You are on page 1of 12

DIFICULDADES E ERROS NA

APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

T E X TO : T E I X E I R A , L . R . M . D I F I C U L D A D E S E E R R O S N A A P R E N D I Z A G E M D A
M AT E M ÁT I C A . A N A I S D O V I I E P E M – E N C O N T R O PA U L I S TA D E E D U C A Ç Ã O M AT E M ÁT I C A .
S Ã O PA U L O : F E U S P, 2 0 0 4 . D I S P O N Í V E L E M :
H T T P : / / M I LTO N B O R B A . O R G / C D / I N T E R D I S C I P L I N A R I D A D E /A N A I S _ V I I _ E P E M / M R . H T M L .
(MR14).

Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo


Disciplina: Educação Matemática
Profª Sueli Fanizzi
Mudança de concepção de erro
A concepção de erro sofreu alterações a partir da mudança de paradigma ocorrida na segunda
metade do século passado, quanto ao referencial epistemológico, tanto do ponto de vista da
construção do conhecimento científico, quanto da construção do conhecimento pelo sujeito. A crença
na existência de uma verdade absoluta, baseada no poder da razão ou advinda da observação de fatos
empíricos, foi colocada em xeque por vários autores, dentre os quais se destacam Popper (1980) e
Bachelard (1967) e substituída por uma concepção relativista de ciência em que o conhecimento não é
absoluto, mas sempre incompleto (p. 3).

Epistemologia (ramo da Filosofia): estudo sobre a origem do conhecimento.


Obstáculo epistemológico foi o nome que Bachelard utilizou para se referir a tudo
que fica incrustado no conhecimento não questionado, a todos os pontos onde o
progresso científico estanca, regride ou permanece inerte. Sua tese é a de que o
ato de conhecer se dá sempre contra um conhecimento anterior.
A origem dos erros e das dificuldades na aprendizagem matemática

Bachelard

Chevallard
(transposição didática)
OBSTÁCULOS
EPISTEMOLÓGICOS

Brousseau

ORIGENS FUNDAMENTAIS PARA OS OBSTÁCULOS


PRESENTES NO ENSINO DE MATEMÁTICA
Para Brousseau

dificuldades em Matemática
Origem dos erros e das
NATUREZA DOS CONCEITOS
MATEMÁTICOS
(EPISTEMOLÓGICA)

NATUREZA DO ENSINO
(DIDÁTICA)

PROCESSOS COGNITIVOS DO ALUNO


(ONTOGENÉTICA)
PROCESSOS COGNITIVOS DO ALUNO
(ONTOGENÉTICA)

De qualquer forma, é preciso lembrar que a “cegueira para a matemática”,


como mostrou Krutetsky (1991), não existe. Embora alguns alunos
demonstrem uma capacidade evidente para as matemáticas, há outros que
não têm a mesma facilidade, tanto no que diz respeito à rapidez, quanto ao
nível de complexidade alcançado. Segundo o autor a aprendizagem de
matemática envolve as relações entre dois sistemas de sinais; o visual-
imaginativo e lógico-verbal (p. 11)
Modelo padrão da tradição
NATUREZA DO ENSINO
(DIDÁTICA)
Falta de relação entre
os conteúdos

escolar
Uso de situações não
desafiantes

Crença de que a teoria


vem antes da prática

Hoje Marina tem 15 bonecas. No final do ano


passado, deu 6 as suas duas melhores amigas.
Adição Subtração Multiplicação Divisão Quantas bonecas Maria tinha antes de
presentar Raquel e Sofia?
Aspecto Aspecto Ensino das
sintático da semântico da noções
linguagem linguagem matemáticas
matemática matemática elementares
NATUREZA DOS CONCEITOS
MATEMÁTICOS
(EPISTEMOLÓGICA)

5) A generalização (de regras, categorias ou


estratégias) demanda reconhecer as condições
para sua aplicação (p.6).

6) Os conceitos matemáticos são expressos em


uma linguagem específica (p. 7).
Analisando alguns erros...

A 2 = 10 = 4 + 6 = 6 = 6 B Professor dita: 368


5 4+1 1 Aluno escreve: 300608

D DM M C D U
4 4

C ½ x 4 = 2, mas 4 x ½ não pode ser 2. A tal 2 9 0 9


propriedade comutativa não vale para qualquer X 5
multiplicação!! Isso é um fato!! 1 4 5 9 5
Analisando alguns erros...

E 2, 125 > 2,7 F 0,036 = 36


1,27 é diferente de 1,270 e vale menos.

G M C D U

– 7 3 9
2 6 2
5 3 7
Analisando alguns erros...
Situação-problema (1º ano do EF)
Em uma classe há 19 meninos e algumas meninas. No total são 35 alunos. Quantas meninas há nessa classe?

H I