferência de quitação de débitos com FGTS e
INSS, e inexistência de medição, avaliação de serviços e
relatórios gerenciais; 206
Gestão e Fiscalização de Contratos

• Acórdão nº 2.250/2013 – TCU (Plenário)


Recomendação à XXX no sentido de que, nos procedimentos de
recebimento e de atesto de produtos e serviços, principalmente em
contratações de objetos de maior complexidade, façam constar do
processo de pagamento documento assinado pelo responsável pela
fiscalização do contrato, com a devida identificação (nome, cargo
e matrícula) desse agente, que contenha análise com detalhamento
dos requisitos considerados para o aceite ou o atesto, com
demonstração de que os produtos ou serviços entregues atenderam
ao objeto contratado, ou, quando for o caso, o detalhamento dos
serviços prestados ou memória de cálculo do valor a ser pago, de
forma a assegurar transparência ao processo de liquidação da
despesa; bem como que efetue a designação formal de empregado
para exercer a fiscalização dos contratos, com base no
princípio constitucional da eficiência.
207
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Qual a sua opinião...

A Administração pode aceitar a


entrega de objeto de marca diversa da
indicada na licitação e no contrato?
Em quais hipóteses e como deve ser
formalizada no processo?

208
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
Princípio da vinculação aos termos contratuais
– Pacta Sunt Servanda –
• Lei nº 8.666/93
Art. 66. O contrato deverá ser executado fielmente
pelas partes, de acordo com as cláusulas avençadas e
as normas desta Lei, respondendo cada uma pelas
conseqüências de sua inexecução total ou parcial.

209
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Lei nº 8.666/93
Art. 58. O regime jurídico dos contratos administrativos
instituído por esta Lei confere à Administração, em
relação a eles, a prerrogativa de:
I - modificá-los, unilateralmente, para melhor
adequação às finalidades de interesse público,
respeitados os direitos do contratado; (...)
→ Art. 65, inciso I
210
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -

Pressupostos para a alteração:

 Manutenção da identidade objeto;


 Vantajosidade ou, no mínimo, equivalente;
 Existência de fato superveniente; e
 Justificativa por escrito

211
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Recebimento do Objeto -
• Acórdão nº 558/2010 – TCU (Plenário)
Relatório
Audiência: apresentar razões de justificativa pela
autorização para o recebimento de notebook da fabricante
Semp Toshiba, marca distinta da oferecida na proposta da
empresa vencedora do Pregão Eletrônico Registro de Preços
n.º 37/2008 (da fabricante Sony), à míngua de análise
técnica que assegure o atendimento das especificações do
edital e que a performance do novo equipamento seja
idêntica ou melhor ao da marca Sony.
212
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -
 Conhecer detalhadamente o contrato e as cláusulas nele
estabelecidas, sanando qualquer dúvida com os demais
setores responsáveis pela administração, objetivando o fiel
cumprimento do contrato;
Conhecer a descrição dos serviços a serem executados
(prazos, locais, material a ser empregado);
Acompanhar a execução dos serviços, verificando a correta
utilização dos materiais, equipamentos, contingente em
quantidades suficientes para que seja mantida a qualidade
dos mesmos; 213
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -
 Registrar, em documento próprio, todas as irregularidades
e ocorrências, determinando o que for necessário à
regularização das faltas ou defeitos observados;
 Relatar, à autoridade superior, os problemas na execução
do contrato e as providências adotadas para saná-las, se
possível.
 Verificar se o licitante mantém, durante a execução do
contrato, todas as condições exigidas para a habilitação e a
contratação;
214
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -
 Verificar se o licitante recolhe todos os encargos
trabalhistas, tributários e previdenciários pertinentes ao
contrato;
 Verificar se os profissionais indicados na licitação,
sobretudo os apontados nos atestados de capacitação
técnica ou para fins de pontuação da proposta técnica
(licitações pelo tipo técnica e preço), efetivamente
participam da execução do contrato;
 Verificar se o contratado respeita as normas trabalhistas,
em especial, as pertinentes à segurança do trabalho;
215
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -
 Acompanhar o cumprimento, pela contratada, do
cronograma de execução do contrato;
 Verificar se houve subcontratação ou cessão contratual em
desacordo com o contrato ou fora das hipóteses admitidas
em lei;
 Verificar a quantidade e a qualidade dos materiais e
insumos empregados na execução do contrato;
Determinar, ao preposto da contratada, por escrito, a
adoção de medidas para a correção das falhas na execução
contratual; 216
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -
Verificar se o contratado toma as precauções necessárias
para evitar que a execução do contrato eventualmente cause
danos a terceiros;
Realizar a medição dos serviços efetivamente realizados, de
acordo com a descrição dos serviços definida na especificação
técnica do contrato e emitir atestados de avaliação dos
serviços prestados;
Sugerir a aplicação de penalidades ao contratado em face
do inadimplemento das obrigações;
217
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -

 Determinar a reparação, correção, remoção, reconstrução


ou substituição do objeto do contrato em que se verificarem
vícios, defeitos ou incorreções resultantes da execução ou de
materiais empregados;
 Rejeitar, no todo ou em parte, obra, serviço ou
fornecimento executado em desacordo com o contrato;
 Receber o objeto contratual, mediante termo
circunstanciado assinado pelas partes.

218
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Atribuições -

Verba volant, scripta manent.


(As palavras voam, a escrita permanece.)

Provérbio antigo

219
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Principais Falhas -
 Não fiscalizar!
 Desconhecimento dos termos do contrato;
Fazer exigências incompatíveis com o edital e com o
contrato;
Autorizar a prorrogação do contrato sem a devida
formalização;
Autorizar aditivos sem a devida formalização.

220
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Principais Falhas -
• Acórdão 1.820/2014 – TCU (Plenário)
1.8.1. dar ciência ao XXX das seguintes impropriedades (...) na execução
do Contrato 29/2011(...) para que adote providências no sentido de evitá-
las em futuras contratações: (...)
1.8.1.1. demora injustificada na designação de servidor para o encargo de
acompanhar e fiscalizar a execução do contrato, previsto no art. 67 da
Lei 8.666/1993;
1.8.1.2. recebimento definitivo do objeto, em 4/9/2012, em que pese o
banheiro feminino do 6º andar se encontrar interditado pela Defesa Civil
à época, diante de rachaduras em placas de concreto pré-moldadas, e
apesar de o prazo para a realização dos reparos necessários ao trânsito
seguro dos usuários ter sido prorrogado (...) por mais 180 dias; 221
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Principais Falhas -
• Acórdão 1.820/2014 – TCU (Plenário) – cont.

1.8.1.3. execução de despesas que, embora devidamente executadas,


não estavam abrangidas formalmente no Contrato 29/2011;
1.8.1.4. alterações realizadas em itens de contrato com vigência
expirada;
1.8.1.5. inobservância do princípio da segregação de funções em razão
do fato de que conforme Ordem de Serviço 1/2011 o responsável pelo
setor demandante atuou também como chefe do serviço de engenharia
e como fiscal do contrato;
222
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

• Qual a sua opinião...

O fiscal do contrato será


responsabilizado no caso de falhas
na execução do contrato que
gerem prejuízo à Administração?

223
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

• Lei nº 8.666/93

Art. 82. Os agentes administrativos que praticarem


atos em desacordo com os preceitos desta Lei ou
visando a frustrar os objetivos da licitação sujeitam-se
às sanções previstas nesta Lei e nos regulamentos
próprios, sem prejuízo das responsabilidades civil e
criminal que seu ato ensejar.
224
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
• Lei nº 8.112/90
Art. 121. O servidor responde civil, penal e
administrativamente pelo exercício irregular de suas
atribuições.
Art. 122. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo
ou comissivo, doloso ou culposo, que resulte em prejuízo
ao erário ou a terceiros.
Art. 124. A responsabilidade civil-administrativa resulta de
ato omissivo ou comissivo praticado no desempe-nho do
cargo ou função. 225
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilidade Civil -

• Código Civil

Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária,


negligência ou imprudência, violar direito e causar
dano a outrem, ainda que exclusivamente moral,
comete ato ilícito.

226
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilidade Administrativa -
• Lei nº 8.666/93
Art. 92. Admitir, possibilitar ou dar causa a qualquer
modificação ou vantagem, inclusive prorrogação contratual, em
favor do adjudicatário, durante a execução dos contratos
celebrados com o Poder Público, sem autorização em lei, no ato
convocatório da licitação ou nos respectivos instrumentos
contratuais, ou, ainda, pagar fatura com preterição da ordem
cronológica de sua exigibilidade, observado o disposto no art.
121 desta Lei:
Pena - detenção, de dois a quatro anos, e multa.
227
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Improbidade Administrativa -
• Lei nº 8.429/92
Art. 10. Constitui ato de improbidade administrativa que
causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão, dolosa
ou culposa, que enseje perda patrimonial, desvio,
apropriação, malbaratamento ou dilapidação dos bens
ou haveres das entidades (...)

228
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

• Qual a sua opinião...

Em quais situações o gestor


e/ou fiscal de contratos poderá
eximir-se da responsabilidade?

229
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
A escolha do fiscal deve recair sobre pessoa que
tenha um conhecimento técnico suficiente do objeto
que está sendo fiscalizado, pois falhas na fiscalização
podem vir a alcançar o agente público que o nomeou
(autoridade competente), por culpa in eligendo.
O fiscal não será responsabilizado caso não possua
condições apropriadas para o desempenho de suas
atribuições.
230
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
• Acórdão nº 277/2010 – TCU (Plenário)
“O defendente era o superior hierárquico responsável pela
equipe técnica que atestava os serviços. Assim sendo, não
poderia se furtar da responsabilidade de vigiar, controlar e apoiar
seus subordinados, buscando os meios necessários para a
efetividade das ações afetas à Superintendência. Ao se abster
dessa responsabilidade, agiu com culpa nas modalidades in
omittendo e in vigilando. Se considerarmos, ainda, que os
componentes de sua equipe não tinham competência e formação
adequadas para as atividades que lhes eram afetas, pode-se
suscitar que o defendente teria agido com culpa in eligendo.”
231
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

• Acórdão nº 5.842/2010 – TCU (1ª Câmara)


“ (...) o fato de não ter acompanhado diretamente a formalização
e a execução do contrato, o então gestor municipal concorreu
para o dano que lhe foi imputado por culpa in eligendo e culpa in
vigilando. Como se depreende dos fatos, o ex-prefeito atrai para
si a responsabilidade civil e administrativa também por não ter
bem selecionado agentes probos a quem delegou tais tarefas
operacionais, bem como por não ter devidamente supervisionado
e exigido dos seus subordinados o escorreito cumprimento da
lei.”
232
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
• Acórdão nº 839/2011 – TCU (Plenário)
"O fiscal do contrato não pode ser responsabilizado, caso não
possua condições apropriadas para o desempenho de suas
atribuições. (...) Demonstrado nos autos que a responsável pela
fiscalização do contrato tinha condições precárias para realizar seu
trabalho, elide-se sua responsabilidade”.

“ Impossibilidade de uma única pessoa cumprir todas as funções


que lhe foram atribuídas”.
233
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

 Relação: Número de contratos X Fiscal;


Criação de manuais de fiscalização com rotinas
padronizadas e checklist;
Realização de reuniões periódicas com o preposto da
contratada;
Emprego de recursos de TI na organização e na
guarda dos documentos da contratada;
 Formalização dos atos de fiscalização;
234
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
• Acórdão nº 1.094/2013 - TCU (Plenário)
“Recomendação ao XXX no sentido de que: a) providencie
portaria de designação específica para fiscalização de cada
contrato, com atestado de recebimento pelo fiscal designado e
que constem claramente as atribuições e responsabilidades, de
acordo com o estabelecido pela Lei nº 8.666/1993 em seu artigo
67; b) designe fiscais considerando a formação acadêmica ou
técnica do servidor/funcionário, a segregação entre as funções
de gestão e de fiscalização do contrato, bem como o compro-
metimento concomitante com outros serviços ou contratos, de
forma a evitar que o fiscal responsável fique sobrecarregado
devido a muitos contratos sob sua responsabilidade;” 235
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

• Acórdão nº 1.094/2013 - TCU (Plenário) (cont.)

c) oriente os fiscais de contrato a documentar todos os eventos


em processo específico de fiscalização, incluindo toda a
documentação fornecida pela empresa e pelo órgão, de modo a
registrar o histórico do contrato e viabilizar o rastreamento de
eventos, responder a questionamentos feitos em auditorias,
aplicar penalidades, bem como servir de base para processos de
contratações futuras.

236
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -

• Qual a sua opinião...

Existe um número máximo de


contratos que um único servidor
pode fiscalizar?

237
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
Não há como determinar um número absoluto máximo
de contratos para o qual um mesmo servidor possa ser
designado para atuar como fiscal. Essa análise é casuística e
deve se basear na relação de adequação entre a
complexidade dos contratos, o volume de atividades e o
tempo hábil para que o servidor desempenhe suas funções
de modo satisfatório. Logo, o limite de contratos para que
um mesmo servidor seja designado como fiscal relaciona-se
ao desempenho da tarefa de modo eficiente, evitando-se a
sobrecarga de trabalho.

(Zênite - Informativo de Licitações e Contratos (ILC) – Ago 13)


238
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução Contratual – Gestão e Fiscalização


- Responsabilização -
• Acórdão nº 2.831/2011 – TCU (Plenário)
“ ... avalie o quantitativo de contratos fiscalizados por
cada servidor com vistas a garantir uma efetiva
fiscalização contratual, mitigando riscos dessa
atividade".
• Acórdão nº 38/2013 – TCU (Plenário)
“ ... evite designar a um único servidor a função de
fiscalizar mais de um contrato, evitando-se sobrecarga
de trabalho e ineficiência na execução da tarefa".
239
Gestão e Fiscalização de Contratos
Quantos contratos você costuma fiscalizar/gerenciar
simultâneamente?
1 2%
2 12%
3 19%
4 9%
5 12%
6 5%
7 2%
8 5%
9 2%
10 6,5%
11 a 20 6,5%
21 a 30 2%
31 a 40 3%
41 a 50 5% 240
Mais de 50 9%
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato;
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

241
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Objetivo -
A aplicação de sanções administrativas aos licitantes e
contratados da Administração tem previsão no art. 58,
inc. IV, e visa, em última análise, preservar o
interesse público quando este é abalado por atos
ilícitos cometidos por fornecedores que frustrem os
objetivos da licitação ou da contratação.

Tem caráter repressivo e pedagógico.

242
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Obrigatoriedade -
• Acórdão nº836/2012 – TCU (Plenário)
Despacho
“24.6.5 (...)Estava, pois, sujeita à sanção a conduta do consórcio, e
a conveniência da aplicação de penalidade não estava na esfera de
discricionariedade do gestor. Esse entendimento é reforçado pela
doutrina citada abaixo: (...) vale dizer, ao aplicador não pode ser
conferido poder discricionário para que, a seu critério, aplique ou
não a punição. Ou terá que aplicá-la, se o infrator adota conduta
que a lei ou contrato considera violadora ao direito, ou não poderá
fazê-lo, se a conduta não estiver contemplada na lei ou contrato
como ensejadora de sanção. (...) E, como já afirmamos, não pode
haver disponibilidade da competência.” 243
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
• Lei nº 8.666/93
Art. 86. O atraso injustificado na execução do contrato
sujeitará o contratado à multa de mora, na forma prevista no
instrumento convocatório ou no contrato.
Art. 87. Pela inexecução total ou parcial do contrato a
Administração poderá, garantida a prévia defesa, aplicar ao
contratado as seguintes sanções:
I - advertência;
II - multa, na forma prevista no instrumento convocatório ou
no contrato; 244
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 87 (cont.)
III - suspensão temporária de participação em licitação e
impedimento de contratar com a Administração, por
prazo não superior a 2 (dois) anos;
IV - declaração de inidoneidade para licitar ou contratar
com a Administração Pública enquanto perdurarem os
motivos determinantes da punição ou até que seja
promovida a reabilitação perante a própria autoridade
que aplicou a penalidade (...)
245
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
• Lei nº 10.520/02
Art. 7º Quem, convocado dentro do prazo de validade da sua
proposta, não celebrar o contrato, deixar de entregar ou
apresentar documentação falsa exigida para o certame,
ensejar o retardamento da execução de seu objeto, não
mantiver a proposta, falhar ou fraudar na execução do
contrato, comportar-se de modo inidôneo ou cometer fraude
fiscal, ficará impedido de licitar e contratar com a União,
Estados, Distrito Federal ou Municípios e, será descredenciado
no SICAF, (...) pelo prazo de até 5 (cinco) anos, sem prejuízo
das multas previstas em edital e no contrato e das demais
cominações legais. 246
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
Dos art. 86 e 87 da Lei 8.666/93
 Advertência;
 Multa;
 Suspensão temporária (até 2 anos);
 Declaração de inidoneidade.

