You are on page 1of 4

Modelo de ficha de leitura

Escola eb23 de Nevogilde

Nome: Daniela Patrícia De Sousa Alves nº8 turma 10ºc

Titulo da obra: Cortei as Trangas

Tempo de leitura: 5 dias Local de leitura: escola e em


casa

I. O autor
Nome: António Mota

Referência bibliográfica:___________
Dados biográficos
Nascimento: 1957 (data) Baião (local)
Morte: ____________
Ocupações: Professor de ensino básico
Outras obras: os heróis do 6ºf, os sonhadores, a terra do anjo azul, a
casa das bengalas, o rapaz de Louredo, filhos de monte pó, Pedro
alecrim, o gosto que nunca esqueci, etc..

II. A obra

1.Elementos presentes:

A) Na capa: nome do autor (António Mota), o nome da obra (cortei as


trangas), uma imagem ( a de um adolescente) e referencia á editora
(Gailivro).

b) Na contracapa: história de vida do autor e um pequeno resumo da


obra

c) Na lombada: Nome do autor e nome da obra


2.Titulo

Apreciação: No meu ponto de vista este titulo, “ cortei as trangas”


não é o mais indicado, pois não é um titulo muito apelativo, talvez se
fosse “a partir daquele dia tudo mudou” ou “aquele dia foi o dia D”.
Este título não é também o título mais apropriado, pois não se
valoriza um livro pelo título mas sim pelo conteúdo da obra.

3.
a) Índice:
Presente
✔ Ausente

b) Prefácio:
Presente __ Escrito pelo autor
__ Escrito por alguém conhecedor da obra

✔ Ausente

C) Posfácio:
✔ Ausente
Presente
✔ Ausente

D) Nota(s) de rodapé:
Presente(s)
✔ Ausente(s)

E) Glossário:
Presente
✔ Ausente

4.Estrutura
Caracterização da estrutura externa: O livro “Cortei as trangas” está dividido
em três partes. A primeira parte tem onze capítulos e tem setenta e uma
paginas, a segunda parte tem onze capítulos, igual á primeira parte e tem
setenta e três paginas e por fim a terceira parte tem cinco capítulos e tem vinte
e cinco paginas.
O livro tem ao todo cento e sessenta e nove páginas.

Síntese
O livro fala-nos de uma menina, a Marta.
Ela tinha uma vida como quase todos os meninos da idade dela, ela ia á
escola, tinha uma família, pai, mãe e três irmãos, um sobrinho e uma cunhada.
A Marta vivia tranquilamente e feliz, na pequena aldeia, no meio dos campos.
Tudo isto mudou quando a sua mãe faleceu. A mãe da Marta morreu vitima de
um atropelamento, á porta da sua própria casa.
Com isto, a vida de Marta mudou, como se costuma dizer da agua para o
vinho. Ela teve de deixar de ir a escola, para ajudar na lida da casa, para ajudar
o seu pai.
Um dos seus irmãos já era casado, tinha um filho, este era o irmão mais velho
da Marta, tinha ainda um outro irmão o do meio que saio da aldeia, foi a
procura de uma vida melhor do que aquela que tinha, e finalmente, o irmão
mais novo que ainda andava na escola primária.
Quem fazia as compras depois da morte da protagonista era ela própria, a
Marta. Uma vez na mercearia conheceu os seus primeiros patrões, tinham
chegado recentemente á aldeia e eram médicos, pois de dois gémeos. A Marta
era empregada domestica deles. Sem o concentimento do pai Marta la
começou a trabalhar.
Podemos então ver aqui que Marta era uma menina muito trabalhadeira, pois
ela ajudava o pai no campo, tinha o seu emprego, arrumava a cãs, fazia o
jantar, etc..
Foi num dia a apanhar batatas que Marta ficou a saber mais sobre o passado
da sua mãe, dos seus avos e não só. Que, lhe contou tudo foi sua tia, a tia
Zulmira – irmã da sua mãe, contou-lhe como era a vida dela e da sua mãe,
qual foi o primeiro emprego delas, como conheceram os seus primeiros
namorados e muito mais, ate lhe contou o motivo de andar sempre de preto,
que foi devido á morte do seu marido o “Carlos vinte e um”, que faleceu no
ultramar.
E o tempo ia passando.
Passado uns tempos o irmão da Marta chegou a aldeia e chegou com um
carro, algo de novo para aquela aldeia que ainda era muito atrasada. Assim
desta maneira a vida dela ia melhorando ela já ia dar bons passeios no carro
com o seu irmão.
E, a vida da Marta foi melhorando, ate que finalmente mais uma boa noticia, a
tia Zulmira e o seu pai iam-se casar.

Opinião justificada da leitora


Eu gostei de ter lido este livro. Este livro faz pensar, pelo menos a mim, faz-me
pensar na vida, tudo o que temos hoje e o que somos hoje, podemos amanha
já não ter e já não ser.
É um livro acessível.
É uma lição de vida para mim e para qualquer outra pessoa.
Com este livro podemos repensar na vida, ver o que andamos a fazer, valorizar
aquilo que temos, que por vezes não valorizamos. Daí a frase só damos o
devido valor as coisas quando as perdemos. Na vida á coisas indispensáveis, a
vida é como uma casa, precisamos de alguns pilares que são muito
importantes para nos:família, saúde, amigos, dinheiro e muito amor, com isto
temos uma vida estável, tranquila, mas se nos faltar um destes elementos
como aconteceu na nossa historia a nossa vida muda e muda para pior como
aconteceu a Marta com a morte da sua mãe.
Muitas pessoas deviam de ler este livro, ler não faz mal e ler coisas úteis ainda
melhor.