You are on page 1of 22

Outras dependências

Módulo de Psiquiatria
Mestrado Integrado em Medicina
Introdução geral

- abuso de substâncias não tem classe social;


- adolescentes são + vulneráveis;
- risco de desenvolvimento de abuso > nos homens;

- difícil detectar e avaliar um paciente que abuse de substâncias;


- tendem à negação;
- manipuladores;
- podem não ser confiáveis;
- importante obter informações de outras fontes;
Introdução geral

O médico deve apresentar limites claros, firmes e consistentes, que


serão testados com frequência.

O abuso de substâncias está frequentemente associado com


transtornos de personalidade, por ex., anti-social, borderline e
narcisista
Introdução geral
Toxicologia
- testes de urina ou sangue (ambos são de triagem ou de confirmação);
- urina geralmente é positiva por até 2 dias após o consumo da maioria das
drogas;

Exame físico
Sinais

- Abusadores subcutâneos e intravenosos (cicatrizes, infecções, etc.);


- Indivíduos que inalam cocaína, heroína ou outras drogas (septo nasal desviado ou
perfurado, sangramento nasal, rinite);

- Indivíduos que fumam cocaína em forma de base livre, crack, cannabis ou


outras drogas e abusadores de inalantes (bronquite, asma, doenças respiratórias crónicas).

Determinar os padrões de abuso (Quando?, Como?, Com quem?, etc.)


Definições
Intoxicação:
Comportamento de má adaptação associado à ingestão recente de droga.
Efeitos dependem: dose, circunstâncias e personalidade base;

Abstinência:
Síndrome psicoactiva específica à substância após cessação do seu uso; craving;

Tolerância:
Necessidade de uma maior quantidade da substância para obter efeito anterior ou
diminuição dos intervalos entre os consumos;

Abuso:
Padrão de má adaptação de uso da substância, resultando em problemas repetidos e
consequências adversas (por ex., uso em situações perigosas, problemas legais,
sociais, etc.)
Definições
Dependência:
Necessidade física ou psicológica (ou ambas) de continuar a consumir uma
substância.
- psicológica (habituação) caracteriza-se por uma avidez
contínua ou intermitente pela substância;
- física (fisiológica) é caracterizada pela tolerância
(para evitar síndrome de abstinência).

Adição:
Termo não científico que implica dependência psicológica, comportamento de
busca pela droga, dependência física e tolerância e deterioração da saúde
física e mental.
Tratamento

Intoxicação:
possível sobredosagem;
avaliação de intoxicação por múltiplas substâncias;
avaliação das condições médicas concomitantes;
tratamento de apoio, protecção do paciente contra ferimentos.
(*naloxona)

Abuso ou dependência:
abstinência;
a longo prazo (pelo menos 6 meses): terapias (grupo, comunidade, etc.),
manutenção química;

a recaída é comum
Opióides
(ópio, morfina, heroína, metadona, codeína, oxidocona, hidromorfona, levorfanil,
pentazocina, meperidina, propoxifeno)

Vias administração:
Injectado (SC ou IV), fumado ou inalado

Efeitos
Droga Efeitos físicos Laboratório Tratamento
comportamentais
Metadona (AG
tratamento a
euforia, sonolência, longo prazo)
anorexia, impulso
Miose, prurido,
sexual diminuído, náuseas, bradicardia, Naltrexona
hipoactividade, obstipação, (ANTG) +
alterações de depressão Detectados Clonidina
Opióide personalidade, disforia respiratória, náuseas, no sangue
s ansiosa, tranquilidade, vómitos, fala até 24h Buprenorfina (AG
decréscimo da arrastada,
atenção e da memória, com ligeira acção
hipotensão, marcas ANTG) +
lentificação de agulhas
psicomotora, síndrome Naloxona
amotivacional.
Naloxona (ANTG)
(sobredosagem)
A sobredosagem pode ser uma emergência médica e geralmente é acidental. Os sinais
clínicos incluem pupilas mióticas ou punctiformes, depressão respiratória e depressão do
SNC.
Opióides
Abstinência raramente é uma emergência médica;
atenção aos simuladores; procurar detectar…

