You are on page 1of 26

Nutrição

&
Doenças Autoimunes
Priscila Di Ciero
www.prisciladiciero.com.br
@pridiciero
www.facebook.com/nutripridiciero
Geralmente, após diagnostico, as pessoas se
questionam:
• O que está errado comigo?
• Por onde começo primeiro?
• Posso ficar livre de vez dessas dores?
• Será que tenho poder de fazer com isso não
progrida?
• Será que tem cura de forma natural?
• Será que posso reverter?
• Existe ainda alguma esperança?
• O que devo ou não devo comer?
• Terei uma vida “normal”?
Exemplos de doenças autoimunes:
• Artrite reumatoide: doença inflamatória crônica que afeta muitas articulações, incluindo as das mãos
e dos pés.
• Lúpus eritematoso sistêmico: Doença inflamatória causada quando o sistema imunológico ataca seus
próprios tecidos.
• Doença celíaca: Reação imunológica à ingestão de glúten, uma proteína encontrada no trigo, na
cevada e no centeio.
• Síndrome de Sjögren: Distúrbio do sistema imunológico caracterizado por olhos secos e boca seca.
• Polimialgia reumática: Doença inflamatória que causa dores musculares e rigidez nos ombros e
quadris.
• Esclerose múltipla: Doença em que o sistema imunológico destrói a cobertura protetora de nervos.
• Espondilite anquilosante: Artrite inflamatória que afeta a coluna vertebral e as articulações grandes.
• Diabetes tipo 1: Doença crônica em que o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina.
• Alopecia areata: Queda repentina de cabelo que começa com uma ou mais áreas calvas circulares
que podem se sobrepor.
• Vasculite: Inflamação dos vasos sanguíneos que causa mudanças nas paredes dos vasos sanguíneos.
• Arterite temporal: inflamação dos vasos sanguíneos (artérias) no couro cabeludo e ao redor dele.
O que são doenças autoimunes?
• São aquelas em que o sistema imunológico de um indivíduo ataca e destrói
tecidos saudáveis do próprio corpo, como que por engano. Estima-se que
as doenças autoimunes sejam pouco mais de trinta, embora alguns relatos
falem em cerca de oitenta.
• Estas doenças afetam cerca de 3 a 5% da população mundial, sendo que
algumas pesquisas chegam a mencionar 20%. (Nos EUA estima-se que 50-
75 milhões de pessoas tenham doença autoimune);
• Atacam mais mulheres do que homens;
• São doenças que podem ser PREVENIDAS e entrarem em remissão (apesar
de muitos profissionais não acreditarem nisso).
• Diagnostico é sempre feito por um MÉDICO.
O que eu vejo na prática clínica:
• A medicina convencional vê o problema no órgão, E NÃO NO SISTEMA
IMUNOLOGICO;
• ACREDITA que tudo é culpa da genética;
• Não acredita que pode ser PREVENIDA e/ou revertida;
• SOMENTE pode ser tratada com medicamentos pesados e que a
DIETA em nada tem influencia;
• O paciente não se interessa em saber mais sobre a doença, sobre si
mesmo, e não corre atrás pra saber quais as reais causas do
aparecimento da doença!
“Nos últimos 50 anos houve um aumento de
300% de doenças autoimunes.”

~Donna J. Nakazama – The autoimune epidemic~


Existem sintomas de doenças autoimunes?
• Apesar dos pacientes com doenças autoimunes poderem apresentar alguns sinais
e sintomas inespecíficos, como cansaço, febre baixa, desânimo, emagrecimento e
mal estar geral, a verdade é que o quadro clínico de cada doença autoimune é
muito diferente. Doenças como, por exemplo, lúpus, diabetes tipo 1 e psoríase
atacam órgãos diferentes, de formas distintas, e, por isso, apresentam sinais e
sintomas próprios. Elas são doenças tão diferentes que são tratadas por
especialistas distintos, como endocrinologista, reumatologista e dermatologista,
respectivamente. A única semelhança entre elas é o fato de terem uma origem
autoimune.
• Não existe, portanto, um sintoma que seja específico de doença autoimune. Cada
doença autoimune tem seu próprio quadro clínico.
• O diagnóstico das patologias autoimunes é habitualmente feito baseado no
quadro clínico e na pesquisa de auto-anticorpos no sangue. O auto-anticorpo mais
comum é o FAN - FATOR ANTINUCLEAR - que pode estar positivo em várias, mas
não todas, as doenças autoimunes.
“Se você tem uma doença autoimune, você tem
3x mais chance de desenvolver outra.”