Do art. 7º da Lei 10.520/02


 Impedimento de licitar e de contratar, com respectivo
descredenciamento do SICAF (até 5 anos);
 Multa. 247
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Amplitude da Sanção -

• Lei nº 10.520/02 – Art. 7º

Art. 7º Quem (...) ficará impedido de licitar e contratar


com a União, Estados, Distrito Federal ou Municípios e,
será descredenciado no Sicaf,

248
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Amplitude da Sanção -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 87

III - suspensão temporária de participação em licitação e


impedimento de contratar com a Administração (...)

IV - declaração de inidoneidade para licitar ou contratar


com a Administração Pública (...)

249
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Amplitude da Sanção -
• Lei nº 8.666/93

Art. 6o Para os fins desta Lei, considera-se: (...)


XI - Administração Pública - a administração direta e indireta
da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios,
abrangendo inclusive as entidades com personalidade jurídica
de direito privado sob controle do poder público e das
fundações por ele instituídas ou mantidas;
XII - Administração - órgão, entidade ou unidade
administrativa pela qual a Administração Pública opera e atua
concretamente;
250
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Amplitude da Sanção -

• Acórdão nº 3.439/2012 – TCU (Plenário)

“As sanções de suspensão temporária de participação


em licitação e impedimento de contratar com a
Administração, previstas no art. 87, inciso III, da Lei
8.666/1993, alcançam apenas o órgão ou a entidade
que as aplicaram.”

251
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Amplitude da Sanção -

• Posicionamento AGU
A suspensão temporária de licitar e contratar, prevista
no inciso Ill do artigo 87, da Lei nº8.666/93, possui
efeito com amplitude subjetiva restrita, afetando
apenas o direito de licitar ou contratar em relação ao
órgão sancionador. (Parecer Nº 02/2013/GT/AGU).

252
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Amplitude da Sanção (resumo) -
Penalidade Âmbito Abrangência
Suspensão temporária de
participação em licitação e Órgão ou entidade que
Administração
impedimento de contratar (inc aplicou a penalidade.
III, art. 87 da Lei nº 8.666/93)
Declaração de Inidoneidade (inc Administração Todos os órgãos ou entidades
IV, art. 87 da Lei nº 8.666/93) Pública da Administração Pública.
Impedimento de Licitar e União, Estados,
Todos os órgãos ou entidades
Contratar (art. 7º da Lei nº Distrito Federal
da esfera de governo.
10.520/02) ou Municípios

253
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -

• Qual a sua opinião...

Existem outros tipos de sanções que


podem ser aplicadas às empresas e
que as impossibilite de contratar
com a Administração?

254
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
Proibição de contratar (Lei de Improbidade Administrativa)
- Art. 12 da Lei nº 8.429, 2 Jun 92.

Proibição de participar de licitações e de contratar (Lei


Eleitoral)
- Art. 81, § 3º, da Lei nº 9.504, 30 Set 97.

Declaração de inidoneidade pelo TCU (Lei Orgânica TCU)


- Art. 46 da Lei nº 8.443, 16 Jul 92.
255
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -

• Qual a sua opinião...

É possível aplicar como sanção a


“retenção de pagamento”?

256
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
• Posição STJ
EMENTA: ADMINISTRATIVO. CONTRATO. ECT. PRESTAÇÃO DE
SERVIÇOS DE TRANSPORTE. DESCUMPRIMENTO DA OBRIGA-
ÇÃO DE MANTER A REGULARIDADE FISCAL. RETENÇÃO DO
PAGAMENTO DAS FATURAS. IMPOSSIBILIDADE. 1. A exigência
de regularidade fiscal (...) funda-se na Constituição Federal(...)
e deve ser mantida durante toda a execução do contrato (...) 2.
O ato administrativo, no Estado Democrático de Direito, está
subordinado ao princípio da legalidade (...) o que equivale
assentar que a Administração poderá atuar tão-somente de
acordo com o que a lei determina. 257
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Tipos -
• Posição STJ (cont.)
3. Deveras, não constando do rol do art. 87 da Lei 8.666/93 a
retenção do pagamento pelos serviços prestados, não
poderia a ECT aplicar a referida sanção à empresa contra-
tada, sob pena de violação ao princípio constitucional da
legalidade. Destarte, o descumprimento de cláusula contratual
pode até ensejar, eventualmente, a rescisão do contrato (art.
78 da Lei de Licitações), mas não autoriza a recorrente a
suspender o pagamento das faturas e, ao mesmo tempo, exigir
da empresa contratada a prestação dos serviços. (...)
(STJ - REsp 633432 / MG – Rel. Ministro LUIZ FUX (1122) DJ 20.06.2005 p. 141 RNDJ vol. 69 p. 94) 258
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Previsão Editalícia -
As sanções de advertência, suspensão e declaração de
inidoneidade não necessitam de previsão contratual. As
sanções de multa, por sua vez, apenas poderão ser
aplicadas se o contrato as previr. Nessa previsão, deverá
constar:

- A natureza da multa (compensatória ou moratória);

- O percentual da multa e a forma da sua liquidação (dias,


etc).
259
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Multa -

• Qual a sua opinião...

Quando é cabível a aplicação das


multas moratória e compensatória?
Podem ser aplicadas conjuntamente?

260
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Multa -

Multa moratória (Art. 86) – Aplicação nos casos de


mora – atraso no cumprimento das obrigações.

Multa compensatória (Art. 87) – Aplicação nos casos


de inexecução/inadimplemento – frustração completa
no cumprimento da obrigação.

 Cumulação de multas - Mesmo fato - Impossibilidade.

261
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Multa -
• STJ - REsp nº 832.929/SP
DIREITO CIVIL. (...). MULTAS COMPENSATÓRIA E
MORATÓRIA. FATOS GERADORES DISTINTOS. CUMULAÇÃO.
POSSIBILIDADE. PRECEDENTES. RECURSO ESPECIAL
CONHECIDO E PROVIDO.
1. É firme a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça
no sentido de ser possível a cumulação das multas
moratória e compensatória quando tiverem elas origem em
fatos geradores diversos, como ocorrido no caso concreto.
2. Recurso especial conhecido e provido. 262
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas

• Qual a sua opinião...

Qual regra deve ser seguida para a


aplicação das sanções? Existe uma
ordem a ser obedecida?

263
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


Não existe hierarquia entre as sanções. Não há
necessidade de aplicar advertência, multa, suspensão,
nesta ordem. No entanto, o sancionamento deve respei-
tar os princípios da razoabilidade e a proporcionalidade.

• Acórdão 1453/2009 – TCU (Plenário)


Estipule, em atenção aos princípios da proporcio-
nalidade e da razoabilidade, penalidades especificas e
proporcionais a gravidade dos eventuais descumpri-
mentos contratuais.
264
Gestão e Fiscalização de Contratos

No caso de contrato decorrente de pregão,


quais sanções aplicar? Da Lei nº 8666/93 ou da
Lei 10.520/02?

Lei 8.666/93 X Lei 10.520/02


Mesma hierarquia
Geral Específica
Mais antiga Mais nova

265
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
A imposição de qualquer sanção administrativa deve ser
precedida do devido processo legal

 Nos termos do art. 86 e 87 cada pena a ser aplicada deve


facultar ao contratado a defesa prévia;
 A legislação não trata das formalidades do processo
administrativo, apenas consigna prazos para apresentação da
defesa prévia: 5 dias ou 10 dias;
As sanções devem ser aplicadas em consonância com a
gravidade do fato, obedecidos os princípios da razoabilidade e da
proporcionalidade.
266
Norma Operacional nº 02/Dirad/MP
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
1) Denúncia/Informação da irregularidade/Recebimento
2) Abertura de processo administrativo
3) Citação/Notificação do interessado/contratado
4) Prazo de defesa
5) Apresentação ou não de manifestação (defesa prévia)
6) Instrução probatória
7) Parecer jurídico (facultativo)
8) Decisão administrativa pela Autoridade competente
9) Intimação da decisão
10) Prazo recursal
11) Análise do recurso (Autoridade Superior)
12) Publicidade 267
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
1) Configurado o descumprimento de obrigação
contratual, esse fato deve ser formalizado.

 Informação fornecida pelo Gestor/Fiscal do


Contrato.

Registro do Fato
268
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
2) Ao tomar conhecimento do fato, caso julgue
necessário, a autoridade competente determinará
abertura de procedimento administrativo para
aplicação de sanção.

Obs. Recomenda-se que o fornecedor seja oficiado previamente para apresentar


suas justificativas.

269
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
3) Notificar o contratado do fato, abrindo prazo de
defesa.
Observar que a NOTIFICAÇÃO contenha:
- a identificação da pessoa física ou jurídica e do
contrato;
- a indicação dos fatos e fundamentos legais
pertinentes;
- se há reincidência;
- o prazo e o local para manifestação do intimado;
270
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
Observar que a NOTIFICAÇÃO contenha: (cont.)

- a necessidade de o intimado atender à notificação


pessoalmente ou a possibilidade de se fazer representar;
- a continuidade do processo independentemente da
manifestação do intimado;
- a sanção a ser aplicada e sua gradação, nos termos da
Lei 8.666/93 e/ou da Lei 10.520/02.

271
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
4) Prazo de Defesa

 O fornecedor será notificado para apresentar defesa


no prazo de 5 (cinco) dias úteis, a contar do recebimento
da notificação.

 Caso haja indícios suficientes para aplicação da sanção


de declaração de inidoneidade, o prazo para a defesa
será 10 (dez) dias corridos.
272
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
Formas de Notificar
ciência no processo;
via postal com aviso de recebimento;
mensagem eletrônica;
outro meio que certifique a ciência;
publicação oficial (interessados indeterminados,
desconhecidos ou com domicílio indefinido)
O comparecimento supre a falta ou
irregularidade da intimação.
273
Gestão e Fiscalização de Contratos

Detalhes do Procedimento

274
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
5) Recebimento da Defesa do Fornecedor

 Juntar ao processo os documentos enviados pelo


fornecedor.

Decorrido o prazo sem apresentação de


Defesa, tal fato deve ser Certificado no
Processo.

275
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
6) Instrução probatória
Para fundamentar sua decisão, a autoridade competente
analisará os seguintes documentos:
- Intimação do contratado;
- Defesa prévia do contratado;
- Termos de declarações, se for o caso;
- Pareceres técnicos e/ou jurídicos, se for o caso;
- Relatório ou parecer conclusivo sobre a procedência ou
improcedência do fato denunciado, da aplicabilidade ou não
da sanção, o enquadramento legal previsto, etc; e
- Demais provas ou diligências juntadas. 276
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
7) Parecer jurídico (facultativo)
Qual a atuação da assessoria jurídica no procedimento
para a aplicação de sanções administrativas?
- Assessorar a autoridade competente quanto a legali-
dade do processo administrativo.

277
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
8) Decisão administrativa pela Autoridade competente
Recebido o processo, a Autoridade competente deverá
se manifestar, motivadamente, sobre o acolhimento ou
rejeição das razões apresentadas, concluindo pela
imposição ou não de penalidades.

Decisão

Fundamentos

Fatos
278
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
9) Intimação da decisão
Informar ao fornecedor a decisão administrativa da
autoridade competente e abrir o prazo para recurso
administrativo (efeitos do recurso).

279
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
10) Prazo recursal
11) Análise do recurso (Autoridade Superior)

• Lei nº 8.666/93 – Art. 109


§ 4º O recurso será dirigido à autoridade superior, por
intermédio da que praticou o ato recorrido, a qual poderá
reconsiderar sua decisão, no prazo de 5 (cinco) dias úteis,
ou, nesse mesmo prazo, fazê-lo subir, devidamente
informado, devendo, neste caso, a decisão ser proferida
dentro do prazo de 5 (cinco) dias úteis, contado do
recebimento do recurso, sob pena de responsabilidade. 280
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
12) Publicidade
A intimação da decisão
administrativa referente à
rescisão contratual, à pena de
suspensão temporária e de
declaração de inidoneidade é
feita mediante publicação na
Imprensa Oficial (artigo 109,
§1º, da Lei 8.666/93).
281
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Processo Administrativo -
A fim de padronizar as publicações, Controladoria-Geral da
União, por intermédio da Msg SIASG nº 057748, de 28 de
abril de 2010, orientou os órgãos e entidades públicas a
utilizarem o seguinte modelo:

282
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Efeito da Sanção -

• Qual a sua opinião...

A aplicação da suspensão do direito


de licitar e contratar, da declaração de
inidoneidade ou do impedimento de
licitar implica na rescisão de outros
contratos da empresa penalizada?

283
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Efeito da Sanção -
• Acórdão nº 3.002/2010 – TCU (Plenário)

“A declaração de inidoneidade não dá ensejo à imediata


rescisão de todos os contratos firmados entre as
empresas sancionadas e a administração pública federal.
Isso porque a declaração de inidoneidade apenas produz
efeitos ex nunc, não autorizando que sejam desfeitos
todos os atos pretéritos ao momento de sua
proclamação.”
284
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Efeito da Sanção -
• Acórdão nº 1.340/2011 – TCU (Plenário)

A declaração de inidoneidade possui efeito ‘ex-nunc’,


cabendo às entidades administrativas medidas com
vistas à rescisão de contrato que possuam com a
empresa julgada inidônea, caso entendam necessário.
Contudo, no caso do certame que levou à aplicação da
sanção, a instituição pública deve adotar as providências
necessárias, com vistas à pronta rescisão do contrato
decorrente 285
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Efeito da Sanção -
• Orientação Normativa AGU nº 49, de 25 Abr 14.

A APLICAÇÃO DAS SANÇÕES DE IMPEDIMENTO


DE LICITAR E CONTRATAR NO ÂMBITO DA UNIÃO (ART.
7° DA LEI N° 10.520, DE 2002) E DE DECLARAÇÃO DE
INIDONEIDADE (ART. 87, INC. IV, DA LEI N° 8.666,
DE 1993) POSSUEM EFEITO ‘EX NUNC’, COMPETINDO À
ADMINISTRAÇÃO, DIANTE DE CONTRATOS EXISTENTES,
AVALIAR A IMEDIATA RESCISÃO NO CASO CONCRETO.
286
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


- Principais Vícios -
 Desrespeito ao devido processo legal;
 Desrespeito aos princípios do contraditório e
ampla defesa;
 Aplicação por autoridade NÃO competente;
 Incongruência lógica entre a conduta e a sanção;
 Desamparo jurídico para aplicabilidade da sanção
aplicada.
287
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas

• Orientação Normativa AGU nº 48, de 25 Abr 14.