- sintomas gripais
- cólicas abdominais
- avidez pela droga
- pupilas dilatadas
- ansiedade - piloerecção
- lacrimejo - tremores
- rinorreia - inquietação
- bocejos - náuseas
- vómitos
- sudorese - diarreia
- insónia - sinais vitais aumentados
- ondas de calor e de frio
- dores musculares
Sedativos-hipnóticos e ansiolíticos
(benzodiazepínicos e barbituricos)

Via de administração: Oral

- dependência desenvolve-se após alguns meses de uso diário


- barbitúricos substituídos pelas benzodiazepinas:
Índice terapêutico mais elevado
Menor tolerância

Efeitos
Droga Efeitos físicos Laboratório Tratamento
comportamentais
diaforese, Para barbitúricos:
ataxia, Fenobarbitol líquido
sonolência,
hipotensão, ou diazepam
confusão,
Depressores miose, fala Detectados
comprometimento benzodiazepinas:
SNC arrastada, no sangue
da atenção e da (desmame gradual
marcha instável
memória durante 10 dias)
convulsões,
delirium agitação: haloperidol
Sedativos-hipnóticos e ansiolíticos
Abstinência:
condição com potencial risco de vida, que frequentemente exige hospitalização;
Atenção as diferenças interindividuais em termos de tolerância e dosagem;

- naúseas - irritabilidade
- vómitos - sensibilidade  à luz
- mal-estar - sensibilidade  a estímulos sonoros
- fraqueza - tremor grosseiro
- hiperactividade autónoma - acentuada insónia
- ansiedade - convulsões
Estimulantes
anfetaminas e similares

- extremamente aditivos e perigosos;


- poderosos efeitos anorexígenos;
- causam libertação de dopamina e podem causar alucinações e delírios
sintomaticamente idênticos a um episódio agudo de esquizofrenia.

Via de administração: oral, injectadas (altamente aditivo) ou inaladas

• Principais – anfetaminas, dextroanfetamina, metanfetamina (speed),


metilfenidato (Ritalin);
• Substâncias correlacionadas – efedrina, fenilpropanolamina;
• Anfetaminas substituídas (“drogas de designer”) (são também classificadas como
alucinogénos) - efeitos neuroquímicos sobre os sistemas serotoninérgico e dopaminérgico,
como MDMA (Ecstasy, 3,4-metilenodioximetanfetamina).
Estimulantes
anfetaminas e similares

Efeitos
Droga Efeitos físicos Laboratório Tratamento
comportamentais

alerta, euforia, midríase, tremor, Diazepam (agitação)


hiperactividade, halitose, boca seca, propranonolol
irritabilidade, taquicardia, HTA, (taquiarritminas e
agressividade, febre, convulsões, Detectados outros sintomas
Anfetaminas agitação, tendências perfuração do septo no sangue e somáticos) vitamina
paranóides, nasal, sudorese, urina C ( acidifica urina,
alucinações visuais e náuseas, vómitos, aumentando a
tácteis arritmia, anorexia, excreção)
delirium impotência Haloperidol

Abstinência:

- disforia
- fadiga
- distúrbios do sono
- agitação
- avidez pelas drogas
Dermatose

Aspecto da face em resultado do uso crónico de MA

Outros efeitos
- reacções alérgicas
- dermatose severa (em especial na utilização
crónica)
- rash cutâneo e urticária
- síndrome Gilles De La Tourette
- “meth mouth” (características dos abusadores
crónicos desta droga).

Meth mouth

http://www.ff.up.pt/toxicologia/monografias/ano0607/metanfetamina/Metanfetamina_ficheiros/page0001.htm
Cocaína

Altamente aditiva

Via de administração: fumada, injectada ou inalada

- com o uso repetido, a tolerância desenvolve-se para os efeitos euforizantes,


anoréticos, hipertérmicos e cardiovasculares;

- pode também provocar rinite e perfuração do septo nasal;

- sintomas de intoxicação semelhantes aos das anfetaminas (morte súbita por


complicações cardíacas e delirium);

- sintomas de abstinência semelhantes aos das anfetaminas; avidez pela droga;


- uso a longo prazo pode levar à depressão e ideação suicida – sintomas de
abstinência alcançam o pico em alguns dias mas os sintomas depressivos
podem durar semanas.

