You are on page 1of 1

C MY K AD - 26

26 • Brasília, domingo, 14 de setembro de 2008 • CORREIO BRAZILIENSE

ECONOMIA

PIOR DO QUE PARECE


Projeto de reforma tributária mantém sistema por meio do qual o Fisco aparenta cobrar impostos
menores do que os que são efetivamente pagos. Empresários e tributaristas pedem transparência

Caixa dos espantos está aberta


Informe Publicitário
LUÍS OSVALDO GROSSMANN que vender aquele produto por e descobriu que a “tributação por
Filiado à Federação Nacional das Agências de Propaganda DA EQUIPE DO CORREIO R$ 121,95. Ou seja, na prática, o dentro” eleva o preço de merca-
ICMS dessa venda foi de 21,95%, dorias e serviços em 7,2%, em

N
o sistema tributário bra- mais, portanto, que os 18% pre- média, e garante aos cofres públi-
sileiro, quanto mais con- vistos na legislação. cos um extra equivalente a 2,03%
fuso melhor — ao me- O efeito é ainda maior, por- do Produto Interno Bruto (PIB).
nos pela ótica de quem que o ICMS não é o único tributo Em valores do ano passado, isso
arrecada. Já os consumidores difi- a distorcer o resultado. O mesmo significa uma arrecadação adi-
cilmente desconfiam de que pa- acontece com outros, como PIS cional de R$ 52 bilhões.
gam mais impostos do que pode- e Cofins. E o resultado ao consu- “O pior é que os consumidores
riam imaginar, caso se dessem ao midor é pagar uma carga tribu- podem achar que são as empre-
trabalho de conferir as alíquotas tária superior à “oficial” em tudo sas que estão ficando com a dife-
dos 61 tributos em vigor. É que a o que compra, mesmo em servi- rença”, avalia o economista-chefe
maneira de se calcular a fatia do ços como energia elétrica, onde da Confederação Nacional da In-
Fisco engorda a arrecadação ao a alíquota nominal é de 48,28%, dústria (CNI), Flávio Castelo
incluir os impostos na própria ba- mas na prática vira 93,35%; ou Branco. A entidade defende que a
Sou dono do meu atendimento - parte 2 se de cálculo, no que se conven- telefonia, em que 46,17% vira cobrança seja feita sobre o preço
cionou chamar de “tributação 85,77% (veja quadro). de custo, mas reconhece que essa
Nos dias de hoje,apesar de a comunicação ser a chave do sucesso de muitas organizações,ainda existem por dentro”. Na prática, garante “Não é à toa que a arrecadação é uma luta perdida. “Consideran-
um recolhimento extra superior a cresce mais do que o PIB. As alí- do-se que o governo não vai acei-
agências de propaganda que trabalham no improviso, com pessoas despreparadas para o mercado atual R$ 50 bilhões por ano, dinheiro quotas no Brasil já são muito al- tar uma queda na arrecadação,
e que não possuem comprometimento com o cliente. Quem contrata uma agência quer que ela tenha, suficiente para custear o Bolsa Fa- tas, 18%, 25% até 30%. Só que fi- devíamos fazer o cálculo ‘por fo-
mília por meia década e mais do cam ainda maiores, mas escondi- ra’ e corrigir as alíquotas para
no mínimo, uma boa organização na área de marketing de serviço. E esse é o grande diferencial que um que garantia a finada CPMF. das, e as pessoas estão pagando seus valores reais. No mínimo se-
proprietário pode apresentar. Isso acontece porque os tribu- sem nem saber. São coisas que ria mais transparente. Do jeito
tos incidem sobre o preço final, tornam o sistema tributário bra- que está, mascara o peso real dos
ou seja, são calculados num valor sileiro único no mundo”, diz o impostos”, diz o economista.
Para quem está atento às novas ferramentas de marketing já percebeu que o cliente quer, cada vez mais, onde os próprios impostos já fo- presidente do Instituto Brasileiro O caminho adotado, porém, é
ram incluídos. Confuso? Certa- de Planejamento Tributário o oposto. Não apenas o plano é
um tratamento personalizado e direto com quem pode resolver os problemas. Por isso, muitas vezes a
mente. E fica ainda pior quando (IBPT), Gilberto Luiz do Amaral. manter a cobrança “por dentro”,
melhor maneira de se fazer a ponte agência-cliente é por meio do proprietário, que está sempre em se sabe que há um efeito cascata, como o projeto de reforma tribu-
busca de conhecimentos na área de atendimento para conquistar novos clientes e fidelizar os que já com cada tributo entrando na Máscara tária em discussão no Congresso
base de referência dos demais. Num estudo divulgado este ano, Nacional cristaliza a sistemática
existem. Na prática, um empresário, o IBPT fez a conta de quanto a atual ao colocá-la na Constituição
quando vai decidir quanto preci- forma de cobrança faz diferença Federal. Segundo um especialista
sa cobrar por determinado pro- consultado pelo Correio, o gover-
Porém, é necessário fazer uma escolha. O dono da agência não pode estar sobrecarregado de trabalho, duto, faz a conta ao contrário. Vai no recusa-se a discutir a cobrança
pois isso pode atrapalhar o atendimento. É preciso optar entre o número de clientes e a qualidade do somando os tributos para desco- “por fora” porque isso tornaria
brir quanto terá de cobrar do oficial que as alíquotas são maio-
serviço prestado. E nem sempre a escolha é fácil. consumidor para ficar com o va- res do que parecem.
lor que precisa para cobrir seus “Não há muito interesse dos
custos e ainda ter lucro. poderes públicos, seja federal,
Fica muito claro para nós, empresários do setor que escolheram prestar atendimento dentro das Se esse valor é de R$ 100, uma estadual ou municipal, de abrir
próprias agências, que quanto maior a proximidade, maior será a lealdade e o valor do ponto-de-vista alíquota de ICMS de 18% deixa- essa discussão porque, no míni-
ria o preço final em R$ 118. Mas mo, as pessoas ficariam mais
do cliente. Proporcionar ao contratante um atendimento diferenciado é uma das maneiras mais impor-
se o empresário vender o pro- conscientes do quanto pesam
tantes de driblar a concorrência. duto por R$ 118, terá que reco- realmente os tributos”, arrisca o
lher R$ 21,95 (18% de R$ 118), o economista e conselheiro do
que o deixaria com R$ 96. Pa- Conselho Regional de Economia
autor: Bud Distefano ra tirar os R$ 100, terá do DF, Roberto Piscitelli.
fonte: Portal da Propaganda Segundo o presidente do IBPT,
o mais curioso é que não existe
previsão legal firme para a “tribu-
tação por dentro”. “Não está na
lei. E é uma sistemática que só
existe no Brasil e o próprio go-
verno parece reconhecer es-
sa fragilidade ao querer bo-
tar isso na Constituição”,
afirma Amaral.
www.sinaprodf.com.br

GILBERTO AMARAL, DO
IBPT: IMPOSTOS FICAM
MAIORES E ESCONDIDOS
Carol Carquejeiro/Cia de Foto/Valor/Agência O Globo - 18/3/04

C MY K AD - 26