You are on page 1of 15

E S

A R E
L
O AL D
S C C
E
S ERT VO I
C A V O
T E O N
IO N T O -
IB L M E R-
B P A M O
R U T E
G
A MO N
ACÇÃO de FORMAÇÃO:
Práticas e Modelos na Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares
ÉVORA (Novembro/Dezembro de 2009)

A BE Desafios e Oportunidades no Contexto da Mudança

OBJECTIVOS:

Definir e entender o conceito de biblioteca escolar no contexto da mudança


Perspectivar práticas adequadas a estes novos contextos
Entender o valor e o papel da avaliação na gestão da mudança

“Concentre-se nos pontos fortes, reconheça as fraquezas, agarre as


oportunidades e proteja-se contra as ameaças ” (SUN TZU, 500 a.C.)

Análise SWOT
“The concept of corporate strategy” Kenneth Andrews

Comentário à Análise da Colega Carla Santos


O Modelo de Auto-Avaliação: Problemáticas e
Conceitos Implicados

OBJECTIVOS:

Perceber a estrutura e os conceitos implicados na construção do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas


Escolares

Entender os factores críticos de sucesso inerentes à sua aplicação

Simulei um Workshop - “A Nossa Biblioteca Escolar.


Avaliar é Preciso” - dirigido aos professores do Agrupamento

Comentário

“Workshop Formativo de Apresentação do Modelo de Auto - Avaliação” da colega


Carla Santos
Modelo de Auto - Avaliação das Bibliotecas Escolares no

Contexto da Escola/Agrupamento

Objectivos:

Entender as ligações do processo de auto-avaliação à Escola perspectivando a gestão da informação e o


seu processo de comunicação, destacando o papel de liderança do Professor bibliotecário

Reflexão à capacidade de Auto - Avaliação do meu Agrupamento

Perspectivando a aplicação do modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares reflecti criticamente

Comentário

Trabalho da Colega Ana Paula Pio da Biblioteca Escolar do Agrupamento Vertical do Gavião

“As relações que se estabelecem entre a escola e a biblioteca escolar podem assumir-se como determinantes ou
inibidoras do seu sucesso.”

in O Modelo de Auto - Avaliação no Contexto da Escola/ Agrupamento, RBE


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas
Escolares Metodologias de Operacionalização
(Parte I)
OBJECTIVO:

Operacionalizar o modelo de auto-avaliação da biblioteca escolar

Domínio:
B. (Leitura e Literacia)

(Processo)
Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento

(Impacto/outcome )
Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia

Elaborei um Plano de Avaliação


Comentário

Trabalho do Colega João Azaruja


Escola Básica 2, 3 Padre Bento Pereira (Agrupamento de Escolas de Borba)
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas
Escolares: metodologias de operacionalização
(Parte II)
OBJECTIVOS:

Saber Identificar / Estabelecer nexos coerentes entre, por um lado, os indicadores e


respectivos factores críticos

Domínio D: Gestão da Biblioteca


Subdomíno D.2:
Condições Humanas e Materiais para a Prestação dos Serviços para
trabalhar.

Construí “frases – tipo” que exemplificam as evidências passíveis de serem


obtidas a partir dos instrumentos seleccionados
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas
Escolares: metodologias de operacionalização
(Conclusão)
OBJECTIVOS:

Trabalhar a fase de transferência e comunicação para o exterior dos resultados de avaliação


apurados no processo de auto-avaliação da BE e incorporados na auto-avaliação de cada escola

Conhecer a estrutura descritiva comum da IGE, a que essa informação deve obedecer com vista à
avaliação externa

Elaborei um Texto de Orientação

Analisei criticamente a presença de referências - RIGE - a respeito das BE

Amostra:

AVMN e AEM
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:
metodologias de operacionalização (Workshop)

OBJECTIVOS:

Examinar a operacionalização do modelo de auto-avaliação no que se refere à utilização da linguagem em


contexto de avaliação e de planificação de acções para a melhoria.

Fórum I

Enunciados Descritivos e Avaliativos

Fórum II

Enunciados Gerais /FRAGILIDADES

Enunciados Específicos Uma Hipótese

Related Interests