You are on page 1of 9

Artigo por: gloriagalli

Revisando conceitos
A gramática possui um conjunto de regras gramaticais que estabelecem a 'norma padrão'
, ou seja, a norma culta da língua. Quando o falante, por desconhecimento dessas
normas, causa um desvio na fala ou na escrita, ele está cometendo um 'vício de
linguagem'. Esse processo é bem diferente daquilo que se chama licença poética. Ver
artigo Prosopopéia e licença literária
Vícios de linguagem
Os principais vícios de linguagem são:
Barbarismo: consiste em grafar ou pronunciar uma palavra em desacordo com a norma
culta.
Vizita (em vez de visita)
fluído (em vez de fluido)
Solecismo: consiste em desviar-se da norma culta na construção sintática.
“O livro que ele mais gosta está esgotado no mercado.”
( O verbo gostar exige preposição 'de' - O livro de que ele mais gosta..)
Ambigüidade ou anfibologia: a frase é construída de tal forma, que causa mais de uma
interpretação semântica:
Mario mostrou ao Antenor suas fotos. (fotos de quem?)
Cacófato: consiste na produção de um som ruim pela junção de certas palavras.
“Pagou quanto por cada saia?”
Pleonasmo: consiste na repetição desnecessária de uma idéia.
“ A mim me parece que tudo está errado.”
Ver também Tautologia ou Pleonasmo vicioso
Neologismo: é a criação desnecessária de palavras novas.
Segundo Mário Prata, se adolescente é aquele que está entre a infância e a idade adulta,
envelhescente é aquele que está entre a idade adulta e a velhice.
Arcaísmo: consiste na utilização de palavras que já caíram em desuso.
Exemplos: quiçá (= talvez), à guisa de (= à maneira de), físico (= médico), obséquio
(=favor), etc.
Eco: trata-se da repetição de palavras terminadas pelo mesmo som. “O rato roeu a roupa
do rei de Roma”.
VÍCIOS DE LINGUAGEM

As figuras de linguagem são um desvio da norma culta com a finalidade de


alcançar maior expressividade. No entanto, quando o desvio se dá pela falta de
conhecimento da língua padrão por parte do falante, temos os chamados
vícios de linguagem.

Os principais vícios de linguagem são:


1. Ambiguidade ou anfibologia – constitui-se em frase defeituosa por
apresentar duplo sentido.

Pedro visitou seu amigo e depois saiu com sua noiva.

Convence, enfim, o pai o filho amado.

Comprei meias para senhoras claras.

O guarda deteve o suspeito em sua casa.

2. Barbarismo – consiste em grafar ou pronunciar palavras em desacordo


com a norma culta. É também considerado barbarismo o desvio semântico de
determinado vocábulo, ou seja, uso inadequado quanto ao seu significado.

Os erros de pronúncia são chamados de cacoépia (areoporto, em vez de


aeroporto; hilariedade, em vez de hilaridade).

Quando o erro de pronúncia for por deslocamento da sílaba tônica, chama-


se também silabada (rúbrica, em vez de rubrica; íbero, em vez de ibero).

O erro de grafia – troca de letras, divisão silábica incorreta, etc. – é


chamado de cacografia (magestoso, em vez de majestoso; pixe, em vez de
piche; tun-gs-tê-ni-o, em vez de tungs-tê-nio).

Também é considerado barbarismo o estrangeirismo, ou seja, o uso


indevido de expressões ou frases estrangeiras em nossa língua. Conforme a
procedência, dividem-se em francesismos ou galicismos, anglicismos,
italianismos, castelhanismos ou espanholismos, etc.

Eis alguns exemplos:

a) de galicismos: charge, em vez de caricatura; guardar o leito, em vez de


ficar acamado; débâcle, em vez de derrota, fracasso.

b) de anglicismos: cast, em vez de elenco, conjunto, grupo; speacker, em


vez de locutor; pedigree; em vez de raça, ascendência, linhagem.

c) de castelhanismos: ficcionado, em vez de torcedor, simpatizante,


admirador; resultar bom, em vez de tornar-se bom, ficar bom.

d) de italianismos: entrar de sócio, em vez de entrar como sócio; repetir de


ano, em vez de repetir o ano.

