You are on page 1of 44

1

CENTRO UNIVERSITÁRIO BRASILEIRO - UNIBRA


CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO
ADMINISTRAÇÃO – 3º PERÍODO – MANHÃ

PROJETO INTERDISCIPLINAR 2019.1


Acumuladores Moura, S.A

RECIFE
2019
2

Sumário
INTRODUÇÃO ...................................................................................................................................... 4
1. PESQUISA DE MERCADO ................................................................................................................. 6
1.1. A importância da pesquisa de mercado .............................................................................. 6
2. Levantamento de Dados ............................................................................................................. 7
2.1. Origem da Empresa ............................................................................................................. 7
2.2. Parcerias .............................................................................................................................. 8
2.3. Produtos .............................................................................................................................. 8
3. Pesquisas ......................................................................................................................................... 9
3.1. Impactos na região de Belo Jardim ......................................................................................... 9
3.2. Funcionários ............................................................................................................................ 9
3.3. Mercados e concorrentes...................................................................................................... 10
2. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO ........................................................................................ 14
2.1. Definições gerais de Administração da Produção ................................................................. 14
2.2. A produção & A Acumuladores Moura ................................................................................. 15
2.3. Sistema de Produção ............................................................................................................. 16
2.4. Baterias Moura ...................................................................................................................... 18
2.5. A Bateria ................................................................................................................................ 19
2.6. Processo de produção das baterias ...................................................................................... 20
2.7. A fábrica e sua capacidade de produção............................................................................... 21
2.8. Conclusão .............................................................................................................................. 22
3. LOGÍSTICA ...................................................................................................................................... 24
3.1. Logística Empresarial ............................................................................................................. 24
3.2. Tipos de Logística .................................................................................................................. 25
3.3. Terceirização Logística ......................................................................................................... 26
3.3.1. Terceirização 3 PL .......................................................................................................... 26
3.4. (Empresa Estudada: Baterias Moura) ................................................................................... 26
4. ANTROPOLOGIA DAS ORGANIZAÇÕES .......................................................................................... 31
4.1. Cultura Organizacional .......................................................................................................... 31
4.2. Linha do Tempo da Organização ........................................................................................... 33
4.3. Crença: .................................................................................................................................. 34
5. DIREITO DO TRABALHO ................................................................................................................. 39
5.1. Análise Jurídica da Empresa ACUMULADORES MOURA S/A................................................. 39
3

CONCLUSÃO ...................................................................................................................................... 42
REFERÊNCIAS .................................................................................................................................... 43
4

INTRODUÇÃO

O atual trabalho Interdisciplinar tem como finalidade abordar pontos teóricos


referentes às diversas cadeiras como: Pesquisa de Mercado, Administração da Produção,
Logística, Antropologia e Direito, correlacionando-as com as práticas empresariais e suas
formas de funcionamento dentro da empresa: Baterias Moura — ou Acumuladores Moura
S.A, como está descrita em sua razão social. Ademais, ressaltando quais são as suas
contribuições para com a sociedade, sua carga histórica e os “feitos” para ser líder em vendas
durante tantos anos, mantendo sua demanda de produção sempre alta.

O método empregado para a elaboração deste trabalho vem a partir de uma


fundamentação teórica em pesquisa básica e bibliográfica, ou seja, buscando inicialmente
teóricos que abordam o tema, sendo uma pesquisa de cunho descritivo e exploratório a fim de
buscar maiores orientações sobre a perspectiva dos assuntos supracitados.
5

CAPÍTULO 01
PESQUISA DE MERCADO
Professor: Urbano Nóbrega
6

1. PESQUISA DE MERCADO

Segundo o IBOPE (2007, p1):

A pesquisa de mercado é a melhor e mais confiável ferramenta para


obtenção de informações representativas sobre determinado público-alvo.
Além de permitir o teste de novas hipóteses, conceitos ou produtos, a pesquisa
de mercado auxilia na identificação de problemas e oportunidades e ajuda a
traçar perfis de consumidores e mercados.

Sendo assim fica compreendido que a pesquisa de mercado é de suma importância


para empresa, para que a mesma possa conhecer seu mercado de atuação, seu publico alvo,
alem de servir para um empreendedor testar novas ideias.

Kotler (2000) descreve que as pesquisas de mercado podem acontecer por meio de
grupo de foco, pesquisa por observação, levantamentos, dados comportamentais e pesquisa
experimental, tendo como instrumentos o questionário e os instrumentos mecânicos.

Neste trabalho utilizamos a pesquisa de mercado como forma de levantamento de


dados de clientes, mercado atuante e pesquisa de satisfação com profissionais da empresa que
serão apresentados no contexto a seguir.

1.1. A importância da pesquisa de mercado


No mercado atual, que é inconstante e se transforma rapidamente a tomada de decisão
certa, é eficiente, bem vinda, e pode reduzir os custos relacionados a erros, e, de acordo com
Kotler (2000), a pesquisa é o ponto de partida não só para o marketing como também para o
planejamento estratégico da empresa. Por meio da mesma, as empresas são capazes de saber
em que mercado atuar, desenvolver seu posicionamento estratégico de seus produtos/serviços
de modo que satisfaça os seus clientes.

Aplicando este contexto ao mercado no qual a Baterias Moura atua temos que
compreender o quantitativo de carros produzido anualmente já que a mesma necessita de tais
dados para que saiba como atuar no mercado; No total foram feitos 2,8 milhões de carros,
caminhões e ônibus no Brasil em 2018, onde houve crescimento de 6,7% referente ao ano de
2017. (ANFAVEA)
7

Sendo assim, pesquisa de mercado é a busca e análise objetiva e sistemática de


informações relevantes para a identificação e solução de qualquer problema no campo
mercadológico (BOYO e WESTFALL, 1978).

2. Levantamento de Dados
O presente estudo busca conhecer a empresa Acumuladores Moura S/A, também
conhecida por Baterias Moura, que desenvolve atividades de industrialização e
comercialização de acumuladores elétricos (baterias) para os mercados: automotivo, náutico,
logístico, de telecomunicações, de sistema no-break e energia alternativa.

2.1. Origem da Empresa


A Baterias Moura foi criada em 1957 por Edson Mororo Moura e sua esposa. No
início fabricavam as baterias no quintal de casa, porém a qualidade e o preço não eram
competitivos com o mercado e por volta de 1961 o Banco do Nordeste do Brasil – BNB
concedeu financiamento de capital para o projeto de expansão da velha fábrica que
basicamente havia sido construída com materiais usados. Em 1966 a SUDENE e o BNB
novamente fomentaram o crescimento da indústria, o que permitiu que a fábrica se
modernizasse e construísse novos prédios com equipamentos novos. Todo esse crescimento
aconteceu no seu município de origem: Belo Jardim, no estado de Pernambuco.

No início passaram por algumas crises muito motivadas por a empresa estar instalada
no interior e não na capital do estado, todavia, para superar este fato a Baterias Moura
implantou o modelo de distribuição RBM, que funciona agregando sociedade aos gerentes das
filiais, e o mesmo funciona até os dias atuais e continua sendo um diferencial. Mesmo assim,
houveram problemas com a tecnologia e mão de obra ainda precária e desqualificada para os
padrões e as necessidades requeridas, A solução adotada para superar a crise foi estabelecer
parcerias tecnológicas com fabricantes Europeus e Norte Americanos e assim a Moura deu
início ao seu programa de exportações para os Estados Unidos em 1983. Nos anos 2000,
ampliaram a sua linha de produtos com a fabricação de baterias para diversas áreas e
aplicações: empilhadeiras, tratores, uso em telecomunicações, trens, barcos, motos e etc.
Atualmente esses tipos de baterias representam 5% do faturamento da empresa.

Hoje, a empresa com mais de 60 anos de mercado e liderada pela segunda geração da
família, é uma das líderes de mercado no seu segmento e atualmente possui sete fábricas,
sendo cinco delas localizadas no município de Belo Jardim (PE), uma unidade em São Paulo e
outra na Argentina.
8

Com o seu modelo RBM implantado, atualmente possui mais de 80 unidades de


distribuidores próprios na America do Sul, que atende cerca de 23 mil clientes apenas em
território nacional, produz mais de 7,5 milhões de baterias anualmente empregando mais de
4.000 mil funcionários diretos, sendo 2.000 mil deles nas cinco fábricas de Belo Jardim. É a
maior fornecedora para frotas de veículos, fornecendo assim cerca de 50% das baterias para as
principais montadoras do país, uma média seria que a cada dez carros cinco saem com
Baterias Moura e 85% dos carros que vem com a função start/stop funcionam 100% com a
logística reversa.

A Moura mantém uma rigorosa estrutura de preservação do meio ambiente que


começa na criação dos seus produtos até a conscientização dos seus funcionários,
fornecedores e clientes.

