You are on page 1of 22

JANEIRO / 2011

Região atingida 5.500 km2

População de quase 752 mil pessoas 100 mil na zona rural


(de maior concentração no Estado de produtores rurais em relação
a população total)

Estrutura fundiária mini e pequenas propriedades,


especialmente Teresópolis e São José do Vale do Rio Preto - 90%
delas com até 10ha

Predominância de agricultura familiar

11.163 estabelecimentos rurais - IBGE

17.000 famílias vivem da atividade rural

Mais importante pólo de produção agrícola do RJ na exploração de


olericultura, floricultura e avicultura de corte e postura

Mais de 90% das folhosas comercializadas na CEASA provêm dos


municípios serranos

62 microbacias hidrográficas nos municípios afetados

Maior participação no PIB agropecuário do RJ 28,41%


Máquinas e equipamentos – apoio
remoção de escombros e resgate de vítimas

Patrulhas mecanizadas do Programa Estradas da


Produção – atuação em parceria com Prefeituras,
Defesa Civil e Exército na desobstrução de estradas e
vias acesso para restabelecer escoamento da produção
rural

Criação de força emergencial de apoio a zona rural e


reestruturação da produção agrícola na região serrana

Elaboração de diagnóstico do impacto das chuvas nas


áreas agrícolas
510 pontes destruídas e
80 danificadas

Queda de 994 barreiras


em vias de acesso e
1264 em vias internas
Estradas destruídas –
3 mil pontos críticos

850 moradias prejudicadas;


450 casas destruídas;
Abastecimento de água
comprometido
3 mil hectares de
lavouras prejudicadas,
com 1,5 mil hectares
perdidos

Perdas de 423 máquinas


e equipamentos
Morte de 237,5 mil aves (corte e
postura) e 1 mil animais (bovinos,
equinos, suínos, ovinos e caprinos)

465 instalações
destruídas
31,5 mil metros de
redes de eletrificação
destruídas

Destruição de: 50 km de cercas,


700 sistemas de irrigação,
364 estufas p/ cultivo protegido,
102 galpões de usos diversos,
tanques de resfriamento,
currais, estábulos, câmaras
frigoríficas etc....
Áreas totalmente
degradadas

1.400 hectares com


erosão laminar, 900
hectares com voçorocas
e 500 hectares
soterrados
- INFRAESTRUTURA PRODUTIVA
- Estradas e pontes - R$ 55 milhões
- Moradias - R$ 25 milhões

- RECURSOS DE PRODUÇÃO
- Agricultura - R$ 45 milhões
- Pecuária - R$ 4 milhões
- Máquinas e Equipamentos - R$ 10 milhões
- Instalações - R$ 40 milhões

-PERDAS SEQUENCIAIS EM DECORRÊNCIA DA


INTERRUPÇÃO DAS ATIVIDADES - R$ 90 milhões

- TOTAL - R$ 269 milhões


MEDIDAS PROPOSTAS

- Seguro Agrícola / PROAGRO


Agilização pagamento – procedimentos especiais;
Utilização laudos coletivos/grupais por atividade produtiva, região ou
microbacia;
Laudos de perdas: EMATER RIO, PESAGRO RIO e Banco do Brasil.

- Crédito Rural (recursos reembolsáveis)


Prorrogação imediata de 180 dias, sem encargos, contratos de custeio e
investimento vencendo 1º semestre/2011;
Repactuação financiamentos , mais prazo e limite de crédito para novos
contratos;
Avaliação da carteira de financiamento para novos prazos, condições e
linhas, quando necessário;
Criação de linha de crédito com recursos Tesouro Nacional para casos
especiais de perda total .
- Apoio direto ao produtor e recuperação de infraestrutura
Restabelecimento da infraestrutura necessária à subsistência das famílias
rurais;
Recursos financeiros não reembolsáveis para reduzir impacto de perdas na
atividade, equipamentos e benfeitorias sociais;
Expansão Rio Rural a todas as microbacias atingidas;
Alocação de US$ 20 milhões do Banco Mundial para fomento e
restabelecimento condições mínimas de moradia e produção nessas
comunidades;
Contratação de crédito especial junto ao BNDES para reativação setor
produtivo, principalmente nas áreas com perdas acentuadas com erosão;
Alocação de recursos especiais pelo MAPA, MDA, MI e outros ministérios em
parceria Governo RJ, através SEAPEC, para desenvolvimento setor rural;
Ampliação mecanização agrícola recuperação estradas vicinais -compra de
máquinas ou locação de equipamentos e pessoal.
- Redimensionamento da Assistência Técnica e
Pesquisa Agrícola

Reestruturação equipes técnicas / administrativa da EMATER RIO,


PESAGRO RIO e Defesa Agropecuária - apoio adicional do Estado;

Recursos financeiros para reposição / ampliação / modernização


das estruturas, veículos e equipamentos para atender novas
atividades;

Implementação de projetos e serviços de pedologia, geotecnia,


recuperação e manejo de solos agrícolas, áreas degradadas, meio
ambiente, etc. através de instituições tradicionais do setor, de
âmbito estadual e nacional.