You are on page 1of 11
w CR-88}, do Pader Judiciatie (artigo 99) ¢ da Ministérie Publico (artigo 127), Anes, porém, serv examinados, de forma sutcinta, os principais periodos € ccaracteristicas mais rlevantes da hist dos tribuitas c das Financas publics, ‘6 que certamente auniliard a compreensio da realidade ¢ 0 4 al estigio de desenvolvimento da matéria 1.4 BREVEHISTORICO DOS TRIBUTOS E DAS FINANGAS PUBLICAS. A leitura de diversos episddios marcantes em todo © curso da historia dla humanidade revela uma verdade inquestiondvel, independentemente do lugar objeto da pesquisa, os tributos as finangas pibblicas sempre tiveram & continuam a ter influgncia determinante no curso das civilizagoes, A primeira civilizacao de que se tem conhecimente”” conereto, cerea de seis mil anos atti, era denominada Sumer, uma localidade entte os tios Tigre e Eufrates, na que hoje éo Irague. Os acontecimentas hist6ricas Id acortidas revelam a gra dos tributos ji maquela gpoea, ¢ estio gr fos encontrados em escavagies em Lagash, localizado em nde influen: em hie A suravosa, um rei, chamado Urukagina, determinow a “Tiberdade”, por meiv da cextingio dos coletores do rei. O que parccia ser a solugio de todos os proble- ‘mas ensejout um Final amango para o bondoso monarca © aqueles até encio submecidos i cirania fiscal: localidade, apéisaleangada a almejada “libetda- cde’ foi cotalmente destruida por invasores externos, Abaixo, reprodu-se a figura {extraida do Tivo de Charles Adams, p. 2, vide nota 21) contendo os simbolos que texistraram ¢ informam a existénia da lei libertadora de Urikagina pis um pertodo de incidéncia triburaria de forma gencralizada e bastante FINANGAS PUBLICAS | 0S ce ord ter the of eon th cs (ean 2 ess Sate Hates chp a tee fn eon gst ine afeegah beware gs (rekon nen rit ean hey 2 ues (at sin ese ifs a ene og wtere'iiiels pete prow fhe nt fe. fore ded et Deed vis Tae a ihgogesetnbeonecos fepopt dimes eee rece Te may een we please sa erate eats jt foe meals he 3 oe Bubomi teen taster ‘ante pos es ‘ones, FovORETORO 12 Ww DIREITOTRIBUTARIO £ FINANC AS PUBLICAS | Fsse exemplo reflete um problema crucial, a necessidade de recursos para implementacao de uma otganizacio minima e de protecin contra invasores ~ questio que, mesmo apds 4 criaga0 dos denominados Estados-Nagiies Ab- solutistas continuo a se farer presente Ji na civilizagio egipeia, caracterizada por sua longevidade’, em contra- ponto A experigneia liberciria acorrida em Lagash, era possivel identifcar, apis o descnbrimento de eseritos ¢ desenhos dentto de pisimides e umbas res, a existéncia de periodos de forte “pressio” de fiscais das farads para garantit-Ihes o rweebimento da parcela de 20% (vinte por cent} a eles pertencentes. Constata-se por meio de figuras ¢ escritos milenares que nada era ocultado, nem mesmos os aves sob as aves ‘The tax officials ofthe pharaoh—everywhere snooping, inspecting recording. and amestngeven surveyed the nex of pigeons o cont he eggs, making sare the pharaoh {otis 2.percent ent | Por sua ver, » grande jurista Marcus Tullius Cicero"! (106 ~ 43 a.) difun- iw no Impérin Romano a ideia grega contra as chamados triburos diretos, nos seguintes termos, um ano antes de stia morte (44 aC) When conscant wars made the Roman eeasury tun short ou forefathers oF tertased to [eyya property ax. Fveryeffae must be made to prevent a repetition ‘of this: and all possible precaution must he taken to ensue that sch a step wil never he needed... Bur if any goveroment should find isl under necesigy of levying a tax on property, the utmost care has to be devoted to making it clear ANG pS sia at ce. Sypun can 9h rest age ome tn pm ee 0 8, ca ala on as more hi hs Ye Fn {ths 17 ne Ose Irpstlaggecb ee feteanent 13 FovORETORO 13 RIBUTARIOE FINAMCAS PUBLICAS | te the entire population thac this simply has co be done because no alterative exists shore © complete national collapse abe saientat,entteranto, que o [mpério Romano & um exemplo clisico de como a exigéneia de tributos com fundamento aper 2 valor justia, transforma o dircito de propriedade em um sistema de servie clos sobre « homem, conforme asseveta 0 professor Diogo Leite Campos": is na forca, sem referencia Eis, pois, « legado de Roma em matéria fiscal © imposte como prod insteumenta da opressi, crescendo & medida que se desonvalve a miguina po ltico-adminiserasivas assnte na fonga puta sem tefrencia 8 justiga. O impost yous “nase eo Rona carateriado pl ssi, Fado sobre asa exci de ps ea inal nocesirin, de limitacao do Dincto pels fnga do princeps' de instrament Sad amon de dominagao, “de impéria’. Enquant as telagdes civis retiravam a sua forga da Eroteece tenn eae jusriga que ralzavam came instrament de coopetagi enthe hansen livtes¢ as a Be at igus. O caticter do imposto convo produto instrament de umn sistema de RE ANAT es Goa ddomninagio fai evidence desde a grave crise do que o lmnpétio Romana atavessou Ens eure 7 Ebiots tp a partir do sculo UJ]. Na decueso do principade de Diveleciane a economia ¢ 205 tp. cpt une a sociedade sio onganizadas em termes de acampamento militar. Q imperador alae apn frau cake de pregos maximos para uma imenss lisa de bens e servges, estabelecende como tiniea sangio, pata infigetores, & morte, Simulancamense, 6s imypastes, destinadas a manter uma maquina administativa © militar crescente, aumenta Cue administativo ¢ militar; urn impesto geral sobre as vendas; um imposte sobse co de piv ete.) Ac atividades prafisionaisfaram organivadas em cogporayien clementos ¢ instumentos do Estado, com earicter eaactiva © heneditirio. Na oa-se numa comunidade em nett llsima fase da sua histvia, a eomanidade san aque todos rabalham, mas ninguém paca si pepo. A peopriedade man: iso de ser ligada ‘naturalmente’& satisagio das necessdades de sew tian, cefima toss to Siete tinea ae cones ‘enc ary Dando um salto na cronologia da histéria, outta momento merece desta- mss Sota rae que na abordagem que se esrabelece neste curso €0 século XIII d.C., 0 qual, fgeamacua chan pata alguns autores, representa o inicio da sistemtica tibutdtia que se cone 2.200 ae sagra na atualidad, uma vez que foi a partir da promulgacao da Carta Mag- sss gat nna inglesa de 1215 que a legalidade ascendew como principio norteador Sra coats oes nento’ & decor sha wma nat wav dos bardes proprictirios de cerras que forcaram King. cles staes sree qr Sonigiecemsmcncs satsfazer os interesses polices das relagis tribucitias, impondo ao Rei Joi-sem-Terta o dever de observar limites para a eriagio de tributos, Na walidade, tal do éncia da indigs FovORETOAD 14