~American Journal of Medicine, 2010~


CAUSAS

 Disbiose
 Dieta
genético
25%

propriamente
dita
 Toxinas
ambiente
75% ambientais e na
comida
 Infecções virais
e bacterianas
 Estresse
DISBIOSE
Faça do seu intestino seu (melhor) amigo
• 60-80% de seu sistema
imune está localizado em
seu intestino;
• É a porta de entrada pra
sua saúde ou pra sua
doença;
• Assistam todos os vídeos
da série no
youtube.com/nutribruxa.
CAUSADORES DA DISBIOSE:
• Sensibilidade
alimentar
• Parasitas
• Cândida e
supercrescimento
fúngico
• SIBO (proliferação
excessiva de
bactérias no
intestino delgado)
• Medicações
• Stress
PROGRAMA 4R
1. Remover
Remova o que é ruim. O objetivo é se livrar das coisas que afetam negativamente o
ambiente do trato gastrointestinal (GI), tais como alimentos inflamatórios, infecções e
substâncias que irritam o sistema gástrico como álcool, cafeína ou drogas. Alimentos
inflamatórios como glúten, lactose e proteína do leite em si, milho, soja, açúcar (e
alguns casos, grãos, amendoim, pistache e ovos) podem levar a sensibilidades
alimentares. Infecções podem ser causadas por parasitas, leveduras ou bactérias.
Remover as infecções pode requerer tratamentos com ervas, medicamentos
antiparasitários SE PRECISAR, medicamentos e suplementos antifúngicos e até mesmo
antibióticos em casos mais graves.
2. Restaurar
Restaurar o que é bom. Acrescente de volta os ingredientes essenciais para uma
digestão e absorção adequadas, que podem ter sido empobrecidos ou esgotados por
conta da dieta, drogas ou remédios (como, por exemplo, medicamentos antiácidos),
doenças ou pelo simples avanço da idade. Isso incluir tinturas e extratos secos com
potencial de corrigir pH estomacal, algumas vezes suplementamos enzimas e etc.
PROGRAMA 4R
3. Reparar
Fornecer os ingredientes necessários para ajudar o intestino a se
reparar é essencial. Um dos meus suplementos favoritos é a L-
Glutamina, um aminoácido que ajuda a rejuvenescer o revestimento da
parede intestinal. L-arginina que ajuda a aumentar a espessura da
parede intestinal e outros nutrientes chave incluem zinco, omega, 3,
vitaminas A, C e E, e fitoterápicos com capacidade prebiótica.
4. Reinocular
Fornecer PROBIÓTICOS, kefir, bebidas e alimentos fermentados quando
se tem indicação. Mas acima de tudo, ajustar a dieta e fornecer fibras
bifidogênicas (que servem de alimentos pras nossas próprias bactérias)
pra que elas possam crescer, desenvolver e fazer todo o serviço.
O glúten realmente é um problema?
• Teoria da hibridização (técnica de melhoramento genético feito a
partir de cruzamentos de diferentes linhagens de trigo) E DA
desaminação (remoção de um dos aminoácidos das proteínas do
gluten, o que o torna mais solúvel em agua e fica mais fácil da
indústria o usar em TUDO!);
• NUNCA ESTIVEMOS tão expostos ao glúten como antes, o que
sobrecarrega nosso intestino e nosso sistema imunológico;
• Glúten estimula a quebra das tigh junctions e leva à disbiose;
• MIMETISMO MOLECULAR
MIMETISMO MOLECULAR
• Existem sequências de aminoácidos
destes antígenos (partícula externa) que são
semelhantes a outros tecidos do corpo. O nosso
sistema imune lê esses antígenos pela sequência
das suas proteínas de superfície. É como ser
parado por um policial que está à procura de um
tipo e modelo de carro semelhante ao seu, pois
um criminoso suspeito foi visto dirigindo esse
mesmo carro mais cedo naquele dia.
• Alimentos como o glúten podem facilmente
fazer com que o sistema imunológico comece a
atacara glândula tireóide, o cérebro, o trato
intestinal (celíaca, Chron, colite ulcerativa) ou
outro tecido do sistema nervoso com base na
similaridade e predisposição genética.
“Mais de 55 doenças são linkadas com o glúten”
~New England Journal of Medicine, 2002.~
• Alimentos geneticamente modificados
• Corantes, conservantes, acidulantes
• Frutose adicionada em alimentos e bebidas;
• Gordura vegetal hidrogenada (trans);
• Fast food;
• Óleos vegetais como soja, milho, canola;
• Refrigerantes e sucos de saquinho;
• Comida altamente processada e cheios de
agrotóxicos;
O glúten é realmente um problema?
• Estudos demonstram a presença de zonulina no intestino, proteína que tem a
capacidade de modular as junções intercelulares, alterara a permeabilidade
intestinal e, consequentemente, a passagem de macromoléculas e antígenos.
Muitas doenças autoimunes podem ser relacionadas ao aumento da
permeabilidade intestinal.
• A zonulina pode estar envolvida na patogênese de tais doenças. E a gliadina,
proteína presente no glúten, é um dos fatores mais potentes para provocar a
liberação e ação da zonulina, que, associada à predisposição genética do
indivíduo, pode desencadear doenças, como a doença celíaca e diabetes
melito tipo 1.

