You are on page 1of 4

Ministério da Educação

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ


Campus Curitiba

PLANO DE ENSINO

CURSO Bacharelados e Licenciaturas do Campus Curitiba da UTFPR MATRIZ SA

(Resolução do COEPP que aprovou a matriz curricular do curso e, se houver, resoluções


FUNDAMENTAÇÃO LEGAL
posteriores relativas à disciplina/unidade curricular) - SA

DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO CARGA HORÁRIA (horas)


Equações Diferencias Ordinárias MA70G 3 AT AP APS AD APCC Total
64 0 4 0 0 68
AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas, APS: Atividades Práticas Supervisionadas, AD: Atividades a Distância, APCC: Atividades
Práticas como Componente Curricular.

PRÉ-REQUISITO MA61B (ou K1D040, ou MA31K) E MA62A (ou K2D130, ou MA32J).


EQUIVALÊNCIA MA33K, K3D210, MA63B

OBJETIVOS
Desenvolver o raciocínio matemático e possibilitar aos educandos o domínio de técnicas do Cálculo Diferencial e Integral,
visando sua aplicação na análise e resolução de problemas da área de Ciências e de Engenharias.

EMENTA
Equações Diferenciais de Primeira Ordem. Equações Diferenciais de Segunda Ordem. Sistemas de Equações Diferenciais.
Equações Diferenciais Não-lineares e Estabilidade. Equações Diferenciais Parciais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ITEM EMENTA CONTEÚDO
1.1 Equações Diferenciais Autônomas.
1.2 Equações Diferenciais de Variáveis Separáveis.
1.3 Equações Diferenciais Homogêneas de Primeira Ordem.
1.4 Equações Redutíveis às Equações Diferenciais de Variáveis
Separáveis.
1.5 Equações Redutíveis às Equações Diferenciais Homogêneas.
1.6 Fatores de Integração.
1.7 Equações Diferenciais Exatas.
1 Equações Diferenciais de Primeira Ordem.
1.8 Equações Diferenciais Redutíveis às Equações Diferenciais Exatas.
1.9 Equações Diferenciais Lineares.
1.10 Equações Diferenciais de Bernoulli.
1.11 Equações Diferenciais de Riccati.
1.12 Definição de Envoltórias, Envolvidas e Evolutas.
1.13 Solução Singular de uma Equação Diferencial.
1.14 Equação Diferencial de Clairaut.
1.15 Equação Diferencial de Lagrange.
2.1 Equações Diferenciais de Segunda Ordem.
2.2 Equações Diferenciais Lineares e Homogêneas de Coeficientes
Constantes.
2.3 Equações Diferenciais Não-homogêneas.
2.4 Método dos Coeficientes a determinar (Método de Descartes).
2.5 Método da Variação dos Parâmetros (Método de Lagrange).
2 Equações Diferenciais de Segunda Ordem.
2.6 Método dos Operadores. Simplificação no Emprego dos
Operadores.
2.7 Definição das Equações Diferenciais Lineares de Coeficientes
Variáveis.
2.8 Equação Diferencial de Cauchy-Euler.
2.9 Aplicações.
3.1 Definição de Sistema Canônico.
3 Sistemas de Equações Diferenciais. 3.2 Definição de Sistema Normal.
3.3 Sistemas de Equações Diferenciais na Forma Simétrica
3.4 Sistemas Lineares Homogêneos
3.5 Sistemas Lineares Não-Homogêneo
4.1 Sistemas autônomos, pontos críticos e soluções periódicos
Equações Diferenciais Não-lineares e
4 4.2 Estabilidade e sistemas lineares
Estabilidade.
4.3 Método do plano de fases
5.1 Definição de Equações Diferenciais Parciais.
5 Equações Diferenciais Parciais. 5.2 Equação Diferencial Linear de Primeira Ordem
5.3 Equação de Derivas parciais de segunda ordem

PROFESSOR TURMA
Vanessa Hlenka S81

ANO/SEMESTRE CARGA HORÁRIA (aulas)


2012/1 AT AP APS AD APCC Total
68 4 72
AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas, APS: Atividades Práticas Supervisionadas, AD: Atividades a Distância, APCC: Atividades
Práticas como Componente Curricular.

