You are on page 1of 31

SINTOMAS ASSOCIADOS - TONTURA

• 5% dos casos
• Pré-síncope: sensação de desmaio
• Outras sensações: instabilidade, confusão
• Causas: hipotensão ortostática, arritmias e estímulo vaso-vagal
HIPOTENSÃO ORTOSTÁTICA
• Queda da PS > 20mmHg e/ou PD > 10mmHg
• Remédios que interfiram na função autonômica: antidepressivos
tricíclicos, alfa-bloqueadores e diuréticos.
• Diabetes e neuropatia autonômica periférica
• Idade, anemia, baixa volemia, gravidez
SÍNCOPE VASO-VAGAL
• Causa mais comum: estresse emocional repentino
• Precedido por sintomas de alerta: náusea, fraqueza, sudorese,
desconforto epigástrico, visão borrada, cefaleia, zumbido, dificuldade
de concentração ou tontura, palidez
• É passageiro e pode ser evitado com decúbito imediato
HIPERSENSIBILIDADE DO SEIO CAROTÍDEO
• Tontura ou desmaio após hiperextensão do pescoço, rotação lateral
da cabeça ou pressão sobre a área do seio carotídeo
• Recuperação igual a da síncope vaso-vagal
• Sem os sintomas de alerta
SINTOMAS ASSOCIADOS - MORTE SÚBITA
• Algumas causas podem ser cardiopatias isquêmicas
• Infarto fulminante e arritmias
• Outras causas não cardíacas:
• Embola pulmonar, TVP, aneurisma dissecante de Aorta, aneurisma
cerebral
SINTOMAS ASSOCIADOS - PALPITAÇÃO
• Podem refletir:
• Sintomas de alerta da síncope vaso vagal
• Origem arrítmica
• Doenças metabólicas: hipertireoidismo
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL – PERICARDITE e
DERRAME PERICÁRDICO
• Dor aguda constante, agravada pela respiração, deglutição ou posição
supina
• Alivia por inclinar o tronco para frente
• Distensão venosa jugular
• Não alivia com repouso
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL – ANEURISMA
DISSECANTE DE AORTA
• Dor súbita dilacerante
• Irradia para as costas
• Pulso ou PA assimétrico nas extremidades
• Sopro característico de insuficiência aórtica
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL - EMBOLIA
PULMONAR
• Dor pleurítica: de início abrupto, em pontada, unilateral
normalmente e ventilatória dependente
• Fatores predisponentes: cirurgia recente, hipercoagubilidade,
imobilização, infecções recentes
• Desdobramento de B2 pela hipertensão pulmonar
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL: DOR
OESTOMUSCULAR
• Problemas na coluna: surge de forma aguda e insidiosa e crônica,
precipita por movimentos bruscos ou choques
• Artrite costocondral: dor sobre as articulações da costela e o esterno,
que pioram com a compressão. Pode haver edema, calor e rubor local
• Artrite ou bursite de ombro: lesões inflamatórias ou degenerativas no
ombro com espasmo muscular, presença de limitações dos
movimentos
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL: REFLUXO
GASTRO-ESOFÁGICO
• Descrita como em queimação
• exacerbada curvando-se ou deitando-se
• aliviada por antiácidos
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL – ESPASMO DE
ESÔFAGO
• Dor crônica
• Associada a disfagia
• Dor retroesternal e no pescoço
• Dura 10-60 minutos
• Piora em refeições volumosas
• Melhora com antiácidos e nitratos
ANGINA ESTÁVEL

