You are on page 1of 39

QUESTÕES DISCURSIVAS

DIREITO ADMINISTRATIVO
1. AGÊNCIA REGULADORA
1.1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
• Sentido amplo
– Órgãos de governo: função política (elaborar
programas de ação governamental = normas
programáticas).
– Orgaos e PJ com função meramente administrativa
(executar os programas de governo)

• Sentido estrito: apenas órgãos e PJ com


função meramente administrativa.
Formas de organização e atuação
administrativa
a) Centralização: Estado executa diretamente, por meio de órgãos e agentes da
Adm direta, subordinados hierarquicamente entre si.
b) Descentralização: outra pessoa jurídica exerce serviços públicos, seja por
OUTORGA/DELEGAÇÃO LEGAL (Estado, por meio de lei, institui ou autoriza
criação de entidade da Adm. Ind. por prazo indeterminado e lhe transfere a
titularidade do serviço descentralizado) ou por DELEGAÇÃO NEGOCIAL (Estado
transfere, por meio de contrato ou ato administrativo unilateral, tão somente a
execução do serviço, em nome próprio, por tempo determinado ou de forma
precária, e sob a fiscalização do poder público).
- Não há hierarquia: Adm Direta exerce apenas controle finalístico, supervisão ou tutela
administrativa.
c) Desconcentração: ocorre dentro da estrutura de uma mesma pessoa jurídica
(distribuição interna de atribuições em departamentos, setores, ministérios), a fim de
tornar mais especializada e eficiente a prestação de serviços  órgãos públicos
(UNIDADES DE ATUAÇÃO DO PODER PUBLICO= plexo ou círculo de competências
públicas inalienáveis, intransferíveis e irrenunciáveis)  RELAÇÃO DE
SUBORDINAÇÃO  CONTROLE HIERARQUICO (comando, fiscalização, revisão, punição,
delegação e avocação).
• Centralização mediante desconcentração:
ÓRGAOS DA ADM DIRETA (Ministérios).

• Descentralização mediante desconcentração:


ORGAOS DA ADM INDIRETA (Departamentos).
SENTIDO MATERIAL E FORMAL
• MATERIAL/OBJETIVO/FUNCIONAL = atividade
que é realizada, não quem a exerce

• FORMAL/SUBJETIVO= quem exerce (orgaos,


agentes e entidades), sendo indiferente o tipo
de atividade (função administrativa ou
exploração atividade economica, 173 CF).
ENTIDADES PARAESTATAIS
• Há entidades privadas que colaboram no desempenho de
atividade de interesse público (saude, educação), sem
finalidade lucrativa.

• Não integram Adm Direta ou Indireta

• Serviços Sociais Autonomos


• Organizações sociais
• Organizações da sociedade civil de interesse público
(OSCIP)
• Instituições comunitária de educação superior
• Entidades de apoio
CRIAÇÃO DE ENTIDADES
DA ADM INDIRETA (37, CF)
• AUTARQUIA (CF) /FUNDAÇÃO AUTARQUICA (STF) 
DIRETAMENTE POR LEI ORDINÁRIA ESPECÍFICA 
ADQUIRE PJ DIREITO PUBLICO