É COMPETENTE PARA A APLICAÇÃO DAS PENALIDADES


PREVISTAS NAS LEIS N°S 10.520, DE 2002, E 8.666, DE
1993, EXCEPCIONADA A SANÇÃO DE DECLARAÇÃO DE
INIDONEIDADE, A AUTORIDADE RESPONSÁVEL PELA
CELEBRAÇÃO DO CONTRATO OU OUTRA PREVISTA EM
REGIMENTO.

288
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas


• Instrução Normativa nº 05/2017 (MP)
Art. 68. Identificada a infração ao contrato, inclusive quanto à
inobservância do prazo fixado para apresentação da garantia, o
órgão ou entidade deverá providenciar a autuação de
procedimento administrativo específico para aplicação de
sanções à contratada e a consequente rescisão contratual, se for
o caso, de acordo com as regras previstas no ato convocatório,
na legislação correlata e nas orientações estabelecidas em
normativo interno do órgão ou entidade, quando houver,
podendo utilizar como referência os Cadernos de Logística
disponibilizados pela Secretaria de Gestão do Ministério
do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.
289
Gestão e Fiscalização de Contratos

Aplicação de Sanções Administrativas

https://www.comprasgovernamentais.gov.br/images/conteudo/ArquivosCGNOR/manual-sancoes-22-09.pdf
https://www.comprasgovernamentais.gov.br/images/conteudo/ArquivosCGNOR/caderno-de-logistica-de-sancao-2.pdf
290
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato;
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

291
Gestão e Fiscalização de Contratos

Execução do objeto ou
vencimento do prazo

Extinção do objeto, da
pessoa jurídica ou
FORMAS DE morte da pessoa física
EXTINÇÃO DOS Rescisão unilateral pela
CONTRATOS Administração,
amigável ou judicial

Determinada por órgãos


de controle em face de
vícios na lctc/contrato 292
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


CONTRATO POR PRAZO
• Objeto contratado consiste na execução de um serviço por
um prazo certo, determinado.
• Alcançado o marco final para a duração do contrato,
extingue-se a relação contratual.
CONTRATO POR ESCOPO
• O objeto contratado consiste na execução de um escopo,
delimitando-se um prazo para tanto.
• O esgotamento do prazo não desonera as partes do
cumprimento ou descumprimento de suas obrigações.
• Assim, se o prazo esgotou e o objeto não foi realizado por
culpa da contratada, esta estará automaticamente em mora.293
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


• Acórdão nº 2.406/2010 – TCU (Plenário)
“A implicação prática de tal diferenciação reside no fato de
que o contrato por escopo não se extinguiria pela simples
ultrapassagem do tempo de vigência, mas sim pela conclusão
da obra ou serviço. Assim, mesmo que o prazo de execução
dos serviços terminasse, caso o objeto ainda não tivesse sido
finalizado totalmente, a avença ainda restaria válida no
mundo jurídico. Os prazos estabelecidos teriam, portanto,
caráter meramente moratório, e não extintivo. A partir do
término dos prazos estabelecidos, poderiam ser aplicadas as
diversas sanções previstas em lei ou no próprio instrumento
de ajuste, que, entretanto, não se extinguiria até a
consecução do objeto.” 294
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


• Acórdão nº 2.789/2013 – TCU (Plenário)
Ementa
O Tribunal pode determinar a anulação da licitação e
autorizar, em caráter excepcional, a continuidade da
execução contratual, em face de circunstâncias
especiais que desaconselhem a anulação do contrato,
em razão da prevalência do atendimento ao interesse
público.
295
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


- Rescisão Contratual -
• Lei nº 8.666/93

Art. 77. A inexecução total ou parcial do contrato


enseja a sua rescisão, com as consequências
contratuais e as previstas em lei ou regulamento.

296
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


- Rescisão Contratual -
São motivos para rescisão, conforme previsão do art.
78 da Lei nº 8.666/93:
Culpa da contratada (inciso I ao XI e XVIII);
Interesse público (inciso XII);
 Culpa da administração (inciso XII a XVI); e
Caso fortuito ou de força maior (inciso XVII).

Os casos de rescisão contratual serão formalmente motivados nos


autos do processo, assegurado o contraditório e a ampla defesa. 297
(§ único, art. 78 da Lei 8666/93)
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


- Rescisão Contratual -

• Acórdão nº 5.519/2014 – TCU (2ª Câmara)

“Dar ciência ao XXX de que, em atenção ao art. 78 da


Lei nº 8.666/1993, a rescisão contratual deve ser
formalmente motivada nos autos do processo relativo à
contratação, assegurando o contraditório e a ampla
defesa. (item 1.6.1.2)”

298
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


- Rescisão Contratual -
• Lei nº 8.666/93
Art. 79. A rescisão do contrato poderá ser:
I - determinada por ato unilateral e escrito da
Administração, nos casos enumerados nos incisos I a XII e
XVII do artigo anterior;
II - amigável, por acordo entre as partes, reduzida a termo
no processo da licitação, desde que haja conveniência para a
Administração;
III - judicial, nos termos da legislação; 299
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


- Rescisão Contratual -
• Lei nº 8.666/93 – Art. 79, § 2º

Quando a rescisão ocorrer com base nos incisos XII a XVII


do artigo anterior, sem que haja culpa do contratado,
será este ressarcido dos prejuízos regularmente
comprovados que houver sofrido, tendo ainda direito a:
I - devolução de garantia;
II - pagamentos devidos pela execução do contrato até a
data da rescisão;
III - pagamento do custo da desmobilização.
300
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


- Manutenção do Contrato ou Rescisão -
A decisão por manter ou rescindir o contrato deve ser
tomada em vista dos princípios da finalidade, da
razoabilidade e da proporcionalidade, de modo a
observar o seguinte:
 Trata-se de melhor alternativa para a Adm;
 A manutenção do contrato é a solução menos
onerosa em relação a uma eventual rescisão contratual;
 A contratada possui condições para permanecer
executando o contrato (técnica e financeira).
301
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


• IN 05/2017

Art. 70. Os fiscais deverão elaborar relatório final


acerca das ocorrências da fase de execução do
contrato, após a conclusão da prestação do serviço,
para ser utilizado como fonte de informações para as
futuras contratações.

302
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos

• Qual a sua opinião...

É possível o estabelecimento de
garantia contratual (do objeto)? O
contratado pode ser alcançado após
a extinção do contrato?

303
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos

• Lei nº 8.666/93 – Art. 73

§ 2º O recebimento provisório ou definitivo não exclui a


responsabilidade civil pela solidez e segurança da obra
ou do serviço, nem ético-profissional pela perfeita
execução do contrato, dentro dos limites estabelecidos
pela lei ou pelo contrato.

304
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos

• Parâmetros para definição dos prazos de garantia


contratual (do objeto):
Código de Defesa do Consumidor e Mercado:

• Lei nº 8.666/93
Art. 15. As compras, sempre que possível, deverão:(...)
III - submeter-se às condições de aquisição e pagamento
semelhantes às do setor privado; 305
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos

• Lei nº 8.078/90 (Código de Defesa do Consumidor)

Art. 26. O direito de reclamar pelos vícios aparentes ou


de fácil constatação caduca em:
I - trinta dias, tratando-se de fornecimento de serviço e
de produtos não duráveis;
II - noventa dias, tratando-se de fornecimento de serviço
e de produtos duráveis.
306
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos


Contratos de empreitada de edifícios/outras construções
- Aplicação do Código Civil
• Código Civil
Art. 618. Nos contratos de empreitada de edifícios ou outras
construções consideráveis, o empreiteiro de materiais e execução
responderá, durante o prazo irredutível de cinco anos, pela
solidez e segurança do trabalho, assim em razão dos materiais,
como do solo.
Parágrafo único. Decairá do direito assegurado neste artigo o
dono da obra que não propuser a ação contra o empreiteiro, nos
cento e oitenta dias seguintes ao aparecimento do vício ou
defeito. 307
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos

• Orientação Normativa AGU nº 51, de 25 Abr 14.

A GARANTIA LEGAL OU CONTRATUAL DO OBJETO TEM


PRAZO DE VIGÊNCIA PRÓPRIO E DESVINCULADO
DAQUELE FIXADO NO CONTRATO, PERMITINDO
EVENTUAL APLICAÇÃO DE PENALIDADES EM CASO
DE DESCUMPRIMENTO DE ALGUMA DE SUAS
CONDIÇÕES, MESMO DEPOIS DE EXPIRADA A VIGÊNCIA
CONTRATUAL.
308
Gestão e Fiscalização de Contratos

Extinção dos Contratos

• Acórdão nº 2.502/2009 – TCU (Plenário)


Sumário
“a) O recebimento (provisório ou definitivo) não
elimina o dever de o particular responder pela
integridade da coisa. Mesmo que o vício se revele em
momento posterior ao recebimento (sendo impossível
sua detecção na ocasião), o particular deverá
responder por ele.”
309
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato;
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

310
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos

Instrução Normativa nº 05/2017 – SEGES/MP

Regras e diretrizes do procedimento de contratação de


serviços sob o regime de execução indireta no âmbito
da Administração Pública federal direta, autárquica e
fundacional.

Publicação: 25 MAI 17
Entrada em vigor: 23 SET 17
311
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


Instrução Normativa nº 05/2017 – SEGES/MP
Estrutura
CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS
CAPÍTULO II - DO PROCEDIMENTO DA CONTRATAÇÃO
CAPÍTULO III -DO PLANEJAMENTO DA CONTRATAÇÃO
CAPÍTULO IV - DA SELEÇÃO DO FORNECEDOR
CAPÍTULO V - DA GESTÃO DO CONTRATO
CAPÍTULO VI - DISPOSIÇÕES FINAIS
312
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


Instrução Normativa nº 05/2017 – SEGES/MP
Anexos
ANEXO I - DEFINIÇÕES
ANEXO II - DOCUMENTO DE FORMALIZAÇÃO DA DEMANDA
ANEXO III - DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DOS ESTUDOS PRELIMINARES
ANEXO IV - MODELO DE MAPA DE RISCOS
ANEXO V - DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PB OU TR
ANEXO VI - SERVIÇO DE VIGILÂNCIA, LIMPEZA E CONSERVAÇÃO
ANEXO VII - DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO ATO CONVOCATÓRIO
ANEXO VIII - DA FISCALIZAÇÃO TÉCNICA E ADMINISTRATIVA
ANEXO IX - DA VIGÊNCIA E DA PRORROGAÇÃO
ANEXO X - DA ALTERAÇÃO DOS CONTRATOS
ANEXO XI - DO PROCESSO DE PAGAMENTO
313
ANEXO XII - CONTA-DEPÓSITO VINCULADA ― BLOQUEADA PARA MOVIMENTAÇÃO
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


TERCEIRIZAÇÃO

TERCEIRIZAR significa entregar a terceiros, mediante


contrato, a execução de serviços que se destinam a
atender a certas necessidades do contratante/tomador.
No âmbito da Administração Pública, a terceirização,
nesse sentido, corresponderia à execução indireta lato
sensu, a que se refere o art. 10, II, da Lei 8.666/93.

314
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


• Decreto-lei nº 200/67
Art. 10. A execução das atividades da Administração Federal
deverá ser amplamente descentralizada.
§ 1º A descentralização será posta em prática em três planos
principais: (...)
c) da Administração Federal para a órbita privada, mediante
contratos ou concessões. (...)
§ 7º Para melhor desincumbir-se das tarefas de planejamento,
coordenação, supervisão e contrôle e com o objetivo de impedir
o crescimento desmesurado da máquina administrativa, a
Administração procurará desobrigar-se da realização material de
tarefas executivas, recorrendo, sempre que possível, à execução
indireta, mediante contrato, desde que exista, na área, iniciativa
privada suficientemente desenvolvida e capacitada a
desempenhar os encargos de execução. 315
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
 Caracterização da contratação como serviço continuado
(aquele cuja interrupção trará prejuízo à Administração);
 Classificação do serviço a ser contratado como sendo de
caráter auxiliar (não finalístico);
 Inexistência da categoria funcional no quadro funcional
do órgão;
 Contratação de prestação de serviços (não é contratação
de mão de obra), permitindo a inclusão de fornecimento de
mão-de-obra, materiais e equipamentos;
 Inexistência de necessidade de subordinação e pessoa-
lidade entre o trabalhador (terceirizado) e a Adm. 316
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• IN 05/2017

Art. 4º A prestação de serviços de que trata esta Instrução


Normativa não gera vínculo empregatício entre os empregados da
contratada e a Administração, vedando-se qualquer relação entre
estes que caracterize pessoalidade e subordinação direta.
Art. 5º É vedado à Administração ou aos seus servidores praticar
atos de ingerência na administração da contratada, a exemplo de:
I - possibilitar ou dar causa a atos de subordinação, vinculação
hierárquica, prestação de contas, aplicação de sanção e supervisão
direta sobre os empregados da contratada; 317
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• IN 05/2017 – Art. 5º
II - exercer o poder de mando sobre os empregados da contratada,
devendo reportar-se somente aos prepostos ou responsáveis por
ela indicados, exceto quando o objeto da contratação previr a
notificação direta para a execução das tarefas previamente
descritas no contrato de prestação de serviços para a função
específica, tais como nos serviços de recepção, apoio
administrativo ou ao usuário;
III - direcionar a contratação de pessoas para trabalhar nas
empresas contratadas;
IV - promover ou aceitar o desvio de funções dos trabalhadores da
contratada, mediante a utilização destes em atividades distintas
daquelas previstas no objeto da contratação e em relação à função
específica para a qual o trabalhador foi contratado; 318
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• IN 05/2017 – Art. 5º
V - considerar os trabalhadores da contratada como colaboradores
eventuais do próprio órgão ou entidade responsável pela
contratação, especialmente para efeito de concessão de diárias e
passagens;
VI - definir o valor da remuneração dos trabalhadores da empresa
contratada para prestar os serviços, salvo nos casos específicos em
que se necessitam de profissionais com habilitação/experiência
superior a daqueles que, no mercado, são remunerados pelo piso
salarial da categoria, desde que justificadamente; e
VII - conceder aos trabalhadores da contratada direitos típicos de
servidores públicos, tais como recesso, ponto facultativo, dentre
outros. 319
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• Acórdão nº 3.006/2010 – TCU (Plenário)
Representação oferecida ao TCU apontou possíveis
irregularidades no Pregão Eletrônico n.º 076/2006, promovido
pelo XXX, cujo objeto era a contratação de empresa prestadora de
serviços de tratamento de acervos arquivísticos – microfilma-gem,
acondicionamento e arquivamento. De acordo (...), o órgão
estabelecera, no edital, a previsão do pagamento de 2,7 salários
de referência para a função de Técnico de Microfilmagem, bem
como de 5,0 salários para a de Arquivista, “em desacordo com o
art. 40, inciso X, da Lei nº 8.666/93, que veda a fixação de preços
mínimos como critério de aceitabilidade dos preços unitários e
global nas licitações públicas”. 320
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• Acórdão nº 3.006/2010 – TCU (Plenário) - cont.
Destacou, ainda, que o TCU, por meio do Acórdão n.º 614/2008-
Plenário, firmara o entendimento de que, “para modelos de
execução indireta de serviços, inclusive os baseados na alocação
de postos de trabalho, se a categoria profissional requerida se
encontra amparada por convenção coletiva de trabalho, ou outra
norma coletiva aplicável a toda a categoria, determinando o
respectivo valor salarial mínimo, esse pacto laboral deve ser
rigorosamente observado nas licitações efetivadas pela
Administração Pública e nas contratações delas decorrentes”.
321
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• Acórdão nº 3.006/2010 – TCU (Plenário) - cont.
Ao se manifestar nos autos, o titular da unidade técnica ressaltou
que, embora o referido acórdão aponte no sentido da
impossibilidade de tal previsão, o próprio Tribunal decidiu,
posteriormente, por intermédio do Acórdão n.º 1122/2008-
Plenário, que essa regra admite exceção, desde que
devidamente justificada. Segundo o titular da unidade instrutiva,
há situações em que se necessita de profissionais com
habilitação/experiência superior à daqueles que, no mercado, são
remunerados pelo piso salarial da categoria. A utilização do piso
como referência, nessas situações, “acaba por gerar para a
Administração, em vez de economia, problemas operacionais, em
função da alocação de profissionais despreparados ou não
capacitados e da rotatividade de mão de obra”. 322
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• Acórdão nº 3.006/2010 – TCU (Plenário) - cont.
Para ele, poderia haver justificativa para o ato, porém tal não
constou do processo licitatório, o que “caracteriza falha,
independente das necessidades existentes e da aceitação ou não
das justificativas posteriormente apresentadas”. Em consequên-
cia, propôs a expedição de alerta ao órgão quanto à “previsão de
pagamento de salários superiores aos fixados pela Convenção
Coletiva de Trabalho da Categoria, sem a formalização, no
processo licitatório, da devida fundamentação, em descumpri-
mento ao art. 40, inciso X, da Lei n.º 8.666/93, e entendimento
deste Tribunal firmado pelo Acórdão TCU n.º 1.122/2008-
Plenário”. Em seu voto, o relator considerou adequado o
encaminhamento proposto, no que foi acompanhado pelos
demais ministros. 323
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• IN 05/2017
Art. 9º Não serão objeto de execução indireta na Administração
Pública federal direta, autárquica e fundacional:
I - atividades que envolvam a tomada de decisão ou
posicionamento institucional nas áreas de planejamento,
coordenação, supervisão e controle;
II - as atividades consideradas estratégicas para o órgão ou
entidade, cuja terceirização possa colocar em risco o controle de
processos e de conhecimentos e tecnologias;
III - as funções relacionadas ao poder de polícia, de regulação, de
outorga de serviços públicos e de aplicação de sanção; e
324
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• IN 05/2017 – Art. 9º
IV - as atividades inerentes às categorias funcionais abrangidas
pelo plano de cargos do órgão ou entidade, salvo expressa
disposição legal em contrário ou quando se tratar de cargo extinto,
total ou parcialmente, no âmbito do quadro geral de pessoal.
Parágrafo único. As atividades auxiliares, instrumentais ou
acessórias às funções e atividades definidas nos incisos do caput
podem ser executadas de forma indireta, sendo vedada a
transferência de responsabilidade para realização de atos
administrativos ou a tomada de decisão para o contratado.
Terceirização não pode ser instrumento de
burla a concurso público. 325
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -
• IN 05/2017
Art. 15. Os serviços prestados de forma contínua são aqueles
que, pela sua essencialidade, visam atender à necessidade
pública de forma permanente e contínua, por mais de um
exercício financeiro, assegurando a integridade do
patrimônio público ou o funcionamento das atividades
finalísticas do órgão ou entidade, de modo que sua
interrupção possa comprometer a prestação de um serviço
público ou o cumprimento da missão institucional.