2.2. Parcerias
As parceiras sempre foram uma característica decisiva para a Baterias Moura, esse
aspecto foi e continua sendo decisivo para o crescimento e desenvolvimento da empresa no
Brasil e no mundo. A Moura mantém um programa de parceria e fornecimento com várias
montadoras automobilísticas no mundo todo e por meio deste, tem o reconhecimento e
certificação no mercado automotivo, além de vários prêmios no setor de qualidade de produto.
A primeira parceria foi com a Fiat e logo em seguida vieram outras como: Volkswagen do
Brasil, Internacional ®, Iveco, Nissan, Mercedes-Benz, Chery, GM, Kia Motors, e Ford, todas
essas empresas têm linhas de carros que saem das linhas de montagem equipadas com as
baterias Moura, genuinamente brasileiras.

2.3. Produtos
Os principais produtos são: Moura Automotiva que é o seu carro chefe, responsável
por equipar veículos leves, Moura Lítio que equipa veículos pesados como ônibus e
caminhões, Moura Moto AGM/VRLA para motocicletas, motos aquáticas, motos de baixa
cilindrada como as Scooters, Moura Clean na área dos equipamentos de telecomunicações,
refinarias e oleodutos, Moura Tração Advanced utilizada em rebocadores elétricos e
plataformas elevatórias, e Moura Boat destinada às embarcações de pequeno e médio portes.
9

3. Pesquisas
3.1. Impactos na região de Belo Jardim
Belo Jardim, a sua cidade natal, é considerada uma cidade pequena com cerca de 80
mil habitantes, mas com uma grande representatividade na economia do estado de
Pernambuco por causa das fábricas da Moura que lá estão instaladas, fazendo com que eleve
os indicadores econômicos da cidade, além de ser o único município do Norte/Nordeste a
possuir fábricas de baterias automotivas. De acordo com a ultima pesquisa feita em 2010 pelo
CONDEPE/FIDEM sobre o PIB dos municípios de Pernambuco, Belo Jardim ocupou a 13ª
posição no ranking, registrando R$ 786,64 Milhões.

Após uma consulta ao CAGED compreendemos que os dados referentes á indústria de


transformação, onde está situada a Moura, demonstra que houve involução (regressão) nos
números de empregos na ordem de 7,67% no ano e de 5,69% nos últimos 12 meses quando
tomado por referência o mês de fevereiro de 2018 a 2019. Pode ser traçado ainda uma linha
paralela de comparação do município de Belo Jardim com o da capital (Recife) e do estado
(Pernambuco), sendo os valores -0,41% por ano e 0,06% nos últimos 12 meses e de 0,34%
por ano e -0,61% nos últimos 12 meses, respectivamente. Assim, pode-se afirmar que: a taxa
de emprego na indústria de transformação em Belo Jardim no ano de 2018 foi de -0,41% e de
0,06% no período comparado entre fev/2018 a fev/2019. Enquanto no estado de Pernambuco
foi de -7,67% no ano de 2018 e de -5,69% no período comparado entre fev/2018 a fev/2019.
Assim, conclui-se que: a taxa de desemprego nesse setor no município de Belo Jardim é
menor do que a taxa percebida no estado de Pernambuco devido a quantidade de empregos
gerados pela indústria de baterias Moura.

3.2. Funcionários
Após pesquisas realizadas com os seus funcionários podemos compreender que a
empresa tem uma política de desenvolvimento profissional ampla onde promove cursos de
qualificação e desenvolvimento profissional contínuo, como por exemplo, o Programa de
Liderança Moura – PLM e o PDE - Programa de Desenvolvimento e Engajamento, ambos os
programas de qualificação internos voltados para o desenvolvimento da liderança profissional.
Dessa forma a empresa busca continuamente desenvolver os seus colaboradores, elevar o
nível de qualificação profissional tomando por referência padrões internacionais, além de
contribuir para o bem estar dos seus funcionários e o alto índice de satisfação desses
indivíduos, e por consequência no aumento da produtividade. A Moura mantém ainda o
10

Programa Moura de Estágio - PME, onde estagiários são treinados nas unidades fabris através
das metodologias Kaizen, e 5S, sempre focando na melhoria contínua. Durante todo o
programa de estágio os egressos são acompanhados por gestores experientes e os que se
destacam ingressam no quadro de funcionários efetivos.

Anualmente é realizada uma pesquisa para medir a motivação dos funcionários


perante a empresa, e esse resultado sempre é positivo na perspectiva do que desejam fixando
sempre a segurança e a qualidade no trabalho.

3.3. Mercados e concorrentes


O Brasil possui amplo parque industrial de fabricação de baterias. A Moura, maior
empresa de capital nacional no setor, produz baterias automotivas em Pernambuco e, portanto,
o estado também tem participação relevante na produção do país. O Quadro abaixo expõe os
principais fabricantes e suas respectivas marcas, trazendo ainda informações como as
aplicações dos produtos e os mercados de atuação das empresas.

Quadro 1. Principais fabricantes de baterias automotivas instalados no Brasil


Empresa Marcas Origem Localização Aplicações das Mercados Porte
do baterias de atuação
capital
Belo Veículos, motos, OEM, Grande
Moura e Jardim(PE) barcos, reposição e
Moura BRASIL
Zetta. Itapetininga(S estacionárias e exportação
P) tracionárias.
Heliar, Veículos, motos, OEM, Grande
Bosch, barcos, reposição e
Johnson
Optima, EUA Sorocaba (SP) estacionárias e exportação
Controls
Varta e tracionárias.
Freedom,
Veículos, motos, Reposição Médio
barcos, e
Ajax Ajax BRASIL Bauru (SP) estacionárias e Exportação
som automotivo.
Veículos e Reposição Médio
Cral Cral BRASIL Bauru (SP) tracionárias. e
Exportação
Veículos, motos, Reposição Médio
Bauru (SP) e
barcos, e
Tudor Tudor BRASIL Gov. Valadares
estacionárias e Exportação
(MG)
som automotivo.
Baterax, Veículos e som Reposição Pequeno
Umuarama automotivo.
Baterax Woltrax e BRASIL
(PR)
Energex
11

Marmeleiro Não disponível. Reposição Pequeno


Camarotto Camarotto BRASIL
(PR)
Veículos, Reposição Pequeno
Apucarana
Eletran Eletran BRASIL tracionárias e
(PR)
som automotivo.
Veículos, Reposição Pequeno
Reifor, estacionária, e
GNB Herbo e BRASIL Londrina (PR) tracionária e som Exportação
Yokohama automotivo.
Veículos e Reposição Pequeno
Cachoeirinha
Inbracell Excell BRASIL tracionárias. e
(RS)
Exportação
Veículos, Reposição Pequeno
estacionária,
Júpiter Júpiter BRASIL Cianorte (PR) tracionária e som
automotivo.
Kondor, Fort Veículos e Reposição Pequeno
Kania BRASIL Rafard (SP)
Light e Dutra tracionárias.
Pioneiro, Veículos, motos, Reposição Pequeno
Piovox , Treze Tílias estacionarias e
Pioneiro BRASIL som automotivo.
Conectiva e (SC)
Arazzo
Veículos, Reposição Pequeno
Apucarana tracionárias e
Ranger Extranger BRASIL
(PR) som automotivo.
Veículos, motos, Reposição Pequeno
Max, Fox, barcos, e
Rondopar Impact e BRASIL sorocaba (SP) estacionárias e Exportação
Prac som automotivo.
Fonte: Relatório BNDES, Baterias automotivas: panorama da indústria no Brasil (2013).

De acordo com dados IBGE, a produção e as vendas incluindo mercado externo,


cresceram respectivamente, 30% e 40% entre os anos de 2005 e 2010, como ilustrado na
Tabela 1. Na mesma base de comparação, a produção de novos veículos cresceu 44,1% e a
frota circulante, da qual depende o mercado de reposição, 39,3%.

As vendas para as montadoras são concentradas na empresa brasileira Moura e na


norte-americana Johnson Controls. Cada uma tem cerca de metade do mercado de OEM,
12

embora outras empresas eventualmente forneçam para montadoras de menor porte instaladas
no Brasil. No mercado de reposição, há maior pulverização, com notável presença de
empresas de menor porte de capital nacional. A Moura tem um market share de cerca de 30%,
contra aproximadamente 25% da Johnson Controls; os 45% restantes estão distribuídos por
diversas marcas.
13

CAPÍTULO 02
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO
Professora: Juliana Roberta
14

2. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

2.1. Definições gerais de Administração da Produção

A Administração da Produção, em suma, é a área da administração que cuida dos recursos


físicos e materiais e que realizam o processo produtivo. A sua meta principal é sempre alcançar a
eficiência e eficácia com efetividade, sendo seus fatores e recursos:

Insumos – matéria-prima qualificada e mais barata;

Trabalho – mão-de-obra adequada, reciclada e atualizada;

Capital – dinheiro (investimento).