DIAS DAS AULAS PRESENCIAIS


Dia da semana Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
18 0 0 16 0

PROGRAMAÇÃO E CONTEÚDOS DAS AULAS (PREVISÃO)


Dia/Mês ou Número de
Conteúdo das Aulas
Semana Aulas
05/03 AULA 01 – Introdução as Equações Diferenciais 2
08/03 AULA 02 – ED de variáveis separáveis 2
12/03 AULA 03 – EDOs Homogêneas 2
15/03 AULA 04 – Redutíveis às homogêneas e variáveis separáveis 2
19/03 AULA 05 – Exatas e fator integrante 2
22/03 AULA 06 – ED Lineares 2
26/03 AULA 07 – ED de Bernoulli 2
29/03 AULA 08 – ED de Ricatti 2
02/04 AULA 09 – Envoltórias: Soluções Singulares, Interpretação Geométrica, Equações de Clairaut. 2
09/04 AULA 10 – ED de Lagrange. Outros tipos de equações 2
12/04 AULA 11 – Exercícios Gerais 2
APS AULA 12 – Modelos Matemáticos e Aplicações
16/04 PRIMEIRA PROVA e entrega da APS1 2
19/04 AULA 13 – EDO de segunda ordem e ordem superior - Coeficientes constantae 2
23/04 AULA 14 – Equação de Cauchy-Euler. 2
26/04 AULA 15 – Método dos Coeficientes a Determinar (Descartes). 2
03/05 AULA 16 – Método da variação de parâmetros 2
07/05 AULA 17 – Método do operador derivada 2
10/05 AULA 18 – ExercícIos Gerais 2
APS AULA 19 – Modelagem com Equações Diferenciais de ordem superior 2
14/05 SEGUNDA PROVA e entrega da APS2 2
17/05 AULA 20 – Sistema Canônico e sistema Normal
21/05 AULA 21 – Sistemas de equações na forma simétrica 2
24/05 AULA 22 – Matrizes e sistemas de equações lineares de primeira ordem 2
28/05 AULA 23 – Sistemas Lineares Homogêneos
31/05 AULA 24 – Sistemas Lineares Não-Homogêneos 2
04/06 AULA 25 – Sistemas Autônomos e Estabilidade 2
AULA 26 – Equações diferenciais parciais (Introdução, Definição, Formação, Método de
11/06 2
Lagrange)
AULA 27 – Método de Charpit e Equações com derivadas parciais em relação apenas a uma
14/06 2
das variaáveis
18/06 AULA 28 – Equação de derivadas parciais de segunda ordem 2
21/06 AULA PARA DÚVIDAS 2
25/06 TERCEIRA PROVA e entrega da APS3 2
28/06 AULA PARA DÚVIDAS 2
02/07 Segunda Chamada 2
05/07 Prova de recuperação 2
09/07 Entrega das notas e avaliações 2
11/07 Atividades Práticas Supervisionadas 4
PROCEDIMENTOS DE ENSINO
AULAS TEÓRICAS
Conforme estabelecido no Regulamento Didático-Pedagógico do correspondente Curso e de acordo com o Plano de Aula do
Professor da Disciplina.
Aulas expositivas com eventual uso de recursos gráficos e computacionais.

AULAS PRÁTICAS
Conforme estabelecido no Regulamento Didático-Pedagógico do correspondente Curso e de acordo com o Plano de Aula do
Professor da Disciplina.
Não se aplica.

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS


Listas de exercícios complementares a serem entregues em datas previamente estabelecidas. Estas listas contribuirão com
até 20% da Avaliação Normal em Procedimentos de Avaliação.
Entrega das Aps:
- As APS deverão ser entregues em folha sulfite ou almaço, grampeadas ou encadernadas (não necessita ser digitado, mas
exige-se que esteja clara e concisa)
- As APS que não forem entregues no dia estipulado ou no modelo exigido não terão seu valor computado na nota final.

ATIVIDADES A DISTÂNCIA
Não se aplica.

ATIVIDADES PRÁTICAS COMO COMPONENTE CURRICULAR


Não se aplica.

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO
Conforme estabelecido no Regulamento Didático-Pedagógico do correspondente Curso e de acordo com o Plano de Aula do
Professor da Disciplina.
Atendendo ao parágrafo terceiro, do artigo 34, do capítulo VII, da Resolução número 112/10/COEPP, de 29 de novembro de
2010, que estabelece que: para possibilitar a recuperação do aproveitamento acadêmico, o professor deverá proporcionar
reavaliação ao longo e/ou ao final do semestre letivo, a avaliação da disciplina será dividida em duas formas as quais passam
a ser identificadas como: Avaliação Normal e Avaliação de Recuperação.