• F/EP/SEM  MERA AUTORIZAÇÃO POR LEI ESPECÍFICA


+ REGISTRO DOS ATOS CONSTITUTIVOS  AQUISIÇÃO
DE PJ DIREITO PRIVADO

• LEI COMPLEMENTAR  DEFINE AREAS DE ATUAÇÃO


DAS FUNDAÇÕES (SEJA PUBLICA OU PRIVADA)
CRIAÇÃO DE SUBSIDIÁRIAS e PARTICIPAÇÃO NO
CAPITAL DE EMPRESAS PRIVADAS
• CF = depende de autorização legislativa
• STF = basta previsão genérica na lei que
autorizou sua criação
CARACTERISTICAS DA ADM INDIRETA
• PJ propria
• Autonomia administrativa e financeira
• Relação de vinculação (não de subordinação) com Adm Direta = tutela
administrativa (supervisão) = exige lei que expressamente estabeleça
momento, termos e limites do controle.
• Fiscalização e controle do Legislativo e TC.
• Concurso publico
• Vedação de acumulação remunerada de cargos ou empregos
• Obrigatoriedade de licitação
• Improbidade administrativa
• Sujeitos passivos de Ação popular e, quando praticam atos de autoridade,
a MS.
• Legitimidade ativa para ACP.
• Responsabilidade civil objetiva (risco administrativo) , exceto
exploradoras de atividade economica.
AUTARQUIAS
• Criadas e extintas por lei ordinária especifica, de iniciativa do chefe do poder executivo
• PJ Direito Publico, adquirida a partir da vigencia da lei
• Patrimonio proprio
• Atribuições determinadas: personificação de um serviço público extraído da adm.
centralizada, em geral típico e não ativ. economicas.
• Imunidade tributaria reciproca (IR)
• Privilegios processuais da faz. Publica (prazo em dobro para todas manifestações)
• Bens publico de uso especial (imprescritíveis e impenhoraveis)
• Execução sujeita ao regime de precatório
• CF não exige regime juridico estatutario (EC 19/1998 extinguiu obrigatoriedade de um regime
juridico único para entes federados, mas STF a declarou inconstitucional)
• Concurso publico
• Dirigentes: lei instituidora (por chefe do executivo). As vezes há exigencia de prévia
aprovação pelo Senado (CF=BACEN, Lei=agencias reguladoras).
• STF = lei local pode condicionar nomeação a prévia aprovação do Legislativo, mas não a
exoneração, por ofenderei separação poderes.
• Conselhores Profissionais
• OAB = serviço publico independente
ESPÉCIES DE AUTARQUIAS
Autarquia é genero, e subdivide em 4 espécies:
1. Autarquia comum ou ordinaria: sem nenhuma peculiaridade = serviço
público personificado.
2. Autarquia sob regime especial: maior autonomia (exigencia de
aprovação legislativa para nomeação de diretoria + mandato a prazo
certo + quarentena) = agencias reguladoras = alto grau especializacao
tecnica = regular e fiscalizar setor de atividade economica ou de
determinado serviço publico = amplo exercicio do poder de policia e
edição de atos normativos (obrigam somente o prestador, não o
usuario).
3. Autarquia fundacional ou fundação autarquica: instituída diretamente
por lei ordinaria especifica + PJ D. Publico = patrimonio personalizado
destinado a finalidade específica.
4. Associação pública = previstas no CC, a exemplo dos consórcios publicos
(autarquia interfederativa ou multifederada = integra simultaneamente
adm indireta de mais de 1 ente federado).
AGENCIAS EXECUTIVA
• Autarquias ou fundações publicas
• Tentativa de recuperação da eficiencia
• É uma qualificação formal conferida mediante decreto após
celebração de contrato de gestao, que estipule metas e
prazos de consecução = plano de estratégico de
reestruturação (duração min. 1 ano)
• Maior limite de valor para dispensa de licitação convite (20
e não 10 por cento do valor contrato)
• Tem por consequencia juridica a ampliação da autonomia
gerencial, orçamentaria e financeira
• Não tem uma area especifica de atuação
• Pode ou não ser uma agencia reguladora
PREGAO
• Destinado a bens e serviços comuns (padrões de desempenho e
qualidade possam ser objetivamente definidos no edital)
- Não há limite de valor
- Adota o tipo "menor preço"
- Edital deve ser publicado com antecedência mínima de 8 dias úteis
- Há inversão da ordem procedimental
- Julgamento das propostas vem antes da habilitação, restrito ao
licitante que ofertar o menor preço
- Após abertura, o autor da oferta mais baixa e os das ofertas com
preços até 10% superiores àquela, poderão fazer novos lances
verbais e sucessivos.
- Recursos: 3 dias
- Homologação posterior à adjudicação
FUNDAÇÕES PÚBLICAS
• Personificação de patrimonio com finalidade social
especifica e não lucrativa.
• 3 elementos essenciais
– Instituidor: dotação patrimonial
– Objeto: interesse social
– Ausência de fins lucrativos
• Tenham PJ Publica ou Privada, aplicam-se as mesmas
disposições constitucionais (inclusive imunidade tributaria
reciproca).
• Contudo, as de PJ Privada possuem regime híbrido: não
exercem poder de imperio (poder policia, multa), bens não
são publicos, não precatórios.
• MP não é curador das fundacoes publicas  tutela admin
2. LICITAÇÃO:
INEGIXIBILIDADE E DISPENSA
• Distinga, com inclusão de exemplos, a licitação
dispensável da licitação dispensada.
• Após a adjudicação do objeto, mas antes da assinatura
do contrato, a autoridade competente decide revogar a
licitação em razão de o preço adjudicado ser superior
ao praticado no mercado. Na situação hipotética,
responda fundamentadamente: a) A empresa X,
vencedora da licitação, é titular do direito subjetivo à
aludida contratação? b) No procedimento de
revogação ficam assegurados o contraditório e a ampla
defesa à empresa interessada?
3. SERVIDORES:
DIREITO À NOMEAÇÃO
4. ATOS ADMINISTRATIVOS
– Prerrogativas e atributos
– Anulação de revogação, convalidação

