You are on page 1of 13

Crescimento e globalização

Crescimento e globalização «O crescimento do PIB e do PNB difere do significado de crescimento geralmente (embora exclusivamente) empregue na natureza, porque significa expansão sem sentido de desenvolvimento. A ausência deste crescimento é descrita, pejorativamente, como recessão. As recessões prolongadas chamam-se depressões. […]

O crescimento desenfreado acompanha a grande ou crescente desigualdade. Tem sido esta a experiência das economias anglo-saxónicas, do Reino Unido e dos Estados Unidos, e de outras partes do mundo, como a China, a Índia e a África do Sul, significativas em termos de população e de política global. A elevada desigualdade tem também afectado o Brasil e grande parte da América Central durante décadas. Os efeitos variam também de acordo com as gerações, com os jovens a enfrentarem um risco de pobreza e desemprego desproporcionalmente

elevado e que se agrava. Investigações mais recentes […] mostram que, na Índia, um impressionante crescimento económico e o aumento de produtividade de pescadores, trabalhadores manuais e operários não conseguiu melhorar os baixos níveis de nutrição, tanto entre os adultos como entre crianças. O crescimento sem raízes descreve os efeitos culturalmente destruidores da globalização económica. É o efeito homogeneizador da McDonald’s, da Starbucks e da Coca-Cola. É o trinfo do cinema de Hollywood e da concentração empresarial dos meios de informação, capazes de impor uma estreita noção ocidental de beleza, sucesso material e orgulho cultural.» Fonte: Andrew Simms, Travar o Apocalipse Porque precisamos de parar de crescer e começar a viver.

1.1. Distinga PIB de PNB. 1.2 Refira as áreas mundiais onde o PIB e PNB são mais elevados. 1.3. Mencione o grupo social que enfrenta maior risco de pobreza e desemprego. 1.4. Explique em que consiste a globalização económica.

Resposta

1.1 O Produto Interno Bruto corresponde ao somatório dos valores acrescentados criados pelas empresas nacionais ou estrangeiras que operam em território nacional, durante um ano, enquanto o Produto

Nacional Bruto corresponde ao somatório dos valores acrescentados dos bens e serviços produzidos exclusivamente pelas empresas nacionais.

  • 1.2 Os países desenvolvidos do Norte.

  • 1.3 Os jovens.

1.4 A globalização económica corresponde a um forte crescimento do comércio mundial sustentado: numa

economia dominada pelo sistema financeiro e pelo

investimento à escala global; em processos de

produção flexíveis e multilocais; na revolução das

tecnologias de informação e de comunicação; e nos baixos custos de transportes e comunicações

Globalização: riscos e ameaças crescentes

«Há muito que o mundo se carateriza pelas ligações económicas, políticas e sociais mundiais e regionais, hoje

conhecidas pelo termo “globalização”. No entanto, esta conetividade mundial tem sofrido uma aceleração nos

últimos anos. Entre 1999 e 2012, o rácio do comércio mundial em relação ao PIB aumentou de 37 por cento

para 51 por cento. Entre 2000 e 2013, o número de migrantes internacionais aumentou de 175 a 232 milhões.

Os fluxos financeiros entre os países aumentaram de 31 por cento da totalidade dos fluxos, em 1970, para mais

de 180 por cento, em 2007. As bolsas de valores operam 24 horas por dia, cinco dias por semana, e as transações foram, em média, de 5,3 milhões de milhões de dólares por dia em abril de 2013. A produção de muitos bens e serviços estende-se por vários continentes em cadeias de valor integradas a nível mundial. As redes sociais, como o Facebook e o Twitter, aumentam o potencial de alargamento dos espaços sociais entre regiões geográficas mais amplas. Estas tendências têm trazido benefícios e oportunidades importantes para muitos. Porém, em domínios que vão desde as finanças à segurança e ao meio ambiente, o ritmo e a escala da

conetividade não foram acompanhados por medidas destinadas a reduzir as vulnerabilidades emergentes, com

vista a evitar choques, melhorar as capacidades e proteger as escolhas das pessoas. Por exemplo, a integração

da produção em cadeias de valor mundiais gerou o tão necessário emprego. Contudo, a concorrência para atrair investimentos pode acarretar o risco de se nivelar por baixo a regulamentação laboral e ambiental. Os riscos de contágio também aumentaram. Os choques e mesmo as mudanças políticas num país podem ter alcance mundial e uma relação direta com as capacidades e escolhas individuais, comprometendo potencialmente a evolução do desenvolvimento em comunidades e países distantes. Em 2008, o colapso de um banco em Nova Iorque desencadeou uma crise financeira global. Em 2010, um vulcão na Islândia interrompeu as viagens aéreas

na Europa e deixou produtos frescos a apodrecerem na América Latina e em África, custando ao Quénia 5000

postos de trabalho agrícolas e 1,3 milhões dólares por dia só no setor das flores. Em 2011, um tsunami ao largo do Japão cortou o fornecimento de componentes automóveis a fabricantes de automóveis dos Estados Unidos, agravando a insegurança do emprego decorrente da recessão para milhares de trabalhadores. Em 2012, os conflitos na República Democrática do Congo, Mali, Sudão do Sul, Sudão e República Árabe da Síria forçaram 1,1 milhões de refugiados a deslocar-se para países vizinhos. Em 2013, o colapso de um prédio no Bangladesh desencadeou protestos civis contra grandes armazéns da Europa e da América do Norte.» Fonte: Relatório de Desenvolvimento Humano 2014, PNUD (adaptado)

1.1. Relacione a evolução das exportações, em volume e em valor, com o processo de globalização em curso.

1.2. Dê exemplos de outros fluxos que tenham aumentado de forma

considerável, em valor ou em volume, nos últimos 30 anos.

1.3. Explique de que modo a globalização tem trazido benefícios e oportunidades a países e indivíduos.

1.4. Justifique a afirmação: «Os riscos de contágio também aumentaram».

• 1.2. Dê exemplos de outros fluxos que tenham aumentado de forma considerável, em valor ou

1.1 O crescimento das exportações contribuiu para o aumento da integração económica dos países e para a aceleração do processo de globalização ..

1.2 Os fluxos de capitais, os fluxos migratórios e os fluxos de informação

. 1.3 Como refere o texto, a globalização trouxe benefícios e oportunidades importantes para muitos: o acesso à informação, uma

maior mobilidade, o aumento e a diversificação do emprego e o

aumento da riqueza mundial. Porém, em domínios que vão desde as

finanças à segurança e ao meio ambiente, o ritmo e a escala da conetividade não foram acompanhados de medidas destinadas a

reduzir as vulnerabilidades emergentes, com vista a evitar choques,

melhorar as capacidades e proteger as escolhas das pessoas. Por exemplo, a integração da produção em cadeias de valor mundiais gerou o tão necessário emprego, contudo, a concorrência para atrair

investimentos pode acarretar o risco de se nivelar por baixo a

regulamentação laboral e ambiental.

1.4 Os riscos de contágio aumentaram. Os choques e mesmo as mudanças políticas num país podem ter alcance mundial e uma relação direta com as capacidades e escolhas individuais,

comprometendo potencialmente a evolução do desenvolvimento em comunidades e países distantes