You are on page 1of 24

PÓS GRADUAÇÃO EM

ENGENHARIA AMBIENTAL E
SANEAMENTO BÁSICO - FIC
DISCIPLINA 3 - Química Aplicada
ao Meio Ambiente e Saneamento
Básico.
SEMINÁRIO

• A importância dos sólidos nas Estações


de Tratamento de Esgotos.
Equipe formada por:
Hudson Lins
Alexandre Pimentel
Sormany Oliveira
Nonato Rodrigues
O Tratamento do Esgoto Sanitário

Tratar esgoto sanitário é remover os


sólidos:
• Grosseiros;
• Areia;
• Sedimentáveis;
• Não sedimentáveis
Resíduos sólidos nas águas e sua importância
ambiental

A presença de resíduos sólidos nas águas,


principalmente aqueles resíduos presentes no
esgoto sanitário, leva a um aumento da turbidez
dessa água influenciando diretamente na
entrada de luz e diminuindo o valor de saturação
do oxigênio dissolvido (Nuvolari, 2003)
COMPOSIÇÃO DOS ESGOTOS

• Os esgotos são compostos por constituintes


físicos, químicos e biológicos.
• Desde que não haja significativa contribuição de
despejos industriais a composição do esgoto
doméstico ou sanitário é razoavelmente
constante. Este efluente contem
aproximadamente 99,9% de água, e apenas
0,1% de sólidos.
• Os esgotos industriais além da matéria orgânica,
podem carrear substâncias químicas tóxicas ao
homem e outros animais (MOTA, 1997).
COMPOSIÇÃO DOS ESGOTOS

• É devido a essa fração de sólidos que ocorrem


os problemas de poluição nas águas, trazendo a
necessidade do tratamento. A fração inorgânica
dos efluentes corresponde a 30% da quantidade
de matéria sólida existente. Seus principais
componentes são os detritos minerais pesados,
sais e metais.
Principais impactos e consequências determinadas
pelos sólidos suspensos e dissolvidos de um esgoto
ao meio ambiente.

• Diminuição da vazão do rio e de volumes de


armazenamento (Assoreamento) →inundações;
• Soterramento de animais e ovos de peixes,
aumento da turbidez da água → redução da
transparência da água → diminuição da
atividade fotossintética → redução do oxigênio
dissolvido → impactos sobre a vida aquática.
Frações de sólidos existentes nos esgotos

• Sólidos Sedimentáveis (SS).


• A análise de SS permite determinar o volume ocupado
pelos sólidos após sedimentação em cone Inhoff, por
uma hora.
• Sólidos Totais (ST) e Sólidos Suspensos Totais
(SST)
• Resíduo Total ou Sólidos Totais (ST) é o termo
empregado para material que permanece em um
cadinho após evaporação da água da amostra e sua
subseqüente secagem em estufa, a 103ºC - 105°C.
Sólidos Suspensos Totais (SST) constituem-se da
fração dos ST que fica retida em um filtro.
Frações de sólidos existentes nos esgotos

• Sólidos Fixos Totais (SFT) e Sólidos Suspensos


Fixos (SSF).
• Resíduo Fixo ou Sólidos fixos Totais (SFT) é o termo
empregado para a fração de ST após incineração em
mufla a 600°C. Nessas condições, toda matéria orgânica
é transformada em CO2 e água, restando, no cadinho,
apenas os sólidos inorgânicos. Sólidos Suspensos Fixos
(SSF) é o termo empregado para a fração de SFT
filtrada em membrana, após calcinação a 600°C. O SSF
mede aproximadamente a quantidade de areia presente.
Frações de sólidos existentes nos esgotos

• Sólidos Voláteis Totais (SVT) e sólidos Suspensos


Voláteis (SSV).
• Resíduo Volátil de Sólidos Voláteis Totais (SVT) é o
termo empregado para a fração de ST que se perde
após calcinação em mufla a 600°C. Sólidos Suspensos
Voláteis (SSV) correspondem à fração de SST, que se
perde após calcinação em mufla a 600°C. Para lodos
biológicos a concentração de SSV é relacionada à
quantidade de biomassa presente. Para lodos primários,
a concentração de SSV, é relacionada ao conteúdo de
matéria orgânica morta presente.
Relações importantes para o tratamento do
esgoto fornecidos pelas diversas frações de
sólidos.
• Relações SF/SV, SSF/SSV, SDF/SDV elevadas indicam
a predominância absoluta de material inerte na água
residuária e a necessidade de sua separação prévia a
fim de se efetivar o tratamento biológico.
Indicação da necessidade de desarenador:
• A concentração de SSF fornece a estimativa grosseira
da concentração de partículas inertes (por exemplo, a
areia) podendo ser utilizada, na ausência de dados
mais precisos, no projeto de certas unidades destinadas
a remover essas partículas.
Relações importantes para o tratamento do
esgoto fornecidos pelas diversas frações de
sólidos.
Indicação de alta salinidade:
• Concentrações elevadas de sólidos dissolvidos fixos
(SDF) em comparação com sólidos dissolvidos voláteis
(SDV) indicam água residuária com alta salinidade e a
provável necessidade de tratamento físico-químico, uma
vez que esses sais não são efetivamente removidos em
processos biológicos.
Indicação da necessidade de decantador primário:
• A presença de Sólidos Sedimentáveis é indicativa da
necessidade de unidade de sedimentação antecedendo
as unidades de tratamento biológico convencionais
aeróbias, ou os reatores anaeróbios, principalmente se o
teor de SSF é elevado.
A importância dos sólidos nas
ETES