De acordo com Chiavenato (2005, pg. 02) “As organizações são constituídas de recurso
como edifícios, instalações, maquinas, equipamentos, dinheiro etc.” além de que se enxerga
claramente a necessidade de pessoas as quais sejam dotadas de habilidade e capacidade para operar
estas organizações de modo que a mesma possa atingir os objetivos operacionais e estratégicos.

É necessária uma serie de competências para alcançar o máximo rendimento de todos os


recursos os quais constituem a organização, e que estes possam reunir os recursos, alcançando assim
os objetivos da empresa. As empresas são exemplos de organizações, já que são constituídas de
pessoas trabalhando em conjunto, estas, que conforme Chiavenato (2005, pg. 02) “[...] essencialmente
dinâmicas, passam por mudanças, tem ciclos de prosperidade ou de dificuldade e necessitam de
constante renovação [...]”.

Em conformidade com Slack et al (2009, pg. 04) “A administração da produção é a atividade


de gerenciar recursos destinados a produção e disponibilização de bens e serviços.” Enxergando as
organizações como um sistema ao qual integra e envolve vários departamentos operando e produzindo
resultados que, por sua vez, devem satisfazer os objetivos estratégicos que foram meticulosamente
definidos.

Conseguimos enxergar a importância de tal área em todo o processo produtivo da Baterias


Moura, desde a busca de seu insumo até a entrega de seu produto acabado ao seu consumidor final. O
cuidado que a organização tem em sua fábrica é maternal, tendo em vista os 10 milhões de baterias
que produzem ao ano. Chegando a afirmativa que, sem uma boa gestão de produção e aplicações das
estratégias corretas, os números seriam bem inferiores.
15

2.2. A produção & A Acumuladores Moura

Seja qual for a lógica a ser utilizada, os Sistemas de Administração da Produção devem
obrigatoriamente alcançar seus objetivos principais que é: fornecer suporte ao atingimento dos
objetivos estratégicos da organização, dando apoio aos itens como:

 planejar as necessidades futura de capacidade produtiva da organização;


 planejar os materiais comprados;
 planejar os níveis adequados de estoques de matérias-primas, semiacabados e produtos
finais, de acordo com os critérios de criação certos;
 programar as atividades de produção para garantir que os recursos produtivos
envolvidos estejam sendo utilizados, em cada momento, nas coisas certas e prioritárias;
 ser capaz de saber e de informar corretamente a respeito da situação corrente dos
recursos (pessoas, equipamento, instalações, materiais) e das ordens (de compra e produção),
 ser capaz de prometer os menores prazos possíveis aos clientes mantendo seu padrão
de qualidade, cumprindo-os, sendo capaz de reagir eficazmente.

Existem três tipos de sistemas de produção: a produção em lotes, produção continua e a


produção sob encomenda, onde daremos destaque para a definição que se encaixa ao tipo de produção
da Acumuladores Moura S.A, a produção contínua.

Por exemplo, claramente os acumuladores de energia da MOURA não são feitos


manualmente, um a um. Eles exigem a ampla entrada de recursos transformadores, como
equipamentos e mão de obra em grande escala.

A sua demanda de baterias (dos mais diversos tipos) foi tão alta no ano anterior que fez com
que a organização estudada abrisse mais uma de suas fábricas de produção em Agosto de 2018.
Completamente autossustentável, com linhas ergonômicas e automatizadas, flexibilidade produtiva,
desenho logístico eficiente e pronta para expansão, a nova fábrica, no pico de operação, tem
capacidade para quase dobrar a produção anual do Grupo Moura, hoje de 10 milhões de acumuladores
de energia, entre baterias automotivas, estacionárias, tracionarias e para motos.

Onde além de ter um maquinário e equipamentos de ponta, empregará diretamente 200


profissionais, os capacitará e, como meta, pretende entregar o dobro de seu 1 milhão mensal de
baterias ao mercado.

Para Chiavenato (2005) as principais características do sistema de produção contínua são


caracterizadas pelo produto que é mantido em produção durante longo período de tempo sem
modificações, além de que a produção contínua facilita o planejamento detalhado e exige máquinas e
16

ferramentas altamente especializadas e dispostas em formação linear e sequencial para a produção de


cada componente do produto final, permite dividir operações de montagem com a quantidade exata de
trabalho para cada operário, com base no seu tempo padrão e no ciclo de produção, e este é produzido
em enormes quantidades ao longo do tempo, a produção contínua permite que as despesas e os
investimentos em equipamentos e gabaritos sejam depreciados (recuperados contabilmente) dentro de
um período mais longo, o que facilita as ações corretivas para resolver rapidamente qualquer problema
de paralisação no processo de produção.

O sucesso do sistema de produção contínua depende totalmente do planejamento detalhado


que deve ser feito antes da produção iniciar um novo produto. A questão da produção e seus sistemas
integram diretamente a qualidade e suas estratégias de interligar todos os processos, pois não basta
produzir atendendo a demanda se existir falhas no processo de qualidade.

2.3. Sistema de Produção

Para produzir com o máximo de eficiência e eficácia, há a singela necessidade de definir e


escolher um sistema de produção que se adeque firmemente ao seu produto/serviço. Seu objetivo é
buscar os meios mais adequados para produzir um determinado produto ou operar determinando
serviço, aplicando diretamente a ideia da racionalização.

Usando como exemplificação, veremos como funciona o Sistema Produtivo e como seriam as
entradas, saídas e o processo de produção da Acumuladores Moura:

FEEDBACK

PROCESSO PRODUTIVO

Almoxarifado de Almoxarifado ou
matérias-primas, Produção contínua e depósito de
insumos e etc. em grande escala, saídas, produtos
equipamentos, acabados,
Clientes, produtos acabados,
Fornecedores, matérias primas, materiais, máquinas serviços de entrega, casas da
insumos, informações,
e mão de obra bateria e etc.
equipamentos, mão de obra,
instalações e etc...

CONTROLE

Figura 1 Sistemas Produtivos e seus componentes.


17

Em concordância com Chiavenato, 2014, pg. 67:

1. Entradas (inputs) ou insumos: É tudo o que ingressa em um sistema para permitir que ele
funcione com efetividade. As entradas podem ser energia, informação, matérias primas, ou
seja, todo e qualquer recurso que alimente o sistema. As entradas veem do ambiente externo.
Saídas (outputs) ou resultados: Aquilo que o sistema produz e devolve ao ambiente externo.
2. Processamento (throughput) ou transformação: É o trabalho que o sistema realiza com as
entradas para poder proporcionar as saídas. É o próprio funcionamento interno do sistema.
3. Retroação (feedback) ou realimentação: Influência que as saídas do sistema exercem sobre as
suas entradas no sentido de ajustá-las ou regulá-las ao funcionamento do sistema.

Na tabela a seguir, veremos, detalhadamente, quais são as entradas, saídas e outros processos
da Acumuladores Moura.

ENTRADAS PROCESSO DE PROD SAÍDAS

Saída dos materiais do Produtos acabados como


Matérias primas principais
almoxarifado e processo de baterias de chumbo-ácido,
como chumbo, lítio,
“linha de corte” para depurar lítio, pilhas alcalinas, baterias
carbono...
os compostos químicos. de uso náutico e etc.
Insumos essenciais como Linha de produção Os dois tipos mais famosos
polímeros, metal, bobinas e ergonômicas, que facilitam a da empresa: Zettan e Zettan
fios. interação homem-máquina Universal.
Mão de obra especializada e
Depósitos e processos de Reciclagem das baterias
já capacitada para manusear
entrega próprias, sendo sustentável.
o maquinário.
Equipamentos de produção
individual, maquinário de
Casas das Baterias, lugares
produção em escala, Mão de obra humana feita
especializados em instalação
instalações, sistema de por equipes coesas e com
e manutenção das
segurança e de exaustão líderes de manufatura
BATERIAS MOURA.
(para as partículas de
carbono e etc)
Serviços de entrega rápida
Montagem e produção de
Embalagens, adesivos e etc. desses produtos com taxa
placas
abaixo do mercado.
Fornecimento de água,
energia e afins. -- --

Além do mais as contribuições Japonesas e Americanas foram essenciais para a busca do


desempenho e a maximização dos resultados, também sendo responsáveis por grande parte do
aumento da produtividade da Baterias Moura.
18

Pois, longo do tempo, o Grupo Moura desenvolveu o Sistema Moura de Gestão (SMG) que
segue um conjunto de boas práticas que norteiam a atuação de cada um dos seus colaboradores, e que
criaram a Cultura Empresarial Moura (CEM). O SMG tem como base uma mistura do método PDCA -
sigla do inglês: Plan, Do, Check e Act ou Adjust que se traduz em Planejar, Executar, Verificar e Agir
– com o método Just In time.