326
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Pressupostos -

• Decisão nº 1.136/2002 – TCU (Plenário)


Deve ser observado atentamente o inciso II do art. 57 da
Lei nº 8.666/1993, ao firmar e prorrogar contratos, de
forma a somente enquadrar como serviços contínuos
contratos cujos objetos correspondam a obrigações de
fazer e a necessidades permanentes.

327
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-
• IN 05/2017
Art. 17. Os serviços com regime de dedicação exclusiva de mão de
obra são aqueles em que o modelo de execução contratual exija,
dentre outros requisitos, que:
I - os empregados da contratada fiquem à disposição nas
dependências da contratante para a prestação dos serviços;
II - a contratada não compartilhe os recursos humanos e materiais
disponíveis de uma contratação para execução simultânea de
outros contratos; e
III - a contratada possibilite a fiscalização pela contratante quanto
à distribuição, controle e supervisão dos recursos humanos
alocados aos seus contratos.
328
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-

• IN 05/2017 – Art. 17
Parágrafo único. Os serviços de que trata o caput poderão ser
prestados fora das dependências do órgão ou entidade,
desde que não seja nas dependências da contratada e
presentes os requisitos dos incisos II e III.

329
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-

• Qual a sua opinião...

Qual a importância da fiscalização


de contratos de serviços com
dedicação exclusiva de mão-de-obra?

330
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-
• Lei nº 8.666/93
Art. 71. O contratado é responsável pelos encargos trabalhistas,
previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução do
contrato.
§ 1o A inadimplência do contratado, com referência aos encargos
trabalhistas, fiscais e comerciais não transfere à Administração
Pública a responsabilidade por seu pagamento, nem poderá
onerar o objeto do contrato ou restringir a regularização e o uso
das obras e edificações, inclusive perante o Registro de Imóveis.
§ 2o A Administração Pública responde solidariamente com o
contratado pelos encargos previdenciários resultantes da
execução do contrato, nos termos do art. 31 da Lei nº 8.212, de 24
de julho de 1991. 331
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-
SÚMULA 331 TST - CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS
“IV - O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do
empregador, implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos
serviços quanto àquelas obrigações, desde que haja participado da
relação processual e conste também do título executivo judicial.
V - Os entes integrantes da Administração Pública direta e indireta
respondem subsidiariamente, nas mesmas condições do item IV, caso
evidenciada a sua conduta culposa no cumprimento das obrigações da
Lei n.º 8.666, de 21.06.1993, especialmente na fiscalização do
cumprimento das obrigações contratuais e legais da prestadora de
serviço como empregadora. A aludida responsabilidade não decorre de
mero inadimplemento das obrigações trabalhistas assumidas pela
empresa regularmente contratada.
VI – A responsabilidade subsidiária do tomador de serviços abrange
todas as verbas decorrentes da condenação referentes ao 332
período da prestação laboral.”
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-

Para as contratações de serviços com regime de


dedicação exclusiva de mão de obra, o procedimento
sobre Gerenciamento de Riscos obrigatoriamente
contemplará o risco de descumprimento das obrigações
trabalhistas, previdenciárias e com FGTS da contratada.

(Art. 18 da IN 05/2017)

333
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Regime de dedicação exclusiva de mão de obra-
• Acórdão nº 5.652/2013 – TCU (1ª Câmara)
Os contratos de prestação de serviços devem ser
fiscalizados, em especial no que diz respeito à regularidade
fiscal e à obrigatoriedade de a contratada arcar com todas
as despesas decorrentes das obrigações trabalhistas
relativas a seus empregados, devendo constar, ainda, dos
respectivos processos de pagamento, os comprovantes de
recolhimento dos correspondentes encargos sociais (INSS e
FGTS), de modo a evitar a responsabilização subsidiária
dos entes públicos.
334
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017
Art. 20. O Planejamento da Contratação, para cada serviço a
ser contratado, consistirá nas seguintes etapas:
I - Estudos Preliminares;
II - Gerenciamento de Riscos; e
III - Termo de Referência ou Projeto Básico.
Esta etapa se inicia com a elaboração do documento para
formalização da demanda pelo setor requisitante do serviço
que será encaminhado ao setor de licitações do órgão e
consequente designação da equipe de planejamento da
contratação. (art. 21) 335
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017
Art. 24. Com base no documento que formaliza a demanda, a
equipe de Planejamento da Contratação deve realizar os Estudos
Preliminares, conforme as diretrizes constantes do Anexo III.
§ 1º O documento que materializa os Estudos Preliminares deve
conter, quando couber, o seguinte conteúdo:
I - necessidade da contratação;
II - referência a outros instrumentos de planejamento do órgão ou
entidade, se houver;
III - requisitos da contratação;
336
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017 - Art. 24 (cont.)
IV - estimativa das quantidades, acompanhadas das memórias de
cálculo e dos documentos que lhe dão suporte;
V - levantamento de mercado e justificativa da escolha do tipo de
solução a contratar;
VI - estimativas de preços ou preços referenciais; (Ver Acórdão nº
9.080 – TCU/1ª C)
VII - descrição da solução como um todo;
VIII - justificativas para o parcelamento ou não da solução quando
necessária para individualização do objeto;
337
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017 - Art. 24 (cont.)
IX - demonstrativo dos resultados pretendidos em termos de
economicidade e de melhor aproveitamento dos recursos
humanos, materiais ou financeiros disponíveis;
X - providências para adequação do ambiente do órgão;
XI - contratações correlatas e/ou interdependentes; e
XII - declaração da viabilidade ou não da contratação.
§ 2º Os Estudos Preliminares devem obrigatoriamente conter o
disposto nos incisos I, IV, VI, VIII e XII do parágrafo anterior.
 Justificar os itens não contemplados (§ 3º) 338
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• Acórdão nº 9.080 – TCU (1ª Câmara)
9.2.4. realize pesquisa de preços com base em padronização do
processo de estimativa, de forma a conferir confiabilidade e
representatividade para aferição dos preços correntes de mercado, (...),
de acordo com o Acórdão 1.878/2015-TCU-2ª Câmara, atentando para
os seguintes aspectos calcados na jurisprudência do TCU:
9.2.4.1. identificação da fonte de informação e do agente responsável
pela elaboração da pesquisa (Acórdão 2.451/2013-TCU/Plenário);
9.2.4.2. identificação do servidor responsável pela cotação (Acórdão
909/2007-TCU/1ª Câmara);
9.2.4.3. empresas pesquisadas devem ser do ramo pertinente (Acórdão
1.782/2010-TCU-Plenário);
339
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• Acórdão nº 9.080 – TCU (1ª Câmara) – cont.
9.2.4.4. empresas pesquisadas não podem ser vinculadas entre si
(Acórdão 4.561/2010-TCU-1ª C);
9.2.4.5. caracterização completa das fontes consultadas (Acórdão
3.889/2009-TCU-1ª C);
9.2.4.6. indicação fundamentada e detalhada das referências utilizadas
(Acórdão 1.330/2008-TCU-Plenário);
9.2.4.7. metodologia utilizada e conclusões obtidas (Nota Técnica
AGU/PGF/UFSC 376/2013);
9.2.4.8. data e local de expedição (Acórdão 3.889/2009- TCU-1ª C);
9.2.4.9. as informações devem constar do processo da pesquisa, em
especial, as memórias de cálculo e fontes de consulta pesquisadas
(Acórdão 1.091/2007-TCU-Plenário); 340
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação-
Anexo III
Diretrizes para Elaboração dos Estudos Preliminares

1. As contratações devem ser precedidas de Estudos


Preliminares para análise da sua viabilidade e o
levantamento dos elementos essenciais que servirão para
compor Termo de Referência ou Projeto Básico, de forma
que melhor atenda às necessidades da Administração.

341
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação-
Anexo III
Diretrizes para Elaboração dos Estudos Preliminares
2. São diretrizes gerais para a elaboração dos Estudos
Preliminares:
a) Listar e examinar os normativos que disciplinam os serviços a
serem contratados, de acordo com a sua natureza;
b) Analisar a contratação anterior, ou a série histórica, se houver,
para identificar as inconsistências ocorridas nas fases do
Planejamento da Contratação, Seleção do Fornecedor e Gestão do
Contrato, com a finalidade de prevenir a ocorrência dessas nos
ulteriores Termos de Referência ou Projetos Básicos; 342
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação-
Anexo III
Diretrizes para Elaboração dos Estudos Preliminares
2. São diretrizes gerais para a elaboração dos Estudos
Preliminares: (cont.)

c) Ao final da elaboração dos Estudos Preliminares, avaliar a


necessidade de classificá-los nos termos da Lei nº 12.527, de 18
de novembro de 2011.

Lei de Acesso à Informação


343
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação-
Anexo III
Diretrizes para Elaboração dos Estudos Preliminares

3. São diretrizes específicas a cada elemento dos Estudos


Preliminares as seguintes: (atende o art. 24)

4. Sempre que for possível, identificar os servidores que


participarão da fiscalização do contrato, os quais poderão ser
convidados a participar do Planejamento da Contratação.
344
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017
Art. 25. O Gerenciamento de Riscos é um processo que consiste
nas seguintes atividades:
I - identificação dos principais riscos que possam comprometer a
efetividade do Planejamento da Contratação, da Seleção do
Fornecedor e da Gestão Contratual ou que impeçam o alcance dos
resultados que atendam às necessidades da contratação;
II - avaliação dos riscos identificados, consistindo da mensuração
da probabilidade de ocorrência e do impacto de cada risco;

345
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017 – Art. 25 (cont.)
III - tratamento dos riscos considerados inaceitáveis por meio da
definição das ações para reduzir a probabilidade de ocorrência
dos eventos ou suas consequências;
IV - para os riscos que persistirem inaceitáveis após o tratamento,
definição das ações de contingência para o caso de os eventos
correspondentes aos riscos se concretizarem; e
V - definição dos responsáveis pelas ações de tratamento dos
riscos e das ações de contingência.
 O gerenciamento dos riscos compete à equipe de planejamento
da contratação (§ único). 346
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -

Ação Preventiva

CONTROLES

Ação de Contingência

347
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017
Art. 26. O Gerenciamento de Riscos materializa-se no documento
Mapa de Riscos.
§ 1º O Mapa de Riscos deve ser atualizado e juntado aos autos do
processo de contratação, pelo menos:
I - ao final da elaboração dos Estudos Preliminares;
II - ao final da elaboração do TR ou PB;
III - após a fase de Seleção do Fornecedor; e
IV - após eventos relevantes, durante a gestão do contrato pelos
servidores responsáveis pela fiscalização.
 Pode-se utilizar o modelo constante do Anexo IV. (§ 2º) 348
Gestão e Fiscalização de Contratos

ANEXO IV

MODELO DE
MAPA DE RISCOS

349
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017
Art. 30. O Termo de Referência ou Projeto Básico deve conter, no
mínimo, o seguinte conteúdo:
I - declaração do objeto;
II - fundamentação da contratação;
III - descrição da solução como um todo;
IV - requisitos da contratação;
V - modelo de execução do objeto;
VI - modelo de gestão do contrato;
VII - critérios de medição e pagamento; 350
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• IN 05/2017 – Art. 30 (cont.)
VIII - forma de seleção do fornecedor;
IX - critérios de seleção do fornecedor;
X - estimativas detalhadas dos preços, com ampla pesquisa de
mercado nos termos da Instrução Normativa nº 5/2014; e
XI - adequação orçamentária.
 O PB ou TR deverá ser elaborado a partir dos Estudos
Preliminares, do Gerenciamento de Risco e conforme as diretrizes
constantes do Anexo V (art. 28)
 Devem ser utilizados os modelos de minutas padronizados de
TR e PB da AGU (art. 29) 351
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

2. São diretrizes específicas a cada elemento do Termo de


Referência ou Projeto Básico: (...)
2.6. Modelo de gestão do contrato e critérios de medição e
pagamento:
a) Definir os atores que participarão da gestão do contrato;
b) Definir os mecanismos de comunicação a serem
estabelecidos entre o órgão ou entidade e a prestadora de
serviços; 352
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

c) Atentar que, no caso de serviços que devam ser


implementados por etapas ou no caso de serviço prestado
com regime de mão de obra exclusiva, os quais necessitem
de alocação gradativa de pessoal, os pagamentos à
contratada devem ser realizados em conformidade com
esses critérios;

353
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
d) Definir a forma de aferição/medição do serviço para efeito
de pagamento com base no resultado, conforme as seguintes
diretrizes, no que couber:
d.1. estabelecer a unidade de medida adequada para o tipo
de serviço a ser contratado, de forma que permita a
mensuração dos resultados para o pagamento da contratada
e elimine a possibilidade de remunerar as empresas com
base na quantidade de horas de serviço ou por postos de
trabalho, observando que:
354
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
d.1.1. excepcionalmente poderá ser adotado critério de
remuneração da contratada por quantidade de horas de serviço,
devendo ser definido o método de cálculo para quantidade,
qualificação da mão de obra e tipos de serviços sob demanda,
bem como para manutenção preventiva, se for o caso;
d.1.2. excepcionalmente poderá ser adotado critério de
remuneração da contratada por postos de trabalho, devendo ser
definido o método de cálculo para quantidades e tipos de postos
necessários à contratação; 355
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

d.1.3. na adoção da unidade de medida por postos de trabalho ou


horas de serviço, admite-se a flexibilização da execução da
atividade ao longo do horário de expediente, vedando-se a
realização de horas extras ou pagamento de adicionais não
previstos nem estimados originariamente no ato convocatório.

