You are on page 1of 31

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ

INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E ENGENHARIAS


FACULDADE DE COMPUTAÇÃO E ENGENHARIA
ELÉTRICA
DISCIPLINA: CONVERSÃO DE ENERGIA II

PROFESSORES: JAINE PINHO E LUCAS MAHMUD

MOTOR CC SEM ESCOVAS


INTRODUÇÃO

Motor CC sem escovas


Máquina síncrona
Ímãs permanentes
Comutação eletrônica

2
MOTOR CC

 Alimentado por corrente contínua


Com escovas
Sem escovas

3
MOTOR CC COM ESCOVAS

 Constituído de duas estruturas magnéticas:


Rotor
Estator

4
ESTATOR
 Carcaça
Polos de excitação
Polos de comutação
Enrolamento de compensação
Conjunto porta escovas
Escovas

5
ROTOR

 Rotor com enrolamento


 Comutador
 Eixo

6
PRINCIPIOS DE
FUNCIONAMENTO

 Motor simples
 Bobina girando entre 2 imãs permanentes.
 Polos magnéticos da bobina
 Atraídos pelos polos opostos dos ímãs
fixos.

7
PRINCIPIOS DE
FUNCIONAMENTO

Bobina gira aproximando os polos


magnéticos.

8
PRINCIPIOS DE
FUNCIONAMENTO

 Sentido da corrente é invertido.

9
PRINCIPIOS DE
FUNCIONAMENTO

 Os polos se repelem
 Continuam impulsionando o rotor

10
COMUTAÇÃO

11
Desvantagens do motor CC
 Dificuldade de serem utilizados em dispositivos de pequeno porte;
 Faiscamento;
Desgaste das escovas;

12
MOTOR CC SEM ESCOVAS

 São operados por uma fonte CC;


Não possui comutadores e escovas;
Combinação de um circuito eletrônico de chaveamento;
 Posição do rotor;

13
 Rotor de imã permanente
 Estator com enrolamentos de
3 ou mais fases;
 Sensor de posição do rotor;
 Circuito eletrônico;

14
 Ativação de uma
bobina por vez;

 Produz um campo
magnético ,
induzindo um
conjugado no rotor;

 Tende a alinhar o
rotor com o campo
magnético do estator;

15
VANTAGENS

 Alta eficiência
 Maior durabilidade;
 Manutenção mínima;
 Baixo ruído;
 Altas taxas de velocidade;

16
DESVANTAGENS

 Custo alto;
 Circuito de controle complexo;

17
APLICAÇÕES

 Computadores;
 Hd’s;
 CD’s;
 DVD’s;
 Coolers;

18
ACIONAMENTO E CONTROLE
Uso de inversores de fase;
Para máximo torque, o inversor comuta a cada 60° elétricos;
O tempo de comutação depende da posição do rotor utilizando
sensores;
 Sensor de efeito Hall;
 Encoder;
 Resolver;
Seis etapas da
comutação, na
sequencia CB-AB-
AC-BC-BA-CA

O intervalo de cada
etapa é de 120°
elétricos
O SENSOR
DE EFEITO
HALL
ENCODER

Incremental
Pulso é gerado por um incremento
Pulsos de saída somados ou subtraídos de uma posição de referência.
Absoluto
Verificador de posição
Posição angular do eixo é descrita por seu próprio e único código.
RESOLVER
FORÇA CONTRA-ELETROMOTRIZ
A polaridade da FCEM tem direção oposta à tensão da fonte;
Velocidade angular;
Campo magnético gerado pelo rotor;
Número de espiras do enrolamento do estator.
A diferença de potencial em um enrolamento pode ser calculada subtraindo-
se o valor da tensão da FCEM da tensão da fonte.
Os motores CC sem escovas são projetados com uma tensão FCEM
constante.
DEMOSTRAÇÃO PRÁTICA DE UM MOTOR
CC SEM ESCOVAS
Mostrar a estrutura do motor da ventoinha;
Mostrar o funcionamento;
Localizar o sistema de controle (incluindo os sensores)

29
CONSIDERAÇÕES FINAIS

30
Por hoje é só!!!

31