3. Solecismo – São erros contra a norma culta da língua, quanto à


regência, à concordância e à colocação pronominal.

a) Solecismos de concordância:
Fazem dois anos que trabalho nesta empresa. (ERRADO)

Faz dois anos que trabalho nesta empresa. (CERTO)

Vende-se cofres. (ERRADO)

Vendem-se cofres. (CERTO)

Houveram algumas dúvidas quanto à concordância. (ERRADO)

Houve algumas dúvidas quanto à concordância. (CERTO)

b) Solecismos de regência:

Já assisti este filme. (ERRADO)

Já assisti a este filme. (CERTO)

O cargo de diretor era aspirado por muitas pessoas. (ERRADO)

Muitas pessoas aspiravam ao cargo de diretor. (CERTO)

Fui na casa da minha amiga ontem à noite. (ERRADO)

Fui à casa da minha amiga ontem à noite. (CERTO)

c) Solecismos de colocação:

Me empresta o teu livro? (ERRADO)

Empresta-me o teu livro? (CERTO)

Vivia com dificuldades, pois era um pobre homem. (ERRADO)

Vivia com dificuldades, pois era um homem pobre. (CERTO)

Mauá foi um homem grande. (ER-RADO)

Mauá foi um grande homem. (CER-TO)

4. Arcaísmo – Consiste no emprego de palavras que já caíram em desuso.

Vossa Mercê me permite um aparte? (Em vez de você)

O boticário não pode substituir o médico. (Em vez de farmacêutico)


5. Neologismo – Consiste na criação desnecessária de uma palavra:

Na cidade onde moro, nos domingos à tarde, a galera costuma andar de


carro no bobódromo.

Obs.1: Não é considerado vício de linguagem, nem desnecessário, o


neologismo criado para designar algo igualmente novo, ou para obter efeito
estilístico.

A remasterização é um recurso extremamente válido, para a memória da


música.

A terceirização diminui despesas das empresas.

Todas as gravuras foram escaneadas.

Obs. 2: Na Gramática expositiva de Eduardo Carlos Pereira, cuja primeira


edição é de 1907, a palavra fonógrafo (S.m. Antigo aparelho destinado a
reproduzir sons grafados em cilindros ou discos metálicos ou aparelho que
reproduz os sons gravados em discos sob a forma de sulcos espiralados,
gramofone) aparece classificada como neologismo. Hoje, classificamo-la como
arcaísmo.

6. Cacófato – é a palavra ridícula ou obscena, resultante da união de


sílabas de palavras vizinhas.

Ela tinha muitas qualidades.

Não gostaram do nosso hino.

7. Plebeísmo – são palavras triviais ou gírias. Devem ser evitados, pois


denotam, por quem os usa, grosseria, falta de instrução, boçalidade.

Ele era um cara bacana.

A galera reunia-se no bobódromo.

Fiquei besta com a atitude dela.


8. Eco – é a rima na prosa.

Então, o Clemente, corajosamente, enfrentou o valente tenente.

9. Hiato – é o efeito acústico desagradável provocado por uma sequência


de vogais.

Há alguns dias que eu o ouço cantar à hora do almoço.

10. Colisão – ocorre quando existe uma sequência de consoantes iguais ou


semelhantes.

Corrija já aquelas provas.

Mamãe me mandou marcar a manga da minha malha.

11. Pleonasmo – consiste no emprego de uma redundância, ou seja, uma


palavra ou expressão que nada acrescenta à frase. É importante ressaltar que
este tipo de pleonasmo não pode ser confundido com o pleonasmo estilístico,
usado para realçar um elemento da frase.

Ele saiu para fora.

Precisamos encarar de frente o problema.

Faça uma assinatura e ganhe grátis um relógio.

EXERCÍCIOS

1.) Em todas as frases abaixo, há solecismos; corrija-os:

a) Via-se, no quintal, algumas crianças brincando de roda.

b) Fazem dois meses que os funcionários do correio estão em greve.

c) Quando chegamos na cidade, começou a chover.

d) Vou visitar-lhe amanhã, não saia de casa.


e) Pode faltar, no máximo, dez minutos para o início do concerto.

f) Perdoa-os, porque não sabem o que fazem.

g) Devia ser dez horas quando o encontramos.

h) Existe nesta cidade poucas pessoas que sabem falar inglês.

i) Pode restar, quando muito, duas vagas para este curso.

j) Devem haver poucos recursos para realizar esta obra.