356
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

d.2. estabelecer a produtividade de referência ou os critérios de


adequação do serviço à qualidade esperada, de acordo com a
unidade de medida adotada para a execução do objeto, sendo
expressa pelo quantitativo físico do serviço ou por outros
mecanismos capazes de aferir a qualidade, seguindo-se, entre
outros, os parâmetros indicados nos Cadernos de Logística;

357
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

d.3. identificar os indicadores mínimos de desempenho para


aferição da qualidade esperada da prestação dos serviços, com
base nas seguintes diretrizes:
d.3.1. considerar as atividades mais relevantes ou críticas que
impliquem na qualidade da prestação dos serviços e nos
resultados esperados;
d.3.2. prever fatores que estejam fora do controle do prestador e
que possam interferir no atendimento das metas;
358
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
d.3.3. os indicadores deverão ser objetivamente mensuráveis e
compreensíveis, de preferência facilmente coletáveis, relevantes e
adequados à natureza e características do serviço;
d.3.4. evitar indicadores complexos ou sobrepostos.
d.4. descrever detalhadamente, de acordo com o previsto na
subalínea “d.3” acima, os indicadores mínimos de desempenho
esperados, em relação à natureza do serviço, com a finalidade de
adequar o pagamento à conformidade dos serviços prestados e
dos resultados efetivamente obtidos, devendo conter, dentre
outros requisitos: 359
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

d.4.1. indicadores e metas estipulados de forma sistemática, de


modo que possam contribuir cumulativamente para o resultado
global do serviço e não interfiram negativamente uns nos outros;
d.4.2. indicadores que reflitam fatores que estão sob controle do
prestador do serviço;
d.4.3. metas realistas e definidas com base em uma comparação
apropriada;

360
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
d.4.4. previsão de nível de desconformidade dos serviços que,
além do redimensionamento dos pagamentos, ensejará
penalidades à contratada e/ou a rescisão unilateral do contrato;
d.4.5. registros, controles e informações que deverão ser
prestados pela contratada, se for o caso;
d.4.6. previsão de que os pagamentos deverão ser proporcionais
ao atendimento das metas estabelecidas no ato convocatório,
observando-se o seguinte:
361
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
1. as adequações nos pagamentos estarão limitadas a uma faixa
específica de tolerância, abaixo da qual o fornecedor se sujeitará ao
redimensionamento no pagamento e às sanções legais, se for o
caso;
2. na determinação da faixa de tolerância de que trata a alínea
anterior, considerar-se-á a importância da atividade, com menor ou
nenhuma margem de tolerância para as atividades consideradas
relevantes ou críticas; e
362
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
3. o não atendimento das metas, por ínfima ou pequena diferença,
em indicadores não relevantes ou críticos, a critério do órgão ou
entidade, poderá ser objeto apenas de notificação nas primeiras
ocorrências, de modo a não comprometer a continuidade da
contratação.
d.5. O Instrumento de Medição do Resultado (IMR) ou seu
substituto, quando utilizado, deve ocorrer, preferencialmente, por
meio de ferramentas informatizadas para verificação do resultado,
quanto à qualidade e quantidade pactuadas; 363
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
e) Definir os demais mecanismos de controle que serão utilizados
para fiscalizar a prestação dos serviços, adequados à natureza dos
serviços, quando couber;
f) Definir o método de avaliação da conformidade dos produtos e
dos serviços entregues com relação às especificações técnicas e
com a proposta da contratada, com vistas ao recebimento
provisório;

364
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
g) Definir o método de avaliação da conformidade dos produtos e
dos serviços entregues com relação aos termos contratuais e com a
proposta da contratada, com vistas ao recebimento definitivo;
h) Definir o procedimento de verificação do cumprimento da
obrigação da contratada de manter todas as condições nas quais o
contrato foi assinado durante todo o seu período de execução;
i) Definir uma lista de verificação para os aceites provisório e
definitivo, a serem usadas durante a fiscalização do contrato, se for
o caso; 365
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
j) Definir as sanções, glosas e condições para rescisão contratual,
devidamente justificadas e os respectivos procedimentos para
aplicação, utilizando como referencial os modelos de minutas
padronizados de atos convocatórios e contratos da Advocacia-Geral
da União, bem como às seguintes diretrizes:
j.1. relacionar as sanções previstas nas Leis no 8.666, de 1993, e no
10.520, de 2002, conforme o caso, às obrigações da contratada
estabelecidas no modelo de execução do objeto;
366
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
j.2. definir o rigor das sanções de que trata o subitem j.1, de modo
que sejam proporcionais ao prejuízo causado pela
desconformidade;
j.3. No caso de multa:
j.3.1. definir o cálculo da multa por atraso (injustificado) para início
ou atraso durante a execução da prestação dos serviços;
j.3.2. definir a forma de cálculo da multa de modo que seja o mais
simples possível;
367
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB
j.3. No caso de multa: (cont.)
j.3.3. definir as providências a serem realizadas no caso de multas
reincidentes e cumulativas, a exemplo de rescisão contratual;
j.3.4. definir o processo de aferição do nível de desconformidade
dos serviços que leva à multa;
j.4. definir as condições para aplicações de glosas, bem como as
respectivas formas de cálculo.

368
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo V
Diretrizes para Elaboração do TR ou PB

k) Definir as garantias de execução contratual, quando necessário.


k.1. No caso de serviços com regime de dedicação exclusiva de mão
de obra, avaliar a inclusão de exigências de que a garantia possua
previsão de cobertura para o pagamento de encargos trabalhistas e
previdenciários não quitados pela contratada.

369
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
• Acórdão nº 265/2010 – TCU (Plenário)
9.1.6. abstenha-se de contratar por postos de trabalho,
evitando a mera alocação de mão de obra e o pagamento
por hora trabalhada ou por posto de serviço, dando
preferência ao modelo de contratação de execução
indireta de serviço baseado na prestação e na
remuneração de serviços mensuradas por resultados
sempre que a prestação do serviço puder ser avaliada por
determinada unidade quantitativa de serviço prestado ou
por nível de serviço alcançado, em obediência ao Decreto
2.271/97, art. 3º, § 1º;”
370
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -

• IN 05/2017

Art. 32. Para a contratação dos serviços de vigilância e


de limpeza e conservação, além do disciplinado neste
capítulo, deverão ser observadas as regras previstas no
Anexo VI.

371
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância

1. Deverá constar do Projeto Básico ou Termo de Referência


para a contratação de serviços de vigilância:
a) a justificativa do número e das características dos Postos
de Serviço a serem contratados; e
b) os quantitativos dos diferentes tipos de Posto de
Vigilância, que serão contratados por Preço Mensal do Posto.

372
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância

2. O Posto de Vigilância adotará preferencialmente uma das


seguintes escalas de trabalho:
a) 44 (quarenta e quatro) horas semanais diurnas, de
segunda a sexta-feira, envolvendo 1 (um) vigilante;
b) 12 (doze) horas diurnas, de segunda-feira a domingo,
envolvendo 2 (dois) vigilantes em turnos de 12 (doze) x 36
(trinta e seis) horas;
373
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância
c) 12 (doze) horas noturnas, de segunda-feira a domingo,
envolvendo 2 (dois) vigilantes em turnos de 12 (doze) x 36
(trinta e seis) horas;
d) 12 (doze) horas diurnas, de segunda-feira a sexta-feira,
envolvendo 2 (dois) vigilantes em turnos de 12 (doze) x 36
(trinta e seis) horas; ou
e) 12 (doze) horas noturnas, de segunda-feira a sexta-feira,
envolvendo 2 (dois) vigilantes em turnos de 12 (doze) x 36
(trinta e seis) horas.
374
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância
3. Excepcionalmente, desde que devidamente
fundamentado e comprovada a vantagem econômica
para a Administração, poderão ser caracterizados outros
tipos de postos, considerando os Acordos, Convenções
ou Dissídios Coletivos de Trabalho da categoria.

375
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância
6. Nos casos dispostos no item 2 acima, será adotada a
relação de um supervisor para cada quarenta vigilantes,
ou fração, podendo ser reduzida, a depender da
especificidade da contratação.

376
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância

7. O Caderno de Logística conterá as


especificações exemplificativas para a
contratação de serviços de vigilância,
devendo ser adaptadas às especificidades
da demanda de cada órgão ou entidade
contratante.

https://www.comprasgovernamentais.gov.br/images/conteudo/ArquivosCGNOR/servicos_vigilancia.pdf
377
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância
9. É permitida a licitação:
a) para a contratação de serviços de instalação, manutenção ou
aluguel de equipamentos de vigilância eletrônica em conjunto
com serviços contínuos de vigilância armada/desarmada ou de
monitoramento eletrônico, sendo vedada a comercialização
autônoma de equipamentos de segurança eletrônica, sem a
prestação do sv de monitoramento correspondente; e
b) para a contratação de serviço de brigada de incêndio em
conjunto com serviços de vigilância.
378
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – A
Serviço de Vigilância
9.1. Os serviços de instalação e manutenção de circuito fechado
de TV ou de quaisquer outros meios de vigilância eletrônica são
serviços de engenharia, para os quais devem ser contratadas
empresas que estejam registradas no CREA e que possuam
profissional qualificado em seu corpo técnico (engenheiro),
detentor de atestados técnicos compatíveis com o serviço a ser
executado.

379
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação

1. Deverão constar do Projeto Básico na contratação de


serviços de limpeza e conservação, além dos demais
requisitos dispostos nesta Instrução Normativa:
a) áreas internas, áreas externas, esquadrias externas,
fachadas envidraçadas e áreas hospitalares e assemelhadas,
classificadas segundo as características dos serviços a serem
executados, periodicidade, turnos e jornada de trabalho
necessários etc; 380
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
b) produtividade mínima a ser considerada para cada
categoria profissional envolvida, expressa em termos de área
física por jornada de trabalho ou relação de serventes por
encarregado;
c) exigências de sustentabilidade ambiental na execução do
serviço, conforme o disposto no Caderno de Logística; e
d) faixa referencial de produtividade, delimitando o intervalo
no qual será dispensada a necessidade de comprovação de
exequibilidade.
381
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
2. Os serviços serão contratados com base na área física a ser
limpa, estabelecendo-se uma estimativa do custo por metro
quadrado, observadas a peculiaridade, a produtividade, a
periodicidade e a frequência de cada tipo de serviço e das
condições do local objeto da contratação.

382
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
2.1. Os órgãos e entidades deverão utilizar as experiências e
os parâmetros aferidos e resultantes de seus contratos
anteriores para definir as produtividades da mão de obra, em
face das características das áreas a serem limpas, buscando
sempre fatores econômicos favoráveis à Administração
Pública.

383
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
3. Nas condições usuais serão adotados índices de
produtividade por servente em jornada de oito horas diárias,
de acordo com os seguintes parâmetros:
3.1. Áreas Internas:
a) Pisos acarpetados: 800 m2 a 1200 m2;
b) Pisos frios: 800 m2 a 1200 m2;
c) Laboratórios: 360 m2 a 450 m2;
d) Almoxarifados/galpões: 1500 m2 a 2500 m2;
e) Oficinas: 1200 m2 a 1800 m2;
384
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
3.1. Áreas Internas: (cont.)
f) Áreas com espaços livres - saguão, hall e salão: 1000 m2 a
1500 m2; e
g) Banheiros: 200 m2 a 300 m2.
3.2. Áreas Externas:
a) Pisos pavimentados adjacentes/contíguos às edificações:
1800 m2 a 2700 m2 ;
b) Varrição de passeios e arruamentos: 6000 m2 a 9000 m2;
385
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
3.2. Áreas Externas: (cont.)
c) Pátios e áreas verdes c/ alta freq.: 1800 m2 a 2700 m2;
d) Pátios e áreas verdes c/ média freq.: 1800 m2 a 2700 m2;
e) Pátios e áreas verdes c/ baixa freq.: 1800 m2 a 2700 m2; e
f) coleta de detritos em pátios e áreas verdes com frequência
diária: 100.000 m2 .

386
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
3.3. Esquadrias Externas:
a) face externa c/ exposição a sit. de risco: 130 m2 a 160 m2;
b) face externa s/ exposição a sit. de risco: 300 m2 a 380 m2; e
c) face interna: 300 m2 a 380 m2.
3.4. Fachadas Envidraçadas: 130 m2 a 160 m2, observada a
periodicidade prevista no Projeto Básico; e
3.5. Áreas Hospitalares e assemelhadas: 360 m2 a 450 m2.
387
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Planejamento da Contratação -
Anexo VI – B
Serviço de Limpeza e Conservação
10. O caderno de Logística conterá
metodologia de referência para a
contratação de serviços de limpeza e
conservação, compatíveis com a
produtividade de referência estabelecida
neste anexo, podendo ser adaptadas às
especificidades da demanda de cada órgão
ou entidade contratante.
https://www.comprasgovernamentais.gov.br/images/conteudo/ArquivosCGNOR/servicos_limpeza.pdf 388
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
• IN 05/2017
Art. 33. A fase de Seleção do Fornecedor inicia-se com o
encaminhamento do Termo de Referência ou Projeto
Básico ao setor de licitações e encerra-se com a
publicação do resultado de julgamento após adjudicação
e homologação.
Art. 35. Devem ser utilizados os modelos de minutas
padronizados de atos convocatórios e contratos da AGU,
observado o disposto no Anexo VII (...) 389
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -

ANEXO VII DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO ATO CONVOCATÓRIO


ANEXO VII-A DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DO ATO CONVOCATÓRIO
ANEXO VII-B DIRETRIZES ESPECÍFICAS PARA ELABORAÇÃO DO ATO CONVOCATÓRIO
ANEXO VII-C MODELO DE PROPOSTA
ANEXO VII-D MODELO DE PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS
MODELO DE DECLARAÇÃO DE CONTRATOS FIRMADOS COM A
ANEXO VII-E
INICIATIVA PRIVADA E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
ANEXO VII-F MODELO DE MINUTA DE CONTRATO
ANEXO VII-G DA FORMALIZAÇÃO E PUBLICAÇÃO DO CONTRATO

390
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

6. Da proposta:
(...)
6.3. Quando se tratar de serviços com fornecimento de mão de
obra exclusiva, o modelo de planilha de custos e formação de
preços, Anexo VII-D, constituirá anexo do ato convocatório e
deverá ser preenchido pelos proponentes para análise da
exequibilidade prevista do subitem 7.6. deste Anexo;
391
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

7. Da aceitabilidade da proposta vencedora:


(...)
7.6. A análise da exequibilidade da proposta de preços nos
serviços continuados com dedicação exclusiva da mão de obra
deverá ser realizada com o auxílio da planilha de custos e
formação de preços, a ser preenchida pelo licitante em relação à
sua proposta final;
392
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
• Orientação Normativa SLTI Nº 4, de 30 Set 14.
Art. 1º. O instrumento convocatório deverá prever que a licitante
classificada em primeiro lugar, na fase de lances, apresente planilha
que demonstre a compatibilidade dos custos para a execução do
serviço.
I – a planilha de custos será entregue e analisada, no momento da
aceitação do lance vencedor, em que poderá ser ajustada, se
possível, para refletir corretamente os custos envolvidos na
contratação, desde que não haja majoração da proposta.