De acordo com Sérgio Moura, foi inserido nos níveis estratégico, tático e operacional, por
meio do Planejamento Estratégico, Gerenciamento pelas Diretrizes e Gerenciamento da Rotina, o
método se torna uma ferramenta sólida para o alcance de metas e patamares superiores para o
resultado do negócio.

“A nossa cultura e o SMG são os dois dos maiores patrimônios da companhia, diretamente
responsáveis por levar o Grupo Moura a alcançar os resultados na geração de desenvolvimento
econômico, criação de novas oportunidades pessoais e profissionais e contribuição ativa para redução
nas desigualdades sociais do País. Em 60 anos de atuação somos uma referência nacional de empresa
familiar bem sucedida, com gestão de resultados e sucessão planejada”, (MOURA, Sérgio. 2018)

Ambas as contribuições para o processo produtivo envolveram questões primordiais como o


uso de informações essenciais e o planejamento prévio, com a finalidade de buscar maiores resultados
organizacional, mostrando assim seu desenvolvimento, crescimento e entendimento das necessidades
do seu consumidor final.

Sendo assim, é possível notar que a administração da produção constitui o núcleo de toda
atividade da empresa e, dessa maneira, se enxerga a importância em se manter competitiva perante o
mercado, alinhando a produção para com os objetivos e estratégias organizacionais, afinal cada
negócio possui seu objetivo de existência.

2.4. Baterias Moura

A Acumuladores Moura, fundada em 1957, possui cinco plantas industriais e 62 centros de


distribuição comercial no Brasil, Argentina, Porto Rico e Inglaterra, além de distribuidores
independentes que atendem toda a região do MERCOSUL e parte do continente europeu. (MOURA,
2010).
Está no mercado a mais de 50 anos e, durante este tempo de vida da empresa, foi pioneira em
várias inovações na fabricação de acumuladores de energia investindo em pesquisa e
desenvolvimento. A empresa, no Brasil, possui duas plantas, sendo uma na cidade de Belo Jardim/PE
e outra na cidade de Itapetininga/SP. As duas fábricas produzem atualmente em torno de dez milhões
de baterias por ano e é marca líder de mercado sendo a mais vendida na América do Sul.
19

A empresa ainda tem o serviço de transportadora, que trabalha exclusivamente com


atuação nacional. Possui produtos reconhecidos no mercado devido à segurança, confiabilidade,
durabilidade, qualidade e tecnologia que apresentam. Destaca-se dentre eles: a Bateria Moura
Inteligente (MI), que tem uma vida útil superior em até 50% à das baterias automotivas convencionais,
segundo pesquisas realizadas pela empresa. Ainda na linha de comercialização de acumuladores, a
empresa tem como opção produtos de segunda linha. Desde 2008 a Moura tem planejado intensificar
seu crescimento, aumentando a produção da fábrica na cidade de Belo Jardim em Pernambuco para
mais de quinze milhões de baterias por ano até 2020.

2.5. A Bateria

Em sua pura definição, a bateria é um acumulador, que transforma energia química em


energia elétrica e vice-versa, normalmente por meio de uma reação de oxirredução. E, por meio a
pesquisas, é notável que a demanda da empresa e seus lucros pesam na produção das clássicas baterias
de chumbo ácido (principal entrada na organização, sendo julgado até como matéria prima para a
criação das placas conectivas da bateria).

A MOURA também fabrica outra series de baterias, sendo elas: náuticas, níquel-cádmio,
alcalinas e de íons de lítio (uma de suas mais novas e caras empreitadas, tendo como fato o custo alto
de produção desse tipo em particular, já que ele exige uma série EPI’s - equipamentos de produção
individual).

Para o aumento da produtividade e alcance da meta de 15 milhões de baterias produzidas ao


ano, a Acumuladores Moura necessita executar uma dualidade estreita entre Maximizar alguns fatores
a respeito dos seus produtos e minimizar outros:

MAXIMIZAR MINIMIZAR
- A confiabilidade; - O tempo de recarga;
- o tempo de uso até a necessidade de nova carga; - o peso e o volume da bateria;
- o desempenho; - o custo e a agressividade ao meio ambiente.
- a densidade energética;
- a faixa de temperatura da operação;
- a vida útil;
- a segurança das baterias.
20

2.6. Processo de produção das baterias

REUSO E
BATERIA RECICLAGEM
ACABADA DA BATERIA
, SENDO
MONTAGEM ENTREGU
PRODUÇÃO DOS E EM
COM AS MÓDULOS E OFICINAS
MATERIAS SEPARAÇÃO DE INSERÇÃO DO E AFINS
PRIMAS CÉLULAS E LÍQUIDO DE
JUNÇÃO DOS INTEGRAÇÃ
COMPONENTE
ATIVAÇÃO O COM TESTES
S QUÍMICOS VEICULOS,
INSERÇÃO
DE PLUGES,
CONECTORE
S E ETC

O maior custo produtivo está concentrado na matéria-prima e em seu processamento, que


responde por 39% do total do orçamento mensal da Acumuladores Moura.

Um estudo da consultoria ROLAND BERGER (2011) aponta para uma expectativa de


queda de 5% a 20% nos custos de cada matéria-prima nos próximos anos, sobretudo em função da
queda prevista dos preços dos minérios (exceto do lítio) e no aumento da competição entre
fornecedores. Sobre a obtenção de matéria-prima, destaca-se a mineração de lítio e chumbo.

A necessidade de importação de matéria-prima é relevante para a internacionalização da


empresa, porque 80% da composição da bateria é formada por chumbo, um mineral que não é
encontrado no Brasil. Os dois únicos meios para utilizar essa matéria-prima na linha de produção são
via compra de sucata de bateria ou importação de chumbo. O principal país fornecedor de chumbo
para a empresa é o Peru. Em segundo lugar, após o chumbo, os itens mais importados são os
separadores; para estes não existem fornecedores locais, são negociados e trazidos dos Estados Unidos
e do Reino Unido (PEREIRA, 2007).

De forma simplificada, a bateria de chumbo ácido é composta por um conjunto de


acumuladores elétricos recarregáveis, interligados convenientemente, construídos e utilizados para
receber, liberar e armazenar energia elétrica por meio de reações químicas envolvendo chumbo e ácido
sulfúrico (ABINEE, 2004).
21

2.7. A fábrica e sua capacidade de produção

UNIDADES GERENCIAS BÁSICAS – FÁBRICA DE BELO JARDIM – PE

Responsável pela Responsável pela Checagem das


Produz as
produção de produção de
óxido, grades e
baterias leves; baterias formadas
baterias médias e e acabadas
placas;
pesadas
responsável pela

SETORES DE APOIO ÀS UNI. PRODUT.

DEMAI TPM GQT CQS

GESTÃO DA CONTROLE DE
DEPARTAMENTO SECRETARIA DE
DE MÁQUINAS E QUALIDADE QUALIDADE, SEGURANÇA
MANUTENÇÃO DA
INSTALAÇÕES TOTAL INDUSTRIAL, HIGIENE E
PRODUTIVIDADE
TOTAL MEIO AMBIENTE
Como resultado do modelo empresarial implementado, em especial na fabricação e
distribuição de baterias, a empresa tem conquistado importantes prêmios de qualidade, atribuídos pelas
montadoras de automóveis de várias partes do mundo (MOURA, 2007).

Na cidade de Belo Jardim, a unidade de fabricação de baterias é composta pelos tipos


voltados para o mercado automotivo e das baterias estacionárias, além de uma unidade de 21
componentes plásticos e uma planta que cuida dos trabalhos metalúrgicos, dedicando-se à reciclagem
da bateria usada e fabricação de uma nova bateria.

A Acumuladores Moura S.A possuía 1.352 funcionários em 2006 e faturou 230 milhões de
reais, entre os quais, 16,2 milhões de dólares com as exportações, que correspondem a 12,2% das suas
vendas. Com crescimento de 16,7%, entre o ano de 2005 e 2006, a empresa saltou da 927ª posição, em
2005, para a 870ª posição, em 2006, no ranking da Revista Exame, referentes às mil maiores empresas
brasileiras por venda. (REVISTA EXAME MELHORES E MAIORES, p. 153, 2007).
22

2.8. Conclusão

Tendo como base de fundamentação todas as informações tratadas ao longo desse trabalho, é
certo afirmar a importância do setor de produção dentro das indústrias, principalmente uma de cunho
tão grande como a Acumuladores Moura. Assim como a imprescindibilidade da utilização de
estratégias como o Just in Time e o PDCA, para que haja sempre um desenvolvimento contínuo nos
sistemas produtivos de tal organização.

