You are on page 1of 15

SOTERIOLOGIA

Prof. Guilherme de Figueiredo Cavalheri


Aula 2
Soteriologia
O conceito bíblico de Salvação

14 de Agosto de
2018
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• A ideia de salvação no AT se origina a partir de um outro termo,


Redenção.

• Sua origem é o termo hebraico pidyôn (“resgate”) e o verbo pádáh


(“resgatar”), e pertencem à linguagem do direito, no sentido de uma
multa aplicada em lugar de uma pena corporal, como em Êx 21.20.

• Os mesmos termos são utilizados na linguagem do culto a Deus, para


designar a prática do “resgate” de uma oferta.
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• Usando a mesma analogia do pagamento para o resgate ou libertação de


um escravo, o AT afirma que Deus “resgatou” (“libertou”, pádáh) seu
povo, ou seu servo (o rei) ou o salmista.

Exemplos:
2Sm 4.9; 1Rs 1.29; Is 29.22; Jr 31.4; Sl 32.23.
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• A ação libertadora e redentora de Deus, por excelência foi a libertação


do Egito.

“mas porque o SENHOR vos amava e, para guardar o juramento que


fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão poderosa e vos
resgatou da casa da servidão, do poder de Faraó, rei do Egito”.
Deuteronômio 7.8.

Israel então se compreende como um “escravo alforriado” (Dt 15.18 e


5.15). Isso se deve ao fato de Deus exercer seu direito de apreensão
(gá’aç), pois Israel é da família de Deus (Os 11.1). O povo que o Senhor
resgatou, continua sendo cuidado por Deus após ser livre (Sl 25.22).
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• Além dessa ideia de redenção coletiva, o AT também trabalha com uma ideia de
redenção individual.

• Deus “resgata”, “liberta” individualmente os fiéis. Essa ideia de resgate-redenção


individual é bastante expressiva nos Salmos.

• Deus “resgata” a alma (a vida) do salmista fazendo-o escapar de qualquer


perigo que o ameaça, como a morte, a doença ou a cilada. Mesmo assim, por
trás da relação individual e pessoal do salmista, também está expressado o
sentimento coletivo, já que muitos salmos (a maior parte deles) eram
cantados pelo povo durante a peregrinação ao Templo do Senhor.
• Mas esse resgate não é apenas dos problemas e do perigo, mas também do
pecado, algo que o pecador não pode fazer por si mesmo.
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• O Senhor resgata a alma dos seus servos, e dos que nele confiam nenhum será condenado. Sl
34.22.

• Até quando, Senhor, ficarás olhando? Livra-me (resgata-me) a alma das violências deles; dos
leões, a minha predileta. Sl 35.17.

• Aproxima-te da minha alma de redime-a; resgata-me por causa dos meus inimigos. Sl 69.18.

• Digam os remidos do Senhor, os que ele resgatou da mão do inimigo. Sl 107.2.

• É ele quem redime Israel de todas as suas iniquidades. Sl 130.8.

• Ao irmão, verdadeiramente, ninguém pode remir, nem pagar por ele a Deus o seu resgate (Pois
a redenção da alma deles é caríssima, e cessará a tentativa para sempre). Sl 49.7-8.
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• Durante todo o percurso da história de Israel, até o cativeiro, a grande


marca distintiva do povo foi o ato libertador de Deus, e é através desse ato
que toda a história é interpretada.

• No cativeiro, o Êxodo continua sendo a chave de leitura da história, mas


agora, para reinterpretar as ações do presente e aguardar uma nova
libertação de Deus a Seu povo.

“No período do exílio, a imagem do resgate será empregada para designar a


libertação esperada e realizada pela ação do rei Ciro. Isaías faz disso um
grande uso: Isaías 35.10; 43.1; 44.22-23; 51.11. O fim do exílio da Babilônia
e a volta para a terra de Israel serão um novo êxodo, superior ao primeiro (Jr
23.7-8).
A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

• A narrativa do Êxodo apresenta o paradigma fundamental para que se


entenda a salvação: salva-se de e salva-se para. Explicitando: Israel é
salvo por Javé da escravidão e da opressão para entrar em aliança com
Ele (Êx 19.1-6).

• Como já vimos na disciplina de Escatologia, a partir do exílio, a ideia


de libertação/redenção/salvação e ação de Deus passa a ser
interpretada de maneira cada vez mais ampla, até ser entendida em
termos cósmicos (escatológico-apocalípticos).

• De qualquer modo, o conceito de resgate continua sendo empregado.