• Ref.: Drago S1, El Asmar R, Di Pierro M, Grazia Clemente M, Tripathi A, Sapone


A, Thakar M, Iacono G, Carroccio A, D'Agate C, Not T, Zampini L, Catassi C, Fasano A
. Gliadin, zonulin and gut permeability: Effects on celiac and non-celiac intestinal
mucosa and intestinal cell lines. Scand J Gastroenterol. 2006 Apr;41(4):408-19.
VITAMINA D
• Vitamina D promove a regulação das células T, que são responsáveis pela diferenciação
acurada do que é realmente invasor e do que é nossas próprias células. Ou seja,
adequadas quantidades de vitamina D no plasma deixa nosso sistema imunológico mais
INTELIGENTE, ensinando a ele não atacar nossas próprias células e, com isso, previne o
aparecimento da doença autoimune.
• trabalhos na área ainda não são conclusivos, mas há alguns que demonstram altas taxas
de doenças autoimunes (assim como a progressão da doença) em pessoas deficiências
de vitamina D.
• Alguns autores priorizam de 60-90 ng/mL, e trabalho Am J Clin Nutr
2004;80(suppl):1678S–88S prioriza de 75-125 nmol/L.
• Exame 25-OH-vitamina D3
• É importante garantir com a suplementação de vitamina D (caso ela seja necessária) a
ingestão concomitante de vitamina K2 mk7 + Magnésio. Assim, assegura-se maior
eficiência no caminho metabólico que a vitamina D tem que tomar.
• Cardápio tem que garantir boas doses de vitamina E e A, pq trabalham sinergicamente
com a vitamina D!
"Deficiência de vitamina D e a baixa exposição aos raios UVB já
demonstraram aumentar risco pra alguns tipos de câncer, diabetes tipo
1, artrite reumatóide e esclerose múltipla, e há alguns indícios para
maior risco de diabetes tipo 2 e esquizofrenia.“

~Am J Clin Nutr 2004;80(suppl):1678S–88S~


“Sua comida pode ser tanto a forma mais segura e
poderosa de medicina, como a forma mais lenta de um
veneno.”

~Anne Wigmore~
Cuidados primordiais nos doentes
autoimunes:
1. Corrigir a disbiose;
2. Melhorar a dieta como um todo
e corrigir (as vezes por
suplementação) a deficiência de
nutrientes;
3. Eliminar ou suprimir ao máximo
toxinas ambientais e dos
alimentos;
4. Curar infecções (quando
presentes);
5. Aliviar estresse.
Comam algo
saudável por mim
e obrigada pela
atenção!
Priscila Di Ciero
www.prisciladiciero.com.br
@pridiciero
www.facebook.com/nutripridiciero