You are on page 1of 4

ATIVIDADE POSTURAL DO DIAFRAGMA ESTA REDUZIDA EM HUMANOS

QUANDO AUMENTA A DEMANDA RESPIRATORIA

(POSTURAL ACTIVITY OF THE DIAPHRAGM IS REDUCED IN HUMANS


WHEN RESPIRATORY DEMAND INCREASES)

Paul W. Hodges, Inger H. and Simon Gandevia


University of New South Wales, Sydney, Australia
Journal of Physiology, 2001

Resumo realizado por : Jose Marcelo Mafra. 25/10/2006

1- A atividade respiratória do diafragma e outros músculos respiratórios está


normalmente coordenada com outras funções,como o controle postural do tronco
quando os membros se movem. A Integração pode ocorrer quando ocorre a
somação de impulsos dos motoneuronios respiratórios. Este trabalho investiga o
tempo da mudança da atividade postural do diafragma quando o drive respiratório
é aumentado pela hipercapnia.

2- Avaliação eletromiográfica do diafragma e outros músculos do tronco foram


avaliadas em 13 pacientes voluntários.

3- O CO2 exalado foi avaliado nos primeiros 60-120 seg.. Durante o movimento
rápido dos braços até o inicio do espaço morto respiratório, EMG do diafragma
foi avaliada através da freqüência respiratória e dos movimentos dos braços. No
entanto, quando os braços foram movidos após 60 segundos de hipercapnia, a
EMG tônica do diafragma durante a expiração e a atividade fásica com os
movimentos dos braços foi reduzida ou ausente. Similares mudanças ocorreram
para o músculo transverso do abdômen na expiração, mas não para o eretor da
coluna. A amplitude media da pressão intra abdominal e da mudança fásica com
o movimento dos braços foi reduzida após 60 segundos de hipercapnia.

4- O estude sugere que o amento do drive respiratório pode atenuar os comandos


posturais dado pelos motoneuronios. Esta atenuação pode afetar a chave dos
músculos inspiratórios e expiratórios e sendo provavelmente coordenada por um
pré motoneuronio.

O SNC coordena as atividades motoras de todos os músculos do tronco incluindo o


diafragma, tanto durante a tarefa postural como a respiratória. A modulação da pressão
intra-abdominal ocorre diretamente com a atividade coordenada dos músculos diafragma,
abdominal e do assoalho pélvico, de modo que a modulação pode ser importante para o
controle da estabilidade da coluna.

1
Enquanto a respiração pode ser interrompida em atividades como vomito e tosse, outras
tarefas devem ser encarregadas concomitantemente com a respiração. Recentes
evidencias mostram que em condições normais, as funções respiratória e postural do
diafragma pode ser coordenada quando a estabilidade do tronco e provocada
repetitivamente por movimentos repetidos dos braços.
O objetivo deste estudo e de testar o tempo das mudanças de ativação postural do
diafragma quando a demanda respiratória e aumentada com Hipercapnia e com
perturbação postural produzida pelos movimentos dos membros. Outros achados para
determinar o principal músculo respiratório e postural, transverso do abdômen, durante a
hipercapnia e no tempo em que eles afetaram a pressão abdominal.

MÉTODOS
Foram avaliados 13 voluntários (10 homens e 3 mulheres) sem historia de doença
respiratória, neurológica e lombalgia., media de idade 30 anos, 1, 76 de altura e 71 Kg.
EMG do diafragma foi avaliada e gravadas em 9 sujeitos. O estudo foi aprovado pelo
comitê de ética medica, sendo os pacientes informados dos procedimentos e dando seu
consentimento.

ELETROMIOGRÁFIA (EMG)
Analise do diafragma a direita foi mensurada com eletrodo bipolar( 6 sujeitos),
Transverso do abdômen ( 9 sujeitos).

MENSURAÇÃO RESPIRATÓRIA
O fluxo aéreo foi mensurado com um pneumotacografo. O Volume Corrente foi
mensurado e multiplicado pela freqüência Respiratória para se achar o Volume Minuto.
A media do Volume Minuto foi avaliada nos 30 seg de respiração tranqüila o período de
mov. Dos braços a acima de 50 seg. da respiração entre o período de mov. Dos braços. O
CO2 exalado foi avaliado da mesma forma.