A redução de custos é tão valorizada pela MOURA, quanto sua política de baixo impacto
ambiental, utilizando todo o círculo de retroalimentação do Sistema de Produção, recebendo feedbacks
a cerca de seus produtos e fazendo o possível para sempre melhorá-los. Sendo assim, podemos dizer
com segurança, que a Baterias Moura, mantém um fluxo de crescimento internacional e contínuo que
só há, pela frente de sua jornada, melhoras.
23

CAPÍTULO 03
LOGÍSTICA EMPRESARIAL
Professor: Roberto Meira
24

3. LOGÍSTICA

Introdução
A logística é responsável pela administração de materiais e recursos usados em uma
empresa. Controla o estoque e a armazenagem, planeja a movimentação interna e a
distribuição entre fábrica, centro de distribuição e cliente, e operar sistemas eletrônicos.

A logística surgiu há muitos anos onde homens da caverna praticavam criação de


animais e faziam plantações, era necessário métodos de estocagem e guardavam seus
alimentos em potes e jarros, perceberam então eu podiam trocar alimentos por outros itens de
seus interesses. Desde então surgiram os principais pontos da logística: Armazenagem,
Transporte e Estocagem.

3.1. Logística Empresarial

Como conceito da logística, a Council of Supply Chain Management


Professionals (Associação de profissionais de logística - sediada em Illinois, Chicago) define:

“A logística planeja, executa, coordena e controla a movimentação e o


armazenamento eficiente e econômico de matérias-primas, materiais
semiacabados e produtos acabados, desde sua origem até o local de
consumo, com o propósito de atender às exigências do cliente final. ”
(DIAS, 2012, p. 5)

A logística empresarial se estabelece como uma atividade essencial para


as empresas que buscam atender de forma satisfatória seus consumidores e obter vantagem
competitiva no mercado. BALLOU (2014, p. 24) define:

“A logística empresarial trata de todas atividades de movimentação e


armazenagem, que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição
da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como dos fluxos de
informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de
providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável.”
25

3.2. Tipos de Logística

Logística de abastecimento: Essa área logística inclui o armazenamento e


transporte de matérias prima, avalia também de um modo eficiente o nível de abastecimento
em diferentes fases do projeto. Além disso, ela é responsável, também por buscar fontes de
suprimento para reduzir os custos dos projetos.

Logística de produção: Essa área da logística administra as etapas que unem os


matérias distribuídos. Conclui também a coordenação do processo de montagem e de
fabricação, além de administrar o espaço para aplicações, como no caso da produção militar.

É responsável também por preparar o material para gerenciar uma determinada fase
de obra em desenvolvimento.

Logística reversa: Essa área da logística se encarrega de recuperar suprimentos e


materiais em um processo de montagem ou produção, sendo responsável pela volta da
mercadoria, removendo o excesso. É usada com frequência para o planejamento de estratégia
de saída, assim como para a coordenação do deslocamento de matérias e de ferramenta de
volta para o local de armazenagem.

Logística reversa pós-consumo: Os produtos dessas matérias têm de suas classificações o


seu estado de vida de origem dependendo das condições de uso, porém o término de sua vida útil e de
seus resíduos. A Logística, conforme o Roberto Leite é Definido como: A área da atuação da logística,
embora seja operacional que equaciona o fluxo físico de bens, são descartados pela população em
geral, que por fim retorna ao seu ciclo de negócios e produtivos por seus meios de canais de
distribuição. Seu objetivo principal é agregar valores a um produto logístico por bens inservíveis ao
proprietário principal que ainda possui as condições de uso, por um produto ser descartado por ele
chegar ao fim de vida útil, por resíduas indústrias.

Nos duráveis ou semiduráveis, os bens dos produtos entram em um canal reverso de


reciclagem industrial, por tanto, seus componentes são aproveitados e remanufaturados, voltando ao
seu mercado. Nos bens pós-consumo descartáveis, havendo condições dos produtos retornarem por
meio de um canal reverso de reciclagem industrial, em seguida, os materiais serão reaproveitados,
tornando-se matéria-prima. A responsabilidade da indústria da bateria-moura utiliza seus recursos
naturais e requer um processo de sustentabilidade econômica e a redução de desperdícios provocado
pelo consumo e gastos do produto utilizado.
26

Logística de distribuição: Essa área da logística envolve a administração da maneira com


que o material armazenado é efetivamente distribuído. Inclui também o acompanhamento do estoque,
a verificação acerca da responsabilidade de uso (registrando a utilização do abastecimento) e a própria
movimentação dos matérias.

3.3. Terceirização Logística


A terceirização logística para as empresas é uma ótima opção, pois existe a redução de
custos nos processos administrativos e operacionais da organização, já que a folha de pagamento por
exemplo, certamente ficaria pouco “pesada”, considerando que seriam cortadas despesas com algumas
funcionários (salários e encargos trabalhistas). Assim, sua empresa só gasta quando vende – o que é
extremamente positivo para uma empresa.

Aperfeiçoar os processos logísticos economizando tempo e dinheiro é fundamental para


qualquer empresa, ao terceirizar, a empresa já passa a ter um controle simplificado dos custos e
trabalho, tendo assim, a possibilidade de focar nas atividades-fim da empresa, e com isso gerar um
ciclo virtuoso, fazendo com que a empresa tenha mais tempo para desenvolver estratégia e soluções
que melhorem os serviços e produtos.

3.3.1. Terceirização 3 PL
O termo 3 PL significa (Third Party Logistics Provider) ou (Operador de Logística
Terceirizada). No caso é a contratação de uma empresa especializada para assumir as operações
logísticas da sua própria empresa, assim o controle de estoque, os processos de armazenamento e o
transporte de cargas, ficam sob reponsabilidade do parceiro contratado para operar esse serviços
logísticos. Por tanto, o operador de terceirização logística precisa ter autoconhecimento do
funcionamento da sua empresa e suas demandas. Algo feito com o auxilio da tecnologia para coleta e
cruzamento de dados, também tendo vantagem na parceria 3PL, a otimização de custo, melhor gestão
de demandas, melhor planejamento de entregas e prazos. É isso o que permite que 3PL seja
personalizado e capaz de garantir a conquista de metas implantadas pela empresa.

3.4. (Empresa Estudada: Baterias Moura)

A Moura é uma fabricante de baterias de chumbo-ácido, fundada em 1957 na cidade de Belo


Jardim – PE. Atuando nos mercados automotivo, náutico, logístico, de telecomunicações, sistemas
nobreak, e de energia alternativa, sendo de maior expressão o automotivo. É a maior empresa no
segmento de acumuladores elétricos na América Latina. Possui capital 100% nacional e um parque
industrial composto por seis fábricas, sendo quatro em Belo Jardim-PE, uma em Itapetininga-SP, e
uma em Pilar, Argentina.
27

A Moura possui uma capacidade de produção que ultrapassa os 7 milhões de baterias por
ano. Ela fornece baterias para as principais montadoras de veículos do país, como Ford, Fiat, GM e
Mercedes-Benz. Além de possuir uma rede de distribuição própria, com mais de 80 distribuidores no
Brasil, Argentina e Uruguai, para atender o mercado de reposição. A Política Nacional de Resíduos
Sólidos determina por lei que todos os envolvidos no processo de produção, comercialização e
consumo de baterias são responsáveis pela destinação ambientalmente adequada dos produtos. Cabe a
todos os participantes da cadeia garantir que os resíduos dos produtos sejam devolvidos de forma
correta para que não poluam o meio ambiente.

1. Como funciona a logística da empresa?

Os clientes consomem cerca 8 milhões de baterias. Todos esses pedidos são concentrados no
Setor de Atendimento da Fábrica, que operacionaliza junto com o Setor de Logística a Expedição e
Transporte dos produtos, seja pela Transportadora Bitury (própria da empresa), onde atua mais de 90%
da expedição, ou operadores logísticos parceiros. Os Distribuidores (que são 74 no Brasil, 06 na
Argentina e 01 no Uruguai) ainda atendem as revendas (que são cerca de 40 mil no Mercosul), e essas
revendas atendem aos clientes finais. Prezamos por um nível de serviço excelente, atendendo toda a
Legislação Ambiental. O sistema de gestão próprio suporta toda a estratégia através de indicadores
padrão para a área de logística.

On Time In Full:
Indicador de
desempenho.
28

1. A logística da Empresa Moura é Própria ou Terceirizada? Se Terceirizada, até


que ponto?

A logística da Empresa Moura é própria, possuindo alguns parceiros logísticos.