A Avaliação Normal (AN) será obtida mediante o seguinte cálculo: AN=[(P1+APS1)+(P2+APS2)+(P3+APS3)]/3,


onde P1, P2 e P3 são as avaliações parciais (valendo 9,0 cada), e as atividades práticas supervisionadas (APS) valem 1,0
cada.

A Avaliação de Recuperação ocorrerá após ao fechamento da nota da Avaliação Normal. O aluno que obtiver, na Avaliação
Normal, nota igual ou superior a 6 (seis) pontos e tenha 75% ou mais de presença estará aprovado na disciplina, estando
liberado da Avaliação de Recuperação (se assim o desejar). A nota da Avaliação Normal deverá ser divulgada antes da
realização da Avaliação de Recuperação (R).

A nota da Avaliação de Recuperação (AR) poderá substituir a nota mais baixa entre P1, P2, P3 ou AN.

Há de se enfatizar que se o aluno não tem o mínimo de presença estabelecido regimentalmente, então tal aluno não poderá
realizar a Avaliação de Recuperação, pois já estará reprovado na disciplina. A nota dos alunos com frequência mínima que
não realizarem a Avaliação de Recuperação será aquela obtida na Avaliação Normal.
REFERÊNCIAS
Referências Básicas:
ABUNAHMAN,SERGIO A. Equações Diferenciais: LTC, 199
BOYCE, W. E. e DIPRIMA, R. C. Equações diferenciais elementares e problemas de valores de contorno. Rio de Janeiro:
LTC, 2002.
ZILL, D. G. Equações diferencias: com aplicações em modelagem. São Paulo: Pioneira Thomson, 2003.
ZILL, D.G.; GULLEN, M.R..Equações Diferenciais. Vol 1 e Vol 2. Pearson, 2006
KREYSZIG, Erwin. Advanced Engineering Mathematics.LTC. 1999.

Referências Complementares:
AYRES JÚNIOR, F. Equações diferenciais. São Paulo: McGraw Hill, 1959.
FIGUEIREDO, D. G.; NEVES, A. F. Equações Diferenciais Aplicadas. Rio de Janeiro: IMPA, 1997.
IÓRIO, V. de M. EDP: um curso de graduação. Rio de Janeiro: IMPA, 2001.
SIMMONS, G. F. Equações Diferenciais: teoria, técnica e prática. 1a. Ed. São Paulo: McGraw Hill, 2007.
SPIEGEL, M. R. Cálculo Avançado. São Paulo: McGraw Hill do Brasil, 1971.

ORIENTAÇÕES GERAIS
A Freqüência Mínima às aulas é de 75% do total de aulas ministradas. Freqüência inferior a 75% implica em reprovação,
independentemente das notas obtidas.

Regulamento da Organização Didático-Pedagógica dos Cursos de Graduação da UTFPR:


Art. 36 – No caso do aluno perder alguma avaliação presencial e escrita, por motivo de doença ou força maior, poderá
requerer uma única segunda chamada por avaliação, no período letivo.
§ 1º – O requerimento, com documentação comprobatória, deverá ser protocolado no Departamento de Registros Acadêmicos
até 5 (cinco) dias após a realização da avaliação.
§ 2º – A análise do requerimento será feita pela Coordenação do Curso ou Chefia do Departamento Acadêmico ao qual a
disciplina está vinculada, cujo resultado será comunicado ao professor da disciplina, com homologação da Diretoria de
Graduação e Educação Profissional.
§3º – O professor definirá os conteúdos e a data da avaliação

Art. 37 – Para efeito de verificação da frequência, não haverá abono de faltas ou compensação de frequência, exceto para os
casos previstos em lei.

SEGUNDA CHAMADA:
 No caso do aluno perder, por motivo de doença ou força maior, alguma avaliação parcial composta apenas de prova ou teste de
conhecimentos, poderá ser solicitada, através de requerimento protocolado nas Seção de Registros Acadêmicos, anexando a
devida comprovação, uma única segunda chamada por disciplina, no semestre ou ano letivo, desde que solicitada em até 10 (dez)
dias corridos após a realização da avaliação. A solicitação, via requerimento, prevista neste artigo poderá ser deferida ou não, após
análise da chefia do Departamento Acadêmico ou Professor ao qual a disciplina esteja vinculada.
 A avaliação versará sobre todos os conteúdos ministrados na disciplina durante o semestre.

Assinatura do Professor Assinatura do Coordenador do Curso