You are on page 1of 14
UNIDADE II Leitura obrigatéria MAGALHAES, Direito a prova, p.17-40 Jomec para catloge Sstemdtieo: 1. Dito & pova: Proceso penal 343.14 cou-s4at ANTONIO MAGALHAES GOMES FILHO DIREITO A PROVA NO PROCESSO PENAL EDITORA rae REVISTA DOS TRIBUNAIS Capitulo 1 EVOLUCAO E CARACTERISTICAS DOS SISTEMAS PROBATORIOS CONTEMPORANEOS 1. Prova, sociedade ¢ poder — 2. Origens do sistema europeu- continental: a inquisigaio — 3. Segue: a teoria das provas legais —4. A reagio ilumi 9. Origens do sistema anglo-americano: 0 jiri — 10. Segue: a law of evidence — II, O sistema adversary € a verdade provavel. 1. Prova, sociedade e poder bre o fendmeno da prova judiciéria no so uniformes, nem resultam de uma evolucao constante e linear, mas representam, a0 contrério, paradigmas referidos a sistemas concretos, sendo, em razd0 disso, fortemente condicionados por tunstancias histéricas e culturais.’ As idéias vigentes jo que em qualquer outro procedimento 10 probatorio judicial o seu cariter social, fade no estd limitada A formagio do mas visa preponderantemente a obtengio € Nelson Boeira, S. Paulo, Perspectiva, 1982 a es 8 KS 5 3 = 2 : << 18 DIREITO A PROVA NO PROCESSO PENAL do consenso do grupo em nome do decisac serd pronunciada a { a fundamental distingo entre as tarefas do juiz ¢ do toriador,? ambos empenhados na reconstrucio de acontecimen- ado das inves pode am c¢ magistrado atua em fungio e no 2 quem deve prestar contas, para vvilidas as conclusées do pr Em outras palavras, a prova ju estabelecimento de uma verdade circunser pordue este no é um fim em si mesmo, mas um i Eolugao de conflitos sociais; e, para que essa finalidade, flcangada, a produgio do convencimento judicial deve obedecer a determinados padrées e rituais, através dos quais a coletividade| possa reconhecer-se.* De outro modo, no seria possfvel compreender a diversidade| dos sistemas probatGrios conhecidos, desde os primitives, em que s apuragio da verdade se faz com recurso a forgas sobrenatu fe da crenga generalizada sobre a interferéncia direta das fdivindades nos assuntos humans. até os mais modernos, assem tados na superioridade da razo © da experimentacéo Assim, longe de constituir reconstituigao dos fatos realizada impregnada por fatores sociais, politicos, no tempo € No espaco, cujo exame seria praticamente inesgotav Henri Lévy-Bruhl, La preuve judiciaire: étude de sociologie juri c re, 1964, p. 29. 7, nota 5. SISTEMAS PROBATORIOS 19 Dentre tais condicionantes, 6 imprescindivel sublinhar concepgdes sobre 0 papel do processo — e, especiaimenre, de prova ~~ estio diretamente relacionadas aos escopos de meeps Estado: assim, num Estado que pretenda organizar a vita see 10s € conduzir a sociedade, o procedimento probaténio tenderd a exercer uma fungio de maior investigacao dos fate 20 contério, para uma organizacio estatal preocupada somente fem manter 0 equilfbrio social, preservando a autodeterminacae dn individuos, © modelo certamente se limitaré a discipline 5 encontro entre os interessados e, como conseqiigncia, a atividad, estard menos afetada pelos interesses do. proprio Para os fins do presente estixlo, entendemos ser necesséti examinar, pelo menos, 0s tragos essenciais da evolugio dos dois principais sistemas probatérios contemporineos —o europen, continental e 0 anglo-americano —, até porque as qu. to a prova esto diretamente rel de proceso justo que emerge dos textos intemacionais (os humanos.? 2. Origens do sistema europeu-continental: a inquisigéo A estruturagio do sistema probaté robatério europeu-con caps tagoreesnestndslnftecian os tena temporineos, esté fundamentalmente ligada a crise da sociedade peragio do io Denti, ¥. a propésit le prove nei process (0 processuale, 20:58-65, 1975, y