2. Quais meios à empresa utiliza para garanti seu papel de acordo com a legislação,
preservando assim o meio ambiente?

Moura possui uma diretoria de sustentabilidade, que tem a missão de identificar


oportunidades de melhoria e evoluir o sistema ambiental da empresa, gerenciando projetos
relacionados ao meio ambiente. Atualmente a Moura possui um importante programa de logística
reversa, que possibilita reciclar mais de 100% das baterias que produz. A empresa Moura é certificada
desde 2004 com a norma ISO 14001 que demonstra engajamento da empresa nos processos
sustentáveis.

3. Como ocorre o processo da Logística Reserva na empresa Moura?

Mesmo hoje sendo lei a reciclagem de baterias, a Moura já pratica este ato há mais de 30
anos. Só no ano de 2016 foram recicladas mais de 7.000.000 de baterias, o que demonstra o total
comprometimento da empresa com a legislação ambiental (Resolução Conama nº 401/08 e Lei nº
12.305/10, Política Nacional de Resíduos Sólidos). Tendo a logística reversa como uma das etapas do
fluxo de produção a Moura recicla as baterias que produz. Através do PAM – Programa Ambiental
Moura, a Bateria Moura executa todo o ciclo necessário para que a reciclagem dos produtos ocorra
conforme prevista na legislação, a Moura sempre busca firmar um contrato com seus clientes
revendedores, onde eles se comprometem em retornar todos os quilos de baterias usadas que
compraram a Moura. Garantindo que todos os produtos que são colocados no mercado, retornem para
a fábrica. Dessa forma, todos os componentes tóxicos da bateria são neutralizados, e os materiais
como o plástico podem ser reciclados e reutilizados na produção de novas baterias.
29

Como ilustra a figura 1.0 abaixo.

Figura 1.0: Logística Reversa da Empresa Moura

4. Como é o processo logístico da distribuição?

O transporte dos produtos eu estão na fabrica para os distribuidores é feita pela


Transportadora Bitury (que pertence ao grupo Moura). Através dos distribuidores o produto é
disponibilizado ao mercado de reposição. Os distribuidores também vendem para pontos de venda,
tendo esses vários segmentos, Ex. Casas de bateria, varejistas, ou mesmo clientes corporativos que
compram para uso próprio.

A Transportadora também atende ás montadoras de carros que utilizam as baterias Moura.

5. Como funciona o sistema de Armazenagem da empresa?

Como acentuado na imagem 1.0, a Empresa Moura fornece a bateria para o distribuidor, que
por sua vez vende ao ponto venda. Por conta da quantidade de baterias vendidas serem bastante altas,
a armazenagem só existe nos pontos de vendas.
30

CAPÍTULO 04
ANTROPOLOGIA DAS ORGANIZAÇÕES
Professora: Mariana Moraes
31

4. ANTROPOLOGIA DAS ORGANIZAÇÕES


4.1. Cultura Organizacional

Esse é um tema bastante amplo e complexo que sempre sofrerá influência da cultura
de cada colaborador que nela está inserido, compreende um conjunto de valores, crenças,
religião, histórias, autoridades, lideranças e entre muitos elementos. “Se a organização como
um todo vivenciou experiências comuns, pode existir uma forte cultura organizacional que
prevaleça sobre as várias subculturas das unidades” (SCHEIN, apud FLEURY, p.20), ou seja,
mesmo tendo um potencial de diversidade dentro das organizações, por existir diferentes
pessoas, agindo com hábitos e costumes diferentes há uma tendência para uma
homogeneidade das culturas sendo dominada por uma “maior”. “Essa uniformização começa
nas empresas a ideologia tecnocrática instaurou um modo muito semelhante de racionalidade
e de comportamento” (MOTTA, p.18 1997)

O termo “cultura organizacional” tem-se mostrado popular, na tradição ocidental,


entre teóricos e administradores desde a publicação de In search of excellence (PETERS e
WATERMAN, 1982). O termo “cultura” tem suas raízes teoréticas dentro da antropologia social
e foi inicialmente usado como uma forma holística de descrever as qualidades de um grupo
humano que são passadas de uma geração para a próxima. Segundo descreveu Taylor (1971):
“cultura... tomado em seu amplo senso etnográfico, é aquele todo complexo que inclui
conhecimento, crença, arte, moral, lei, costume e quaisquer outras capacidades e hábitos
adquiridos pelo homem como um membro da sociedade”.
32

A cultura nada mais é do que a identidade da empresa é o primeiro elemento que


devemos conhecer dela. A cultura de uma organização é vista como caráter, personalidade
utilizada como mecanismo de controle organizacional. Neste sentido, ela pode ser entendida
como o conjunto de convicções importantes que os membros de uma organização
compartilham.

Podemos dizer que é a forma como a empresa percebe seus colaboradores, se são
confiáveis ou não, se necessitam de controle ou não. É um fator que deve ser levado em
consideração devido ao valor que a empresa dá aos seus recursos humanos. Desta forma, uma
organização caracteriza a sua cultura e a sua maneira de ser.

A forma como as pessoas interagem em uma organização, as atitudes predominantes,


as aspirações e os assuntos relevantes nas interações entre os membros fazem parte da cultura
organizacional. A cultura de uma organização não pode ser resumida em regras escritas. Seus
limites incluem as práticas informais que orientam o comportamento dos membros de uma
organização no seu dia a dia e conduzem seus esforços para alcançar os objetivos
organizacionais.

A importância da Cultura Organizacional de uma empresa é composta


essencialmente por pessoas, e estas são elementos fundamentais, capazes de fazer com que
determinada organização seja próspera ou não no mercado em que atua. Por terem
importância extremamente significativa no contexto empresarial, é necessário que os
colaboradores estejam constantemente alinhados com a missão, visão, e principalmente, com
os valores de uma organização, para que assim sejam alcançados bons resultados para ambas
as partes.

A história da Baterias Moura é um case de sucesso bonito de ser ver, ouvir e sentir. É
uma história de muita energia que relata a saga do pernambucano Edson Mororó Moura, que,
ao lado de sua esposa, Maria da Conceição Moura, desafiou todas as adversidades para
realizar um sonho aparentemente enlouquecido: fabricar e vender baterias de qualidade em
uma cidadezinha perdida no Agreste Pernambucano.

Tudo começou após uma conversa com seu amigo de trabalho, Edson Mororó Moura
chegou para a sua esposa propondo abrir uma fábrica de baterias para carro na região em que
viviam (Belo Jardim-PE), cidade pequena onde havia apenas um carro. Sua esposa o
questionou, achando que era loucura abrir um negócio sem ao menos saber como fabricar o
33

produto, Edson se dispôs a estudar bastante sobre o assunto e ela, impressionada com tamanha
iniciativa, passou a sonhar junto com ele.

As primeiras baterias foram produzidas no quintal de sua casa e mesmo que as


vendas não estivessem ocorrido naquele momento, Edson e Conceição não desistiram. Em
1957 a primeira fábrica já estava constituída legalmente e 10 anos depois, eles conseguiram
um bom financiamento e assim, construíram uma nova fábrica com um padrão extremamente
moderno para a época.

O fundador deixou sua herança para os seus descendentes e uma das exigências dele
foi a seguinte: seus sucessores, no caso, os netos, tem que ir para São Paulo, todos os meses
para fazerem um curso, onde os ensina a manter o patrimônio. Ou seja, aprendem a
administrar as finanças e manter sua herança.

4.2. Linha do Tempo da Organização

1957: Fundação da Acumuladores Moura em Belo Jardim (PE).


1966: Fundação da Metalúrgica Moura.
1983: Início das explorações para os EUA e Início do fornecimento de baterias à Fiat Automóveis S.A.
1984: Lançamento da bateria para veículos movidos a álcool.
1986: Inauguração da planta industrial de Itapetininga (SP).
1988: Início do fornecimento de baterias à Volkswagen do Brasil.
1989: Melhor Desempenho Fiat / Instituição: Fiat
1998: Início do fornecimento de baterias à internacional.
1999: Lançamento da Bateria Moura com Prata
2000: Início do fortalecimento de baterias à Iveco e Lançamento da bateria estacionária
Clean.
2001: Lançamento da bateria tracionária LOG HDP.
2002: Início do fortalecimento de baterias Nissan e Lançamento da bateria tracionária Log
Monobloco.
2003: Lançamento da bateria náutica Boat.
2004: Lançamento da Bateria inteligente.
2005: Início do fortalecimento de baterias à Mercedes-Benz.
2006:Lançamento da bateria Log Diesel.
2007: Bi-campeã do prêmio Interação da Mercedes-Benz
2008: Início do fornecimento à Chery.
2009: Início do fornecimento à GM.
2010: Início do fornecimento à Kia Motors.
2011: Inauguração da planta industrial na Argentina e Lançamento da bateria Moura Clean
Max.
34

2012: Lançamento da nova bateria Moura Automotiva e Lançamento da bactéria Moura


Moto.
2013: Lançamento da bateria Moura VRLA.
2014: Prêmio Valor 1000 – Melhor Desempenho no setor de veículos e Peças / Instituição:
Valor Econômico – 10º Lugar.
2015: Inauguração da Rede de Serviços Moura – RSM e Lançamento da Bateria estacionária
Moura Nobreak.
2016: Lançamento do óleo lubrificante Lubel e Lançamento da nova bateria Moura Moto.
2017: Lançamento de Nova Bateria Moura Automatica.
2018: Lançamento da bactéria Solar Moura 2V.