– Poderes admin: poder de polícia

– Diferenças entre a polícia administrativa e a


polícia judiciária.
5. BENS PÚBLICOS
• BENS PÚBLICOS: 03 (três) espécies de
instrumentos que permitem a utilização
regular privativa de bens públicos por
particulares.
• Requisição de bens particulares e prévia
indenização.
BENS PUBLICO:
ATOS ADMINISTRATIVOS
• Autorização de uso  UNILATERAL,
DISCRICIONÁRIO, PRECÁRIO, GRATUITO OU
ONEROSO, SEM LICITAÇÃO, BREVE PERÍODO,
INTERESSE PARTICULAR (Fechar rua para festa
junina, Evento cultural em praça).
• Permissão de uso  UNILATERAL,
DISCRIONARIO, PRECÁRIO, GRATUITO OU
ONEROSO, LICITAÇÃO É REGRA, LONGO PERÍODO,
INTERESSE PUBLICO (Banca de jornal, quiosques).
CONTRATO ADM
CONCESSÃO DE USO
• Utilização privativa de bem publico
• Oneroso ou gratuito
• Comutativo
• Intuitu personae
• Licitação prévia
• Não é precária: outorgada a prazo certo (segurança
juridica)
• Atividades de maior vulto
• Ex: explorar estacionamento em aeroporto, restaurante
em predio publico.
• Princípio da continuidade dos serviços públicos:
protege bens considerados essenciais à prestação
do serviço publico, visando sua não interrupção.
• Impenhorabilidade, inclusive, de bens de
empresas privadas prestadoras de serviços
publicos (concessionárias e permissionarias),
quando afetados à consecução da atividade-fim.
• Mas bens continuam sendo privados, se não for
de PJ D. Publico.
Regime jurídico dos bens públicos
• Imprescritibilidade = usucapiao,mas pode adquirir
• Impenhorabilidade = precatorios
• Não onerabilidade = não podem ser GRAVADOS COM GARANTIA REAL (hipoteca, penhor)
• Inalienabilidade relativa = enquanto afetados

Titularidade: federais, estaduais, municipais.

Destinação:
- uso comum do povo (ruas, praias): em regra gratuito, mas pode ser oneroso (pedágios em rodovias)
Obs: USO COMUM EXTRAORDINÁRIO (restrições de uso = poder de policia = proibição de tráfego de veiculos
com peso superior a tal limite)
- uso especial = serviços publicos e administrativos (aparelhamento material)
- dominicais = não afetados (sem destinação publica definida), patrimonio disponivel = alienavel e
locação = divida ativa, predios desativados, terras devolutas.

DOMINIO PUBLICO DO ESTADO X DOMINIO PRIVADO DO ESTADO (dominicais)

ALIENAÇÃO  MOVEIS (LEILAO), IMOVEIS (CONCORRENCIA)