2.) Complete as lacunas das frases a-baixo com uma das formas
indicadas entre parênteses:

a) Hoje realmente foi um dia ________. (azíago/aziago)

b) Ele é um homem _______________. (avaro/ávaro)

c) Ele chegou de ______________. (supetão/sopetão)

d) Não tolero mais sua _____________. (indiscreção/indiscrição)

e) Logo percebi seu sorriso de ________. (escárneo/escárnio)

f) Ele revelou-se um homem muito ______________.


(pretencioso/pretensioso)

g) Não há ________________ quanto à gravidade do problema.


(consenso/com senso)

h) A ________________ racial é odiosa. (descriminação/discriminação)

i) A sua ______________ era participar do julgamento. (intenção/intensão)


j) Quando soube que ia _____________ na noite seguinte, ficou muito
nervoso. (estrear/estriar)

k) O diretor pretende _____________ sua petição, pois concorda com seus


argumentos. (deferir/diferir)

l) Ele foi ________________ pelos concorrentes que não se conformavam


com a perda daquela empreitada. (distratado/destratado)

m) O lutador ______________ um golpe potente. (disferiu/desferiu)

n) Pelo resultado do último _________, sabe-se que esta cidade vem


aumentando gradativamente sua população. (senso/ censo)

3.) Em “Vamos adiar para depois a discussão deste contrato” ocorre um


dos seguintes vícios de linguagem:

a) solecismo de regência

b) barbarismo

c) pleonasmo

d) solecismo de concordância

4.) Aponte o vício de linguagem:

a – pleonasmo d – eco

b – anfibologia e – colisão

c – cacófato f – hiato

( ) “Vai o aio à aula.” (C. Pereira)

( ) Saio eu ou outro sai?

( ) Somente o padre Clemente rezava piedosamente.

( ) Dividi a figura em duas metades iguais.

( ) Há alguns anos atrás não havia televisão.

( ) Esta situação, como a concebo, não pode durar muito.

( ) Pensei pedir perdão ao padre mas desisti.

( ) Ela se sentiria insegura se soubesse o segredo.


( ) Que receios ela tinha?

( ) Sei muito bem que José é ébrio.

( ) Pedro encontrou seu amigo que perdeu seu relógio.

( ) Os alunos entraram para dentro e o professor saiu para fora.

( ) “Mimosas asas azuis...” (M. de Assis)

( ) Não se acha chá na chácara.

( ) Visitei a casa de minha amiga que dá os fundos dela para o mar.

5.) Assinale a alternativa cujas proposições apresentam infração à norma


culta, entre os chamados vícios de linguagem.

I. Fazem três anos que tento passar no concurso.

II. O estudante entregou a pesquisa com atraso.

III. Paguei vinte reais por cada.

IV. Não se esqueçam de colocar sua rubrica em cada página da prova.

V. Ela tinha muito afazeres.

a) I, III, IV c) II, IV

b) I, III, V d) II, III, V

6.) Assinale a alternativa em que todas as proposições apresentam


ambiguidade:

I. O Avaí venceu o Figueirense jogando em casa.

II. O pai viu o incêndio do prédio.

III. No momento, meu sentimento é de desolação.

IV. Vi uma foto sua no aeroporto.

V. Vi com meus próprios olhos a terrível cena do acidente aéreo.

a) II, III, V c) III, IV, V

b) II, III, d) I, II, IV


GABARITO VÍCIOS DE LINGUAGEM: 1.) a) Viam-se, no... b) Faz dois...
c) ...chegamos à cidade,... d) Vou visitá-lo... e) Podem faltar, no máximo, dez
minutos... f) Perdoa-lhes,... g) Deviam ser... h) Existem... i) Podem restar... j)
Deve haver... 2.) a) aziago; b) avaro;c) supetão; d) indiscrição; e) escárnio; f)
pretensioso; g) consenso; h) discriminação; i) intenção; j) estrear; k) deferir; l)
destratado; m) desferiu; n) censo. 3.) c; 4.) f,f,d,a,a,c,e,e,c,f,b,c,e,e,b. 5.) b); 6.)
d.