393
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -

• Orientação Normativa SLTI Nº 4, de 30 Set 14.

II – quando da análise da planilha de custos, se houver indícios de


inexequibilidade, a Administração deverá efetuar diligência, solici-
tando que a licitante comprove a exequibilidade da proposta.
III – consideram-se preços inexequíveis aqueles que, comprovada-
mente, sejam insuficientes para a cobertura dos custos decorrentes da
contratação.
IV – caso o licitante não comprove a exequibilidade da proposta, esta
será desclassificada.
394
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS
Natureza:
 Informal – É um documento que subsidia a Administração
com informações sobre a composição do preço a ser
contratado.
Objetivos:
 Permitir à Administração conhecer a composição do preço
do licitante, de modo a facilitar a identificação dos preços
inexequíveis;
 Auxiliar no processo de repactuação, permitindo a
discussão dos itens; e
 Facilitar a glosa dos serviços não executados. 395
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
PLANILHA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS
Características:
 Obrigatória para serviços com dedicação exclusiva de mão
de obra, para determinar o preço final;
 A planilha é flexível. Deve ser adaptada às necessidades do
órgão contratante e às especificidades do serviço;
 Serve como parâmetro para verificação da exequibilidade
da proposta;
 Erros na planilha não devem ser motivo de desclassificação
da proposta;
 A administração não pode interferir na elaboração da
planilha por parte do licitante. 396
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
10. Da habilitação
(...)
10.6. Na contratação de serviço continuado, para efeito de
qualificação técnico-operacional, a Administração Pública poderá
exigir do licitante:
a) declaração de que o licitante possui ou instalará escritório em
local (cidade/município) previamente definido pela Adm, a ser
comprovado no prazo máximo de 60 (sessenta) dias contado a
partir da vigência do contrato; 397
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

b) comprovação que já executou objeto compatível, em prazo,


com o que está sendo licitado, mediante a comprovação de
experiência mínima de três anos na execução de objeto
semelhante ao da contratação, podendo ser aceito o somatório de
atestados;

398
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
c) no caso de contratação de serviços por postos de trabalho:
c.1. quando o número de postos de trabalho a ser contratado for
superior a 40 (quarenta) postos, o licitante deverá comprovar que
tenha executado contrato(s) com um mínimo de 50% (cinquenta
por cento) do número de postos de trabalho a serem contratados;
c.2. quando o número de postos de trabalho a ser contratado for
igual ou inferior a 40 (quarenta), o licitante deverá comprovar que
tenha executado contrato(s) em número de postos equivalentes
ao da contratação. 399
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
10.6.1. É admitida a apresentação de atestados referentes a
períodos sucessivos não contínuos, para fins da comprovação de
que trata a alínea "b" do subitem 10.6 acima, não havendo
obrigatoriedade de os três anos serem ininterruptos.
10.7. No caso de contratação de serviços por postos de trabalho
(alínea “c” do subitem 10.6), será aceito o somatório de atestados
que comprovem que o licitante gerencia ou gerenciou serviços de
terceirização compatíveis com o objeto licitado por período não
inferior a 3 (três) anos; 400
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
10.7.1. É admitida a apresentação de atestados referentes a
períodos sucessivos não contínuos, para fins da comprovação de
que trata o subitem 10.7 acima, não havendo obrigatoriedade de
os três anos serem ininterruptos.
10.8. Somente serão aceitos atestados expedidos após a
conclusão do contrato ou se decorrido, pelo menos, um ano do
início de sua execução, exceto se firmado para ser executado em
prazo inferior;
401
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

10.9. Poderá ser admitida, para fins de comprovação de


quantitativo mínimo do serviço, a apresentação de diferentes
atestados de serviços executados de forma concomitante, pois
essa situação se equivale, para fins de comprovação de
capacidade técnico-operacional, a uma única contratação;

402
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

10.10. O licitante deve disponibilizar todas as informações


necessárias à comprovação da legitimidade dos atestados
solicitados, apresentando, dentre outros documentos, cópia do
contrato que deu suporte à contratação, endereço atual da
contratante e local em que foram prestados os serviços.

403
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

11. Das condições de habilitação econômico-financeira:


11.1. Nas contratações de serviços continuados com dedicação
exclusiva de mão de obra, a Administração deverá exigir:
a) Balanço patrimonial e demonstrações contábeis referentes ao
último exercício social, comprovando índices de Liquidez Geral
(LG), Liquidez Corrente (LC), e Solvência Geral (SG) superiores a 1
(um);
404
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório

b) Capital Circulante Líquido ou Capital de Giro (Ativo Circulante -


Passivo Circulante) de, no mínimo, 16,66% (dezesseis inteiros e
sessenta e seis centésimos por cento) do valor estimado da
contratação, tendo por base o balanço patrimonial e as
demonstrações contábeis do último exercício social;

405
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
c) Comprovação de patrimônio líquido de 10% (dez por cento) do
valor estimado da contratação, por meio da apresentação do
balanço patrimonial e demonstrações contábeis do último
exercício social, apresentados na forma da lei, vedada a
substituição por balancetes ou balanços provisórios, podendo ser
atualizados por índices oficiais, quando encerrados há mais de 3
(três) meses da data da apresentação da proposta;

406
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
d) Declaração do licitante, acompanhada da relação de
compromissos assumidos, conforme modelo constante do Anexo
VII-E de que um doze avos dos contratos firmados com a
Administração Pública e/ou com a iniciativa privada vigentes na
data apresentação da proposta não é superior ao patrimônio
líquido do licitante que poderá ser atualizado na forma descrita na
alínea “c” acima, observados os seguintes requisitos:

O Anexo VII-E apresenta a fórmula de cálculo 407


Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
d.1. a declaração deve ser acompanhada da Demonstração do
Resultado do Exercício (DRE), relativa ao último exercício social; e
d.2. caso a diferença entre a declaração e a receita bruta
discriminada na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)
apresentada seja superior a 10% (dez por cento), para mais ou
para menos, o licitante deverá apresentar justificativas.
e) Certidão negativa de efeitos de falência, recuperação judicial ou
recuperação extrajudicial, expedida pelo distribuidor da sede do
licitante. 408
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – A
Diretrizes Gerais para Elaboração do Ato Convocatório
11.2. Nas contratações de serviços continuados sem dedicação
exclusiva de mão de obra e dos serviços não continuados ou por
escopo poderão ser adotados critérios de habilitação econômico-
financeira com requisitos diferenciados, estabelecidos conforme
as peculiaridades do objeto a ser licitado, tornando-se necessário
que exista justificativa do percentual adotado nos autos do
procedimento licitatório, na forma do art. 31 da Lei nº 8.666, de
1993;
409
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

1. Dos mecanismos de controle interno:


1.1. Para atendimento do disposto no art. 18, o ato convocatório
deverá conter uma das seguintes regras:
a) Conta-Depósito Vinculada ― bloqueada para movimentação; ou
b) Pagamento pelo Fato Gerador;
1.1.1. A adoção do Pagamento pelo Fato Gerador só é admitida
após publicação do Caderno de Logística a que faz referência o
inciso II do §1° do art. 18, desta Instrução Normativa. 410
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

1.2. No caso da Conta-Depósito Vinculada ― bloqueada para


movimentação, os órgãos e entidades deverão adotar:
a) provisionamento de valores para o pagamento das férias, 13º
(décimo terceiro) salário e verbas rescisórias aos trabalhadores da
contratada, que serão depositados pela Administração em Conta-
Depósito Vinculada ― bloqueada para movimentação, conforme
Anexos XII e XII-A;

411
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

b) previsão de que o pagamento dos salários dos empregados pela


empresa contratada deverá ser feito por depósito bancário, na
conta dos empregados, em agências situadas na localidade ou
região metropolitana em que ocorre a prestação dos serviços;
c) a obrigação da contratada de, no momento da assinatura do
contrato, autorizar a Administração contratante a reter, a qualquer
tempo, a garantia na forma prevista no subitem 3.1 do Anexo VII-F
desta Instrução Normativa;
412
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

d) a obrigação da contratada de, no momento da assinatura do


contrato, autorizar a Adm contratante a fazer o desconto nas faturas
e realizar os pagamentos dos salários e demais verbas trabalhistas
diretamente aos trabalhadores, bem como das contribuições
previdenciárias e do FGTS, quando estes não forem adimplidos;
e) disposição prevendo que a contratada deverá viabilizar, no prazo
de 60 (sessenta) dias, contados do início da prestação dos serviços,
a emissão do Cartão Cidadão expedido pela CEF para todos os
empregados; 413
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

f) disposição prevendo que a contratada deverá viabilizar, no


prazo de 60 (sessenta) dias, contados do início da prestação dos
serviços, o acesso de seus empregados, via internet, por meio de
senha própria, ao sistema da Previdência Social, com o objetivo de
verificar se as suas contribuições previdenciárias foram recolhidas;
g) disposição prevendo que a contratada deverá oferecer todos os
meios necessários aos seus empregados para obtenção de extrato
de recolhimento sempre que solicitado pela fiscalização.
414
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

1.3. Quando não for possível a realização dos pagamentos a que


se refere o item “d” do subitem 1.2 acima* pela própria
Administração, esses valores retidos cautelarmente serão
depositados junto à Justiça do Trabalho, com o objetivo de serem
utilizados exclusivamente no pagamento de salários e das demais
verbas trabalhistas, bem como das contribuições sociais e FGTS.

*pagamento direto aos trabalhadores 415


Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

1.4. Em caso de impossibilidade de cumprimento do disposto no


item “b” do subitem 1.2 acima*, a contratada deverá apresentar
justificativa, a fim de que a Administração possa verificar a
realização do pagamento.

*pagamento em conta corrente 416


Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

1.5. Os valores provisionados na forma do item “a” do subitem 1.2


acima, somente serão liberados nas seguintes condições:
a)parcial e anualmente, pelo valor correspondente ao 13º (décimo
terceiro) salário dos empregados vinculados ao contrato, quando
devido;
b) parcialmente, pelo valor correspondente às férias e a 1/3 (um
terço) de férias previsto na Constituição, quando do gozo de férias
pelos empregados vinculados ao contrato;
417
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

c) parcialmente, pelo valor correspondente ao 13o (décimo


terceiro) salário proporcional, às férias proporcionais e à
indenização compensatória porventura devida sobre o FGTS,
quando da dispensa de empregado vinculado ao contrato; e
d) ao final da vigência do contrato, para o pagamento das verbas
rescisórias.

418
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

1.6. O saldo existente na Conta-Depósito Vinculada ― bloqueada


para movimentação apenas será liberado com a execução
completa do contrato, após a comprovação, por parte da
empresa, da quitação de todos os encargos trabalhistas e
previdenciários relativos ao serviço contratado.
1.7. No caso do Pagamento pelo Fato Gerador, os órgãos e
entidades deverão adotar os seguintes procedimentos:
(...)
419
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

2. Das vedações:
2.1. É vedado à Administração fixar nos atos convocatórios:
a)o quantitativo de mão de obra a ser utilizado na prestação do
serviço, devendo sempre adotar unidade de medida que permita a
quantificação da mão de obra que será necessária à execução do
serviço;

420
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

b) os benefícios, ou seus valores, a serem concedidos pela


contratada aos seus empregados, devendo adotar os benefícios e
valores previstos em Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de
Trabalho, como mínimo obrigatório, quando houver;
c) exigências de fornecimento de bens ou serviços não pertinentes
ao objeto a ser contratado sem que exista uma justificativa técnica
que comprove a vantagem para a Administração;

421
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

d) exigência de qualquer documento que configure compromisso


de terceiro alheio à disputa;
e) exigência de comprovação de filiação a Sindicato ou a
Associação de Classe, como condição de participação na licitação,
exceto quando a lei exigir a filiação a uma Associação de Classe
como condição para o exercício da atividade, como nos casos das
profissões regulamentadas em lei, tais como a advocacia,
engenharia, medicina e contabilidade;
422
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

f) exigência de comprovação de quitação de anuidade junto a


entidades de classe como condição de participação;
g) exigência de certidão negativa de protesto como documento
habilitatório;
h) a obrigação do contratante de ressarcir as despesas de
hospedagem e transporte dos trabalhadores da contratada
designados para realizar serviços em unidades fora da localidade
habitual de prestação dos serviços que não estejam previstos nem
orçados no contrato; e 423
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

i) quantitativos ou valores mínimos para custos variáveis


decorrentes de eventos futuros e imprevisíveis, tais como o
quantitativo de vale-transporte a ser fornecido pela eventual
contratada aos seus trabalhadores, ficando a contratada com a
responsabilidade de prover o quantitativo que for necessário,
conforme dispõe o art. 63 desta Instrução Normativa.

424
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

2.2. Exigências de comprovação de propriedade, apresentação de


laudos e licenças de qualquer espécie só serão devidas pelo
vencedor da licitação; dos proponentes poder-se-á requisitar tão
somente declaração de disponibilidade ou de que a empresa reúne
condições de apresentá-los no momento oportuno;

425
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

2.3. O disposto na alínea “i” do subitem 2.1 do item acima não


impede a exigência no ato convocatório que os proponentes
ofertem preços para as necessidades de deslocamento na
prestação do serviço, conforme previsto na alínea “d” do subitem
2.4 do Anexo V desta Instrução Normativa.

426
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório
3. Do credenciamento:
3.1. Para a contratação de prestação de serviços, os órgãos e
entidades poderão utilizar o sistema de credenciamento, desde
que atendidas às seguintes diretrizes:
a) justificar a inviabilidade de competição pela natureza da
contratação do serviço a ser prestado;
b) comprovar que o interesse da Administração será melhor
atendido mediante a contratação de um maior número de
prestadores de serviço; 427
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório
c) promover o chamamento público por meio do ato convocatório
que definirá o objeto a ser executado, os requisitos de habilitação,
as especificações técnicas indispensáveis, a fixação prévia de
preços e os critérios para convocação dos credenciados;
d) garantir a igualdade de condições entre todos os interessados
hábeis a contratar com a Administração, pelo preço por ela
definido; e
e) contratar todos os que tiverem interesse e que satisfaçam as
condições fixadas pela Administração. 428
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – B
Diretrizes Específicas para Elaboração do Ato Convocatório

3.2. O Sistema de Credenciamento ficará aberto pelo prazo


estipulado no ato convocatório, renováveis por iguais e sucessivos
períodos, para inscrição de novos interessados, desde que
atendam aos requisitos do chamamento.

429
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato
1. Vigência contratual e custos renováveis:
1.1. O prazo de vigência contratual, prevendo, inclusive, a
possibilidade de prorrogação, quando couber, respeitado o
disposto no art. 57 da Lei nº 8.666, de 1993;
1.2. Regras estabelecendo que nas eventuais prorrogações dos
contratos com dedicação exclusiva de mão de obra, os custos não
renováveis já pagos ou amortizados no primeiro ano da
contratação deverão ser eliminados como condição para a
renovação. 430
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato
2. Reajuste e repactuação:
2.1. A forma como será contada a periodicidade para a concessão
da repactuação ou do reajuste em sentido estrito deve observar o
disposto nos arts. 53 a 61 desta Instrução Normativa.

