You are on page 1of 13

“Biblioteca:

núcleo de
trabalho e
aprendizagem
ao serviço da
escola”
 
“As Bibliotecas têm um
fim mais alto que fornecer
aos leitores os livros que
eles conhecem: é dar-lhes a
conhecer o que ignoram.”
Raul Proença
Para um Novo Conceito de
Biblioteca Escolar: Avaliação =
Qualidade
Objectivos
• Divulgar o processo de auto-avaliação;
• Evidenciar o papel e mais valia da auto-
avaliação;
• Integrar o processo de auto-avaliação na
escola/comunidade;
• Responsabilizar todos os intervenientes
• Uniformizar procedimentos;
• Institucionalizar práticas.
Introdução
Compete à biblioteca, através de uma adequada
gestão dos seus recursos humanos e materiais,
ultrapassar os variados factores, internos e
externos, que condicionam o seu sucesso e a
recepção à mudança. Salientar a sua mais valia
num percurso de abertura aos vários caminhos
pedagógicos, convertendo o utilizador
esporádico num leitor frequente e competente
nos mais variados domínios, são os
imperativos de uma auto-avaliação
formativa e reguladora, através de uma
acção de firme liderança e de gestão por
parte do professor bibliotecário.
Prioridades

Avaliar

Gerir

Mudar
Factores de Sucesso
• Existência de um “learning specialist”;
• Estratégias de colaboração entre os
vários parceiros, internos e externos;
• Espírito de liderança;
• Estrutura tecnológica adequada;
• Fundo documental rico e diversificado;
• Plano de actividades aliciante;
• Formação e apoios.
Avaliar para quê?
• Papel predominante da avaliação: o que
fazemos, como fazemos, onde estamos, o que
queremos?
• Como trabalham as BE?
• Qual o seu impacto nas escolas e no sucesso dos
alunos?
• De que modo a BE se integra na escola?
• Que condições de organização e equipamento a
BE faculta aos utilizadores?
• Que tipo de gestão é realizada?
• Que qualidade e inovação são promovidas para o
necessário envolvimento de todos?
Planear o Sucesso
PB: construtor de sucesso

• Identificar/Negociar prioridades;
• Seleccionar o domínio a avaliar;
• “The evidence based practice”:Criar instrumentos,
Recolher/ Gerir;
• Enquadrar a auto-avaliação na relação”clusters/targets”;
• Valorizar/Ajustar os recursos às necessidades/interesses;
• Integrar avaliação da BE na avaliação da Escola;
• Elaborar/Discutir/Aprovar relatório de auto-avaliação.
Relatório Auto-
Avaliação
Interdepartamentalida
de

Currículo Planificações
Nacional
Formação
Contínua

Recursos/Estruturas
Avaliação

Biblioteca

Actividades
Comunidade Enriquecimento
Curricular

Áreas Curriculares
PIC
não disciplinares

Interdisciplinaridade

Aprovar
Divulgar
Conclusão
“A biblioteca é testemunho da
verdade e do erro.”
Umberto Eco
E Avaliar não é penalizar, não é “apontar” o erro.
Avaliar é um processo democrático, integrado e
activamente participado por todos. Avaliar é o caminho
mais seguro e verdadeiro para conseguirmos justificar a
existência de uma biblioteca, que se pretende o núcleo, o
ponto de partida e o ponto de chegada, numa escola
verdadeiramente integrada no meio e dele participante
activa; numa escola que se constrói todos os dias , à custa
de um processo de reflexão contínua, de aprendizagem,
de enriquecimento cultural e de assistência didáctica e
pedagógica ao aluno, mas também de diálogo entre aluno,
escola e comunidade.
Avaliar significa APENAS identificar forças e
fraquezas para determinar prioridades e traçar o
  “A leitura pode tornar-se o meio
essencial da aquisição de
conhecimentos, do desenvolvimento
do pensamento, e do enriquecimento
da personalidade. Saber ler
corresponde a ser capaz de extrair o
“miolo substantício” contido na
mensagem escrita e, em virtude disso,
participar na vida intelectual de
toda a Humanidade.”
Gaston Mialaret