• Provocada por uma placa estável em uma coronária


• Episódios recorrentes dos 3 fatores:
• Dor ou desconforto retroesternal
• Desencadeada por exercícios
físicos ou estresse emocional
• Cede em até 30 minutos no
repouso ou administração de nitratos
ANGINA DE LIMIAR VARIÁVEL
• Reduções transitórias na oferta de O2
• Vasoconstrição ou estenose dinâmica
• Causada por substâncias vasoconstritoras produzidas por trombos ou
leucócitos
• Dano endotelial em artéria aterosclerótica com ↓ vasodilatadores
• Causam dor no exercício ou outros estímulos
ANGINA DE LIMIAR VARIÁVEL
• Angina variante de Prinzmetal
• Vasoespasmo oclusivo em uma coronária normal
• Sem relação evidente com atividade física
• Dor típica
• Exames não demonstram alterações
• Alívio com uso de nitrato
• Representa 20% das suspeitas de infarto
SÍNDROME CORONARIANA AGUDA
• “A síndrome coronariana aguda (SCA) refere-se a uma constelação de
sintomas clínicos que são compatíveis com isquemia aguda do
miocárdio, englobando, por isso, angina instável e infarto (IAM).
É sempre uma emergência médica.
EPIDEMIOlOGIA
• Ano de 2010:
• Mortes por doenças do aparelho circulatório:326.371.
• Mortes por doenças isquêmicas do coração:99.955.
• Ano de 2011/número de internações:
• Doenças do aparelho circulatório:1.159.210 internações.
• Infarto e doenças isquêmicas do miocárdio:231.361 internações.
SÍNDROME CORONARIANA AGUDA
SCA

SCA
Angina instável IAM

Com elevação Sem elevação


Com elevação
do segmento ST do segmento ST
do segmento ST

Sem elevação
do segmento ST
ETIOLOGIA DA SCA
ETIOLOGIA DA SCA
• Obstrução dinâmica: espasmo coronariano ou vasoconstrição
• Obstrução mecânica progressiva
• Obstrução por placa aterosclerótica – maior prevalência
FATORES DE RISCO PARA ATEROSCLEROSE
ACHADOS CLÍNICOS – ANGINA INSTÁVEL
• Dor anginosa
• Angina de repouso: costuma ser prolongada, usualmente mais de
vinte minutos.
• Angina de início recente: no mínimo classe funcional III.
• Angina em crescendo: com mudança de padrão; mais frequente, com
mais longa duração, ou com menor esforço
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL DA ANGINA
(CANADIAN SOCIETY)

I Atividades habituais não desencadeiam angina


II Leve limitação das atividades habituais – angina aos
moderados esforços
III Marcada limitação das atividades – pequenos esforços
desencadeiam angina
IV Angina em repouso
ACHADOS CLÍNICOS – ANGINA INSTÁVEL
• Achados não sugestivos de isquemia:
• dor pleurítica, dor mesogástrica ou hipogástrica
• dor apontada com um dedo
• dor desencadeada à palpação ou movimentação
• dor com horas de duração ou com duração em segundos
ACHADOS NA HDA – ANGINA INSTÁVEL
• Idosos, diabéticos e mulheres têm sintomas atípicos (dispneia,
náusea, vômitos e diaforese)
• Insuficiência cardíaca ou IAM prévio
• Diabetes e doença vascular periférica ou cerebrovascular
• Tabagismo
• Medicações em uso, cateterismo prévio
• História de asma ou broncoespasmo
• Cirurgia recente e doenças ativas (neoplasias, plaquetopenia)
EXAME FÍSICO – ANGINA INSTÁVEL
• Pressão arterial nos dois braços: procurar assimetria e hipotensão.
• Palpação de pulsos em membros superiores e inferiores
• Geral: palidez, sudorese, ansiedade, cianose e turgência jugular
EXAME FÍSICO – ANGINA INSTÁVEL
• Ausculta cardíaca: presença de sopros,B3,B4.
• Ausculta pulmonar: presença de crepitações
• Extremidades: procurar sinais de insuficiência vascular, edema
ACHADOS CLÍNICOS – ISQUEMIA
CORONARIANA
INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

COM Elevação do Diagnóstico provável:


segmento ST maior IAM com
que 1 mm em duas ou supradesnivelamento
mais derivações ST

ECG Iam sem


Enzimas positivas para
supradesnivelamento
isquemia miocárdica
SEM Elevação do ST
segmento ST maior
ENZIMAS CARDÍACAS
que 1 mm em duas ou
mais derivações Enzimas negativas
para isquemia ANGINA INSTÁVEL
miocárdica
SUPRADESNIVELAMENTO ST