431
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato
3. Garantia de execução do contrato:
3.1. Exigência de garantia de execução do contrato, nos moldes do
art. 56 da Lei nº 8.666, de 1993, com validade durante a execução
do contrato e 90 (noventa) dias após término da vigência
contratual, devendo ser renovada a cada prorrogação, observados
ainda os seguintes requisitos:

432
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
a) A contratada deverá apresentar, no prazo máximo de 10 (dez)
dias úteis, prorrogáveis por igual período, a critério do órgão
contratante, contado da assinatura do contrato, comprovante de
prestação de garantia, podendo optar por caução em dinheiro ou
títulos da dívida pública, seguro-garantia ou fiança bancária,
sendo que, nos casos de contratação de serviços continuados com
dedicação exclusiva de mão de obra, o valor da garantia deverá
corresponder a 5% (cinco por cento) do valor total do contrato,
limitada ao equivalente a 2 (dois) meses do custo da folha de
pagamento dos empregados da contratada que venham a
participar da execução dos serviços contratados; 433
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
b) A garantia, qualquer que seja a modalidade escolhida,
assegurará o pagamento de:
b.1. prejuízos advindos do não cumprimento do objeto do
contrato;
b.2. prejuízos diretos causados à Administração decorrentes de
culpa ou dolo durante a execução do contrato;
b.3. multas moratórias e punitivas aplicadas pela Administração à
contratada; e
b.4. obrigações trabalhistas e previdenciárias de qualquer
natureza, não adimplidas pela contratada, quando couber.
434
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
c) A modalidade seguro-garantia somente será aceita se
contemplar todos os eventos indicados no alínea “b” do subitem
3.1 acima, observada a legislação que rege a matéria;
d) A garantia em dinheiro deverá ser efetuada na Caixa Econômica
Federal em conta específica com correção monetária, em favor do
contratante;
e) A inobservância do prazo fixado para apresentação da garantia
acarretará a aplicação de multa de 0,07% (sete centésimos por
cento) do valor do contrato por dia de atraso, observado o
máximo de 2% (dois por cento);
435
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
f) O atraso superior a 25 (vinte e cinco) dias autoriza a
Administração a promover a rescisão do contrato por
descumprimento ou cumprimento irregular de suas cláusulas,
conforme dispõem os incisos I e II do art. 78 da Lei nº 8.666, de
1993;
g) O garantidor não é parte para figurar em processo
administrativo instaurado pelo contratante com o objetivo de
apurar prejuízos e/ou aplicar sanções à contratada;

436
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
h) A garantia será considerada extinta:
h.1. com a devolução da apólice, carta-fiança ou autorização para
o levantamento de importâncias depositadas em dinheiro a título
de garantia, acompanhada de declaração da Administração,
mediante termo circunstanciado, de que a contratada cumpriu
todas as cláusulas do contrato; e
h.2. com o término da vigência do contrato, observado o prazo
previsto no subitem 3.1. acima, que poderá, independentemente
da sua natureza, ser estendido em caso de ocorrência de sinistro.

437
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
i) O contratante executará a garantia na forma prevista na
legislação que rege a matéria;
j) Deverá haver previsão expressa no contrato e seus aditivos de
que a garantia prevista no subitem 3.1 acima somente será
liberada mediante a comprovação de que a empresa pagou todas
as verbas rescisórias trabalhistas decorrentes da contratação, e
que, caso esse pagamento não ocorra até o fim do segundo mês
após o encerramento da vigência contratual, a garantia será
utilizada para o pagamento dessas verbas trabalhistas, conforme
estabelecido na alínea “c” do subitem 1.2 do Anexo VII-B,
observada a legislação que rege a matéria; 438
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
k) Disposição prevendo que nas contratações de serviços
continuados com fornecimento de mão de obra exclusiva, poderá
ser estabelecido, como condição para as eventuais repactuações,
que o contratado deverá complementar a garantia contratual
anteriormente prestada, de modo que se mantenha a proporção
de 5% (cinco por cento) em relação ao valor contratado.

439
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato
4. Sanções contratuais
4.1. Indicação das sanções cabíveis por eventual descumprimento
das obrigações contratuais pactuadas, utilizando como referencial
os modelos de minutas padronizados de atos convocatórios e
contratos da Advocacia-Geral União, bem como as diretrizes
constantes da alínea “j” do subitem 2.6 do Anexo V.

440
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato
4.2. Previsão nas contratações de serviços com prestação de mão
de obra exclusiva de cláusula que caracterize como falta grave o
não recolhimento do FGTS dos empregados e das contribuições
sociais previdenciárias, bem como o não pagamento do salário, do
vale-transporte e do auxílio-alimentação, podendo dar ensejo à
rescisão do contrato, sem prejuízo da aplicação de sanção
pecuniária e da declaração de impedimento para licitar e
contratar com a União, nos termos do art. 7º da Lei nº 10.520, de
17 de julho de 2002. 441
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato

5. Do pagamento:
5.1. A necessidade de adequação dos pagamentos ao
atendimento das metas na execução do serviço será definida no
ato convocatório.

442
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato
6. Direitos e obrigações
6.1. Cláusula que contemple, a depender da natureza do serviço,
os seguintes direitos à contratante:
a) o direito de propriedade intelectual dos produtos
desenvolvidos, inclusive sobre as eventuais adequações e
atualizações que vierem a ser realizadas, logo após o recebimento
de cada parcela, de forma permanente, permitindo à contratante
distribuir, alterar e utilizar estes sem limitações; e
443
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato

b) os direitos autorais da solução, do projeto, de suas


especificações técnicas, da documentação produzida e
congêneres, e de todos os demais produtos gerados na execução
do contrato, inclusive aqueles produzidos por terceiros
subcontratados, ficando proibida a sua utilização sem que exista
autorização expressa da contratante, sob pena de multa, sem
prejuízo das sanções civis e penais cabíveis.
444
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
Anexo VII – F
Modelo de Minuta de Contrato

6.2. As hipóteses de substituição dos profissionais alocados aos


serviços contratados, quando for o caso, nos termos do § 10 do
art. 30 da Lei nº 8.666, de 1993, exclusivamente em relação aos
profissionais integrantes da equipe técnica que será avaliada.

445
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
• Vedação ao Nepotismo
Orientação da SEGES/MP aos gestores das áreas
responsáveis pela condução dos processos licitatórios e das
áreas responsáveis pela Gestão dos Contratos, inclusive os
dos órgãos sob seu controle de atuação administrativa e
financeira, que, nos termos do Decreto nº 7.203, de 4 de
junho de 2010, deverão estabelecer as seguintes diretrizes:
a) verificar se os contratos vigentes celebrados com
empresas prestadoras de serviços terceirizados têm
cláusula antinepotismo;
446
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
• Vedação ao Nepotismo (continuação)
b) em caso negativo, promover o aditamento dos contratos
para sua inclusão; e
c) inserir em todos os novos editais de licitação, assim
como nos referentes a convênios e instrumentos
equivalentes, a cláusula antinepotismo, nos termos do art.
7° do Decreto 7.203, de 2010, colacionado abaixo:
“Art. 7º Os editais de licitação para a contratação de empresa prestadora de serviço
terceirizado, assim como os convênios e instrumentos equivalentes para contratação de
entidade que desenvolva projeto no âmbito de órgão ou entidade da administração pública
federal, estabelecer vedação de que familiar de agente público preste serviços no órgão ou
entidade em que este exerça cargo em comissão ou função de confiança.” 447
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
• IN 05/2017
Art. 36. Antes do envio do processo para exame e aprovação
da assessoria jurídica, (...), deve-se realizar uma avaliação da
conformidade legal do procedimento administrativo da
contratação, preferencialmente com base nas disposições
previstas no Anexo I da Orientação Normativa/Seges nº 2, de
6 de junho de 2016, no que couber.
§ 1º A lista de verificação de que trata o caput deverá ser
juntada aos autos do processo, com as devidas adaptações
relativas ao momento do seu preenchimento.
448
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Seleção do Fornecedor -
• Orientação Normativa/SEGES nº 2, de 06 JUN 16.
Art. 1º Os pregoeiros e as equipes de apoio deverão adotar
nos processos de aquisição de materiais e serviços as listas
de verificação constantes dos Anexos I e II, visando o
aperfeiçoamento dos procedimentos realizados nos pregões
eletrônicos.
Art. 2º As listas de verificação deverão ser juntadas nos
processos como instrumento de transparência e eficiência
durante a fase de seleção do fornecedor (...)
449
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
• IN 05/2017
Art. 48. Na fiscalização técnica e administrativa dos contratos
deverá ser observado o disposto no Anexo VIII.
Art. 51. As regras para a vigência e prorrogação dos contratos
regidos por esta Instrução Normativa estão dispostas no
Anexo IX.
Art. 52. As regras para a alteração dos contratos regidos por
esta Instrução Normativa estão dispostas no Anexo X.
Art. 67. O pagamento deverá ser efetuado em consonância
com as regras previstas no Anexo XI. 450
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – A
Da Fiscalização Técnica

1. A fiscalização técnica dos contratos deve avaliar


constantemente a execução do objeto e, se for o caso, poderá
utilizar o Instrumento de Medição de Resultado (IMR), conforme
modelo previsto no Anexo V-B, ou outro instrumento substituto
para aferição da qualidade da prestação dos serviços, devendo
haver o redimensionamento no pagamento com base nos
indicadores estabelecidos, sempre que a contratada:
451
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – A
Da Fiscalização Técnica

a) não produzir os resultados, deixar de executar, ou não executar


com a qualidade mínima exigida as atividades contratadas; ou
b) deixar de utilizar materiais e recursos humanos exigidos para a
execução do serviço, ou utilizá-los com qualidade ou quantidade
inferior à demandada.
1.1. A utilização do IMR não impede a aplicação concomitante de
outros mecanismos para a avaliação da prestação dos serviços.
452
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – A
Da Fiscalização Técnica

2. Durante a execução do objeto, fase do recebimento provisório,


o fiscal técnico designado deverá monitorar constantemente o
nível de qualidade dos serviços para evitar a sua degeneração,
devendo intervir para requerer à contratada a correção das faltas,
falhas e irregularidades constatadas.

453
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – A
Da Fiscalização Técnica

3. O fiscal técnico do contrato deverá apresentar ao preposto da


contratada a avaliação da execução do objeto ou, se for o caso, a
avaliação de desempenho e qualidade da prestação dos serviços
realizada.
3.1. O preposto deverá apor assinatura no documento, tomando
ciência da avaliação realizada.

454
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
3.2. A contratada poderá apresentar justificativa para a prestação
do serviço com menor nível de conformidade, que poderá ser
aceita pelo fiscal técnico, desde que comprovada a
excepcionalidade da ocorrência, resultante exclusivamente de
fatores imprevisíveis e alheios ao controle do prestador.
3.3. Na hipótese de comportamento contínuo de desconformida-
de da prestação do serviço em relação à qualidade exigida, bem
como quando esta ultrapassar os níveis mínimos toleráveis
previstos nos indicadores, além dos fatores redutores, devem ser
aplicadas as sanções à contratada de acordo com as regras
previstas no ato convocatório.
455
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – A
Da Fiscalização Técnica

3.4. É vedada a atribuição à contratada da avaliação de


desempenho e qualidade da prestação dos serviços realizada de
que trata o item 3.
3.5. O fiscal técnico poderá realizar a avaliação diária, semanal ou
mensal, desde que o período escolhido seja suficiente para avaliar
ou, se for o caso, aferir o desempenho e qualidade da prestação
dos serviços.
456
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – A
Da Fiscalização Técnica

4. Para efeito de recebimento provisório, ao final de cada período


mensal, o fiscal técnico do contrato deverá apurar o resultado das
avaliações da execução do objeto e, se for o caso, a análise do
desempenho e qualidade da prestação dos serviços realizados em
consonância com os indicadores previstos no ato convocatório,
que poderá resultar no redimensionamento de valores a serem
pagos à contratada, registrando em relatório a ser encaminhado
ao gestor do contrato. 457
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

1. A fiscalização administrativa, realizada nos contratos de


prestação de serviços com regime de dedicação exclusiva de mão
de obra, poderá ser efetivada com base em critérios estatísticos,
levando-se em consideração falhas que impactem o contrato
como um todo e não apenas erros e falhas eventuais no
pagamento de alguma vantagem a um determinado empregado.

458
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

2. Na fiscalização do cumprimento das obrigações trabalhistas e


sociais, nas contratações com dedicação exclusiva dos
trabalhadores da contratada exigir-se-á, dentre outras, as
seguintes comprovações:
2.1. No caso de empresas regidas pela Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT):
a) no primeiro mês da prestação dos serviços, a contratada deverá
apresentar a seguinte documentação:
459
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
a.1. relação dos empregados, contendo nome completo, cargo ou
função, horário do posto de trabalho, números da carteira de
identidade e da inscrição no CPF, com indicação dos responsáveis
técnicos pela execução dos serviços, quando for o caso;
a.2. Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) dos
empregados admitidos e dos responsáveis técnicos pela execução
dos serviços, quando for o caso, devidamente assinada pela
contratada; e
a.3. exames médicos admissionais dos empregados da contratada
que prestarão os serviços.
460
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
b) entrega até o dia trinta do mês seguinte ao da prestação dos
serviços ao setor responsável pela fiscalização do contrato dos
seguintes documentos, quando não for possível a verificação da
regularidade destes no SICAF:
b.1. Certidão Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários
Federais e à Dívida Ativa da União (CND);
b.2. certidões que comprovem a regularidade perante as Fazendas
Estadual, Distrital e Municipal do domicílio ou sede do contratado;
b.3. Certidão de Regularidade do FGTS (CRF); e
b.4. Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT).
461
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
c) entrega, quando solicitado pela Administração, de quaisquer
dos seguintes documentos:
c.1. extrato da conta do INSS e do FGTS de qualquer empregado, a
critério da Administração contratante;
c.2. cópia da folha de pagamento analítica de qualquer mês da
prestação dos serviços, em que conste como tomador o órgão ou
entidade contratante;
c.3. cópia dos contracheques dos empregados relativos a qualquer
mês da prestação dos serviços ou, ainda, quando necessário,
cópia de recibos de depósitos bancários;
462
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
c.4. comprovantes de entrega de benefícios suplementares (vale-
transporte, vale-alimentação, entre outros), a que estiver
obrigada por força de lei ou de Convenção ou Acordo Coletivo de
Trabalho, relativos a qualquer mês da prestação dos serviços e de
qualquer empregado; e
c.5. comprovantes de realização de eventuais cursos de
treinamento e reciclagem que forem exigidos por lei ou pelo
contrato.
463
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
d) entrega de cópia da documentação abaixo relacionada, quando
da extinção ou rescisão do contrato, após o último mês de
prestação dos serviços, no prazo definido no contrato:
d.1. termos de rescisão dos contratos de trabalho dos empregados
prestadores de serviço, devidamente homologados, quando
exigível pelo sindicato da categoria;
d.2. guias de recolhimento da contribuição previdenciária e do
FGTS, referentes às rescisões contratuais;
464
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
d.3. extratos dos depósitos efetuados nas contas vinculadas
individuais do FGTS de cada empregado dispensado; e
d.4. exames médicos demissionais dos empregados dispensados.