- tratamento semelhante ao das anfetaminas


Canabinóides
Via de administração: fumada ou ingeridos

Intoxicação:

- euforia ou disforia
- ansiedade
- desconfiança o uso a longo prazo pode
- riso inadequado provocar ansiedade e
- distorção do sentido do tempo depressão e uma síndrome
- retracção social amotivacional apática.
- conjuntivas congestionadas
- aumento do apetite
- boca seca
- taquicardia - teste urina positivo por
- hipotermia dose dependente vários dias
- sedação - sintomas de abstinência
- despersonalização não característicos
- delirio persecutório (frequentemente)
- sintomas de pânico
- psicose
Alucinogénios
Drogas:
LSD, psicobilina (cogumelos),
Via de administração: fumada ou ingeridos mescalina (cacto peyote),
(comidos, sugado de papéis) anfetaminas substituídas
(MDMA, etc.)
- Simpaticomiméticos – causam hipertensão,
taquicardia, hipertermia e midríase

Efeitos
Droga Efeitos físicos Laboratório Tratamento
comportamentais
Duração de 8-12h com
flashbacks após
Midriase, ataxia,
abstinência (pode ser
hiperemia
necessário terapêutica), Apoio emocional
conjuntiva,
alucinações visuais, Diazepam
taquicardia, HTA,
Alucinogénios ideação paranóide, falso Nenhum
hipertermia, Haloperidol
senso de realidade e
sudorese, *evitar os medicamentos
força, tendências
palpitações, visão
suicidas ou homicidas,
turva, tremores
despersonalização,
ansiedade
PCP
(anestésico dissociativo com efeitos alucinogénicos)
Drogas de accção semelhante
incluem a ketamina (cetamina,
Via de administração: fumada, ingerida, inalada ou injectada special K), usada como
- geralmente causa paranóia e violência imprevisível anestésico em Medicina
Veterinária

Efeitos comportamentais
Droga Laboratório Tratamento
Efeitos físicos

Duração 8-12h
Baixas doses: nistagmo, visão turva,
torpor e falta de coordenação;
Doses moderadas: HTA, disartria,
ataxia, aumento tonus muscular na face Diazepam
e pescoço, hiperreflexia e sudorese;
Fenciclidina Haloperidol
Doses maiores: agitação, febre, Até 5 dias
(PCP) Imobilização
movimentos anormais, rabdomiólise,
mioglobinuria e IR; Acidificação da urina
Sobredosagem: convulsões, severa
HTA, diaforese, sialorreia, depressão
respiratória, estupor, coma e morte
psicose, delirium, transtorno de humor
Outros
1.Inalantes
(gasolina, querosene, colas, tintas, verniz, solventes, polidores, etc.)

- os sintomas de intoxicação leve são semelhantes à do álcool ou sedativos-hipnóticos

- efeitos psicológicos: euforia, agressividade, impulsividade;

- efeitos físicos: ataxia, confusão, desorientação, fala arrastada, tontura, reflexos


deprimidos, nistagmo.

- podem evoluir para delirium e convulsões

- efeitos tóxicos: lesão cerebral, dano hepático, depressão da medula, neuropatias


periféricas, imunosupressão

- tratamento: cuidados médicos de suporte


Outros

2. Cafeína:

- intoxicação: inquietação, nervosismo, excitação, insónia, rubor facial, diurese,


distúrbios digestivos, taquicardia, arritmia, agitação psicomotora, cefaleias.

3. Nicotina

- dependência: desenvolve-se rapidamente

- sintomas de abstinência: avidez por nicotina, irritabilidade, frustração, raiva,


ansiedade, dificuldade de concentração, inquietação, bradicardia, aumento
do apetite.
Esta foi a quarta vaga de anúncios deste Meth Project que apareceu em jornais secundários e
universitários.
O objectivo da campanha é manter afastados os adolescentes e os adultos jovens do consumo de
metanfetamina pela primeira vez.

“Bater num velhote por dinheiro não é normal. “Apanhar insectos debaixo da pele não é normal.
Mas na metanfetamina é.” Mas na metanfetamina é.”

“Deixar um amigo para morrer não é normal. “15 euros por sexo não é normal.
Mas na metanfetamina é.” Mas na metanfetamina é.”
http://propagandas.wordpress.com/2008/08/18/meth-project-4%c2%aa-vaga/