A ideia de Salvação/Redenção no Antigo Testamento

“É importante também entender que salvação para o povo judeu no


Antigo Testamento significava sempre uma libertação territorial,
política e social, fruto da esperança no poder e na realiza de Javé.
Ela era celebrada com regularidade e constituía um pequeno credo para
Israel (Dt 26.5-9). Nos momentos de grande tribulação, como no exílio,
a esperança de Israel estava no triunfo de Javé, que em toda a sua glória
se manifestaria triunfante sobre os inimigos, conferindo ao povo
escolhido paz, segurança e abundância, isto é, o shallom de Deus”.
André Botelho, O Que é Salvação?. p. 34.
Salvação no Novo Testamento

• O significado de salvação no Novo Testamento encontra sua base nos


termos “salvar” (sozein), “salvador” (soter) e “salvação” (soteria). O termo é
utilizado fora da literatura cristã, no mundo grego, para tratar de pessoas a
quem cabia o título de “salvador”.

• No Novo Testamento, o título Soter é dado a Jesus para designá-lo como o


único e verdadeiro salvador.

• Além disso, o próprio nome Jesus, indica salvação, pois a forma grega
[Iesus] é equivalente ao hebraico yasa’ (“quem liberta”, “quem
salva”). Assim, Jesus carrega a salvação em seu próprio nome (Cf. Mt 1.21).
Salvação no Novo Testamento

Nas Escrituras, especialmente (mas não somente) no Novo Testamento,


fala-se da realidade do pecado, com suas tristes consequências de
opressão (do homem pelo homem), alienação (do homem em relação a
Deus, do homem em relação a si mesmo e do homem em relação ao seu
ambiente) e escravidão (do homem a vícios, que basicamente expressam
egoísmo e auto-suficiência). Conforme o testemunho escriturístico, a
condição humana é marcada pela submissão ao poder e domínio do
pecado (Sl 36.1-4; Rm 3.23; Jo 8.24).

Carlos Caldas Filho. “Salvação”. In: Dicionário Brasileiro de


Teologia. p. 905.
Salvação no Novo Testamento

• A salvação de Jesus é salvação do pecado (Lc 1.77), pois ele mesmo


confere perdão dos pecados aos pecadores (At 5.31).

• Sua salvação não significa apenas libertação do pecado (Rm 6.22), mas
da Lei (Rm 7.6), da Morte (Rm 8.2), das trevas (Ef 5.8) e da
concupiscência (Rm 8.9). É, portanto, uma mudança radical em
relação à ideia de salvação-redenção proposta pelo AT.

• Sua salvação nos faz novas criaturas (Gl 6.15 e 2Co 5.17), liberta a
nossa liberdade (Gl 5.1), nos santifica (Cl 3.12), nos torna filhos e
filhas de Deus (Rm 8.16) e nos justifica pelo seu sangue (Rm 3.22-
26).
Salvação no Novo Testamento

• A salvação de Jesus é complexa, atende o ser humano em sua integralidade: cura


doenças, reintegra pessoas à sociedade, é boa-nova aos excluídos, perdoa pecados,
revela a misericórdia de Deus, liberta para o amor e dá vida em abundância. Pelo
seu Espírito, Ele nos fortalece (Jo 16.13), nos consola (Jo 14) e nos faz comunidade
fraterna de irmãos e irmãs (Fp 2.2).

• Desse modo, se a salvação de Jesus Cristo é dom que vem de Deus, ela requer
também acolhimento da parte do homem. A fé em Jesus Cristo é fundamental para
a salvação da pessoa (Mt 9.29).

• A fé significa que o homem reconhece a sua fragilidade e a sua condição de pecador,


impotente para salvar a si mesmo e acolhe a livre iniciativa de Deus, que deseja
salvá-lo por sua maravilhosa graça.

• Texto-chave: o diálogo de Jesus com Nicodemos (Jo 3.1-15).


Libertação-redenção no Novo Testamento

• No NT a ideia de redenção está diretamente ligada à Jesus. (Hb 9.11-


15). Jesus é aquele que dá sua vida em “resgate” (Mt 20.28 e Mc 10.45);
por seu sangue nós temos a redenção (Ef 1.7).

• Esse ato divino de libertação pode ser coletivo (Mt 20.28) ou individual
(Rm 8.23... “libertação de nosso corpo”) que nos fará participar da
glória de Cristo.

• Essa redenção que nos é adquirida pela morte e ressurreição de Cristo


toma efeito pelo ato de fé e pelo batismo (At 2.38; Rm 6 etc.).