2.2. No caso de cooperativas: (...)


2.3. No caso de sociedades diversas, (...)

465
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
3. Sempre que houver admissão de novos empregados pela
contratada, os documentos elencados na alínea “a” do subitem
2.1 acima deverão ser apresentados.
4. Os documentos necessários à comprovação do cumprimento
das obrigações sociais trabalhistas elencados nos subitens 2.1, 2.2
e 2.3 acima poderão ser apresentados em original ou por
qualquer processo de cópia autenticada por cartório competente
ou por servidor da Administração.
466
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
5. A Administração deverá analisar a documentação solicitada na
alínea “d” do subitem 2.1 acima no prazo de 30 (trinta) dias após o
recebimento dos documentos, prorrogáveis por mais 30 (trinta)
dias, justificadamente.
6. Em caso de indício de irregularidade no recolhimento das
contribuições previdenciárias, os fiscais ou gestores de contratos
de serviços com regime de dedicação exclusiva de mão de obra
deverão oficiar à Receita Federal do Brasil (RFB).
467
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
7. Em caso de indício de irregularidade no recolhimento da
contribuição para o FGTS, os fiscais ou gestores de contratos de
serviços com regime de dedicação exclusiva de mão de obra
deverão oficiar ao Ministério do Trabalho.
8. O descumprimento das obrigações trabalhistas ou a não
manutenção das condições de habilitação pelo contratado poderá
dar ensejo à rescisão contratual, sem prejuízo das demais
sanções.
468
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
8.1. A Administração poderá conceder um prazo para que a
contratada regularize suas obrigações trabalhistas ou suas
condições de habilitação, sob pena de rescisão contratual, quando
não identificar má-fé ou a incapacidade da empresa de corrigir.
9. Para efeito de recebimento provisório, ao final de cada período
mensal, o fiscal administrativo deverá verificar a efetiva realização
dos dispêndios concernentes aos salários e às obrigações
trabalhistas, previdenciárias e com o FGTS do mês anterior, dentre
outros, emitindo relatório que será encaminhado ao gestor do 469
contrato.
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10. Além das disposições acima citadas, a fiscalização


administrativa deverá observar, ainda, as seguintes diretrizes:
10.1. Fiscalização inicial (no momento em que a prestação de
serviços é iniciada)
a) No momento em que a prestação de serviços é iniciada, deve
ser elaborada planilha-resumo de todo o contrato administrativo.

470
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
Ela conterá informações sobre todos os empregados terceirizados
que prestam serviços no órgão ou entidade, divididos por
contrato, com os seguintes dados: nome completo, número de
inscrição no CPF, função exercida, salário, adicionais, gratificações,
benefícios recebidos, sua especificação e quantidade (vale-
transporte, auxílio-alimentação), horário de trabalho, férias,
licenças, faltas, ocorrências e horas extras trabalhadas.

471
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -

Modelo de
Planilha Resumo

472
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
b) A fiscalização das Carteiras de Trabalho e Previdência Social
(CTPS) será feita por amostragem. Todas as anotações contidas na
CTPS dos empregados devem ser conferidas, a fim de que se
possa verificar se as informações nelas inseridas coincidem com as
informações fornecidas pela empresa e pelo empregado. Devem
ser observadas, com especial atenção, a data de início do contrato
de trabalho, a função exercida, a remuneração (corretamente
discriminada em salário-base, adicionais e gratificações), além de
demais eventuais alterações dos contratos de trabalho.
473
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -

Carteira de Trabalho e
Previdência Social

474
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
c) O número de terceirizados por função deve coincidir com o
previsto no contrato administrativo.
d) O salário não pode ser inferior ao previsto no contrato
administrativo e na Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria
(CCT).
e) Devem ser consultadas eventuais obrigações adicionais
constantes na CCT para as empresas terceirizadas (por exemplo,
se os empregados têm direito a auxílio-alimentação gratuito).
475
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
f) Deve ser verificada a existência de condições insalubres ou de
periculosidade no local de trabalho, cuja presença levará ao
pagamento dos respectivos adicionais aos empregados. Tais
condições obrigam a empresa a fornecer determinados
Equipamentos de Proteção Individual (EPI).
g) No primeiro mês da prestação dos serviços, a contratada deverá
apresentar a seguinte documentação, devidamente autenticada:

476
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
g.1. relação dos empregados, com nome completo, cargo ou
função, horário do posto de trabalho, números da carteira de
identidade e inscrição no CPF, e indicação dos responsáveis
técnicos pela execução dos serviços, quando for o caso;
g.2. CTPS dos empregados admitidos e dos responsáveis técnicos
pela execução dos serviços, quando for o caso, devidamente
assinadas pela contratada;
g.3. exames médicos admissionais dos empregados da contratada
que prestarão os serviços; e 477
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
g.4. declaração de responsabilidade exclusiva da contratada sobre
a quitação dos encargos trabalhistas e sociais decorrentes do
contrato.
10.2. Fiscalização mensal (a ser feita antes do pagamento da
fatura)
a) Deve ser feita a retenção da contribuição previdenciária no
valor de 11% (onze por cento) sobre o valor da fatura e dos
impostos incidentes sobre a prestação do serviço.
b) Deve ser consultada a situação da empresa junto ao SICAF. 478
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
c) Serão exigidos a Certidão Negativa de Débito (CND) relativa a
Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União, o
Certificado de Regularidade do FGTS (CRF) e a Certidão Negativa
de Débitos Trabalhistas (CNDT), caso esses documentos não
estejam regularizados no SICAF.
d) Exigir, quando couber, comprovação de que a empresa mantém
reserva de cargos para pessoa com deficiência ou para reabilitado
da Previdência Social, conforme disposto no art. 66-A da Lei nº
8.666, de 1993.
479
Gestão e Fiscalização de Contratos

Situação da empresa junto ao SICAF

480
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
10.3. Fiscalização diária
a) Devem ser evitadas ordens diretas da Administração dirigidas
aos terceirizados. As solicitações de serviços devem ser dirigidas
ao preposto da empresa. Da mesma forma, eventuais
reclamações ou cobranças relacionadas aos empregados
terceirizados devem ser dirigidas ao preposto.
b) Toda e qualquer alteração na forma de prestação do serviço,
como a negociação de folgas ou a compensação de jornada, deve
ser evitada, uma vez que essa conduta é exclusiva do 481
empregador.
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10.3. Fiscalização diária


c) Conferir por amostragem, diariamente, os empregados
terceirizados que estão prestando serviços e em quais funções, e
se estão cumprindo a jornada de trabalho.

482
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10.4. Fiscalização procedimental


a) Observar a data-base da categoria prevista na CCT. Os reajustes
dos empregados devem ser obrigatoriamente concedidos pela
empresa no dia e percentual previstos, devendo ser verificada
pelo gestor do contrato a necessidade de se proceder a
repactuação do contrato, inclusive quanto à necessidade de
solicitação da contratada.

483
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10.4. Fiscalização procedimental


b) Certificar de que a empresa observa a legislação relativa à
concessão de férias e licenças aos empregados.
c) Certificar de que a empresa respeita a estabilidade provisória
de seus empregados (cipeiro, gestante, e estabilidade
acidentária).

484
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10.5. Fiscalização por amostragem


a) A Administração deverá solicitar, por amostragem, aos
empregados, que verifiquem se as contribuições previdenciárias e
do FGTS estão ou não sendo recolhidas em seus nomes.
b) A Administração deverá solicitar, por amostragem, aos
empregados terceirizados os extratos da conta do FGTS, os quais
devem ser entregues à Administração.

485
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10.5. Fiscalização por amostragem


c) O objetivo é que todos os empregados tenham tido seus
extratos avaliados ao final de um ano (sem que isso signifique que
a análise não possa ser realizada mais de uma vez em um mesmo
empregado), garantindo assim o “efeito surpresa” e o benefício
da expectativa do controle.
d) A contratada deverá entregar, no prazo de 15 (quinze) dias,
quando solicitado pela Administração, por amostragem, quaisquer
dos seguintes documentos: 486
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa
10.5. Fiscalização por amostragem
d.1. extrato da conta do INSS e do FGTS de qualquer empregado, a
critério da Administração contratante;
d.2. cópia da folha de pagamento analítica de qualquer mês da
prestação dos serviços, em que conste como tomador o órgão ou
entidade contratante;
d.3. cópia dos contracheques assinados dos empregados relativos
a qualquer mês da prestação dos serviços ou, ainda, quando
necessário, cópia de recibos de depósitos bancários; e
487
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
Anexo VIII – B
Da Fiscalização Administrativa

10.5. Fiscalização por amostragem


d.4. comprovantes de entrega de benefícios suplementares (vale-
transporte, vale-alimentação, entre outros), a que estiver
obrigada por força de lei, Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo
de Trabalho, relativos a qualquer mês da prestação dos serviços e
de qualquer empregado.

488
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
• Acórdão nº 1796/2011 – TCU (2ª Câmara)
Recomendar à direção do (...), para que empreenda
atenta e precisa fiscalização da execução dos contratos
de terceirização do órgão, nos termos do art. 67 da Lei nº
8.666/93, em especial, no tocante à substituição/
reposição de empregados, de modo a evitar perda na
qualidade dos serviços contratados.

489
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
ANEXO XI
Do Processo de Pagamento

1. Após recebimento definitivo dos serviços, conforme previsto


nos arts. 49 e 50 desta Instrução Normativa, o gestor do contrato
deve instruir o processo de pagamento com a Nota Fiscal ou
Fatura e os demais documentos comprobatórios da prestação dos
serviços e encaminhar para o setor competente para pagamento.

490
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Gestão do Contrato -
• Orientação Normativa SLTI Nº 3, de 10 Set 14.
Nos contratos de prestação de serviços contínuos com
dedicação exclusiva de mão de obra deve haver o desconto na
fatura a ser paga pela Administração Pública Federal direta,
autárquica e fundacional, do valor global pago a título de
vale-transporte em relação aos empregados que
expressamente optaram por não receber o benefício previsto
na Lei nº 7.418, de 16 de dezembro de 1985, regulamentado
pelo Decreto nº 95.247, de 17 de novembro de 1987.
491
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Limites para Vigilância, Limpeza e Conservação -

• Portaria nº 213-SEGES/MPDG, de 25 SET 17


Art. 1º Na contratação de serviços de vigilância, limpeza e
conservação, executados de forma contínua ou não em edifícios
públicos, os órgãos e entidades integrantes do Sistema de
Serviços Gerais - SISG - deverão observar os limites máximos e
mínimos estabelecidos pela Secretaria de Gestão do Ministério
do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (Seges/MP), que
serão disponibilizados em meio eletrônico, no Portal de Compras
do Governo Federal (http://www.comprasgovernamentais.gov.br).

492
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Limites para Vigilância, Limpeza e Conservação -

Art. 2º - Os valores limites consideram apenas as condições


ordinárias de contratação, não incluindo necessidades
excepcionais na execução do serviço que venham a representar
custos adicionais para contratação.
Parágrafo único - Existindo necessidades excepcionais que
representem custos adicionais para contratação, estas poderão
ser incluídas nos preços das propostas de modo que o valor final
se torne superior ao valor limite estabelecido, desde que, ao
descontar esses custos adicionais, o valor proposto permaneça
dentro do valor limite estabelecido, sob pena de
desclassificação. 493
Gestão e Fiscalização de Contratos

Prestação de Serviços Contínuos


- Limites para Vigilância, Limpeza e Conservação -

Art. 3º - Os valores limites não impedem a repactuação de


preços que ocorrer durante a vigência contratual, tendo em
vista que o inciso XXI do art. 37 da Constituição Federal
assegura aos contratados o direito de receber pagamento,
mantidas as condições efetivas da proposta.
Art. 5º - Quando da prorrogação contratual, os contratos cujos
valores estiverem acima dos limites estabelecidos deverão ser
renegociados para se adequarem aos novos limites, vedando-se
a prorrogação de contratos cuja negociação resultar
insatisfatória, devendo o órgão proceder a novo certame
licitatório. 494
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato;
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

495
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


A adequada fiscalização do contrato demanda
conhecimento dos seguintes documentos:
 Instrumento convocatório da licitação (edital);
 Minuta de contrato;
 Termo de referência ou projeto básico;
 Orçamento e planilha de custos;
 Cronograma físico-financeiro;
 Necessidade a ser atendida e resultados esperados
com o contrato; 496
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


Estudos e pareceres técnicos que instruíram o
processo;
Pareceres jurídicos que instruíram o processo;
Conhecimento da realidade do mercado respectivo;
Proposta da contratada;
Documento coletivo de trabalho da categoria
envolvida na prestação dos serviços (convenção,
acordo ou dissídio coletivo de trabalho);
Instrumento de contrato; 497
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


Documento de designação do preposto pela contratada;

Livro diário com registro de ocorrências, preferencial-


mente, assinado pelo preposto da contratada;

Cópia de atas de reuniões realizadas com o preposto da


contratada, a fim de discutir a qualidade da contratação;

 Conhecimento e aplicação do Acordo de Níveis de


Serviços (ANS), se houver. *

498
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO DE RESULTADO (IMR): mecanismo
que define, em bases compreensíveis, tangíveis, objetivamente
observáveis e comprováveis, os níveis esperados de qualidade
da prestação do serviço e respectivas adequações de
pagamento. (Anexo I da IN 05/17)

Objetivo: proporcionar à Administração um instrumento ágil e


objetivo de avaliação da qualidade da execução contratual,
associando o pagamento à qualidade efetivamente obtida.

499
Gestão e Fiscalização de Contratos

Exemplo
de IMR

500
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


• Acórdão nº 2.958/2012 – TCU (Plenário)
“determinação à XXX que institua ato normativo
regulamentando os procedimentos a serem adotados pelos
representantes da Administração especialmente designados
para acompanhar e fiscalizar a execução dos contratos
firmados pelo órgão, nos termos do art. 67, §§ 1º e 2º, da Lei
nº 8.666/1993, de forma a possibilitar que os respectivos
fiscais de contratos tenham conhecimentos claros a
respeito de suas atribuições e responsabilidades.
501
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


• Acórdão nº 8.005/2011 – TCU (1ª Câmara)

“recomendou a XXX que verifique a conveniência e a


oportunidade de divulgar, como boa prática
administrativa, o Manual de Gestão e Fiscalização de
Contratos do INPI.”

502
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas

503
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


- Utilização do SICON -

• Instrução Normativa n° 2 - MPOG, de 16 Ago 11


Art. 10. O Subsistema de Gestão de Contratos – SICON deve ser
utilizado para o registro dos extratos de contratos firmados pela
Administração Pública Federal e o seu envio eletrônico para
publicação no Diário Oficial da União, bem como para o
acompanhamento da execução contratual, por intermédio do
cronograma físico-financeiro.
§ 1º Os contratos decorrentes das compras deverão ser
registrados no SICON, com as respectivas informações sobre os
cronogramas físico-financeiros, precedidos da geração dos
empenhos.
504
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


- Utilização do SICON -
• Acórdão nº 9.182/2012 – TCU (2ª Câmara)
“determinação ao XXX para que: a) (...); b) no acompanha-
mento de contratos, não incorra nas seguintes falhas
observadas: incoerência nos registros das datas de medição,
incorreção da medição de contratos de serviços e forneci-
mentos de bens no SIASG/SICON, carência de registros dos
contratos no SIASG, insuficiência na juntada de documentos
comprobatórios da despesa, não verificação da documen-
tação atinente às obrigações trabalhistas e patronais do
cessionário e inobservância de ditames da IN/SLTI-MP nº
2/2008. 505
Gestão e Fiscalização de Contratos

Fiscalização – Documentos e Ferramentas


- Utilização do SICON -

• Acórdão nº 7.153/2012 – TCU (1ª Câmara)

“determinação à XXXX para que cadastre todos os seus


contratos no Sistema Integrado de Administração de
Serviços Gerais (SIASG), conforme (...). “

506
Gestão e Fiscalização de Contratos

Sumário
5. A fiscalização e o gerenciamento do contrato;
6. Aplicação de sanções administrativas
7. Extinção dos contratos
8. Contratos de prestação de serviços contínuos
9. Documentos e ferramentas para a fiscalização
• Conclusão

507
Gestão e Fiscalização de Contratos

Conclusão

“Quanto maior a FISCALIZAÇÃO,


melhor a GESTÃO.”

Muito obrigado!

felipevilla@terra.com.br

(51) 99732-9996
508