You are on page 1of 12

2

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESTOQUES

1. INTRODUÇÃO
.......................................................................................................................................
2
2. ABORDAGEM TEÓRICA
.......................................................................................................................................
3
2.1. HISTÓRICO
................................................................................................................................
3
2.2. CONCEITO
................................................................................................................................
3
2.3. MÉTODOS E SISTEMAS PARA REGISTRO DAS OPERAÇÕES COM
MERCADORIAS
................................................................................................................................
3
3

2.4. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES


................................................................................................................................
4
2.4.1. PREÇO ESPECÍFICO
4
2.4.2. PEPS
5
2.4.3. UEPS
6
2.4.4. CUSTO MÉDIO PONDERADO MÓVEL
7
2.4.5. CUSTO MÉDIO PONDERADO FIXO
7
2.5. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MÉTODOS
.............................................................................................................................................
8
3. CONCLUSÃO
.................................................................................................................................................
10
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
.......................................................................................................................................................
11

1. INTRODUÇÃO

O presente trabalho trata-se dos principais critérios de avaliação dos estoques


adotados pelas empresas com sua real situação, são eles: Preço específico, PEPS,
4

UEPS, Custo médio ponderado fixo e Custo médio ponderado móvel, tendo por
finalidade mostrar a real situação dos bens destinados à transformação, reposição e a
venda, sem que haja desperdícios, pois tais bens representam o patrimônio físico das
empresas.
Abordaremos a importância dos estoques dentro da atividade principal da empresa,
bem como, seu funcionamento e sua aplicação, além de uma análise comparativa dos
critérios que são de grande relevância para a tomada de decisões, não deixando de ver
alguns exemplos para melhor compreensão.

2. ABORDAGEM TEÓRICA

2.1 HISTÓRICO
5

O crescimento do comércio internacional durante o período medieval conduziu a um


conjunto de inovações financeiras e organizacionais. Durante o século XII, surgiu e
consolidou uma forma de organização denominada compagnia. A organização desses
empreendimentos se desenvolveu e expandiu por toda Europa em virtude da expansão
comercial ocorrida no final da Idade Média e que resultou, posteriormente, nas
aventuras marítimas dos portugueses e espanhóis. Paralelamente, a melhoria da técnica
contábil, com as partidas dobradas, possibilitou um controle e avaliação das operações
da compagnia, uma vez que sua gestão era bastante centralizada.
Uma conseqüência disso é que possibilitou maior facilidade na aquisição do
conhecimento a respeito de mercado particular. Com isso, os estoques passaram a
representar um dos ativos mais importantes do capital circulante e da posição financeira
da maioria das companhias industriais e comerciais. A sua correta determinação no
inicio e no fim do período contábil é essencial para uma apuração adequada do lucro
líquido do exercício. Os estoques estão intimamente ligados às principais áreas de
operações dessas companhias e envolvem problemas de administração, contabilização,
controle e principalmente de avaliação.

2.2 CONCEITO

O termo "estoque" designa o "conjunto" dos itens materiais de propriedade da


empresa que:
• São mantidos para venda futura;
• Encontra-se em processo de produção;
• São correntemente consumidos no processo de produção de produtos ou serviços
a serem vendidos.
Os estoques limitam-se, em geral, ao estoque de produtos destinados à
comercialização e ao estoque de materiais diversos ou auxiliares que, referindo-se a
itens adquiridos prontos, tem o seu custo disponível nos documentos de aquisição,
restando, apenas para a devida avaliação do estoque, aplicar, sobre esse custo, o método
de apuração definido na legislação em vigor.
As empresas industriais, por sua vez, transformando matérias-primas e acoplando
componentes para compor o produto final, apresenta, além dos estoques encontrados
nas empresas comerciais, os estoques de matérias-primas para produção e os estoques
de produtos em processamento, cujos itens, uma vez concluídos, são transferidos para o
estoque de produtos acabados, correspondente ao estoque de bens para venda das
empresas comerciais.

2.3 MÉTODOS E SISTEMAS PARA REGISTRO DAS OPERAÇÕES COM


MERCADORIAS

Para contabilizar as operações com Mercadorias existem dois métodos:


a) Método da Conta Mista: consiste em utilizar uma única Conta, que poderá ser
chamada de Mercadorias, ou Estoque de Mercadorias, ou outra semelhante,
para registrar todas as operações com Mercadorias (Estoques inicial e final,
Compras, Vendas).
b) Método da Conta Desdobrada: consiste em utilizar as três Contas básicas:
Estoque de Mercadorias (para registrar os estoques inicial e final) Compras de
Mercadorias e Vendas de Mercadorias.
A empresa poderá optar por um dos dois métodos, mas não poderá utilizar ambos ao
mesmo tempo, para não prejudicar a uniformidade de seus registros contábeis.
6