PRESSÃO GÁSTRICA
Foi avaliada em 3 sujeitos usando um transdutor inserido via nasal até o estomago.

PROCEDIMENTO
Sujeitos em posição relaxada, com os braços ao lado do corpo. Respiração realizada pela
boca (usado um clipe nasal), colocado um tubo para realizar a respiração bucal, o tubo
tinha o objetivo de aumentar o espaço morto e desta forma induzir a Hipercapnia. Os
sujeitos foram orientados a movimentar os braços entre 15 graus de flexão e 15 de
extensão a partir do ombro.
Mensuração da pressão gástrica também foi realizada durante o movimento dos braços e
com aumento d espaço morto.
Para avaliar o papel da caixa torácica e dos movimentos abdominais ( diafragma) foi
utilizados EMG e Pletismografo.

RESULTADOS
Respostas Ventilatórias

2
A resposta ventilatoria com o aumento do espaço morto foi avaliada em todos os sujeitos.
O CO2 final aumentou durante respiração tranqüila com o aumento do espaço morto por
1 minuto. O CO2 final não teve aumento adicional nos minutos subseqüentes. A
ventilação aumentou no 1 e 4 minutos, com um platô no 3 minuto.
Durante o período de movimentos dos braços, O CO2 final foi baixo se comparado ao
período sem movimento. O Volume Minuto foi maior durante o movimento dos braços.
A contribuição dos movimentos da caixa torácica e abdômen foram avaliados
separadamente.A expansão da caixa torácica contribuiu com o Volume Corrente quando
o paciente estava em repouso. Quando a ventilação aumentou pela respiração com o
aumento do espaço morto, esta proporção aumentou significantemente durante o primeiro
minuto. Durante o período de movimentos dos braços, a contribuição dos movimentos da
caixa torácica para o Volume Corrente não teve diferença. No entanto, durante o primeiro
período de movimentos dos braços, a contribuição dos movimentos da caixa torácica
para o Volume Corrente foi significantemente maior.

Avaliação Eletroneuromiográfica
Como esperado, a amplitude da atividade inspiratória aumentou no diafragma aumentou
quando aumentou a ventilação e a atividade no Transverso do Abdômen aumentou
durante a expiração. Com o aumento da ventilação a atividade respiratória do diafragma
aumentou com os movimentos do braço. Isto e indicado pelo aumento da atividade EMG
do diafragma no primeiro minuto, diminuindo no segundo minuto e subseqüente período
de movimento.
A EMG do Transverso do abdômen mudou similarmente como o diafragma. Aumentando
no primeiro período de movimento dos braços e correspondente também ao aumento da
freqüência respiratória.
Estas mudanças não foram observadas no músculo Eretor da Coluna.

Avaliação da Pressão Gástrica


Foi avaliada em paralelo com as alterações EMG no Diafragma e Transverso do
Abdômen. A Pressão gástrica apresentou elevado nível durante o movimento dos braços,
porem, diminuiu conforme se aumentava à ventilação.

DISCUSSÃO
O presente trabalho evidencia que a atividade do diafragma associada com o movimento
dos braços esta diminuída quando a demanda respiratória e aumentada.
Redução da atividade Tonica e fasica com os movimentos dos braços foi identificada
também no Transverso do Abdômen. Esses achados sugerem que o aumento do drive
respiratório na região dos centros respiratórios pontomedular pode atenuar a atividade
postural do diafragma.

IMPLICAÇÕES FUNCIONAIS
Para manter a homeostasia o SNC deve priorizar o drive respiratório acima de outras
funções dos músculos respiratórios, como o controle postural. Os controles de pressão no
tórax pelo diafragma (para a respiração) e no abdômen (para estabilizar a coluna lombar)
devem ser combinadas, mas e o drive químico para a respiração aumenta (hipercapnia p.
ex.), o componente do diafragma associado com o controle postural diminui.

3
Outros mecanismos podem compensar para a redução da contribuição do diafragma e
Transverso do abdômen para o controle postural. Outros músculos do tronco podem estar
com atividade aumentada.
O presente estudo mostra a organização das atividades respiratória e postural dos
músculos do tronco e sugere que a estabilidade da coluna pode ser comprometida em
situações em que a demanda respiratória esta aumentada, como no exercício e em
doenças respiratórias.