DESAPROPRIAÇÃO
• Necessidade publica
• Utilidade publica
• Interesse social

• Forma compulsoria e originaria


• Justa e previa indenizacao
6. INTERVENÇÃO NA PROPRIEDADE
• DESAPROPRIAÇAO: O município X, sem
processo regular de desapropriação, ocupou
um bem pertencente a particular. Não foi
atribuída ao bem nenhuma destinação
pública. Que providência o proprietário do
bem poderá adotar contra o município?
7. IMPROBIDADE
• IMPROBIDADE: Aponte as sanções de natureza
político-administrativa a que estão sujeitos os
agentes públicos quando sua conduta puder ser
caracterizada como violadora de princípios
regentes da administração pública ou causadora
de lesão ao Erário, esclarecendo, ainda, o(s)
mecanismo(s) legalmente previsto(s) para a
imposição de tais sanções e definindo se mesmo
os agentes com investidura transitória e não
remunerada estão sujeitos a esta disciplina legal.
8. CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO
• Esclarecer, de forma fundamentada, como se
opera o controle parlamentar da atividade
administrativa do Estado, sua amplitude e
condições.
9. PROPORCIONALIDADE
• Está consagrado em alguma norma de direito
positivo como mecanismo e como critério de
controle de atos administrativos?
10. PAD
• A Administração Pública instaurou processo
administrativo disciplinar contra servidor público em
razão da prática de infração disciplinar considerada
grave. O servidor, em sua defesa, alegou que já havia
sido proposta ação penal para apurar a prática de
crime relacionado com o mesmo fato. Sustenta que o
processo disciplinar deverá ser suspenso, pois a
decisão proferida no processo penal pode ter
influência na esfera administrativa. Após analisar os
diversos tipos de responsabilidade do servidor,
esclareça se o requerimento formulado no processo
administrativo deve ser atendido.
11. PAD
• Na esfera penal, um policial civil foi
processado e condenado criminalmente pela
pratica de crime contra administração publica,
tendo esta sentença transitada em julgado. No
âmbito administrativo-disciplinar ainda esta
em andamento um processo administrativo
disciplinar PAD exclusivamente pelo mesmo
fato. Pergunta-se: essa decisão judicial gera
efeitos para o processo disciplinar?
12. PAD
• Um Inspetor de Polícia e um Investigador Policial, ambos sem efetivo exercício, são imediatamente
afastados de suas funções após terem cometido uma transgressão disciplinar na qual utilizaram
indevidamente bens do Estado sob a sua respectiva guarda, razão pela qual o Inspetor de Polícia foi
sancionado em sede administrativa com pena de demissão e ao Investigador Policial foi aplicada
pena de suspensão, com base na legislação aplicável à espécie. Em seguida, o Inspetor de Polícia e
o Investigador Policial, ambos inconformados com a decisão, ingressaram, após a devida ciência,
com pedido de reconsideração da decisão prolatada, que foi protocolado oito (8) dias após a edição
do ato, diretamente à autoridade que proferiu o ato punitivo. Tendo em vista o indeferimento do
pedido em questão, os servidores policiais ingressaram com recursos hierárquicos endereçados à
autoridade administrativa superior, que manteve integralmente a decisão em relação ao Inspetor
de Polícia e, no que pertine ao Investigador Policial, entendeu por aplicar igualmente a pena de
demissão. Concomitantemente, havia sido ajuizada ação penal correlata à transgressão disciplinar
praticada pelos policiais e, passados seus (6) meses da decisão em sede administrativa, ambos os
servidores foram condenados na seara judicial, porém sem previsão da pena de perda de cargo.
Quatro (4) anos depois, ambos os ex-servidores policiais requereram, por meio de simples
petição, a anulação das punições disciplinares, com fulcro no princípio da razoabilidade e
autotutela da Administração, como também na independência das instâncias e a inexistência de
trânsito em julgado da sentença condenatória. Emita, dispensado o relatório, parecer
fundamentado sobre a questão, opinando se assiste razão ao pleito dos ex-servidores.
13. RESPONSABILIDADE CIVIL
João da Silva ajuizou ação indenizatória contra o
Estado da federação onde reside, alegando que seu
filho foi assassinado durante um roubo.
Fundamenta o seu pedido na falha do serviço de
segurança que deve ser prestado pelo Estado.
Considerando que ficou comprovado no processo
que o filho do autor foi assassinado durante um
roubo, o candidato deverá esclarecer se o Estado
responde patrimonialmente por danos resultantes
dos crimes praticados por particulares
14. REPONSABILIDADE CIVIL DAS
PRESTADORAS DE SERVIÇO PUBLICO
– Teoria adotada
– Direito regresso
15. SERVIDORES
Acerca do provimento de servidor em cargo efetivo,
responda:
a) qual(is) é(são) o(s) requisito(s) essencial(is) para
o provimento;
b) quais os atos que compõem o processo de
investidura;
c) quais são as hipóteses de perda do cargo pelo
servidor provido em cargo efetivo previstas em
sede constitucional;
d) diferencie provimento originário e provimento
derivado.
16. SERVIDORES
Servidor Público do Estado de São Paulo que
pede exoneração para tomar posse em cargo
policial civil de provimento efetivo, no mesmo
Estado, e que durante estágio probatório não
preenche os requisitos mínimos exigidos para a
confirmação na carreira, pode ser reconduzido
ao cargo anterior ? Explique e justifique.