Seja qual for o método utilizado, a empresa poderá, ainda, adotar um dos seguintes
sistemas:
a) Inventario Permanente: consiste em controlar permanentemente o valor do
Estoque de Mercadorias, geralmente usado por empresas comerciais, naquelas
que possuem estoques de alto valor ou necessidade de exercer maior vigilância
sobre o ativo. Assim, a cada compra efetuada, o custo da respectiva compra é
adicionado ao estoque; da mesma forma, a cada venda efetuada, o custo da
respectiva venda é diminuído do estoque. Assim, o Estoque de Mercadorias fica
atualizado constantemente.
b) Inventario Periódico: ideal para pequenas empresas ou entidades que não
necessitem de uma informação mais precisa. Por este sistema, o valor do
Estoque de Mercadorias só é conhecido no final do período, após a realização da
contagem física de todas as Mercadorias existentes (inventário).

2.4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES

Considerando que vários fatores podem fazer variar o preço de aquisição dos
materiais entre duas ou mais compras (inflação, custo do transporte, procura de
mercado, outro fornecedor, etc.), surge o problema de selecionar o critério que se deve
adotar para avaliar os estoques.
O critério de avaliação afeta o total do lucro a ser reportado para um determinado
período contábil. Quanto maior for o estoque final avaliado, permanecendo inalterados
outros fatores, maior será o lucro reportado, ou menor será o prejuízo. Quanto menor o
estoque final, menor será o lucro reportado, ou maior será o prejuízo. Para isso, a
empresa terá que optar por um dos vários critérios existentes para atribuição de valores
aos estoques. Os quais são:
• Preço Específico;
• Primeiro a entrar, primeiro a sair (PEPS);
• Último a entrar, primeiro a sair (UEPS);
• Custo Médio Ponderado Móvel;
• Custo Médio Ponderado Fixo.

2.4.1 Preço Específico

Este critério de avaliação consiste em atribuir, a cada unidade do estoque, o preço


efetivamente pago por ela, onde só pode ser utilizado para mercadorias de fácil
identificação física, como imóveis para revenda, veículos e jóias.
Este critério normalmente só é aplicável em alguns casos onde a quantidade, o valor
ou a própria característica da mercadoria ou material o permitam. Na maioria das vezes,
é impossível ou economicamente inconveniente aplicá-lo.
Deste modo, tal método geralmente não é utilizado em entidades que
comercializam produtos que não possam ser individualizado, sendo usado em situações
em que o valor de cada unidade do estoque seja bastante elevado.

2.4.2 PEPS

Por este critério, atribuem-se aos estoques os custos mais recentes.


A expressão “Primeiro que Entra, Primeiro que Sai” (PEPS) é tradução da expressão
inglesa First In, First Out (FIFO).
7

Esse critério apura os primeiros artigos que entram no estoque, os quais serão
aqueles que vão sair em primeiro lugar, ou seja, o estoque final será formado pelas
mercadorias que foram recentemente adquiridos.
Algumas vantagens de utilização desse critério são:
• O movimento estabelecido para os materiais, de forma ordenada e continua,
simbolizam uma condição necessária para um perfeito controle dos materiais,
principalmente quando os mesmos estão sujeitos à mudança de qualidade,
decomposição, deterioração, etc.
• Os artigos utilizados são retirados do estoque e a baixa dos mesmos é dada de
uma maneira sistemática e lógica.
Exemplo:
Calcule a movimentação de estoque de mercadorias, sabendo que existia um estoque
inicial em 01/07/08 de 10 unidades a R$ 13, cada.
a) Compra de 20 unidades a R$ 15, cada, no dia 06/07/08;
b) Compra de 25 unidades a R$ 20, cada, no dia 12/07/08;
c) Venda de 27 unidades no dia 19/07/08;
d) Compra de 20 unidades a R$ 30, cada, no dia 23/07/08;
e) Venda de 22 unidades no dia 29/07/08.
Obs.: Os valores encontram-se expressos em Reais.

ENTRADA SAÍDAS SALDO


CUST. CUST. CUST. CUST. CUST CUST.
DATA QTDE QTDE QTDE
UNIT. TOT. UNIT. TOT. UNIT. TOT.
01/07 - - - - - - 10 13 130
10 13 130
06/07 20 15 300 - - -
20 15 300
10 13 130
17/07 25 20 500 - - - 20 15 300
25 20 500
10 13 130 3 15 45
19/07 - - -
17 15 255 25 20 500
3 15 45
23/07 20 30 600 - - - 25 20 500
20 30 600
3 15 45 6 20 120
29/07 - - -
19 20 380 20 30 600
TOTAL 65 1400 49 810 26 720