A cultura Moura é um tema prioritário para a alta gestão da empresa. Devidamente


formalizada, é composta por crença, missão, valores e princípios que regem os passos da
empresa.

4.3. Crença: A empresa acredita no FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS e


acredita que a organização é uma prova de que relacionamentos de confiança são
essenciais para crescer e superar situações de dificuldade. Esta é uma herança do
fundador, que desejam cultivar e fortalecer a fim de consolidar o “Jeito Moura”
e perenizar o nosso negócio. GARANTIR UM FUTURO MELHOR. Somos
otimistas. Acreditamos na melhoria contínua: como indivíduos, empresa e
sociedade. Para nós, o futuro é construído a partir das constantes melhorias que
realizamos em nosso dia a dia e pela nossa capacidade de identificar
oportunidades e transformá-las em projetos concretos.

4.4. Missão: “Produzir e entregar as melhores soluções em baterias com um time


coeso, gerando riquezas, fazendo o novo, bem feito e com paixão”.

Atuamos em toda a cadeia de produção e distribuição de baterias. Da pesquisa e


desenvolvimento, com apoio tecnológico dos principais fabricantes mundiais; passando pela
fabricação, apoiada em um sistema de produção eficiente, que garante produtos com elevado
padrão de qualidade e confiabilidade; à distribuição, baseada em uma exclusiva Rede de
Distribuidores e modelo logístico que asseguram a entrega de nossos produtos e serviços em
todo o Brasil e Mercosul.
35

TIME COESO.
Mobilizamos e energizamos nossos colaboradores e parceiros em torno de crenças e
objetivos comuns. Incentivamos o trabalho colaborativo porque acreditamos que atuando em
time somos mais produtivos e criativos.

FAZENDO O NOVO, BEM FEITO E COM PAIXÃO.


Fazer o novo, bem feito e com paixão; estas três expressões definem o nosso jeito
de ser: o “Jeito Moura”.

Valor:
PESSOAS: Acreditamos nas pessoas.
QUALIDADE: Somos comprometidos em fazer bem-feito.
INOVAÇÃO: Fazemos o novo para perpetuar o nosso negócio.
SUSTENTABILIDADE: Buscamos o crescimento sustentável e a longevidade do
nosso negócio.
CLIENTES: Acreditamos que nosso sucesso depende do sucesso dos nossos clientes.
INTEGRIDADE: Agimos conforme nossos valores e princípios.
PERSISTÊNCIA: Somos incansáveis na superação dos desafios.

As cores: Preto, Azul, Amarelo e Branco são os destaque da empresa.

Segundo o Gerente da Moura:

De fato, a empresa adota um modelo de gestão próprio, que vem


consolidando seu crescimento, com governança corporativa e, de acordo
com o co-presidente da Moura, Paulo Sales, é fundamental para o contínuo
crescimento e melhoria dos resultados da empresa. “Numa análise de
mercado, os resultados registrados em 2017 estão relacionados ao
crescimento nos mercados de reposição e à recuperação na produção de
veículos no Mercosul. Ao mesmo tempo, a companhia deu continuidade ao
seu plano de investimentos, com a implementação de uma nova unidade
fabril em Belo Jardim”, afirma.

“Estruturamos uma combinação de planejamento de longo prazo, disciplina


para sua implementação, foco nos ganhos de produtividade industriais e
administrativos e o fortalecimento e desenvolvimento de novas tecnologias.
Tudo regido por um robustoModelo de Gestão, fundamental para o contínuo
crescimento e melhoria dos resultados da empresa”, completa Paulo Sales,
salientando a importância dos funcionários para potencializar todo o
trabalho. “São pessoas persistentes, talentosas e detentoras do espírito de que
são donas do negócio e que formam o principal diferencial competitivo
do Grupo Moura”, descreve.
36

(Fonte: Folha de Pernambuco, 2019.)

A Moura recebeu o prêmio de empresa mais sustentável do setor da autoindústria


promovido pelo Guia de Sustentabilidade da Revista Exame. O presidente do Conselho de
Administração da Moura, Edson Viana Moura, recebeu a premiação em São Paulo
representando todos que fazem parte da companhia e prezam por um planeta mais sustentável.

Esse prêmio é o reconhecimento de um trabalho antigo da Moura que criou uma


política de Sustentabilidade alinhada aos mais avançados padrões globais, posicionando a
empresa na vanguarda no País. O nosso Programa de Logística Reversa da Moura,
implementado há mais de 35 anos, tornou-se referência na América do Sul.

A Moura recicla 100% das baterias produzidas e vendidas. Dessa forma, garantimos
que as sucatas têm uma destinação ecologicamente correta, evitando assim, que mais de
100.000 toneladas de baterias sejam lançadas no meio ambiente de forma indevida. Hoje, o
Grupo Moura é o maior reciclador de chumbo do Cone Sul.

O recolhimento das baterias inservíveis funciona de maneira simples: ao trocar a


bateria, o consumidor final devolve a usada ao comerciante, em seguida, o comerciante
remete as sucatas para uma das 76 Unidades de distribuição exclusivas Moura espalhadas no
Brasil e do distribuidor são encaminhadas para a unidade de reciclagem da Moura, em Belo
Jardim (PE).

Além de reciclar 100% das baterias que não funcionam mais, a Moura também tem a
preocupação com a escassez de água no semiárido nordestino, onde se concentra a maior parte
da produção da empresa.

Até 2019 o Grupo Moura tem como meta reduzir 50% do consumo de água em suas
operações industriais no município de Belo Jardim, Agreste de Pernambuco. Até 2017, o
percentual alcançado foi de 35%, na comparação com o volume total consumido em 2014.

O trabalho de redução de consumo envolveu amplo diagnóstico em todas as unidades


operacionais, instalação de uma nova Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) e a
implantação de sistemas e práticas de reutilização.

O Grupo Moura promove um trabalho constante de mensuração de seu passivo


ambiental e de impactos atuais promovidos pela produção e transporte de baterias.
37

O monitoramento aprofundado desses indicadores, promovido em parceria com


acadêmicos e auditorias independentes, é responsável por guiar toda a política de mitigação,
contrapartidas ambientais e projetos inovadores de promoção da Sustentabilidade, que
extrapolam as exigências da legislação brasileira.

Esse conjunto de ações tem garantido à empresa ser reconhecida pelas principais
avaliações do mercado nacional, como um dos grupos empresariais mais sustentáveis do País.
38

CAPÍTULO 05
DIREITO DO TRABALHO
Professora: Aparecida Regina
39

5. DIREITO DO TRABALHO
5.1. Análise Jurídica da Empresa ACUMULADORES MOURA S/A.
A empresa familiar, Acumuladores Moura S/A, mundialmente conhecida por
Baterias Moura, é uma sociedade empresaria anônima de capital fechado, fundada em 1957
no agreste do estado de Pernambuco no município de Belo Jardim e hoje após mais de 60
anos de plena atividade e em franco crescimento e desenvolvimento vamos nas linhas a seguir
nos debruçar numa análise do universo das relações do trabalho, especificamente nas unidades
localizadas no Brasil, onde rege a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

Desde a sua fundação, a empresa realizou várias alterações no contrato societário que
por óbvio encontram-se devidamente arquivados na Junta Comercial de Pernambuco –
JUCEPE, seja para a alteração do quadro acionário ou para o aumento do capital, tendo em
vista ser uma sociedade dinâmica e em constante processo de crescimento e expansão
comercial.

Em toda a sua estrutura a empresa emprega mais de 4 mil funcionários e é


responsável pela geração de mais de 2 mil empregos indiretos em unidades de fabricação e
distribuidores autorizados no Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Hoje, com mais de 60 anos de evolução a empresa possui um sistema de Governança


Corporativa e de Governança Familiar que estabelece as regras entre os negócios e a família.

O regime de trabalho adotado pela Moura no Brasil, onde concentra-se a maior parte
das suas atividades é o da CLT, portanto de 44 horas semanais, sendo utilizado o sistema de
ponto eletrônico para tal registro e controle da jornada de trabalho dos seus funcionários como
preconiza o artigo 74 da CLT para empresas com mais de 10 funcionários.