• Remoção de sólidos grosseiros:


Com o uso de grades(retenção e remoção) ou
trituradores(redução das dimensões dos sólidos) os
sólidos estranhos ao esgoto são retirados de modo a
condicionar o afluente a ETE, a sofrer as operações
necessárias de um processo qualquer de tratamento.
A importância dos sólidos nas
ETES
• Deve-se haver a preocupação com o destino final do
material retido nas grades, incineração ou o aterramento
em valas ou em aterros sanitários(juntamente com o lixo
municipal). Por isto na fase de projeto costuma-se
estimar a quantidade de material gradeado (NUVOLARI,
2008)
A importância dos sólidos nas
ETES
• Remoção da areia presente no esgoto:
A remoção da areia evita a abrasão nos equipamentos e
tubulações, reduz a possibilidade de obstrução nas
unidades dos sistemas (orifícios,sifões), facilita o
transporte líquido do sistema, principalmente a
transferência de lodos, em suas diversas fases. O
dispositivo de retenção nas ETES é a caixa de areia.
A importância dos sólidos nas
ETES
• Foto de um gradeamento e uma caixa de areia.
A importância dos sólidos nas
ETES
• Remoção dos sólidos sedimentáveis:
Nesta etapa são removidos os sólidos suspensos, as unidades de
tratamento são os decantadores, as estações devem retirar em
torno de 40 a 60% dos sólidos, o que corresponde a cerca de 30 a
40% da DBO (METCALF & EDDY, 2003).
Este tratamento denominado Primário, possibilita que os esgotos
sejam submetidos a tratamentos secundários, onde se exige maior
grau de tratamento dos esgotos.
Na operação dos decantadores, a eficiência dos mesmos está
relacionada com a capacidade do tanque, os sólidos contidos nos
esgotos tem de estar convenientemente depositados sem que haja
pertubação ou arraste destes sólidos, antes de sua remoção ou
transferência.
A importância dos sólidos nas
ETES
Os esgotos convenientementes condicionados permitem
que em duas horas sejam decantados quase que a
totalidade dos sólidos sedimentáveis.
Sendo assim, a aplicação da remoção dos sólidos
sedimentáveis, além de reduzir a DBO, encaminha o
efluente com condições de avançar para a próxima
etapa do tratamento onde serão removidos os sólidos
dissolvidos (lodos ativados, lagoas de estabilização).
Vale ressaltar que neste tratamento gera-se lodo, o qual
será objeto de considerações mais a frente no presente
trabalho.
A importância dos sólidos nas
ETES
• Remoção dos sólidos dissolvidos:
Após a realização dos tratamentos anteriormente
descritos, estes tratamentos são insuficientes para
permitir o lançamento do efluente final da ETE nos corpos
d’água. O efluente dos decantadores primários ainda
conserva 60% do valor da DBO original.
Sendo assim, a remoção dos sólidos dissolvidos será
feita mediante tratamento secundário,por processos
biológicos, e os sólidos suspensos não removidos nas
etapas anteriores, também serão removidos. O
tratamento pode ser feito tanto em condições anaeróbias
quanto aeróbias.
A importância dos sólidos nas
ETES
• Lodo primário e secundário.
Os diferentes sistemas de tratamento e seus respectivos
estágios geram lodos com características e quantidades
variáveis.

O lodo primário é gerado nos decantadores primários, já


o secundário é produto do sistema de decantadores
secundários e descartados dos sistemas de lodos
ativados.
A importância dos sólidos nas
ETEs
A disposição final adequada deste resíduo é uma etapa
fundamental no processo operacional de uma Estação
de Tratamento de Efluentes - ETE e tem sido
negligenciado.

Os projetos em geral são absolutamente omissos em


relação ao destino dos resíduos sólidos. Além dos
benefícios ambientais e sociais, a gestão de biosólidos
representa um mercado com boas perspectivas nas
áreas de projeto, planejamento e gestão de serviços,
equipamentos e insumos.
A importância dos sólidos nas
ETEs
A visão nem sempre foi assim, anos atrás, empresas
projetistas preocupavam-se apenas com a clarificação
do efluente.

Atualmente e com a lei ambiental como instrumento


regulador, a opção de se fazer o aproveitamento do lodo
ganha força, vários países encontraram um grande
negócio com os lodos gerados em suas estações.
A importância dos sólidos nas
ETEs
• Das diversas alternativas para a adequada disposição
do lodo, produzido em conseqüência do tratamento de
esgoto e, portanto, um problema com grande tendência
ao agravamento, a reciclagem agrícola é a mais
promissora tanto sob o aspecto ambiental quanto
econômico, pois transforma um rejeito em um
importante insumo agrícola.
• A definição de políticas para a reciclagem agrícola do
lodo de esgoto deve, contudo, ser baseada em
cuidadosos estudos que definam critérios agronômicos,
ambientais e sanitários, de modo a garantir sua
utilização segura.
Bibliografia
• JORDÃO, Eduardo Pacheco; PESSOA, Constantino Arruda.
Tratamento de esgotos domésticos: concepções clássicas de
tratamento de esgotos. São Paulo: CETESB, 1975.

• NUVOLARI, Ariovaldo; et al (org). Esgoto sanitário: coleta,


transporte, tratamento e reuso agrícola. São Paulo: Edgard Blucher,
2003.

• A gestão dos biosólidos gerados em estações de tratamento de


esgoto doméstico. Disponível em
<http://www.sanepar.com.br/Sanepar/Gecip/Congressos_Seminario
s/Lodo_de_Esgoto/gestao_biossolidos_ETEs.pdf>