2.4.3 UEPS

Por este critério, atribuem-se aos estoques os custos mais antigos, ou seja, o estoque
final será formado pelas unidades compradas em datas mais antigas.
A expressão “Último que Entra, Primeiro que Sai” (UEPS) é tradução da expressão
inglesa Last In, First Out (LIFO).
8

A adoção do critério UEPS apresenta pelo menos duas implicações: uma delas é de
ordem técnica e a outra, fiscal.
a) Implicação do ponto de vista técnico: se a empresa adotar a política de
Estoque mínimo e não zerar o estoque antes de efetuar novas compras, com a inflação e
troca de moeda, fatos muitos comuns no Brasil nas ultimas duas décadas do milênio
passado, os valores das moedas antigas se tornarão tão irreais que causarão problemas
para valorar as unidades remanescentes em Estoque.
b) Implicação do ponto de vista fiscal: a atribuição de preços mais recentes para
as mercadorias vendidas e de preços mais antigos para os estoques remanescentes
resultará em lucros menores e, conseqüentemente, os valores dos impostos recolhidos
também serão menores. Em razão disso, o Governo brasileiro não aprova a adoção
desse critério.
Exemplo:
Calcule a movimentação de estoque de mercadorias, sabendo que existia um estoque
inicial em 01/07/08 de 10 unidades a R$ 13, cada.
a) Compra de 20 unidades a R$ 15, cada, no dia 06/07/08;
b) Compra de 25 unidades a R$ 20, cada, no dia 12/07/08;
c) Venda de 27 unidades no dia 19/07/08;
d) Compra de 20 unidades a R$ 30, cada, no dia 23/07/08;
e) Venda de 22 unidades no dia 29/07/08.
Obs.: Os valores encontram-se expressos em Reais.

ENTRADA SAÍDAS SALDO


CUST CUST. CUST CUST. CUST. CUST.
DATA QTDE QTDE QTDE.
UNIT. TOT. UNIT. TOT. UNIT. TOT.
01/07 - - - - - - 10 13 130
10 13 130
06/07 20 15 300 - - -
20 15 300
10 13 130
17/07 25 20 500 - - - 20 15 300
25 20 500
25 20 500 10 13 130
19/07 - - -
2 15 30 18 15 270
10 13 130
23/07 20 30 600 - - - 18 15 270
20 30 600
20 30 600 10 13 130
29/07 - - -
2 15 30 16 15 240
TOTAL 65 1400 49 1160 26 370

2.4.4 Custo Médio Ponderado Móvel

Denominado Custo Médio Ponderado Móvel, pois, toda vez que ocorrer compra por
custo unitário diferente dos que constarem do estoque, o custo médio se modificará. As
mercadorias estocadas serão sempre valoradas pela média dos custos de aquisição,
sendo estes atualizados a cada compra efetuada.
9

Exemplo:
Calcule a movimentação de estoque de mercadorias, sabendo que existia um estoque
inicial em 01/07/08 de 10 unidades a R$ 13, cada.
a) Compra de 20 unidades a R$ 15, cada, no dia 06/07/08;
b) Compra de 25 unidades a R$ 20, cada, no dia 12/07/08;
c) Venda de 27 unidades no dia 19/07/08;
d) Compra de 20 unidades a R$ 30, cada, no dia 23/07/08;
e) Venda de 22 unidades no dia 29/07/08.
Obs.: Os valores encontram-se expressos em Reais.

ENTRADA SAÍDAS SALDO


CUST. CUST. CUST. CUST. CUST. CUST.
DATA QTDE QTDE QTDE
UNIT. TOTAL UNIT. TOT. UNIT. TOT.

01/07 - - - - - - 10 13 130
06/07 20 15 300 - - - 30 14,33 430
17/07 25 20 500 - - - 55 16,91 930
19/07 - - - 27 16,91 456,57 28 16,91 473,43
23/07 20 30 600 - - - 48 22,36 1073,43
29/07 - - - 22 22,36 491,92 26 22,36 581,51
TOTAL 65 1400 49 948,49 26 22,36 581,51

2.4.5 Custo Médio Ponderado Fixo

Adotando este critério, as mercadorias estocadas serão valoradas somente no final


do período (normalmente no final do ano) pela média dos custos das mercadorias que
estiveram disponíveis para a venda durante todo período.
Enquanto o custo médio ponderado móvel é atualizado durante o exercício sempre
que uma compra for efetuada, o custo médio ponderado fixo é apurado de uma só vez, e
no final do exercício, após a última compra efetuada.
Para obtê-lo, deve-se dividir o custo total das mercadorias disponíveis para a venda
pela quantidade total dessas mesmas mercadorias. Lembramos que o custo das
mercadorias é obtido somando-se o custo do estoque inicial com o das compras liquidas
realizadas no mesmo período.
O critério do Custo Médio Ponderado Fixo somente pode ser adotado por empresas
que utilizam o Sistema de Inventário Periódico, pois só é possível a sua apuração no
final do Exercício.
O valor alcançado pela aplicação da Media Ponderada Fixa é atribuído a todas as
unidades de Mercadorias existentes em estoque no ultimo dia do ano, bem como a todas
as unidades de Mercadorias vendidas durante o ano, independentemente das datas em
que ocorreram as respectivas vendas.