O sistema de banco de horas é um recurso também utilizado para a compensação das


horas trabalhadas extra jornada, sendo este, devidamente estabelecido em acordo coletivo
entre a empresa e as entidades de representação classista, sindicatos de metalúrgicos.

O gozo das férias predominantemente são utilizadas de forma programada a cada


ciclo de 12 meses de trabalho e na grande maioria os beneficiados fazem uso dos trintas dias
de descanso e em menor parcela os funcionários que utilizam 20 dias de descanso e
comercializem os 10 restantes. Embora a nova reforma da CLT permitam a flexibilização das
férias, esta, ainda não é uma prática largamente difundida no ambiente interno da
organização.
40

Como empresa de vulto global que busca liderar mercados e que adota as melhores
práticas de gestão e qualidade é necessário que haja alto investimento nas pessoas que
integram a organização. Alinhado a estes princípios, a Moura mantém programas de
benefícios e de desenvolvimento de carreira que ultrapassam os benefícios de vale transporte,
vale alimentação, vale refeição e plano odontológico e auxílio creche.

A Moura ainda tem um sistema de Participação nos Lucros e Resultados – PLR, que
distribui para os seus funcionários uma parcela dos lucros anuais, como forma de incentivo e
reconhecimento aos esforços conjuntos que anos após ano transformam a Moura numa
indústria sempre mais competitiva no mercado e rentável aos seus acionistas.

Vale destaque para o benefício dos 120 dias de licença maternidade e dos 5 dias para
licença paternidade.

A empresa tem ainda implantados os Programa de Liderança Moura – PLM e o PDE


- Programa de Desenvolvimento e Engajamento, ambos programas de qualificação internos
voltados para o desenvolvimento da liderança profissional. Dessa forma, os funcionários
podem ascender profissionalmente e conquistar as suas aspirações no trabalho amparados pelo
plano de carreira corporativo.

A Moura acretida que fortalecer vínculos garante um futuro melhor. Por isso,
incentiva o ingresso de jovens no mercado de trabalho para a experiência do primeiro
emprego, através do Programa Jovem Aprendiz, onde busca desenvolver a capacidade técnica
dos jovens e encontrar talentos que poderão ser posteriormente efetivados na companhia
dando a eles as mesmas oportunidades de trabalho e desenvolvimento profissional. A mesma
lógica aplica-se aos estagiários admitidos que frequentemente passam a integrar o quadro
efetivo da organização ou em outros casos, acumularem aprendizado para carreira futura.

A Moura atende às normas da lei nº 10.098/2000, admitindo pessoas portadoras de


necessidades especiais no seu quadro de funcionários, alocando-os em funções compatíveis
com as suas respectivas capacidades e limitações, contudo, sem prejuízos ao cumprimento das
suas atividades laborais.

Na lógica do mercado globalizado e a cada dia mais e mais competitivo, é imperativo


concentrar os esforços e energias na atividade fim, assim, as atividades meio podem ser
realizadas de maneira mais efetiva por fornecedores e prestadores terceirizados como por
41

exemplo o fornecimento de embalagens, transporte e fornecimento de mão de obra não


especializada para o cumprimento de tarefas tais como: serviços de limpeza e vigilância.

A empresa também tem contratada uma porção de profissionais autônomos,


representativamente na área de logística para a movimentação de cargas e transportes.

A assessoria jurídica cumpre papel de grande importância na condução dos negócios,


da própria Governança Corporativa e Governança Familiar, contencioso e ainda na orientação
tática e estratégica para a expansão dos negócios, o crescimento da empresa e constante
manutenção do ambiente jurídico e empresarial da Acumuladores Moura frente ao mercado.
42

CONCLUSÃO
Diante todas as informações expostas, podemos afirmar com franqueza que a
BATERIAS MOURA é uma empresa cuja história impressiona qualquer um que se disponha,
a conhecê-la melhor.

Desde a sua cultura organizacional, linhas de produção, chão de fábrica, esforços de


marketing (onde utilizam amplamente as pesquisas de mercado), até a sua própria
distribuidora e o cuidado que tem ao entregar suas mercadorias.

Toda a organização consegue transpassar a inspiração do esforço, da determinação


de seguir um sonho, mesmo que as pessoas o julguem impossível. Pois, parafraseando o
fundador da empresa mencionada, mesmo não sendo projetado para voar, o besouro está por
aí, sacudindo suas asas.

Sendo assim, concluímos após pesquisas que, ao aplicar todos os conceitos teóricos
de maneira amplamente correta e dedicada, com uma gerência capacitada e que sabe lidar
com as mais diversas contingências, a ACUMULADORES MOURA, nos ensina que a
integralização de todos os assuntos tratados nesse trabalho chega ao resultado da fórmula que
poucas empresas bem sucedidas da atualidade tem: o sucesso.
43

REFERÊNCIAS

1. ABELHÃO, A. O que é grande na Baterias Moura é o conhecimento que temos. Inove!-


Empreendedorismo de Base Tecnológica, 2005. Disponível em: <
http://www.universia.com.br/inove/noticia.jsp?noticia=151>. Acesso em: 17 Março. 2019.

2. ABINEE. Reciclagem do Chumbo e Plástico, 2004. Acesso em: 17 Março. 2019.

3. AGARWAL, S.; RAMASWAMI, S. Choice of foreign market entry mode: impact of


ownership, location and internalization factors. Journal of International Business
Studies, v.23, n. 1, p. 1-27, 1992.

4. AMORIM, Mônica A. Learning: a competitive asset in the northeasthern metalworking


industry. Recitec, Recife, v.3, n.1, p.134-144, 1999. Acesso em: 17 Março. 2019.

5. ANFAVEA – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS FABRICANTES DE VEICULOS


AUTOMOTORES. Series mensais de produção desde jan/1957. Disponível em:
<WWW.anfavea.com.br/estatisticas-copiar.html> Acesso em: 10 mar. 2019.

6. BATERIAS MOURA - < www.moura.com.br > Acesso em: 11 abr. 2019

7. BNDES – BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL.


Baterias automotiva: panorama da indústria no Brasil, as novas tecnologias, e como os
veículos elétricos podem transformar o mercado global (2013). Disponível em:
<WWW.bndes.gov.br/bibliotecadigital > Acesso em: 04 abr. 2019.

8. BNDES – BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL.


Baterias Moura: A saga de uma empresa pernambucana.(2016). Disponível em:
<WWW.bndes.gov.br/bibliotecadigital > Acesso em: 04 abr. 2019.

9. BOYO, Haper, WESTFALL, R. Pesquisa mercadológica. Rio de Janeiro: FGV, 1978.

10. CAGED – CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS. Tabelas.


(2019). Disponível em: < http://pdet.mte.gov.br/caged?view=default > Acesso em: 11 abr.
2019.
44

11. CHIAVENATO, I. Administração da Produção. 11ª edição – Rio de Janeiro: Elsevier,


2005.

12. CHIAVENATO, I. Iniciação a Administração da Produção. 1ª edição – São Paulo: Makron,


McGraw-Hill, 1991.

13. CORRÊA, H. L.; CORRÊA, C. A. Administração de Produção e de Operações:


Manufatura e Serviços. Edição Compacta – São Paulo: Atlas, 2005

14. CORRÊA, H. L.; GIANESI, I. G. N.; CAON, M. Planejamento, Programação e Controle


da Produção. MRPII/ERP, Conceitos, uso e implantação, base para SAP, Oracle
Applications e outros Softwares Integrados de Gestão. 5ª edição – São Paulo: Atlas, 2008.

15. HARDING, H. A. Administração da Produção. 1ª edição – São Paulo: Atlas,1981.

16. IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Produção e


vendas de baterias automotivas. (2010) Disponivel em: < www.ibge.gov.br > Acesso em: 11
abr. 2019.

17. IBOPE – INSTITUTO BRASILEIRO DE OPINIÃO PÚBLICA E ESTATÍSTICA. Pesquisa


de mercado na tomada de decisões. Disponivel em: <
HTTP://www.ibope.com.br/calandraWeb/BDarquivos/sobre_pesquisa
/pesquisa_mercado.html >

18. KOTLER, Philip. Administração de marketing: a edição do novo milênio. 10ª Ed. São
Paulo: Prince Hall, 2000.

19. MAYER, R. R. Administração da Produção. 1ª edição – São Paulo: Atlas S.A., 1992.

20. REVISTA EXAME MELHORES E MAIORES, Um império chamado MOURA’S


BATERIAS, p. 153, 2007

21. SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. 3ª edição –


São Paulo: Atlas 2009.