2.5 ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MÉTODOS


10

Para uma melhor visualização dos três critérios, vamos supor nos três casos as
mercadorias tenham sido vendidas:
• Em 19/07, 27 unidades por...........................................................R$ 1650,00
• Em 29/07, 22 unidades por...........................................................R$ 1000,00
TOTAL DAS VENDAS.....................................................................R$ 2650,00

Sendo Assim, consideramos os seguintes dados extraídos das fichas (exceto valor
vendas, igual para todos):
• Valor Total Compras.......................................................................R$ 1400,00
• Valor Total Vendas.........................................................................R$ 2650,00
• Estoque Inicial..................................................................................R$ 130,00
• Estoque Final
PEPS.................................................................................................720,00
UEPS................................................................................................370,00
Custo Médio.....................................................................................581,51

Veja, a seguir, os resultados:

PEPS Estoque Inicial + Compras..........................................................................1530


(-) Estoque Final..................................................................................................720
= Custo Merc. Vend. ...........................................................................................810
Vendas...........................................................................................................2650
(-) Custos.............................................................................................................810
Lucro..............................................................................................................1840

UEPS Estoque Inicial + Compras.........................................................................1530


(-) Estoque Final..................................................................................................370
= Custo Merc. Vend. .........................................................................................1160
Vendas...........................................................................................................2650
(-) Custos...........................................................................................................1160
Lucro.............................................................................................................1490

Custo Médio Estoque Inicial + Compras..............................................................1530


.............................................................................................................................................
(-) Estoque Final.............................................................................................581,51
= Custo Merc. Vend. ......................................................................................948,49
Vendas...........................................................................................................2650
(-) Custos........................................................................................................948,49
Lucro.......................................................................................................1701,51
Veja a seguinte comparação:

CRITÉRIO
CUSTO LUCRO ESTOQUE
FINAL
PEPS 810 1840 720,00
UEPS 1160 1490 370,00
CUSTO MÉDIO 948,49 1701,51 581,51
O mais aconselhável dos três critérios é o custo médio, pois é o que espelha
maior realidade dos Custos, no Lucro e no Estoque Final. Entretanto, o único não aceito
pela legislação do Imposto de Renda brasileira é o UEPS, pois distorce completamente
os resultados, apresentando Custo maior, Lucro menor e Estoque Final diverso da
11

realidade. A empresa poderá adotar o critério que achar mais conveniente, porém, no
caso de usar o UEPS, deverá apresentar a diferença para tributação.
Convém ressaltar que no momento da elaboração do Balanço a avaliação dos
estoques obedecerá aos critérios estabelecidos no artigo 183 da Lei nº 6.404/76, ou seja,
custo de aquisição deduzindo da provisão para ajustá-lo ao valor do mercado, quando
este for inferior.

3. CONCLUSÃO
12

Concluímos que nos critérios destacados neste trabalho, do ponto de vista das
empresas, os mais adequados são o médio ponderado móvel e o PEPS por serem mais
apropriados para tomadas de decisões gerenciais, principalmente em períodos
inflacionários. Já o UEPS apesar de fornecer informações úteis e eficientes para a gestão
dos negócios, não é aceito pela legislação do Imposto de Renda brasileiro.
Com isso, é de vital importância o controle dos estoques, uma vez que, bem
controlados são avaliados dentro do critério de contabilidade geralmente aceito,
trazendo reflexos para um aumento de riquezas patrimoniais e ainda favorecendo a
implantação de um consistente planejamento tributário para que a necessidade de
almejar maior produtividade e rentabilidade seja alcançada.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
13

Disponível em < http://pt.wikipedia.org/wiki/Estoque >


Acessado no dia 23 set. 2008

RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Básica Fácil. 25ª Edição rev. e atual. Ed.
Saraiva. São Paulo. 2008.

IUDÍCIOS, Sérgio de; MARTINS, Elisen; RUBENS, Gelbecke. Manual de


Contabilidade das Sociedades por Ações. 2ª Edição. Ed. Atlas. São Paulo.1989.

IUDÍCIOS, Sérgio de; MARION, José Carlos. Contabilidade Comercial fácil. 3ª


Edição. Ed. Atlas. São Paulo.

RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade Geral. 3ª Edição. Ed. Saraiva. São Paulo.
2001.

SILVA, César Augusto Tibúrcio; TRISTÃO, Gilberto. Contabilidade Básica. 2ª


Edição. Ed. Atlas. São Paulo. 2007